Pedreira de Granito

Top PDF Pedreira de Granito:

Sistema de vigilância tecnológica : uma proposta de desenvolvimento aplicada a uma pedreira de granito

Sistema de vigilância tecnológica : uma proposta de desenvolvimento aplicada a uma pedreira de granito

Nesse sentido, apresenta-se uma proposta de um Sistema de Vigilância Tecnológica numa pedreira de granito, onde após terem sido definidas as necessidades da empresa, se efectuou a recolha de informação. Essa informação foi devidamente analisada e validada pelos agentes internos do sistema de Vigilância Tecnológica, ou em certos casos, por especialistas externos, para assim se poder seleccionar apenas a informação útil que permita corresponder às necessidades identificadas. Como procedimento inovador deve destacar-se o desenvolvimento de uma base de dados onde se organiza, armazena e protege a totalidade da informação, para melhor assessorar o processo de tomada de decisão estratégica da empresa.
Mostrar mais

119 Ler mais

Otimização da lavra na pedreira de granito vermelho frevo, através  dos recursos da simulação virtual

Otimização da lavra na pedreira de granito vermelho frevo, através dos recursos da simulação virtual

O objetivo principal desta dissertação compete em comparar o valor comercial do bloco de partição na otimização e seqüenciamento de lavra na pedreira de granito Vermelho Frevo, com os recursos da simulação virtual, usando os softwares conhecidos comercialmente na criação de projetos bidimensionais e tridimensionais e animação virtual. Os softwares aplicados foram o AUTOCAD e 3D STUDIO MAX 3, estes softwares têm uma grande aplicabilidade na arquitetura, engenharia e filmes virtuais respectivamente. Um segundo objetivo é mostrar a possibilidade de se obter o mesmo resultado preciso da morfologia do maciço rochoso com simulações virtuais, mesmo antes na abertura da frente de lavra. Todo processo simulado no computador tem a função de identificar as fraturas e os defeitos existentes no maciço rochoso para obtenção de blocos comerciais de rocha ornamental da pedreira do granito Vermelho Frevo na Cidade de Sertânia - PE. Esse modelo comparativo parte de uma simulação no ponto de vista do valor comercial, entre os blocos retirados na direção da frente de lavra já existente com uma nova frente na direção das fraturas principais, para determinar a direção das bancadas mais lucrativas . A pesquisa envolveu as etapas de revisão bibliográfica; coleta e análise de dados; representação bidimensional e tridimensional da topografia da pedreira e simulação das frentes de lavra. A revisão bibliográfica tem o objetivo de apresentar informações sobre aspectos gerais de lavra em rochas ornamentais, geologia e outras características que envolvem a localidade onde está a pedreira em estudo. Coleta e análise de dados correspondem à visita no local da pedreira para levantamento plani-altimétrico, identificação da foliação e descontinuidades do maciço rochoso e medição de fraturas nos locais de afloramento. A representação bidimensional e tridimensional corresponde à digitalização e modelagem da planta topográfica e da modelagem em 3D, através dos dados colhidos e analisados na etapa de coleta e análise de dados. A simulação trata da modificação na direção da frente de lavra visando determinar
Mostrar mais

181 Ler mais

Avaliação geoestrutural da pedreira de granito marrom imperial em Umari – João Alfredo/PE

Avaliação geoestrutural da pedreira de granito marrom imperial em Umari – João Alfredo/PE

Por último estão às características mercadológicas, que podem ser consideradas as mais importantes para a viabilização da pedreira. Segundo Souza (2008), muitas vezes o efeito decorativo e as características técnicas são bons, mas não havendo procura, o material será considerado não econômico. Dessa forma é necessária uma boa estratégia empresarial que possibilite a colocação do produto no mercado interno e abertura do mercado externo. Outros fatores a observar no aproveitamento das rochas são: uniformidade do padrão, que é função da constância mineralógica e textura da rocha; frequência de minerais deletérios, veios, xenólitos e fraturamentos. Tem-se ainda fatores geológicos, tais como reservas, formas de afloramento, disposição dos matacões e dos maciços rochosos; e a originalidade, uma vez que o mercado tradicionalmente dá preferência às rochas de tonalidades ou texturas diferentes.
Mostrar mais

74 Ler mais

Parecer sobre a adequação do granito em exploração numa pedreira de Romariz (S. João da Madeira) para obras de enrocamento

Parecer sobre a adequação do granito em exploração numa pedreira de Romariz (S. João da Madeira) para obras de enrocamento

Nos passados dias 4 e 7 de Junho de 1999, os signatários docentes do Dep. Minas da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, visitaram a pedreira de granito situada entre os lugares de Goim e Cabeçais (Romariz), S. João da Madeira, pertença de Ramiro de Sá Pereira, a pedido do Instituto da Água (INAG) e do Instituto de Hidráulica e Recursos Hídricos (IHRH) com vista a emitirem um parecer sobre a adequação da rocha em exploração na referida pedreira para fins de enrocamento em esporões marítimos.

5 Ler mais

e-business Os tipos básicos de ebusiness são (PEDREIRA, 2007):

e-business Os tipos básicos de ebusiness são (PEDREIRA, 2007):

11. Breve Histórico do eCommerce.. Durante décadas, grandes empresas, tais como bancos, companhias aéreas, grandes retalhistas e produtores utilizaram estas ferramentas, aume[r]

7 Ler mais

Diretrizes para reestruturação urbana e paisagista da pedreira de Laranjeiras

Diretrizes para reestruturação urbana e paisagista da pedreira de Laranjeiras

O presente trabalho trata de um estudo acerca da reestruturação urbana e paisagística de uma pedreira abandonada localizada no município de Laranjeiras, Sergipe. A área degradada onde antes havia uma atividade de extração mineral é atualmente um vazio urbano e que causa impactos negativos tanto para os moradores da região como para a cidade. Por isso foi necessário entender a geografia do lugar, elaborando um mapeamento e análise da área, com aplicação de entrevistas e registros fotográficos, produzindo gráficos e elementos de informação para possíveis diretrizes a serem aplicadas no local. Teve-se com base em estudos de casos, alguns projetos correlatos ou que trabalhassem a questão de como a população se apropriou do espaço e a relação do projeto com a paisagem. Por fim, demonstrou-se como irão ficar os cenários no espaço em estudo: caso não haja intervenção e outro cenário caso haja intervenção. Dessa forma, foram definidas diretrizes com o objetivo de criar um parque urbano na área da Pedreira de Laranjeiras.
Mostrar mais

92 Ler mais

Elaboração do programa de gerenciamento de riscos (PGR) em pedreira

Elaboração do programa de gerenciamento de riscos (PGR) em pedreira

As empresas de mineração são classificadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) através da Norma Regulamentadora (NR) 04, quadro 1, como empresa de grau d[r]

26 Ler mais

Análise das propriedades do granito “Branco Micaela”

Análise das propriedades do granito “Branco Micaela”

O granito “Branco Micaela” é um granito cinzento, homogéneo e de cor clara, com pequenos pontos pretos uniformemente distribuídos. Nas superfícies de corte serrado podem distinguir-se grãos com tamanho e cor diferente fazendo com que a rocha apresente uma distribuição de cores não homogénea. As amostras analisadas consistiam em: cristais branco- amarelados xenomórficos de feldspato alcalino (macroscopicamente não distinguíveis), plagióclase (tamanho 1 a 4 mm), agregados xenomórficos de quartzo cinza escuro (tamanho 1 a 5 mm), cristais idiomórficos tubulares de mica preta (biotite: tamanho 0,5 a 1,5 mm) e mica branca (muscovite: tamanho 0,5 a 2 mm). Além disso, surgem agregados de mica preta, podendo ter um formato irregular ameboide (tamanho até 5 mm) ou alongados (comprimento de 10 mm, largura de 1 mm). A mica preta mostra localmente alguma alteração para a cor avermelhada. A goethita, levemente amarelada, pode ser observada em agregados de mica preta. (Anexo 1)
Mostrar mais

129 Ler mais

Resumo As suítes Galiléia (granito tipo-I) e Urucum (granito tipo-S), respectivamente, com idades UPb

Resumo As suítes Galiléia (granito tipo-I) e Urucum (granito tipo-S), respectivamente, com idades UPb

No primeiro grupo foram incluídos os maciços mais deformados, dispostos concordantemente às estru- turas regionais. São batólitos lineares, de composição expandida (tonalito-granodiorito-granito), de carac- terísticas geoquímicas cálcio-alcalinas e meta-alumi- nosas, considerados como pré- a sincolisionais, tendo evoluído em ambientes de arco vulcânico e intraplaca. O segundo grupo é representado por maciços alonga- dos, de dimensões batolíticas, que possuem foliação milonítica nas bordas, passando para uma estrutura isó- tropa na parte central. (Vieira 1993). Possuem basica- mente as mesmas características geoquímicas do grupo anterior, apresentando porém termos peraluminosos e caráter tectônico pós-colisional. No terceiro grupo são incluídos maciços menores, de forma anelar e ovalada, zonados e concêntricos, sendo comum associação de rochas charnockíticas, básicas, intermediárias e ultra- básicas (Maciços Aimorés, Lagoa Preta, Ibituba, dentre outros). Este grupo é caracterizado como granitos tipo- I, cálcio-alcalinos e toleiíticos, de ambiente intraplaca e arco vulcânico, ou ainda pós-orogênico e de soergui- mento pós-colisional (Tuller 1993, Vieira 1993).
Mostrar mais

12 Ler mais

Mel da Pedreira: um quilombo protestante na Amazônia brasileira

Mel da Pedreira: um quilombo protestante na Amazônia brasileira

Alguns detalhes presentes na letra da música chamam atenção. O cenário é construído para o ouvinte é o primeiro deles. Há um céu que é percebido ao amanhecer e as nuvens são de fogo. O Fogo é um dos elementos mais representativos, tanto na cultura local quanto no culto do quilombo do Mel da Pedreira, como veremos mais adiante. Sendo assim, a meu ver, uma referência não gratuita, mas significativa na representação daquilo que os deixa vislumbrados. O vento aparece na forma de diminutivo, dando a ideia de um movimento suave e lento. A construção semântica sobre o “devagar” continua nos versos seguintes: “Vez em quando se escuta o canto do Japiim/A canoa balança bem devagar”. Vez em quando é uma expressão que contribui para a sensação de que a vida no quilombo é lenta. A canoa balança no mesmo ritmo, sem pressa, calmamente atravessando as águas. Mais adiante ele repete a ideia, mas dessa vez de forma clara: A vida aqui é assim devagar. Em nenhum momento eu tive a impressão de que, para eles, deveria ser diferente. Existe um contentamento profundo no ritmo lento, na vida devagar quilombola: “Precisa mais nada, não, pra atrapalhar”.
Mostrar mais

78 Ler mais

Aspectos e impactos ambientais de pedreira em área urbana

Aspectos e impactos ambientais de pedreira em área urbana

dificação do meio ambiente, adversa ou benéfica, que resulte, no todo ou em par- te, das atividades, produtos ou serviços de uma organização”. Dessa forma, os quadros citados relacionam o tipo de ati- vidade com os aspectos e impactos, po- sitivos e negativos, que ela gera. Só as- sim é possível propor medidas de me- lhoria para solucionar os conflitos entre a atividade da pedreira e a comunidade. Na identificação dos aspectos e dos impactos ambientais gerados pela empre- sa, foram considerados a produção do minério (extração, transporte e beneficia- mento), as instalações administrativas, a oficina de manutenção e o refeitório.
Mostrar mais

8 Ler mais

DM Rosangela Maria Simão Pedreira Cataldi

DM Rosangela Maria Simão Pedreira Cataldi

O desenvolvimento da escola normal nesse período foi bem acelerado, mas somente com a Lei Orgânica do Ensino Normal, promulgada no mesmo dia da Lei Orgânica do Ensino Prim[r]

165 Ler mais

Avaliação Ambiental Aplicada à Pedreira do Monte Fojo.

Avaliação Ambiental Aplicada à Pedreira do Monte Fojo.

mudança de mentalidade das camadas mais jovens que tendem a valorizar mais o ambiente. Por outro lado, em termos de emprego esta faixa etária não depende tanto da pedreira. Na faixa etária seguinte verifica-se o inverso, mais indivíduos não estão dispostos a pagar pelo encerramento da pedreira. Curiosamente, na faixa etária dos 37 aos 65 anos, composta por indivíduos em idade ativa, que poderão depender financeiramente da atividade da pedreira, há um igual número de indivíduos dispostos a pagar para encerrar a pedreira e de indivíduos que querem a continuação da exploração da mesma. Para os respondentes mais idosos (faixa etária dos mais de 65 anos), concluiu-se que a grande maioria dos indivíduos não estaria disposta a pagar para encerrar a pedreira. Estes resultados podem sugerir, conforme já se mencionou anteriormente uma menor sensibilização para os problemas ambientais, mas não só, pode também ser o reflexo de uma ligação emocional intrínseca a uma população que sempre compreendeu a exploração da pedreira como fonte de trabalho.
Mostrar mais

81 Ler mais

AMAZONITIZAÇÃO EM GRANITO RESULTANTE DA INTRUSÃO DE PEGMATITOS

AMAZONITIZAÇÃO EM GRANITO RESULTANTE DA INTRUSÃO DE PEGMATITOS

A litologia encaixante dos amazonita pegmatitos é o granito Borrachudos. A rocha tem textura granular subédrica média, com cris- tais de 2 a 3 mm em média. Quartzo e feldspato potássico podem atin- gir até 12 mm. Os cristais de feldspato potássico e de albita são tipica- mente euédricos em relação ao quartzo (Fig. 2). Uma incipiente foliação é conferida pela orientação preferencial planar de agregados lenticulares de biotita castanha, a qual constitui até 5% (em volume) da rocha. Quartzo, microclina e plagioclásio perfazem a quase totalidade da rocha (-90-95% em volume) e ocorrem em proporções semelhan- tes. De forma localizada, a percentagem de quartzo diminui e a rocha passa a ser quartzo sienito. O plagioclásio tem macias polissintéticas do tipo albita e a sua composição é próxima da albita pura (Tabela 1). Os cristais de albita tendem a ser euédricos em relação ao quartzo (Fig. 2) e à microclina, em uma típica textura magmática. Não foram obser- vadas, nas rochas estudadas, evidências texturais de substituição de plagioclásio por microclina conforme descritas em ocorrências deste granito em outros locais (Schorscher 1975, Machado 1998), sugerin- do uma origem metamórfica-metassomática para o granito Borrachudos (Schorscher 1975). No caso presente, uma génese por cristalização magmática é indicada.
Mostrar mais

6 Ler mais

Caracterização do Granito de Fânzeres e seu enquadramento geotectónico

Caracterização do Granito de Fânzeres e seu enquadramento geotectónico

alongado na direção NW-SE aflorante no bordo oriental do complexo granito- migmatítico sinorogénico varisco, intruído em micaxistos estaurolíticos, rochas gnaisso-migmatíticas bandadas, e que está, localmente, em contacto com brechas ígneas. É um granitoide de duas micas, de grão fino a médio, com pequenos nódulos biotíticos (1 a 2 cm) que mostra foliação interna de orientação NE-SW e E-W, discordante com orientação do granito e com a foliação regional. A associação mineral do Granito do Pedregal consiste em quartzo + biotite +plagioclase + feldspato-K + zircão + apatite + monazite + rútilo ± silimanite ± alanite, e moscovite secundária, ocorrendo ainda, associada à moscovite secundária e à silimanite, hercinite rica em zinco. O seu estudo geoquímico revelou que é um granito peraluminoso com uma assinatura magnesiana e alcalina a alcalina-cálcica. A autora considera que o Granito do Pedregal poderá corresponder a um diatexito primário resultante de um magma rico em restitos, tendo em conta o carácter intrusivo do Granito do Pedregal no bordo de um complexo granito-migmatito sinorogénico varisco; as rochas encaixantes consistem de micaxistos estaurolíticos e rochas bandadas gnaisso-migmatíticas; os aspetos peculiares da estrutura/textura do granito, nomeadamente a abundância de pequenos nódulos biotíticos e os reequilíbrios texturais no estado sólido; e a composição geoquímica, em particular o teor em elementos traço (Zr e ETR).
Mostrar mais

131 Ler mais

Diagnóstico ambiental e análise de risco probabilística de uma pedreira abandonada

Diagnóstico ambiental e análise de risco probabilística de uma pedreira abandonada

Este relatório incide sobre o diagnóstico do estado ambiental de uma pedreira abandonada que, após ter sido desactivada, serviu para a deposição descontrolada de resíduos, estando actualmente a ser aterrada, com vista à sua desactivação e reabilitação. No estudo faz-se um enquadramento legislativo, faz-se uma caracterização geográfica do local e referem-se as metodologias utilizadas na obtenção da informação quantitativa básica para caracterizar cada compartimento ambiental seleccionado. Foram obtidas amostras directas do local para o solo e para a água da laguna que se criou devido à actividade exploratória da pedreira. Fizeram-se testes de lixiviação em laboratório utilizando amostras dos resíduos “inertes” existentes no interior do aterro e determinaram-se os parâmetros não-biológicos mais relevantes da qualidade da água. De seguida, foram aplicados alguns métodos estatísticos multi-variados, nomeadamente a Análise em Componentes Principais e Análise de Factores, para determinar eventuais padrões de contaminação. Para elementos seleccionados e utilizando coordenadas geo-referenciadas fez-se a análise da distribuição espacial das concentrações utilizando a krigagem – método geo-estatístico que constitui o melhor estimador da variabilidade espacial. Por fim, efectuou-se uma Análise de Risco Probabilística para alguns elementos, tendo-se utilizado para isso o Método de Monte Carlo. Seleccionaram-se elementos tóxicos e cancerígenos e para cada uma destas classes seleccionaram-se vias de exposição por inalação, ingestão e contacto dérmico. Foram determinadas as distribuições de probabilidade empíricas do índice de toxicidade e do risco cancerígeno.
Mostrar mais

229 Ler mais

Caraterização físico-mecânica do Granito de Guimarães

Caraterização físico-mecânica do Granito de Guimarães

As propriedades óticas permitem a identificação dos minerais presentes no granito, assim como aspetos de alteração e deformação. Para a caraterização ótica do Granito de Guimarães foram utilizadas duas lâminas delgadas de uma amostra de granito são, o provete 2 que deu origem à lâmina 2, e uma amostra de granito alterado, o provete 5 que corresponde à lâmina 5. A análise das lâminas delgadas permitiu visualizar várias caraterísticas comuns e principais diferenças entre o granito são e o granito alterado. Nas duas lâminas foi possível identificar uma rocha de textura porfiróide, com megacristais de feldspato potássico, de grão médio a grosseiro, caraterizada em termos de grau de cristalinidade como holocristalina e do tipo hipidiomórfica. Ambas as lâminas apresentam quartzo, feldspato potássico, biotite, moscovite, plagioclase, zircão e apatite.
Mostrar mais

176 Ler mais

Caracterização do granito do Pedregal. Condicionantes da sua aplicação

Caracterização do granito do Pedregal. Condicionantes da sua aplicação

O estudo geoquímico revela que o granito do Pedregal é peraluminoso (parâmetro A/CNK varia entre 1.18 e 1.62), com uma assinatura magnesiana, e alcalina a alcalina- cálcica. Os resultados geoquímicos mostram baixos teores SiO2 (65 a 69 wt%), elevado teor de Zr (389 a 435 ppm). Os valores de Zr poderão ser explicados pela abundância de inclusões de zircão na moscovite e na biotite. Este também ocorre disperso na rocha. O granito tem elevado teor em ETR, com um perfil de ETRL não fracionado entre o La e o Nd, um forte fracionamento entre o Nd e Eu, uma anomalia em Eu bem pronunciada, e um fracionamento dos ETRP (Tb-Lu) semelhante ao granito de duas micas do maciço do Porto. A falta de fracionamento dos ETRL é explicada, provavelmente, pela presença de monazite.
Mostrar mais

155 Ler mais

Revestimento cerâmico com granito e argila caulinítica.

Revestimento cerâmico com granito e argila caulinítica.

O Estado do Rio de Janeiro é tradicionalmente um grande produtor de cerâmica vermelha [8]. Apesar de possuir um dos maiores mercados consumidor do país, não há produção de revestimentos cerâmicos. Há abundância de argilas plásticas cauliníticas, sobretudo nas regiões dos pólos de cerâmica vermelha. Entretanto, em relação às argilas fundentes, até o momento há apenas indícios de sua existência. Uma alternativa para substituição de argilas fundentes na composição de massa de revestimentos cerâmicos elaborados por via seca, pode ser a mistura entre argilas plásticas cauliníticas e fundente não plástico como granito, fonolito, feldspatóide, etc.
Mostrar mais

6 Ler mais

Diminuição do Lead Time na Transformação de Granito

Diminuição do Lead Time na Transformação de Granito

Recorrendo aos dados disponíveis relativos ao ano de 2012, fez-se uma análise ABC ao consumo de matéria-prima para se ter uma perspetiva real sobre as quantidades, tipos de granito processados e a sua importância na cadeia produtiva. Atribuiu-se a cada material uma referência por forma a simplificar o tratamento e leitura de dados ao longo do relatório. [ANEXO A] Importa referir que em alguns granitos, os blocos extraídos de pedreira nem sempre apresentam o mesmo nível de qualidade em itens como tonalidade ou tamanho e disposição dos seus cristais, pelo que são classificados pela empresa como sendo de 1ª ou 2ª qualidade. Sempre que a sua aplicação final não seja de carácter meramente estético, o cliente pode optar por um granito de 2ª qualidade. Naturalmente o seu custo é também inferior.
Mostrar mais

60 Ler mais

Show all 345 documents...