Potência - Corrente

Top PDF Potência - Corrente:

COMPORTAMENTO DE TRANSFORMADORES DE CORRENTE SOB CONDIÇÕES DE ENERGIZAÇÃO DE UM TRANSFORMADOR DE POTÊNCIA

COMPORTAMENTO DE TRANSFORMADORES DE CORRENTE SOB CONDIÇÕES DE ENERGIZAÇÃO DE UM TRANSFORMADOR DE POTÊNCIA

O objetivo desta dissertação consiste no estudo das correntes de neutro na conexão dos transformadores de corrente quando em seus secundários apresentam ou não um certo nível de desequilíbrio, durante o processo de energização de um transformador de potência. Tais correntes, de acordo com relatos e constatações através de ensaios realizados em laboratório, podem ocasionar o desligamento e interrupções, causando grandes prejuízos. Visando ilustrar esse trabalho, apresentam-se resultados de simulações utilizando a plataforma computacional ATP. Por fim, algumas alternativas para evitar que a proteção de corrente de neutro seja sensibilizada de maneira inadequada durante o processo de energização de um transformador de potência, são mostradas de forma conclusiva.
Mostrar mais

89 Ler mais

PROPOSTA DE UMA NOVA TÉCNICA PARA EXTRAÇÃO GLOBAL DE MÁXIMA POTÊNCIA DE MÓDULOS FOTOVOLTAICOS SEM SENSORIAMENTO DA CORRENTE E DA TENSÃO PROVENIENTES DA FILEIRA FOTOVOLTAICA

PROPOSTA DE UMA NOVA TÉCNICA PARA EXTRAÇÃO GLOBAL DE MÁXIMA POTÊNCIA DE MÓDULOS FOTOVOLTAICOS SEM SENSORIAMENTO DA CORRENTE E DA TENSÃO PROVENIENTES DA FILEIRA FOTOVOLTAICA

conectados à rede elétrica (grid-tied) tanto no Brasil quanto no exterior, trazendo consigo o interesse da comunidade científica na busca por técnicas de extração global de máxima potência que sejam eficientes, simples e baratas. Dentro deste contexto, o presente trabalho propõe uma nova estratégia de GMPPT (do inglês, Global Maximum Power Point Tracking) que utiliza em seu controle apenas os sensores de tensão e corrente no ponto de conexão com a rede elétrica, trazendo ganhos no que tange ao custo de implementação dos sistemas fotovoltaicos conectados à rede. Para alcançar o ponto de máxima potência (PMP) são realizadas perturbações em uma variável denominada Tolerância, que, por sua vez, constitui-se no máximo valor de erro admissível entre a corrente eficaz de referência e a corrente imposta no indutor de saída (Delta RMS ). A corrente de pico utilizada como referência no
Mostrar mais

232 Ler mais

Estimulador elétrico funcional com utilização de ponte H e fonte de corrente no estágio de potência

Estimulador elétrico funcional com utilização de ponte H e fonte de corrente no estágio de potência

Implementou-se um estimulador elétrico funcional para uso na reabilitação de pacientes hígidos e paraplégicos e que não necessita de alimentação simétrica. O equipamento é constituído por dois estágios, o formador de onda, no qual se define os parâmetros do sinal de estimulação, e o de potência. No formador de onda foi utilizado uma placa Raspberry pi e uma interface de usuário, desenvolvida em Python. O estágio de potência é composto por um espelho de corrente que possibilita a utilização de transistores não casados, e uma estrutura em ponte H, para formar o sinal de eletroestimulação bifásico, sem a necessidade de fonte simétrica, diminuindo assim pela metade a diferença de potencial aplicada na alimentação do circuito. Com o estimulador implementado gerou-se correntes com forma de onda retangular, amplitude de até 120 mA e características adequadas para utilização na reabilitação dos membros inferiores e superiores de pacientes.
Mostrar mais

66 Ler mais

Aplicação da teoria de potência conservativa para compensação de distúrbios de corrente

Aplicação da teoria de potência conservativa para compensação de distúrbios de corrente

Esta teoria de potência foi proposta por Tenti et al. [34-38] e sua grande importância para as aplicações que envolvem os Filtros Ativos está no fato de permitir uma decomposição das correntes do circuito em componentes que podem ser associadas a fenômenos físicos específicos. Por exemplo, a corrente pode ser decomposta em parcelas associadas ao consumo de potência ativa (geração de trabalho), ao armazenamento de energia (formação dos campos elétrico e magnético em máquinas elétricas), aos desequilíbrios nos condutores (circuitos elétricos com cargas não equilibradas) e também às não-linearidades da carga (distorções na forma de onda). Pelo fato da decomposição das correntes estar baseada na aplicação das Leis de Kicrhhoff e também do Teorema de Tellegen, demonstra-se que esta decomposição é válida para qualquer circuito elétrico polifásico, podendo ou não apresentar o condutor de retorno (neutro), e independente da forma de onda da tensão e da corrente elétrica
Mostrar mais

87 Ler mais

Retificador ativo com alto fator de potência utilizando controle indireto de corrente por deslocamento de amostra de tensão

Retificador ativo com alto fator de potência utilizando controle indireto de corrente por deslocamento de amostra de tensão

Este trabalho apresenta uma técnica para correção de fator de potência com um retificador Boost Bridgeless monofásico sem utilização de sensor de corrente, implementada digitalmente. Esta técnica utiliza amostras da tensão de entrada deslocadas no tempo como sinal modulador, as quais são utilizadas para o acionamento dos interruptores do retificador. A técnica proposta se diferencia das demais pelo fato de não necessitar de uma malha de controle da corrente de entrada, de não utilizar sensor de corrente, de possibilitar a utilização de processadores com reduzida capacidade computacional, de não necessitar da utilização de Phase Locked Loop (PLL) e por poder ser aplicada a quaisquer formas de onda periódica da tensão de entrada. A fim de validar a técnica proposta foram realizadas simulações e coletados resultados experimentais a partir de um protótipo de 500W de potência, com o qual foram obtidos fatores de potência da ordem de 0,996, além de taxas de distorção harmônica dentro dos limites da Norma IEC 61000-3-2:2014.
Mostrar mais

148 Ler mais

Modelagem de Dispositivos de Controle em Fluxo de Potência Segundo uma Formulação de Injeção de Corrente

Modelagem de Dispositivos de Controle em Fluxo de Potência Segundo uma Formulação de Injeção de Corrente

Neste caso, a aplicação do tratamento dos limites operacionais do gerador é considerado somente a partir da terceira iteração. Nesta iteração o gerador na barra 2052 viola o limite máximo de geração de potência reativa. Portanto, Q G 2052 é especificado no valor do limite gerado e o módulo da tensão controlada é liberado para variar, ou seja, a barra 2052 passa de PV para PQ. Nas iterações subseqüentes o valor da potência reativa gerada pela barra 2052 permanece constante na formulação convencional, pois os limites são considerados fixos. Por outro lado, na formulação proposta este valor varia a cada passo do processo iterativo, uma vez que os limites de geração de reativos são dependentes da tensão.
Mostrar mais

121 Ler mais

Geração Seletiva de Corrente de Referência Trifásica usando Método Multi-Ressonante para Filtro Ativo de Potência

Geração Seletiva de Corrente de Referência Trifásica usando Método Multi-Ressonante para Filtro Ativo de Potência

zero, que não pode ser controlada por conversores de energia trifásicos a três fios. Por ser um sistema adaptativo em frequência, permite sincronizar a componente fundamental por meio de um FLL em vez de um PLL. Ao utilizar a estrutura DSOGI-FLL como base do algorítmo, este método possui todas as características descritas no capítulo 4. A maioria dos conversores de energia conectados à rede trifásica empregam uma conexão de três fios, portanto a corrente injetada na a rede é exclusivamente sincronizada com a componente de positiva e negativa da tensão de rede (RODRIGUEZ et al., 2006) (FRANKLIN; POWELL; EMAMI-NAEINI, 2001). Como consequência direta, o vetor de tensão trifásico pode ser representado em um referencial ortogonal por meio de dois sistemas independentes de variáveis ÐÑ, graças à transformação de Clarke. Além disso, as componentes de tensão instantânea positiva e negativa de ÐÑ, podem ser calculadas como escrito em (56) e (57), em que 𝑞 = 𝑒 ⊗j(π/2) é um operador de atraso de fase de deslocamento de 90 ◇ aplicado no
Mostrar mais

159 Ler mais

Geração de energia elétrica por meio de placas solares fotovoltaicas / Electric power generation by means of photovoltaic solar panels

Geração de energia elétrica por meio de placas solares fotovoltaicas / Electric power generation by means of photovoltaic solar panels

Nota-se que a figura 6 apresenta comportamento dos parâmetros (corrente, tensão e potência) distintos da figura 5. A forma de onda da tensão não possui comportamento linear quanto da figura anterior, apesar da curva de potência acompanhar a forma de onda da corrente. A corrente elétrica oscilou valores entre 7 e 17 A no decorrer da tarde, durante o intervalo das 14:57 às 16:10 horas a geração de corrente manteve-se entre 12 a 17 A e, após esse horário houve um decaimento suave e delongado da curva. Essas variações resultam da formação de nuvens sobre as placas e pelo ângulo de incidência do sol.
Mostrar mais

10 Ler mais

Contribuições ao método de rastreamento de máxima potência para sistemas fotovoltaicos

Contribuições ao método de rastreamento de máxima potência para sistemas fotovoltaicos

Diferentemente do P&O convencional, o método proposto não analisa a potência for- necida pelo painel fotovoltaico, analisando sua tensão e corrente terminal. Ao contrário, essa análise é feita de forma indireta por meio do balanço de potência do sistema. Assim, torna-se desnecessário o uso de sensores de tensão e corrente no terminal do painel. Para o entendimento desta técnica, considere um sistema padrão, composto por uma rede elé- trica, um conversor CC-CA, que interliga os painéis fotovoltaicos ao PAC e, uma carga que representa o consumo de energia do sistema. Na Figura 2.12 pode-se visualizar este sistema para 4 casos de fornecimento de potência. No primeiro caso, a energia da carga é fornecida em sua totalidade pela rede ou seja, o painel fotovoltaico não injeta potên- cia no sistema (Figura 2.12, 1 o caso). Na situação seguinte, o painel fornece potência ao sistema e a energia elétrica consumida pela carga, provém simultaneamente das duas fontes, conforme a Figura 2.12 (Caso 2). No terceiro caso a potência fornecida pelo pai- nel é suficiente para abastecer a carga. Neste caso, não há fornecimento de potência pela rede elétrica. Por fim, pode ocorrer do sistema fotovoltaico ter potência suficiente para alimentar a carga e ainda injetar potência na rede elétrica (caso 4).
Mostrar mais

85 Ler mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE UM NOVO CONVERSOR CA-CC HÍBRIDO MONOFÁSICO COM CONTROLE DIGITAL BASEADO EM DSP GUSTAVO BRITO DE LIMA

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE UM NOVO CONVERSOR CA-CC HÍBRIDO MONOFÁSICO COM CONTROLE DIGITAL BASEADO EM DSP GUSTAVO BRITO DE LIMA

Com vistas a superar essa desvantagem, ou seja, limitação de potência em aplicações monofásicas, é apresentado neste trabalho uma nova concepção de conversor PFC capaz de processar altas potências (dezenas de kW) mantendo elevada eficiência sem comprometer a robustez da estrutura. O conversor proposto recebe a denominação de Retificador Híbrido Monofásico por se tratar de uma estrutura topológica composta de um retificador não controlado operando em paralelo com um conversor chaveado (conversor CC-CC), resultando em uma estrutura que apresenta características de elevado fator de potência e reduzida distorção harmônica da corrente de alimentação. Quando comparado com as topologias PFC tradicionais, o retificador híbrido monofásico desenvolvido neste trabalho apresenta como vantagem o fato de o conversor chaveado processar apenas uma parcela de potência ativa total entregue à carga, sendo a maior parte processada pelo retificador não controlado, possibilitando, portanto, que o conjunto processe níveis mais elevados de potência (dezenas de kilowatts), promovendo maiores robustez e densidade de potência e elevada eficiência.
Mostrar mais

148 Ler mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA CONSTRUÇÃO DE UMA UNIDADE DE ENSINO POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVA SOBRE CONCEITOS DA ELET

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DE MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL EM ENSINO DE FÍSICA CONSTRUÇÃO DE UMA UNIDADE DE ENSINO POTENCIALMENTE SIGNIFICATIVA SOBRE CONCEITOS DA ELET

Esta dissertação investigou os resultados da aplicação de uma Unidade de Ensino Potencialmente Significativa no Ensino Médio em busca de evidências de aprendizagem significativa sobre conceitos da eletrodinâmica. Assim, os conteúdos: corrente, tensão, resistência, energia e potência elétrica foram abordados. Este trabalho, fundamentado na Teoria de Aprendizagem Significativa de Ausubel e na Teoria de Ensino de Bruner, foi realizado em uma escola particular do Distrito Federal com duas turmas da terceira série do ensino médio, das quais uma tornou-se a turma experimental e outra a controle. Na turma experimental, os aprendizes foram submetidos à sequência didática e ao material autoral desenvolvido especificamente para esta pesquisa. Na turma controle, o professor/pesquisador ministrou aulas da forma tradicional sobre os mesmos temas abordados na turma experimental. Todos os aprendizes responderem dois testes: o primeiro chamado de teste de sondagem que teve como objetivo comparar as duas turmas antes da aplicação da metodologia e também serviu para investigar os conhecimentos prévios dos aprendizes; e um segundo teste realizado no final da aplicação do produto a fim de verificar a relação entre o uso da UEPS e o aumento na compreensão dos conceitos abordados. Os dados obtidos foram analisados de forma qualitativa e indicaram indícios de aprendizagem significativa após a aplicação da UEPS.
Mostrar mais

141 Ler mais

Análise da Qualidade de Energia em Edifícios de Serviços e Comércio

Análise da Qualidade de Energia em Edifícios de Serviços e Comércio

A THDI apresenta sensivelmente valores duas vezes superior ao limite de 5%, na maior parte do período de análise com exceção de thdI1 e thdI3 no intervalo de tempo entre 12:00h de sábado até às 8:30 de segunda-feira, expectável por se encontrar com menor número e potência de equipamentos ligados à rede, também demonstrado pelo menor consumo no mesmo intervalo de análise. Quanto à THDV, não existem limites ultrapassados, conforme se pode comprovar na tabela seguinte. A mesma, apresenta também os valores máximos registados para as THD (corrente e tensão) nas 3 fases medidas.
Mostrar mais

148 Ler mais

CONVERSOR BOOST PRÉ-REGULADOR COM FUNÇÕES CFP E CC-CC INTEGRADAS PARA SISTEMAS UPS UTILIZANDO CÉLULA A COMBUSTÍVEL COMO FONTE AUXILIAR DE ENERGIA

CONVERSOR BOOST PRÉ-REGULADOR COM FUNÇÕES CFP E CC-CC INTEGRADAS PARA SISTEMAS UPS UTILIZANDO CÉLULA A COMBUSTÍVEL COMO FONTE AUXILIAR DE ENERGIA

Nos conversores chaveados convencionais, as chaves controladas são comandadas de modo que entrem e saiam de condução com corrente de carga, isto faz com que as mesmas estejam submetidas a altos níveis de tensão e/ou corrente durante a comutação provocando elevadas perdas por chaveamento. Cabe ressaltar que as perdas por comutação aumentam linearmente com o aumento da frequência (LEE, 1988). Desta forma à medida que se eleva a frequência de chaveamento dos conversores estáticos com intuito de se reduzir o tamanho e o peso dos elementos passivos presentes nestas estruturas, como por exemplo, os indutores e capacitores elevam-se também as perdas por chaveamento e, por consequência, a eficiência global da estrutura é reduzida (LEE, 1988), (TREVISO, 1994). Outro problema do chaveamento de dispositivos de potência é a geração de interferência eletromagnética e interferência radioelétrica devido às variações abruptas de tensão e corrente que acompanham as mudanças de estado das chaves.
Mostrar mais

126 Ler mais

RoteirodeFísica Arquivos de Matemática  Professor.Rodrigo.Neves

RoteirodeFísica Arquivos de Matemática Professor.Rodrigo.Neves

Eletricidade: corrente elétrica, resistência, Efeito Joule, curto ‐ circuito, força eletro- motriz, tensão, potência, campo elétrico. 28/06[r]

1 Ler mais

ANÁLISE COMPARATIVA DO DESEMPENHO DE UM MOTOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO TRADICIONAL E UM MOTOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO ASSIMÉTRICO COM ALIMENTAÇÃO MONOFÁSICA WELLINGTON DO PRADO

ANÁLISE COMPARATIVA DO DESEMPENHO DE UM MOTOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO TRADICIONAL E UM MOTOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO ASSIMÉTRICO COM ALIMENTAÇÃO MONOFÁSICA WELLINGTON DO PRADO

A partida de motores de indução é preocupação permanente dos projetistas de sistemas elétricos principalmente quando em geração distribuída. Corrente elevada com baixo fator de potência, durante a partida, provoca afundamentos de tensão por vezes insuportáveis. As soluções dos fabricantes prevêem o superdimensionamento do gerador. Um dos principais efeitos resultante dos elevados valores das correntes de partida dos motores de indução trata-se dos afundamentos das tensões de suprimento com reflexos nas demais cargas conectadas no mesmo barramento. É o principal problema de qualidade da energia elétrica e que pode resultar em sérios prejuízos econômicos para as indústrias e demais consumidores. Para ilustrar tal efeito com objetivo de comparar o comportamento das duas máquinas, têm-se as figuras 4.10 e 4.11, as quais ilustram o comportamento dos valores eficazes das tensões trifásicas quando da ocorrência da partida dos motores.
Mostrar mais

52 Ler mais

COMPENSAÇÃO DE REATIVOS E OS SEUS EFEITOS SOBRE O SEP (SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA)

COMPENSAÇÃO DE REATIVOS E OS SEUS EFEITOS SOBRE O SEP (SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA)

A figura 8 remete-se ao perfil da corrente de acordo com o incremento de reativo capacitivo na linha. Destaca-se nesse caso, que a medida que é percorrido o eixo x, a corrente reduz até um valor mínimo e em seguida aumenta à medida que evolui a potência reativa capacitiva. Este efeito pode ser explicado dividindo o gráfico em duas partes: a primeira até atingir o valor mínimo e a segunda o aumento da corrente. No primeiro caso o sistema possui característica indutiva intrínseca à carga interligada à barra e a medida que ocorre o incremento de KVAr capacitivo, a potência reativa diminui e por consequência a potência aparente também, provocando assim a queda no valor da corrente. Já no segundo, o sistema possui características capacitivas, portanto a cada incremento de potência no banco de capacitor representa um incremento também na potência aparente, provocando assim o aumento da corrente.
Mostrar mais

15 Ler mais

Metodologia de diagnóstico energético em estação de captação de água.

Metodologia de diagnóstico energético em estação de captação de água.

Em regime permanente a corrente elétrica do estator, o escorregamento, o rendimento e o fator de potência variam de acordo com a carga do motor. As curvas características dos motores indicam os valores típicos desses parâmetros, em função da carga ou índice de carregamento. Normalmente, a curva característica de rendimento de um motor de indução apresenta valores maiores quando sua carga se encontra na faixa de 75 a 100% de sua capacidade nominal enquanto seu fator de potência atinge o valor máximo de 100 a 125% do índice de carregamento nominal. Portanto, motores com índice de carregamento nominal abaixo de 75% operam com rendimentos e fatores de potência menores visto que requerem, proporcionalmente, maior quantidade de energia elétrica para produzir energia mecânica (Oliveira Filho et al., 2010).
Mostrar mais

7 Ler mais

Controlo vetorial de motores síncronos de relutância

Controlo vetorial de motores síncronos de relutância

Em particular, dentro desta classe de máquinas tem-se dado recentemente grande atenção aos motores síncronos de relutância (SynRM), pelas suas caraterísticas e desempenho quando confrontados com outros motores de corrente alternada. O surgimento de novas configurações geométricas do rotor, com elevadas razões de saliência, permitiu melhorar o desempenho deste tipo de motores, pelo aumento do seu rendimento, densidade de potência e fator de potência. No mesmo sentido, os sucessivos desenvolvimentos nas áreas de controlo e eletrónica de potên- cia, com repercussões nos acionamentos elétricos, permitem a operação do SynRM numa larga gama de velocidades, atingindo-se elevados rendimentos de uma forma simples e económica.
Mostrar mais

68 Ler mais

Modelagem do elo de corrente contínua no domínio da frequência em sistemas assíncronos desequilibrados.

Modelagem do elo de corrente contínua no domínio da frequência em sistemas assíncronos desequilibrados.

A maioria dos sistemas HVDC existentes hoje utiliza ti- ristores como elementos de conversão (Rudervall et alli, 2000), o que implica em freqüências de chaveamento iguais à freqüência da rede CA, resultando em componentes harmô- nicos de baixa ordem (Niquini et alli, 2008a e 2008b). Es- ses sistemas são chamados de CSC-HVDC (Current Source Converter HVDC, Conversores Fonte de Corrente), ou HVDC clássicos. Atualmente tem se difundido a utiliza- ção de chaves autocomutadas em sistemas HVDC, o que tem permitido o desenvolvimento de sistemas mais eficien- tes, com operação em altas freqüências. Isso resulta numa maior facilidade para controlar as distorções geradas. Esses sistemas são chamados de VSC-HVDC (Voltage Source Con- verter HVDC, Conversores Fonte de Tensão) (Sood, 2004). Entretanto, ainda assim os CSC-HVDC merecem destaque, e têm como principais atrativos a vantagem de suportarem uma maior tensão de operação e uma maior capacidade de trans- ferência de potência. No presente trabalho, o CSC-HVDC será simplesmente denominado de HVDC. A Figura 1 mos- tra o diagrama unifilar simplificado de um sistema HVDC. Basicamente, os sistemas HVDC são formados pelas esta- ções conversoras (o retificador e o inversor), pelos transfor- madores de conexão, responsáveis pelo controle da tensão de entrada e de saída (e para a compatibilização angular em sistemas multi-pulsos) e pela linha CC (exceto em sistemas back-to-back).
Mostrar mais

16 Ler mais

Show all 2863 documents...