Produção de polpa

Top PDF Produção de polpa:

CLONES DE Eucalyptus VERSUS A PRODUÇÃO DE POLPA CELULÓSICA

CLONES DE Eucalyptus VERSUS A PRODUÇÃO DE POLPA CELULÓSICA

No início dos anos 40, a polpa kraft de eucalipto surgiu no mercado mundial, sendo utilizada apenas na fabricação de papelão e papel para jornal. Somente em meados da década de 60 o eucalipto passou a ser visto como uma fonte em potencial para o setor. Atualmente, a polpa de eucaliptos é considerada de boa qualidade e muito importante na produção de papel para impressão, para escrita e papel tipo tissue (Hills, 1991). Observa-se, assim, a importância dessa matéria-prima para esse segmento industrial, bastando que se encontre ou selecione aquelas espécies de maior potencial para a produção de polpa celulósica.
Mostrar mais

11 Ler mais

Classificação de clones de Eucalyptus sp visando à produção de polpa celulósica.

Classificação de clones de Eucalyptus sp visando à produção de polpa celulósica.

RESUMO – Este trabalho objetivou classificar e selecionar clones de Eucalyptus sp, tendo em vista a qualidade das polpas kraft obtidas a partir de cada material. Os clones foram classificados quanto a rendimento depurado, viscosidade da polpa e álcali ativo usado no processo de polpação. A classificação dos clones foi realizada por meio da análise de agrupamento, utilizando-se o método de otimização de Tocher. A análise de agrupamento permitiu a separação dos clones em cinco grupos distintos, sendo encontrados grupos de clones com alto, médio e baixo potenciais para produção de polpa celulósica. As características que mais contribuíram para a divergência foram o rendimento depurado (58,1%) e a viscosidade da polpa celulósica (35,0%). Em geral, nos clones avaliados foram verificadas grandes variações com relação aos parâmetros estudados.
Mostrar mais

5 Ler mais

Conservação de Água no Processo de Produção de Polpa Celulósica Branqueada

Conservação de Água no Processo de Produção de Polpa Celulósica Branqueada

O processo de produção de polpa kraft gera efluentes com alta demanda química de oxigênio, turbidez, cor e sólidos suspensos, além de baixas concentrações de oxigênio dissolvido.A produção de polpa kraft branqueada, produz efluente fortemente coloridos e contém muitas substâncias orgânicas, principalmente fenóis clorados, as quais apresentam toxicidade para muitos organismos aquáticos e alta resistência à degradação. Mais de 300 compostos orgânicos foram detectados em efluentes de branqueamento, alguns de reconhecido efeito tóxico (fenóis clorados, derivados de catecol e guaiacol, dioxinas, etc.) (ZAMORA etal., 1996; REEVE e SILVA, 1997).
Mostrar mais

68 Ler mais

Caracterização do efluente da produção de polpa celulósica por bitucas de cigarro e proposta de tratamento

Caracterização do efluente da produção de polpa celulósica por bitucas de cigarro e proposta de tratamento

As bitucas de cigarro têm sido reconhecidas como resíduos tóxicos, pois podem conter contaminantes do cigarro e compostos gerados durante a combustão. Como normalmente têm sido jogadas no chão ou em lixos comuns, os contaminantes das bitucas podem ser lixiviados pela chuva até às águas superficiais e contaminar esses ambientes. No Brasil, após a criação da Política Nacional de Resíduos, todos os resíduos devem ter destinação ambientalmente adequada. Apesar das bitucas de cigarro não serem mencionadas nessa Lei, elas podem, devido às suas características, ser classificadas como resíduos perigosos. O Instituto de Química e o Instituto de Artes da Universidade de Brasília desenvolveram um processo de produção de polpa de celulose a partir de bitucas de cigarro por polpação alcalina. Assim, esse processo é apresentado como uma alternativa à destinação ambientalmente adequada desse resíduo. Durante o processo, um licor escuro é gerado, o qual foi caracterizado por demanda química de oxigênio (DQO), demanda bioquímica de oxigênio (DBO), carbono orgânico total (COT), carbonilas, metais, nicotina e nitrosaminas específicas do tabaco. O licor escuro foi tratado por acidificação para promover a precipitação da lignina, coagulação com quitosana e Al 2 (SO 4 ) 3 para remover compostos orgânicos e ozonização para oxidar compostos
Mostrar mais

120 Ler mais

Inovação na produção de polpa a partir de fibras curtas de eucalipto

Inovação na produção de polpa a partir de fibras curtas de eucalipto

Dessa forma, a evolução da produção de polpa para papel no mundo pode ser resumida, focando os aspectos de inovação no decorrer do tempo, a partir de sua difusão pelos árabes para o continente europeu (séc. VII), quando introduziram o amido derivado da farinha de trigo, para a colagem das fibras no papel e o uso de linho, cânhamo e outras fibras encontradas com facilidade, para a preparação da pasta, em substituição à cola animal, que reduziu o tempo de produção de 30 para 5 dias. Outro elo da cadeia de inovação é dado pelos holandeses (séc. XVII), quando introduzem os moinhos de martelo de papel movidos através da força eólica e posteriormente (séc. XVIII) pelo alemão Scheele, que descobre o efeito branqueador do cloro, aumentando a brancura do papel e viabilizando a entrada de trapos mais grossos e coloridos no processo, reduzindo o seu tempo de produção para cerca de 24 horas (HIPERTEXTO, 2004).
Mostrar mais

8 Ler mais

DANIELA CAVALCANTE JOCA PROCESSAMENTO DE FRUTAS TROPICAIS PARA PRODUÇÃO DE POLPA PASTEURIZADA

DANIELA CAVALCANTE JOCA PROCESSAMENTO DE FRUTAS TROPICAIS PARA PRODUÇÃO DE POLPA PASTEURIZADA

O aproveitamento de frutas na forma de polpa congelada proporciona, também, a possibilidade de utilização de frutas pouco conhecidas, como as provenientes do Cerrado e das regiões Norte e Nordeste, por exemplo, a mangaba, graviola e caju, que já despertam interesse no mercado externo. A produção de polpa de fruta congelada, antes concentrada somente na Região Nordeste, já se expandiu por todo o território nacional. É um segmento que, apesar de englobar grandes indústrias, está caracterizado pela presença de micro e pequenas empresas (EMBRAPA, 2005).
Mostrar mais

35 Ler mais

PRODUÇÃO DE POLPA KRAFT BRANQUEADA DE Pinus tecunumanii (Eguiluz e Perry)

PRODUÇÃO DE POLPA KRAFT BRANQUEADA DE Pinus tecunumanii (Eguiluz e Perry)

RESUMO – Foram avaliadas amostras de Pinus tecunumanii de (Eguiluz e Perry) com 12 anos de idade procedente da Colômbia, para produção de polpa de kraft branqueada. Produziram-se polpas kraft com número kappa 30+1, deslignificada com oxigênio e branqueada a 90% ISO por processo ECF. As polpas branqueadas foram produzidas em condições ótimas e avaliadas com relação às suas propriedades de resistência. A madeira de Pinus tecunumanii exigiu baixa carga de álcali efetivo para alcançar o número kappa desejado, e a polpa marrom mostrou eficiência na deslignificação com oxigênio e alta branqueabilidade quando submetida à seqüência OD(EO)DED. As polpas branqueadas apresentaram boas propriedades físico-mecânicas, em comparação com aquelas obtidas das espécies tradicionais de Pinus, como o Pinus taeda e o Pinus radiata. Os resultados indicaram que essa espécie de pinus tropical é uma matéria-prima satisfatória para produção de polpa de kraft branqueada.
Mostrar mais

6 Ler mais

Produção de polpa de abóbora em pó pelo processo de secagem em leito de espuma

Produção de polpa de abóbora em pó pelo processo de secagem em leito de espuma

Em relação à tonalidade da cor (h*) pode ser observado através da curva de regressão (Figura 12) que houve uma redução do ângulo hue em todas as temperaturas de secagem, indicando uma tendência de coloração amarela alaranjada. Comportamento semelhante foi observado por Silva et al. (2008), quando estudaram a desidratação da polpa de tamarindo pelo método de leito de espuma. O modelo ajustado para representarem estas variações, encontram-se na Tabela 9. Já para coordenada cilíndrica C* (croma) seus valores médios não apresentaram uma tendência clara de variação com a temperatura.
Mostrar mais

88 Ler mais

Influência do grau de deslignificação na produção de polpa Kraft branqueada de eucalipto

Influência do grau de deslignificação na produção de polpa Kraft branqueada de eucalipto

O custo da madeira é o principal componente do custo total da produção de celulose. Segundo Connell e Forsström (2005), o custo da madeira de folhosa pode representar de 40 a 60% do custo total enquanto os reagentes do branqueamento variam de 5 a 15%. Cozimentos de folhosas com elevado número kappa (20,8) produziram polpas com maior teor de hemiceluloses e maiores viscosidades comparadas com cozimentos com baixo número kappa (12,6). Em testes realizados em fábrica o uso do kappa elevado reduziu o consumo de madeira em 0,2 m 3 /t, o que representou uma redução de 2,5% do custo com a madeira. Os autores concluíram, de acordo com observações de resultados de laboratório e de fábrica que o rendimento depurado, o branqueamento e a qualidade final do papel são influenciados pelo número kappa da polpa que sai do digestor. De acordo com Pedrazzi (2009), em recente trabalho realizado com madeira de eucalipto, o custo da madeira foi 166% maior que os custos dos reagentes de branqueamento, para alvura 90% ISO. Ainda, segundo Annergren et al. (1998), a madeira chega a custar quase 600% mais que os reagentes do branqueamento, para polpação de coníferas. Para estes autores, o melhor balanço entre consumo de madeira e custo de branqueamento foi conseguido com número kappa na faixa de 23 a 28. Considerando a qualidade das fibras, os autores obtiveram melhores propriedades de resistência com kappa entre 30 e 35.
Mostrar mais

89 Ler mais

Tratamento de efluente da produção de polpa celulósica kraft através de membranas

Tratamento de efluente da produção de polpa celulósica kraft através de membranas

O branqueamento da polpa é a etapa, dentro do processo de fabricação de polpa Kraft, que gera o maior volume de efluente. Uma sequência de branqueamento de polpa Kraft de eucalipto comumente utilizada tem sido D(EPO)DD, ou seja um estágio com dióxido de cloro seguido por extração alcalina reforçada com peróxido de hidrogênio e oxigênio, seguido por outros dois estágios com dióxido de cloro. O efluente gerado no estágio de extração alcalina com peróxido e oxigênio (EPO) possui uma alta carga orgânica, com uma média DQO na faixa de 1.500 a 2.000 mg/l, devido à alta remoção de lignina insolúvel em ácido e extrativos neste estágio. A cor do efluente dos filtrados desse estágio situa-se na faixa de 400 a 900 m/l, a temperatura está na faixa de 70 a 80 °C e o pH em torno de 11. Até pouco tempo atrás, não existia membranas poliméricas que suportassem tais condições de temperatura e pH. No entanto, com o desenvolvimento de novos materiais, esses impedimentos foram sanados (KASHER, 2009). Assim, esta corrente liquida de alta carga torna-se um alvo potencial para ser tratado com a tecnologia de membranas (DENCE et al., 1996; SHON, 2012).
Mostrar mais

81 Ler mais

Estudo comparativo de produção de polpa solúvel a partir de bambu e eucalipto

Estudo comparativo de produção de polpa solúvel a partir de bambu e eucalipto

However, the bamboo pulp containing 8.4 % xylans finds little application in the dissolving pulp industry due to its high xylan content, in spite of the harsh pulping [r]

82 Ler mais

Caracterização da madeira de tração em Eucalyptus grandis e sua influência na produção de polpa celulósica

Caracterização da madeira de tração em Eucalyptus grandis e sua influência na produção de polpa celulósica

Mesmo com toda a evolução tecnológica na produção de madeira do gênero Eucalyptus para os mais diversos fins, alguns problemas relacionados ao seu uso ainda persistem fazendo com que estudos para se caracterizar e tentar solucionar tais problemas sejam de suma importância para a industria de base florestal brasileira. Um dos problemas que o gênero Eucalyptus apresenta é a formação de uma madeira com características físicas, químicas e anatômicas alteradas, formada em árvores jovens, na maioria das vezes após sofrerem certa inclinação devido à força dos ventos. Essa madeira anormal conhecida como madeira de tensão ou de tração, faz com que a madeira e o produto final, por exemplo, a polpa celulósica, sofram alterações significativas nas suas propriedades, muitas vezes diminuindo o seu valor. Em função de sua localização geográfica, florestas de eucalipto de algumas empresas brasileiras sofrem mais com esse problema, pois estão sujeitas à ocorrência de vendavais associados a tempestades, que causam tombamento e quebra de árvores principalmente as de pouca idade, com conseqüente perda de produção, devido à necessidade de se realizar o corte das árvores para promover a regeneração. Por esta razão, um novo parâmetro de seleção necessita ser utilizado nos programas de melhoramento genético, ou seja, a tolerância dos materiais genéticos a ventos.
Mostrar mais

93 Ler mais

Relações entre atributos do solo e qualidade da madeira de clone de Eucalyptus grandis...

Relações entre atributos do solo e qualidade da madeira de clone de Eucalyptus grandis...

A pesquisa florestal tem direcionado esforços no sentido de aumentar a produtividade de madeira, com qualidade compatível com as necessidades das indústrias de celulose e papel. Por exemplo, os trabalhos de melhoramento genético, que classicamente tinham como foco o ganho em produtividade da madeira, se voltaram para a qualidade da madeira dos genótipos selecionados, evidenciando a possibilidade de se obterem ganhos de rendimento no processo de produção de polpa celulósica (Wright, 1991). Todavia, os estudos com foco na qualidade da madeira têm sido mais comuns para a densidade básica (Zobel & Jett, 1995), sendo os aspectos químicos, anatômicos e físicos da madeira também importantes para a produção de celulose (Alencar, 2002).
Mostrar mais

55 Ler mais

Avaliação da qualidade da madeira de três clones de Eucalyptus, aos cinco anos de idade

Avaliação da qualidade da madeira de três clones de Eucalyptus, aos cinco anos de idade

Os resultados obtidos evidenciam a influência da densidade básica da madeira sobre o consumo de madeira no processo de polpação. Assim, confirma-se a importância do emprego de madeiras mais densas na fabricação de polpa celulósica, uma vez que a quantidade de madeira (em m³) necessária para produzir uma tonelada de polpa é menor e conseqüentemente a área de floresta necessária para abastecimento de uma unidade industrial também será menor, supondo uma produção de polpa celulósica fixa.

39 Ler mais

Tese MODELAÇÃO E PREVISÃO DA PERFORMANCE E DAS PROPRIEDADES DO PAPEL

Tese MODELAÇÃO E PREVISÃO DA PERFORMANCE E DAS PROPRIEDADES DO PAPEL

O processo kraft apresenta vantagens sobre os demais processos de polpação, sendo as principais a eficiência no sistema de recuperação dos reagentes, sub-produtos valiosos como “tall-oil” e terebintina, a produção de polpa de alta resistência; a flexibilidade quanto à matéria-prima utilizada; quantidades relativas de casca nos cavacos podem ser toleradas e ainda tempos de cozimento curtos, de acordo com os objectivos de produção de polpa branqueada ou não branqueada e por forma a atingir o maior rendimento possível. Este processo apresenta também algumas desvantagens tais como o baixo rendimento; o alto custo de investimento na construção da fábrica; o forte odor característico e o alto custo do branqueamento da polpa produzida. [10,11]
Mostrar mais

111 Ler mais

ALTERNATIVAS PARA APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DE FRUTAS – UMA REVISÃO

ALTERNATIVAS PARA APROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DE FRUTAS – UMA REVISÃO

Estima-se que o consumo brasileiro de frutas processadas passe dos 23 milhões de toneladas (SEBRAE, 2015). Conforme o mesmo, o processamento de frutas se restringe basicamente aos ramos de sucos, néctares, drinques de frutas e polpas, entretanto, a grande produção de polpa acaba por gerar uma imensa quantidade de resíduos, que são descartados indevidamente no meio ambiente.

9 Ler mais

Produção e caracterização de polpa organossolve de bambu para reforço de matrizes...

Produção e caracterização de polpa organossolve de bambu para reforço de matrizes...

Sabe-se que para madeira a densidade básica influencia diretamente o rendimento volumétrico (toneladas de polpa por metro cúbico de madeira roliça) e indiretamente as propriedades mecânicas da fibra. Atualmente, procura-se trabalhar com uma densidade ótima para produção de polpa celulósica, a qual se encontra entre 0,450 e 0,550 g/cm 3 . Madeiras acima da densidade ótima, apesar de mostrarem baixo consumo específico por tonelada de celulose, bem como boas características mecânicas, trazem problemas, tanto operacionais quanto de qualidade do produto, tais como: dificuldade de picagem, geração de cavacos de maiores dimensões, maior consumo de álcalis, rendimento prejudicado e aumento do teor de rejeitos por causa da dificuldade de impregnação. Por outro lado, as madeiras com baixa densidade também são indesejáveis, pois mostram menores rendimentos em celulose por volume de cavacos, além de características como alto teor de vasos de dimensões demasiadas, ou alto teor de parênquima, com a consequente geração de maior teor de finos (FOELKEL, 1992, SOUZA et al., 1986, SHIMOYAMA, 1990, PEREDO, 1999).
Mostrar mais

121 Ler mais

Efeito da idade da madeira de eucalipto na sua química e polpabilidade, e branqueabilidade e propriedades físicas da polpa

Efeito da idade da madeira de eucalipto na sua química e polpabilidade, e branqueabilidade e propriedades físicas da polpa

Em estudo objetivando caracterizar tecnologicamente a nova geração de clones de Eucalyptus do Brasil para a produção de celulose, GOMIDE et al. (2005), utilizou madeiras provenientes das dez principais empresas brasileiras de celulose. Os resultados deste trabalho indicaram a alta qualidade dos clones atualmente utilizados no Brasil, devido ao grande desempenho apresentado durante a polpação Kraft, no que diz respeito ao rendimento. Os autores ainda concluíram denotando a importância deste parâmetro, uma vez que esta característica tecnológica é conseqüência de vários fatores, englobando as características anatômicas e químicas da madeira e a demanda de álcali para a produção de polpa celulósica.
Mostrar mais

79 Ler mais

Avaliação e seleção de progênies de cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum), em Belém, Pará.

Avaliação e seleção de progênies de cupuaçuzeiro (Theobroma grandiflorum), em Belém, Pará.

Levando-se novamente em consideração a produção de frutos, a produção de polpa e a produção de sementes, além da resistência ao M. perniciosa e a proximidade genética, foi realizada a seleção dentro das progênies que se destacaram. O valor genético aditivo das 15 melhores matrizes para produção de frutos, assim como para produção de polpa, encontra-se relacionado, respectivamente, nas Tabelas 2 e 3. As duas variáveis foram capazes de identifi car 11 (73%) das 15 matrizes mais produtivas. Entre as variáveis: produção de fruto e produção de semente (Tabela 4), o nível de coincidência foi de 67%, representado por 10 matrizes. E entre as três variáveis, simultaneamente, foi de 53%, ou seja, oito matrizes. Verifi ca-se uma predominância de matrizes descendentes das progênies 12 e 18, sendo que ambas apresentam como ancestral comum o clone 186 (Codajás).
Mostrar mais

9 Ler mais

Avaliação da estabilidade dos compostos bioativos de polpas de frutas nativas submetidas...

Avaliação da estabilidade dos compostos bioativos de polpas de frutas nativas submetidas...

O Brasil é um dos principais produtores de frutas, porém esta produção está pautada em frutas na maioria das vezes exóticas. Existe uma diversidade de frutas nativas brasileiras ainda desconhecidas e pouco exploradas. Tendo em vista a grande importância da Myrtaceae no que diz respeito à conservação da Mata Atlântica; o potencial econômico e nutricional da produção de polpa de frutas nativas; e considerando que o processamento de alimentos pode exercer efeitos sobre o nível de nutrientes, particularmente no que tange ao teor de compostos bioativos e sua atividade antioxidante, este trabalho teve como objetivo gerar conhecimento sobre a composição e capacidade antioxidante das polpas de frutas, com o intuito de ampliar seu consumo, potencial de comercialização e agregar valor as mesmas, bem como, avaliar o efeito da radiação gama nas propriedades bioativas, durante o período de armazenamento refrigerado das polpas e, por fim, a identificação e quantificação dos compostos fenólicos. As polpas de uvaia (Eugenia pyriformis Camb.), cambuci (Campomanesia phaea), feijoa (Acca sellowiana), grumixama (Eugenia brasiliensis) e cereja do rio grande (Eugenia involucrata), foram divididas em 5 lotes, 4 deles foram submetidos ao tratamento de irradiação (0, 2, 4, e 6 kGy) e 1 lote a pasteurização (85°C/5min.). Os resultados demonstraram que as polpas possuem quantidades expressivas de compostos com atividade antioxidante, sendo que, a polpa de uvaia destacou-se pelos teores de ácido ascórbico, que variaram de 89,99 mg.100 g -1 na pasteurizada a 64,74 mg.100 g -1 a 6 kGy, e pelos carotenoides, que variaram de 24,7 µg.g -1 no controle a 15,94 µg.g -1 a 4 kGy. Na feijoa destacam-se os flavonoides no controle, 10,21 mg de ác. gálico.mL -1 , nas irradiadas com 2; 4 e 6 kGy, 9,75; 11,58 e 12,79 mg de ác. gálico.mL -1 , respectivamente, e na pasteurizada 12,64 mg de ác. gálico.mL -1
Mostrar mais

135 Ler mais

Show all 10000 documents...