Ligas Fe-Mn-Al

Top PDF Ligas Fe-Mn-Al:

Investigação das características de superplasticidade de um aço do sistema Fe-Mn-Al

Investigação das características de superplasticidade de um aço do sistema Fe-Mn-Al

As transformações de fase, durante os processos de resfriamento, tem sido bastante estudadas recentemente em aços da liga Fe-Mn-Al, com bastante atenção ao processo de formação da fase austenítica [56], sendo bem conhecido em aços desta liga que o Mn e Al atuam como elementos formadores respectivamente de austenita e ferrita. As maiores proporções de Mn provocam o aparecimento de maiores proporções de fase austenítica a baixas temperaturas. As ligas deste aço na temperatura de 900°C, numa faixa proporcional de componentes 20 a 30%Mn(% peso) e 5 a 20%Al (% peso), nas quais se enquadra o aço de liga Fe-Mn-Al estudado neste trabalho, são compostos de fases ferrita e austenita. Algumas são de uma única fase ferrita ou austenita, outras são de duas fases. As ligas Fe-Mn-Al que contenham baixa concentração de Al (na liga estudada neste trabalho 6,5% Al) e alta concentração de Mn ( neste trabalho com 24,5%Mn) pode ser observado mesmo a temperatura ambiente uma fase completamente austenítica [56]. A Figura 4.18 mostra os resultado dos estudos de recristalização e crescimento de grão indicados nos gráfico de dureza em função do tempo de tratamento, e gráfico de dureza em função da temperatura de tratamento. A Figura 4.18(a) apresenta as curvas de dureza x tempo de tratamento para os vários níveis de temperatura, e na Figura 4.18(b) os mesmos resultados dos tratamentos, são apresentados através da relação dureza x temperatura, para os vários níveis de tempo, do aço Fe-Mn-Al na condição SL, mostram que a dureza HV10 vai decrescendo com o passar do tempo de tratamento e com o aumento da temperatura, entre 600 e 1000ºC.
Mostrar mais

295 Ler mais

Caracterização da resistência à corrosão de ligas inoxidáveis Fe-Mn-Si-Cr-Ni-(Co) com efeito de memória de forma

Caracterização da resistência à corrosão de ligas inoxidáveis Fe-Mn-Si-Cr-Ni-(Co) com efeito de memória de forma

entanto, a liga A apresenta o ataque mais acentuado, com um ataque significativo nas interfaces metal – inclusões de óxido, provavelmente devido à segregação preferencial de impurezas nestes locais [48]. Um ataque mais leve foi observado na liga C, seguido pela liga B. O aço inoxidável AISI 304 exibiu o ataque mais severo, que ocorreu preferencialmente nos contornos de grãos. Considerando que o aço inoxidável AISI 304 está na condição solubilizado e que possui um teor de Si baixo (0,39% em peso), esta forma de corrosão intergranular não está associada à sensitização, mas pode ser atribuída à segregação de Si nos contornos de grão e da resultante formação de sítios ativos. Por outro lado, a ausência de ataque intergranular nas ligas com EMF, que contém um teor de Si relativamente elevado (~ 5% em peso), pode ser atribuída à distribuição homogênea do Si na matriz e ao conseqüente comportamento eletroquímico similar das faces e dos contornos de grãos. Essas suposições são suportadas pelos estudos de Robin et al. [87], Mayuzumi et al.[107] e Kasparova [108], que observaram que o teor de Si e a sua
Mostrar mais

162 Ler mais

Estudo das reações no sistema 'CU'-'AL'-'AG'-'MN'

Estudo das reações no sistema 'CU'-'AL'-'AG'-'MN'

As ligas de Cu-Al-Mn apresentam boa recuperação pelo efeito memória de forma e boa super-elasticidade. Porém, para algumas aplicações práticas como dispositivos controladores de sistemas (“actuators”) ou como componentes automotivos, é necessário que se consiga uma melhoria nessas propriedades, para que se obtenha temperaturas mais elevadas de transformação combinadas com um bom efeito memória de forma e super-elasticidade. Estudos recentes em ligas com efeito memória de forma dos sistemas Cu-Al-Ni, Cu-Zn-Al e Ni-Al mostraram que adições de pequenas quantidades de outros elementos de liga têm um efeito predominante nas características de memória de forma dessas ligas. Não existem muitos trabalhos sobre o efeito de elementos quaternários nas características de memória de forma das ligas do sistema Cu-Al-Mn. O limite de solubilidade dos elementos de liga no cobre varia com a temperatura e, dependendo da solubilidade desses elementos na matriz, diferentes soluções sólidas ou compostos intermetálicos são formados. Os elementos Zn e Ni tem boa solubilidade no cobre, formando soluções sólidas em um amplo intervalo de composições. A solubilidade dos elementos Fe, Sn, Pb, Ti e Cr no cobre varia de 1 a 15% (m/m) em altas temperaturas, enquanto diminui até quase zero na temperatura ambiente e esta variação na solubilidade leva à formação de compostos intermetálicos. A formação desses compostos muda a composição da liga-mãe Cu-Al-Mn, levando a uma mudança nas temperaturas de transformação da liga. Assim, as temperaturas de transformação da liga ternária mudam com a variação das adições quaternárias. Para uma liga Cu-12,5%Al-5%Mn, os elementos Zn e Ni são completamente solúveis no cobre, formando solução sólida e aumentam as temperaturas de transformação devido a um endurecimento por solução sólida. Os elementos Fe, Cr, Ti, Si e Mg diminuem as temperaturas de transformação (a temperatura Ms diminui em torno de 15 o C) devido à formação de finas partículas de precipitado, que modificam a composição da
Mostrar mais

160 Ler mais

Efeito dos teores de Mn e de Fe na evolução microestrutural de duas ligas do sistema Al-Fe-Mn-Si obtidas por fundição contínua de chapas (Twin Roll Caster).

Efeito dos teores de Mn e de Fe na evolução microestrutural de duas ligas do sistema Al-Fe-Mn-Si obtidas por fundição contínua de chapas (Twin Roll Caster).

O uso da tecnologia denominada de “twin roll caster” para produzir laminados de alumínio, que, nesse trabalho, será denominado apenas por caster, começou a crescer nos anos 70 e hoje contribui, significativamente, na manufatura de pro- dutos laminados de alumínio. A grande vantagem do caster é converter o metal fundido diretamente em chapa bobinada, pronta para laminação a frio, eliminando, assim, as operações associadas ao tradicional método de vazamento de placas D.C. (“Direct Chill”), que requer posterior laminação a quente (Birol et al., 2002). Os estudos da microestrutura, aliados às respec- tivas medidas de condutividade elétrica, poderão propiciar uma otimização dos processos já estabelecidos industrialmente, além de proporcionar mais conhecimentos para a utilização desses produtos em aplicações de estampagem (Essadiqui et al., 1990).
Mostrar mais

5 Ler mais

CHRISTIAN PHILIPE RODRIGUES OLIVEIRA EFEITOS DA VARIAÇÃO DOS TEORES DE NÍQUEL E MOLIBDÊNIO EM LIGAS DE FE-NI-MO OBTIDAS POR METALURGIA DO PÓ

CHRISTIAN PHILIPE RODRIGUES OLIVEIRA EFEITOS DA VARIAÇÃO DOS TEORES DE NÍQUEL E MOLIBDÊNIO EM LIGAS DE FE-NI-MO OBTIDAS POR METALURGIA DO PÓ

Atualmente, os implantes cirúrgicos são normalmente recobertos com liga porosa (à base de Co-Ti), o que permite ao tecido ósseo penetrar nesses poros e assegurar uma boa ligação com o implante. Também podem ser produtos obtidos por sinterização os discos de freio, embreagens, contatos elétricos, ligas magnéticas e peças mecânicas fabricadas em ligas de Ferro, utilizadas em engrenagens do eixo de comando e do virabrequim, garfos, buchas da junta homocinética, anéis sincronizadores, cubo- polia da bomba d’água, amortecedores, pistão, corpo e guia da válvula, caixa de câmbio, etc. (MORO; AURAS, 2007)
Mostrar mais

70 Ler mais

Determinação de minerais em café cru.

Determinação de minerais em café cru.

Para se avaliar os resultados obtidos quanto a con- centração de minerais nas amostras procedentes das diferentes regiões dos Estados de SP, MG e BA e com diferentes formas de processamento das amostras, os resultados discrepantes ou outliers foram eliminados uti- lizando-se o Esquema dos Cinco Números [1], um mé- todo estatístico que estipula medidas resistentes de po- sição de uma distribuição de dados e verificou-se que a composição mineral do grão das amostras de café cru, em relação aos elementos analisados (Al, Ba, Ca, Co, Cu, Fe, K, Mg, Mn, Ni, P e Zn), independentemente do modo de preparo ou da região em que foram colhidas, as amostras possuem predominantemente o elemento K (≅ 1,52%), sendo este seu principal macroelemento, visto que os outros estão em quantidades bem inferio- res (Ca ≅ 0,13%, Mg ≅ 0,18% e P ≅ 0,15%) e os microe- lementos analisados representam apenas 0,01% desta composição. Dentre os microelementos analisados, po- demos classificá-los nesta ordem decrescente de abun- dância: Fe ≅ 0,005%, Mn ≅ 0,003%, Cu ≅ 0,001%, Al ≅ 0,001%, Ba ≅ 0,0006%, Zn ≅ 0,0006%, Ni ≅ 0,0003% e Co ≅ 0,00002%.
Mostrar mais

5 Ler mais

Relação de Zn, Fe, Cu e Mn entre solo e progênies de erva-mate.

Relação de Zn, Fe, Cu e Mn entre solo e progênies de erva-mate.

os resultados foram ajustados em equações de regressão, com auxílio do programa Excel, tendo como variável dependente o teor do micronutriente nas folhas relacionado ao disponível no solo. O coeficiente de determinação (R2) foi considerado quando ≥ a 0,55 (STEEL; TORRIE, 1960). As análises químicas dos teores foliares totais dos micronutrientes Zn, Fe, Cu e Mn foram realizadas após incineração em mufla a 500°C (HILDEBRAND et al., 1977; JONES; CASE, 1990) e solubilização em HCl 3 mol L-1 (MARTINS; REISSMANN, 2007). Os micronutrientes no solo foram extraídos por Mehlich-1 (1:10) com agitação por 10 minutos, deixados em repouso por 16 horas, conforme Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA (1997) e por meio de solução aquosa de Na 2 EDTA.2H 2 O a 1%, com agitação por 120 minutos em agitador circular horizontal, seguido de repouso por uma noite, adaptado de Brown et al. (1971). As leituras foram realizadas por espectrofotometria de absorção atômica.
Mostrar mais

8 Ler mais

Influência do teor de Mo na microestrutura de ligas Fe-9Cr-xMo.

Influência do teor de Mo na microestrutura de ligas Fe-9Cr-xMo.

A im de melhor caracterizar as possíveis fases presentes nas ligas E1, E2 e E3 foram levantados os diagramas de fases com base nos elementos presentes (Tabela 1). Como está mostrado na Figura 4 é possível veriicar que as ligas estudadas, dependendo das condições de temperatura a que sejam submetidas, poderão exibir a presença das fases chi c), mu (m) e sigma (s). De acordo com a Figura 4 a fase chi (c) é formada antes das fases mu (m), e sigma (s), conforme já havia sido observado por Park [14], observa-se ainda a presença da fase ferrítica, característica destas ligas. Veriica-se também a possibilidade de formação de carbonetos do tipo M 6 C e M 23 C 6 para as três ligas, além da presença da fase austenítica para a liga com menor teor de molibdênio (E1, Figura 4a), o que não acontece para as liga E2 e E3 (Figura 4b e Figura 4c). É importante ressaltar que havendo a austenitização da liga E1, um resfriamento rápido poderá resultar na formação da fase martensítica, que pode ser prejudicial às propriedades do material.
Mostrar mais

11 Ler mais

Aided Phytostabilization of Mine Waste

Aided Phytostabilization of Mine Waste

geochemical dynamics of the mine waste. The tailings have low sulfide (1.7% pyrite equivalent) and carbonate (1.4% calcite equivalent) contents and were stratified into three distinct zones: a surface (0-70-80 cm) ‘oxidation zone’ characterized by low-pH (2.5–4), a ‘neutralization zone’ (70–80 to 300–400 cm) and an unaltered ‘primary zone’ below 400 cm. Microbial biomass was greatest in the top 125 cm of the tailings, and the largest numbers of bacteria (10 9 g -1 dry weight of tailings) were found at the oxidation front (the junction between the oxidation and neutralization zones), and the dominant iron-/sulfuroxidizing bacteria identified at the oxidation front included bacteria of the genus Leptospirillum, and Gram-positive iron-oxidizing acidophiles related to Sulfobacillus (Diaby et al., 2007). Nevertheless, even under extremely acid mine soils, contaminated after receiving AMD (or produced by bacteria on soil), aided phytostabilization with tolerant plant species can offer an effective method of control of pollution, as well as enhance soil properties in mine wastes soils. Two amendments, lime and chicken manure, and five tolerant plant species (Cynodon dactylon L., Pennisetum purpureum, Neyraudia reynaudiana (Kunth.) Keng., Panicum repens L. and the non-native Eucalyptus robusta Smith) were tested in a 2 ha remediation trial site at Dabaoshan Pyrite Mine (China) and the plants show metal and acid tolerance, resulting in a rapid and effective revegetation of this metalliferous and sulphide-bearing mine wasteland, providing also a well-developed vegetation cover within the two year period of the study, enhancing nutrient accumulation in the mine soil (Yang et al., 2016). Moreover, soil physicochemical factors can also be determinant of the compositional variation of pioneer vegetal species on abandoned tailing dumps (Ginocchio et al., 2017).
Mostrar mais

23 Ler mais

CAPÍTULO I - INTRODUÇÃO I.1 - APRESENTAÇÃO

CAPÍTULO I - INTRODUÇÃO I.1 - APRESENTAÇÃO

- fotointerpretação sobre aerofotos, originalmente em escala 1:40.000 (vôo SA-558; Serviços Aerofotogramétricos Cruzeiro do Sul S.A., 1977), ampliadas para 1:25.000 e localização, em mapa de mesma escala, dos afloramentos descritos por Freitas-Silva & Pereira (1987); Lagoeiro & Menegasse (1987); Silva et al. (1987) e Brandani & Costa (2004); com vistas à seleção de perfis de campo, e como apoio à elaboração do mapa geológico compilado (escala 1:100.000). A base cartográfica utilizada durante o desenvolvimento do trabalho foi a Folha Jenipapo (SE-23-X-D-III), impressa pelo IBGE em 1983. Imagens TM-LANDSAT 5, em escala 1:100.000 (banda 4, 1987 e 1988), auxiliaram a etapa de seleção dos perfis e compilação geológica;
Mostrar mais

8 Ler mais

Influência do Aterro Municipal de Manaus sobre as águas superficiais da circunvizinhança: um enfoque ao estudo de metais pesados

Influência do Aterro Municipal de Manaus sobre as águas superficiais da circunvizinhança: um enfoque ao estudo de metais pesados

This study analyzed the concentrations of heavy metals (Al, Ba, Cd, Co, Cr, Cu, Fe, Mn, Ni, Pb, and Zn) by Flame Atomic Absorption Spectrometry (FAAS) and physico- chemical variable (pH, electric conductivity, and temperature) in situ in surface water samples located around the neighborhood of Manaus Municipal Landfill and leachate. Water and leachate samples were collected in rainy and dry season with aim to verify the anthropogenic influence on hydric system comprised by Matrinxã, Aracu, Acará, and Bolívia Igarapés (narrower water channels). The results were obtained submitted to two exploratory statistical analyses: Principal Component Analysis (PCA) and Hierarchical Analysis (HCA). The findings indicated heavy metal concentrations distinct according to season and element. PCA revealed meaningful correlations among Al, Cd, Fe, Mn, Ni, and Pb and Zn and Co. The HCA and PCA showed that the characteristics of the hydric system are similar to leachate in dry season.
Mostrar mais

9 Ler mais

Análise espacial e quimiométrica da distribuição de espécies metálicas em solos alagáveis e não alagáveis da Bacia do Médio Rio Negro, Amazônia

Análise espacial e quimiométrica da distribuição de espécies metálicas em solos alagáveis e não alagáveis da Bacia do Médio Rio Negro, Amazônia

As concentrações das espécies metálicas (Fe, Zn, Cr, Cu, Mn, Cd, Al e Pb) determinadas nas amostras de solos coletados na Bacia do Médio Rio Negro – AM (Tabela 2) mostraram que, de maneira geral, as maiores concentrações das espécies metálicas foram obtidas em solos de regiões alagáveis. Provavelmente, isso se deve ao fato que essas regiões ficam submersas durante longos períodos de tempo e, consequentemente, ficam menos disponíveis para que ocorram reações na interface solo/atmosfera, possuindo tempo suficiente para rearranjos intra e/ou intermoleculares das espécies metálicas com complexantes orgânicos naturais presentes nos solos, tais como as substâncias húmicas.
Mostrar mais

6 Ler mais

Repositório Institucional da UFPA: Efeito de adições de Ni e Mg sobre o comportamento térmico, mecânico e elétrico de ligas Al-Cu-Fe solidificadas unidirecionalmente

Repositório Institucional da UFPA: Efeito de adições de Ni e Mg sobre o comportamento térmico, mecânico e elétrico de ligas Al-Cu-Fe solidificadas unidirecionalmente

A eletricidade é transmitida das unidades geradoras até as unidades de medição, utilizando quase que exclusivamente condutores de alumínio. Estes condutores são utilizados em linhas de transmissão, cabos isolados ou nus, para uso em redes de alta tensão, linhas de transmissão secundária e aplicações residenciais ou comerciais (ABAL, 2011). Tais condutores são utilizados por quase 100 anos e apenas uma libra de alumínio iguala a capacidade de condução de corrente de duas libras de cobre, o que permite linhas de transmissão com a metade de estruturas de apoio para estes condutores leves (THE ALUMINUM ASSOCIATION, 2012a). No Brasil, o sistema elétrico teve uma expansão concentrada especialmente na geração de energia por hidrelétricas, associada a uma malha de transmissão que alcança as subestações próximas a grandes pontos de consumo, como empresas ou centros urbanos. A partir deste ponto, as concessionárias montam sua malha de sub-transmissão e distribuição até seus consumidores. Como os custos de novas linhas de transmissão são especialmente elevados, é de importância primordial desenvolver técnicas que permitam elevação na capacidade de transporte a custos mais baixos, de forma a maximizar a energia transportada por área ocupada pelos cabos. Grande parte dos investimentos neste setor ocorreu em empresas ligadas à esfera estadual ou federal, as quais, com início dos processos de privatização, afloraram definitivamente a competitividade do setor (Régis et al., 1999).
Mostrar mais

112 Ler mais

Cr, Cd, Fe, Mn e Zn dos Sedimentos Superficiais do Rio Capivara / Cr, Cd, Fe, Mn and Zn of the Superficial Sediments of the Capivara River

Cr, Cd, Fe, Mn e Zn dos Sedimentos Superficiais do Rio Capivara / Cr, Cd, Fe, Mn and Zn of the Superficial Sediments of the Capivara River

concluir que, de modo geral, os impactos dos metais Mn, Cr, Cd e Zn nos sedimentos são baixos. Isto mostra que o nível de contaminação metálica nos sedimentos do Rio Capivara muito provavelmente não seja significativo e prejudicial em relação aos metais citados. No entanto, recomenda-se o controle ambiental periódico para monitorar os metais e prevenir possíveis contaminações químicas nos rios próximos de indústrias e de um grande contingente populacional.

9 Ler mais

Estudo químico de chás de folhas de sabugueiro (Sambucus australis) / Chemical study of elderberry tea (Sambucus australis)

Estudo químico de chás de folhas de sabugueiro (Sambucus australis) / Chemical study of elderberry tea (Sambucus australis)

O Al ingerido em uma xícara de chá de folhas de sabugueiro (S. australis) está entre 0,06 mg e 0,18 mg, valores esses inferiores ao recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS, 1997), que é de 0,20 mg por dia. Todavia, percebe-se que um consumo de mais de uma xícara por dia de infusões preparadas a partir da maioria das amostras levaria a um consumo superior ao recomendado. Há inúmeros trabalhos indicando efeitos adversos e patologias associadas ao alumínio, sendo que o consumo de chá com elevados teores deste metal pode levar a hepatotoxidade. Também em pacientes renais, os efeitos adversos da presença de Al foram investigados, e anemia, doença óssea e encefalopactia de diálise são complicações mais frequentemente relatadas como sendo associadas a exposição ao Al (PEREIRA, 2012).
Mostrar mais

16 Ler mais

Efeito da adição de Zr no endurecimento de ligas Al-Sc

Efeito da adição de Zr no endurecimento de ligas Al-Sc

As ligas de Alumínio (Al) apresentam uma combinação de propriedades mecânicas e físicas que as tornam adequadas para aplicações em todas as áreas industriais com particular destaque para a indústria dos transportes. Contudo uma das limitações da maioria das ligas de Al é a baixa temperatura máxima de trabalho (permitida cerca de 200 ºC). Uma abordagem promissora (e potencialmente competitiva) para melhorar o desempenho das ligas de Al a altas temperaturas (250 ºC - 350 ºC) consiste na adição de elementos de liga com baixa solubilidade ou totalmente insolúveis, que permitam a formação de partículas de segunda fase (SPP) termicamente estáveis na matriz de Al. O escândio (Sc) consagrou-se assim, um elemento extremamente promissor para o aumento da resistência mecânica e uma afinação significativa da estrutura de solidificação nas ligas de Al. Uma pequena adição de Sc pode promover um aumento até 40% da resistência mecânica de algumas ligas de Al, bem como o aumento de cerca de 100 ºC da temperatura de trabalho. Porém este elemento apresenta um elevado custo e é relativamente escasso. A substituição parcial do Sc pelo zircónio (Zr), que apresenta uma solubilidade no Al ainda mais baixa e permite obter propriedades semelhantes às ligas Al-Sc a um baixo custo de produção, pode ser a solução para ultrapassar as limitações do Sc. A combinação Sc e Zr nas ligas de Al conduz a uma melhoria da resistência mecânica tanto à temperatura ambiente como a altas temperaturas e aumenta a estabilidade térmica das ligas, comparativamente com as ligas Al-Sc.
Mostrar mais

67 Ler mais

Caracterização de ligas hipereutéticas de Al-Ni solidificadas unidirecionalmente

Caracterização de ligas hipereutéticas de Al-Ni solidificadas unidirecionalmente

O alumínio é o metal não-ferroso mais consumido do mundo, devido à suas propriedades, como baixa densidade, alta resistência à corrosão, alta condutibilidade térmica e elétrica, boa tenacidade, alta resistência a baixas temperaturas e excelente conformidade, entretanto, sua baixa resistência mecânica torna-se um limitador de suas aplicações. A adição de elementos de liga, como o níquel, tende a melhorar suas propriedades mecânicas, deixando-o atrativo para as mais diversas indústrias como a aeroespacial, a automotiva e a bélica. As ligas de alumínio-níquel, assim como os demais materiais fundidos, dependem do processo de solidificação para desenvolverem estruturas que atendam às exigências das indústrias. A evolução da microestrutura durante a solidificação não é afetado somente pelo teor de soluto mas também por variáveis que controlam o processo, tais como velocidade de solidificação, taxa de resfriamento e gradiente térmico. Desta forma, a cinética da solidificação pode influenciar de forma significativamente a estrutura final e como consequência, suas propriedades mecânicas. Diante disto, este trabalho buscou relacionar as variáveis térmicas da solidificação com os parâmetros microestruturais das ligas Al-8,5%Ni e Al-9%Ni produzidas em dispositivo de solidificação unidirecional vertical ascendente e verificou a influência do teor de níquel nas propriedades mecânicas através da realização de ensaio mecânico não destrutivo.
Mostrar mais

103 Ler mais

Preparação metalográfica de ligas fe-ni-c com estruturas austenítica e martensítica

Preparação metalográfica de ligas fe-ni-c com estruturas austenítica e martensítica

Para tanto, as amostras foram laminadas a frio até uma redução na espessura de aproximadamente 33% e em seguida homogeneizadas por 48 h em 1150°C em um forno tubular resistivo após encapsulamento em vácuo em tubos de quartzo. Em seguida, com a finalidade de se obter uma estrutura martensítica, algumas amostras da liga Fe-31Ni-0,02C foram temperadas em nitrogênio liquido (-196°C) por tempo suficiente para promover o equilíbrio térmico de toda a amostra com o meio de resfriamento.

17 Ler mais

Matéria (Rio J.)  vol.21 número3

Matéria (Rio J.) vol.21 número3

técnicas de espectrometria de emissão óptica e espectrometria de energia dispersiva (EDS). O método utili- zado para medir os tamanhos de grão foi o do intercepto, através de uma lupa estereoscópica. Os resultados foram comparados com os do refinador convencional Al-5Ti-1B. A liga alumínio-silício utilizada foi a Al- 11Si-0,1Mg, comum na produção de rodas automotivas. A liga Al-4B com 100% de partículas AlB 2 apresen-

10 Ler mais

Show all 10000 documents...