Inibidores de proteinases

Top PDF Inibidores de proteinases:

O uso de inibidores de proteinases presentes em sementes de grão de bico (cicer arietnum) como fator de defesa para o controle do bicudo do algodoeiro (anthonomus grandis)

O uso de inibidores de proteinases presentes em sementes de grão de bico (cicer arietnum) como fator de defesa para o controle do bicudo do algodoeiro (anthonomus grandis)

A cultura do algodão apresenta importância econômica e social mundial, tanto na área rural como no setor industrial. Uma de suas principais pragas, o Anthonomus grandis, conhecido como bicudo do algodoeiro, é responsável tanto por prejuízos severos na lavoura como pelas dificuldades do seu controle. Por apresentarem altas concentrações de proteinases digestivas do tipo serínicas, vários estudos têm sido feitos com o objetivo de isolar inibidores de proteinases vegetais ativos contra estas enzimas. A ingestão de inibidores de proteinases pelos insetos pode interferir no processo de digestão de proteínas no intestino médio, levando à deficiência de aminoácidos. Esta deficiência prejudica a síntese de proteínas necessárias ao seu crescimento, desenvolvimento e reprodução. No presente trabalho, um inibidor de serino-proteinases de sementes de grão de bico (Cicer arietnum) foi purificado utilizando-se cromatografia de afinidade em Red-Sepharose CL- 6B combinada com coluna de fase reversa de HPLC (Vydac C-18 TP). A análise eletroforética por SDS-PAGE e análise por espectrometria de massa (MALDI-TOF) revelaram a presença de uma única proteína, denominada CaTI (C. arietnum Trypsin Inhibitor) de 12877,44 Da. Ensaios inibitórios in vitro foram realizados contra as proteinases digestivas de larvas do A. grandis, e contra tripsina pancreática bovina, apresentando atividade inibitória de aproximadamente 67% e 56%, respectivamente. A atividade inibitória contra ß-tripsina bovina também foi observada através da técnica de Ressonância de Superfície Plásmica (BiaCore), onde CaTI apresentou interação significativa. Bioensaios demonstraram que uma fração rica em CaTI foi ativa contra A. grandis. Esse inibidor, além de causar aumento de mortalidade e retardamento no desenvolvimento, também foi capaz de produzir deformidades no inseto adulto. Estes resultados sugerem que o inibidor CaTI poderá ser utilizado na produção de plantas de algodão resistentes ao bicudo do algodoeiro através de engenharia genética.
Mostrar mais

1 Ler mais

Detecção de inibidores de proteinases cisteínicas em raízes de feijãodecorda [Vigna unguiculata (L.) Walp.] e avaliação de sua atividade sobre o nematóide das galhas Meloidogyne javanica.

Detecção de inibidores de proteinases cisteínicas em raízes de feijãodecorda [Vigna unguiculata (L.) Walp.] e avaliação de sua atividade sobre o nematóide das galhas Meloidogyne javanica.

A detecção de inibidores de proteinases cisteínicas em raízes de feijão-de-corda [Vigna unguiculata (L.) Walpers] bem como o acúmulo de frações ricas nestes inibidores por meio de precipitação com sulfato de amônio seguida de cromatografia líquida de fase reversa foram realizados no presente trabalho. Frações contendo os maiores níveis de atividade de inibidores de proteinases cisteínicas foram selecionadas e sujeitas à avaliação de sua habilidade em suprimir a mobilidade de juvenis de segundo estágio (J2) do nematóide das galhas Meloidogyne javanica, raça 1. Em adição o efeito nematicida destas também foi avaliado. Quanto ao parâmetro mobilidade, a fração F 30/60 precipitada com sulfato de amônio, numa dose de 40 µg de proteínas, mostrou ser a mais potente de todas as amostras testadas, às 24 h de incubação. No entanto, com relação à mortalidade ambos os picos PIHPLC e PIIHPLC, obtidos dos passos de HPLC, foram os mais ativos causando um percentual de mortes de nematóides de 95,0 e 94,7 %, respectivamente, quando as doses mais potentes destes picos foram comparadas. Além disso, a fração F 30/60 acoplada a FITC foi usada em experimentos de microscopia de luz-fluorescência para responder as seguintes questões: 1) Estariam os efeitos observados sobre a mobilidade e mortalidade relacionados à ligação das proteínas no nematóide? e 2) Se sim, esta interação é realizada com a superfície do nematóide ou seu intestino, ou com ambas estruturas? A fração F 30/60 parece ser incorporada pelos juvenis e ligar-se especificamente à região correspondente ao intestino dos nematóides às 6 h após incubação, enquanto que às 24 h após incubação o complexo fluorescente parece se dispersar ao longo de todo o corpo do nematóide, como observado pela microscopia de luz-fluorescência. Estes resultados, somados, sugerem o possível uso dos inibidores presentes em raízes de feijão-de-corda como ferramentas biológicas potenciais no controle do nematóide das galhas, M. javanica.
Mostrar mais

129 Ler mais

Avaliação da ação bioinseticida de SBTI e vicilina de Erythrina velutina em enzimas digestivas e membrana peritrófica de larvas de Plodia interpunctella (Lepidoptera: Pyralidae)

Avaliação da ação bioinseticida de SBTI e vicilina de Erythrina velutina em enzimas digestivas e membrana peritrófica de larvas de Plodia interpunctella (Lepidoptera: Pyralidae)

Plodia interpunctella (traça-indiana-da-farinha) é uma praga cosmopolita que ataca não somente uma ampla gama de produtos armazenados, mas também outros produtos alimentícios. Devido a sua importância econômica várias pesquisas têm sido realizadas com o intuito de identificar um método capaz de controlar esta praga sem danos ao ambiente. O estudo de inibidores de enzimas digestivas, lectinas e proteínas que se ligam à quitina tem sido proposto como uma alternativa para controlar o dano causado por estes insetos. Neste estudo alvos específicos para inibidores de enzimas e proteínas ligantes à quitina foram identificados nas larvas desta praga. Para isso, durante o desenvolvimento de larvas de P. interpunctella as classes de enzimas digestivas alvos foram identificadas por ensaios de atividade in vitro e SDS-PAGE, pH e temperatura ótimos avaliados para a indicação de possíveis proteínas inibidoras para a principal classe de proteinase detectadas no intestino das larvas. Outro alvo para proteínas deletérias foi indicado pela identificação da membrana peritrófica por ensaios químicos de detecção de quitina e por microscopia de luz. Durante o período de desenvolvimento as larvas de P. interpunctella, alimentadas com uma dieta baseada em bagaço de cana, passaram por 5 ínstares e pelo estágio pré-pupal. A maior atividade proteolítica (UA/intestino) foi detectada no estágio pré-pupal, enquanto que a maior atividade proteolítica específica (UA/mg proteína) foi observada no terceiro ínstar, utilizando azocaseína como substrato a pH 9,5 e a 50°C. A inibição das proteinases presentes no homogenato intestinal de larvas de terceiro ínstar foi mais evidente quando inibidores de proteinases serínicas (SBTI, TLCK e PMSF, com 96%, 89% e 20% de inibição, respectivamente) foram utilizados nos ensaios. No estágio pré-pupal, a maior inibição observada foi com SBTI (96%), TLCK (81 %) e TPCK (20%), indicando a predominância de atividade enzimática de proteinases serínicas a pH 9,5 no intestino de Plodia interpunctella. Por zimograma foi observada inibição de bandas de menor massa molecular por TLCK e um atraso na corrida eletroforética dessas bandas causado por SBTI. Quando avaliado o efeito in vivo de SBTI no desenvolvimento larval, não foi observada mortalidade e nem efeito na massa das larvas sobreviventes. Estabelecido o segundo alvo de atuação, baseado na ligação à quitina, bioensaios usando a vicilina EvV foram realizados, onde um LD 50 de 0,23% e um WD 50 de
Mostrar mais

83 Ler mais

Purificação parcial de inibidores de tripsina de sementes de Caesalpinia ferrea e Swartzia polyphylla e o efeito dos extratos protéicos sobre fungos fitopatogênicos.

Purificação parcial de inibidores de tripsina de sementes de Caesalpinia ferrea e Swartzia polyphylla e o efeito dos extratos protéicos sobre fungos fitopatogênicos.

Considerando, por um lado, a importância dessas proteínas para o mecanismo de defesa das plantas, e por outro, que insetos, fungos e nematóides podem impor em torno de 40% de perda da produção agrícola mundial, vários estudos tem sido realizados envolvendo princípios ativos que atuem como agentes de defesa natural no manejo integrado de pragas, incluindo o isolamento de compostos naturais (inibidores de proteinases) e a produção de plantas transgênicas resistentes, minimizando as perdas e o uso indiscriminado de agrotóxicos (8, 9, 10, 11).
Mostrar mais

8 Ler mais

Caracterização estrutural da interação de serino proteinases de Spodoptera frugiperda...

Caracterização estrutural da interação de serino proteinases de Spodoptera frugiperda...

As plantas desenvolveram diferentes mecanismos para reduzir o ataque de insetos, incluindo compostos protéicos de defesa, como os inibidores de proteinases (IPs). Os insetos, ao longo da evolução, desenvolveram estratégias para superar as barreiras defensivas das plantas, permitindo a sua alimentação e desenvolvimento, como a super expressão de genes de enzimas digestivas sensíveis e insensíveis aos IPs de plantas. Uma das abordagens desse trabalho foi identificar novas serino- proteinases no intestino de lagartas de Spodoptera frugiperda. Duas novas quimotripsinas e trê novas tripsinas foram identificadas e juntamente com mais 10 genes já conhecidos que codificam estas enzimas foram submetidos à análise de expressão gênica por PCR em tempo real. Entre essas duas famílias de serino- proteinases (SPs) os genes que codificam as quimotripsinas apresentam uma regulação positiva mais ampla do que aqueles que codificam as tripsinas. Estudos de modelagem molecular das quimotripsinas também foram realizados. Foram construídos modelos tridimensionais à partir de modelagem por homologia além de análises de dinâmica molecular e docagem com oito diferentes IPs do tipo Bowman- Birk. Os resultados mostram quais quimotripsinas apresentam as maiores afinidades aos inibidores testados de maneira geral e individual, inferidos à partir da estimativa de energia livre do sistema. Também foi encontrada uma serina extra próxima ao sítio catalítico de três quimotrispsinas modeladas que pode interferir na afinidade dessas enzimas já que este aminoácido apresenta perda de área acessível ao solvente quando complexada ao IP de soja testado. Os resultados de expressão gênica e grau de sensibilidade foram comparados e não se observou qualquer relação entre esses parâmentros. Isso sugere que as lagartas da espécie S. frugiperda combinam diferentes estratégias adaptativas como o aumento de expressão de todas as suas quimotripsinas independentemente do grau de sensibilidade das enzimas.
Mostrar mais

104 Ler mais

Genotypic analysis of secreted aspartyl proteinases in vaginal Candida albicans isolates

Genotypic analysis of secreted aspartyl proteinases in vaginal Candida albicans isolates

The most studied hydrolases related to Candida virulence are proteases, phospholipases, and lipases. Secreted aspartyl proteinases (Sap) form a family of 10 isoenzymes (Sap1-10) that participate in the infection process by degrading several host cell proteins, such as immunoglobulins, proteins of the complement system and extracellular matrix, contributing to tissue damage and the resulting invasion by the microorganism (18-21) . These enzymes play different

6 Ler mais

Estudo de potenciais inibidores de inibidores de infecção causada por Vírus Sincicial Respiratório em cultura de célula

Estudo de potenciais inibidores de inibidores de infecção causada por Vírus Sincicial Respiratório em cultura de célula

Paramyxoviridae, é um vírus envelopado com tamanho médio de 120 a 300nm, de simetria helicoidal, que apresenta um genoma de RNA fita simples não segmentado de polaridade negativa. Este genoma codifica 11 proteínas, dentre as quais as glicoproteínas de membrana que são responsáveis pela infectividade do vírus. A proteína F, em associação com a proteína G e SH, é responsável pela fusão da membrana viral à célula que será infectada, ou seja, esta proteína proporciona a entrada e instalação do vírus na célula. Conhecer a forma de interação das proteínas da membrana viral com a célula que será infectada é importante para propor um mecanismo de inibição deste processo de infecção viral. Existem evidências que os glicosaminoglicanos são potenciais inibidores da infecção causada por vários vírus. A hipótese é de que este processo de inibição ocorra devido à ligação dos glicosaminoglicanos às proteínas da membrana viral, mais especificamente na proteína G, que apresenta um domínio de ligação para heparina, impedindo desta forma, que o vírus se ligue na célula hospedeira e que inicie o processo de infecção. O objetivo deste trabalho foi verificar a atuação de glicosaminoglicanos como potenciais inibidores da infecção viral. Esta análise foi realizada por meio de experimento de cultivo de células Hep2 na presença dos glicosaminoglicanos heparina e dextrana sulfatada que foram inoculadas com o vírus sincicial respiratório do tipo A (RSVA) e analisados por meio das técnicas de PCR e Imunofluorescência Indireta. Os resultados mostraram que a heparina e a dextrana sulfatada apresentam efeito inibitório da infecção viral em cultivo de células Hep2.
Mostrar mais

62 Ler mais

B Parra-Ortega, H Cruz-Torres, L Villa-Tanaca, C Hernández-Rodríguez+

B Parra-Ortega, H Cruz-Torres, L Villa-Tanaca, C Hernández-Rodríguez+

Fig. 1: motifs of Candida spp. secreted aspartyl proteinases. Rectangle boxes (SP): amine terminal signal peptide; pentagon (ASP): aspartyl protease domains in agreement with PROSITE ([LI V MFGAC]-[LI V MTA DN]-[LI V FSA]-D -[ST]- G-[STAV]- [STAPDENQ]-{GQ}-[LIVMFSTNC]-{EGK}-[LIVMFGTA]) and Softberry ([LIVMFGAC]-[LIVMTADN]-[LIVFSA]-D-[ST]-G- [STAV]-[STAPDENQ]-x-[LIVMFSTNC]-x-[LIVMFGTA]) motifs; circles (ASP): atypical aspartyl protease domains; hexagons: serine (SER), threonine (THR) or glutamine (QLN) rich regions; arrows: RGD motif; rhombus: cysteine (C) residues. Cal: Candida albicans; Cdu: Candida dubliniensis; Cgl: Candida glabrata; Cgu: Candida guillier- mondii; Clu: Candida lusitaniae; Cpa: Candida parapsilosis; Ctr: Candida tropicalis. Cal Sap1 (CaO19_5714), Cal Sap2 (CaO19.3708), Cal Sap3 (CaO19_6001), Cdu Sapd1 (Cd36_63430), Cdu Sapd2 (Cd36_33460), Cdu Sapd3 (Cd36_85220), Cdu Sapd4 (Cd36_63420), Cdu Sapd9 (Cd36_83850), Ctr Sapt1 (X61438), Ctr Sapt2 (AF115320), Ctr Sapt3 (AF115321), Ctr Sapt4 (AF115322), Ctr (CTRG_02711), Ctr (CTRG_02698), Cpa Sapp1 (Z11919), Cpa Sapp2 (Z11918), Cpa Sapp3 (AF339513), Cpa (CPAG_04800), Cpa (CPAG_03615), Cpa (CPAG_01799), Cpa (CPAG_03663); Cgu (PGUG_03957), Cgu (PGUG_03959); Cgu (PGUG_02701), Cgu (PGUG_00002), Scer Yap1 (YLR120C); B) Cal Sap4 (CaO19_5716), Cal Sap5 (CaO19_13032); C) Cal Sap6 (CaO19_12988); D) Ctr (CTRG_02621), Ctr (CTRG_03508), Cpa (CPAG_01798), Cpa (CPAG_01800), Cpa (CPAG_02614), Cgu (PGUG_01925), Clu (CLUG_03179); E) Ctr (CTRG_04491); F) Cdu Sapd7 (Cd36_04610), Cdu Sapd8 (Cd36_82480), Ctr (CTRG_02710), Cpa (CPAG_00343), Cpa (CPAG_02617), Cgu (PGUG_02700), Clu (CLUG_05711); G) Cal Sap7 (CaO19.8376), Clu (CLUG_04798); H) Cal Sap8 (CaO19.7872); I) Cgu (PGUG_03958), Cal Sap9 (Ca19.14190), Cal Sap10 (Ca19.11320), Ctr (CTRG_00264), Cpa (CPAG_05341), Cpa (CPAG_04721), Cpa (CPAG_04722); J) Cdu Sapd10 (Cd36_44180); K) Ctr (CTRG_00096), Cgu (PGUG_02218). Proteins and motifs are not drawn to scale.
Mostrar mais

8 Ler mais

INIBIDORES DAS TIROSINACINASES NA TERAPÊUTICA FARMACOLÓGICA

INIBIDORES DAS TIROSINACINASES NA TERAPÊUTICA FARMACOLÓGICA

Results from ARQ 197–209: A global randomized placebo-controlled phase II clinical trial of erlotinib plus ARQ 197 versus erlotinib plus placebo in previously treated EGFR[r]

19 Ler mais

Inibidores das tirosinacinases na terapêutica farmacológica

Inibidores das tirosinacinases na terapêutica farmacológica

O primeiro capítulo diz respeito à investigação desenvolvida no âmbito do trabalho sobre inibidores das tirosinacinases na terapêutica farmacológica. A descoberta de mutações em tirosinacinases (TKs) envolvidas na patogénese de diversas patologias, nomeadamente oncológicas, levou à investigação de inibidores das tirosinacinases (ITKs) como estratégicas terapêuticas. O objetivo deste estudo foi efetuar uma revisão dos diferentes ITKs disponíveis no mercado nacional e internacional, as suas indicações terapêuticas, assim como as potenciais indicações em investigação. Foi, ainda, efetuada uma revisão dos principais ITKs que se encontram em diversas fases de ensaios clínicos. Efetuou-se uma pesquisa bibliográfica na base de dados eletrónica da PubMed utilizando o termo “tyrosine kinase inhibitors”, tendo sido incluídos 219 artigos científicos na revisão efetuada, publicados desde agosto de 2011 até julho de 2012. Foram ainda consultadas as bases de dados de medicamentos da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. (INFARMED), da European Medicines Agency (EMA) e da United States Food and Drug Administration (FDA). Presentemente encontram-se autorizados pela FDA 18 ITKs. Em Portugal existem 14 ITKs com autorização de introdução no mercado (AIM), encontrando-se, adicionalmente, o cabozantinib, o tofacitinib, o regorafenib e o ponatinib em fase de autorização. Existem ITKs aprovados para o tratamento de várias patologias oncológicas e recentemente também no tratamento de uma doença autoimune, a artrite reumatoide. Encontram-se em investigação ITKs para outras patologias, de que são exemplo a psoríase e o cancro da próstata.
Mostrar mais

178 Ler mais

A proteomic and cellular analysis of uropods in the pathogen Entamoeba histolytica.

A proteomic and cellular analysis of uropods in the pathogen Entamoeba histolytica.

minimum by two peptides. A set of 269 proteins was established (The entire data files were submitted to Tranche database (https://proteomecommons.org/tranche/). Whereas 36 of these were hypothetical proteins with unknown functions, 104 proteins were present in both experiments and could be categorized using both functional GO-term annotations and manual annotation via BLASTP and InterProScan (for protein domain searches) from the EMBL database (Figure 3B and Table S1). Signalling molecules accounted for a significant proportion of the UEF proteome, with the most numerous being small GTPases from the Rho and Rab families. Metabolic enzymes, biogenesis factors and trafficking- related molecules were present in the UEF proteome. These proteins are linked to plasma membrane and to the endocytic process. Surface molecules, cytoskeletal proteins and amoebic proteases were also identified. Lastly, a potential virulence factor (KRiP3) was found in UEF. We further characterized the surface proteins, the cytoskeleton proteins and the proteinases since these categories are potentially involved in the surface receptor capping process and the anti-amoeba immune reactions (Table 1). In addition to the stringency of protein selection, one important criteria allowing us to goes further in this analysis was the fact that for example surface antigens such ARIEL [40], kinase receptors abundant family [41] or b-tubulin (nucleus marker) were not present in this proteomic analysis indicating that we have in the analyzed fraction proteins mostly linked to UEF.
Mostrar mais

12 Ler mais

Digestive enzymes during development of Ceratitis capitata (Diptera:Tephritidae) and effects of SBTI on its digestive serine proteinase targets

Digestive enzymes during development of Ceratitis capitata (Diptera:Tephritidae) and effects of SBTI on its digestive serine proteinase targets

Proteinases in larval gut on the 5th day of development were classified according to their sensitivity to specific inhibitors: serine proteinase; cysteine proteinase; metal proteinases, and aspartic proteinases. The inhibitors used and their final concentrations in assays were: 1 mM PMSF (phenylmethylsulfonyl fluoride, a serine protease inhibi- tor); 3 mM SBTI (soybean trypsin inhibitor, a serine proteinase inhibitor), 0.1 mM TLCK (N-p-tosyl-l-lysine chloromethyl ketone, a trypsin inhibitor), 0.1 mM TPCK (N-tosyl-l-phenylalanine chloromethyl ketone, a chymo- trypsin inhibitor), 0.1 mM IA (iodoacetamide, a cysteine proteinase inhibitor), 0.01 mM E64 (trans-epoxysuccinyl- leucylamido-(4-guanidino)butane, a cysteine proteinase inhibitor), 0.01 mM PA (pepstatin A, a aspartic proteinase inhibitor), 0.1 mM 1,10-Phenanthroline (a metal proteinase inhibitor). These inhibitors were solubilized in appro- priated solvents (Beynon and Bond, 1996). Enzyme extracts (50 ml of gut extract from larval gut on the 5th day of development) were mixed with 450 ml of appropriate buffers, specific for each enzyme class, and pre-incubated for 10 min at 37 1C. The mixture was assayed for protease activity as previously described. The protease assay includes an internal control for inhibition caused by solvents. Average inhibition is expressed as a percentage, with 0% being the inhibition obtained in proteolytic assays from extracts incubated without inhibitors.
Mostrar mais

9 Ler mais

Identification, classification and expression pattern analysis of sugarcane cysteine proteinases

Identification, classification and expression pattern analysis of sugarcane cysteine proteinases

The multiple alignment program (MAP) computes a multiple global alignment of sequences using a pairwise method. Its algorithm for aligning two sequences computes the best overlapping alignment between two sequences without penalizing terminal gaps. In addition, long internal gaps in short sequences are not heavily penalized. The MAP produces a consistent alignment notwithstanding so- me sequences present in long terminal or internal gaps, and the MAP is designed in a space-efficient manner, allowing long sequences to be aligned (Huang, 1994). This method was used to align the different cysteine proteinases stan- dards from the E.C.3.4.22 sub-sub-class and also to align the proteins deduced from the SUCEST clusters with other cysteine proteinases from plants, vertebrates and inverte- brates, the acronyms and accession numbers of these se- quences being shown in Table II.
Mostrar mais

9 Ler mais

Agentes antitumorais inibidores da angiogênese: modelos farmacofóricos para inibidores da integrina anb3.

Agentes antitumorais inibidores da angiogênese: modelos farmacofóricos para inibidores da integrina anb3.

O câncer é, atualmente, uma das principais causas de morte no mundo. A angiogênese, formação de novos vasos capilares a partir de células endoteliais, é essencial para vários processos fisiopatológicos, tais como o desenvolvimento e a disseminação dos tumores. As integrinas são uma família de receptores de superfície que estão envolvidos na angiogênese, na qual a integrina αvβ3 exerce papel importante. Os antagonistas da integrina αvβ3 têm efeitos diretos na prevenção do crescimento, angiogênese e metástase tumorais. A avaliação in vitro frente à integrina αvβ3 de coleções de ciclopeptídeos levou a compostos muito ativos e seletivos. Antagonistas não-peptídicos da integrina αvβ3 também foram planejados e sintetizados. A partir da determinação da estrutura tridimensional da integrina αvβ3 complexada com um inibidor, tornou-se possível o planejamento racional de ligantes com alta afinidade. Além disto, estes estudos permitiram a validação e o refinamento de modelo farmacofórico para os inibidores da integrina αvβ3.
Mostrar mais

17 Ler mais

Prospecção dos inibidores de fosfolipases A2 das classes alfa e gama (PLI e PLI) endógenos no plasma de serpentes Crotalidae brasileiras: caracterização molecular e propriedades biológicas

Prospecção dos inibidores de fosfolipases A2 das classes alfa e gama (PLI e PLI) endógenos no plasma de serpentes Crotalidae brasileiras: caracterização molecular e propriedades biológicas

plasma sanguíneo de serpentes não venenosas e não ofiófagas, que nem mesmo possuem glândulas veneníferas ou fosfolipases tóxicas em seu sistema, levantou a hipótese de outros papéis fisiológicos importantes para essas moléculas endógenas nas serpentes e da existência de proteínas homólogas em outros animais (Okumura e cols., 1999b; 2003). Um modelo para o mecanismo de ação destes inibidores foi proposto por Kini e Evans (1989), em que tais moléculas inibitórias seriam seletivas para proteínas-alvo tecido- específicas onde se ligariam com alta afinidade. Esta hipótese tem sido evidenciada após uma crescente descrição na literatura de proteínas ligantes-específicas para as PLA 2 ,
Mostrar mais

155 Ler mais

Digestive physiology and characterization of digestive cathepsin L-like proteinase from the sugarcane weevil Sphenophorus levis

Digestive physiology and characterization of digestive cathepsin L-like proteinase from the sugarcane weevil Sphenophorus levis

There are two peaks (1 and 2) in activity with casein (general substrate for proteinase) assayed at pH 5.5 that are resolved by ion- exchange chromatography (Fig. 2). These peaks are unaffected by SBTI (Fig. 2, left column) and benzamidine (not shown), increase with the addition of EDTA plus DTT and are almost abolished in the presence of E-64 (not shown). This suggests the presence of two active midgut cysteine proteinases. Z-FR-MCA (substrate used for trypsin, but is also a substrate for cysteine proteinases) is hydrolyzed by activities corresponding to four peaks (peaks 3, 4, 5, and, 6, Fig. 2, middle column). Activities in peaks 3 and 4 are inhibited by SBTI and those in peaks 5 and 6 are inhibited by E-64 (Fig. 2, middle column). The occurrence of cysteine proteinase activity was further confirmed with the use of 1 m M e -amino-caproyl-leucyl-(S-benzyl) cysteinyl-
Mostrar mais

7 Ler mais

Inibidores de calcineurina no tratamento das dermatoses alérgicas.

Inibidores de calcineurina no tratamento das dermatoses alérgicas.

Os inibidores de calcineurina continuam a ser utilizados, todavia alguns cuidados devem ser tomados, seguindo as orientações da FDA. É importante que o medicamento seja utilizado conforme as orientações de bula, que refletem as indicações liberadas pelos órgãos regulatórios. No Brasil, os inibidores de calcineurina estão liberados para o tratamento da DA e dermatite de contato. É importante que se oriente o paciente quanto à necessidade da proteção solar, medida que já deveria ser largamente recomendada, principalmen- te na vigência de tal medicação. O uso dos inibidores de calcineurina deve ser intermitente, ou seja, mesmo que utilizado por longo prazo, deve ser aplicado somente duran- te o período de exacerbação do quadro e até 1 semana após a melhora. O tratamento deve ser recomendado quando a corticoterapia é ineficiente ou a localização da lesão levar a grande possibilidade de efeitos colaterais relacionados à corticoterapia, como por exemplo, em pálpebras. Todas essas medidas permitem que se aproveitem as vantagens terapêuticas e que sejam minimizados os riscos. Eventos como esses reforçam ainda mais a necessidade de que a medicação seja prescrita pelo médico e que se mantenha o seguimento do paciente durante todo o tratamento e após a finalização do mesmo. Isso faz com que se acumulem mais conhecimentos sobre a terapêutica e permite que o paciente usufrua os melhores benefícios do tratamento com o máxi- mo de segurança.
Mostrar mais

7 Ler mais

Estudo in silico de inibidores de SIRT1

Estudo in silico de inibidores de SIRT1

Também foram encontradas referências relativas a atividade antiviral e antitripanossomal para a molécula ZINC04078894. Esta informação coincide com a atividade da suramina, uma molécula conhecida como inibidora não específica de SIRT1, que foi identificada como antiviral (De Clercq, 2009). O inibidor suramina também foi identificado experimentalmente como uma molécula antitripanossomal, novamente confirmando os resultados da busca através da ferramenta SEA pela qual foi encontrada essa atividade (Trapp, Meier et al., 2007). Com a identificação de moléculas antitripanossomal, como ZINC04078894, é possível obter informações para o desenvolvimento de inibidores mais específicos através de estudos estruturais detalhados, comparando o acoplamento com sirtuínas humanas e de tripanossomas, sendo estas informações úteis no desenvolvimento de novas estratégias para o desenho de fármacos inibidores seletivos que apresentam maior toxicidade em relação à proteína alvo do parasita e menor toxicidade à proteína humana (King-Keller, Li et al., 2010).
Mostrar mais

124 Ler mais

Antiinflamatórios não-hormonais: inibidores da ciclooxigenase 2.

Antiinflamatórios não-hormonais: inibidores da ciclooxigenase 2.

Os inibidores seletivos da Cox 2 são indicados nos pacientes que apresentam efeitos adversos comprovada- mente relacionados ao uso de AINH não seletivos, como a intolerância gástrica não controlada pela associação de medicamentos gastro-protetores. Na faixa etária pediátri- ca, o uso dos Cox 2 é limitado, uma vez que a maioria desses medicamentos é contra-indicada antes dos 18 anos de idade. A Tabela 1 mostra a dose, a posologia e a idade mínima recomendada dos AINH pela FDA e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

7 Ler mais

Criatividade na educação superior: fatores inibidores.

Criatividade na educação superior: fatores inibidores.

Resumo: O objetivo deste estudo foi investigar elementos percebidos por professores da educação superior como inibidores à promoção de condições adequadas ao desenvolvimento e expressão da criativi- dade de seus alunos. Trezentos e trinta e oito professores de instituições públicas e particulares de ensino superior responderam a uma checklist de barreiras à promoção de condições favoráveis à criatividade em sala de aula. Alunos com dificuldades de aprendizagem em sala de aula, desinteresse do aluno pelo conteúdo ministrado, poucas oportunidades para discutir e trocar ideias com colegas de trabalho sobre estratégias instrucionais e elevado número de alunos em sala de aula foram os itens com maior percentual de respostas. Alguns elementos cerceadores foram mais indicados por docentes de instituições públicas e outros por docentes de instituições particulares. Ademais, maior percentual de docentes do gênero feminino, comparativamente ao do gênero masculino, apontou cobrança de aulas expositivas pelos alunos e extensão do programa das disciplinas.
Mostrar mais

19 Ler mais

Show all 5831 documents...