Leite - Comercialização

Top PDF Leite - Comercialização:

Incidência Tributária no Custo de Produção e Comercialização do Leite em Minas Gerais

Incidência Tributária no Custo de Produção e Comercialização do Leite em Minas Gerais

A cadeia agroindustrial do leite representa uma atividade de notória participação econômica e social para o Brasil, principalmente para Minas Gerais. No entanto, fatores como a estrutura de custos dos insumos e bens de capital e a carga tributária incidente sobre ela, que ao longo da cadeia produtiva gera um efeito cumulativo, resultam em implicações que vão desde o produtor até o consumidor final. Assim, o objetivo deste estudo consistiu em identificar e evidenciar a carga tributária na formação dos custos de produção para o segmento produtor de leite e em sua comercialização, para distintos estratos de produção diária. Para tanto, adotou-se a construção de um modelo analítico visando efetuar a quantificação da carga tributária. O impacto conjunto do ICMS, do PIS/COFINS e dos encargos onera o custo de produção em 3,19%, 4,17%, 4,88%, 5,50% e 5,35%, considerando, respectivamente, os estratos dos custos para a seguinte faixa de produção: inferior a 50 litros de leite, 51 a 200 litros, 201 a 500 litros, 501 a 1000 litros e acima de 1000 litros. No momento da comercialização agrega-se, ainda, mais 2,3% a título de contribuição previdenciária que o produtor rural pessoa física recolhe sobre a receita bruta gerada, elevando o custo final. Os custos de produção, bem como, seus componentes e os impostos incidentes sobre eles, são fatores importantes que refletem na competitividade de toda a cadeia produtiva, tendo a tributação como um fator agravante na relação entre os diferentes segmentos das cadeias agroindustriais.
Mostrar mais

16 Ler mais

Análise de rentabilidade de uma empresa com opção de comercialização de queijo ou leite.

Análise de rentabilidade de uma empresa com opção de comercialização de queijo ou leite.

Os custos fixos totalizaram R$5.070,66 e R$5.131,82, para ambos os sistemas, visto que são utilizados os mesmos equipamentos para as produções. Os utensílios utilizados unicamente para a produção do queijo foram lançados no grupo insumos para queijo. Os custos variáveis totalizaram R$22.459,18 e R$22.269,32, para o sistema que comercializa leite e o sistema que produz queijo, respectivamente. As diferenças existentes podem ser explicadas em função da diferença de atividades, nesse caso a produção de queijo requer outros produtos e utensílios para sua produção que não estão inseridos na comercialização de leite para o laticínio, como despesas com coalho e fôrma.
Mostrar mais

6 Ler mais

Perspectivas e desafios na comercialização de queijo de leite de cabra na região de Sousa-PB.

Perspectivas e desafios na comercialização de queijo de leite de cabra na região de Sousa-PB.

Tal credibilidade se dá pelo fato do muncípio contar com terras férteis, alinhadas a mão de obra barata, além do aumento crescente pela procura de produtos derivados do leite de cabra, possibilitaram a criação de um novo mercado, haja vista, a produção do leite de vaca, despreender maiores custos para a sua manutenção. De posse dessas informações, percebeu-se a importância comercial para o queijo elaborado com o leite de cabra em comparação com o queijo produzido com leite de vaca, tradicional na região. Viu-se, portanto, a que é possível introduzir o queijo de leite de cabra no comércio local, no entanto, é preciso demonstrar aos potenciais consumidores e produtores – que ainda resiste ao seu consumo e sua comercialização, respectivamente – o real valor deste produto, inclusive, no quesito nutricional. Segundo Jardim (1984) e Pinheiro Júnior (1985), o leite de cabra é um alimento dotado de alto valor nutritivo e de fácil digestão quando comparado ao leite da vaca.
Mostrar mais

35 Ler mais

Avaliação de políticas públicas de incentivo à comercialização de leite por agricultores familiares do Distrito Federal e Entorno

Avaliação de políticas públicas de incentivo à comercialização de leite por agricultores familiares do Distrito Federal e Entorno

As políticas públicas de apoio a aquisição de alimentos produzidos pela agricultura familiar, tem como objetivo garantir a compra e comercialização destes produtos. O benefício de programas como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição da Produção da Agricultura PAPA/DF para os agricultores familiares de leite do Distrito Federal, não consiste somente na realização da comercialização do leite, mas também, na melhoria de qualidade de vida dos produtores rurais, na produtividade dos sistemas leiteiros e na qualidade dos produtos comercializados. No Distrito Federal os produtores de leite participam destes programas por meio da Cooperativa de Agricultores Familiares de São Sebastião (COPAS), a qual se encarrega da coleta e beneficiamento do leite e de sua venda para o PNAE e o PAPA/DF. Este trabalho teve como finalidade avaliar estes programas no DF e o impacto deles na produtividade dos estabelecimentos leiteiros, nos custos de produção e eficiência do sistema e na qualidade do produto, além de identificar as principais dificuldades para adesão ou permanência por parte dos produtores leiteiros. Foram feitas entrevistas com especialistas do tema, o que permitiu fazer uma caracterização do sistema produtivo de leite no DF por meio de Diagnostico Rural Rápido e de metodologia de análise diagnóstica de cadeias produtivas. Conceitos como segmentação de sistemas, sistemas produtivos, cadeia e desempenho de cadeias produtivas foram usados para atingir os objetivos da pesquisa. Como resultado do estudo se identificou que os programas tiveram um impacto no aumento da produtividade, na diminuição dos custos e no aumento da qualidade do leite. O sistema dos agricultores familiares que participam desses programas tem uma eficiência maior em comparação com aqueles sistemas que não participam dos mesmos. Também se identificaram problemas para a adesão de produtores familiares não participantes. Entre estes problemas estão a alta demanda existente para o leite no DF e a pouca infraestrutura da cooperativa para o atendimento de mais cooperados, e observou- se que o preço pago pelo comprador institucional é um fator determinante para sua permanência nos programas.
Mostrar mais

135 Ler mais

Relações de comercialização entre compradores e produtores de leite do sul de Minas Gerais

Relações de comercialização entre compradores e produtores de leite do sul de Minas Gerais

Ao se considerar o registro das anotações no papel e por um técnico de extensão rural, chegou-se aos valores do coeficiente de correlação de r = 0,298 (p<0,001) para o primeiro e r = 0,288 (p=0,002) para o segundo, sugerindo que os altos índices de precificação apresentaram maior preocupação dos produtores com o registro das informações geradas no cotidiano das propriedades leiteiras. Do mesmo modo, a precificação correlacionada com os produtores que não realizam nenhum tipo de registro das informações, percebe-se que os resultados foram de r = -0,302 (p<0,001) confirmando o resultado obtido das demais variáveis; assim quanto maior foi a percepção dos produtores sobre os melhores preços praticados no mercado para a comercialização do leite, menos registros das informações presentes nas propriedades foram realizadas.
Mostrar mais

14 Ler mais

ALGUNS ASPECTOS DA CADEIA PRODUTIVA E COMERCIALIZAÇÃO DO LEITE DE CABRA PRODUZIDO NO MUNICÍPIO DE CURRAIS NOVOS - RN

ALGUNS ASPECTOS DA CADEIA PRODUTIVA E COMERCIALIZAÇÃO DO LEITE DE CABRA PRODUZIDO NO MUNICÍPIO DE CURRAIS NOVOS - RN

O objetivo deste estudo foi identificar os principais sistemas de produção e canais de comercialização do leite de cabra praticado por pequenos produtores de caprinos no município de Currais Novos – RN durante o período de abril a novembro de 2008. Considera- se produtor de leite caprino, aquela pessoa que desenvolve em sua propriedade rural, atividades relacionadas ao manejo de caprinos para fins de ordenha com objetivo de obter benefícios econômicos Para tanto, um questionário para as ent revistas foi elaborado e aplicado junto a 23 propriedades produtoras de leite. Este questionário contém questões abertas e fechadas sobre aspectos relacionados, principalmente, às instalações dos capris(currais), ao manejo de ordenha, ao tipo de alimentação dos animais, e a produção de leite. Também foi objeto de estudo deste trabalho, as principais formas de comercialização do leite praticadas pelos produtores. Foi constatado que as raças predominantes são do tipo: Saanen, Alpina, Parda Alpina e Toggenburg. Em cada uma das propriedades, o número de caprinos que compunham o rebanho varia de 05 a 100, com uma produção média diária de aproximadamente 25 litros/dia por produtor. O sistema de produção, durante o período de grandes quantidades de volumosos é do tipo semi-intensivo.
Mostrar mais

10 Ler mais

Margem de comercialização do leite em Goiás

Margem de comercialização do leite em Goiás

No Brasil, o processo de comercialização passou por mudanças significativas a partir do Plano Real. Antes dele, eram as padarias as res- ponsáveis por grande parte da venda de leite no varejo, enquanto os laticínios eram responsáveis por ceder o resfriador e fazer as entregas e se responsabilizar por custos provenientes do esto- que de leite não comercializado. Entretanto, com a ampliação do consumo do leite longa vida, os supermercados passaram a comercializar a maior parte do leite produzido, modificando assim o canal de distribuição no varejo e aumen- tando a dificuldade dos pequenos produtores de colocarem seus produtos à venda, uma barreira à entrada de pequenas indústrias de laticínios (MARTINS, 2004).
Mostrar mais

15 Ler mais

Estratégias de relacionamento entre produtores e indústria na comercialização do leite

Estratégias de relacionamento entre produtores e indústria na comercialização do leite

Este trabalho acadêmico versa sobre o tema marketing de relacionamento entre a cooperativa/indústria e os produtores de leite. Procura-se compreender a respeito do papel do agronegócio na cadeia produtiva do leite, a fim de averiguar através da ótica reversa, a percepção do produtor de leite sobre as principais estratégias incorporadas pelas diferentes empresas na fidelização do fornecedor de leite, na comercialização do produto, considerando que cada indústria utiliza a ação competitiva que melhor convém. Com intuito de descobrir esses questionamentos realizou-se uma pesquisa quanti-qualitativa com 80 produtores leite do município de Catuípe/RS. Como resultado deste estudo percebeu-se que o produtor de leite é o elo mais frágil da cadeia e que o principal motivo para este ser fiel á cooperativa/indústria é o preço competitivo e o preço pago pela qualidade do leite.
Mostrar mais

31 Ler mais

Extensão Rural e Políticas Pro-Market: evidências empíricas sobre a produção e comercialização de leite em assentamentos do município de Santana do Livramento/RS

Extensão Rural e Políticas Pro-Market: evidências empíricas sobre a produção e comercialização de leite em assentamentos do município de Santana do Livramento/RS

assentados. De outro lado, argumenta que o maquinário disponibilizado aos produtores por meio da “patrulha agrícola auxilia a produção visto que se refere à preparação do solo, silagem e pastagens”. O serviço tem um custo de R$ 35,00/hora. Para outro técnico entrevistado, da mesma entidade, “os postos de resfriamento do leite hoje [em dia] tem muito e tá bem bom, ajudando na produção”. Para o pesquisador da Unipampa, “pontos de resfriamento praticamente todos têm. O recurso do Incra possibilitou isso, muito via deputados e governo federal. Através da Coperforte e do APL do leite também se consegui recursos”. A entrevistada da Coperforte garante que a cooperativa auxilia a produção com patrulha agrícola, “mais do que a Secretaria [Smapa]”. A representante regional dos assentados apresenta argumento semelhante: “A patrulha agrícola da Smapa é pequena e atende mais os produtores maiores. Atende muito pouco os assentados, usam poucas horas pra assentados”.
Mostrar mais

41 Ler mais

Agricultura familiar em transição agroecológica: um olhar sobre a comercialização de leite e derivados em municípios da Zona da Mata de Minas Gerais

Agricultura familiar em transição agroecológica: um olhar sobre a comercialização de leite e derivados em municípios da Zona da Mata de Minas Gerais

In this sense, we aimed to analyse the limits and possibilities of marketing products of animal origin (milk and dairy products) by family farmers in agroecological transition by dis[r]

7 Ler mais

A dinâmica geoeconômica da comercialização, logística e transporte da cadeia produtiva do leite na região sul do Brasil

A dinâmica geoeconômica da comercialização, logística e transporte da cadeia produtiva do leite na região sul do Brasil

Para o caso da cadeia produtiva do leite, a indústria de laticínios é composta por empresas com volumes de produção diferentes, empresas de laticínios de pequeno, médio e grand[r]

368 Ler mais

Análise do planejamento e gestão de rota de captação e comercialização de leite da CooperSãoLuiz

Análise do planejamento e gestão de rota de captação e comercialização de leite da CooperSãoLuiz

No começo não tinha nada planejado em relação a sua rota de captação de leite, havia apenas um esboço do que pretendia e dificuldades de articular novos associados. Financeiramente começou os trabalhos somente com recursos arrecadados de seus associados, não tendo condições de abrir um escritório próprio por falta de expectativa de coleta. Porém, permanecia buscando experiências de trabalhos em outra cooperativa estruturada a Cooperforte, que abrangia a mesma afinidade produtiva, para tentar elaborar o planejamento de suas ações de coleta de leite. Com sua alta capacidade de coleta em relação as outras cooperativas que continham apenas tanques de 6000 litros enquanto a CooperSãoLuiz de 9000, para tentar sanar esta alta capacidade de coleta, foi planejada uma estrutura de trabalho diferenciado para a busca de sócios, realizando visitas individuais às famílias assentadas da região, tentando demonstrar a importância da cooperativa para os assentados, o que lhes rendeu um aumento significativo no corpo de associados elevando o volume de coleta.
Mostrar mais

52 Ler mais

Estudo de caso: transporte e comercialização de leite no âmbito empresarial

Estudo de caso: transporte e comercialização de leite no âmbito empresarial

A mastite carateriza-se por uma inflamação do parênquima da glândula mamária e é normalmente causada pelo desenvolvimento de bactérias no interior da glândula. A mastite pode apresentar-se sob uma forma clínica, com sintomas facilmente detetáveis, ou sob uma forma subclínica, que frequentemente passa despercebida aos produtores. È causadora de alterações químicas e físicas no leite, acompanhadas por alterações patológicas no tecido glandular (Blowey e Edmondson,1999; Smith, 2009). Uma vez que um microrganismo se tenha instalado na glândula mamária, este alimenta-se dos componentes do leite e multiplica-se, atingindo números muito elevados. Como resultado da inflamação, as paredes dos vasos sanguíneos tornam-se dilatadas e outras substâncias do sangue também passam para o leite. Entre estas estão os iões de cloro e sódio, que deixam o leite com sabor salgado, e algumas enzimas que causam alterações na proteína e na gordura. Devido às lesões do tecido mamário, causadas por toxinas e outras substâncias produzidas por este processo, as células secretoras tornam-se menos eficientes, isto é, com menor capacidade para produzir e excretar leite. Estas mesmas substâncias atraem leucócitos (células somáticas) do sangue para o leite, acabando por destruir os microrganismos invasores. Ocorre também a morte das células e a libertação de enzimas dentro da glândula, que contribuem para agravar o processo inflamatório.
Mostrar mais

85 Ler mais

Produção e comercialização do leite fornecido pela agricultura familiar em Cajazeiras-PB.

Produção e comercialização do leite fornecido pela agricultura familiar em Cajazeiras-PB.

Foi aplicado o check list no momento da coleta do produto, através da observação do ambiente e condições neles inerentes, e perguntas conduzidas ao proprietário do comercio, incluindo os pontos de instalações, manejo do produto, higienização e transporte do leite. Para a análise de conteúdo, foram adotados critérios, quais sejam: objetividade - o item permite resposta pontual; clareza - o item deve ser inteligível para todos os estratos do estabelecimento-meta; variedade - os itens variam de forma a não provocarem duplicidade nas respostas; simplicidade - o item expressa uma única ideia; relevância - deve ser descrito de forma pertinente. Visando auxiliar na comparação entre os resultados e os atributos do local avaliado.
Mostrar mais

41 Ler mais

Promoção e Apoio à Comercialização

Promoção e Apoio à Comercialização

É necessário observar que nem todos os municípios de uma região são, necessariamente, turísticos, ou seja, nem todos são dotados de potencial relevante para o turismo. Há municípios que apresentam outras vocações econômicas, e são nessas atividades que seu desenvolvimento deve estar focado. O que se propõe no Programa de Regionalização do Turismo – Roteiros do Brasil, é que estes municípios participem do planejamento regional e busquem sua agregação no processo de desenvolvimento do turismo, por meio de suas peculiaridades. Por exemplo, um município que se desenvolve por meio da agropecuária, se fornecer leite, queijo, carne, couro etc. poderá integrar-se à rede de desenvolvimento regional transformando-se em uma unidade de apoio ao município vizinho que tem como atividade econômica predominante o turismo.
Mostrar mais

72 Ler mais

Negociação, comercialização e transferência de tecnologia

Negociação, comercialização e transferência de tecnologia

Quais são os suportes organizacionais para implementar a mudan- ça (desejo forte para melhores resultados, líderes de opinião identifi- cados, financiamento disponível)?. Desejo forte pa[r]

48 Ler mais

Direito dos animais e sua comercialização no Brasil

Direito dos animais e sua comercialização no Brasil

As pessoas devem mudar seu comportamento em relação aos tratos e comercialização dos animais para estarem de acordo com a lei? A lei deve promover o bem-estar animal associado à sua comercialização? Por fim, os animais devem realmente ter direitos legais? Para responder a essas perguntas, precisa-se recuar um pouco na moral coletiva, na medida em que muitas pessoas pensam que a própria ideia de direitos dos animais é implausível. Por isso, o objetivo geral é relacionar o comportamento das pessoas das pessoas em relação aos tratos e comercialização dos animais de estimação ou não com as leis que promovem o bem-estar animal associado à sua comercialização no Brasil. Para isto leva-se a cabo uma discussão que se direciona para a intensidade do debate, demonstrando que quase todo mundo acredita nos direitos dos animais, pelo menos em um sentido mínimo e dá-se uma noção clara da configuração do terreno, objetivando mostrar o leque de posições possíveis e explorar quais questões separam pessoas razoáveis, tentando fornecer uma espécie de cartilha para os debates, ao final. Além disso, o estudo busca defender uma posição específica sobre os direitos dos animais, que, condizente com a de Jeremy Bentham, colocando os holofotes diretamente nas questões de sofrimento e bem-estar animal, mesmo na comercialização, e verificar no sistema legal brasileiro os posicionamentos condizentes com a visão de Jeremy Bentham, como enxerga e se protege os animais efetivamente em termos de combate aos maus-tratos e crueldades através de algumas jurisprudências dos tribunais brasileiros..
Mostrar mais

67 Ler mais

Comercialização agrícola no estado de Sergipe

Comercialização agrícola no estado de Sergipe

Este estudo da comercialização agrícola de Sergipe analisa as suas bases, estruturas e importância, a partir da identificação dos principais produtos importados e exportados, que se destinam ao abastecimento dos mercados. Nesse sentido, foram adotados os princípios da pesquisa direta e indireta que contou com o levantamento de dados censitários e de campo, seguido de extensa prospecção bibliográfica, visitas a dezenas de feiras e entrevistas com profissionais, gestores, produtores, intermediários e os consumidores. Em Sergipe, a comercialização agrícola apresenta múltiplas formas, com ênfase no comércio varejista de Aracaju e o atacadista de Itabaiana. O comércio agrícola informal predomina, com destaque para as feiras que compõem o principal canal da venda de hortifrutigranjeiros, presente em 98,6% dos municípios sergipanos. A comercialização ocorre de forma difusa e ambivalente, já se observando a ocorrência de mudanças, sobretudo através dos produtores hidropônicos e orgânicos, cujo corolário, se completa com as diversas cadeias de distribuição e a comercialização realizada nos perímetros irrigados. A cristalização da comercialização se dá com a venda dos principais produtos agrícolas que constituem importante elo entre o mercado interno e o externo, enquanto o alcance espacial dos produtos é diferenciado em suas cadeias. A comercialização agrícola é uma atividade econômica fundamental que proporciona a integração dos mercados de forma multilateral e ganha respaldo nas mudanças decorrentes da globalização que requer ajustes dos agentes envolvidos e prima pela competitividade diante dos novos desafios.
Mostrar mais

194 Ler mais

Estratégias de comercialização para agricultura familiar

Estratégias de comercialização para agricultura familiar

A agricultura familiar possui importância na geração de emprego rural e na produção de alimentos, que são principalmente voltados para o abastecimento interno e para o próprio consumo dos produtores e suas famílias, tendo em vista sua menor escala e a pequena incorporação tecnológica. Entretanto, se torna necessário salientar que a produção familiar, além de ser um fator que ajuda a reduzir o êxodo rural, ele é fonte de recursos para as famílias que possuem menores condições e também contribui expressivamente para a geração de recursos, considerando a economia não só do setor agropecuário, mas do próprio país. Através de observações realizadas sobre a vida dos agricultores familiar locais, percebeu-se que eles vêm encontrando serias dificuldades no que se refere ao desenvolvimento de alternativas tecnológicas para a produção e o acesso a novos canais de comercialização. A partir disso, as políticas públicas que foram implantadas no primeiro governo Lula (2002), como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) surgem como importantes mercados institucionais no que se refere à ampliação dos canais de comercialização para os produtos dos assentados. Em vista disso, foi realizado um trabalho de campo para análise do assentamento Che Guevara em Campos dos Goytacazes acerca das estratégias e mecanismos utilizados pelos agricultores familiares para sua reprodução social dentro do próprio lote, juntamente com uma análise sobre o Projeto Cesta Sabores da Terra, organizado pelo Núcleo de Estudos Rurais e Urbanos (NERU) como um possível mercado institucional para os agricultores locais. Dessa forma pode-se observar que os agricultores familiares locais ainda necessitam de políticas que estimulem a comercialização de seus produtos ou de projetos como feiras locais ou grupos de consumo responsável que podem trabalhar junto com as universidades locais como forma de criar novos circuitos curtos de comercialização no município.
Mostrar mais

68 Ler mais

Camisetas personalizadas: da comunicação a comercialização

Camisetas personalizadas: da comunicação a comercialização

Este trabalho tem por objetivo estudar empresas atuantes neste mercado, que é a representação da moda através do uso de camisetas personalizadas, avaliando as formas de comunicação e est[r]

49 Ler mais

Show all 4796 documents...