Planejamento regional - Política governamental - Avaliação - Cariri

Top PDF Planejamento regional - Política governamental - Avaliação - Cariri:

Planejamento governamental e política regional: o Brasil frente ao novo paradigma

Planejamento governamental e política regional: o Brasil frente ao novo paradigma

Os Programas de Desenvolvimento Integrado e Sustentável de Mesorregiões Diferenciadas partem do princípio de que a missão institucional do Ministério da Integração Nacional reside na nec[r]

152 Ler mais

Uma avaliação do ordenamento territorial no processo de planejamento governamental:...

Uma avaliação do ordenamento territorial no processo de planejamento governamental:...

A concepção do ordenamento territorial para o governo brasileiro compreendia promover a organização da rede urbana em um sistema que satisfizesse as aspirações dos habitantes das diferentes regiões do país, e traria como consequências a reorientação dos fluxos migratórios, através da orientação dos investimentos públicos e privados em sintonia com os objetivos de desenvolvimento regional; e iniciaria um processo de descompressão urbana, reorientando investimentos para induzir o crescimento das cidades médias e núcleos interiorizados. Assim, o foco de ação do governo federal através do CNDU era o fenômeno urbano, portanto a decisão de conduzir o desenvolvimento de modo integrado, formulando uma política urbana que refletisse a estratégia global de crescimento e transformação social. Outra questão levantada pela política urbana dizia respeito à pobreza que se acumulava nas periferias urbanas, devendo ter ação concentrada no campo e na cidade; incentivos ao desenvolvimento da agricultura, aumentando os níveis de produção e de produtividade, valorizando a vida rural, enfatizando os pequenos e médios produtores, deveria contribuir para diminuir a migração rural-urbana.
Mostrar mais

287 Ler mais

A dimensão territorial do planejamento governamental: políticas de desenvolvimento regional no Estado do Rio Grande do Sul

A dimensão territorial do planejamento governamental: políticas de desenvolvimento regional no Estado do Rio Grande do Sul

Na Mesorregião da Grande Fronteira do Mercosul, as ações desenvolvidas estão em consonância com o plano de ação da mesorregião, fortemente vinculadas aos conceitos de desenvolvimento endógeno, de acordo com os APLs priorizados no contexto da política nacional. A viabilização dos projetos conta com a mobilização dos atores, sendo intensamente influenciada pelas universidades comunitárias, que são as responsáveis pela elaboração dos mesmos, juntamente com os Coredes, com os quais guardam estreita relação. Entre as repercussões de maior proporção nessa mesorregião, está a contribuição para a criação da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), com sede em Chapecó, em Santa Catarina, e campi nas cidades de Erechim e Cerro Largo, no Rio Grande do Sul; e Laranjeiras do Sul e Realeza, no Paraná. Embora não esteja incluído no Plano de Desenvolvimento da Mesorregião Grande Fronteira do Mercosul, o Fórum da Mesorregião participou ativamente do movimento em favor da criação da universidade, com origem em 2005. Contudo, deve-se assinalar que o protagonismo do movimento é dos movimentos sociais, principalmente dos vinculados à agricultura familiar.
Mostrar mais

20 Ler mais

Avaliação do planejamento do transporte ferroviário regional de carga: análise para o semiárido brasileiro sob os aspectos do crescimento e  econômico regional

Avaliação do planejamento do transporte ferroviário regional de carga: análise para o semiárido brasileiro sob os aspectos do crescimento e econômico regional

Cabia ao Governo a tarefa de transformar um sistema composto de linhas isoladas e desarticuladas em um sistema articulado. Assim, em 1931 o Ministro da Viação criou uma comissão para elaborar um plano geral de viação, que explicitasse os objetivos e metas do país sob a ótica da economia e de defesa nacional. No tocante às ferrovias, a meta principal era reparar financeiramente as empresas e realizar o mínimo de integração entre as redes existentes. Com o objetivo de favorecer a execução de uma política uniforme para todas as ferrovias do país, foi criado em 1941 o Departamento Nacional de Estradas de Ferro (DNEF), tendo como complemento a Controladoria Central Ferroviária e o Conselho de Tarifas e Transporte – responsáveis por controlar e fiscalizar a execução dos programas ferroviários, estudar questões econômicas, financeiras, comerciais e técnicas, supervisionar a administração das ferrovias da União e realizar contratos para construção.
Mostrar mais

112 Ler mais

Desempenho organizacional e arranjo federativo: o slack da Sudene e o colapso na gestão política de planejamento regional

Desempenho organizacional e arranjo federativo: o slack da Sudene e o colapso na gestão política de planejamento regional

ralismo e sua decorrente volatilidade institucional deterioraram o sistema de plane- jamento regional do qual a Sudene era uma agência executora? Que mecanismos impe- liram aquela agência ao slack? Visando responder a tais indagações por meio da explicação por mecanismos, este artigo parte do conceito de slack organizacional – que tem no trabalho de Cyert & March (1963) seu ponto de partida –, ancorando-se analiti- camente nos mecanismos restauradores da performance organizacional da saída, da voz e da lealdade definidos por Hirschman (1973 [1970]) para explicar os fatores de desarti- culação que conduziram à extinção da agência governamental. Utilizando-se como variável explicativa o arranjo federativo (modelo institucional) e, como variável interveniente, os interesses localistas decor- rentes da descentralização de políticas públicas, sustenta-se o argumento de que o perfil do federalismo brasileiro, surgido com a Constituição de 1988, fortaleceu os dilemas de ação coletiva no interior do sistema de gestão do planejamento regional, deixando a Sudene desprovida de instrumentos mantenedores do padrão cooperativo necessário à sua natureza organizacional, conduzindo-a ao slack. Em outros termos, os membros da organi- zação alteraram objetivos coletivos
Mostrar mais

18 Ler mais

Governança informacional na reforma do Estado: um estudo exploratório sobre política pública de acesso à informação governamental

Governança informacional na reforma do Estado: um estudo exploratório sobre política pública de acesso à informação governamental

A proposta do PSO resgata os ideais de participação política dentro de um conceito mais amplo, o de esfera pública, que utiliza a transparência como proteção contra novas formas particularistas de intervenção na arena estatal, como o são o clientelismo e o corporativismo (ABRUCIO, 1997, p. 27). Sendo assim, é a partir do conceito de esfera pública que é estruturado o conjunto de idéias do Public Service Orientation. A esfera pública é compreendida como o lócus da aprendizagem social e política e da transparência, da articulação entre Estado e sociedade civil, além de estar presente também na organização interna da administração pública, sobretudo no momento de elaboração, monitoramento e avaliação das políticas públicas. Para Abrucio (1997, p.27) a esfera pública deve ser o espaço de superação dos limites do planejamento estratégico, que não pode estar confinado à burocracia. Os objetivos políticos definidos pelo planejamento estratégico devem ser discutidos e revelados num processo de debate público, assim como o debate sobre os resultados das ações.
Mostrar mais

160 Ler mais

Planejamento governamental: a SUDECO no "Espaço Mato-Grossense". Contexto, propósitos...

Planejamento governamental: a SUDECO no "Espaço Mato-Grossense". Contexto, propósitos...

Carne – considerando-a o produto de excelência regional, a SUDECO realizou estudos para abertura de um frigorífico no pólo Corumbá-Ladário para receber/industrializar a produção local. Esse era, do ponto de vista da Superintendência, a ação prioritária do PRODEPAN. Somente para estudos de viabilidade econômica foram consumidos Cr$1.125.000,00 (US$105,5 mil), em 1976, mas a construção, que fora prevista para 1977, não se efetivou, embora houvesse um grupo de empresários locais interessados. O grupo FRIGOPAN conseguiu uma área em Ladário cedida pela Prefeitura Municipal, onde pretendiam instalar o empreendimento, perto do Pôlder e do distrito industrial, com recursos financiados pelo, então BNDE. O frigorífico chegou a ter seis linhas telefônicas e escritório instalado, além da compra da ferragem para a construção que nunca aconteceu. Assim, o frigorífico, embora tenha tido escritório, a integralização de capital dos acionistas e os recursos do BNDE - CR$40 milhões (US$2,22 milhões), em 1978 - depositados em Banco, não foi de fato construído. Segundo um dos acionistas o grupo local não concordou com a proposta de controle e participação que teria o Grupo Bordon. Desse modo, a política regional planejada deparou em questões e forças políticas, que estão acima das decisões técnicas e de planejamento de gabinete e que não foram consideradas no plano do local.
Mostrar mais

323 Ler mais

Avaliação da implantação do Eixo Estrutura do Programa Nacional de Qualificação da Assistência Farmacêutica no SUS

Avaliação da implantação do Eixo Estrutura do Programa Nacional de Qualificação da Assistência Farmacêutica no SUS

Ainda na etapa de planejamento, foi pos- sível determinar nos municípios habilitados que apenas em 66% (n=256) o secretário mu- nicipal de saúde participou do planejamento de ações e metas para implantação do pro- grama, em 74% dos municípios, houve a par- ticipação do coordenador municipal de AF ou farmacêutico e apenas em 17% incluiu a presença de membro ligado ao planejamento da Secretaria Municipal de Saúde. Em 38% (n=256) dos municípios, o planejamento foi realizado apenas por um profissional, sem a participação de nenhum outro membro da equipe, em 48% desses municípios, esse profissional era o coordenador da AF ou farmacêutico. Esses dados refletem que o planejamento é conduzido de modo pouco interativo entre equipe saúde e gestores, re- afirmado a suposição de planejamento não ascendente.
Mostrar mais

18 Ler mais

Participação da Sociedade nos Processos de Gestão Governamental no Estado do Rio Grande do Sul: Uma Análise do Contexto Atual

Participação da Sociedade nos Processos de Gestão Governamental no Estado do Rio Grande do Sul: Uma Análise do Contexto Atual

A partir de meados dos anos 90, no Brasil, ocorre uma redefinição dos termos do debate acerca do papel do Estado e dos mecanismos de governança até então utilizados, sinalizando para o relativo esgotamento da agenda neoliberal de reformas pró-mercado e do gerencialismo da nova gestão pública. Esse debate renovado trouxe à cena as discussões sobre a Reforma do Estado e a importância de recuperar a sua capacidade de atuação. Isto envolvia a necessidade de se construir burocracias sólidas e pro- fissionalizadas, balizadas pelo tipo ideal weberiano. Implicaria buscar novos modelos de gestão pública com capacidade de recuperar suas dimensões política e social. Buscava-se enfrentar o desafio de se romper com uma visão da nova gestão pública focada na eficiência, e o desafio de se alcançar também maior eficácia social (CARDOSO JR., 2011a).
Mostrar mais

32 Ler mais

A função da inspeção de finanças na organização do controle administrativo interno na Bélgica

A função da inspeção de finanças na organização do controle administrativo interno na Bélgica

a tarefas de ordem política, realmente está hoje, em França com o na maioria dos países, amplamente superada; não somente o volume das operações aumentou como sua própria natureza se m odificou em virtude das numerosas intervenções do Estado na economia e, principalmente, dos investimentos cujo encargo êle assumiu e cuja ampl tude e finalidade não deixam de repercutir sôbre os investimentos privados. D estarte, o equilíbrio orçam en­ tário e o equilíbrio econôm ico gtral podem cada vez menos ser encarados separadamente. D e outro lado, o acréscimo dos encargos públicos e as difcu ldades sempre crescentss de encontrar recursos com que satisfazê-los tornaram necessária uma pesquisa mais profunda do custo dos serviços públicos indispensáveis à satisfarão das necessidades gerais, assim com o de seu ren d im en to.” (N ota: o grifo é do au tor).
Mostrar mais

9 Ler mais

Sugestões para Criação de um Instituto Brasileiro de Planejamento e Desenvolvimento

Sugestões para Criação de um Instituto Brasileiro de Planejamento e Desenvolvimento

A região sul (principalmente o Estado do Rio Grande do Sul) possui a maior percentagem de órgãos de planejamento c urbanismo do País; as regiões menos desenvolvidas do Norte, Nordeste e C entro-O este são as que têm menor percentagem de órgãos específicos e normas de urbanismo do País, conforme se verifica na relação seguinte;

7 Ler mais

Avaliação do Rendimento na Divulgação Governamental

Avaliação do Rendimento na Divulgação Governamental

O balanço procedido nas matérias favoráveis à política indigenista nacional, cuja execução cabe à FUNAI, indicava que contávamos com uma opinião esclarecida e um apreciável suporte jornalístico, tanto que a maioria dos artigos, editoriais e entrevistas focalizava, num sentido de esclarecim ento e defe­ sa, o problem a levantado de fora do País sôbre o tratamento que dávamos ao índio, repudiando as acusações de genocídio e etnocídio. Havia, entretanto, um aspecto que não nos parecia saudável e que poderia ser meta para um programa de RR. PP.: a imprensa dera mais im portância e relêvo ao sensacionalismo dos choques e conflitos entre índios e civilizados do que ao trabalho paciente, tenaz e produtivo das expedições de p acifica­ ção dos sertanistas abnegados dos quadros da FUNAI.
Mostrar mais

14 Ler mais

O processo de institucionalização de um sistema de planejamento governamental: o caso do Estado do Paraná

O processo de institucionalização de um sistema de planejamento governamental: o caso do Estado do Paraná

Os elos difusos são definidos, pelo modelo adota do, como as relações com pessoas ou grupos que não estão agre gados a organizações ou coletividades formais, ma[r]

130 Ler mais

O PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E SEUS REFLEXOS NA ESTRUTURA FUNDIÃ?RIA DE MATO GROSSO

O PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E SEUS REFLEXOS NA ESTRUTURA FUNDIÃ?RIA DE MATO GROSSO

Ao planejar a ocupação dos espaços ‘vazios’ do Estado de Mato Grosso, os órgãos planejadores adotaram o modelo da grande propriedade como base, com exceção dos projetos de colonização desenvolvidos pelo INCRA. Isso se materializa na política governamental de vender grandes áreas a particulares no intuito de que esses as colonizassem, ou implantassem grande projetos agropecuários.

14 Ler mais

PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL MUNICIPAL: UMA REFLEXÃO TEÓRICA SOBRE O ALINHAMENTO DO PLANO PLURIANUAL AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO

PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL MUNICIPAL: UMA REFLEXÃO TEÓRICA SOBRE O ALINHAMENTO DO PLANO PLURIANUAL AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO

da implementação de instituições e estratégias no âmbito municipal. A reflexão foi realizada por meio de um estudo bibliográfico dos fundamentos teóricos do planejamento estratégico do Município, Plano Plurianual, Lei de Diretrizes Orçamentárias e Lei Orçamentária Anual. O método empregado foi essencialmente qualitativo, além de uma análise de conteúdo. Os principais resultados da investigação foram: a seleção das estratégias adequadas pelo gestor público municipal contribui para direcionar as ações no sentido de integrar os planejamentos de curto, médio e longo prazo e aproveitar os recursos materiais, humanos e tecnológicos disponíveis no município e a participação da comunidade no processo decisório. Palavras-chave: Planejamento estratégico. Estratégias municipais. Instituições municipais. Plano plurianual.
Mostrar mais

12 Ler mais

A POLÍTICA GOVERNAMENTAL PARA A PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO BRASIL

A POLÍTICA GOVERNAMENTAL PARA A PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO BRASIL

As áreas, a partir desta decisão da CAPES, encaminharam a questão de modos bastante variados, num leque indo desde a tomada de decisão pelo coordenador de área e consultores até a organização de reuniões com representantes dos programas envolvidos, e conseqüente tomada de decisão pela maioria presente. Esta última alternativa foi adotada pela área Ciências da Informação e Comunicação, consolidada numa reunião realizada em São Paulo (28 e 29/3/1998), à qual compareceram representantes de todos os cursos envolvidos, bem como os presidentes da Associação Nacional de Pós-Graduação em Ciência da Informação e Biblioteconomia (ANCIB) e Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (COMPÓS), na qual se debateu uma proposta de itens e pesos de avaliação para a área. As decisões tomadas foram efetivadas na avaliação realizada em junho de 1998, exceção a alguns itens propostos na reunião mas não contemplados nos relatórios dos programas.
Mostrar mais

10 Ler mais

Apresentação

Apresentação

Disponibilizamos esta nova edição aos colaboradores diretos (auto- res, avaliadores e membros do Conselho Editorial), programas e instituições parceiras, bem como ao público que a acessa livremente no portal eletrôni- co da Revista ou pelos portais de indexação/repositório da Redalyc – Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal; da Latindex – Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Cientí- ficas de América Latina, el Caribe, España y Portugal; da Spell® Scientific Periodicals Electronic Library; do Doaj – Directory of Open Access Journals e da Redib – Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico, ou ainda nos diretórios Revistas no Seer, Portal de Periódicos da Capes e Portal da Rede Cariniana, reforçando o compromisso da Revista em estimular o debate, a reflexão e a socialização de conhecimentos relacionados ao tema do desenvolvimento.
Mostrar mais

8 Ler mais

ATORES BUROCRÁTICOS E SUA ATUAÇÃO POLÍTICA NO INTERIOR DA GESTÃO GOVERNAMENTAL

ATORES BUROCRÁTICOS E SUA ATUAÇÃO POLÍTICA NO INTERIOR DA GESTÃO GOVERNAMENTAL

Barzelay (1997) enfatiza que o gerenciamento governamental deveria se ajustar às orientações da política. Contudo, acaba ocorrendo uma reacomodação entre o domínio da política e as jurisdições organizacionais como consequência da defi- nição da agenda governamental e sua implantação com a participação da gerência pública. Essa interação gera um rearranjo dos domínios internos das políticas setoriais e de suas demandas, que influencia a distribuição da autoridade organizacional sobre as decisões. Logo, as decisões sobre políticas públicas resultam da interação entre os tomadores de decisão em ambientes de expressiva atividade política e as alternativas gerenciais disponíveis. Na mesma linha, Barzelay (2004) chamará de institucionalis- mo processual essa abordagem que visa compreender as formas que podem assumir o relacionamento entre a política e as burocracias no interior dos governos. O institu- cionalismo processual desenvolve, segundo o autor, uma concepção mais abrangente sobre as mudanças no gerenciamento de governo. Em tese, novas regras organiza- cionais podem ser concebidas para gerar equilíbrios mais estáveis entre o subsistema político, a agenda do governo e as escolhas na construção de políticas públicas entre os top-levels executives e outros níveis hierárquicos. Decerto que a questão de algum nível de indução e estímulo institucional deve estar presente nesse jogo, sem o que a barganha conflitiva pode ser o resultado dessa dinâmica intragovernamental.
Mostrar mais

30 Ler mais

Reciclagem do resíduo da serragem de calcário laminado para produção de blocos cerâmicos.

Reciclagem do resíduo da serragem de calcário laminado para produção de blocos cerâmicos.

Nessa pesquisa, foram utilizados os seguintes materiais: dois tipos de resíduos gerados na serragem da Pedra Cariri, denominados por “Amarelo” e “Cinza” (em virtude de sua coloração), provenientes de empresas do município de Nova Olinda e Santana do Cariri, CE, respectivamente; e argila vermelha. Os resíduos foram coletados, diretamente, nas empresas, após processo de quarte- amento, e são representativos das duas “variedades” de Pedras Cariri produ- zidas na região. A argila vermelha foi estudada anteriormente (Almeida, 2006) e é constituída por caulinita, quartzo e mica. Apresenta uma larga distribuição de tamanho de partículas (D
Mostrar mais

6 Ler mais

Sustentabilidade e planejamento urbano e regional

Sustentabilidade e planejamento urbano e regional

Abstract: The region of Franca is home to an important local productive arrangement of the shoe industry, in- cluding industries, providing specialized services for the segment and suppliers of inputs and raw materials. With the recent transformations that have occurred in the economy, which is reflected in medium-sized cities in Brazil, Franca faces major changes in its urban structure, including new issues of urbanization, infrastructure, sanitation, use and occupation of land. In this scenario, the exploratory study aims at addressing issues regarding the regional and urban development in Franca, with the objective of defining sustainability indicators for the city as proposed by Philipi Jr and Malheiros (2012), observing the use and occupation of the land and its current recent changes. The study is included in the framework of the activities of the Laboratory for the Study of Development and Social Sustainability - LabDES UNESP-Franca, in order to support the implementation of public policies for municipal and micro-regional development, particularly regarding the built environment.
Mostrar mais

6 Ler mais

Show all 10000 documents...