Metodologias de Ensino

Top PDF Metodologias de Ensino:

Metodologias de ensino com tecnologias da informação e comunicação no ensino jurídico.

Metodologias de ensino com tecnologias da informação e comunicação no ensino jurídico.

O estudo de casos consiste em apresentar aos alunos uma situação real, dentro do assunto estudado, para que analisem e, se for necessário, pro- ponham alternativas de solução. É uma forma de os alunos aplicarem os conhecimentos teóricos a situação práticas. A situação é apresentada aos alunos em forma de descrição, narração, diálogo ou artigo jornalístico. Para Gomez (2009), Ranieri (2010), Serra e Vieira (2006) e Zitscher (2004), as principais fontes de casos são livros, jornais, revistas, artigos, filmes. Para Ghirardi (2009), Antunes (2009), Machado e Machado (2009), Fachin, Tanure e Duarte (2007), os casos podem ser extraídos de leituras, novelas, notícias de jornais, acontecimentos esportivos ou policiais ou mesmo de temas escolares, trazem sempre o símbolo da época e das circunstâncias que geraram. Para Shulman (apud MIZUKAMI, 2000, p. 151), um caso de ensino “tem uma narrativa, uma história, um conjunto de eventos que ocorrem num tempo e local específico.”
Mostrar mais

38 Ler mais

A inserção das tecnologias nas metodologias de ensino

A inserção das tecnologias nas metodologias de ensino

O professor que quer se comunicar com o aluno do século XXI certamente em dado momento irá se deparar com a necessidade de integrar os recursos digitais para engrandecer suas metodologias, afinal os estudantes estão mais conectados e questionadores. Segundo Wunsch e Fernandes (2018) os docentes precisam refletir sobre qual mídia pode ajudar a expressar e representar de uma maneira melhor o conteúdo que ele quer repassar aos discentes, por exemplo, existem softwares 7 como o Power Point e o Movie Maker que permitem a construção de uma aula mais dinâmica, com movimento de imagem, sons e percepções sensoriais diferentes e atrativas. Para tanto, o educador deve ter conhecimento das ferramentas e ser criativo ao usá-las.
Mostrar mais

18 Ler mais

Metodologias de Ensino da Química Orgânica no Ensino Secundário

Metodologias de Ensino da Química Orgânica no Ensino Secundário

A Escola Secundária/3 Quinta das Palmeiras tem esta denominação decorrente do local onde foi construída, na antiga “Quinta das Palmeiras”, e iniciou o seu funcionamento no ano letivo de 1987/88. Primeiramente uma escola apenas de Ensino Básico, tendo iniciado no ano letivo 2003/2004 a lecionação do Ensino Secundário. Em 2007, alterou o seu funcionamento, tendo celebrado um contrato de autonomia com o Ministério da Educação, permitindo-lhe assim promover a qualidade dos serviços prestados. Essa qualidade assenta em cinco domínios principais, avaliados externamente pelo IGE (Inspeção Geral da Educação): o acesso de todos os alunos, o sucesso para todos, o apoio socioeducativo, a participação de todos e a cidadania.
Mostrar mais

117 Ler mais

Cursos profissionais. Metodologias de ensino

Cursos profissionais. Metodologias de ensino

Na altura não percebi o porquê de terem sido deixados para o último ano todos os módulos do tema das funções. Ao longo do ano, constatando as particularidades dos alunos em relação às aprendizagens e a dificuldade que evidenciavam relativamente à memorização e aplicação dos conceitos, percebi que a intenção dos antigos formadores da disciplina tinha sido, sem deixar de respeitar as necessidades das disciplinas técnicas, agrupar os conhecimentos referentes ao mesmo tema para não terem que estar constantemente a rever os conhecimentos considerados pré- requisitos para cada um dos módulos e assim fomentarem as aprendizagens. No entanto, apesar de se estar a tratar um assunto de início – as funções – a atenção, motivação e interesse demonstrado pelos alunos continuou a ser um obstáculo a ultrapassar. As estratégias aproveitando os recursos informáticos que tinha disponíveis dentro da minha sala de aula, e que se verificaram uma ajuda quer para o processo de ensino, quer para o processo de aprendizagem, foram uma constante.
Mostrar mais

98 Ler mais

AS METODOLOGIAS ENSINO BASEADAS RESOLUCAO PROBLEMAS

AS METODOLOGIAS ENSINO BASEADAS RESOLUCAO PROBLEMAS

Para que a implementação das novas metodologias de ensino obtenha sucesso é fundamental que exista convergência entre a atuação dos docentes e a dos estudantes. O docente deverá preocupar-se com dois níveis de intervenção: primeiro, atuar ao nível das novas perspetivas de aprendizagem; segundo, pensar e implementar métodos e técnicas pedagógicas que aumentem a motivação dos estudantes para a aprendizagem dos temas específicos. Relativamente aos estudantes, é necessário incentivar a aprendizagem através de uma maior responsabilização e participação, desenvolver técnicas de trabalho individual e/ou de grupo, elaboração de horários 12 com definição de prioridades, incentivo à leitura e à recolha de informação, promover estratégias de organização de trabalho e gestão do tempo, de tal modo que possam adquirir competências que lhe permitam procurar soluções, resolver problemas, auto avaliar-se, compreender um texto e saber utilizar as informações recolhidas (Estanqueiro, 1992).
Mostrar mais

18 Ler mais

O Ensino do Orcamento e as Metodologias de EnsinoENVIADO

O Ensino do Orcamento e as Metodologias de EnsinoENVIADO

Ao longo dos anos letivos, SE tem abrangido anualmente um número de empresas virtuais, em mercado simulado, que oscila entre 58 e 64 empresas e envolvido entre 11 e 14 tutores. As empresas virtuais refletem as características e obrigações do mercado real, desenvolvendo tarefas que permitem efetuar a gestão corrente de uma empresa e cumprir diversas etapas como a apresentação comercial da empresa, a preparação das demonstrações financeiras intercalares e finais e a apresentação escrita e oral das atividades desenvolvidas. Para tal, são utilizadas diversas metodologias de ensino, como por exemplo, plataforma de e-learning e diversos softwares de apoio, dos quais destacamos o Sage Next do Grupo SAGE.
Mostrar mais

24 Ler mais

←
				
											Voltar aos Detalhes do Artigo
									
									CONTEÚDOS DE MATEMÁTICA PRESENTES NAS MATRIZES DOS CURSOS DE PEDAGOGIA OFERTADOS NO ESTADO DO TOCANTINS

← Voltar aos Detalhes do Artigo CONTEÚDOS DE MATEMÁTICA PRESENTES NAS MATRIZES DOS CURSOS DE PEDAGOGIA OFERTADOS NO ESTADO DO TOCANTINS

A relação de disciplinas presentes em cursos que oferecem uma única disciplina representa 44% dos cursos pesquisados. Dentre as 39 matrizes curriculares adquiridas junto às páginas virtuais das IES observou-se que as disciplinas que estão diretamente relacionadas à educação matemática e a própria matemática sejam nos seus fundamentos teóricos ou as suas metodologias de ensino ou disciplinas que apresentam o conjunto teoria e prática. As disciplinas encontradas nesses cursos dão ênfase aos fundamentos ou as metodologias de ensino de tal disciplina, há casos em que a mesma disciplina oferta tanto os fundamentos, quanto as metodologias de ensino, sendo que a carga horaria dispendida a tais disciplinas variam de 56 a 100 horas de atividades teóricas e práticas. Tomando como parâmetro o mínimo de 2.800 horas que o curso deve oferecer em todo o currículo aos estudantes percebemos que o percentual da carga horaria destinada a tais disciplinas variam de 2% a 3,57% do quantitativo mínimo estabelecido nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Pedagogia.
Mostrar mais

16 Ler mais

METODOLOGIAS PARA O ENSINO DE BIBLIOTECAS DIGITAIS

METODOLOGIAS PARA O ENSINO DE BIBLIOTECAS DIGITAIS

Para as teorias do ensino, o trabalho pedagógico possibilita uma prática social que dependerá, entre outros fatores, do interesse manifesto pelos alunos e do conteúdo curricular científico repassado pelo professor. Na área da ciência da informação, o desenvolvimento de metodologias de ensino de bibliotecas digitais está sendo discutido desde o ângulo do planejamento da didática até as práticas de ensino mais adequadas. A questão das bibliotecas digitais está sendo abordada pelas instituições de ensino como mais uma mudança curricular trazida pelas transformações nos processos de interação e comunicação no ensino mediado pelas novas tecnologias (SARACEVIC; DALBELLO, 2001). O objetivo deste trabalho é conhecer o processo de ensino dos conceitos e tecnologias que envolvem as bibliotecas digitais.
Mostrar mais

8 Ler mais

Apresentação

Apresentação

Apesar da existência de produção acadêmica que discute e critica a polivalência, e ressalta a necessidade de professores específicos em cada linguagem artística na escola, somada à formação universitária que é dirigida a cada linguagem artística em licenciaturas específicas, diversos sistemas educacionais brasileiros ainda solicitam práticas polivalentes dos professores das diversas áreas das artes (FIGUEIREDO; MEURER, 2016). Tal situação promove uma grande diversidade em termos de ensino de música na escola, estando ou não presente no currículo ou em atividades extracurriculares nas escolas brasileiras.
Mostrar mais

8 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAED - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAED - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Nesse sentido, esta pesquisa tem como objetivos específicos: descrever o contexto educacional atual de Minas Gerais; apresentar a estrutura e organização da secretaria estadual de ensino de Minas Gerais e da SRE de Caxambu; apresentar como se dá o processo de divulgação dos resultados do SIMAVE na SRE de Caxambu; descrever a política do Acordo de Resultados e o Prêmio por Produtividade; apresentar o desempenho das escolas no SIMAVE da SRE de Caxambu, o PIP (Programa de Intervenção Pedagógica) e como os resultados são utilizados para a melhoria da qualidade do ensino oferecido e pagamento do Prêmio por Produtividade; analisar as políticas de responsabilização nos âmbitos nacional e estadual e como se dá a utilização administrativa dos resultados do SIMAVE/PROEB na SRE de Caxambu; e, finalmente, propor um plano de ação que promova a melhoria do ensino a partir da divulgação e apropriação efetiva desses resultados das avaliações sistêmicas.
Mostrar mais

130 Ler mais

←
				
											Voltar aos Detalhes do Artigo
									
									TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO E AS METODOLOGIAS ATIVAS: ELEMENTOS PARA O TRABALHO DOCENTE NO ENSINO SUPERIOR

← Voltar aos Detalhes do Artigo TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO E AS METODOLOGIAS ATIVAS: ELEMENTOS PARA O TRABALHO DOCENTE NO ENSINO SUPERIOR

Resumo: A utilização da Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs) e das metodologias ativas no espaço universitário apontam para uma nova forma de estabelecer o trabalho e papel dos professores e alunos no processo de ensino aprendizagem. Nesse sentido, esse artigo traz os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo compreender a percepção dos docentes do curso de Enfermagem sobre a utilização das TDICs como elementos mediadores da aprendizagem. Trata-se de uma pesquisa de caráter qualitativo realizada por meio estudo de caso com 6 professores do curso de Enfermagem de uma universidade privada do estado de Goiás. A incorporação das ferramentas tecnológica tende a uma prática pedagógica mais enriquecedora, potencializando a interação e integração bem como a capacidade de compreensão dos conhecimentos, por parte de professores e alunos. Na área de Enfermagem, grandes esforços têm sido realizados com a finalidade de extrair maiores benefícios da utilização das TDICs para obter e/ou garantir um grau maior de qualidade no Ensino. Diante disso permitiu apontar que o ensino de enfermagem mediado pelo uso das TDICs configura-se um desafio exigindo dos alunos, docentes e instituições de ensino superior mudanças na postura frente ao processo educacional.
Mostrar mais

15 Ler mais

Uso de metodologias alternativas para o Ensino de Química em uma Escola de Ensino Médio em Salvaterra/PA / Use of alternative methodologies for the Teaching of Chemistry in a High School in Salvaterra/PA

Uso de metodologias alternativas para o Ensino de Química em uma Escola de Ensino Médio em Salvaterra/PA / Use of alternative methodologies for the Teaching of Chemistry in a High School in Salvaterra/PA

O objetivo desta pesquisa se debruça sobre o olhar de Chassot (1990), que nos incita a um olhar diferenciado sobre a forma de ensinar Química e a formação de cidadãos conscientes e críticos: “A Química é também uma linguagem. Assim, o ensino da Química deve ser um facilitador da leitura do mundo. Ensina-se Química, então, para permitir que o cidadão possa interagir melhor com o mundo”. Segundo Arroio et al., (2006), há uma necessidade urgente do uso de metodologias alternativas voltadas para o ensino da química, como jogos, desafios, brincadeiras, etc., buscando dessa forma, despertar o interesse sobre a componente curricular voltado ao ensino da Química, além de demonstrar a relevância desses conteúdos presentes no cotidiano do aluno. Friedman (1996, p. 41) afirma que:
Mostrar mais

8 Ler mais

Validação de metodologias ativas de ensino-aprendizagem na promoção da saúde alimentar infantil.

Validação de metodologias ativas de ensino-aprendizagem na promoção da saúde alimentar infantil.

Foram selecionadas 25 crianças, por meio da amostragem não probabilística intencional, as quais se encontravam na faixa etária requerida pelo estudo para testagem das metodologias ativas de ensino-aprendizagem, construídas para educação e promoção da alimentação saudável em crianças do Ensino Fundamental. A escolha justifica-se pelo fato de o Ensino Fundamental ser um momento de passagem do estudante da Edu- cação Infantil, no qual a oferta de alimentos abandona o hábito de lancheiras organizadas em domicílio pelos pais e cuidadores, passando a serem eles comprados nas cantinas das escolas.
Mostrar mais

10 Ler mais

Dificuldades na aprendizagem e metodologias no ensino da matemática

Dificuldades na aprendizagem e metodologias no ensino da matemática

Atribuir o uso de novas tecnologias no ensino da matemátca pode promover uma mudança na prátca pedagógica e no modo do aluno ver e estabelecer relações matemátcasa visto que os mesmos apresentam fascinação por esses métodosa e habilidades em manuseá-los. Através de métodos e técnicas de ensino diferenciadas a aula fcará mais agradável e descontraída e levará o aluno a refetr e comparar o que lhe esta sendo ensinado com as suas atvidades diáriasa dando signifcado ao conteúdo.

13 Ler mais

Metodologias participativas no ensino da administração em Enfermagem.

Metodologias participativas no ensino da administração em Enfermagem.

Pode-se compreender, também, a dramatização como o resultado de um grupo, do diálogo e da pluralidade de ideias orientados pela criatividade e pela sensibilidade. As concepções são importantes e devem ser discutidas, pois o grupo sempre existe, mesmo que apenas uma pessoa conceba, planeje, produza, elabore e apresente, haverá a plateia para a qual se apresentará. A criatividade se estabelece como capacidade de que ideias discutidas ou postas pelo grupo sejam modificadas, visando a adaptação ao resultado esperado. O docente não controla a dramatização, tal como controlaria a aplicação do método tradicional de ensino, ele é transformador daquilo que a dramatização oferece para algo efetivo na aprendizagem (Souza, 2007).
Mostrar mais

10 Ler mais

Metodologias e tecnologias educacionais no ensino de engenharia

Metodologias e tecnologias educacionais no ensino de engenharia

Procurou-se relacionar a organização, produção e oferta de serviços de ensino a distância das universidades federais aos sistemas de produção de serviços mencionados na literatura. Nas duas universidades, os seus sistemas de produção necessitam da criação e padronização de procedimentos para a gestão dos fluxos de informações e processos de ensino a distância (EAD). A escala de oferta dos serviços determina a necessidade de implantação de um sistema de gestão da produção que seja dedicado e exclusivo, com a criação de um banco de dados central para o sistema. Os atuais sistemas existentes, que são utilizados para organizar a oferta de cursos e disciplinas presenciais, são limitados quando utilizados para fazer a organização, produção e oferta de cursos e disciplinas do ensino a distância. Na pesquisa realizada foram analisadas duas instituições federais de ensino superior vinculadas ao Sistema Universidade Aberta do Brasil. Em uma destas instituições a necessidade de organização das informações é mais necessária devido ao formato da estrutura organizacional vigente. Foi concluído que em uma das universidades podem ser realizadas melhorias no formato da estrutura organizacional e a criação de um sistema informatizado para gestão de processos.
Mostrar mais

144 Ler mais

Ensino da língua espanhola em Portugal: que metodologias?

Ensino da língua espanhola em Portugal: que metodologias?

Conselho de Europa: Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas Estrangeiras: Aprendizagem, Ensino e Avaliação , Lisboa: Asa, 2001.[r]

174 Ler mais

O ensino do português como língua não materna, que metodologias?

O ensino do português como língua não materna, que metodologias?

Podem ser usadas na produção de materiais, como suporte de apresentação de trabalhos e, aqui, referimo-nos tanto ao aluno como ao professor. Permitem a pesquisa de informação e realização de trabalhos e, mais uma vez de suporte de comunicação escrita, que é um dos aspectos que mais nos interessa. Mas, o aspecto mais importante nas aulas de Língua Portuguesa Não Materna, prende-se com o facto de as TIC fomentarem a Integração dos alunos, na aula, nas actividades do processo de ensino-aprendizagem, e ao nível dos saberes transdisciplinares e multidisciplinares. Por este motivo, o uso das TIC não deve restringir-se apenas às disciplinas de TIC.
Mostrar mais

177 Ler mais

"O cruzamento de metodologias no ensino e aprendizagem do Desenho"

"O cruzamento de metodologias no ensino e aprendizagem do Desenho"

representativos  de  cada  época,  a  que  a  experiência  acrescentou,  por  vezes,  “uma  melhor   referência  à  realidade”.  Em  associação  ao  método  da  cópia  surge  o  método  de  desenho   pela   estampa   e   “segundo   o   Dicionário Técnico e Histórico de Francisco de Assis Rodrigues,  “estampa”  é  qualquer  obra  ou  imagem  feita  de  traços  cruzados  em  matéria   sólida, e que se aplica com especialidade em imagens ou figuras impressas sobre papel ou estofo, por meio de uma chapa de cobre, madeira, aço, etc. O termo de estampa aplica-se igualmente às produções de gravura a água-forte, a buril, em maneira negra, para lápis, etc. Tiram-se estampas sobre couros ou peles, sobre tecidos, seda, pergaminho, cetim ou mesmo sobre a cortiça das árvores, que sobre o gesso. A arte de imprimir estampas foi inventada por um artífice de Florença, chamado Marcos Finiguerra no séc. XV. As estampas permitem-nos  conhecer  “o  génio,  o  gosto  e  o  estilo   dos grandes mestres e são úteis para motivar aqueles que seguem  a  mesma  carreira”.  O   método do desenho pela estampa está associado ao ensino académico, tomando os modelos artísticos greco-latinos e do classicismo como base de uma formação artística assente  na  “justeza  dos  olhos  e  na  facilidade  de  mão”.  Na  primeira lição de desenho pela estampa eram apresentados os elementos da geometria prática e nas lições seguintes os estudantes eram iniciados no desenho elementar da figura humana através de “esquemas”   de   representação,   completados   com   exemplos   de   desenho   perfilado e desenho  sombreado”  (Marques,  2005).
Mostrar mais

89 Ler mais

ENSINO E APRENDIZAGEM NO ENSINO

ENSINO E APRENDIZAGEM NO ENSINO

Os  estudantes  universitários,  em  sua maioria,  estão  entrando  na  fase adulta.  É  importante  que  possam  trabalhar  em  grupo,  desenvolver  ideias  próprias,  desenvolver um método pessoal para estudar. Por isso, eles necessitam de desa<ios.  Mais  do  que  <icar  ouvindo  ou  assistindo,  passivamente,  precisam  gerir  seu  aprendizado  e  seu  desenvolvimento  pro<issional.  Requerem <iloso<ia  educacional  especí<ica, metodologias que se valham de  suas  peculiaridades para potencializar  seu  aprendizado  e  valorizar  seus  conhecimentos  prévios.  Os  estudantes  são  os  sujeitos centrais do processo de ensino‐aprendizado. 
Mostrar mais

14 Ler mais

Show all 10000 documents...