Mato Grosso

Top PDF Mato Grosso:

Arquitetura moderna em Mato Grosso: diálogos, contrastes e conflitos

Arquitetura moderna em Mato Grosso: diálogos, contrastes e conflitos

A pesquisa procura mapear e analisar as obras arquitetônicas que marcaram a modernização do território do Estado de Mato Grosso, à luz das suas particularidades históricas e geográficas. A problemática refere-se aos casos de enfrentamento, nas paisagens urbanas locais, entre linguagens novas e antigas, forâneas e locais, eruditas e populares, sintomas do processo de modernização conflitual que se abateu sobre Mato Grosso em fins da década de 1950 e persiste até o presente. Como esses antagonismos deitam raízes profundas no passado, a decodificação de seus reflexos na arquitetura depende de uma história de longa duração. O arco temporal recua a 1914, quando a ferrovia e o telégrafo interligaram o antigo território de Mato Grosso ao restante do país, embora a ênfase esteja no período de contrastes, ainda vigente, anunciado pela construção do moderno Palácio Alencastro (1959) no centro histórico de Cuiabá. Focado nas obras construídas dentro das atuais fronteiras políticas do Estado, o trabalho faz referências à arquitetura situada na região de Mato Grosso do Sul, emancipada em 1977, para melhor caracterizar a produção do território remanescente. O estudo concentra-se nos trabalhos de caráter erudito, de modo a realçar seus efeitos sobre as práticas construtivas populares e o tecido tradicional das cidades locais. Os levantamentos de campo demandaram viagens de reconhecimento a 50 municípios espalhados por seis regiões de Mato Grosso, com o propósito de identificar a produção, reconhecer e selecionar as obras, entrevistar os profissionais responsáveis por sua concepção, execução ou conservação. Cerca de 40 obras ganham destaque na pesquisa por terem respondido de modo especialmente significativo aos desafios gerados pelo avanço das fronteiras capitalistas em direção à Amazônia, adaptando inovações técnicas e formais às condições específicas do território mato-grossense. A análise dessas obras aponta para a possibilidade de conciliação das categorias antitéticas que ainda polarizam o panorama arquitetônico mato-grossense. A permeabilidade às referências externas e ao debate internacional não se traduziu, necessariamente, em obras indiferentes às particularidades da paisagem local nem incompatíveis com as preexistências do entorno. Pelo contrário, as obras que modernizaram a cultura arquitetônica de Mato Grosso descortinaram novas formas de diálogo com seu patrimônio histórico e ambiental.
Mostrar mais

456 Ler mais

Surto de doença transmitida por alimento em evento de massa de populações indígenas em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, no ano de 2013.

Surto de doença transmitida por alimento em evento de massa de populações indígenas em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil, no ano de 2013.

Objective: to report the experience of investigating the outbreak of acute diarrhoea (AD) at the XII Indigenous Games in Cuiabá, Mato Grosso, Brazil, 2013. Methods: data were collected from the Advanced Medical Post's service records of the AD cases, which were defined as ‘individual Games participant referring episode of diarrhoea and/or vomiting’; AD attack rates, relative frequencies and measures of the central tendency of sociodemographic and clinical variables, sanitary inspections and results of bromatological samples were calculated. Results: 384 (37%) cases met the definition of AD; the epidemic peaks of the outbreak occurred on the 4th and 7th day of the event and the disease attack rate was 33.5%; sanitary inspection showed evidence of food contamination by coagulase-negative Staphylococci, Bacillus cereus and heat resistant coliforms. Conclusion: there an outbreak of AD caused by food contamination.
Mostrar mais

8 Ler mais

Novos registros de Nitella (Chlorophyta, Characeae) para regiões dos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Brasil.

Novos registros de Nitella (Chlorophyta, Characeae) para regiões dos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Brasil.

Primeiro registro da espécie para o Estado de Mato Grosso. Em relação aos espécimes examinados no presente trabalho, alguns gametângios femininos apresentaram corônula decídua (CPAP18677), concordando com uma das características diagnósticas da espécie segundo Wood & Imahori (1965). No presente trabalho, as variações métricas ampliaram os limites do comprimento do râmulo verticilado fértil de 1-2 mm para 1-6(-7) mm. A unidade amostral CPAP10411 ampliou os limites inferiores do comprimento (333 µm) e do diâmetro (266,6 µm) da núcula e os maiores valores do comprimento dos dáctilos (5660 µm), quando comparados com Picelli-Vicentim et al. (2004).
Mostrar mais

12 Ler mais

Checklist dos Siphonaptera do Estado do Mato Grosso do Sul

Checklist dos Siphonaptera do Estado do Mato Grosso do Sul

sobre o número de espécies que deve ocorrer no estado do Mato Grosso do Sul, isto é fundamental. Neste sentido, os dados apresentados na Tabela III referem-se à ocorrência simultânea de duas ou mais espécies de pulgas nos estados e países limítrofes, sinalizando a possibilidade de seu achado no estado do Mato Grosso do Sul. A seguinte quantificação de registros foi utilizada tendo em vista a possível ocorrência de determinada espécie em Mato Grosso do Sul: dois (relativa), três (média), quatro (alta), cinco ou mais (muito alta). Assim, conforme a Tab. III, independentemente de novos táxons que porventura possam vir a ser descritos, até outras 24 espécies de sifonápteros poderiam também ser encontradas neste estado, 10 dessas com alta ou altíssima possibilidade.
Mostrar mais

6 Ler mais

A marcha para o Oeste e a colonização da fronteira sul do atual Mato Grosso do Sul: deslocamentos, políticas e desafios

A marcha para o Oeste e a colonização da fronteira sul do atual Mato Grosso do Sul: deslocamentos, políticas e desafios

ABSTRACT: This article aims at the analysis of the colonization of the former southern state of Mato Grosso process, current state of Mato Grosso do Sul, specifically through the establishment of the Federal Territory of Ponta Pora in 1943 by the then New State government Getúlio Vargas, driven by the nationalization program and subsequent colonization of the national borders of Brazil called March to the West. The analysis is embraced by the established power relationship between government and Matte Larangeira Company, a company created by Thomas Larangeira that around 1882 still in Brazil Empire got the possession of the lands that today comprise much of the cone-south of the state of Mato Grosso do Sul. And despite the relationship that the Company established with native peoples of the region and migration of families who left the Rio Grande do Sul and came in the same region fleeing from the consequences of the Federalist Revolution (1893-1895). Keywords: colonization, border, migration
Mostrar mais

13 Ler mais

O começo do rádio no antigo Sul de Mato Grosso: instalação das primeiras empresas e seus objetivos (1930-1970)

O começo do rádio no antigo Sul de Mato Grosso: instalação das primeiras empresas e seus objetivos (1930-1970)

RESUMO: O presente trabalho que visou estudar a instalação e expansão das emissoras de rádio em três cidades do antigo Sul de Mato Grosso (atual MS): Corumbá, Dourados, e Campo Grande, examinando a origem das empresas e seus capitais, formas de organização, dificuldades enfrentadas dentre outros. Com bases nas fontes estudadas constatou-se, que a origem das empresas e seus capitais vinham tanto de empresários de outros estados como de empresários do estado de Mato Grosso, ou da sociedade de empresários da região com empresários de outros estados. Antes de existirem emissoras no estado, já existiam aparelhos que recebiam a programação de emissoras de outros estados. Nessa região o rádio desempenhou um papel especialmente importante, pois o antigo Sul de Mato Grosso era uma região com população rarefeita, e para essas populações o rádio era o único meio de receberem informações.
Mostrar mais

23 Ler mais

Trânsito de bovinos nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Brasil.

Trânsito de bovinos nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Brasil.

Em Barra do Garças, a análise da rede de fluxo confirmou a predileção dos frigoríficos deste município pela faixa leste do estado, uma vez que é o polo mais próximo dessa região. O raio de atuação dos frigoríficos de Barra do Garças assemelha-se, na maioria dos casos, aos praticados, por exemplo, no estado do Mato Grosso do Sul, não passando de 450km em um cenário de trânsito mais intenso. No entanto, o município de São José do Xingu, MT, é uma exceção, pois está a 668km de Barra do Garças, e mesmo considerando-se apenas os municípios com maior fluxo  25% de maior trânsito para Barra do Garças –, esse município ainda permanece neste cenário de fluxo intenso de bovinos. Segundo Kiss et al. (2006), o conhecimento sobre o risco de transmissão de uma doença e a estimativa do tamanho final de uma epidemia se aproximam de uma situação real somente se existir um conhecimento prévio da estrutura de contatos que direciona uma epidemia.
Mostrar mais

10 Ler mais

MATO GROSSO DO SUL

MATO GROSSO DO SUL

É importante observar que Aquidauana possui um aterro sanitário para disposição final de seus RSDC, contudo o mesmo estava sendo operado inadequadamente, possuindo traços de um vazadouro a céu aberto. Através de vistoria técnica in loco e informações dos gestores municipais foi verificado que o município está realizando a adequação do aterro sanitário (Figura 16), o qual se encontra em processo de renovação de licenciamento ambiental para operação junto ao órgão competente do Estado (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul – IMASUL). A estrutura contará com ampliação da célula existente, que permitirá a disposição adequada de todo RSDC inadequadamente disposto na área, e ainda receberá por 18 meses rejeitos provenientes do município.
Mostrar mais

89 Ler mais

MATO GROSSO DO SUL

MATO GROSSO DO SUL

Conforme apresentado no planejamento estratégico do PIGIRS-CIDEMA (2013) e do PMGIRS de Rio Brilhante (2013), foi apontada a necessidade de instituição de um ente regulador para os municípios incorporados no PIGIRS-CIDEMA e Rio Brilhante sugerindo inclusive a formalização de um contrato de convênio com a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul (AGEPAN) para que tal órgão exerça essa função. No que concerne aos aspectos financeiros, o Art. 29 da Lei Federal nº 11.445/2007 estabelece que os serviços públicos de saneamento básico devem ter sua sustentabilidade econômico-financeira assegurada, sempre que possível, mediante a remuneração pela cobrança dos serviços, ou seja, empregando-se quaisquer umas das formas de prestação dos serviços de gerenciamento dos RSU necessita-se de recursos financeiros, que podem ser obtidos pela cobrança dos serviços prestados. No caso do serviço de limpeza pública e manejo de resíduos sólidos, a cobrança poderá ser realizada através de taxas ou tarifas e outros preços públicos, em conformidade com o regime de prestação de serviços ou de suas atividades.
Mostrar mais

100 Ler mais

MATO GROSSO DO SUL

MATO GROSSO DO SUL

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente, do Planejamento, da Ciência e Tecnologia - SEMAC, vem por meio deste, SOLICITAR a indicação de dois representantes municipais para compor o grupo técnico do Plano Estadual de Resíduos Sólidos de Mato Grosso do Sul (PERS-MS), priorizando os membros que possuem relação direta com a gestão e gerenciamento de resíduos sólidos. Esta deverá ser realizada através de ofício da Prefeitura Municipal e encaminhado para o seguinte endereço, no prazo máximo de 5 dias corridos após o recebimento deste:
Mostrar mais

87 Ler mais

Checklist das espécies de mutucas (Diptera, Tabanidae) do estado do Mato Grosso do Sul, Brasil

Checklist das espécies de mutucas (Diptera, Tabanidae) do estado do Mato Grosso do Sul, Brasil

Agradecimentos. À Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciências e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect) e à Superintendência de Ciências e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Sucitec/MS) pelo convite de participação neste fascículo especial da Revista Iheringia e o suporte financeiro para sua publicação. Ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico & Tecnológico (CNPq) pelo apoio aos estudos de TKK (Doutorado/processo: 156156/2010-5), ALH (Pós- doutorado/processo: 246878/2012-6 e processo 563256/2010-9 “Sisbiota Diptera do centro-oeste”). Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de
Mostrar mais

6 Ler mais

MATO GROSSO DO SUL

MATO GROSSO DO SUL

Unidade de Triagem do município, os rejeitos serão utilizados na usina para produção de tijolos orgânicos (Figura 21). Nota-se que após a produção dos tijolos orgânicos, é necessário que o mesmo seja aprovado nos testes de resistência e durabilidade do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO) para posteriormente comercialização. Contudo, tanto a Usina de Reaproveitamento de Resíduos Sólidos quanto a futura Unidade de Triagem de Resíduos não possuem processo de licenciamento ambiental junto ao órgão competente do Estado (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul – IMASUL), devido a isso não foram considerados como soluções para a disposição final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos produzidos no município.
Mostrar mais

94 Ler mais

Implicações do desenvolvimento agroindustrial na sustentabilidade ambiental: um estudo no estado do Mato Grosso

Implicações do desenvolvimento agroindustrial na sustentabilidade ambiental: um estudo no estado do Mato Grosso

A pecuária foi introduzida no Mato Grosso no Século XVIII, quando houve necessidade de carne para abastecer os trabalhadores que construíam a estrada que liga Cuiabá a Vila Boa, de Goiás, em 1750 (BORGES, 2010). O processo produtivo iniciou-se com a derrubada de vegetação para o plantio de pasto, sendo a carne destinada ao abastecimento da população. Durante dezenas de anos a abertura era realizada por técnicas rudimentares, como, por exemplo, a utilização de foice, machado e entre outros. O processo de implantação das pastagens incluía a derrubada e o fogo. Desse modo, dependendo do período do ano, criavam- se, após a derrubada, clareiras expostas ao clima. Assim, a terra ficava degradada e nasceria uma vegetação natural, chamada genericamente capoeira, na qual se criava o gado. A produtividade dessa atividade era bastante baixa, aliada às perdas em transporte em pé para frigoríficos distantes (FAMATO, 2007).
Mostrar mais

132 Ler mais

Bicentenário de Cuiabá: rememoração e invenção do passado. O instituto histórico e geográfico de Mato Grosso, Virgílio Corrêa Filho: a invenção da modernidade em Mato Grosso e sua inserção no projeto de reconstrução da nação e da nacionalidade – 1919 a 19

Bicentenário de Cuiabá: rememoração e invenção do passado. O instituto histórico e geográfico de Mato Grosso, Virgílio Corrêa Filho: a invenção da modernidade em Mato Grosso e sua inserção no projeto de reconstrução da nação e da nacionalidade – 1919 a 19

litoral.” (CORRÊA FILHO, 1920, p. 261). Sua escrita parece manter uma cumplicidade com a empolgação do discurso modernizante de um futurismo que parece traçar um destino para Mato Grosso. Em suas palavras denota-se o orgulho da navegação do rio Madeira, a promessa da ferrovia que o ligaria ao rio Mamoré e a E. F. Noroeste do Brasil como fatores que fazem emergir o sonho de expansão. E novamente os acontecimentos se desgrudam de suas singularidades para criar sua ligação. “Às vias férreas, que a ligarem ao litoral, ajustando-se às pegadas biseculares de rudes sertanistas” (CORRÊA FILHO, 1920, p. 261). À história do IHGMT cabe o papel nessa união do passado com o presente, justificando a ambos. Ela prolonga-se na utopia dos engenheiros da Escola positivista. É a utopia tecnológica dos engenheiros das estradas e das almas “traçando diretamente na terra, por estradas de trilhos e de água, as vias da comunicação autêntica e os signos da prosperidade futura” (RANCIÈRE, 1995, p.12). Faz lembrar o discurso do clube de engenharia e da Escola Politécnica do Rio de Janeiro e do sonho de unir trilhos e almas na integração do corpo da nação. Ligar com trilhos membros desarticulados organicamente do corpo da nação.
Mostrar mais

23 Ler mais

Trânsito de bovinos nos Estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Brasil, 2008

Trânsito de bovinos nos Estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Brasil, 2008

Estes bancos de dados são divididos em colunas correspondentes aos campos da Guia de Trânsito Animal e cada linha representa uma GTA emitida. Conforme ilustrado pelo Anexo 1, primeiramente aparecem as colunas que identificam as GTA’s, com um número de documento que as individualiza, seguido da data de emissão. Em seguida a coluna “Finalidade”, que pode ser abate, engorda, reprodução, exposição, leilão; entre outras, como esporte e serviço. A coluna “Espécie” discrimina entre as mais diversas espécies animais: bovino, eqüino, suíno, canino, felino, etc. A coluna “Tipo de Transporte” discrimina entre transporte rodoviário, a pé, fluvial, aéreo, ferroviário, etc e até mesmo a conjugação de mais de um meio de transporte, por exemplo, fluvial/rodoviário. Em seguida temos as colunas “Total de machos”, “Total de Fêmeas” e “Total de animais” (que representa a soma das colunas “Total de machos” e “Total de fêmeas”), ou seja, cada GTA discrimina quantos machos e quantas fêmeas foram enviados e no caso do banco de dados fornecido para o Mato Grosso do Sul ainda informa a faixa etária (0 a 12 meses, 12 a 24 meses, 24 a 36 meses e acima de 36
Mostrar mais

52 Ler mais

Políticas públicas na bacia hidrográfica do Rio das Mortes Mato Grosso-Brasil: educação ambiental para vidas

Políticas públicas na bacia hidrográfica do Rio das Mortes Mato Grosso-Brasil: educação ambiental para vidas

A Bacia Hidrográfica do Rio das Mortes (BHRM) está localizada na região leste do Estado de Mato Grosso, com sua nascente na serra São Lourenço, Campo Verde (MT) e deságua no rio Araguaia, em São Félix do Araguaia (MT), sua extensão é de 1.070 km. A área total dos 21 Municípios que abrange toda a Bacia Hidrográfica é de 61.662,20 Km², ou seja, 6,82% da área total do Estado. Registrado nas ultimas décadas uma intensa expansão de áreas para uso de agricultura e pecuária. Este trabalho tem como objetivo diagnosticar a região da Bacia Hidrográfica do Rio das Mortes (BHRM) em seus aspectos socioambientais, como subsídios à formulação de políticas públicas e sustentabilidade das regiões do baixo Araguaia. Essa pesquisa foi dividida em duas partes: caracterização ambiental e descrição dos processos de Educação Ambiental. Através de: instrumentação e aquisição dos dados digitais, tratamento dos dados digitais, análise documental, questionários e entrevistas. Foi possível a elaboração dos mapas temáticos de: geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação, hidrografia, e áreas naturais protegidas. Com isso, elaborou-se uma matriz de educação ambiental para os onze Municípios estudados. A BHRM está ameaçada pelo desmatamento indiscriminado que vem ocorrendo. Casos de assoreamento e poluição das águas, assim como a destruição das nascentes e a redução do volume de água, têm se multiplicado afetando os usos que os moradores da região fazem da água. As táticas de educação ambiental para a Bacia sugerem ações que valorizem a participação da comunidade, em busca de soluções socioambientais participativas, que não degradem a paisagem natural, as características rurais e a cultura da pesca artesanal, além de propor alternativas econômicas para os locais.
Mostrar mais

144 Ler mais

Doenças e práticas terapêuticas entre os Teréna de Mato Grosso do Sul.

Doenças e práticas terapêuticas entre os Teréna de Mato Grosso do Sul.

Este artigo propõe-se a descrever as visões sobre saúde e doença, enfatizando a identificação, as interpretações diagnósticas e as práticas tera- pêuticas relacionadas à doença crônica entre os Teréna da Terra Indígena Buriti de Mato Grosso do Sul. Realizou-se um estudo qualitativo por meio de entrevista semiestruturada com 24 indígenas e de observação participante, com registro em diário de campo, entre março e agosto de 2010. Para os Teréna, o entendimento de saúde e doença compõe questões de sua vida cotidiana: redução na disponi- bilidade de terra, mudanças climáticas, inluências do meio urbano e quebra de regras. Quanto aos processos terapêuticos, observou-se a busca pelo aconselhamento e pelo cuidado familiar e religioso, e o atendimento biomédico obtido no posto de saúde, sendo estes vistos como complementares. Os es- quemas interpretativos mencionados pelos Teréna para a causalidade da hipertensão arterial indicam relação com as condições de vida, contaminações do meio ambiente, mudanças na dieta alimentar, feitiços e desobediência aos mais velhos. As expe- riências vivenciadas pelos Teréna no entendimento de suas doenças e na busca pela cura são processos resultantes dos saberes locais, da participação de diversos atores envolvidos e dos recursos e tecno- logias disponíveis, todos inscritos em um contexto cultural e social dinâmico.
Mostrar mais

11 Ler mais

Evidências e significados da mobilidade territorial: A Terra Indígena Kaiabi (Mato Grosso/ParÃ

Evidências e significados da mobilidade territorial: A Terra Indígena Kaiabi (Mato Grosso/ParÃ

A pesquisa na T.I. iniciou em maio de 2008, como parte do projeto “Arqueo- logia, Etnoarqueologia e História Indígena. Um Estudo sobre a Trajetória de Ocupação Indígena em Territórios do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul: a Terra Indígena Kaia- bi e a Aldeia Lalima”. A proposta do projeto é o estudo arqueológico e etno- arqueológico das trajetórias históricas e culturais das diferentes populações indígenas que ocuparam e ocupam os territórios atuais da Aldeia Lalima/MS e da T.I. Kaiabi/MT. O objetivo é vis- lumbrar os processos de continuidade, mudança e ruptura nas trajetórias destas populações, bem como a dialética entre passado e presente, incluindo as inter- pretações indígenas sobre este tema. Durante a apresentação do projeto e a negociação da pesquisa, a principal questão levantada pelos Kaiabi foi re- lativa à possibilidade da pesquisa gerar dados úteis à demarcação da área, cujo processo ainda está em andamento. Segundo os Kaiabi, muitos estudos ha- viam sido feitos sobre sua questão fun- diária, porém até aquele momento não havia resultados concretos, tampouco o retorno das informações outrora co- letadas sob encomenda de órgãos go- vernamentais. Esclarecemos que a nos- sa pesquisa era distinta das realizadas oficialmente para a demarcação da ter- ra, mas que seus resultados poderiam ser úteis aos interesses Kaiabi.
Mostrar mais

26 Ler mais

MATO GROSSO DO SUL

MATO GROSSO DO SUL

Figura 7 – Síntese geral da situação da geração de Resíduos Sólidos Domiciliares, Comerciais e de Prestadores de Serviço (RSDC) dos municípios do Polo 01.. 35.[r]

98 Ler mais

MATO GROSSO DO SUL

MATO GROSSO DO SUL

dez municípios (Água Clara, Aparecida do Taboado, Cassilândia, Chapadão do Sul,.. Inocência, Paranaíba, Ribas do Rio Pardo, Selvíria e Três Lagoas).. Observa-se diant[r]

98 Ler mais

Show all 2682 documents...