Instituto Federal de Educação

Top PDF Instituto Federal de Educação:

Indicadores de produção dos grupos de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba :: Brapci ::

Indicadores de produção dos grupos de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba :: Brapci ::

Resumo: O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) é parte do sistema educacional brasileiro, cuja atividade fim é o desenvolvimento científico e tecnológico. Propõe-se a realizar pesquisas aplicadas, e nesse sentido seus recursos humanos são organizados em grupos, para desenvolver atividades de pesquisa e potencializar o conhecimento. Esta pesquisa teve como objeto de estudo os 23 grupos de pesquisa do IFPB, criados a partir de 1994, e sistematiza os indicadores de sua produção. Os dados foram coletados dos currículos, disponíveis na Plataforma Lattes, no período de 1994 a 2008, e apresentados por grupos classificados de 1 a 23, sequenciados pelo ano de formação. A produção dos grupos apresenta indicadores significativos, com participação expressiva dos estudantes; com um total de 2.140 publicações em anais e 536 artigos em periódicos. Essas mídias são as mais utilizadas para disseminar o conhecimento científico e os resultados tecnológicos. Há 32 softwares, 5 produtos tecnológicos e 13 processos ou técnicas sem registro ou patente. Os projetos de pesquisa dos grupos resultaram em 6 projetos cancelados, 106 concluídos e 108 em andamento pelos quais, os grupos conseguiram parcerias e financiamentos de agências de renome, comprovando a relevância das pesquisas. Esses indicadores justificam as atividades dos grupos de pesquisa para o IFPB formular, acompanhar e avaliar as políticas de pesquisa, para que estratégias sejam implementadas, visando à renovação das pesquisas e à expansão da quantidade dos grupos de pesquisa, motivando, inclusive, o financiamento pelas agências públicas de fomento.
Mostrar mais

15 Ler mais

Open A Biblioteca como Organização Aprendente: o  de competências em informação no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Open A Biblioteca como Organização Aprendente: o de competências em informação no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Nesse sentido, ainda não existe um consenso entre os bibliotecários sobre qual seria a denominação mais adequada para traduzir um espaço de informação que atende a múltiplos grupos de usuários com perfis diferenciados. Na literatura científica, nos encontros profissionais, e no âmbito das listas de discussão por e-mail, alguns defendem as terminologias “biblioteca híbrida” ou “biblioteca mista” como solução para o não enquadramento desta biblioteca nas tipologias existentes e consolidadas pela literatura e pela prática profissional. Além disto, mais recentemente, há a proposta inédita de adoção da terminologia biblioteca multinível para as bibliotecas dos IFs, idealizada pioneiramente por Moutinho (2014), bibliotecária de um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, em que a biblioteca é percebida como uma organização que atende aos usuários de diversos níveis de ensino e modalidades educativas. Nesta perspectiva, temos o entendimento de que a biblioteca multinível atenderia, portanto, às necessidades de um público de diferentes níveis de processos formativos (profissionalizante, médio, técnico, superior e pós-graduação) e, consequentemente, diferentes níveis de necessidades e competências informacionais. No entanto, apesar da falta de consenso quanto à identidade dessas bibliotecas segundo funções e finalidade, não se pode negar que as bibliotecas de IFs atendem aos diversos grupos de usuários mencionados e a terminologia proposta apresenta-se como coerente e única alternativa até então inovadora e abrangente proposta na literatura científica. A própria sociedade contemporânea, por exemplo, se caracteriza por não ter fronteiras definidas, principalmente no que se refere às áreas do conhecimento e ao trabalho com informação. Muito embora os usuários da sociedade em rede são múltiplos em seus desejos e necessidades de informação, as bibliotecas, como espaços de informação, devem estar preparadas para atuar nesse novo contexto múltiplo informacional.
Mostrar mais

122 Ler mais

Gravataí (276 Downloads) Ações registradas

Gravataí (276 Downloads) Ações registradas

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-. RIO-GRANDENSE[r]

1 Ler mais

Camaquã (311 Downloads) Ações registradas

Camaquã (311 Downloads) Ações registradas

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-. RIO-GRANDENSE[r]

3 Ler mais

Pelotas (329 Downloads) Ações registradas

Pelotas (329 Downloads) Ações registradas

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-. RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO[r]

7 Ler mais

Charqueadas (177 Downloads) Ações registradas

Charqueadas (177 Downloads) Ações registradas

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-. RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO[r]

6 Ler mais

Pelotas (187 Downloads) Ações registradas

Pelotas (187 Downloads) Ações registradas

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-. RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO[r]

9 Ler mais

Bage_2.pdf (70 Downloads) Ações registradas

Bage_2.pdf (70 Downloads) Ações registradas

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-. RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO[r]

5 Ler mais

CaVG_2.pdf (112 Downloads) Ações registradas

CaVG_2.pdf (112 Downloads) Ações registradas

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-. RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO[r]

9 Ler mais

Santana_do_Livramento_2.pdf (84 Downloads)

Santana_do_Livramento_2.pdf (84 Downloads)

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-. RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO[r]

5 Ler mais

Sapiranga_2.pdf (72 Downloads) Ações registradas

Sapiranga_2.pdf (72 Downloads) Ações registradas

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-. RIO-GRANDENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO[r]

2 Ler mais

IFSUL_CsF_Inscricao.docx (385 Downloads)

IFSUL_CsF_Inscricao.docx (385 Downloads)

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE. Ficha de Inscrição para a Pré-Seleção[r]

1 Ler mais

Tomada de decisão:

Tomada de decisão:

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, de acordo com seu estatuto, possui como objetivos ministrar educação profissional técnica de nível médio, ministrar cursos de formação inicial e continuada de trabalhadores, realizar pesquisas aplicadas, desenvolver atividades de extensão, estimular e apoiar processos educativos que levem à geração de trabalho e renda, ministrar em nível de educação superior cursos superiores de tecnologia, cursos de licenciatura, cursos de graduação em Engenharia e demais áreas, cursos de pós- graduação lato sensu, cursos de pós-graduação stricto sensu de mestrado e doutorado. (IFSUDESTEMG, 2012).
Mostrar mais

26 Ler mais

Camaqua_2.pdf (80 Downloads) Ações registradas

Camaqua_2.pdf (80 Downloads) Ações registradas

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-.. RIO-GRANDENSE.[r]

3 Ler mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM ARTESANATO

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM ARTESANATO

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA MINAS GERAIS CÂMPUS OURO BRANCO.. Curso: Técnico em.[r]

23 Ler mais

A DIMENSÃO DA PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL DO PROEJA E PROEJA FIC (PROGRAMA NACIONAL DE INTEGRAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL COM A EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE JOVENS E ADULTOS NO NÍVEL FUNDAMENTAL E MÉDIO) NO IFSP MESTRADO EM SERVIÇO SOCI

A DIMENSÃO DA PRÁTICA PROFISSIONAL DO ASSISTENTE SOCIAL DO PROEJA E PROEJA FIC (PROGRAMA NACIONAL DE INTEGRAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL COM A EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE JOVENS E ADULTOS NO NÍVEL FUNDAMENTAL E MÉDIO) NO IFSP MESTRADO EM SERVIÇO SOCI

Esta dissertação tem como objeto o estudo da prática do assistente social no PROEJA e PROEJA FIC no IFSP (Programa Nacional de Integração da Educação Profissional na Modalidade Básica e na Formação Inicial e Continuada no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo). O IFSP apresenta-se como espaço sócio-ocupacional contraditório: de um lado, atende aos interesses do capital; de outro, mesmo considerado como política compensatória, não deixa de ser uma atividade no âmbito da educação e profissionalização importante para a população de menor poder aquisitivo. Com base na análise teórica dos dados empíricos, este estudo identificou contribuições objetivas e subjetivas na prática dos assistentes sociais, reforçando a importância do desenvolvimento e consolidação desse espaço sócio-ocupacional. A metodologia adotada nesta pesquisa propiciou melhor compreensão dos limites e possibilidades da prática profissional do assistente social, analisadas à luz de algumas categorias empíricas, tais como: a relação dos assistentes sociais com os estudantes do PROEJA e PROEJA FIC, a as atribuições e rotinas de trabalho do assistente social, as metodologias e instrumentalidade, as relações interprofissionais, entre outros. No processo investigativo, foram utilizadas fontes primárias e secundárias mediante a realização de entrevistas semiestruturadas, grupo de discussão, análise bibliográfica e documental. Para a apreensão da dimensão prática do assistente social, priorizou-se a análise das ações estratégicas, procedimentos e instrumentos utilizados no planejamento, sistematização, execução e avaliação das ações, bem como a identificação dos princípios que orientam a concepção e prática profissional, no que diz respeito ao PROEJA e PROEJA FIC. Verificou-se, não obstante os limites e contradições presentes, a existência de avanços na consolidação da prática profissional do assistente social e significativo espaço sócio-ocupacional. Aos profissionais compete a incorporação dos pressupostos do Serviço Social, apreendidos nas condições objetivas da realidade social, desenvolvendo uma práxis profissional orientada e teoricamente capaz de contribuir cada vez mais para a qualificação da profissão.
Mostrar mais

135 Ler mais

Clima : estudo analítico realizado na diretoria de EAD do IFCE

Clima : estudo analítico realizado na diretoria de EAD do IFCE

Esta pesquisa tem como objetivo analisar o Clima Organizacional na Diretoria de Educação a Distância do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Ceará. O estudo se mostra relevante devido ao fato de nunca ter sido realizado um estudo sobre o Clima Organizacional naquela Diretoria, mapeando as percepções dos colaboradores em relação aos vários fatores que compõem o Clima Organizacional, identificando os aspectos que causaram maior descontentamento e os que obtiveram aprovação pelos funcionários. Desta forma, os gestores poderão arquitetar planos de ação que satisfaçam as necessidades dos funcionários, convergindo com as possibilidades e os interesses da organização. O estudo é de caráter quantitativo e foi adotado como instrumento de coleta de dados a Escala de Clima Organizacional (ECO). Foram entrevistados 36 funcionários da DEaD que atuavam nos programas Universidade Aberta do Brasil e na rede e-Tec Brasil. Os resultados mostraram que existe um bom Clima Organizacional na Diretoria estudada, onde o fator coesão entre colegas obteve maior média e, consequentemente, maior aprovação dos funcionários. Os fatores apoio da chefia e da organização e controle/pressão também receberam avaliação positiva. Já os fatores recompensa e conforto físico obtiveram média correspondente à classificação intermediária. Portanto, este estudo pode contribuir para a evolução da gestão da diretoria em questão, pois além de fornecer o diagnóstico do Clima existente no momento, serve de base para futuras comparações de pesquisas afins.
Mostrar mais

60 Ler mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM SOLDAGEM

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO TÉCNICO EM SOLDAGEM

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA MINAS GERAIS. CÂMPUS OURO BRANCO[r]

41 Ler mais

Lajeado (170 Downloads) Ações registradas

Lajeado (170 Downloads) Ações registradas

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-.. RIO-GRANDENSE.[r]

2 Ler mais

Anexo 01  Requerimento (420 Downloads) Ética Animal

Anexo 01 Requerimento (420 Downloads) Ética Animal

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE CÂMPUS ... 1.[r]

1 Ler mais

Show all 10000 documents...