Perfis de resistência

Top PDF Perfis de resistência:

Caracterização do microbioma e dos perfis de resistência nos afluentes e efluentes de ETAR

Caracterização do microbioma e dos perfis de resistência nos afluentes e efluentes de ETAR

A acumulação de resíduos de antibióticos no ambiente conduz ao favorecimento da aquisição de genes que conferem resistência a bactérias inicialmente suscetíveis. Consequentemente, para que haja um menor impacto na saúde pública é necessário adotar estratégias que tornem mais célere e eficaz a deteção e caracterização de microrganismos resistentes, que controlem a sua libertação no meio ambiente, bem como reduzam a disseminação das doenças infeciosas provocadas por esses microrganismos patogénicos. Esta situação tem conduzido ao aparecimento de microrganismos patogénicos resistentes nas águas residuais tratadas nas Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) e, posteriormente, descarregadas em massas de água natural. Neste trabalho pretendeu-se caracterizar o microbioma e os perfis de resistência de amostras de águas residuais em três momentos do processo de tratamento da ETAR: à entrada, antes do tratamento terciário e à saída deste, bem como determinar os perfis de suscetibilidade a determinados antibióticos e avaliar a presença e diversidade dos integrões presentes. A caracterização da comunidade bacteriana e dos perfis de resistência foi possível através do método de eletroforese em gel de gradiente desnaturante (DGGE) e da técnica Illumina Miseq. Com base nas pesquisas de similaridade para as sequências do gene 16S usando o programa de pesquisa NCBI BLAST e da análise dos resultados de Illumina Miseq, foi possível concluir que a maior parte das bactérias apresentaram multirresistência a todos os antibióticos testados, principalmente bactérias pertencentes ao filo Proteobacteria e à família Enterobactereacea. Estas bactérias foram encontradas tanto no na água residual afluente à ETAR como no efluente final (tratado), o que sugere que os processos de tratamento utilizados nas ETAR não estão a ser eficazes na remoção de bactérias patogénicas. Relativamente à análise da presença dos integrões por PCR (reação em cadeia da polimerase), verificou-se a existência de pelo menos uma classe de integrões presente tanto no afluente como no efluente tratado, essencialmente integrões de classe 1. A presença de bactérias multirresistentes e de integrões nos efluentes tratados na ETAR, constitui assim um fator preocupante, uma vez que tais contribuem para a disseminação e dispersão de resistência antimicrobiana por outros ecossistemas aquáticos, nomeadamente rios e mares.
Mostrar mais

88 Ler mais

Caracterização da virulência e dos perfis de resistência de populações microbianas patogénicas presentes no efluente final de ETAR

Caracterização da virulência e dos perfis de resistência de populações microbianas patogénicas presentes no efluente final de ETAR

“ A mensagem neste Dia Mundial da Saúde é muito clara. O mundo está perto de perder as suas curas milagrosas … na ausência de acções correctivas e projectivas urgentes, o mundo caminha para uma era pós-antibiótica, qual muitas infecções que hoje são comuns, deixarão de ter cura e irão, mais uma vez, matar sem esmorecer”. São estas as palavras de Margaret Chan, directora- geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) num comunicado divulgado nas comemorações do Dia Mundial da Saúde que decorreram no dia 7 de Abril de 2011 sob o tema “Combater a Resistência aos Antibióticos”. Também neste dia foi divulgado, pela mesma organização, um conjunto de princípios a tomar para promover uma diminuição da prevalência de microrganismos resistentes. Ainda segundo a directora-geral desta organização, há indícios de que a próxima crise global será a perda de medicamentos fundamentais que, até à data, se tinham mostrado eficazes no seu princípio mas aos quais já se verifica certa resistência específica por parte de determinados microrganismos [1].
Mostrar mais

113 Ler mais

Perfis de resistência a agentes antimicrobianos de 5 estirpes do género Mycobacterium isoladas de ambiente Hospitalar

Perfis de resistência a agentes antimicrobianos de 5 estirpes do género Mycobacterium isoladas de ambiente Hospitalar

O meio de cultura utilizado para o isolamento de MNT de ambiente hospitalar foi suplementado com cinco antibióticos que inibem a proliferação de microrganismos de crescimento mais rápido que possam estar presentes na amostra e permitem simultaneamente o crescimento seletivo de MNT que são naturalmente resistentes a esses antibióticos. No entanto, mesmo com esta pressão seletiva no meio de isolamento, foi possível recuperar cerca de 181 estirpes de bactérias de grupos taxonómicos distintos e filogeneticamente distantes do género Mycobacterium, o que foi mais do que o esperado considerando a força seletiva aplicada e o ambiente donde foram recolhidas as amostras. Este facto revela que as estirpes recuperadas são no mínimo resistentes a estes antibióticos, podendo ainda revelar perfis de multirresistência acrescidos.
Mostrar mais

68 Ler mais

Atividade inibitória das folhas e caule de Kalanchoe brasiliensis Cambess frente a microrganismos com diferentes perfis de resistência a antibióticos.

Atividade inibitória das folhas e caule de Kalanchoe brasiliensis Cambess frente a microrganismos com diferentes perfis de resistência a antibióticos.

O interesse em estudos de plantas medicinais com atividade antimicrobiana vem crescendo por dois motivos: primeiro por simbolizar muitas vezes o único recurso terapêutico de muitas comunidades (Pinto et al., 2002; Souza et al., 2003) e segundo, devido às opções para terapias antimicrobianas terem diminuído, motivo este inerente à resistência adquirida naturalmente pelas bactérias, ou pelo uso indiscriminado de drogas que aumenta largamente o número de cepas resistentes, tornando a multiresistência preocupante e o futuro de drogas antimicrobianas incerto (May et al., 2000).
Mostrar mais

5 Ler mais

RASTREAMENTO DE FONTES POLUIDORAS DE UM CORPO HÍDRICO USANDO PERFIS DE RESISTÊNCIA A ANTIMICROBIANOS EM BACTÉRIAS ENTÉRICAS (CEARÁ, BRASIL)

RASTREAMENTO DE FONTES POLUIDORAS DE UM CORPO HÍDRICO USANDO PERFIS DE RESISTÊNCIA A ANTIMICROBIANOS EM BACTÉRIAS ENTÉRICAS (CEARÁ, BRASIL)

Atualmente existe uma grande preocupação acerca dos crescentes níveis de microrganismos resistentes a antimicrobianos. Em ambientes aquáticos a poluição fecal, práticas agrícolas e o uso dessas drogas de forma não controlada contribuem para o aumento dos níveis de resistência microbiana. Desta forma, esta pesquisa teve como objetivo monitorar a resistência em bactérias do grupo Enterococcus a antimicrobianos de uso na clínica humana e veterinária como forma de rastrear as potenciais fontes contribuidoras e permitir uma gestão mais eficiente dos recursos, em oito pontos em amostras de água e de sedimento na lagoa do Catu em Fortaleza -CE. Para atingir esse objetivo, foi realizado o antibiograma de 35 cepas de Enterococcus para os antimicrobianos: ampicilina, cloranfenicol, ciprofloxacina, sulfametoxazol + trimetoprima, cefalotina, eritromicina, novobiocina, tetraciclina, nitrofurantoína, gentamicina, ácido nalidíxico e oxacilina. A resistência antimicrobiana foi observada em 94,2% das cepas. O perfil predominante de resistência foi para oxacilina, ácido nalidíxico e tetraciclina, respectivamente, com 95%, 90% e 85%. Para perfis intermediários, os resultados mais predominantes foram de Eritromicina e Cefalotina com 42% e 38%. Foi observado que os isolados obtidos nos pontos C3 e C13 situados próximo as dunas apresentaram um menor perfil de resistência comparado aos isolados oriundos dos pontos mais próximos as áreas urbanas que mostram perfis de múltipla resistência. Os resultados desse estudo sugerem que a resistência desses microrganismos está relacionada a práticas agro agrícolas e contaminação e descarte de dejetos humanos.
Mostrar mais

46 Ler mais

Aeromonas spp.: fatores de virulência e perfis de resistência a antimicrobianos e metais pesados.

Aeromonas spp.: fatores de virulência e perfis de resistência a antimicrobianos e metais pesados.

As bactérias do gênero Aeromonas spp. são considerados como patógenos oportunistas carreadores de múltiplos fatores de virulência. O fenômeno da resistência aos antimicrobianos e metais pesados constitui outro problema, podendo ocorrer por diferentes fatores, dentre eles o uso indiscriminado de agentes antimicrobianos, poluição ambiental e a presença de mecanismos de resistência, como bombas de efluxo, sendo que muitos destes podem ser transmitidos por elementos genéticos móveis como os plasmídeos. O objetivo desse artigo é fazer uma revisão bibliográfica sobre os fatores de virulência, resistência a antimicrobianos e metais pesados, bem como os mecanismos que podem intervir nessa resistência e sua transferência entre bactérias do gênero Aeromonas. Os estudos dos fatores envolvidos no mecanismo de surgimento da resistência, aliado aos estudos de biologia molecular, fornecem subsídios para elaboração de métodos de controle e profilaxia dessas enfermidades de impacto aos organismos aquáticos, seres humanos e meio ambiente.
Mostrar mais

9 Ler mais

REPOSITORIO INSTITUCIONAL DA UFOP: Estudo de perfis U simples de chapa dobrada submetidos a compressão excêntrica.

REPOSITORIO INSTITUCIONAL DA UFOP: Estudo de perfis U simples de chapa dobrada submetidos a compressão excêntrica.

Para o cálculo do valor da resistência última de compressão de elementos viga-coluna, constituídos de seção transversal U simples, foi desenvolvido uma rotina de cálculo utilizando-se o programa Mathcad [19]. Esta rotina está baseada nas prescrições da norma de projeto americana AISI, edição de 1996, método dos estados limites, LRFD. Através desta rotina também pode-se calcular o valor da carga crítica de flambagem elástica utilizando a equação geral de equilíbrio e comparar os resultados com os valores calculados segundo a norma.
Mostrar mais

106 Ler mais

Pilares mistos esbeltos em aço preechidos com concreto, de seção quadrada, em situação de incêndio

Pilares mistos esbeltos em aço preechidos com concreto, de seção quadrada, em situação de incêndio

Entretanto, neste trabalho, a melhora da resistência ao fogo não foi proporcional ao aumento na resistência à compressão do concreto. Os tempos de resistência ao fogo obtidos foram bem próximos, ou até inferiores, quando se elevou a resistência do concreto de preenchimento de 30 MPa para 75 MPa. Este fato pode estar relacionado a um maior nível de fissuração interna de concretos de alta resistência com a temperatura e deve ser melhor estudado em trabalhos futuros nesta linha de pesquisa.

15 Ler mais

Contribuição de material amorfo na gênese de horizontes coesos em Argissolos dos Tabuleiros Costeiros do Ceará.

Contribuição de material amorfo na gênese de horizontes coesos em Argissolos dos Tabuleiros Costeiros do Ceará.

Apesar de terem sido utilizadas amostras de TFSA, os solos com caráter coeso, submetidos a ciclos de umedecimento e secagem, voltaram a manifestar a coesão depois de secos. Os dados referentes à resistência à penetração (RP; Figura 3), evidenciam que os horizontes Bt1 coesos (P2; P3 e P4) apresentaram valores de RP significantemente superiores (p < 0,05) aos do Bt1 não coeso (P1). Isso corrobora com a hipótese de que o caráter coeso se desenvolve sob condições naturais, ou seja, através de processos pedogenéticos, portanto, diferente da compactação que ocasiona aumento na resistência à penetração em função do efeito da pressão, como descrito por Cavalieri et al. (2009) e Freddi et al. (2009).
Mostrar mais

10 Ler mais

Formas de resistência camponesa: visibilidade e diversidade de conflitos ao longo da história

Formas de resistência camponesa: visibilidade e diversidade de conflitos ao longo da história

Mas são unânimes em afi rmar que a maioria das terras da zona rural pertence ao patrimônio público (municipal ou federal, dependendo da área).. Formas de resistência camponesa: visibil[r]

265 Ler mais

ESTUDO ANALÍTICO E NUMÉRICO DA RESISTÊNCIA AO FOGO DE PERFIS METÁLICOS PROTEGIDOS COM TINTA INTUMESCENTE

ESTUDO ANALÍTICO E NUMÉRICO DA RESISTÊNCIA AO FOGO DE PERFIS METÁLICOS PROTEGIDOS COM TINTA INTUMESCENTE

A verificação da segurança estrutural de elementos de aço, em situação de incêndio é efectuada atendendo às exigências de resistência ao fogo determinada segundo as especificações do Eurocódigo 3, Parte 1.2 e os regulamentos nacionais de segurança contra incêndio, [1, 2]. A exigência de resistência ao fogo de elementos estruturais é estabelecida segundo três domínios: domínio do tempo, domínio da resistência e domínio da temperatura. No domínio do tempo, a resistência ao fogo de um determinado elemento deve ser comparado com o tempo preestabelecido no regulamento. Este depende, essencialmente, do tipo de ocupação do edifício e da sua altura, podendo variar entre 30 e 180 minutos, de modo a garantir a evacuação dos seus ocupantes e dos elementos de combate ao incêndio.
Mostrar mais

13 Ler mais

LIGAÇÕES SEMIRRÍGIDAS EM PERFIS FORMADOS A FRIO DE AÇO

LIGAÇÕES SEMIRRÍGIDAS EM PERFIS FORMADOS A FRIO DE AÇO

A ligação em estudo é composta basicamente por duas vigas, que possuem uma chapa soldada em uma das extremidades. Essas chapas são ligadas a um pilar central, através de seis parafusos que atravessam o mesmo e recebem as porcas para fixação. Os perfis são fabricados em chapas finas dobradas, soldados, formando um perfil tubular no o pilar, e dois perfis “I”, com flanges enrijecidos nas vigas.

140 Ler mais

Estudo do fator de redução da resistência ao escoamento do aço de perfis U enrijecido em situação de incêndio

Estudo do fator de redução da resistência ao escoamento do aço de perfis U enrijecido em situação de incêndio

Os perfis ensaiados por Heva (2009) e utilizados neste trabalho, apresentaram em sua totalidade apenas falha por instabilidade local. Apesar de não ser o foco deste estudo, era importante demonstrar que o modelo serve tanto para perfis que falhem por instabilidade local quanto por instabilidade distorcional. Os perfis escolhidos são do tipo Ue e são apresentados na Tabela 3.6. A nomenclatura dada ao perfil segue a classificação dada pelo trabalho de Heva (2009), adicionado de uma letra para identificar quando o perfil é ensaiado na mesma temperatura mais de uma vez, isto é, o modelo com dimensões nominais iguais mas com aferição ligeiramente diferentes, e seguido pela temperatura na qual foi ensaiado. São basicamente dois tipos de perfis, um com alma de 120 mm e outro com alma de 60 mm, onde são modificados apenas as temperatura de ensaio. Em algumas temperaturas, o perfil foi ensaiado de duas a três vezes, apresentando pequenas variações nas dimensões da alma, mesa e enrijecedor. Assim, como exemplo, o perfil A-120c-20 é um perfil do tipo A (U e ), com alma de 120 mm, tendo sido este o terceiro ensaio na
Mostrar mais

114 Ler mais

OBTENÇÃO DO ÍNDICE DE CONFIABILIDADE DE LIGAÇÕES DE PERFIS FORMADOS A FRIO COM O EMPREGO DO MÉTODO FORM

OBTENÇÃO DO ÍNDICE DE CONFIABILIDADE DE LIGAÇÕES DE PERFIS FORMADOS A FRIO COM O EMPREGO DO MÉTODO FORM

Em Maiola (2004) foram realizados estudos do comportamento estrutural de ligações parafusadas em chapas finas e perfis formados a frio, mediante análise teórica e experimental de corpos-de-prova. Cada configuração de ligação foi fabricada em duplicata, sendo que em cada configuração de chapa fina foi ensaiada com e sem arruela junto à cabeça do parafuso e à porca, enquanto os perfis foram ensaiados sem a utilização de arruelas. Foram utilizados parafusos de alta resistência ISSO 7411 grau 8.8, instalados em furos realizados por puncionamento através de aperto manual, e aços ZAR 345 (espessura de 1,55 mm), SAE 1008 (espessuras de 2,75 e 3,75 mm) e COR 420 (espessura de 4,75 mm). Foi adotado um total de 108 resultados de ensaios que falharam por pressão de contato (esmagamento), sendo 69 chapas, 20 perfis U e 19 cantoneiras. A figura 4.5 apresenta uma falha de esmagamento da parede do furo em ensaio realizado com perfil U.
Mostrar mais

108 Ler mais

Perfis

Perfis

Dedicou vários à turma da revista Clima, que o acompanhou a vida inteira desde os tempos de estudante na Faculdade de Filosofia, quando compartilha- ram a época frutífera das definições profissionais e escolha de carreira. O que se fez, como é sabido, através da distribuição de tarefas na revista. Destacam-se en- tre eles os perfis do crítico de cinema Paulo Emilio Salles Gomes, do crítico de teatro Décio de Almeida Prado, do antropólogo e erudito Ruy Coelho.

5 Ler mais

MODELOS DE TORRES EM PERFIS TUBULARES PARA RADIO, TV E TELEFONIA UTILIZANDO A TEORIA DA SEMELHANÇA

MODELOS DE TORRES EM PERFIS TUBULARES PARA RADIO, TV E TELEFONIA UTILIZANDO A TEORIA DA SEMELHANÇA

É muito difícil reproduzir no modelo todas as condições impostas pela semelhança física. Galileu, que foi pioneiro na teoria da semelhança física, já mostrava que a simples semelhança geométrica em problemas de resistência das estruturas é insuficiente: se os materiais do protótipo e do modelo forem o mesmo, as forças de gravidade serão reproduzidas em escala diferente da escala das resistências. Um modelo reduzido em que tais forças são significativas poderá representar comportamento satisfatório, e o protótipo não. A dificuldade é tanto maior quanto mais complexo o processo físico, e a análise dimensional, além de orientar o modo como devem ser executados os modelos, passa a ter como papel principal o de advertir contra conclusões simplistas, revelando as grandes discrepâncias que podem existir entre o comportamento do modelo e do protótipo.
Mostrar mais

184 Ler mais

Heterogeneidade cognitiva nas dificuldades de aprendizagem da matemática: mecanismos específicos e gerais

Heterogeneidade cognitiva nas dificuldades de aprendizagem da matemática: mecanismos específicos e gerais

Os resultados do presente estudo estão de acordo com a visão de que múltiplos mecanismos cognitivos são envolvidos na aprendizagem da matemática. Através de uma análise hierárquica de clusters foi possível encontrar diversos perfis de desempenho cognitivo que se associaram ao desempenho em aritmética, sendo o pior desempenho, relacionado ao comprometimento da acurárica do senso numérico. Dificuldades no processamento fonológico mas principalmente no processamento visuospeacial também emergiram como candidatas a constituir subgrupos relativamente homogêneos de dificuldades de aprendizagem escolar. Os resultados estão, portanto, de acordo com a hipótese de que as dificuldades de aprendizagem da aritmética podem ser reduzidas a um número grande porém restrito de mecanismos cognitivos, alguns dos quais foram investigados no presente estudo. Os resultados indicam também que as dificuldades de aprendizagem da matemática podem se apresentar sob a forma de grupos relativamente homogêneos de déficits cognitivos específicos. Mais estudos são necessários para elucidar essas questões, com amostras maiores e representativas da população, como também a partir da análise de casos isolados.
Mostrar mais

100 Ler mais

OS NOVOS PERFIS PROFISSIONAIS

OS NOVOS PERFIS PROFISSIONAIS

No campo profissional, firmaram-se várias categorias ligadas à informação, tais como os profissionais de informática, de admi- nistração de dados, de gestão de docu- mentos, o especi[r]

5 Ler mais

O Profissional de Secretariado Executivo como Mediador de Conflitos

O Profissional de Secretariado Executivo como Mediador de Conflitos

Ao definir o melhor método para gerir situações de conflito no ambiente organizacional é preciso atentar para o histórico de cada situação. A resistência, característica daquele que defende seu ponto de vista, é comum em todos os níveis de conflito, e, sendo assim, é necessária muita habilidade para administrar ou mesmo solucionar situações desse tipo. Tratando-se da busca por um resultado positivo para tais circunstancias, é ainda mais desafiador chegar a um consenso, uma vez que é necessário transformar opiniões diversas em algo único e que satisfaça as partes envolvidas.
Mostrar mais

24 Ler mais

Show all 10000 documents...