Índice de cristalinidade

Top PDF Índice de cristalinidade:

Influência da pressão e temperatura na cristalinidade da illita em sequências Proterozoicas: Norte do Distrito Federal e Goiás, Brasil.

Influência da pressão e temperatura na cristalinidade da illita em sequências Proterozoicas: Norte do Distrito Federal e Goiás, Brasil.

Manuscrito ID: 30268. Recebido em: 23/03/2015. Aprovado em: 25/05/2015. RESUMO: As sequências Proterozoicas, ao Norte no Distrito Federal e na região de Bezerra e Vila Boa (Goiás), são constituídas por calcários e dolomitos, pelitos e arenitos correspondentes aos Grupos Bambuí e Paranoá. No Distrito Federal, tais unidades são sobrepostas tectonicamen- te por rochas metassedimentares de fácies xisto-verde do Grupo Canastra. Entre os constituintes minerais dos termos pelíticos de todas estas unida- des, predominam os filossilicatos, particularmente a illita e a muscovita, identificados por difração de Raios X, com o auxílio de decomposição da reflexão em d(001). O Índice de Kübler (Índice de Cristalinidade da Illita) complementa a interpretação da diagênese local e da possível influência de carga tectônica sobre diagênese/metamorfismo, resultante da sobrepo- sição por falha de empurrão das rochas do Grupo Canastra sobre aquelas dos grupos Paranoá e Bambuí, na região do Distrito Federal. Os resulta- dos indicam condições de epizona para as amostras analisadas do Grupo Canastra e anquizona para aquelas dos Grupos Bambuí e Paranoá, sen- do que os valores do Índice de Kübler são menores nas rochas expostas ao norte do Distrito Federal do que na região de Bezerra, em Vila Boa. Além disso, os índices das rochas do Grupo Bambuí são inferiores aos do Paranoá em toda a região estudada, indicando que a influência da carga tectônica ocorre de forma gradativa, partindo do ponto de maior carga. PALAVRAS-CHAVE: Grupo Paranoá; Grupo Bambuí; Decomposição; Diagênese-anquizona.
Mostrar mais

16 Ler mais

Caracterização e predição da cristalinidade de celulose através de espectroscopia no infravermelho e análise multivariada

Caracterização e predição da cristalinidade de celulose através de espectroscopia no infravermelho e análise multivariada

raios-X, utilizada como técnica convencional de mensuração do índice de cristalinidade (IC), e o FTIR e FTNIR para caracterização e construção de modelos para predição do IC através da calibração multivariada. Através da hidrólise ácida controlada foram obtidas as amostras com IC mais elevado (90%) e houve a formação de celulose II nos tratamentos com ácido na concentração de 64%V/V. O tratamento alcalino também propiciou a formação de celulose II. A desfibrilação mecânica resultou em uma diminuição do IC com uma menor rotação (1000 rpm) e maior número de passes (50) no moinho. Para a moagem em moinho de bolas, houve a diminuição do IC chegando a formação de amostras amorfas. Os modelos elaborados com os espectros coletados nas diferentes amostras produzidas possibilitaram a predição da cristalinidade da celulose independente das características de processamento, tanto pela técnica FTIR como FTNIR.
Mostrar mais

109 Ler mais

Avaliação de métodos de obtenção de celulose com diferentes graus de cristalinidade

Avaliação de métodos de obtenção de celulose com diferentes graus de cristalinidade

A proporção entre as regiões cristalina e amorfa determina o índice de cristalinidade (IC) da celulose (D’ALMEIDA, 1981), o que em conjunto com a orientação dos domínios cris- talino e amorfo nas fibras afetam as proprieda- des mecânicas das fibras de celulose (IYER et al., 1991; HU; HSIEH, 2001). A técnica padrão utilizada para mensuração do IC é a difração de raios-X (ZUGENMAIER, 2008), que consis- te na incidência de um feixe de elétrons que ao ser difratado contém informações sobre a estru- tura da amostra (SMITH, 1981). Outras técni- cas vêm sendo estudadas para predição do IC, como infravermelho (O’CONNOR et al., 1958; TSHUCHIKAWA et al., 2005), ressonância mag- nética (ATALLA; VANDERHART, 1989; EARL; VANDERHART, 1981) e espectroscopia Raman (ATALLA; VANDERHART, 1989).
Mostrar mais

10 Ler mais

Diferentes processos de branqueamento da celulose e seus efeitos nas propriedades físicas e cristalinidade

Diferentes processos de branqueamento da celulose e seus efeitos nas propriedades físicas e cristalinidade

O primeiro estágio de branqueamento oxidativo (O) causou apenas alterações marginais sobre o índice de cristalinidade da polpa H, cujo aumento foi de apenas 1,7%. No entanto, a alteração observada na alvura da polpa, bem como o decréscimo de seu número kappa e viscosidade, indicaram que o estágio O provocou a retirada da lignina residual pela ação do agente branqueador em pH alcalino. Na Tabela 2.5, observa-se que o ganho em alvura no estágio O é muito pequeno (2,9%) em relação às outras polpas estudadas, pois em madeiras de pinus existem substâncias de estruturas cromóforas que são mais resistentes a deslignificação da polpa. Estudos relataram valores de cristalinidade de polpa Kraft marrom em Pinus taeda em torno de 69%, e na polpa branqueada 74% (PIMENTA, 2005). Neste estudo podemos observar na Figura 2.6 que os valores de cristalinidades medidos estão de acordo com estudos na literatura (PIMENTA, 2005). Para a polpa H a sequência referência apresentou maior índice de cristalinidade para a polpa branqueada, sendo superior mais de 4% com relação às sequências 1 e 2 (Figura 2.6). Todos os experimentos causaram na polpa uma modificação na fração amorfa em pequena extensão, como se esperava, aumentando ou diminuindo a fração cristalina, devido às diversas condições empregadas, como em meio ácido, meio alcalino, ambos na presença de um forte oxidante.
Mostrar mais

181 Ler mais

Índice simples de alagamentos

Índice simples de alagamentos

Eventos como alagamentos e inundações estão em destaque no Nordeste do Brasil, perdendo somente para a seca. Em cidades litorâneas onde os volumes pluviométricos geralmente são superiores em comparação com o interior, tais fenômenos ganham conotação. Na cidade do Natal/RN as precipitações intensas são comuns durante os meses de março a junho, causando transtornos aos citadinos. Pesquisas utilizando modelagem hídrica estão ganhando espaço no meio acadêmico, porém, em relação a capital do Rio Grande do Norte ainda são poucos, para atender a enorme demanda de temas que a cidade possui.Assim, esse trabalho tem como objetivo o desenvolvimento de um modelo indicativo de áreas propícias a alagamento na cidade, denominado Índice Simples de Alagamentos-ISA. Fez-se uso de dados espectrais e técnicas de geoprocessamento. Os resultados mostraram que o modelo proposto mostrou áreas e pontos com susceptibilidades a alagamentos e pode ser utilizado em diversas regiões, com diferentes características. O modelo proposto Índice Simples de Alagamentos (ISA), por ser simples e fácil de manusear, além de fazer uso de informações obtidas livremente na internet, apresentou resultados satisfatórios com otimização de um indicativo de áreas propícias à de alagamentos, podendo auxiliar em modelos de gestão administrativa no que tange ao monitoramento de situações extremas de alagamentos.
Mostrar mais

68 Ler mais

Índice de acidentes com perfurocortantes

Índice de acidentes com perfurocortantes

Segundo Spagnuolo, Baldo e Guerrini (2008), o índice de acidentes com perfurocortantes, alerta para a necessidade de treinamentos quanto aos cuidados na manipulação desses objetos. Nesse mesmo estudo, ainda ressalta que EHL no desenvolver de suas tarefas, já encontraram objetos perfuro cortantes descartados em locais inadequados ou em caixas coletoras com a capacidade acima do recomendado. E até usam adaptações de recipientes de remédio e de produtos de limpeza como coletores, sendo algumas vezes descartados em lixos comuns.

20 Ler mais

Índice de Biodiversidade Urbana

Índice de Biodiversidade Urbana

Segundo o Relatório do Índice Europeu de Cidades Verdes, Bruxelas é a cidade com maior consciência no campo de governança ambiental. As várias metas ambientais da região são traçadas no plano de ação “Agenda Iris 21”. Bruxelas sabe que a preservação do meio ambiente é um trabalho global e que a consciencialização dos cidadãos é o meio mais eficaz. Os cidadãos encontram-se orientados e informados sobre as melhores práticas para redução do consumo de energia, redução da pegada de carbono entre outros através da Agência de Energia de Bruxelas e o Instituto de Gestão do Meio Ambiente (IBGE). O IGBE lançou um Projeto Durável – o Bairro Sustentável, onde os residentes são encorajados a formar grupos e identificar um projeto sustentável na sua vizinhança. Os incentivos são em forma de apoio, suporte, consultoria especializada ou mesmo subsídios.
Mostrar mais

47 Ler mais

Determinação dos índices de cristalinidade de fibras celulósicas.

Determinação dos índices de cristalinidade de fibras celulósicas.

Utilizaram-se os métodos empíricos de difratometria de raios X e espectroscopia de infravermelho para as determinações dos índices de cristalinidade: o obtido por espectroscopia de inf[r]

6 Ler mais

Índice. Características

Índice. Características

Passe o arame de aço de limpeza através do orifício no centro da ponta da seção de junta da peça de mão do recipiente de pó ao girá-lo e limpe as entradas dos bocais internos com o ara[r]

18 Ler mais

DISSERTAÇÃO_Eficiência do índice..

DISSERTAÇÃO_Eficiência do índice..

Ambos os índices seriam boas alternativas na seleção de genótipos de cafeeiro, pois obtiveram ganhos totais desejáveis, há, contudo, uma superioridade na utilização do índice FAI- BLUP, uma vez que foram obtidos ganhos em seis dos sete caracteres analisados, esse superior ao observado para o índice de Smith-Hazel em que os ganhos ocorreram em cinco dos sete caracteres. Outra vantagem do índice FAI-BLUP é que ele é livre de muticolinearidade, e muitas vezes pode-se ter problemas como isso. É preciso mencionar também que a eficiência de um índice em relação ao outro é dependente de quantos genótipos estão sendo selecionados, pois os ganhos com a seleção irão variar de acordo com o número de genótipos selecionados, portanto caso haja a necessidade de se selecionar um outro número de genótipos esse deve ser comparado novamente.
Mostrar mais

61 Ler mais

índice de fluidez

índice de fluidez

temperatura ambiente para pesagem na balança. No ensaio para a determinação do índice de fluidez deve-se utilizar o corte automático da amostra a cada 10 s ou tempo adequado par[r]

6 Ler mais

ÍNDICE-SUMÁRIO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL 31 ÍNDICE-SUMÁRIO

ÍNDICE-SUMÁRIO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL 31 ÍNDICE-SUMÁRIO

SECÇÃO III Competência em razão da hierarquia 51 SECÇÃO IV Competência em razão do território 51 SECÇÃO V Disposições especiais sobre execuções 54 CAPÍTULO IV Da extensão e modificações [r]

9 Ler mais

Os teoremas de índice de Poincaré

Os teoremas de índice de Poincaré

Desde que o número de voltas W (γ) é o mesmo, não importa quão pequeno seja o círculo γ, segue que o índice mede algo sobre o campo vetorial V que depende apenas do comportamento sobre V em uma área arbitrariamente pequena ao redor de P . A figura 3.10 dá alguns exemplos de pontos críticos. Em cada caso damos um esboço dos caminhos integrais na vizinhança do ponto e um esboço do comportamento do campo vetorial sobre um círculo desenhado ao redor do ponto crítico. O índice é apenas uma maneira de classificar estes tipos de pontos críticos. Diferentes tipos de pontos poderiam ter o mesmo índice.
Mostrar mais

61 Ler mais

Índice do volume

Índice do volume

Aspectos da educação ambiental crítica no ensino fundamental por meio de atividades de modelagem matemática.. Seção: Estudos.[r]

34 Ler mais

ÍNDICE DO VOLUME IV

ÍNDICE DO VOLUME IV

Para compreender como este fenômeno ocorreu na cidade do Recife, definiu-se um método de investigação histórica da paisagem urbana, tomando como ponto de partida a discussão teórica so[r]

339 Ler mais

ÍNDICE DO VOLUME IV

ÍNDICE DO VOLUME IV

Este modelo permite explicar as relações entre os diferentes elementos que determinam a apreciação visual da paisagem, e afirmar que a valoração desta resulta da [r]

20 Ler mais

ÍNDICE DO VOLUME II

ÍNDICE DO VOLUME II

A Sul terá havido uma expansão forte das áreas de seara e uma expansão suave dos montados, à custa da compressão da charneca - por arroteia - e dos pastos - por encurtamento dos pousios[r]

336 Ler mais

ÍNDICE DO VOLUME III

ÍNDICE DO VOLUME III

Arte efímero como herramienta de regeneración del paisaje urbano: El caso de M adrid …..………... 177 Luís Ribeiro.[r]

365 Ler mais

ÍNDICE DO VOLUME II

ÍNDICE DO VOLUME II

Barros Gomes en la M ata Nacional da M achada (Barreiro, Portugal): testigos cartográficos ……….… 223 Ignacio López Busón, M ary Polit es, M iguel Vidal Calvet y Han Yu.. A Computat[r]

23 Ler mais

Show all 3474 documents...