Novas perspectivas

Top PDF Novas perspectivas:

Resenha de Novas perspectivas na Gestão Transcultural

Resenha de Novas perspectivas na Gestão Transcultural

Muito próximos à realidade gerencial exposta encontram-se os temas da "boa" ou da "má" liderança. Essa questão, que é abordada no segundo capítulo, foi amplamente estudada no projeto Globe, no qual se buscou desenvolver uma teoria com base empírica para relacionar variáveis culturais e liderança e processos orga- nizacionais, bem como sua eficácia. Quanto esse novo estudo sobre cultura e liderança no âmbito do projeto Globe, trata-se de uma sucessão dos estudos anteriores desenvolvidos em outros projetos sobre organizações e cultura, a exemp- lo do que fez Geert Hofstede (2001)? Esse para- digma é lembrado pelos autores e encontra novas perspectivas de discussão e aplicação para ajudar aquelas pessoas que se aventuram na experiência de gerência transcultural ou de gestão internacional.
Mostrar mais

7 Ler mais

Novas perspectivas sociodemográficas

Novas perspectivas sociodemográficas

José Marcos e Rosana Baeninger buscam identificar os tipos, modalidades e direções das migrações que cortam o espaço social do país, no contexto da crise de virada do século, ressaltando as especificidades e as (re) significações que ocor- rem com a mudança de teor nas relações entre movimentos migratórios e desenvolvimento naci- onal e regional. Ao salientar as imbricações atual- mente mais complexas entre essas dimensões, apontam a “necessidade da busca de novas catego- rias explicativas”, para dar conta da interpretação de um componente demográfico muito complexo, que se exprime mediante grande variedade de manifestações. Entre as novas perspectivas de movimentos migratórios, que envolvem redefinições de tendências, o artigo aponta para as seguintes: (1) o recrudescimento dos deslocamen- tos inter-regionais e interestaduais, nos anos 90, que haviam arrefecido nos 80; (2) a continuidade da centralidade paulista na atração da migração, ainda nos anos 90, apesar dos movimentos de desconcentração em relação a outras regiões, nos anos 80; (3) a diminuição do ímpeto de atração interestadual das áreas de fronteira agrícola, so- bretudo no Norte e no Centro-Oeste; (4) a retoma- da das transferências do Nordeste para o Sudeste, no período 1990-2000, que haviam diminuído nos anos 80; (5) continuidade de altas taxas de cresci- mento médio anual nas Regiões Metropolitanas, apesar da queda da fecundidade, em função do
Mostrar mais

5 Ler mais

Drogas e cultura: novas perspectivas

Drogas e cultura: novas perspectivas

Uma linhagem promissora de estudos, bem representada nesta coletânea, é formada por aqueles que não apenas tangenciam o tema, mas procuraram enfrentá-lo diretamente explorando a diversidade de seus significados sociais, seja por meio de etnografias circunscritas de experiências de uso, seja pelo esforço de análise histórica dos discursos que se articulam em torno das “drogas”. Nas ciências sociais brasileiras, as referências pioneiras são os trabalhos de Gilberto Velho, realizados nos anos 1970, sobre o uso de “drogas” como parte de um estilo de vida e uma visão de mundo característicos de segmentos das classes médias urbanas (Velho, 1981, 1998), 11 com base no clássico estudo de Howard Becker sobre o processo de construção de usuários de maconha entre músicos de jazz nos EUA (Becker, 1966). Ainda nos anos 1970, uma coletânea organizada por Vera Penteado Coelho reuniu estudos sobre usos de psicoativos em sociedades indígenas (Coelho, 1976), tema que vem sendo retomado recentemente à luz de novas perspectivas na história indígena e na etnologia. 12 O uso urbano de maconha especificamente foi objeto de etnografias e reflexões em trabalhos que vieram à luz nos anos 1980, 13 no momento da irrupção da Aids e do endurecimento da política internacional de repressão às “drogas” a partir das pressões norte-americanas. Mais recentemente, etnografias sobre usos de diferentes substâncias psicoativas em contexto urbano têm explorado novas possibilidades teóricas e interpretativas. 14 As pesquisas sobre ayahuasca, que se intensificaram a partir dos anos 1990, 15 foram especialmente importantes para rearticular os estudos socioantropológicos sobre “drogas” com reflexões sobre religião, bem como para estimular a discussão em torno do reconhecimento de modalidades de uso controlado de determinadas substâncias 16 . Vemos também em vários estudos recentes um significativo esforço de refinamento conceitual buscando revisar modelos analíticos influentes, 17 como o interacionismo simbólico e a psicanálise, pelo recurso a contribuições da etnologia e do chamado “pós-estruturalismo” francês.
Mostrar mais

444 Ler mais

Novas perspectivas no estadiamento e tratamento do câncer de esôfago.

Novas perspectivas no estadiamento e tratamento do câncer de esôfago.

RESUMO – Introdução - O câncer de esôfago apresenta-se como uma das neoplasias mais freqüentes e letais. O acometimento linfático aparece como principal fator individual de pior prognóstico, sendo a esofagectomia com linfadenectomia extensa ainda seu tratamento de escolha. Ressecções mais extensas através da toracotomia estão associadas com maior sobrevida, mas apresentam altas taxas de morbimortalidade. O conceito de micrometástases pode nos trazer avaliação mais acurada do estadiamento dos tumores operados, com detecção através de imunoistoquímica ou reação em cadeia de polimerase de metástases não diagnosticadas pelos métodos convencionais. Métodos - Realizou-se revisão bibliográfica de artigos científicos publicados e disponíveis no PubMed, através do site www.pubmed.gov. cruzando-se os descritores neoplasias esofágicas, biologia molecular, estadiamento de neoplasias, linfonodo sentinela, metástase linfática. Revisão da literatura - O conceito do linfonodo sentinela, onde se pesquisa durante a cirurgia os possíveis primeiros sítios de metástases, direcionando desta maneira a rota da ressecção linfática no intuito de permitir ressecções completas não necessariamente extensas, possibilita diminuir a morbimortalidade e restringir as indicações de procedimentos muitas vezes super-dimensionados que podem não trazer benefício aos pacientes. Conclusão - O estadiamento preciso através da procura de mi- crometástase e o tratamento mais regrado pelo método do linfonodo sentinela, podem trazer novas perspectivas no tratamento do câncer de esôfago, principalmente em casos de tumores precoces.
Mostrar mais

6 Ler mais

Vacinas, novas perspectivas

Vacinas, novas perspectivas

A vacinação é um dos maiores sucessos na história da saúde pública. São ferramentas rentáveis e eficazes para a prevenção de infecções virais, principalmente contra vírus que causam infecções agudas. Nas infecções virais agudas, quando se trata por exemplo de uma constipação, o vírus normalmente é eliminado do organismo no período de uma semana. Contudo, em alguns casos as infecções virais agudas tornam-se persistentes no hospedeiro, levando à sua intervenção. Nas infecções virais crónicas, o tipo de infecção é persistente, o que significa que os sintomas são de longa duração, tornando mais difícil e complexa a produção e obtenção das vacinas. Posto isto, a diversidade de doenças infecciosas apresentam um grande desafio para o desenvolvimento de novas estratégias vacinais.
Mostrar mais

59 Ler mais

A Vila e a Prisão: novas perspectivas do conceito de  prisionização

A Vila e a Prisão: novas perspectivas do conceito de prisionização

A argumentação nos serve para justamente indicar que a violência é um fenômeno histórico, assim como as percepções que dela decorrem, e dessa maneira, também são atualizadas constantemente, sugerindo a necessidade de novas abordagens. Tensões entre indivíduos, grupos ou sociedades estão presentes ao longo de toda a história da humanidade e podem, ou não, evoluir para a forma de violência. Esta evolução precede de um pressuposto necessário ao seu entendimento, a saber, o que podemos considerar como de fato, um ato violento. Novas formas de violência atualizam a maneira como grupos, indivíduos ou sociedades consideram, em suas regras, algo passível de ser entendido como violento. Por exemplo, a polarização entre EUA e URSS no pós-guerra acaba por criar duas zonas de influência com um grande potencial bélico e que mantinham o mundo sob grande controle político e militar. Em um ambiente como este, de extrema tensão, era necessário evitar ao máximo o surgimento de conflitos locais vindos dos seus respectivos blocos que pudessem eventualmente causar a fagulha para a explosão de uma guerra. Isso fez com que houvesse um enfraquecimento de outros vetores locais de poder (grupos extremistas, milícias etc.) que estavam naquele momento sob a influência destes blocos, desestruturando sua zona de ação.
Mostrar mais

156 Ler mais

Novas perspectivas para uma sistematização das teorias do jornalismo

Novas perspectivas para uma sistematização das teorias do jornalismo

A aproximação com autores do campo da história e da filosofia da ciência e, em conse- quência, a tentativa de um recorte desta perspectiva aplicada aos estudos de jornalismo,[r]

19 Ler mais

Novas perspectivas para o jogo de empresas líder

Novas perspectivas para o jogo de empresas líder

Na terceira etapa a equipe toma decisões (tabela 2.1) sobre funcionários que lhe são subordinados em empresas simuladas por computador. Estas decisões são introduzidas no sistema computacional que, após a simulação, fornece as conseqüências das mesmas às equipes participantes. Os resultados servir-üies-ão de base para a tomada de novas decisões. Entre uma e outra rodada do jogo os alunos participam de vivências grupais as quais estão descritas e detalhadas na dissertação de Souza (1997). Esta etapa repete-se por um determinado número períodos, a serem definidos pelo animador.
Mostrar mais

101 Ler mais

As novas perspectivas da matriz energética nacional

As novas perspectivas da matriz energética nacional

E como terceira e mais importante conclusão do trabalho é mostrar a importância de um estudo técnico-jurídico para implementação de uma matriz elétrica regionalizada, onde [r]

77 Ler mais

AS NOVAS PERSPECTIVAS DO PROCESSO PENAL BRASILEIRO

AS NOVAS PERSPECTIVAS DO PROCESSO PENAL BRASILEIRO

60 e 70 suas contribuições mais relevantes.. Em países onde o Código de Processo Penal é diploma antigo, como é a realidade nossa, tal atribuição legislativa torna-se sobremane[r]

13 Ler mais

Racionalidade e método científico: novas perspectivas

Racionalidade e método científico: novas perspectivas

natureza fundamentalmente social. Após as suas duras críticas às metodologias, ele chega a afirmar ainda mais: esses elementos não apenas são compatíveis como também estão intimamente vinculados. A ciência só é capaz de produzir a espécie de conhecimento que produz em função da sua estrutura comunitária. Na ausência de um método que oriente as suas decisões, somente um debate dentro dessa comunidade pode estabelecer quais são as visões mais adequadas. O debate não é simplesmente um adereço que vem ilustrar os procedimentos verdadeiramente científicos. É justamente em um debate que as teorias mostram a sua força; é nele que a evidência empírica é apresentada e interpretada, que as relações intrateóricas são discutidas e que o futuro da pesquisa pode ser vislumbrado. Fora de um debate, a crítica é pálida porque feita dentro de pressupostos questionáveis. Dentro de um debate, esses pressupostos podem ser trazidos à tona e discutidos seriamente. Valores e critérios aparentemente vagos podem ser precisados e novas questões podem ser colocadas. Não existe, obviamente, a certeza de que o debate será conclusivo. No final, pode acontecer das partes permanecerem irredutíveis. De qualquer forma, novas evidências terão sido esclarecidas e questões insuspeitas terão sido reveladas. Mesmo que as partes específicas não cheguem a um acordo, o debate empreendido fornecerá subsídio suficiente para que futuramente a comunidade decida. A decisão é por certo falível, mas as garantias certamente são maiores do que no caso hipotético de uma decisão individual.
Mostrar mais

140 Ler mais

APLICAÇÕES SUSTENTÁVEIS DE BIOMASSA: NOVAS PERSPECTIVAS

APLICAÇÕES SUSTENTÁVEIS DE BIOMASSA: NOVAS PERSPECTIVAS

RESUMO: Discussões sobre a sustentabilidade e sobre o emprego de recursos naturais estão na ordem do dia. O exemplo mais comum de biomassa é o bagaço da cana-de-açúcar, que vem sendo utilizado comumente para a produção de energia, seja pela queima pura e simples, seja por hidrólise para produzir etanol. A quitosana, que pode ser obtida a partir de cascas de camarão, por outro lado, não tem um potencial energético, mas pode ser modificada quimicamente para o tratamento de efluentes, sendo que esta pode ser uma aplicação também do bagaço de cana. Ácidos carboxílicos de variados pesos moleculares também podem ser produzidos utilizando-se bagaço como fonte de nutrientes para micro-organismos. Tanto íons quanto corantes podem ser removidos de efluentes têxteis por absorção, mediante o uso de matrizes sólidas como o bagaço ou a quitosana. Além dos tratamentos convencionais, pode-se pensar em aderir moléculas de oligossacarídeos cíclicos na superfície tanto de bagaço quanto da quitosana, abrindo novas possibilidades inclusive no encapsulamento de agentes antimicrobianos.
Mostrar mais

10 Ler mais

Emprego e organizações : mudanças e novas perspectivas : actas

Emprego e organizações : mudanças e novas perspectivas : actas

Geralmente, apostava-se num dado modelo (e instrumentos dele decorrentes) que se tentava rentabilizar, o que é compreensivel do ponto de vista da gestão geral e comercial [r]

62 Ler mais

Proteômica e sepse: novas perspectivas para o diagnóstico.

Proteômica e sepse: novas perspectivas para o diagnóstico.

Para análise comparativa das imagens, foi utilizado o programa ImageMaster 2D Platinum (Amersham Biosciences), e, após processamento da lista de todos os spots (dados não mostrado[r]

9 Ler mais

Novas perspectivas para tratamento da doença de Parkinson

Novas perspectivas para tratamento da doença de Parkinson

Caso em humanos a massa de mitocôndrias também seja inferior em neurônios dopaminérgicos da substância negra pars compacta, isso pode contribuir para o aumento da vulner[r]

50 Ler mais

Novas perspectivas no tratamento da hiperplasia adrenal congênita

Novas perspectivas no tratamento da hiperplasia adrenal congênita

A HAC é um distúrbio congênito, caracterizado pela deficiência na biossíntese do cortisol, associado ou não à deficiência de aldosterona e, consequentemente, à superprodução de andrógeno. Essa condição afeta igualmente homens e mulheres. No sexo feminino, acarreta virilização da genitália externa em graus variados. No sexo masculino, nenhuma anormalidade se apresenta fenotipicamente ao nascimento. Tradicionalmente, o tratamento dessa síndrome consiste na reposição diária de glicocorticoides e mineralocorticoides. Novas terapias têm sido propostas com intuito de se obterem resultados mais satisfatórios; dentre elas, existem: análogos do LHRH, GH, inibidores da aromatase, antiandrógenos e a adrenalectomia. Resultados preliminares apontam para uma melhora da altura final e do manejo clínico dos pacientes submetidos aos novos tratamentos. O objetivo deste estudo foi revisar a literatura acerca dessas novas modalidades terapêuticas, com o intuito de explorar o que há de mais novo na abordagem dessa síndrome.
Mostrar mais

6 Ler mais

Novas perspectivas metodológicas na avaliação de políticas públicas

Novas perspectivas metodológicas na avaliação de políticas públicas

A obra aqui apresentada, Frameworks for policy analisis, de autoria de Raul Lejano, nascido nas Filipinas e atualmente professor da Universidade da Califórnia, consiste em uma proposta inovadora e polêmica para a área de avaliação de políticas públicas. Ino- vadora porque fornece novos referenciais teórico-metodológicos capazes de integrar as perspectivas quantitativas e qualitativas de análise, de forma a alcançar um nível mais profundo de compreensão de questões não resolvidas pelos métodos tradicionais. Polê- mica porque o autor coloca em questão os modelos positivistas de análise que há dé- cadas vem orientando os estudos na área de políticas públicas, afirmando e mostrando quão limitados são em seu poder explicativo. O livro é composto de três partes. Na pri- meira, o autor examina os fundamentos das análises correntes de políticas públicas, pers- crutando os caminhos que influenciaram o desenvolvimento dos modelos pautados numa racionalidade positivista. Na segunda parte, o autor, da mesma forma, busca traçar os caminhos que levaram à reação contra os modelos positivistas e redundaram na emer-
Mostrar mais

3 Ler mais

Síndrome amotivacional e consumo de cannabis : novas perspectivas

Síndrome amotivacional e consumo de cannabis : novas perspectivas

despenalização do seu consumo e eventual utilização para fins terapêuticos torna premente a identificação e caracterização extensiva dos seus efeitos agudos e crónicos, nomeadamente o Síndrome Amotivacional, relacionado com consumos frequentes e essencialmente caracterizado por apatia, anedonia, embotamento afectivo e diminuição da motivação para actividades dirigidas a objectivos. É essencial a exploração desta e de outras consequências do uso desta substância, nomeadamente dos seus efeitos na adolescência - idade em que, geralmente, se iniciam os consumos - para delinear novas estratégias preventivas e terapêuticas eficazes, identificando possíveis diagnósticos diferenciais e evitando prescrição desnecessária.
Mostrar mais

29 Ler mais

Reabilitação do espaço público. Novas perspectivas para Alenquer

Reabilitação do espaço público. Novas perspectivas para Alenquer

O ambiente da rua, enquanto espaço público, é “desenhado” de formas distintas, devido, essencialmente, às diferentes culturas onde se insere, ao local e à sua dim[r]

200 Ler mais

Paralisia cerebral, novas perspectivas terapêuticas.

Paralisia cerebral, novas perspectivas terapêuticas.

Quando a epilepsia está associada, o tratamento medi- camentoso se baseia no uso de anticonvulsivos: fenobarbi- tal, fenitoina, carbamazepina, valproato, vigabatrina, la- motrigina ou topiramato, com suas indicações específicas para cada tipo de epilepsia, nas doses e nos intervalos recomendados. A maioria dos casos responde bem à monoterapia com fenobarbital nos RNs e lactentes meno- res; nos casos de epilepsia focal, as drogas de escolha são fenitoina, carbamazepina ou oxcarbazepina; nas formas multifocais, a principal indicação é valproato. As drogas mais novas, como lamotrigina, vigabatrina, gabapentina, topiramato e felbamato, têm indicações nos casos em que a epilepsia refratária exige politerapia. Quando há associa- ção com síndrome de West, a corticoterapia está indicada. As drogas mais utilizadas e as doses estão indicadas na Tabela 2.
Mostrar mais

7 Ler mais

Show all 10000 documents...