Potencial elétrico

Top PDF Potencial elétrico:

Fenômenos eletrocinéticos em meios porosos, aplicação na remediação de solos: influência do potencial elétrico e do campo elétrico

Fenômenos eletrocinéticos em meios porosos, aplicação na remediação de solos: influência do potencial elétrico e do campo elétrico

RESUMO – Este trabalho apresenta os resultados do comportamento do potencial elétrico e do campo elétrico entre dois eletrodos de uma célula eletroquímica bi-dimensional construída em acrílico com um suporte poroso distribuído uniformemente com uma solução de um íon trivalente complexado com EDTA. Através de um sistema de aquisição dados on-line assistido por computador foi possível monitorar a evolução do perfil do potencial elétrico, e conseqüentemente do campo elétrico em função do tempo, observando-se assim a eletromigração e a eletrofocalização dos íons. Os resultados mostram que para os campos elétricos de 10 e 30 V/cm aplicados entre os eletrodos, por um período de 30 minutos ocorre a eletrofozalização na região de até 4cm de distância do ânodo, onde se encontra o pH favorável ao ponto iso-elétrico do íon trivalente. Observou-se também, que o tempo de focalização é menor para um campo elétrico maior: 7 minutos para o campo elétrico de 30 V/cm e 17 minutos para 10 V/cm.
Mostrar mais

10 Ler mais

O comportamento dos canais iônicos controlados por diferença de potencial elétrico e dos receptores do tipo Toll na fisiopatologia da dor neuropática.

O comportamento dos canais iônicos controlados por diferença de potencial elétrico e dos receptores do tipo Toll na fisiopatologia da dor neuropática.

de potencial elétrico ou dependentes de voltagem. No SNP, esses neurônios sen- soriais estão essencialmente localizados nos gânglios das raízes dorsais, de onde partem axônios distais em nervos periféricos responsáveis pela inervação de alvos distantes como a pele. Em situações de lesão traumática do nervo periférico, essas estruturas neuronais tem a capacidade de desenvolver fenômenos neuroplásti- cos adaptativos, promovendo remielinização e regeneração axonal. No entanto, essa resposta isiológica ao trauma pode estar associada a fenômenos patológicos, ocasionando sensibilização dos neurônios sensoriais nociceptivos e, subsequente- mente, estimulação crônica das vias periféricas de transmissão dolorosa, gerando o processo de croniicação dolorosa 1-3 .
Mostrar mais

3 Ler mais

Origem do potencial elétrico espontâneo em rochas cristalinas fraturadas e sua utilização na locação de poços.

Origem do potencial elétrico espontâneo em rochas cristalinas fraturadas e sua utilização na locação de poços.

Medidas de potencial elétrico espontâneo (PE) foram realizadas no interior de poços e na superfície da terra, ao longo de seções transversais, em aqüíferos fissurais em rochas cristalinas do Estado da Bahia. Estas medidas revelam a presença de fortes anomalias de PE relacionadas à movimentação da água subterrânea. Com base em um modelo geométrico-hidráulico simplificado para um aqüífero freático, numa estrutura essencialmente bi-dimensional, e usando as equações básicas para os acoplamentos de fluxos de fluidos (ou de calor) e de concentração iônica, é mostrado que os efeitos eletrocinéticos desenvolvidos ao longo das paredes das fraturas podem produzir anomalias de PE comparáveis àquelas observadas no campo. Por outro lado, as estimativas obtidas para os acoplamentos associados aos efeitos eletroquímico e ter- mo-elétrico são bem menores do que os estimados para o efeito eletrocinético, o que sugere que este último constitui a fonte dominante das anomalias de PE observadas em zonas fraturadas de rochas cristalinas. Com base neste resultado, foi feita a interpretação integrada de seções de resistividade aparente e perfis de PE de campo. Nesta interpretação, ficou evidenciado que o método de PE pode ser usado como uma técnica geofísica complementar ao método de eletro-resistividade na distinção de áreas com permeabilidade relativamente alta no interior de aqüíferos com porosidade fissural.
Mostrar mais

14 Ler mais

Projeto de um sistema semi-automatizado de medidas de potencial elétrico natural ou induzido do solo para aplicações geoelétricas.

Projeto de um sistema semi-automatizado de medidas de potencial elétrico natural ou induzido do solo para aplicações geoelétricas.

Primeiramente são cravados os dois eletrodos de corrente e os eletrodos de medida de potencial, cujo número depende da profundidade de investigação. Este arranjo retilíneo de eletrodos eqüidistantes é orientado, de modo a cruzar transversalmente a descontinuidade geológica de interesse. A seguir, conecta-se os eletrodos de corrente (aço inox) à fonte e estende-se o cabo de múltiplas entradas ao longo da linha de eletrodos (aço inox) de medida do potencial elétrico. Então, essas entradas são conectadas aos eletrodos de medida através de garras jacaré. Como essas comutações são feitas seqüencialmente por um pequeno toque na chave S, a possibilidade de erro é minimizada. Após o término desse grupo de medidas, o cabo é facilmente arrastado por 10 metros, para uma nova seqüência. Isto reduz o tempo total de um levantamento geoelétrico e diminui a possibilidade de erros, nessa seqüência tediosa e cansativa de medidas no campo.
Mostrar mais

5 Ler mais

Repositório Institucional da UFPA: Modelagem de eletrorresistividade 2-D a partir do potencial elétrico secundário

Repositório Institucional da UFPA: Modelagem de eletrorresistividade 2-D a partir do potencial elétrico secundário

Um dos métodos clássicos da geofísica de exploração é o Método de Eletrorresistividade, estabelecido há um século pelos irmãos Schlumberger e desde então amplamente empregado em prospecção mineral, estudos ambientais e hidrogeologia e em pesquisa de fontes geotermais. Conceitualmente o método consiste de injeção de corrente elétrica na subsuperfície e de medida de diferença de potencial elétrico, resultante da interação da corrente com o meio. As localizações dessas fontes e receptores são determinadas pelo arranjo escolhido para o levantamento. Após o processamento, obtém-se pseudo-seções de resistividade aparente que indicam a distribuição de condutividade em subsuperfície. Devido à simplicidade dos fundamentos físicos de sua formulação, o método apresenta fácil implementação computacional quando comparado aos métodos eletromagnéticos de fonte controlada. Na literatura há inúmeros trabalhos de modelagem computacional, onde se calcula a resposta para problemas 2-D e 3-D. Nestes trabalhos, as pseudo-seções são obtidas a partir do cálculo do potencial elétrico total. Neste trabalho, apresentaremos a resposta da modelagem de eletroresistividade 2-D com o arranjo dipolo-dipolo, obtida a partir do potencial elétrico secundário. A solução é calculada através do método de elementos finitos usando malhas não estruturadas. Para efeito de validação, os resultados são comparados com a resposta 2-D obtida a partir dos potencias totais.
Mostrar mais

42 Ler mais

Análise comparativa entre a produção de biogás em aterro controlado e variações no potencial elétrico natural por meio de perfilagem geofísica

Análise comparativa entre a produção de biogás em aterro controlado e variações no potencial elétrico natural por meio de perfilagem geofísica

Este trabalho tem como objetivo analisar dados de Potencial Elétrico Natural num aterro sanitário do tipo vala localizado no município de Cordeirópolis (SP). O procedimento de medidas envolveu inicialmente a montagem e instalação de um aparato de cabos, sensores e dreno para medidas geofísicas e de velocidade de fluxo de biogás numa vala posteriormente preenchida por resíduos sólidos domiciliares. O biogás é um produto da degradação de matéria orgânica contida nos resíduos, por ação de microorganismos em ambiente anaeróbico. Seu elevado conteúdo em metano caracteriza este gás como um combustível potencialmente utilizável em sistemas de geração de energia ou vapor. A área de estudos é caracterizada por solo de composição argilosa proveniente da alteração de sill de diabásio correlacionado ao evento Serra Geral, sobreposto a siltitos da Formação Tatuí, com nível freático local em torno de 50m. Os cabos foram instalados na vertical em paralelo com dreno coletor de gás, que permitiu a coleta de dados por meio da técnica da perfilagem geofísica a cada 15 dias num período de oito meses. Para a análise dos dados foram utilizados quatro parâmetros no estudo, tempo de fechamento da vala, potencial elétrico natural, velocidade da vazão de biogás e pluviosidade. Com os dados tabelados foram construídos gráficos para cada dia de coleta que demonstram valores no intervalo do cabo que está em contato com o lixo (200 cm ± 400 cm) e intervalo do cabo em contato com o solo (600 cm ± 800 cm). Posteriormente foram gerados gráficos com o período de oito meses para análise geral dos dados tabelados. Houve correlação estatística dos dados, que demonstram a influência da chuva na produção do biogás. Os resultados obtidos foram satisfatórios e demonstraram a viabilidade do método de pesquisa em estudos para a análise da viabilidade energética pela captura do biogás.
Mostrar mais

48 Ler mais

Potencial elétrico para distribuições de cargas puntiformes: sobre a convergência de séries infinitas.

Potencial elétrico para distribuições de cargas puntiformes: sobre a convergência de séries infinitas.

a ζ(1), onde ζ(s) ´e a fun¸c˜ ao zeta de Riemann [3]. Por ser uma s´erie harmˆonica, ζ(1) ´e divergente para qual- quer valor finito de x. Assim, n˜ao podemos calcular a diferen¸ca de potencial entre dois pontos gerado por esta distribui¸c˜ ao de cargas. Uma forma de contornar esta divergˆencia e calcular a diferen¸ca de potencial en- tre dois pontos ´e considerar outro ponto de referˆencia para o potencial.

5 Ler mais

A Descoberta dos Raios X

A Descoberta dos Raios X

Quanto um potencial elétrico muito alto (quilovolts ou milhares de volts) é aplicado através dos dois componentes do tubo de raios X, o cátodo e o ânodo, os elétrons emitidos são atraídos pelo ânodo de tal maneira que eles se chocam no ponto focal com tremenda força. Quanto maior o potencial, maior a velocidade destes elétrons. Alta voltagem resulta em raios X de comprimentos de ondas mais curtas e de maior poder de penetração, assim como de maior intensidade. Entretanto, mesmo os elétrons que tenham a mesma energia, quando atingem o ponto focal podem produzir raios X que diferem de energia ou comprimento de onda. Esta variação em energia de raios X resulta das diferenças nas maneiras que elétrons individuais se relacionam com os átomos do objetivo, ponto focal. De qualquer forma, quanto maior a voltagem aplicada ao tubo de raios X, maior é o número de fótons de raios X de maior energia.
Mostrar mais

30 Ler mais

Calagem e as propriedades eletroquímicas e físicas de um latossolo em plantio direto.

Calagem e as propriedades eletroquímicas e físicas de um latossolo em plantio direto.

A calagem afeta a eletroquímica de solos tropicais de carga variável. O aumento do potencial elétrico superficial contribui para a dispersão de argila, principalmente, de microagregados. Entretanto, a influência da calagem na dispersão de argila, bem como na estabilidade de macroagregados, deve ser dependente do seu efeito no aumento da quantidade de resíduos vegetais adicionados ao solo, os quais são fonte de C e energia aos microrganismos e, portanto, podem determinar um aumento da atividade microbiana no solo (CHAN & HEENAN, 1999).

4 Ler mais

Ação do brometo de sódio na atividade epileptiforme não-sináptica

Ação do brometo de sódio na atividade epileptiforme não-sináptica

Figura 28 – Gráfico do SITS referente aos valores do IE(%) em relação ao T basal (T0). Cada ponto no gráfico representa os valores da mediana da componente IE normalizada. ........................................................................................................65 Figura 29 – Gráfico do SITS referente aos valores do PS (%) em relação ao T basal (T0). Cada ponto no gráfico representa os valores da mediana da componente IE normalizada. ........................................................................................................66 Figura 30 – Gráfico do SITS referente aos valores do DC (%) em relação ao T basal (T0). Cada ponto no gráfico representa os valores da mediana da componente DC normalizada. ........................................................................................................66 Figura 31 – A - Localização do eletrodo(e) na camada granular no ápice (A) do giro denteado. Para localizar a região do GD em AE foi traçada uma poligonal no GD ; B - Exemplo de uma imagem da variação espaço temporal das AE durante a aplicação de NaBr 9mM. Simultaneamente foi registrado o potencial elétrico extracelular. Durante a exposição ao fármaco, há um recrutamento espacial neuronal, pois a região de variação do IOS diminuiu. ........................................68 Figura 32 – Gráficos do brometo de sódio representando os eventos (bursts) analisados das imagens do sinal óptico intrínseco antes, durante e após a perfusão com ACSF 0- Ca ++ . Analisou-se a evolução temporal do comprimento da área de AE durante experimentos com aplicação de NaBr 5, 7, 9 e 11mM adicionado no ACSF 0- Ca ++ . A perfusão do NaBr foi de 20 min. As imagens dos eventos foram capturadas aproximadamente de 2 em 2 min antes, durante e após a aplicação desse fármaco. A captura das imagens foi simultânea ao PE..............................69 Figura 33 – Gráfico do bloqueador SITS representando os eventos (bursts) analisados das imagens do sinal óptico intrínseco antes, durante e após a perfusão com SITS. Analisou-se a evolução temporal do comprimento da área de AE durante experimentos com aplicação do bloqueador SITS 1mM adicionado na ACSF 0- Ca ++ + alto K + . A perfusão do SITS foi de 20- 25 min. A captura das imagens foi simultânea ao registro do PE. As imagens dos eventos foram capturadas aproximadamente de 2 em 2 min antes, durante e após a aplicação deste bloqueador de canais de cloreto voltagem-dependentes......................................70 Figura 34 – Simulação com NaBr mostrando redução da permeabilidade ao Cl - . Com o aumento da concentração de K + extracelular para 8 mM, ocorre o acúmulo de Cl- intracelular. Conseqüentemente, o potencial de Nernst do Cl - (E CI ) fica mais
Mostrar mais

102 Ler mais

Transporte de partículas no Texas Helimak

Transporte de partículas no Texas Helimak

Como mencionado anteriormente, as placas de bias são utilizadas para impor um potencial elétrico externo ao plasma. Essa constitui uma importante característica do Texas Helimak, pois permite alterar o perfil radial do campo elétrico e, assim, estudar seus efeitos sobre a turbulência e o transporte de partículas no plasma. Através de uma fonte de tensão externa, o bias pode ser aplicado a um determinado conjunto de placas, assumindo valores positivos ou negativos, que podem ou não variar ao longo de cada disparo. Nos dados utilizados para esse trabalho, cada disparo foi feito com um valor de bias constante ao longo do tempo e aplicado às placas na posição radial � = 0,863 m (Toufen, 2012). Com isso, cada valor de bias caracteriza um perfil radial do campo elétrico.
Mostrar mais

97 Ler mais

Atividade recente no site - Otávio Santana

Atividade recente no site - Otávio Santana

Alguns materiais cerâmicos são piezoelétricos, ou seja, criam um potencial elétrico a partir de um esforço mecânico e com isso, são utilizados para controlar frequências em componen[r]

21 Ler mais

Avaliação da resistência externa na geração de energia elétrica por célula combustível microbiológica/  Evaluation of external resistance in the generation of electric energy by microbiological fuel cell

Avaliação da resistência externa na geração de energia elétrica por célula combustível microbiológica/ Evaluation of external resistance in the generation of electric energy by microbiological fuel cell

Após estabilização da diferença de potencial elétrico produzido no reator, realizou-se uma curva de polarização para determinar com qual resistência externa ela apresenta de[r]

8 Ler mais

Estratégias experimentais de ensino visando contribuir com o ensino de Física de modo significativo: atividades de eletricidade, magnetismo e eletromagnetismo

Estratégias experimentais de ensino visando contribuir com o ensino de Física de modo significativo: atividades de eletricidade, magnetismo e eletromagnetismo

Figura 1. Sucata de aparelhos elétricos e eletrônicos ... Aula prática sobre diferença de potencial elétrico com os alunos da 3ª série do Ensino Médio ... Aula prática sobre [r]

70 Ler mais

Curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática

Curso Técnico em Manutenção e Suporte em Informática

Potencial elétrico é a capacidade que um corpo energizado tem de realizar trabalho. É a ação de atrair ou repelir outras cargas elétricas. Com relação a um campo elétrico, é a capacidade de realizar trabalho, associada ao campo em si, independentemente do valor da carga q colocada num ponto desse campo. Esta capacidade pode ser mensurada pela grandeza potencial elétrico. Para obter o potencial elétrico de um ponto, coloca-se nele uma carga de pro- va q e mede-se a energia potencial adquirida por ela. Essa energia potencial é proporcional ao valor de q . Portanto, o quociente entre a energia potencial e a carga é constante. Esse quociente chama-se potencial elétrico do ponto.
Mostrar mais

66 Ler mais

Propriedades físicas e químicas de solos incubados com resíduo alcalino da indústria de celulose.

Propriedades físicas e químicas de solos incubados com resíduo alcalino da indústria de celulose.

A indústria de celulose e papel descarta toneladas de resíduos com composição química variada. Certos resíduos estão sendo utilizados por produtores rurais para correção da acidez do solo, pois apresentam hidróxido em sua composição. Contudo, nenhum critério é adotado para quantificar a dose a ser utilizada, bem como para sua reaplicação, o que pode acarretar problemas de dispersão da argila, redução da estabilidade dos agregados e desbalanço de nutrientes, comprometendo, dessa forma, propriedades físicas e químicas dos solos. O objetivo deste estudo foi avaliar as propriedades físicas e químicas de dois solos incubados com resíduo alcalino (dregs) da indústria de celulose. Foram utilizadas amostras da camada superficial de um Latossolo Bruno distrófico e de um Cambissolo Húmico alumínico incubadas com doses de resíduo alcalino equivalentes a 0, 12, 25, 35 e 50 % de carbonato de cálcio necessário para elevar o pH da camada de 0-20 cm para 6,0. Foram analisados: a estabilidade de agregados, argila dispersa em água, cátions trocáveis, pH e o ponto de efeito salino nulo (PESN). O resíduo alcalino reduziu o teor e a saturação por alumínio e aumentou o pH e os teores de cálcio, magnésio, potássio e sódio trocáveis. Aumentou o potencial elétrico negativo de ambos os solos, mas reduziu o grau de floculação da argila apenas do Cambissolo Húmico alumínico. Nesse solo, o grau de floculação foi negativamente relacionado com o potencial elétrico negativo (r = -0,93**). A redução do grau de floculação da argila se deve, provavelmente, à maior repulsão das partículas que apresentam carga variável com o pH. A estabilidade dos agregados não foi alterada pela adição do resíduo alcalino.
Mostrar mais

10 Ler mais

eve aivnunes estudos

eve aivnunes estudos

RESUMO – Este trabalho apresenta os resultados do comportamento do potencial elétrico e do campo elétrico entre dois eletrodos de uma célula eletroquímica bidimensional construída em acrílico com um suporte poroso distribuído uniformemente com uma solução de um íon trivalente complexado com EDTA. Através de um sistema de aquisição dados on-line assistido por computador foi possível monitorar a evolução do perfil do potencial elétrico, e conseqüentemente do campo elétrico em função do tempo, observando-se a eletromigração e a eletrofocalização dos íons. Os resultados mostram que para os campos elétricos de 10 e 30 V/cm aplicados entre os eletrodos, por um período de 30 minutos ocorre a eletrofozalização na região de até 4cm de distância do ânodo, onde se encontra o pH favorável ao ponto iso-elétrico do íon trivalente. Observou- se também, que o tempo de focalização é menor para um campo elétrico maior: 7 minutos para o campo elétrico de 30 V/cm e 17 minutos para 10 V/cm.
Mostrar mais

11 Ler mais

Propriedades físicas e eletroquímicas de um Latossolo Bruno afetadas pela calagem.

Propriedades físicas e eletroquímicas de um Latossolo Bruno afetadas pela calagem.

A aplicação de calcário aumentou o potencial elétrico negativo das partículas do solo, calculado pela equação simplificada de Nerst, de -73 para -159 mV (Figura 3). Esse incremento deveu-se ao aumento da carga líquida negativa, decorrente da adsorção química de hidroxilas na superfície dos óxidos e hidróxidos, principalmente de ferro e alumínio (Cornell & Schwertmann, 1996), nas arestas quebradas da caulinita (McBride, 1989), e à ionização de grupamentos funcionais da matéria orgânica, dos quais os carboxílicos são os mais importantes (Uehara & Gillman, 1981; Schnitzer, 1986; Stevenson, 1994).
Mostrar mais

6 Ler mais

Projeto de um triciclo elétrico, baseado num planador elétrico

Projeto de um triciclo elétrico, baseado num planador elétrico

Ao observar as tendências dos veículos elétricos, a empresa Eurosportaircraft apercebeu- se imediatamente do elevado potencial do aproveitamento da fuselagem e do cockpit do planador. O objetivo é aproveitar o baixo peso e o muito baixo arrasto aerodinâmico do planador, transformando-o num triciclo elétrico, aproveitando o cockpit, parte da fuselagem e do sistema elétrico. O conceito do triciclo motor abarca a construção de um veículo de três rodas, capaz de transportar dois passageiros e que possua uma autonomia consideravelmente alta, por ser energeticamente muito eficiente. Segundo o decreto de lei nº 30/2002 de 16 de fevereiro [32], duas rodas montadas no mesmo eixo e cuja distância entre os centros das superfícies de contacto dessas rodas com o solo seja igual ou inferior a 460 mm, são consideradas como uma roda única. Ao abrigo dessa lei, projetou-se um triciclo motor em que
Mostrar mais

123 Ler mais

Corrente e Resistência Elétrica

Corrente e Resistência Elétrica

Cássio Pinheiro - Corrente e Resistência Elétrica 11 Circuito Elétrico.. ● Para concepção de um circuito elétrico, são.[r]

35 Ler mais

Show all 6475 documents...