Instituições governamentais

Top PDF Instituições governamentais:

Organizações sociais e instituições governamentais: perspectivas de parceria na atenção à saúde da criança através dos voluntários e da pastoral da criança.

Organizações sociais e instituições governamentais: perspectivas de parceria na atenção à saúde da criança através dos voluntários e da pastoral da criança.

Este estudo objetiva apresentar algumas perspectivas de parceria entre organizações sociais e instituições governamentais na atenção à saúde da criança.Trata- se de estudo reflexivo sobre participação social e as articu- lações entre serviços governa- mentais e não- governamentais na construção da consolidação do Sistema Único de Saúde, desta- cando o papel dos voluntários e dos profissionais de saúde nesse processo. Na assistência à infân- cia, essas parcerias são potenciais, pela grande amplitude e destaque das organizações sociais dirigidas às crianças, particularmente a Pastoral da Criança, tornando importante o debate sobre polí- ticas públicas que visem a estabe- lecer e a fortalecer esses vínculos no âmbito local e nacional.
Mostrar mais

5 Ler mais

A atuação em rede de instituições governamentais na resolução de conflitos sobre demandas sanitárias no Rio de Janeiro

A atuação em rede de instituições governamentais na resolução de conflitos sobre demandas sanitárias no Rio de Janeiro

São dois os atores participantes: Justiça Federal, Seção Judiciária do Estado do Rio de Janeiro, e Secretaria de Estado de Saúde. Os interesses são profissionais, relacionados à área de atuação dos partícipes. A frequência de interação é constante entre os magistrados e os técnicos da Secretaria de Saúde. A composição, os valores e os resultados persistem ao longo do tempo, tendo em vista a existência de um convênio que rege a relação entre as partes. Todos compartilham valores básicos e aceitam a legitimidade dos resultados. Todas as instituições partícipes custeiam seus servidores e possuem recursos para tanto. Existe uma igualdade relativa de poder entre o NAT e o Judiciário, tendo em vista a autonomia técnica dos profissionais da SES. O NAT, atuando no assessoramento técnico da Justiça Federal do Rio de Janeiro, segundo a tipologia ideal de Marsh e Rhodes, forma uma comunidade política, tendo em vista as características apresentadas.
Mostrar mais

90 Ler mais

A saúde na agenda pública: convergências e lacunas nas pautas de debate e programas de trabalho das instituições governamentais e movimentos sociais.

A saúde na agenda pública: convergências e lacunas nas pautas de debate e programas de trabalho das instituições governamentais e movimentos sociais.

tembro e agosto de 2007, fornece 66 registros. Cerca de 30% referiram-se, na origem, a proble- mas envolvendo o fornecimento de medicamen- tos. Em ordem de freqüência, os outros subte- mas dizem respeito à correção de valores de ta- belas, situação tributária de estabelecimentos de saúde e problemas afeitos à regulamentação das empresas de planos e seguros de saúde. Registra- se ainda a utilização do Poder Judiciário para di- rimir divergências sobre as coberturas do siste- ma público de saúde e outras pendências de na- tureza administrativa e assistencial (Quadro 6). As informações sobre os temas abordados pelos processos relativos à saúde em instâncias recursais evidenciam a afluência de diversos seg- mentos sociais aos tribunais, entre os quais, es- tabelecimentos de saúde, empresas de planos e seguros de saúde e sindicatos de trabalhadores. Com isso, as solicitações individualizadas conju- gam-se ao acionamento do Poder Judiciário por instituições da esfera privada ou do movimento social que vocalizam demandas coletivas. Con- seqüentemente, as interpretações sobre o pro- cesso de judicialização da saúde exigem a recusa de simplificações sobre a polarização individual/ coletivo. A disposição do Poder Judiciário para interpretar a Constituição e o resgate da força do Direito entrelaçam-se com a efetividade da de- mocracia. Por essa razão, é preciso ampliar o cír- culo de decisores, de intérpretes da Constituição, para conferir responsabilidade democrática às decisões que envolvem a efetivação da cidadania e o direito à saúde e à vida.
Mostrar mais

28 Ler mais

Atuação das Instituições Governamentais e não-Governamentais em Projetos Ambientais no entorno do Parque Nacional do Caparaó, Minas Gerais

Atuação das Instituições Governamentais e não-Governamentais em Projetos Ambientais no entorno do Parque Nacional do Caparaó, Minas Gerais

“A sigla ONG corresponde a organização não-governamental — uma expressão que admite muitas interpretações. A definição textual (ou seja, aquilo que não é do governo) é tão ampla que abrange qualquer organização de natureza não-estatal. Do ponto de vista formal, uma ONG é constituída pela vontade autônoma de mulheres e homens, que se reúnem com a finalidade de promover objetivos comuns de forma não lucrativa. Nossa legislação prevê apenas três formatos institucionais para a constituição de uma organização sem fins lucrativos, com essas características – associação, fundação e organização religiosa. Por não ter objetivos confessionais, juridicamente toda ONG é uma associação civil ou uma fundação privada. No Brasil, a expressão era habitualmente relacionada a um universo de organizações que surgiu, em grande parte, nas décadas de 1970 e 1980, apoiando organizações populares, com objetivos de promoção da cidadania, defesa de direitos e luta pela democracia política e social” (ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS, 2005).
Mostrar mais

124 Ler mais

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL SÃO PAULO 2010

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL SÃO PAULO 2010

Pós$graduação na área da Infância e Violência (1997) pelo IPUSP. Atua na defesa e garantia de direitos humanos de crianças e adolescentes em instituições governamentais, organizações da sociedade civil e movimentos sociais, pela criação e implementação de políticas públicas. Experiência no levantamento, identificação e análise de dados; planejamento, implementação, monitoramento e avaliação de programas e projetos; financiamentos e parcerias internacionais.

115 Ler mais

Proposta UC Tatu Bola   FINAL P

Proposta UC Tatu Bola FINAL P

Exercendo seu papel de órgão central do SEUC a equipe da SEMAS realizou a pesquisa bibliográfica e documental, visitou instituições governamentais (dados secundários), realizou [r]

80 Ler mais

Desafios e mudanças nas empresas de construção civil e as relações de trabalho

Desafios e mudanças nas empresas de construção civil e as relações de trabalho

a falta de dinamismo das instituições governamentais de formação profissional – caso do Ministério do Trabalho MT e Ministério das Obras Públicas e Habitação MOPH2; o «desafio cultural» qu[r]

16 Ler mais

Alimentação de zero a um ano de idade: um desafio aos profissionais de saúde.

Alimentação de zero a um ano de idade: um desafio aos profissionais de saúde.

Levando-se esses aspectos em consideração, este artigo levanta alguns questionamentos sobre o posicionamento das escolas médicas, instituições governamentais e Orgnismo I[r]

6 Ler mais

A paisagem sanfranciscana: nuances e cenários de ontem e de hoje

A paisagem sanfranciscana: nuances e cenários de ontem e de hoje

Em função de sua grande extensão geográfica, houve a necessidade de divisão do curso do rio em trechos, tomando como princípios a localização de seus tributários e – o mais importante – o uso que o ser humano fazia do rio, considerando as seguintes partes: “1) a faixa das cabeceiras; 2) o verdadeiro coração do São Francisco; 3) a faixa das corredeiras e cataratas, quase contínuas; e 4) a faixa virtualmente ao nível do mar” (PIERSON, 1972a, p. 37). Essa divisão foi sendo alterada ao longo dos anos. Com o propósito de gerenciar de forma mais eficiente a bacia hidrográfica do rio, as instituições governamentais adotam, atualmente, quatro divisões: o alto São Francisco (desde as suas nascentes até a cidade de Pirapora, em Minas Gerais); o médio São Francisco (começando logo abaixo da cachoeira de Pirapora, com o início do seu trecho navegável e se estendendo até a cidade de Remanso, na Bahia); o submédio São Francisco (de Remanso até a cachoeira de Paulo Afonso, também na Bahia); e, finalmente, o baixo São Francisco (de Paulo Afonso até a sua foz, no oceano Atlântico, entre os estados de Sergipe e Alagoas). 11
Mostrar mais

40 Ler mais

Análise de Impacto Regulatório como parâmetro de eficiência nas agências reguladoras  Matheus Meott Silvestre

Análise de Impacto Regulatório como parâmetro de eficiência nas agências reguladoras Matheus Meott Silvestre

estar nas mãos de um órgão responsável pelo controle de qualidade e que esteja apto a examinar o uso da AIR em outras instituições governamentais. No caso brasileiro, essa tarefa está diretamente relacionada à criação de um órgão central fiscalizador da qualidade regulatória. Esta Unidade poderia ser estabelecida na Casa Civil, dado que essa instituição tem o apoio político e exerce um papel crucial na coordenação de políticas governamentais. Este órgão supervisor deveria ter como uma de suas funções principais a revisão da utilização da AIR e sua promoção por meio de de toda a administração. Os Ministérios e as agências deveriam estar preparadas para colocar a AIR em prática o mais breve possível dentro do processo de tomada de decisões. Isto implicaria em treinamento voltado ao pessoal responsável de maneira que eles pudessem cumprir com sucesso sua tarefa. (OECD, 2008c, p. 342)
Mostrar mais

31 Ler mais

Luta pela terra e desenvolvimento rural no Pontal do Paranapanema (SP).

Luta pela terra e desenvolvimento rural no Pontal do Paranapanema (SP).

cipalmente, as análises das dimensões econômicas através de políticas se- toriais. Neste sentido, à noção de desenvolvimento rural estão associa- dos o crescimento da agricultura capitalista, a expropriação dos pequenos produ- tores e o êxodo rural. Nesse processo são gerados conflitos sociais, nos quais são construídas experiências populares de resistência a determinadas políticas eco- nômicas, e que são rechaçadas por instituições e pesquisadores. A luta pela terra é um exemplo desta importante forma de ressocialização dos sem-terra, que é vista, muitas vezes, como condição de impedimento ao desenvolvimento. A pos- tura de parte dos políticos, das instituições governamentais e de pesquisadores da questão agrária é a de não reconhecer a ocupação como importante forma de acesso à terra, por meio da implantação de assentamentos rurais que, de fato, tem promovido impactos sócio-territoriais em municípios e microrregiões.
Mostrar mais

16 Ler mais

Ecoparque marinho do Funchal: contribuição para  o desenvolvimento de um modelo de gestão

Ecoparque marinho do Funchal: contribuição para o desenvolvimento de um modelo de gestão

Para o sucesso do Ecoparque Marinho do Funchal, a sua gestão deverá ser participada e contar com a intervenção e cooperação das instituições governamentais e civis que dese[r]

107 Ler mais

Técnicas de geoprocessamento e de análise de multicritérios na adequação de uso das terras

Técnicas de geoprocessamento e de análise de multicritérios na adequação de uso das terras

Atualmente percebe-se que a questão ambiental vem adquirindo grande importância em caráter mundial, com envolvimento direto da sociedade e de instituições governamentais e privadas. Isto pode ser evidenciado pela preocupação em utilizar os recursos naturais com o mínimo de interferência possível no ambiente para garantir a sustentabilidade e, conseqüentemente, a sobrevivência das futuras gerações. Para isto, é imprescindível conhecer as características destes recursos dentro do ambiente onde estão inseridos, levando em consideração o grau de aptidão para um determinado tipo de uso. Isto permite que os recursos possam ser explorados de forma racional, preservando as suas características naturais e sua capacidade de produção econômica e sustentável, causando o mínimo de dano ao ambiente e às pessoas que dele tiram o seu sustento.
Mostrar mais

117 Ler mais

Dimensões humanas da biodiversidade: mudanças sociais e conflitos em torno de áreas protegidas no Vale do Ribeira, SP, Brasil.

Dimensões humanas da biodiversidade: mudanças sociais e conflitos em torno de áreas protegidas no Vale do Ribeira, SP, Brasil.

Há inúmeros conflitos internos que caracterizam a ação das instituições governamentais que atuam na conservação da biodiversidade no Vale do Ribeira. De modo geral, além de características político-partidárias, essas disputas definem-se em torno do poder de influência de cada grupo portador de um projeto para a região. As principais posições dos agentes encontradas foram: de tipo preservacionista, que defende: a) a prioridade dos objetivos de conservação da biodiversidade; b) a presença humana é incompatível com as UCs; c) o reassentamento dos atuais moradores de áreas de uso indireto; de tipo conservacionista, que defende: a) a compatibilização da presença humana com os objetivos da conservação biológica; b) os objetivos da conservação estendem-se tanto aos sistemas ecológicos quanto às etnias tradicionalmente ocupantes das áreas protegidas; c) a ação governamental deve orientar-se para fortalecer o conhecimento local na elaboração de planos de manejo, propiciar condições sociais e econômicas para a reprodução desses grupos; d) restringir a permanência aos moradores considerados tradicionais; de tipo desenvolvimentista, que: a) responsabiliza a rigidez das leis de proteção da biodiversidade pela pobreza e subdesenvolvimento regionais; b) defende programas oficiais de incentivo ao desenvolvimento econômico, principalmente no que se refere à vocação turística do Vale, mas também a incentivos à agricultura e à pesca comerciais.
Mostrar mais

22 Ler mais

Repositório Institucional da UFPA: Planejamento participativo, desenvolvimento local e metodologias participativas: projetos de intervenção e participação em pequenas comunidades rurais da Amazônia paraense

Repositório Institucional da UFPA: Planejamento participativo, desenvolvimento local e metodologias participativas: projetos de intervenção e participação em pequenas comunidades rurais da Amazônia paraense

como um instrumento para o desenvolvimento local em comunidades rurais da Amazônia, a partir de suas potencialidades locais (redes de relações sociais e institucionais e recursos naturais) e das relações territoriais com sua área de entorno. Em particular, o estudo analisa uma comunidade quilombola denominada Itacoã-Miri, localizada no município de Acará, Estado do Pará. A questão central da pesquisa é: em que medida a participação das pessoas em um projeto de desenvolvimento comunitário significa a incorporação do conhecimento empírico local e as demandas da comunidade para legitimar um processo de planejamento? O arcabouço teórico é alicerçado na seguinte literatura: (a) significados e inter-relações entre planejamento, desenvolvimento e participação; e, (b) conhecimento informal para alternativas de desenvolvimento sustentável. Adicionalmente, a pesquisa também considera os conceitos de redes sociais e organizações locais por suas relações com a discussão principal da pesquisa. O arcabouço teórico foi utilizado para entender as relações que tem sido estabelecidas entre instituições governamentais e organizações locais (associações, grupos de produção, cooperativas, etc.) e também entre atores governamentais locais e as pessoas da comunidade para a construção de projetos de desenvolvimento local usando o approach de planejamento participativo. O foco principal é a Amazônia Brasileira. As unidades de análise foram o grupo social que foi formado para elaboração do projeto de desenvolvimento local e o processo participativo levado a cabo por este grupo para a construção do projeto em causa. Isto por três razões básicas: primeiro, porque um grupo social se apresenta como a arena política onde os atores sociais interagem entre si; segundo, porque o grupo social é o espaço onde os atores sociais implementam os seus significados de participação social; e, terceiro, porque é dentro do grupo social que internas e externas (e também formais
Mostrar mais

190 Ler mais

A UTILIZAÇÃO DAS TIC’S E A CONTRIBUIÇÃO DAS CIDADES DIGITAIS PARA O FAVORECIMENTO DA GONANÇA  Claudia Cecilia Camacho Rojas, Flavia Pitaki Dufour

A UTILIZAÇÃO DAS TIC’S E A CONTRIBUIÇÃO DAS CIDADES DIGITAIS PARA O FAVORECIMENTO DA GONANÇA Claudia Cecilia Camacho Rojas, Flavia Pitaki Dufour

No contexto de utilização das TIC’s para gestão pública pelas instituições governamentais, pode-se entender a governança eletrônica (ou e-governança) como o procedim[r]

26 Ler mais

Problemática agrária numa sociedade industrial

Problemática agrária numa sociedade industrial

Há uma identificação entre o econômico e o político, ou seja, entre o Estado e instituições (governamentais ou não) com os inte- resses da classe dominante agrár[r]

18 Ler mais

SITES GOVERNAMENTAIS E MECANISMOS DE INFORMAÇÃO, TRANSPARÊNCIA E PARTICIPAÇÃO JOSCIMAR SOUZA SILVA

SITES GOVERNAMENTAIS E MECANISMOS DE INFORMAÇÃO, TRANSPARÊNCIA E PARTICIPAÇÃO JOSCIMAR SOUZA SILVA

Resumo: O objetivo do presente trabalho centra-se em discutir as temáticas da informação, da transparência e da participação política nos ambientes digitais providos institucionalmente. O trabalho discorre objetivamente sobre a análise de sites governamentais em nível subnacional no Brasil, agregando aos dados empíricos uma discussão teórica sobre as relações do Estado e dos governos com a internet, pensando nas instituições das unidades estaduais brasileiras e nos atores proeminentes nesse amplo debate sobre a relação internet e política. A discussão teórica é basilar na estruturação desse trabalho. Buscou-se a utilização dos dados empíricos para fins de constatação do quantitativo e qualitativo uso da internet pelos governos subnacionais brasileiros e para testar algumas aplicações reais da rede mundial de computadores para fins de gestão do Estado e de ampliação dos espaços democráticos institucionalizados. Tomamos como considerações que o uso da internet pelo Estado e pelos governos subnacionais ainda é um tema em aberto para maiores reflexões e que, sua aplicação prática, ao mesmo tempo em que pode contribuir na alteração de toda uma estrutura de Estado e ampliar os espaços democráticos, ainda sofre com problemas de conjunturas institucionais, com o papel de atores políticos e com questões externas, a exemplo da democratização tecnológica e da cultura política.
Mostrar mais

80 Ler mais

A multiplicação de atores governamentais na diplomacia brasileira: um estudo da participação de instituições públicas nacionais em projetos na África com foco no FIOCRUZ

A multiplicação de atores governamentais na diplomacia brasileira: um estudo da participação de instituições públicas nacionais em projetos na África com foco no FIOCRUZ

Nesse cenário, cabe apontar algumas tendências que devem guiar esse fenômeno a curto e médio prazo. A principal delas é o aumento ainda mais expressivo da atuação internacional de instituições diferentes do Itamaraty nos próximos anos. Se, por um lado, o adensamento da última década decorreu, em grande parte, de uma mudança de prioridades do governo Lula, por outro lado, o processo de horizontalização tomou proporções tão grandes que permitem que ele tenha certa autonomia, tornando-se relativamente imune a mudanças de governo. Um motivo que explica isso é o fato de a CTPD ser oficialmente considerada benéfica para o Brasil em termos de projeção internacional. Em segundo lugar, deve-se atentar para o fato de que, atualmente, há todo tipo de instituição pública atuando internacionalmente – federais, estaduais, municipais, grandes, médias e pequenas 7 . A facilidade de comunicação contemporânea permite que instituições de qualquer porte tenham acesso a outros países, o que lhes confere maior autonomia para atuarem internacionalmente.
Mostrar mais

15 Ler mais

Turismo de Saúde na Região de Fátima contributos à Clusterização

Turismo de Saúde na Região de Fátima contributos à Clusterização

Ao nível da Região de Fátima, as instituições de saúde pública, possuem a sua missão definida, não existindo diretivas ou estratégias governamentais/ministeriais que integrem o Turismo d[r]

126 Ler mais

Show all 4804 documents...