Leis de fomento à cultura

Top PDF Leis de fomento à cultura:

DISCUSSÕES E REFLEXÕES ACERCA DO TEATRO BRASILEIRO: (RE) PENSANDO A QUESTÃO DAS LEIS DE FOMENTO À CULTURA A PARTIR DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 SOB A ÉGIDE DOS ESTUDOS DE KARL MARX

DISCUSSÕES E REFLEXÕES ACERCA DO TEATRO BRASILEIRO: (RE) PENSANDO A QUESTÃO DAS LEIS DE FOMENTO À CULTURA A PARTIR DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 SOB A ÉGIDE DOS ESTUDOS DE KARL MARX

De acordo com o levantamento das principais leis de fomento à cultura em âmbito nacional é possível destacar duas prerrogativas principais: primeiro, o fomento direto às instituições culturais, em muitos casos, pode não ser suficiente para a maioria das instituições culturais que procuram desenvolver trabalhos diversificados e de qualidade, porém, sem verba suficiente; segundo, de acordo com a lei brasileira, as corporações podem fazer “doações” para estas companhias e, com isso, podem também escolher quais instituições culturais serão patrocinadas, isto é, as leis de incentivos fiscais podem inaugurar um novo ciclo de dinamização cultural, entretanto, é importante estar atento para o destino deste patrocínio cultural que poderá seguir caminhos antidemocráticos fazendo com que apenas as instituições de interesse às corporações sejam beneficiadas. Portanto, torna-se profícuo, neste ponto, alertar para o possível “jogo de interesses” entre instituições culturais e o mercado.
Mostrar mais

88 Ler mais

Os programas de incentivo à cultura e o processo de fomento às organizações culturais no Rio Grande do Norte: o caso da Casa da Ribeira em Natal

Os programas de incentivo à cultura e o processo de fomento às organizações culturais no Rio Grande do Norte: o caso da Casa da Ribeira em Natal

e controle regimentar do Estado brasileiro na forma de suas Leis de Incentivo à Cultura. Este marco contribuiu com o fortalecimento das Organizações Não Governamentais e com a consolidação dessas instituições como o eixo central da garantia do direito republicano ao acesso à cultura, mas, a Responsabilidade Social foi quem deu impulso no segmento aqui tratado, através das ações de Responsabilidade Cultural oriundo das empresas junto às Organizações Culturais. Logo, em face deste discurso, este trabalho tem o objetivo de averiguar o processo de incentivo à cultura no Rio Grande do Norte a partir da Análise Deviant Case junto à Casa da Ribeira, Organização Cultural que atua no Município do Natal, a fim de verificar as relações estabelecidas entre a mesma entidade e as instituições as quais fazem jus à manutenção do processo de incentivo tratado neste estudo – Empresas, na ótica do patrocínio empresarial e da Responsabilidade Cultural, e Estado, na forma das Leis de Incentivo e dos Fundos Públicos de Incentivo à Cultura.
Mostrar mais

162 Ler mais

Formulação de políticas culturais: leis de incentivo e as inovações do Programa Cultura Viva

Formulação de políticas culturais: leis de incentivo e as inovações do Programa Cultura Viva

Uma política pública democrática deve buscar envolver o máximo de pessoas como criadores de cultura a partir de seus processos singulares, privilegiando o fomento e a articulação daquilo que já vem sendo criado no dia-a-dia dos indivíduos, afastando-se da artificial neutralidade da posição vazia do mercado, que Zizek relaciona como racismo camuflado pela tolerância universal do “politicamente correto”. Não se trata de opormos as questões em níveis de dirigismo ou liberalismo, mas de encontrar formas de intervenção que garantam recursos institucionais e financeiros para aquelas diversas manifestações culturais que compõem a sincrética sociedade brasileira, notadamente aquelas que necessitam de tratamento diferenciado, por tratarem-se daquelas produções de sentido e significado dos segmentos mais vulnerabilizados, não correspondendo na maioria das vezes às expectativas econômicas da racionalidade do mercado, baseadas nas possibilidades de retorno institucional e financeiro. Tomada como ponto de chegada do processo, no momento em que as obras são expostas como espetáculo, o valor da obra é mensurável pela capacidade de agradar, pelo número de espectadores e de vendas, deixando na sombra sua singularidade, ou seja, o processo de criação da obra (CHAUI, 2007).
Mostrar mais

258 Ler mais

Os projetos xakriabá a partir dos recursos públicos para o fomento à cultura

Os projetos xakriabá a partir dos recursos públicos para o fomento à cultura

e em realização na TIX, que também são considerados por eles projetos culturais. Na minha experiência de produtora cultural acompanhando os gestores culturais xakriabá na execução dos projetos na TIX, fiquei impressionada com a dimensão das aprendizagens no campo da gestão, em um espaço de tempo tão pequeno. Posso citar: o conhecimento e compreensão das leis que regem o repasse e o gasto de recursos públicos, a construção de um plano de ação visando atingir os objetivos estipulados, o conhecimento das regras internas e externas para a busca de alternativas viáveis à realização dos objetivos propostos, a manutenção das associações, a busca de recursos e de parceiros adequados e a utilização das novas tecnologias de informação e comunicação. Com relação à utilização dos recursos públicos captados, o aprendizado envolveu também o conhecimento de práticas estabelecidas por leis, decretos e convênios. Como exemplo, podemos citar as adequações, o cumprimento dos planos de trabalho e prazos; planejamentos, compras, pagamentos, utilização e preenchimento de cheques (valor, escrita, data, beneficiário, etc.), confecção de recibos, recolhimento de impostos, controle de saldo bancário, aplicação de recursos, compreensão das exigências legais, entendimentos básicos de contabilidade, organização de material comprobatório dos gastos, prestação de contas, acompanhamento das obras, produção de oficinas e eventos.
Mostrar mais

146 Ler mais

Políticas públicas culturais no Brasil: dos patrimônios materiais aos imateriais.

Políticas públicas culturais no Brasil: dos patrimônios materiais aos imateriais.

Este artigo parte do entendimento de que as políticas públicas culturais do Estado brasileiro vêm ga- nhando destaque nos últimos anos. Nesse contexto, surgem questões como: o que o Estado legitima como “cultura nacional”? Como o patrimônio é entendido na perspectiva da política cultural? Elas têm sido necessárias para compreender a gestão de programas culturais voltados aos patrimônios. Assim, esta pesquisa busca realizar um levantamento histórico sobre as políticas públicas culturais voltadas para os patrimônios no Brasil, desde a criação do Iphan até a implantação do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial (PNPI), em 2000, provocando uma mudança na compreensão dos patrimônios nacionais. A discussão se dá a partir da análise dos discursos de atores envolvidos na implementação da proteção dos bens imateriais, o que poderia ser ressaltado.
Mostrar mais

20 Ler mais

Anarquismos e governamentalidade DOUTORADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS

Anarquismos e governamentalidade DOUTORADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS

PAINE (1989) respondeu a Burke escrevendo Os Direitos do Homem, livro no qual distingue os governos que surgem da sociedade, do pacto social, daqueles que surgem do poder e da superstição. Esses últimos, ele diz, foram fundados ou pela astúcia eclesiástica ou pela conquista militar. Já o governo civil nasce do pacto feito entre os próprios indivíduos, único modo pelo qual um governo tem o direito de surgir, e o único princípio que lhe confere o direito de existir. E por quê? Porque o que funda a soberania desse governo é “o interesse comum da sociedade e os direitos comuns do homem” (PAINE, 1989, p. 58). Ora, diz Paine, todos os governos monárquicos são militares, “a guerra é seu comércio, saque e receita o seu objetivo”, seu sistema hereditário é absurdo porque “herdar um governo é herdar o povo, como se os povos fossem rebanhos ou manadas”. Ao contrário, “um governo fundamentado sobre uma teoria moral, sobre um sistema de paz universal, sobre direitos humanos hereditários indestrutíveis” (Ibid., p. 137), traduz simplesmente uma aptidão natural no homem, e “no momento em que o governo formal é abolido, a sociedade começa a agir: começa uma associação geral e o interesse comum produz segurança comum” (Ibid., p. 140). Ou seja, sendo o homem naturalmente uma criação da sociedade, tanto a segurança quanto a prosperidade dos indivíduos dependem de um dos seus princípios fundamentais: o interesse. Daí promover a “circulação incessante de interesse que, passando por seus milhões de canais, fortalece a totalidade do homem civilizado” (Ibid., p. 141). Portanto, as verdadeiras leis não são as do governo, seja ele qual for: “são leis de interesses mútuos e recíprocos. Elas são seguidas e obedecidas porque é do interesse das partes agir assim e não devido a qualquer lei formal que seu governo possa impor ou interpor”. O verdadeiro governo é aquele que governa conforme os interesses.
Mostrar mais

411 Ler mais

Determinação de padrões de crescimento de células em cultura.

Determinação de padrões de crescimento de células em cultura.

Tanto MDCK quanto HEp-2 mostram uma transição em ns(t) de um decaimento exponencial para um em lei de po- tência, tanto em monocamadas quanto em géis de colágeno. Nas células MDCK, que apresentam as três isoformas de desmogleína (11) e formam agregados estáveis, esta transi- ção na dinâmica do crescimento sugere que um longo tem- po de permanência em cultura exerce forças seletivas pode- rosas sobre as células e modifica seus mecanismos de controle normal, tais como os de dependência de ancoragem, inibi- ção de movimento por contato célula-célula e crescimento dependente da densidade celular. Além do mais, a transição ocorre no início da fase estacionária (após a fase exponencial)
Mostrar mais

6 Ler mais

A Teoria Política do Discurso como abordagem para o estudo das organizações de resistência: reflexões sobre o caso do Circuito Fora do Eixo.

A Teoria Política do Discurso como abordagem para o estudo das organizações de resistência: reflexões sobre o caso do Circuito Fora do Eixo.

A configuração do campo como mercado (SIMÕES; VIEIRA, 2010); a predo- minância do financiamento empresarial à cultura por meio das leis de incentivo, em detrimento do investimento direto do Estado (BARBOSA, 2007); e a rotinização e intensificação do patrocínio corporativo às artes, pressionando o campo em direção à profissionalização de intermediários e à descoberta de novas possibilidades de lucro econômico nos mercados culturais (DURAND, 2001) são aspectos centrais da nova perspectiva hegemônica. Nela a cultura passa a ser objeto de apreciação do merca- do, o qual irá definir os projetos que devem ou não ser executados. Assim, podemos concluir que o discurso dominante de atuação do Estado até meados da década de 80, como definidor e executor das políticas culturais no país, é gradativamente subs- tituído, após o processo de redemocratização, pelo discurso da eficiência empresarial. (SIMÕES; VIEIRA, 2010)
Mostrar mais

20 Ler mais

CONHECIMENTOS ORDINÁRIOS, CURRÍCULO E CULTURA: ARTES DE FAZER NO ACAMPAMENTO ELIZABETH TEIXEIRA

CONHECIMENTOS ORDINÁRIOS, CURRÍCULO E CULTURA: ARTES DE FAZER NO ACAMPAMENTO ELIZABETH TEIXEIRA

Pensando no contexto do acampamento e de demais comunidades do campo que vivem nessas mesmas condições, ou seja, que vivem a compressão das áreas rurais pelo crescimento [r]

216 Ler mais

Leis que Pegam e leis que não Pegam em Sistemas Agroindustriais

Leis que Pegam e leis que não Pegam em Sistemas Agroindustriais

É comum a afirmac¸ão de que existem leis que “não pegam”. No presente estudo foi feita uma análise acerca dos incentivos que contribuem para o cumprimento das normas formais. As leis escolhidas foram: a lei de uso e conservac¸ão do solo, e a lei dos agrotóxicos, com ênfase no armazenamento e retorno das embalagens. Como base teórica custos de transac¸ão e mensurac¸ão, e direitos de propriedade são utilizados. Foram fundamentadas cinco proposic¸ões de trabalho, que consideram os incentivos ao cumprimento das normas formais, a saber: alinhamento da norma formal às normas sociais; a influência do interesse privado; a influência do interesse do Estado; custos de monitoramento; e custos de adesão às normas. Para a parte empírica optou-se pelo método de estudo de casos, contemplados por análises de estatísticas descritivas. Destaca-se que foi feito um recorte com relac¸ão às culturas agrícolas e regiões selecionadas. Os resultados dão suporte a quatro das cinco proposic¸ões de trabalho. A excec¸ão ficou por conta do efeito do custo de adesão à norma. Concluiu-se que normas que tratam dos bens de propriedade coletiva se caracterizam por um mecanismo de cumprimento mais complexo, já que não se trata de uma questão puramente econômica. Ac¸ões que promovam o conhecimento de tais normas e a conscientizac¸ão da amplitude do tema são importantes para que as normas sociais, que não se modificam rapidamente, estejam alinhadas à norma formal promovendo o seu cumprimento.
Mostrar mais

12 Ler mais

A importância da constituição de Angola na organização juridico-partidária do País

A importância da constituição de Angola na organização juridico-partidária do País

Sendo que para este Autor a democracia foi apresentada como um processo de delimitação do poder político, partindo do princípio que o poder exercido diretamente pelos governados e resultando da lei da maioria dos indivíduos, deseje o seu próprio bem e restrinja a liberdade só no estritamente o indispensável. Admitindo que lei sendo a expressão da vontade resultante dos votos dos governados será um comando dados pelos governados a si mesmo, obviamente quando a pessoa obedece a si própria torna-se livre, com efeito a obediência as leis votadas por todos ,traduzir-se-á no exercício da liberdade, ainda que no caso de o poder ser exercido por representantes, a faculdade de periodicamente de os substituir permite que sejam afastados pelos governados, aqueles que porventura tenham deixado de respeitar as liberdades civis e públicas.
Mostrar mais

375 Ler mais

Sistema de Inovação do Agronegócio Brasileiro?  Dualismo estrutural-tecnológico e desafios para o desenvolvimento do país

Sistema de Inovação do Agronegócio Brasileiro? Dualismo estrutural-tecnológico e desafios para o desenvolvimento do país

A abordagem sistêmica de inovação passou a ganhar relevância com os trabalhos de Nelson (1993), que analisa os diferentes sistemas de inova- ção de 15 principais países, incluindo os grandes orientados para o mercado industrializados, os vários pequenos países de alta renda, bem como um número de Estados recém-industrializados em diversos continentes. Esses estudos foram cuidadosamente projetados, desenvolvidos e escritos visando a esclarecer às instituições responsáveis pelo fomento ao desenvolvimento, quais os mecanismos de apoio às inovações existentes e empregadas. Para tanto, Nelson (1993) relata as semelhanças e diferenças nos sistemas de inovação e como estes vieram a ser fator alavancador do desenvolvimento das economias.
Mostrar mais

39 Ler mais

EDUCAÇÃO TRIBUTÁRIA: ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO AO DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL
							| Revista Tecnológica

EDUCAÇÃO TRIBUTÁRIA: ANÁLISE DE SUA CONTRIBUIÇÃO AO DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL | Revista Tecnológica

Desta forma os governos têm poder para criar leis e administrar seus recursos, atentando-se para a inconstitucionalidade, possibilitando a criação de leis, onde cada Estado e município têm autonomia de criação de seu próprio estatuto, contendo neste como irá ocorrer o sistema de tributação nas três esferas de governos. Entende-se por tributo, segundo o Código Tributário Nacional. “Art. 3º. Toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada” (CTN. Art. 3º 1966).
Mostrar mais

18 Ler mais

A implantação do sistema de fomento a cultura em Manaus: experiências da transição de um modelo discricionário à uma abordagem institucional

A implantação do sistema de fomento a cultura em Manaus: experiências da transição de um modelo discricionário à uma abordagem institucional

124 tanto é conturbada que passou quatro pessoas pela mesma pasta em um único mandato, não é? E depois vem... E aí depois você teve aquele processo, que já veio da Fundação Villa Lobos e depois tem que... E depois teve, já teve aquele processo de criar, talvez, a melhor forma de institucional, não é? A questão do órgão público que é uma fundação, consegue trabalhar melhor na gestão ou entre o privado e o público, a questão da fundação. E aí eu vejo que foi bem feliz, bem interessante, muita coisa se fez nas gestões anteriores, mas nesse houve uma questão assim de uma frequência, de uma pontualidade, de uma pontualidade, de uma frequência não só também na questão dos editais, os editais são superimportantes, mas é gestão mesmo, porque nem sempre... Uma grande dificuldade é você trabalhar a questão assim, como ligar uma ponte assim de revisar eventos e turismo, e ao mesmo tempo aquilo ser cultura, entendendo? De trazer aquele teu universo cultural, eu acho que aí esse como grande ponto, um grande ponto, um grande acerto, não é? O passo a passo, um exemplo disso, não é? Por que motivos eu tenho que fazer um evento grande, daquele porte e no local com todas as dificuldades de acesso e de trânsito assim possíveis, não é? Sei lá, de repente alguém já se perguntou por isso? Com tantos lugares que tem de grande estrutura, de grande suporte, a própria Ponta Negra, é um lugar e tanto, não é? Mas a questão do olhar, as pessoas de observar que aquilo tudo é deles, não é? E ali começou a cidade de Manaus, se você andar, dar 200 passos, dois quarteirões dali, tem a primeira rua da cidade de Manaus, que é uma rua que é... Uma rua dessa sala aqui ou até menor. Então, é o olhar disso, não é? Então, eu acho que isso foi muito feliz, muito importante, eu aponto como uma gestão principal, eu acho que foi só de um processo de evolução e eu gostei um pouco do que a Lívia fez no passado, mas eu acho que agora houve um acerto maior, uma conexão maior também com a cidade, porque não adianta a gente chegar aqui e vamos fazer um evento lá de diretoria, fazer a cidade para cá, colocar 400, 500 mil pessoas lá e aqui não disse nada, não expõe nada, não é? Daquele dia lá, eu lembro o seu Jorge declamando a música do Racionais, se eu não me engano foi Diário de Um Detento, eu só lembro disso, não lembro de mais nada, mas eu consigo lembrar de todos os pontos, de tudo aquilo que foi feito. Então, aí tem a questão de o que te leva na... O que te guarda na memória, o evento ou à cultura, àquele valor cultural? Então, essa questão, aí que tem uma diferença muito grande.
Mostrar mais

192 Ler mais

Programa Minas Território da Cultura: proposta de uma matriz de estrutura lógica

Programa Minas Território da Cultura: proposta de uma matriz de estrutura lógica

Um dos fatores influenciadores que fazem com que isso aconteça é a grande quantidade de municípios que o estado possui. Minas Gerais é o quarto maior estado em área e o segundo mais populoso entre os 27 existentes no Brasil. Ele possui 853 municípios, sendo aquele com maior número de municípios no país. Esse fator dificulta a ação da Secretaria, que tem sua sede na capital (Belo Horizonte), para que suas ações cheguem até o interior. Outro fator influenciador é a desvalorização da cultura local por parte da própria população. Durante a coleta de dados desta pesquisa foram relatados muitos casos em que a verba da cultura era destinada à contratação de artistas de fora para eventos. Isso ocorre porque muitos gestores culturais não têm o conhecimento adequado sobre o conceito de cultura e os benefícios que ela pode gerar para o município e sua população. Além disso, esse fator que influencia na centralização, de acordo com Gomes (2013, p.11), "é provocado pela globalização, que apresenta pontos negativos para comunidades locais comdiferentes hábitos socioculturais."
Mostrar mais

104 Ler mais

Música, cultura negra e formação de professores: refletindo sobre as leis 11.769/2008 E 10.639/2003

Música, cultura negra e formação de professores: refletindo sobre as leis 11.769/2008 E 10.639/2003

Este trabalho apresenta três objetivos principais: (i) mostrar como as Leis nº 11.769/2008 e 10.639/2003 estão concatenadas e, por tal razão, devem ser pensadas em conjunto; (ii) apontar os espaços que a cultura negra tem encontrado no currículo da formação de professores de Música; e (iii) analisar esses espaços, auxiliando, assim, as reflexões sobre como a cultura e a música negra podem estar presentes nos currículos das Licenciaturas em Música, a fim de que estas formem professores competentes para trabalhar também com a cultura e a musicalidade negras. Para tal, este trabalho analisou as grades curriculares das principais instituições que oferecem o curso de Licenciatura em Música na cidade do Rio de Janeiro e concluiu que se faz necessário um repensar das Licenciaturas em Música, em uma perspectiva multicultural, que buscará descontruir as hierarquias culturais geradas pela colonização, promovendo a igualdade nos saberes e a desmarginalização da identidade cultural negra.
Mostrar mais

17 Ler mais

A TRIBUTAÇÃO NA PERSPECTIVA DO ESTADO NEOLIBERAL – LEITURA DA OBRA LAW, LEGISLATION AND LIBERTY, DE FRIEDRICH AUGUST VON HAYEK Mestrado em Direito São Paulo

A TRIBUTAÇÃO NA PERSPECTIVA DO ESTADO NEOLIBERAL – LEITURA DA OBRA LAW, LEGISLATION AND LIBERTY, DE FRIEDRICH AUGUST VON HAYEK Mestrado em Direito São Paulo

(...) costumes de um povo funcionavam como ‘leis intermediárias’ entre as leis escritas’, já promulgadas, e as leis que ainda viriam. Réflexions sur l’ éducation.. A primeira[r]

147 Ler mais

Avaliação da Cultura de Segurança do Doente nos Cuidados de Saúde Primários – Normas de Orientação Clínica

Avaliação da Cultura de Segurança do Doente nos Cuidados de Saúde Primários – Normas de Orientação Clínica

D. Após a realização do estudo piloto nos hospitais utilizando o questionário Hospital Survey on Patient Safety Culture, da Agency for Healthcare Research and Quality, instituiu-se a avaliação da cultura de segurança do doente nos hospitais, com a publicação da Norma nº 025/2013, de 24/12/2013.

6 Ler mais

O Espírito das Leis

O Espírito das Leis

instituições antigas colocavam todos os cidadãos na necessidade de se casarem, e como os casamentos eram, por outro lado, abrandados pela autorização de repudiar ou de fazer o divórcio, só uma corrupção muito grande dos costumes poderia levar ao concubinato. É preciso observar que sendo considerável a qualidade de cidadão nas democracias, onde ela carregava consigo o poder soberano, criavam-se muitas vezes leis sobre o estado dos bastardos, que tinham menos relação com a própria coisa e com a honestidade do casamento do que com a constituição particular da república. Assim, o povo admitiu algumas vezes como cidadãos os bastardos, para aumentar seu poder contra os grandes. Assim, em Atenas, o povo subtraiu os bastardos do número de cidadãos, para ter uma porção maior do trigo que o rei do Egito lhe tinha enviado. Por fim, Aristóteles nos ensina que em várias cidades, quando não havia cidadãos suficientes, os bastardos herdavam e, quando havia o bastante, eles não herdavam.
Mostrar mais

315 Ler mais

LEIS DE POTÊNCIA

LEIS DE POTÊNCIA

Neste capítulo serão dadas algumas atividades concernentes a Lei de Potência. Essas atividades são sugeridas para serem aplicadas aos alunos do Ensino Médio, conduzidas pelo professor, com as adaptações que forem julgadas necessárias. As três primeiras atividades correspondem às análises que foram feitas no Capítulo 4; elas se referem às Leis de Potência aplicadas à distribuição dos municípios em relação à quantidade de habitantes. Na primeira atividade, os dados são agrupados em histogramas com am- plitude 20.000. Na segunda atividade, foi aplicada a técnica do Binning Logarítmico, em que os dados são agrupados em histogramas com amplitudes variadas. Na terceira atividade, é utilizada a frequência acumulada dos dados. Na quarta atividade, é apli- cada a Lei de Potência para a distribuição acumulada das frequências das palavras de um livro.
Mostrar mais

161 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados