Metas e Resultados

Top PDF Metas e Resultados:

Análise do esgotamento sanitário domiciliar no Brasil : metas e resultados da política pública de saneamento básico (2012-2015)

Análise do esgotamento sanitário domiciliar no Brasil : metas e resultados da política pública de saneamento básico (2012-2015)

Dentre as possíveis falhas de política observadas tem-se o (i) orçamento empregado como meta dentro dos objetivos do Plano Plurianual, isto é, instrumento utilizado como fim ou ponto de chegada da política e não como meio para alcance dos objetivos; (ii) divergências entre unidades de medidas dos indicadores, metas e resultados; (iii) avaliação dos resultados observada pela PNAD/IBGE que traz o efetivamente feito, isto é, o que existe de concreto, enquanto as ações dos órgãos monitoradas anualmente ou implementadas por diversas vezes apresentam valores e resultados referentes aos elementos contratados naqueles anos e não efetivamente os produtos entregues, havendo, portanto, divergência entre os dados; (iv) dentre outras deficiências, tem-se o fato de que os dados trazidos pela PNAD/IBGE tem geralmente defasagem temporal ao ano de implementação do Plano Plurianual, não apresentando efetivamente dados mais ajustados à realidade daquele ano. No entanto, faz-se possível estimativa dos valores nos anos subsequentes, uma vez que existem informações que permitem aferir a evolução dos dados ao longo do tempo 42 ; (v) a não explicitação de atribuições e responsabilidades de cada órgão para cada meta estabelecida, sendo ainda a meta apresentada de forma geral. Posto que em diversas ocasiões trata-se de esforço conjunto de diferentes órgãos nas três esferas de governo ou esforço amplo que envolve ações diferentes órgãos do governo federal, o não detalhamento das metas indicando a parte que compete a cada órgão tanto na execução quanto no orçamento, dificulta o acompanhamento e avaliação da atuação dos diferentes órgãos do governo federal e, portanto o comportamento e o desempenho da política pública.
Mostrar mais

86 Ler mais

Gestão escolar e o programa BH Metas e Resultados: há espaços para a participação da comunidade escolar?

Gestão escolar e o programa BH Metas e Resultados: há espaços para a participação da comunidade escolar?

Nosso estudo investiga se o Programa BH Metas e Resultados (PBHMR) reconfigura a gestão das escolas da Rede Municipal de Belo Horizonte (RME/BH) e influencia no processo de participação da comunidade escolar. Nossa hipótese é que o PBHMR, criado em 2009, centraliza a gestão escolar na figura do Diretor Escolar, enfraquecendo as instâncias escolares instituídas para a promoção e a ampliação da ‘participação’ da comunidade escolar na democratização da gestão (Eleição Direta para Direção Escolar, Colegiado Escolar e Assembleia Escolar). Na investigação e discussão da ‘participação’ da comunidade escolar na gestão da escola na RME/BH, bem como na análise dos dados coletados nas oito escolas pesquisadas e nas 36 entrevistas semiestruturadas realizadas, como referencial principal, não exclusivo, optamos por nos orientar pelos estudos de Carole Pateman (1992) e sua tipificação de participação (pseudoparticipação, participação parcial e participação total). Identificamos que seus primeiros tipos se aproximam da ‘participação’ ensejada no modelo gerencial, mais restrita, limitada, na qual os que se fazem presentes não têm de fato o poder de tomar decisões. Identificamos na RME/BH sobreposições de regulamentos, alguns apontando na promoção da participação da comunidade escolar na gestão da escola, outros induzindo a mesma comunidade escolar a realizar um mero papel de fiscalizadora e não de ‘decisora’ das questões escolares, reduzindo, em meu entendimento, o âmbito de ação do Colegiado Escolar e da Assembleia Escolar. Identificamos que a criação do PBHMR provocou alterações (intencionais ou não, previstas ou não) nas diretrizes que tratam da ‘Gestão Democrática’ na RME/BH, tais como redução nos prazos para o pleito e alta prescritividade nos regulamentos, centrando a gestão na figura do Diretor Escolar. Os dados coletados
Mostrar mais

280 Ler mais

ANÁLISE DOS RECURSOS PÚBLICOS APLICADOS EM EDUCAÇÃO NO CIRCUITO RELIGIOSO DO VALE DO PARAÍBA/SP

ANÁLISE DOS RECURSOS PÚBLICOS APLICADOS EM EDUCAÇÃO NO CIRCUITO RELIGIOSO DO VALE DO PARAÍBA/SP

integrantes do Circuito Religioso do Vale do Paraíba. No referencial teórico tratou-se dos temas Administração Pública, sua Gestão e Estrutura e os elementos que compõem o Orçamento Público. A metodologia adotada caracteriza-se como exploratória com base em levantamento bibliográfico e documental, de abordagem quantitativa, utilizou o software spss para as análises e cálculo do coeficiente de correlação de Pearson. A pesquisa revelou que nos anos finais do IDEB há forte correlação com as metas e resultados dos anos iniciais do mesmo indicador de Desenvolvimento da Educação Básica, e, ainda, que existe correlação muito forte ao se ampliar os gastos em educação traduzido em aumento do número de matrículas, docentes e estabelecimentos e consequentemente a redução da taxa de reprovação. Os desafios revelados são importantes para a contínua evolução e o amadurecimento da gestão de recursos públicos destinados à educação, considerando como oportunidade de investimento em conhecimento na área de gestão para os profissionais que atuam nas áreas decisórias e/ou de assessoria na tomada de decisões. Palavras-chave: Desenvolvimento Regional. Economia do setor público. Qualidade do gasto público. Planejamento. Educação.
Mostrar mais

14 Ler mais

Intervindo em atividade física, alimentação e estresse em moradores de município de pequeno porte

Intervindo em atividade física, alimentação e estresse em moradores de município de pequeno porte

cipal dificuldade apontada pelos ACS se referiu ao entendimento de parte dos participantes quanto ao estabelecimento de metas e elaboração do plano de ação para mudança de comportamento. Neste mo- mento os participantes não haviam recebido materiais educacionais e participado de encontros, o que pode- ria contribuir para a elaboração de metas pessoais. Ressalta-se que essas dificuldades ocorreram espe- cialmente entre pessoas com baixa escolaridade. Em contrapartida, verificou-se que entre as pessoas que aderiram à intervenção, essa etapa foi fundamental para despertar o interesse nas temáticas abordadas, além de centralizar no indivíduo o estabelecimento e formas de cumprirem suas metas.
Mostrar mais

7 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

completada, pois ainda existem elementos de gestão tradicional no município, além do mais o modelo da “nucleação”, onde a maioria das escolas sequer possui corpo administrativo, contribui para delongar o êxito na implantação da gestão gerencial. Percebemos também que, além de introduzir conceitos de mercado no setor público educacional, estimulando a concorrência entre turmas e escolas, essa parceria serve também para alimentar esses setores privados com dinheiro público em troca da aplicação de algumas técnicas de gestão gerencial no setor educacional. Ademais, há uma intensificação em cima do trabalho do professor que passa a ser responsabilizado pelos resultados a serem alcançados, o que cria uma situação em que não é permitido o descumprimento das metas sob a pecha da incompetência ou, mesmo que velada, sob a advertência de passar por alguma medida administrativa, caso verificado que o “problema foi o professor”. Isso ocasiona uma prática de “alteamento” dos indicadores que nem sempre expressam a situação real em que se encontra a educação. Por fim, nosso estudo demonstrou que, enquanto permanecer essa prática, a possibilidade de uma formação para a cidadania nas escolas fica diminuída, pois parece haver mais espaço para o amestramento de um espírito competitivo do que espaço para o desenvolvimento crítico visando favorecer a criação de um ambiente capaz de proporcionar a percepção de toda essa problemática que se encontra envolta pela ideologia de mercado no setor educacional.
Mostrar mais

410 Ler mais

Mapeamento de metas de enfermagem de uma Unidade de Terapia Intensiva por meio da Classificação de Resultados de Enfermagem.

Mapeamento de metas de enfermagem de uma Unidade de Terapia Intensiva por meio da Classificação de Resultados de Enfermagem.

Na verdade, há poucas bases de dados de saúde da população brasileira que incluem dados de enfermagem. Mas, com as solicitações crescentes pela melhoria na qualidade de atendimento e pela diminuição dos custos hospitalares no Brasil, é imperativo que os enfermeiros documentem sua prática e estabeleçam o valor do seu trabalho na saúde. Desse modo, torna-se relevante a realização de estudos que favoreçam o desenvolvimento de bases de dados de enfermagem para quantiicar a qualidade de saúde (efetividade) no Brasil. Estudos para identiicar a utilidade das linguagens padronizadas de enfermagem (de diagnósticos, intervenções e resultados) são importantes na medida em que colaboram para a descrição da prática de enfermagem em serviços de saúde, dentre eles as Unidades de Terapia Intensiva (UTI) de adultos. Além disso, podem contribuir para a inclusão desses dados nos sistemas de informação e bases de
Mostrar mais

10 Ler mais

Bem-estar psicológico e sentido de coerência interno na velhice em Portugal

Bem-estar psicológico e sentido de coerência interno na velhice em Portugal

Estes resultados, reflectem, de facto, maior dificuldade em encontrar um significado, um sentido, e uma direcção para a vida; maior dificuldade em definir com convicção as metas a atingir; ma[r]

81 Ler mais

EQUIPE SINCRONIZADA, SUCESSO GARANTIDO!Maria Aparecida PARDINI

EQUIPE SINCRONIZADA, SUCESSO GARANTIDO!Maria Aparecida PARDINI

Quer multiplicar o seu conhecimento? Então divida-o com a sua equipe, com as outras pessoas com os quais mantém contatos! Procure feedback sempre! Mas, é preciso que cada um se sinta responsável pelo andamento dos serviços, que saiba falar de forma clara, sincera e objetiva, que saiba ouvir, opinar, contribuir! Se em uma reunião houver clareza nos objetivos e ordenação das idéias, o tempo será otimizado, viabilizando resultados surpreendentes.

9 Ler mais

Protocolo de Quioto: uma aplicação da teoria da ação coletiva

Protocolo de Quioto: uma aplicação da teoria da ação coletiva

Em 1997, com a participação de 160 nações, foi realizada a terceira Conferência das Partes (COP-3) que adotou o Protocolo de Quioto. Quioto impõe metas de emissão de GEEs que corroboram com o princípio da responsabilidade comum, porém diferenciada. Desta forma as metas foram impostas apenas para os países industrializados. Ao mesmo tempo ele gera oportunidades para os países alcançarem seus compromissos através dos mecanismos de flexibilização que permitem a comercialização de carbono para que haja uma maior flexibilidade para os países do Anexo B do Protocolo de Quioto 15 atingirem suas metas. No entanto, no Protocolo ficaram pendentes algumas decisões com respeito a sua implementação, como por exemplo: as decisões de sua regulamentação e os mecanismos de punição. O tratado foi concluído apenas em novembro de 2001, durante a COP-7 (UNFCCC, 2001b).
Mostrar mais

92 Ler mais

Direito, desenvolvimento e transformações institucionais: como o Congresso Nacional regulou a Comissão Mista de Orçamento entre 1988 e 2015?

Direito, desenvolvimento e transformações institucionais: como o Congresso Nacional regulou a Comissão Mista de Orçamento entre 1988 e 2015?

de acordo com o planejamento e as diretrizes estabelecidos no PPA e na LDO, aos quais encontra-se subordinada. Sua vigência corresponde ao período de um exercício financeiro, e o seu conteúdo compreende o orçamento fiscal (que é relativo aos Poderes da União, seus fundos, órgãos e entidades da administração direta e indireta), o orçamento de investimento das empresas em que a União detém a maioria do capital social com direito de voto, e o orçamento da Seguridade Social. Por disposição da Lei nº 4.320 de 1964, a LOA deve conter (a) sumário geral da receita por fontes e da despesa for funções de Governo; (b) quadro demonstrativo da receita e da despesa segundo categorias econômicas; (c) quadro discriminativo da receita por fontes e respectiva legislação; e (d) quadro das dotações por órgãos do Governo e da administração. Em relatórios anexos à LOA deverá ser demonstrada sua compatibilidade às metas fiscais na LDO, por exigência do art. 5º da LRF. Diferentemente de outras leis, que surgem e permanecem em vigor até sua revogação (expressa ou tácita), os Orçamentos possuem vigências temporárias, renovando-se periodicamente. Há uma distinção, portanto, entre os documentos orçamentários propriamente ditos, e o conjunto de atos que envolvem a sua tramitação e o seu exaurimento.
Mostrar mais

242 Ler mais

A sala de aula como espaço de motivação para o trabalho (de aprender estatística)

A sala de aula como espaço de motivação para o trabalho (de aprender estatística)

Desta forma, a intenção de alcançar uma dada meta ou objetivo torna-se uma fonte significativa de motivação. Para além da intenção, também os valores desempenham um papel importante a esse nível: se a intenção ou objetivo se refere ao que o indivíduo tem em mente, conscientemente, fazer, os valores criam o desejo de atuar de forma consistente com os objetivos. De acordo com os autores do modelo, as metas/objetivos influenciam, igualmente, o comportamento/performance através de outros mecanismos. Eles estimulam, nomeadamente, (1) a adoção de comportamentos específicos que possuem valor instrumental para o alcance daqueles; (2) a mobilização de maior grau de energia/esforço para o que é pretendido, permitindo regular a intensidade e a direcção desses recursos pessoais; (3) maior dedicação de tempo aos comportamentos específicos, configurando um padrão de maior persistência na tarefa; (4) a identificação e utilização das estratégias mais eficazes no sentido da maximização da probabilidade de concretizar os objetivos definidos (Locke & Henne, 1986; Locke & Latham, 1990).
Mostrar mais

10 Ler mais

Desempenho de futuros professores na planificação de situações de ensino/ aprendizagem do Português à luz da educação global

Desempenho de futuros professores na planificação de situações de ensino/ aprendizagem do Português à luz da educação global

O cruzamento entre as planificações e as respetivas fundamentações teóricas permite observar que, para os sujeitos deste estudo, demonstrou-se mais fácil reconhecer a educação global como base de fundamentação do que propriamente como metas, conteúdos e atividades a serem trabalhados nas situações de ensino/aprendizagem. Constata-se, portanto, a necessidade de serem desenvolvidas mais dinâmicas formativas baseadas na análise, ou mesmo na experimentação, de práticas concretas, que exemplificam como a educação global pode ser operacionalizada a partir da educação em diferentes áreas curriculares, particularmente em/sobre Língua Portuguesa. Esse caminho sinaliza a possibilidade de que representações de educação global ainda muito alicerçadas ao discurso teórico sejam reconstruídas de modo a criar reais possibilidades de ação.
Mostrar mais

20 Ler mais

Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente, Perfil de Engenharia de Sistemas Ambientais Orientador: Doutora Sofia Simões, Investigadora, Faculdade de Ciências e Tecnologia – Universidade Nova de Lisboa Coorientador: Professora D

Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Engenharia do Ambiente, Perfil de Engenharia de Sistemas Ambientais Orientador: Doutora Sofia Simões, Investigadora, Faculdade de Ciências e Tecnologia – Universidade Nova de Lisboa Coorientador: Professora D

Até 2015, os signatários tinham de submeter o SEAP (Sustainable Energy Action Plan), documento que define as medidas e ações tomadas pelos municípios de modo a atingirem as metas para 2020 e caracterizados por terem uma vertente mais de mitigação. Após 2015, os planos passaram a chamar-se SECAP (Sustainable Energy and Climate Action Plan) que para além de abordar a mitigação têm, também, de ter uma componente de medidas de adaptação e, ao contrário do primeiro, as metas são definidas para 2030, para isso deve incluir um Inventário de Emissões de Referência que permita monitorizar a eficiência das medidas de mitigação, uma Avaliação da Vulnerabilidade e de Risco Climático e medidas-chave que o município se dispõe a tomar (Covenant of Mayors, 2017).
Mostrar mais

107 Ler mais

Saude soc.  vol.26 número2

Saude soc. vol.26 número2

Essa hipótese, entretanto, não consegue explicar os resultados encontrados nos demais indicadores. Nesses casos, uma segunda hipótese seria a maior facilidade para cumprir metas quando estas de- pendem apenas dos esforços individuais de cada município e independem da cooperação de outros entes federados ou da atuação de outros atores independentes, como prestadores de serviços. Se a dependência é maior, diminui a proporção de mu- nicípios que cumprem as metas pactuadas. Nesse sentido, indicadores como a cobertura vacinal da tetravalente e a cobertura da Estratégia Saúde da Família (ESF), embora apresentem percentuais signiicativos de cumprimento das metas, variando entre 80% e 70% dos municípios, respectivamen- te, possuem resultados inferiores aos de outros indicadores, como EC29 e CNES. Possivelmente, o pior resultado relativo deve-se, no primeiro caso, à dependência da disposição da população para se vacinar e, no segundo, à necessidade de conseguir ixar proissionais, algo mais difícil em áreas dis- tantes (Menicucci, 2014b).
Mostrar mais

19 Ler mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS EMPRESARIAIS MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE DE CIÊNCIAS EMPRESARIAIS MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO

O uso de metas para se ter desempenho é um dos grandes paradigmas da administração de empresas, contudo, na atualidade, segundo alguns autores, as grandes certezas de outrora podem não ser mais tão válidas. Esta dissertação, buscando compreender tal relação em maior profundidade, procura responder a seguinte indagação: como as pessoas em seu processo produtivo interpretam a proposição de metas e quais são seus efeitos no desempenho organizacional? O objetivo geral deste trabalho consiste em analisar a relação entre utilização de metas e o desempenho organizacional, visando compreender os prós e contras dessa relação. Os objetivos específicos são: identificar a percepção da utilidade das metas entre empregados; identificar a relação entre a teoria das metas, produtividade percebida dos empregados e desempenho organizacional; identificar limites na utilização de metas que impactem o desempenho das pessoas; identificar limites na utilização de metas que impactem o desempenho das pessoas na firma escolhida. A empresa COMPANHIA (optou-se por não divulgar o nome da empresa), em diferentes regiões, foi tomada como unidade de análise para a proposição formulada em razão de possuir essa prática entre seus funcionários por desejo da direção. Visando cumprir tais objetivos, buscou-se fazer uma análise de 5 construtos que se relacionam, conforme modelo construído, e confrontá-los com os resultados da pesquisa realizada na empresa. Os construtos são: “Planejamento Estratégico”, que mostra como são formulados os planos de metas; “Plano de Metas”, que evidencia os autores que defendem a utilização de metas para se ter desempenho; “As Limitações dos Planos de Metas”, que a partir das premissas da teoria das metas apresenta estudos de autores que criticam a utilização de metas, mostrando que elas podem causar, dependendo da situação
Mostrar mais

114 Ler mais

Por uma política de metas de redução da pobreza.

Por uma política de metas de redução da pobreza.

Em contrapartida, a distribuição de renda também con- diciona o crescimento econômico. Embora não haja evi- dências de uma relação sistemática entre desigualdade e nível de renda, estudos recentes demonstram existir uma relação inversa entre nível inicial de desigualdade e cres- cimento subseqüente da renda per capita. Os resultados de Clarke (1996), Forbes (1998) e Li e Zou (1998), entre outros, demonstram que maiores níveis de desigualdade inicial de renda afetam negativamente o crescimento eco- nômico dos países. Birsall e Lodoño (1997) concluem que uma maior desigualdade da distribuição do capital huma- no está associada a um menor crescimento futuro e Deininger e Squire (1998) estabelecem que uma maior de- sigualdade na distribuição de terras reduz o crescimento subseqüente dos países.
Mostrar mais

8 Ler mais

Diabetes: hora de rever as metas?.

Diabetes: hora de rever as metas?.

Para simular o peril glicêmico de um paciente diabé- tico hipotético, usamos o AIDA, um simulador onli- ne de acesso livre, com ins educacionais, amplamente estudado e testado, que está disponível na Web desde 1996. Ele se encontra disponível no endereço: http:// www.2aida.org/online/ (2). Usando o primeiro per- il (caso número 0001) dentre os vários existentes no AIDA, ajustamos sua medicação e suas refeições de for- ma que o paciente simulado apresentasse praticamente a totalidade dos valores de glicemia, ao longo das 24 ho- ras, muito próximo (iguais ou, no máximo, 3 mg/dL aci- ma ou abaixo) das metas deinidas pela SBD – glicemia de jejum: 100 mg/dL, glicemias pré-prandiais: 110 mg/dL e glicemias 2 horas após as refeições: 140 mg/dL (1).
Mostrar mais

5 Ler mais

Relevância, conciliação de metas e polidez

Relevância, conciliação de metas e polidez

24 Conforme complementa Ruhi (2008, p. 288, aspas no original): “Concebido dentro de uma perspectiva teórica da relevância (SPERBER & WILSON, 1995 [1986]) e consistente com o enten[r]

22 Ler mais

Resultado P2 SHP 2017 2

Resultado P2 SHP 2017 2

Aqueles com média maior ou igual a 6 que quiserem fazer recuperaç.. ração, PRECISAM, avisar com antecedência[r]

4 Ler mais

Resultado P1 SHP 2017 2

Resultado P1 SHP 2017 2

Eduardo Yuji Sakurada SHP22307 - Sistemas Hidráulicos e Pneumáticos. Conceito das avaliações - Turma 2017-2[r]

1 Ler mais

Show all 10000 documents...