Performance aeróbia

Top PDF Performance aeróbia:

Índices fisiológicos associados com a performance aeróbia de corredores nas distâncias de 1,5 km, 3 km e 5 km.

Índices fisiológicos associados com a performance aeróbia de corredores nas distâncias de 1,5 km, 3 km e 5 km.

Índices relativos à resposta do lactato sanguíneo (onset of blood lactate acummulation – OBLA e a máxima fase estável de lactato - MLSS) são os que melhor representam a capacidade aeróbia, demonstrando relação com a performance de longa duração (CAPUTO et al., 2009). Contudo, a mensuração da capacidade aeróbia a partir de concentrações fixas de lactato (OBLA) parece ser uma importante limitação dos estudos que analisaram a relação dos índices fisiológicos com a performance aeróbia em corredores de endurance (BRANDON, 1995; DENADAI; ORTIZ; MELLO, 2004). Além disso, alguns pesquisadores têm apresentado que valores fixos de lactato podem subestimar ou superestimar a capacidade aeróbia dos atletas, sugerindo a utilização de métodos que permitem a determinação da MLSS (DENADAI, 1996; DENADAI; ORTIZ; MELLO, 2004; HECK et al., 1985; BENEKE, 2003). Neste sentido, a MLSS tem sido considerada o limite superior no qual ainda ocorre estabilidade nas respostas metabólicas e nas trocas gasosas pulmonares sendo frequentemente indicada para a prescrição do treinamento aeróbio, principalmente para atletas (BENEKE, 1995; JONES; DOUST, 1998).
Mostrar mais

9 Ler mais

Variáveis fisiológicas e neuromusculares associadas com a performance aeróbia em corredores de endurance: efeitos da distância da prova.

Variáveis fisiológicas e neuromusculares associadas com a performance aeróbia em corredores de endurance: efeitos da distância da prova.

Contudo, de acordo com os resultados apresentados no presente estudo, pode-se concluir que a predição da performance aeróbia de corredores de endurance moderadamente treinados, a partir do VO 2 max, vVO 2 max, Tlim, EC, LAn e FE é dependente da distância da prova analisada (1.500m, 5.000m e 10.000m). Recomenda-se, entretanto, a realização de estudos similares com corredores de endurance de elite, para verificar as possíveis influências destes fatores na performance desses atletas em diferentes distâncias.

5 Ler mais

Índices fisiológicos associados com a "performance" aeróbia em corredores de "endurance": efeitos da duração da prova.

Índices fisiológicos associados com a "performance" aeróbia em corredores de "endurance": efeitos da duração da prova.

Na literatura, existem muitos estudos que analisaram a predi- ção de performance aeróbia durante a corrida a partir dos índices fisiológicos citados anteriormente. Estes estudos, entretanto, uti- lizando modelos de regressão simples ou múltipla, analisaram, no mesmo grupo de atletas, as relações entre os índices fisiológicos e o desempenho aeróbio em uma única distância (freqüentemen- te entre 1.500 e 10.000m) (6-8) . Com base nesses estudos, tem-se

4 Ler mais

Índices técnicos correspondentes à velocidade crítica e à máxima velocidade de 30 minutos em nadadores com diferentes níveis de performance aeróbia.

Índices técnicos correspondentes à velocidade crítica e à máxima velocidade de 30 minutos em nadadores com diferentes níveis de performance aeróbia.

o IBV30 nos dois grupos. Como não houve diferença no CB cor- respondente a essas intensidades nos dois grupos, o maior valor de VC em relação à V30 observado nos dois grupos foi o respon- sável por tal diferença encontrada. O nível de correlação entre os dois índices foi significante tanto no grupo G1 (r = 0,88) quanto no G2 (r = 0,91). Portanto, apesar de o nível de performance aeróbia determinar diferentes valores de IBVC e IBV30, a relação entre esses dois índices também parece não ser modificada. Um as- pecto importante deste estudo é que, apesar de a TB e do CB correspondentes à VC e à V30 terem sido estatisticamente seme- lhantes nos dois grupos, a VC foi maior do que a V30. Poder-se-ia esperar, desse modo, que um dos dois índices (TB ou CB) fosse estatisticamente diferente. Uma possível explicação seria a ocor- rência do erro tipo 2 (admite-se que duas variáveis são iguais, quan- do elas podem ser diferentes), determinado possivelmente pelo N (G1 = 13 e G2 = 10) relativamente reduzido para a análise esta- tística utilizada (ANOVA two way), sendo esta uma possível limita- ção do nosso estudo.
Mostrar mais

5 Ler mais

Índices fisiológicos associados com a performance aeróbia em corredores de endurance: efeitos da duração da prova

Índices fisiológicos associados com a performance aeróbia em corredores de endurance: efeitos da duração da prova

Based on studies that analyzed the aerobic performance predic- tion from multiple or simple regression models, it has been specu- lated that the competition distance and consequently the exercise intensity may influence the relation between physiological index- es and yield. The data from our study supports this hypothesis. At 1,500 m, the TE (an anaerobic capacity indicator) (15) and the vVO

3 Ler mais

Validade do teste de 30 minutos (T-30) na determinação da capacidade aeróbia, parâmetros de braçada e performance aeróbia de nadadores treinados.

Validade do teste de 30 minutos (T-30) na determinação da capacidade aeróbia, parâmetros de braçada e performance aeróbia de nadadores treinados.

section of the swimming pool (clean swim) for T-30 test (SRT-30, SLT-30 and SIT-30) and progressive test. Through the relation be- tween ATS and stroke parameters in progressive test, stroke rate threshold (SRT), stroke length threshold (SLT) and stroke index threshold (SIT) were determined. The time to complete 400 m at maximal effort was considered as performance parameter (P400). No significant difference was found between the ATS (1.29 ± 0.07 m.s -1 ) and VT-30 (1.29 ± 0.08 m.s -1 ), along with a correlation (r =

5 Ler mais

Efeito do pacing e do exercício prévio na performance aeróbia

Efeito do pacing e do exercício prévio na performance aeróbia

Segundo JONES et al. (2008) a maneira pela qual os atletas distribuem seu gasto de energia durante uma corrida, ou seja, a estratégia de corrida escolhida, é susceptível de influenciar fatores como a contribuição da taxa de energia oxidativa e não oxidativa nas vias metabólicas, a taxa com que a fadiga se desenvolve e, finalmente, o desempenho na corrida em si. Porém, poucos estudos na literatura têm estudado o efeito do pacing no desempenho do exercício. Como em exercícios aeróbios de curta duração a exaustão está relacionada ao esgotamento das reservas anaeróbias de energia, a forma de distribuição da intensidade (pacing) pode modificar significantemente a performance do indivíduo.
Mostrar mais

21 Ler mais

Associação entre o polimorfismo I/D no gene da enzima conversora de angiotensina e a potência aeróbia em idosas

Associação entre o polimorfismo I/D no gene da enzima conversora de angiotensina e a potência aeróbia em idosas

Portanto, percebe-se que uma possível associação entre o polimorfismo ID no gene da ECA e a potência aeróbia não esta clara. Enquanto alguns estudos apontam para a associação do genótipo II ou DD com maior performance aeróbia, outros negam qualquer associação, como no caso do presente estudo. Pode ser que esta disparidade de achados aconteça por diferenças nos protocolos empregados para o teste de potência aeróbia, ou mesmo pelas diferenças étnicas das amostras. Sullivan (2007) ressalta que os estudos de associação genética são importantes para formação de banco de dados, mas, devem ser interpretados com cautela devido à possibilidade de associações espúrias. É possível ainda que algumas ou todas as associações reportadas entre a performance física e o polimorfismo ID no gene da ECA possam ser atribuídos a um desequilíbrio de ligação com outros genes em proximidade ao lócus do gene da ECA, e não a este gene especificamente (CRISAN; CARR, 2000; RANKINEN et al., 2000).
Mostrar mais

85 Ler mais

Índices fisiológicos e neuromusculares relacionados à performance nas provas de 800 m e 1500 m rasos.

Índices fisiológicos e neuromusculares relacionados à performance nas provas de 800 m e 1500 m rasos.

A velocidade média alcançada nas duas provas foram acima da vOBLA (tabela 2). Esses dados podem explicar a ausência de correlação da vOBLA com as provas de 800 m e 1500 m. Como observado por Denadai (1999), a predição da performance aeróbia pode apresentar maior precisão quando o índice fisiológico utilizado identifica uma velocidade próxima à empregada na prova. Adicionalmente, Lacour, Bouvat e Barthelemey (1990) destacaram que a utilização da vOBLA para a predição da performance de corredores de média distância é considerado menos importante que para atletas de fundo, pois os primeiros correm por curtos períodos de tempo a velocidades supra-máximas e, aparentemente, são menos sensíveis que os corredores de longa distância aos níveis elevados de concentração de lactato sanguíneo (DANIELS, 1985).
Mostrar mais

11 Ler mais

Determinação da potência aeróbia de crianças e adolescentes a partir de ajustes ...

Determinação da potência aeróbia de crianças e adolescentes a partir de ajustes ...

Em outro estudo longitudinal, McMURRAY, HARRELL, BRADLEY, DENG e BANGDIWALA (2002) avaliaram a potência aeróbia indiretamente através de um teste escalonado em cicloergômetro (PWC 195) de 1279 moças e 1261 rapazes de 8 a 16 anos. Mesmo que o protocolo de estudo não se assemelhe aos diferentes estudos apresentados até o momento, sua relevância é devida ao grande número de indivíduos participantes e da faixa etária incluir a da presente amostra. Os resultados demonstraram que a potência aeróbia absoluta (L·min -1 ) aumentou em ambos os sexos e grupos étnicos, sendo mais elevado entre os rapazes do que entre as moças, em qualquer idade. Entretanto, dos 10 aos 16 anos, os rapazes apresentaram um aumento médio de 81%, enquanto que nas moças, o aumento foi de 28%. No caso das moças, o aumento na potência aeróbia ocorreu apenas até os 14 anos (por volta de 32%), quando os valores médios estabilizaram-se em aproximadamente 1,90 L·min -1 . Esses resultados apresentaram valores médios mais baixos dentre os diferentes estudos, provavelmente, devido ao tipo de ergômetro utilizado e pelos valores serem obtidos indiretamente, entretanto, ao analisarmos o comportamento geral para ambos os sexos, os resultados apontam para um comportamento semelhante, em todos eles.
Mostrar mais

148 Ler mais

Estabilidade aeróbia de silagens de planta e de grãos úmidos de milho

Estabilidade aeróbia de silagens de planta e de grãos úmidos de milho

Após 140 dias de fermentação, os silos foram abertos, retiradas amostras da silagem para avaliações dos valores de pH; os teores de MS, ácidos orgânicos, nitrogênio amoniacal; desenvol[r]

94 Ler mais

Aptidão aeróbia e amplitude dos domínios de intensidade de exercício no ciclismo.

Aptidão aeróbia e amplitude dos domínios de intensidade de exercício no ciclismo.

Os dados foram expressos como média ± DP. A normalidade das variáveis determinadas neste estudo foi analisada pelo teste de Sha- piro-Wilk. A análise dos efeitos da aptidão aeróbia sobre as variáveis submáximas e máximas foi realizada pela análise de variância ANOVA one-way, complementada pelo teste de Scheffé. A análise dos efeitos do nível de aptidão aeróbia sobre a amplitude dos domínios de exercício (%Isup) foram realizadas pelo teste não paramétrico de Kruskal-Wallis. Em todos os testes foi adotado um nível de significância de p < 0,05.

4 Ler mais

Os efeitos do treino de dança sobre níveis de aptidão física em contexto escolar

Os efeitos do treino de dança sobre níveis de aptidão física em contexto escolar

Num outro estudo, Sabia, Santos e Ribeiro (2004) estudaram 28 adolescentes (média de idade = 13 anos), com índice de massa corporal (IMC) acima do percentil 95 para a idade e sexo, distribuídos em dois grupos de forma aleatória: exercício de caminhada contínua (GEC; n = 13) e exercício de corrida intermitente (GEI; n = 15), ambos submetidos a um programa de treino físico três vezes por semana, durante 16 semanas, com uma duração de 20 a 40 minutos. Foi observada uma diminuição do IMC e das pregas cutâneas com diferença significativa para ambos os grupos. Na avaliação bioquímica, assistiu-se a uma diminuição significativa nos níveis séricos de HDL 4 e LDL 5 , colesterol total, e aumento dos triglicerídeos e glicémia no GEC, embora mantendo-se dentro dos valores de normalidade. No GEI, o HDL e triglicerídeos tiveram uma diminuição significativa. O consumo máximo de oxigénio aumentou estatisticamente nos dois grupos. Os investigadores concluíram que a actividade física proposta e a orientação alimentar, tanto para o GEC quanto para GEI, foi suficiente e satisfatória, promovendo diminuição ponderal, melhoria da composição corporal, dos níveis lipídicos e aumento da capacidade aeróbia dos adolescentes.
Mostrar mais

44 Ler mais

Avaliação da potência aeróbia de praticantes de Rugby em Cadeira de Rodas através de um teste de quadra.

Avaliação da potência aeróbia de praticantes de Rugby em Cadeira de Rodas através de um teste de quadra.

Este protocolo tem ainda o aspecto favorável de não necessitar de sinal sonoro específico durante a execução do teste, como nos testes conhecidos como Beeptest, os quais, no Brasil ainda não foram validades. Outro ponto relevante é que nos testes Beep o sujeito avaliado tem que executar uma volta de 180º e no protocolo utilizado neste estudo a volta é de 90º. Isto facilita a execução pelos sujeitos tetraplégicos que possuem comprometimento postural. Acredita-se que as curvas de 180º podem dificultar a realização do teste fazendo com que o resultado expresse o grau de comprometimento da força/potência muscular localizada em detrimento da condição aeróbia dos avaliados, que é o principal objetivo do teste.
Mostrar mais

10 Ler mais

A prática desportiva regular e a capacidade aeróbia em alunos do 10º e 11º anos : estudo centrado no ensino secundário de uma escola pública

A prática desportiva regular e a capacidade aeróbia em alunos do 10º e 11º anos : estudo centrado no ensino secundário de uma escola pública

Assim sendo, o principal objetivo do presente estudo foi verificar a associação entre a prática desportiva regular e a capacidade aeróbia com base nos resultados do teste da Milha, teste esse contemplado no programa fitnessgram e o que verificamos é que essa relação existe, na medida em que os alunos que praticam desporto obtiveram melhores resultados nos testes da Milha, do que os que não praticaram, o que se verificou quer sendo eles do género masculino ou do género feminino. Verificamos ainda, que existe uma maior predominância por parte dos rapazes nas zonas acima e dentro dos ideais de prestação, em relação às raparigas, o que podemos concluir que os rapazes têm para além de maior capacidade aeróbia, uma maior preocupação no sentido de praticar desporto, pois há um maior percentagem de rapazes a praticar do que raparigas.
Mostrar mais

59 Ler mais

Associações entre parâmetros neuromusculares, cardiorrespiratórios e de desempenho em atividades da vida diária em pacientes com insuficiência cardíaca

Associações entre parâmetros neuromusculares, cardiorrespiratórios e de desempenho em atividades da vida diária em pacientes com insuficiência cardíaca

the peak of the ADL test and of the T6’ in circuit. Conclusion: in this study ADL test as well as T6’ in circuit may not be considered submaximal tests, although they can be regarded as protocols for identification of maximum aerobic power for patients classified as NYHA class II or III. In a similar way neuromuscular and aerobic aptitude parameters showed significant correlations concerning ergoespirometric test of performance in activities of daily living, ergoespirometric 6-min walk test in circuit, maximum ergoespirometric test in cycloergometer, and neuromuscular test in isokinetics equipment, what suggests that use of resistance and aerobic exercises should be regarded as of equal importance in rehabilitation and fitness programmes aimed at individuals with heart failure.
Mostrar mais

122 Ler mais

VARIÁVEIS FISIOLÓGICAS DETERMINANTES DE PERFORMANCE EM MOUNTAIN BIKERS

VARIÁVEIS FISIOLÓGICAS DETERMINANTES DE PERFORMANCE EM MOUNTAIN BIKERS

aeróbia. A avaliação aeróbia consiste em realizar um teste progressivo na sua própria bicicleta acoplada ao ciclo-simulador, com incremento de carga de 30 Watts a cada 3 minutos até a exaustão. No teste aeróbio, será feita a análise da freqüência cardíaca através de monitores portáteis, a análise de trocas gasosas através do analisador portátil KB1C, será coletada amostras de sangue obtido do lóbulo da orelha direita para análise das concentrações sanguíneas de lactato. Estas coletas de lactato serão realizadas nos 30 segundos finais de cada carga e após o teste no período de recuperação no 1 o , 3 o e 5 o minutos. Na competição, você deverá competir normalmente sendo que usará 1 monitor de freqüência cardíaca para registrar o comportamento das variáveis identificadas previamente em laboratório.
Mostrar mais

110 Ler mais

Degradação do tetracloroeteno por consórcios bacterianos em reator horizontal de...

Degradação do tetracloroeteno por consórcios bacterianos em reator horizontal de...

isolados do In1, similares a Burkholderia sp., Pseudomonas stutzeri, P. oryzihabitans e Stenotrophomonas maltophilia e 7 isolados do In2, similares a Microbacterium trichotecenenolyticum, S. maltophilia, Klebsiella sp., Exiguobacterium acetylicum, P. oryzihabitans, Acinetobacter junii e Comamonas sp. Compostos orgânicos voláteis nos reatores com In1 e In2 foram analisados por CG/EM, identificando a produção de clorofórmio (TCM) e 1,1,1-tricloroetano (TCA) como produtos da degradação do PCE. Consórcios formados por bactérias isoladas dos reatores In1 (IIn1) e In2 (IIn2) foram imobilizados e acondicionados em RHLFs distintos para avaliar o potencial dos mesmos na degradação do PCE. Após 12 horas, 92 % do PCE foi degradado nos reatores com IIn1 e IIn2, com produção de TCM e TCA. Testes de degradação usando células em suspensão foram conduzidos para avaliar a eficiência de cada isolado na degradação do PCE. O isolado I8 do In2 (I8In2), identificado como Comamonas sp., teve 68 % de eficiência na degradação do PCE. Ensaios com inibidor de monoxigenases do citocromo P-450 (1-aminobenzotriazole) mostraram que a degradação do PCE nos RHLFs, contendo IIn1, IIn2 e I8In2, foram dependentes dessa enzima. Como conclusão, nós identificamos uma nova via de degradação do PCE altamente eficiente, aeróbia e mediada por monoxigenases e isolamos cepas bacterianas que podem ser usadas como consórcios imobilizados nos RHLFs como uma alternativa eficiente na remediação de áreas contaminadas com PCE.
Mostrar mais

149 Ler mais

Efeito do treinamento de saltos em mini-trampolim na resistência de força e na aptidão aeróbia em mulheres treinadas

Efeito do treinamento de saltos em mini-trampolim na resistência de força e na aptidão aeróbia em mulheres treinadas

Primeiramente, o estímulo proporcionado pelo treinamento pode não ter sido suficiente para proporcionar melhora desta aptidão nesta população, já que as voluntárias não eram sedentárias. Além disso, a frequência semanal recomendada para a melhora da aptidão aeróbia é de 3 sessões (POLLOCK et al., 1998). Um outro aspecto importante, é que o teste de VO 2 max foi realizado na esteira, que pode não ter sido um exercício tão específico. Portanto,

15 Ler mais

Show all 7666 documents...