Paleoambiental - Estudo

Top PDF Paleoambiental - Estudo:

ARQUEOLOGIA E ESTUDO PALEOAMBIENTAL NO PLANALTO DE SANTA CATARINA

ARQUEOLOGIA E ESTUDO PALEOAMBIENTAL NO PLANALTO DE SANTA CATARINA

Também no âmbito do PRONAPA, mas tendo como área de estudo o estado do Paraná, Igor Chmyz mapeou diversos sítios e definiu fases que, atualmente, são associadas aos povos Jê Meridionais. No primeiro ano do referido programa, Chmyz (1967) realizou levantamentos ao longo do rio Paranapanema, entre os rios Itararé (a leste) e Tibagi (a oeste), durante os quais mapeou 75 sítios arqueológicos, destes, 9 não cerâmicos e 66 cerâmicos. Entre os sítios cerâmicos, 62 eram compostos por vasilhames vinculados à Tradição Tupiguarani, enquanto que os 4 outros foram classificados como não Guarani, e dão origem à fase Itararé, posteriormente Tradição Itararé. Chmyz (1967) não descreve com detalhes a cerâmica que caracteriza tal fase, atendo-se apenas em informar que foram manufaturadas predominantemente por acordelamento, que possuem ambas as superfícies de cor negra, e que se verifica na pasta a adição de antiplástico fino, não superior a 1.0 mm. Outro aspecto levantado por Chmyz (1967) é o fato de terem sido encontrados fragmentos de cerâmica comparáveis aos da fase Itararé nos sambaquis da faixa litorânea dos estados de Santa Catarina e Paraná.
Mostrar mais

227 Ler mais

Estudo de comunidades de foraminíferos em manguezal do Rio Itapanhaú, Bertioga-SP, aplicado à reconstrução paleoambiental

Estudo de comunidades de foraminíferos em manguezal do Rio Itapanhaú, Bertioga-SP, aplicado à reconstrução paleoambiental

restrita a certas faixas de flutuação das variáveis ambientais, o que as qualifica como indicadoras ambientais, tanto das condições de conservação como do nível relativo do mar, entre outras aplicações (DEBENAY et al, 2002; SCOTT & MEDIOLI, 1980; YANKO et al, 1994). No caso dos ambientes da zona entremarés, há muitos trabalhos que os separam em duas grandes subzonas: uma topograficamente mais elevada, colonizada exclusivamente por espécies aglutinantes e com menor diversidade de espécies, e outra topograficamente mais baixa, dominada por espécies calcárias e com maior diversidade (SEMENSATTO-JR et al., 2009). Este padrão serve às reconstruções do nível relativo do mar, hoje mais concentradas no Quaternário, sendo que os ambientes de manguezal ocupam posição de destaque neste tipo de estudo no cenário internacional.
Mostrar mais

24 Ler mais

RECONSTITUIÇÃO PALEOAMBIENTAL DA REGIÃO DOS CERRADOS DO NORTE DE MINAS GERAIS BASEADA NA ANÁLISE PALINOLÓGICA DE SEDIMENTOS DE VEREDAS E NA COMPARAÇÃO COM CONJUNTOS POLÍNICOS ATUAIS

RECONSTITUIÇÃO PALEOAMBIENTAL DA REGIÃO DOS CERRADOS DO NORTE DE MINAS GERAIS BASEADA NA ANÁLISE PALINOLÓGICA DE SEDIMENTOS DE VEREDAS E NA COMPARAÇÃO COM CONJUNTOS POLÍNICOS ATUAIS

Em um estudo realizado no oeste do Canadá, MacDonald & Ritchie (1986) analisaram amostras superficiais coletadas em 127 lagos; a vegetação em torno de cada lago foi classificada de acordo com os principais tipos de vegetação desta região (tundra, floresta-tundra, floresta boreal do norte, floresta boreal do sul, floresta de transição, floresta subalpina, transição floresta-campo, e campo). Desta forma, para cada um dos tipos de vegetação da região, os autores obtiveram vários conjuntos polínicos característicos, a partir da análise das amostras superficiais de sedimentos lacustres. Além das amostras superficiais, os autores obtiveram dois testemunhos sedimentares de onde coletaram amostras fósseis datando do início do Holoceno ao presente. O método estatístico empregado para comparar os conjuntos polínicos atuais entre si, e com as amostras fósseis, foi a Análise de Componentes Principais, método que possibilita uma representação gráfica onde figuram simultaneamente os eixos dos dois primeiros componentes principais, os eixos de escores dos táxons e os escores das amostras. Esta gráfico, nomeado Principal Components Distance Biplot (PCB), tem a vantagem de gerar diagramas onde a distância entre as amostras reflete a dissimilaridade entre elas. Esta técnica possibilita classificar os espectros polínicos, determinar a importância de cada táxon polínico nos diferentes tipos de vegetação, e avaliar o grau de heterogeneidade entre os espectros polínicos pertencentes ao mesmo tipo de vegetação, assim como entre aqueles de vegetações diferentes. Em MacDonald & Ritchie (1986), o gráfico PCB foi utilizado, em um primeiro momento, para avaliar a capacidade dos espectros polínicos atuais de distinguir entre os tipos de vegetação. O resultado obtido pelos autores na análise PCB para as amostras superficiais está apresentado na Figura 1.2. Neste diagrama, cada ponto representa um conjunto polínico atual; quanto mais próximos no diagrama, mais semelhantes são os conjuntos polínicos. As amostras que pertencem ao mesmo tipo de vegetação formaram grupos distintos, havendo, no entanto, sobreposição das amostras de tundra e floresta-tundra. Isto indica que, em geral, os conjuntos polínicos de cada tipo de vegetação são suficientemente diferentes para que se possa reconhecer o tipo de vegetação a partir do conjunto polínico.
Mostrar mais

222 Ler mais

Estabelecimento de uma rotina laboratorial para análise química de sedimentos e sua aplicação a sedimentos continentais do Minho (NW Portugal) : contribuição para a reconstituição paleoambiental da região

Estabelecimento de uma rotina laboratorial para análise química de sedimentos e sua aplicação a sedimentos continentais do Minho (NW Portugal) : contribuição para a reconstituição paleoambiental da região

As amostras, provenientes de Bertiandos, Donim e uma de Bitarados, foram recolhidas a partir de testemunhos de sondagem, utilizando para o efeito equipamento de sondagem, por percussão mecânica. As restantes amostras provenientes de Bitarados foram recolhidas durante uma campanha de escavação arqueológica realizada em 2002. Para o estudo geoquímico recolheram-se um total de 43 amostras, sendo 25 de sedimentos provenientes da amostragem em profundidade de Bertiandos / Sondagem RPM.3, 6 de sedimentos provenientes da amostragem em profundidade de Donim / Sondagem RPM.4, 11 de sedimentos provenientes da amostragem em profundidade na estação arqueológica de Bitarados e uma do granito do mesmo local / Sondagem RPM.6.
Mostrar mais

8 Ler mais

Braquiópodes (Rhynchonelliformea, Bouchardioidea) neógenos da bacia de Pelotas (RS) e seu significado paleoambiental

Braquiópodes (Rhynchonelliformea, Bouchardioidea) neógenos da bacia de Pelotas (RS) e seu significado paleoambiental

Procedência dos espécimes examinados Para o pre- sente estudo foram examinadas lâminas provenientes de amostras de calha das sondagens 2-CA-1-RS (Curral Alto), 2-PJ-1-RS (Ponta do Juncal), 2-CL-1-RS (Cas- sino), 2-PN-1-RS (Povo Novo), 2-GA-1-RS (Graxa- ím), 2-GA-2-RS (Graxaím), 2-MO-1-RS (Mostardas) e 2-PS-1-RS (Palmares do Sul) (Figs. 1, 2), perfuradas pela Petrobras, no período de 1958-1964. Conchas de braquiópodes foram recuperadas de amostras dos po- ços 2-PN-1-RS (Povo Novo) e 2-GA-1-RS (Graxaím) (Figs. 1, 2). Closs (1970) e Sanguinetti (1980) registra- ram também a presença de conchas de braquiópodes no poço 2-PJ-1-RS (Ponta do Juncal) (Figs. 1, 2). Todo material examinado pertence ao Laboratório de Micro- fósseis Calcários, do Departamento de Paleontologia e Estratigraia, do Instituto de Geociências, da Universi- dade Federal do Rio Grande do Sul.
Mostrar mais

10 Ler mais

RECONSTITUIÇÃO PALEOAMBIENTAL COM BASE NA ASSEMBLÉIA PALINOFLORÍSTICA E PALINOFÁCIES DE SEDIMENTOS HOLOCÊNICOS DO PARQUE ESTADUAL DO RIO DOCE – MG

RECONSTITUIÇÃO PALEOAMBIENTAL COM BASE NA ASSEMBLÉIA PALINOFLORÍSTICA E PALINOFÁCIES DE SEDIMENTOS HOLOCÊNICOS DO PARQUE ESTADUAL DO RIO DOCE – MG

A Palinologia já se firmou internacionalmente como uma das mais importantes ferramentas para reconstituição paloeambiental. A palavra palynology foi idealizada por H.A. Hyde e D.A. Willians (1945), utilizando como raiz a palavra grega paluno (pó fino, flor de farina, farinha fina) que deu origem à palavra pollen, em latim, com o mesmo significado. Mais tarde pollen foi utilizado para designar o pó fino produzido na antera das flores (Wodehouse 1935; Salgado-Labouriau 1973). Embora tradicionalmente definida como “o estudo dos grãos de pólen e esporos”, a visão atual desta disciplina não se restringe mais somente aos elementos botânicos, mas inclui todos os elementos constituídos de parede orgânica que são recuperados dos sedimentos (Neves et al. 2005). Estes elementos passam a ser denominados “palinomorfos” e reúnem algas, dinoflagelados, palinoforaminíferos, ovos de copepoda, e até mesmo elementos de origem da fauna macroscópica, como é o caso dos escolecodontes (parte do aparelho mastigador de vermes poliquetos) (Carvalho 2010).
Mostrar mais

233 Ler mais

Reconstituição paleoambiental do Lago Santa Ninha, Várzea do Lago Grande de Curuai, Pará, Brasil.

Reconstituição paleoambiental do Lago Santa Ninha, Várzea do Lago Grande de Curuai, Pará, Brasil.

sedimentares a que o meio esteve submetido. O testemunho estudado possui 270 cm de comprimento que corresponde a um período de 5600 anos cal AP. Este estudo colocou em evidência diferentes ambientes sedimentares: na base do testemunho até 4900 anos cal AP há uma vegetação inundada que foi gradualmente substituida por bancos de gramíneas e por uma planicie com secas sazonais em 4000 anos cal AP até alcançar, desde 600 anos AP as condições atuais deste lago. Estas alterações podem ter ocorrido em decorrência de mudanças no ciclo hidrológico do Rio Amazonas que, por sua vez, também são reflexos de alterações climáticas.
Mostrar mais

8 Ler mais

Tufas calcárias de Felipe Guerra: caracterização e classificação

Tufas calcárias de Felipe Guerra: caracterização e classificação

O trabalho aqui apresentado corresponde a um estudo geológico, espeleológico e paleoambiental realizado nos depósitos de tufas calcárias que ocorrem no município de Felipe Guerra, Estado do Rio Grande do Norte. As tufas estudadas são produtos da dissolução das rochas carbonáticas da Formação Jandaíra. Por definição esses depósitos caracterizam-se pela precipitação do carbonato de cálcio a temperaturas próximas a ambiente, elevada porosidade e material orgânico em sua composição. Na região observou-se que as formações de tufas estão depositadas sobre os arenitos da Formação Açu e apresentam quantidade considerável de moldes fósseis de gastrópodes e vegetais. Os depósitos encontrados foram descritos como sendo de três tipos: micrítico, intraclástico e fitoclástico. Os micritos correspondem aos depósitos recentes ou em formação, e os demais são tidos como mais antigos. Na tufa mais extensa localizada em zona urbana ocorrem três cavernas cuja gênese está associada ao desenvolvimento de fraturas que afetaram a Bacia Potiguar em período pós- campaniano. Os dados geoquímicos revelam que as tufas são basicamente formadas por carbonato de cálcio sob a forma de cristais de calcita. Análises isotópicas indicam ambientes de deposição distintos: ambientes com influência de águas de origem continental e ambientes com influência de águas de origem oceânica. Cinco amostras foram analisadas por radiocarbono ( 14 C), quatro delas revelando idades de holocênicas a pleistocênicas. Apenas uma amostra extrapolou o limite do método. A correlação entre os dados isotópicos e radiogênicos, nos leva a concluir que a formação das tufas está associada a períodos com elevadas taxas de precipitações pluviométricas e que as cavernas possuem idades superiores a 40.000 anos.
Mostrar mais

132 Ler mais

Evolução paleoambiental holocénica dos estuários dos rios Guadiana e Arade com base nas associações fósseis de foraminíferos bentónicos

Evolução paleoambiental holocénica dos estuários dos rios Guadiana e Arade com base nas associações fósseis de foraminíferos bentónicos

10 distinção entre eco-fenótipos e espécies (Holzmann & Pawlowski, 1997). A variedade morfológica pode ainda resultar da alternância de gerações (Lee et al., 1991 in Pawlowski et al., 1994) e do desenvolvimento ontogénico (Brummer et al., 1986 in Pawlowski et al., 1994). As dificuldades na identificação são particularmente inconvenientes no caso de espécies com uma importância biogeográfica considerável, como por exemplo a espécie Ammonia beccarii. A vasta variabilidade morfológica desta espécie torna o seu estatuto taxonómico incerto e controverso. (Pawlowski et al., 1995; Holzmann & Pawlowski, 1997; Holzmann et al., 1998; Debenay et al., 1998a ; Langer & Leppig, 2000). A recente aplicação de métodos e de técnicas moleculares vem abrir novas perspectivas para a taxonomia dos foraminíferos. A aplicação destes procedimentos esteve consideravelmente atrasada devido à dificuldade em manter os foraminíferos em culturas axénicas (Anderson et al., 1991 in Pawlowski et al., 1995). Apenas recentemente foi possível isolar ADN foraminiferal puro (Pawlowski et al., 1994). Pawlowski et al., (1994) demonstraram que a análise das sequências de ARN ribossomal pode ser utilizada na identificação das espécies de foraminíferos, fornecendo um critério taxonómico novo, independente das características morfológicas da carapaça. Segundo estes autores, a análise molecular permite ainda a avaliação do significado ecológico das diferentes características morfológicas e a determinação da variabilidade morfológica intraespecífica. A análise molecular oferece ainda uma nova perspectiva para o estudo das relações filogenéticas entre os maiores grupos taxonómicos de foraminíferos. No futuro, espera-se que todas as definições específicas relativas aos foraminíferos recentes incluam não só a descrição tradicional da sua morfologia e distribuição mas também a respectiva informação genética (Pawlowski et al., 1994), abrindo assim novas portas à pesquisa da sistemática deste grupo de organismos.
Mostrar mais

144 Ler mais

O significado paleoambiental de palinomorfos de fungos em turfas quaternárias do médio vale do rio Paraíba do Sul, SP, Brasil

O significado paleoambiental de palinomorfos de fungos em turfas quaternárias do médio vale do rio Paraíba do Sul, SP, Brasil

Desde então, diversos pesquisadores passaram a utilizar esses palinomorfos fósseis em interpretações paleoambientais: SHEFFY & DILCHER (1971), PIROZYNSKI (1976a, b, c), RAMANUJAM & RAO (1978), VAN GEEL (1978), RAMANUJAM & SRISAILAM (1980), VAN GEEL et al. (1980), EDIGER (1981), JARZEN & ELSIK (1986), PIROZYNSKI et al. (1988), ESHET et al. (1995), TAYLOR & OSBORN (1996), KALGUTKAR (1997), KALGUTKAR & JANSONIUS (2000), JANSONIUS & KALGUTKAR (2000) e SONG & HUANG (2002). O presente trabalho apresenta a paleoecolo- gia de palinomorfos de fungos de uma turfeira da várzea do rio Paraíba do Sul (Distrito de Eugê- nio de Melo, município de São José dos Campos/ SP), a partir de sua identificação, quantificação e comparação com outros previamente descritos em depósitos do Paleógeno, Neógeno e Quater- nário (LORSCHEITTER 1984, GARCIA 1994, CARVALHO 1996, MEDEANIC et al. 2004, FERREIRA et al. 2005, LEAL & LORSCHEITTER 2006, FREITAS & CARVALHO 2011, entre outros). O estudo paleomicótico foi efetuado com as mesmas lâminas estudadas por SANTOS (2009) para palinologia. Dessa forma, os resulta- dos e interpretações paleoclimáticas de ambos os estudos foram aqui comparados.
Mostrar mais

24 Ler mais

Estudo microfaciológico e quimioestratigráfico de calcários do Grupo Macaé a partir de uma seção distal da Bacia de Campos

Estudo microfaciológico e quimioestratigráfico de calcários do Grupo Macaé a partir de uma seção distal da Bacia de Campos

O registro carbonático neoaptiano-eoalbiano das bacias da Margem Continental Leste do Brasil é representado por depósitos relacionados à incursão de águas marinhas que marcaram a progressiva instalação do primitivo Oceano Atlântico Sul. As sequências carbonáticas do Grupo Macaé, Bacia de Campos, estão inseridas neste contexto, saindo de uma fase marinha restrita para um ambiente francamente marinho, como registrado nas litofácies, associação fossilífera e assinatura geoquímica destas rochas (DIAS-BRITO; AZEVEDO, 1986; AZEVEDO, 2001). O estudo desse intervalo geológico a partir de seções perfuradas em águas profundas interessa ao aprimoramento do modelo geológico paleoambiental/paleoceanográfico da bacia, visto que as porções mais distais são pouco abordadas na literatura. Além disso, a correlação com seções de outras partes do globo permitem a melhor definição temporal dos eventos presentes nesse contexto geotectônico, fundamentais para a exploração petrolífera na bacia.
Mostrar mais

227 Ler mais

Ocorrência e significado paleoambiental do Horizonte A húmico em Latossolos

Ocorrência e significado paleoambiental do Horizonte A húmico em Latossolos

No estudo dos solos a análise da morfologia das assembléias de seus fitólito é uma importante ferramenta para vários estudos pedológicos, especialmente na reconstrução das suas condições paleoclimáticas, complementando às análises polínicas, antracológicas e de outros microfósseis como diatomáceas e espículas de esponjas. Atualmente existem diversos métodos para extração de fitólitos de sedimentos, solos e paleossolos sendo que a maioria foi desenvolvida e aplicada para estes materiais oriundos de regiões temperadas incluindo ambientes hidromórficos. Em solos tropicais, são escassos esses estudos onde, em função dos recobrimentos dos grãos por matéria orgânica e consideráveis quantidades de óxidos, há uma dificuldade adicional para a extração e limpeza dos fitólitos. No solo esses recobrimentos atuam na proteção dos fitólitos em relação aos processos tafonômicos que poderiam corroê-los, porém eles dificultam a análise dos morfotipos podendo comprometer a extração, análise e interpretação das assembléias fitolíticas. Nesse trabalho foram comparados três métodos de pré-tratamentos para remoção desses recobrimentos em partículas de silte e areia de Latossolos. O Método 1 consiste na oxidação da matéria orgânica do solo e uma hidrólise ácida para remoção dos carbonatos e óxidos. No Método 2 o processo dominante é a redução do ferro utilizando a combinação Ditionito-Citrato- Bicarbonato de Sódio e, no Método 3, utiliza-se somente Acetato e Ditionito diluído em água. De modo geral, o Método 1 foi o mais agressivo aos fitólitos e demonstrou ser o menos eficiente na extração dos mesmos e o mais seletivo, haja vista que somente aqueles fitólitos de maior diâmetro/tamanho como os Bulliformes e Elongates se preservaram. O método 2 extraiu maior variedade e quantidade de fitólitos, e menor quantidade de outras partículas, permitindo uma melhor caracterização da vegetação. O método 3 parece ser tão eficiente quanto o método 2 na remoção dos recobrimentos sendo o processo relativamente mais barato, pois necessita de menos produtos químicos.
Mostrar mais

256 Ler mais

O registo de diatomáceas e foraminiferos da Ria Formosa (Sul da Península Ibérica): uma contribuição para a compreensão da evolução Holocénica do sistema lagunar.

O registo de diatomáceas e foraminiferos da Ria Formosa (Sul da Península Ibérica): uma contribuição para a compreensão da evolução Holocénica do sistema lagunar.

O presente estudo realçou a importância da elaboração de estudos conjuntos de dois indicadores micropaleontológicos para a elaboração de interpretações paleoambientais. Tanto os resultados obtidos através do estudo das diatomáceas como dos foraminíferos apontam para a seguinte evolução paleoambiental: (i) inundação da área onde foi elaborado a sondagem, devido à rápida transgressão Holocénica (indicada pela presença de associações de diatomáceas e foraminíferos de ambientes marinhos entre 23.3 e os 3.2 m de profundidade) e (ii) início do confinamento da área como resultado da formação do sistema lagunar (por algumas espécies de diatomáceas encontradas nas amostras aos 3.2 e 1.4 m de profundidade um IFIM 1 aos 1.4 m).
Mostrar mais

5 Ler mais

PROPOSTA CURRICULAR PARA A EDUCAÇÃO DE

PROPOSTA CURRICULAR PARA A EDUCAÇÃO DE

que envolve a disciplina. No estudo realizado preliminarmente à elaboração desta proposta (ver Volume 1, Introdução), a Matemática é apontada por professores e alunos como a disciplina mais difícil de ser aprendida. Atribui-se a ela uma grande parte da responsabilidade pelo fracasso escolar de jovens e adultos. O baixo desempenho em Matemática no Ensino Fundamental traduz- se em elevadas taxas de retenção, tornando-se um dos filtros sociais que selecionam os que terão ou não oportunidade de avançar na educação básica. Os que abandonam a escola o fazem por diversos fatores de ordem social e econômica, mas também por se sentirem excluídos da dinâmica de ensino e aprendizagem. Nesse processo de exclusão, o insucesso na aprendizagem matemática tem tido papel destacado e determina a freqüente atitude de distanciamento, temor e rejeição em relação a essa disciplina, que parece aos alunos inacessível e sem sentido.
Mostrar mais

66 Ler mais

Educação para jovens e adultos

Educação para jovens e adultos

Paulo Freire elaborou uma proposta de alfabetização de adul- tos conscientizadora, cujo princípio básico pode ser traduzido numa frase sua que ficou célebre: “A leitura do mundo precede a leitura da palavra”. Prescindindo da utilização de cartilhas, desenvolveu um conjunto de procedimentos pedagógicos que ficou conhecido como método Paulo Freire. E le previa uma etapa preparatória, quando o alfabetizador deveria fazer uma pesquisa sobre a realidade existen- cial do grupo junto ao qual iria atuar. Concomitantemente, faria um levantamento de seu universo vocabular, ou seja, das palavras utili- zadas pelo grupo para expressar essa realidade. Desse universo, o alfabetizador deveria selecionar as palavras com maior densidade de sentido, que expressassem as situações existenciais mais importan- tes. Depois, era necessário selecionar um conjunto que contivesse os diversos padrões silábicos da língua e organizá-lo segundo o grau de complexidade desses padrões. E ssas seriam as palavras gerado- ras, a partir das quais se realizaria tanto o estudo da escrita e leitu- ra como o da realidade.
Mostrar mais

243 Ler mais

ANEXO1: MINUTA DE MEDIDA PROVISÓRIA

ANEXO1: MINUTA DE MEDIDA PROVISÓRIA

Os ocupantes de áreas rurais incidentes na Floresta Nacional do Jamanxim, no Parque Rio Novo e na Reserva Biológica das Nascentes Serra do Cachimbo, que constem em rela[r]

12 Ler mais

Métrica: Potencial de Aquecimento Global em 100 anos (GWP-100) usando valores do

Métrica: Potencial de Aquecimento Global em 100 anos (GWP-100) usando valores do

Em conformidade com a visão de longo prazo de conter o aumento da temperatura média global abaixo de 2°C em relação aos níveis pré-industriais, o Brasil envidar[r]

10 Ler mais

Datação por luminescência opticamente estimulada (Loe) e por 14C de materiais de uma topossequência de solos na Serra do Espinhaço Meridional - MG: abordagem paleoambiental

Datação por luminescência opticamente estimulada (Loe) e por 14C de materiais de uma topossequência de solos na Serra do Espinhaço Meridional - MG: abordagem paleoambiental

No compartimento II, observa-se dupla frente de acumulação de matéria orgânica: no topo dos perfis de solo e na base do perfil, intercalados por horizontes lateritizados o que sustento[r]

124 Ler mais

A Viagem das Sementes

A Viagem das Sementes

Os Europeus também traziam sementes de plantas que cultivavam em seus países para suas colônias na América e levavam muitas plantas daqui para plantarem nos seus países.. Esta coleta d[r]

24 Ler mais

GESTÃO PÚBLICA: UM ESTUDO DA REDE E-TEC BRASIL/UNIMONTES – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

GESTÃO PÚBLICA: UM ESTUDO DA REDE E-TEC BRASIL/UNIMONTES – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Apesar das controvérsias e desafios encontrados no âmbito da Educação a Distância, no que tange à qualidade do ensino a ser oferecido, à adequação dos meios tecnológicos, ao cumprimento das cargas horárias de acordo com os projetos, além de formalização de tempo de estudo sem a obrigação cronológica, cumpre ressaltar que a EaD também apresenta vantagens, tais como: a flexibilidade de organização temporal para pessoas que dispõem de pouco tempo, recursos financeiros escassos e, por isso, tenderiam a ficar excluídas do processo de ensino-aprendizagem; eficácia quanto à combinação de estudo e trabalho; permanência do aluno em seu ambiente profissional e cultural; interação homem/máquina, além do desenvolvimento da iniciativa, da disciplina e da autonomia na condução dos estudos.
Mostrar mais

126 Ler mais

Show all 10000 documents...