Painéis cimento-madeira - Propriedades físicas e mecânicas

Top PDF Painéis cimento-madeira - Propriedades físicas e mecânicas:

Propriedades tecnológicas de painéis cimento-madeira produzidos com partículas de eucalipto

Propriedades tecnológicas de painéis cimento-madeira produzidos com partículas de eucalipto

Os resultados obtidos no presente estudo permitiram concluir quanto: as propriedades físicas e mecânicas: o tratamento composto por painéis com partículas tratadas com hidróxido de cálcio (Ca(OH) 2 ) apresentou os melhores valores médios com exceção do módulo de ruptura. Assim, pode-se dizer que foi o melhor método de tratamento das partículas; a outras pesquisas publicadas: os valores médios encontrados foram satisfatórios; aos painéis comerciais produzidos pelo processo BISON: todos os valores médios encontrados para a estabilidade dimensional dos painéis e para as propriedades mecânicas atenderam as especificações, com exceção do módulo de ruptura a flexão estática.
Mostrar mais

7 Ler mais

Potencial de utilização da madeira de clones de eucalipto na produção de painéis cimento-madeira

Potencial de utilização da madeira de clones de eucalipto na produção de painéis cimento-madeira

A madeira é um material amplamente utilizado na construção civil, não encontrando substituto em muitas operações nessa área. Isso acontece por ela apresentar ótimas características de resistência mecânica e durabilidade associadas à fácil trabalhabilidade. Porém, a madeira ainda apresenta certas restrições de uso devido, principalmente, à sua anisotropia. Os painéis reconstituídos de madeira podem ser utilizados para reduzir os efeitos indesejáveis associados à madeira bruta e, ao mesmo tempo, manter as características que fazem da madeira um material tão indicado por arquitetos e engenheiros. Nesse contexto, os painéis de cimento-madeira são uma ótima escolha, apresentando boa resistência ao ataque de fungos, bom isolamento térmico e acústico, além de serem parcialmente incombustíveis. Este trabalho foi realizado com os objetivos de verificar a viabilidade técnica da utilização de partículas de madeiras a partir de diferentes clones de Eucalipto na produção de painel cimento-madeira, verificar a viabilidade técnica do potencial de utilização desses clones na produção de painéis cimento-madeira e determinar as propriedades físicas e mecânicas dos painéis produzidos. Para isso foram utilizados 6 clones de Eucalipto, com 5 árvores para cada clone. Foram obtidos discos a 0%, 25%, 50%, 75% e 100% da altura do tronco. A partir desses discos foram retiradas cunhas para a determinação da densidade básica. As análises químicas feitas foram solubilidade em água quente e fria, extrativos totais, teor de lignina insolúvel e holocelulose. O tratamento em água fria foi o preferido, sendo utilizado no restante das partículas. Foram definidos os parâmetros de prensagem e a quantidade de material utilizada para a confecção dos painéis. Para efeito de comparação, foram feitos painéis com uma mistura, em partes iguais, das partículas dos seis clones e também painéis com partículas provenientes de 4 árvores de Pinus oocarpa. Com os painéis prontos, aguardou- se por um tempo de cura de 28 dias. A análise estatística foi feita pelo teste de Scott-Knott, a 5% de significância. Os resultados mostraram ser viável a confecção de painéis de cimento-madeira a partir da madeira de clones de Eucalipto.
Mostrar mais

70 Ler mais

Avaliação das propriedades físico-mecânicas de painéis de cimento-madeira utilizando farinha de madeira com granulometria controlada

Avaliação das propriedades físico-mecânicas de painéis de cimento-madeira utilizando farinha de madeira com granulometria controlada

O objetivo principal deste trabalho foi avaliar a resistência à compressão e flexão de painéis de cimento-madeira e determinar as características físicas de absorção de água, inchamento, módulo de ruptura, módulo de elasticidade e densidade dos painéis de cimento-madeira produzidos com farinha de madeira com distribuição granulométrica controlada. Utilizou-se, para isso, cimento de alta resistência inicial e cloreto de cálcio como acelerador de cura. Este trabalho também compara os resultados obtidos com aqueles apresentados por outros autores que pesquisaram o compósito de cimento-madeira.
Mostrar mais

10 Ler mais

Caracterização das propriedades físicas e mecânicas da madeira de pinho bravo e de freixo do nordeste transmontano

Caracterização das propriedades físicas e mecânicas da madeira de pinho bravo e de freixo do nordeste transmontano

A madeira, predominantemente anisotrópica e heterogénea, não apresenta valores de retração equivalentes segundo as três direções, longitudinal, tangencial e radial. Esta heterogeneidade depende também da espécie de madeira. A retração é mais acentuada na direção tangencial às camadas de crescimento e com um valor reduzido para metade ou até menos (cerca de 1/3) na direção radial, dependendo da espécie de madeira. A direção longitudinal das fibras, tem valores de retração muito pequenos que são, em geral, desprezados nos estudos efetuados para as diversas espécies de madeira, [6]. Os coeficientes de retração, linear (longitudinal, radial e tangencial), volumétrico, e ainda a razão entre a retração tangencial e a radial, dão uma indicação da tendência da madeira para empenar. Cada um destes parâmetros, de extrema importância para o estudo do comportamento da madeira, pode ser determinado através de ensaios laboratoriais, [6].
Mostrar mais

123 Ler mais

Propriedades físicas de painéis aglomerados de madeira produzidos com adição de película de polipropileno biorientado.

Propriedades físicas de painéis aglomerados de madeira produzidos com adição de película de polipropileno biorientado.

No Brasil, as últimas décadas foram marcadas pela crescente produção de paineis de madeira seguida pelo aumento do consumo nacional; isto descreve o quão promissora é a área devido à sua grande potencialidade quanto ao desenvolvimento de novos produtos e tecnologias; como exemplo disto existe a possibilidade de mistura entre materiais lignocelulósicos e os diversos resíduos produzidos pela sociedade. Entre tais resíduos o plástico é o que apresenta maior abundância nos descartes domésticos. Neste contexto, o presente trabalho objetivou determinar propriedades físicas de paineis aglomerados homogêneos confeccionados com partículas de madeira de Eucalyptus sp e Pinus sp e de embalagens de película de polipropileno biorientado tendo, como adesivo, a resina poliuretana à base de óleo de mamona. Foram avaliadas as propriedades: inchamento em espessura e absorção de água, com corpo de prova com e sem impermeabilização, e massa especíica. Concluiu-se que, dos fatores investigados, apenas o uso do impermeabilizante foi signiicativo. De acordo com a ANSI A208.1 (ANS, 1999) os paineis produzidos são classiicados como de alta massa especíica (H). Relativamente ao inchamento em espessura por 2 h, os paineis atenderam ao exigido pela NBR 14810 (ABNT, 2013) para espessura de 8 a 13 mm.
Mostrar mais

6 Ler mais

Variações dentro das árvores e entre clones das propriedades físicas e mecânicas da madeira de híbridos de Eucalyptus

Variações dentro das árvores e entre clones das propriedades físicas e mecânicas da madeira de híbridos de Eucalyptus

apresentam grandes variações em torno da média geral (considerando-se todos os clones). Estes valores sugerem que todos os clones podem ser utilizados para produção de madei- ra serrada. No entanto, notam-se variações sig- nificativas entre os clones, verificando-se os va- lores percentuais entre as médias obtidas de contração das posições radiais das toras. Con- siderando-se essas diferenças percentuais dos clones, pode-se destacar os clones 7, 4 e 3 por apresentarem menores oscilações entre as po- sições radiais estudadas (esses valores não di- ferem entre si estatisticamente). A menor varia- ção da contração radial da tora mostra uma maior homogeneidade na qualidade da madei- ra. Entre esses três clones, o clone 7 apresen- tou maior diferença percentual entre posições radiais para densidade básica. Os três clones citados são os que possuem melhores caracte- rísticas físicas entre os clones estudados, sen- do que no clone 1, observa-se o menor coefici- ente de anisotropia, característica desejável para utilização como madeira serrada.
Mostrar mais

15 Ler mais

EFEITO DE ALGUMAS VARIÁVEIS DE PROCESSAMENTO NAS PROPRIEDADES FÍSICAS DE PAINÉIS  DE MADEIRA DE PARTÍCULAS ALONGADAS

EFEITO DE ALGUMAS VARIÁVEIS DE PROCESSAMENTO NAS PROPRIEDADES FÍSICAS DE PAINÉIS DE MADEIRA DE PARTÍCULAS ALONGADAS

No Laboratório de Tecnologia da Madeira da UFLA, os painéis foram cortados em corpos-de-prova com as dimensões de 150 mm de largura por 150 mm de comprimento para estudo de absorção de água (AA), inchamento em espessura (IE) e taxa de não-retorno em espessura (TNRE). De cada painel foram cortados quatro corpos-de-prova, os quais inicialmente foram pesados e medidos (largura, comprimento e espessura), em seguida foram submersos em água e após 2 e 24 horas foram feitas, novamente, medições da espessura e peso.

10 Ler mais

Incorporação de casca de arroz e de braquiária e seus efeitos nas propriedades físicas e mecânicas de tijolos de solo-cimento.

Incorporação de casca de arroz e de braquiária e seus efeitos nas propriedades físicas e mecânicas de tijolos de solo-cimento.

RESUMO: A forma indiscriminada de extração dos recursos naturais e a poluição gerada pelos resíduos promovem impactos sobre o meio ambiente e é motivo de grande preocupação. Visando a oferecer alternativas de destinação de resíduos agrícolas, o presente trabalho estudou composições da mistura de solo-cimento-resíduo agrícola, tendo como objetivo principal determinar os teores máximos de resíduos a serem incorporados sem o comprometimento de suas características mecânicas. Foram utilizados dois tipos de resíduos vegetais (cascas de arroz e de braquiária) e utilizou-se o cimento Portland CP II-F-32 para a composição dos tratamentos. Nas combinações, os teores de cimento e resíduo variaram desde 100% de cimento e 0% de resíduo, até 60% de cimento e 40% de resíduo. Os tijolos foram prensados com o auxílio de máquina de fabricação de tijolos e submetidos aos ensaios de compressão simples e absorção de água. Os melhores resultados, em termos de resistência à compressão simples e de absorção de água, foram obtidos pelos tratamentos com substituição de 10% de resíduos vegetais em relação ao teor de cimento. De forma geral, os resultados sugerem a possibilidade do uso desses resíduos no teor de 10%, sem o comprometimento das propriedades mecânicas relacionadas à resistência e à absorção de água dos tijolos de solo- cimento.
Mostrar mais

11 Ler mais

Propriedades físicas e mecânicas da madeira de mogno africano (Khaya ivorensis A. Chev.)

Propriedades físicas e mecânicas da madeira de mogno africano (Khaya ivorensis A. Chev.)

Este trabalho foi realizado com o objetivo de determinar as propriedades físicas e mecânicas da madeira de Khaya ivorensis, vulgarmente conhecida como mogno africano, procedente de duas árvores isoladas, localizadas no município de Seropédica, estado do Rio de Janeiro. As árvores apresentaram DAP aproximado de 90 e 100 cm e idade em torno de 30 anos. As características avaliadas foram: densidade básica e aparente, variação volumétrica, resistência e rigidez à compressão paralela e perpendicular às fibras, resistência ao cisalhamento paralelo às fibras e dureza Janka. Os procedimentos foram realizados segundo a norma ABNT: NBR7190/97. Para as propriedades físicas, observaram-se valores médios para densidade aparente de 0,73 g.cm -3 , densidade básica de 0,63 g.cm -3 , sendo a madeira de média densidade, retração radial de 4%, tangencial 6%, volumétrica 10% e coeficiente de anisotropia de 1,5 o que a classificou como madeira de excelente estabilidade dimensional. Nas avaliações das propriedades mecânicas, o valor médio de resistência máxima à compressão paralela às fibras foi de 492 kgf.cm -2 ; enquanto que de compressão perpendicular foi de 114 kgf.cm -2 e cisalhamento de 153 kgf.cm -2 . Em relação à dureza Janka, os valores médios obtidos, na direção radial de 503 kgf.cm -2 , na direção tangencial de 495 kgf.cm -2 e na longitudinal de 558 kgf.cm -2 .
Mostrar mais

27 Ler mais

CARATERIZAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DA MADEIRA DE CARVALHO E DE CASTANHO DO NORDESTE TRANSMONTANO

CARATERIZAÇÃO DAS PROPRIEDADES FÍSICAS E MECÂNICAS DA MADEIRA DE CARVALHO E DE CASTANHO DO NORDESTE TRANSMONTANO

No geral, os provetes de castanho revelaram variações dimensionais, teor em água e massa volúmica de ordem de grandeza superior às do carvalho, contudo é necessário relembrar que a anisotropia é um facto de grande influência no estudo do comportamento da madeira e nada garante que, perante outras amostras, os resultados sejam rigorosamente iguais aos obtidos na fase experimental desta dissertação. Observações a tirar, nos dois primeiros ciclos os valores são muito idênticos dentro de cada espécie de madeira, o mesmo já não acontece com a comparação dos dois primeiros com o terceiro ciclo, existindo neste último algumas variações significativas, em alguns casos verificam-se ganhos e noutros perdas, mas nada de grande relevância. Como seria de esperar a variação dimensional segundo a direção tangencial é sempre superior em relação à direção radial, que por sua vez é superior na direção longitudinal, os coeficientes de variação dimensional, linear e volumétrica, traduzem isso mesmo.
Mostrar mais

111 Ler mais

Estimativas de parâmetros genéticos de propriedades físicas e mecânicas da madeira em Eucalyptus grandis

Estimativas de parâmetros genéticos de propriedades físicas e mecânicas da madeira em Eucalyptus grandis

PALAVRAS-CHAVE: Madeira serrada, Propriedades da madeira, Melhoramento genético ABSTRACT: Forty-one open pollinated progenies of Eucalyptus grandis, Luís Antonio, SP provenance (origin Atherton, Austrália), were evaluated in two Completely Random Block design with three replications, carried out at Altinópolis, SP, in the experimental area of Votorantim Celulose e Papel Company. A total of 242 trees (logs) were evaluated at 8 years old. The mechanical processing of the logs and the drying process of the planks were both provided by using industrial facilities of Eucatex S/A Indústria e Comércio Company, in Salto, SP. Wood samples from the outer plank of the logs were prepared in order to determine their mechanical properties. The estimation of variance components was performed by using the Restricted Maximum Likelihood (REML) procedure. The traits specific gravity, parallel compression and static bending showed promising for breeding purposes, while the trait shear strength did not show the occurrence of genetic variability.
Mostrar mais

11 Ler mais

PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE PAINÉIS AGLOMERADOS PRODUZIDOS COM DIFERENTES PROPORÇÕES DE MADEIRA E CASCA DE ARROZ

PROPRIEDADES FÍSICO-MECÂNICAS DE PAINÉIS AGLOMERADOS PRODUZIDOS COM DIFERENTES PROPORÇÕES DE MADEIRA E CASCA DE ARROZ

A ligação interna foi uma das maiores deficiências das chapas que apresentavam uma maior proporção de casca de arroz. Essa característica, que indica o quão significativa foi à interação realizada entre as partículas e o adesivo utilizado, está diretamente relacionada com todas as demais propriedades físico-mecânicas avaliadas no presente estudo. Os baixos valores de ligação interna podem estar relacionados à estrutura cilíndrica e oca das partículas da palha, que podem ter atuado como uma barreira durante a aplicação da resina (HIZIROGLU et al., 2005). Outra provável influência é a baixa permeabilidade mencionada por Youngquist et al. (1993), que pode ter dificultado a colagem das partículas. Lee e Kang (1998) também observaram que o aumento do percentual das partículas de casca de arroz resulta numa diminuição das propriedades físicas e de resistência mecânica das chapas. Entretanto, o seu incremento pequenas concentrações, como de 5 a 15%, podem não apresentar nenhum impacto significativo nas propriedades das chapas.
Mostrar mais

12 Ler mais

ARTIGO_Propriedades físicas e mecânicas de painéis de lâminas paralelas (PLP) produzidos com madeira de Hevea brasiliensis

ARTIGO_Propriedades físicas e mecânicas de painéis de lâminas paralelas (PLP) produzidos com madeira de Hevea brasiliensis

Vários autores têm estudado diferentes espécies florestais de rápido crescimento, visando viabilizar a aplicação desses painéis na indústria da construção civil brasileira. Lahr et al. (2007) estudaram a estimativa da porcentagem de delaminação de painéis PLP produzidos com o híbrido Eucalyptus grandis Hill ex Maiden X Eucalyptus urophylla S.T. Blake, enquanto Iwakiri et al. (2008) avaliaram a produção de painéis estruturais com madeiras de Eucalyptus grandis Hill ex Maiden e Eucalyptus dunnii Maiden. Ambos os autores obtiveram resultados satisfatórios na avaliação das propriedades físicas e mecânicas. Pesquisas têm mostrado o potencial de utilização de madeiras tropicais na produção de painéis PLP, como observado por Berger et al. (2018) estudaram PLP produzidos com a combinação de lâminas das madeiras de Hovenia dulcis (Cajueiro japonês) e Corymbia citriodora (Eucalipto citriodora), os quais obtiveram satisfatórios resultados nos ensaios de flexão estática e cisalhamento da linha de cola. Mendoza et al. (2017) compararam as propriedades de painéis compensados e painéis PLP de Trattinnickia burserifolia (Amescla), verificaram superioridade em relação ao painel compensado, sendo, uma alternativa viável dentro do setor madeireiro, ampliando a quantidade de produtos disponíveis para o mercado consumidor.
Mostrar mais

8 Ler mais

Avaliação das propriedades físicas e mecânicas do concreto compactado com rolo com substituição parcial de cinza de madeira

Avaliação das propriedades físicas e mecânicas do concreto compactado com rolo com substituição parcial de cinza de madeira

Por ter menor módulo de finura, a área superficial das partículas de cinza é maior que a do pó-de-pedra. Logo, a adição das cinzas faz com que a superfície de grãos a serem ligados seja maior para a mesma quantidade de cimento, em relação a FB. A dificuldade de ligação das partículas irá interferir diretamente na resistência mecânica adquirida, visto que, como afirma Harrington et al. (2010) a transferência de cargas desse tipo de concreto se dá por meio dessas ligações.

61 Ler mais

Utilização de pó de madeira em granulometria controlada na produção de painéis de cimento-madeira

Utilização de pó de madeira em granulometria controlada na produção de painéis de cimento-madeira

Esse trabalho teve como objetivo a pesquisa de painéis de cimento-madeira utilizando pó de madeira com granulometria controlada, onde a madeira utilizada para gerar o pó vem do reaproveitamento do rejeito de indústrias madeireiras. O material utilizado foi do gênero Pinus sp, onde o que diferencia esse trabalho, além da granulometria dessas partículas, pois todas têm dimensões menores que 0,8 mm, é a sua origem controlada, uma vez que esse material é industrializado. O trabalho foi dividido em duas etapas distintas: a primeira etapa consistiu na execução de quatro corpos de prova cilíndricos para cada granulometria da madeira, com teor de madeira variando de 7,5 % até 25%, adensando-os apenas por vibração. Dessa forma verificou-se que as resistências obtidas com esses ensaios foram superiores às resistências obtidas por outros autores que utilizaram fibras longas ou partículas em seus corpos de prova, para os mesmos teores. A segunda etapa do experimento consistiu na fabricação de painéis de cimento madeira, utilizando quatro granulometrias distintas, todas do gênero Pinus sp e quatro aditivos químicos. Verificou-se que a mistura do pó de madeira com a menor granulometria obteve os piores resultados. Por outro lado os aditivos à base de cloretos tiveram um excelente comportamento fornecendo os melhores resultados. Assim a combinação do pó de madeira com granulometria maior e o aditivo a base de cloreto de cálcio foi aquela em que as propriedades tiveram seus valores melhorados. Foram utilizados neste trabalho teores de 25% e 36% de pó de madeira para a confecção dos painéis, sendo que os resultados das propriedades analisadas foram melhores para o teor de 25% tendo, no entanto, pouca diferença em relação ao teor de 36%. Testou-se também a combinação de dois aditivos, o silicato de sódio e o sulfato de alumínio para a confecção dos painéis. Verificou-se que não houve melhora significativa das propriedades analisadas. Por sua vez, a análise comparativa dos custos de fabricação dos painéis indicou que melhor opção foi a mistura do pó de madeira com a maior granulometria e o aditivo a base de cloreto de cálcio.
Mostrar mais

202 Ler mais

Propriedades físico-mecânicas de painéis aglomerados produzidos com a madeira de Eucalyptus grandis em diferentes posições radiais

Propriedades físico-mecânicas de painéis aglomerados produzidos com a madeira de Eucalyptus grandis em diferentes posições radiais

sendo obtidos bons resultados com a utilização de cavacos e maravalhas, geradas pelo aplaina- mento de tábuas de cerne e/ou alburno (DA- COSTA et al., 2005; CABRAL et al., 2007), com diferentes resíduos de serraria de diferentes espé- cies (IWAKIRI et al., 2000; IWAKIRI et al., 2012) e com o material originário do processo de ar- redondamento das toras para laminação (MEN- DOZA, 2010; GUIMARÃES JÚNIOR et al., 2011). No entanto, ainda faltam muitas informa- ções a respeito da utilização dos diferentes re- síduos, pois a qualidade do painel pode variar em função de vários fatores, dentre os quais o tipo de madeira processada e as diferentes regi- ões das toras utilizadas, em função basicamente de diferenças químicas, físicas e anatômicas da madeira. Dentro desse contexto, o objetivo do trabalho foi avaliar as propriedades físico-mecâ- nicas de painéis aglomerados produzidos com diferentes regiões radiais da madeira de Eucalyp-
Mostrar mais

8 Ler mais

Painéis compósitos de madeira-cimento com resíduos do pseudocaule da bananeira

Painéis compósitos de madeira-cimento com resíduos do pseudocaule da bananeira

A madeira representa um dos materiais mais leves e sustentáveis de construção, ocupando um lugar fundamental no desenvolvimento da história dos materiais e processos construtivos, continuando ainda hoje a dar frutos das suas mais valias. É um material de engenharia muito valioso e, em muitos casos, os avanços tecnológicos tornaram-no ainda mais útil. Os fatores inerentes que mantêm a madeira na vanguarda das matérias-primas são vastos e variados, mas um atributo principal é sua disponibilidade em muitas espécies, tamanhos, formas e condições para atender a quase todas as necessidades. A madeira tem uma alta relação entre resistência e massa e um registo notável de durabilidade e desempenho como material estrutural (Parracha, 2018). Quando seca tem boas propriedades de isolamento térmico, acústico e de condutibilidade elétrica. A sua morfologia e tonalidades fazem dela um material esteticamente agradável e a sua aparência pode ser facilmente alterada através de revestimentos como vernizes e lacas, entre outros acabamentos, podendo também ser esculpida com facilidade. A madeira danificada é facilmente reparada e as estruturas de madeira são correntemente reforçadas, alteradas ou reutilizadas. Além disso, resiste à oxidação, água salgada e outros agentes corrosivos, tem alto valor de recuperação, boa resistência ao choque, pode ser tratada com conservantes e retardantes de fogo e pode ser combinada com quase qualquer outro material para usos funcionais e estéticos (Parracha, 2018).
Mostrar mais

95 Ler mais

Avaliação das principais propriedades físicas e mecânicas da madeira de Eucalyptus benthamii Maiden et Cambage.

Avaliação das principais propriedades físicas e mecânicas da madeira de Eucalyptus benthamii Maiden et Cambage.

Os resultados obtidos para as propriedades mecânicas da madeira de E.  benthamii estão apresentados na Tabela 2, na qual pode ser observado que, quanto à resistência à compressão paralela às fibras, os resultados obtidos foram consideravelmente inferiores aos apresentados pela ABNT (1997) na NBR 7190, para 17 espécies de eucaliptos, cuja resistência variou entre 40,3 MPa (E.  grandis) e 78,5 MPa (E.  punctata), e o módulo de elasticidade, entre 12.813 MPa (E.  grandis) e 19.881 MPa (E. paniculata). Essa menor resistência do E. benthamii à compressão paralela às fibras está possivelmente relacionada com as características do material utilizado nos ensaios, o qual, em função da idade, apresentava grande quantidade de madeira juvenil, o que, normalmente, tende a afetar negativamente as propriedades físicas e mecânicas da madeira.
Mostrar mais

8 Ler mais

Propriedades físicas de painéis aglomerados comerciais confeccionados com bagaço de cana e madeira

Propriedades físicas de painéis aglomerados comerciais confeccionados com bagaço de cana e madeira

um adesivo sintético e consolidadas sob alta pressão e temperatura. Apesar de a madeira ser a principal matéria-prima para produção de painéis aglomerados, diversos países têm buscado a sua substituição, pelo menos parcial, por resíduos agrícolas. Assim, atualmente, pesquisadores vêm mostrando a viabilidade do emprego de resíduos de diversas origens para a produção de aglomerados, pois, além de contribuir para o atendimento da demanda de painéis, gera materiais que preservam os recursos naturais e oferece um destino adequado aos resíduos (Mendes et al., 2009).
Mostrar mais

8 Ler mais

Avaliação das propriedades físicas e mecânicas de painéis de fibras de média densidade (MDF) produzidos pelas indústrias brasileiras

Avaliação das propriedades físicas e mecânicas de painéis de fibras de média densidade (MDF) produzidos pelas indústrias brasileiras

O painel MDF é um produto que apresenta características muito similares à madeira sólida, tendo em vista ser um painel reconstituído de fibras individualizadas e aglutinadas por meio de ligações adesivas. É um produto com características superiores em comparação aos painéis de partículas aglomeradas, principalmente no que se refere à estabilidade dimensional e condições de usinagem, tanto nas bordas quanto nas faces. Com densidade adequada e perfeita homogeneidade da estrutura proporcionada pelas fibras, o painel MDF pode ser facilmente pintado e revestido, torneado, entalhado e perfurado. Além disso, por não possuir nós, veios e imperfeições típicas de uma madeira natural, o MDF tem a vantagem de poder ser usinado de diferentes formas. As opções de acabamento normalmente utilizadas são: “in natura”, pintado e revestido com laminado de baixa pressão (BP) ou finish foil (FF) (ABIPA, 2008).
Mostrar mais

6 Ler mais

Show all 10000 documents...