Produtividade de culturas

Top PDF Produtividade de culturas:

ESPACIALIZAÇÃO DO CARBONO E SUAS RELAÇÕES COM A PRODUTIVIDADE DE CULTURAS EM SOLOS SOB PLANTIO DIRETO DE LONGA DURAÇÃO

ESPACIALIZAÇÃO DO CARBONO E SUAS RELAÇÕES COM A PRODUTIVIDADE DE CULTURAS EM SOLOS SOB PLANTIO DIRETO DE LONGA DURAÇÃO

químicas, físicas e biológicas, sendo assim, importante para a manutenção da fertilidade principalmente de solos tropicais. Porém, embora os benefícios do acúmulo de COT sobre a qualidade do solo sejam bem conhecidos, ainda são escassas informações referentes aos seus efeitos sobre a produtividade de culturas. Os objetivos deste estudo foram mapear os compartimentos de COT em uma fazenda manejada há 30 anos no sistema plantio direto, verificar quais são as variáveis do solo que interferem na variação espacial do COT e analisar as relações entre os compartimentos do COT e a produtividade das culturas da soja, milho e trigo. Foram coletadas amostras deformadas em todas as principais classes de solos da fazenda em todas as posições da paisagem. Foram analisados o COT, o C oxidado por permanganato (C-OXP) e o C extraído por água quente (C-EAQ) e gerados mapas com a variação espacial destas variáveis. Os efeitos dos atributos do solo sobre o acúmulo de COT e dos compartimentos de COT sobre as produtividades da soja, milho e trigo foram acessados através de regressões e análises de componentes principais. Visando acessar a contribuição do COT para as produtividades das culturas foram ajustadas regressões múltiplas com as variáveis do solo e as produtividades. O maior conteúdo de argila e a maior adição de fitomassa nos Latossolos e a formação de um ambiente anaeróbico nos Cambissolos foram os principais fatores que explicaram os maiores conteúdos de COT observados nos terços superior dos Latossolos e inferior dos Cambissolos. As produtividades de trigo e soja apresentaram correlação positiva com o COT e o N total (NT) e a produtividade de milho apresentou correlação positiva com o C-EAQ. As variáveis NT e COT foram as que mais contribuíram para explicar a variação da produtividade de trigo.
Mostrar mais

75 Ler mais

Atributos físicos de um Latossolo Vermelho e produtividade de culturas cultivadas em sucessão e rotação.

Atributos físicos de um Latossolo Vermelho e produtividade de culturas cultivadas em sucessão e rotação.

Este estudo objetivou avaliar os efeitos da sucessão e rotação de culturas nos atributos físicos e na produtividade dos cultivos agrícolas de um Latossolo Vermelho sob plantio direto, localizado no Estado do Rio Grande do Sul. Os tratamentos contaram de quatro seqüências de culturas cultivadas de 1998 a 2001: 1) sucessão trigo / soja; 2) rotação milho / aveia / milho+guandu anão / trigo / soja / trigo; 3) rotação guandu anão / trigo / soja / trigo / soja / aveia; e 4) rotação crotalária / trigo / soja / aveia / milho / trigo. Em outubro de 2000 e de 2001, foram coletadas amostras de solo para determinar os atributos físicos do solo. Em todas as safras foi medida a produtividade das culturas. O Latossolo Vermelho cultivado com plantio direto apresenta um grau de compactação elevado, com densidade do solo acima e volume de macroporos abaixo do limite crítico para a classe textural muito argiloso. As maiores limitações ocorrem abaixo da camada de 0 a 0,03m, pois na camada mais superficial, apesar das pressões exercidas, a mobilização do solo nas operações de semeadura e adubação em linha aumenta a porosidade e reduz a densidade do solo. Nessa camada, houve maior volume de poros entre a saturação e a capacidade de campo, responsáveis pela aeração do solo, e entre a capacidade de campo e o ponto de murcha permanente, responsáveis pelo armazenamento da água disponível para as plantas. A introdução de plantas de cobertura a cada três anos não foi eficiente para reduzir a compactação. A produtividade das culturas foi influenciada positivamente na rotação com crotalária, enquanto os demais sistemas não diferiram da sucessão de culturas.
Mostrar mais

9 Ler mais

Produtividade de culturas e resistência à penetração de Argissolo Vermelho sob diferentes manejos.

Produtividade de culturas e resistência à penetração de Argissolo Vermelho sob diferentes manejos.

Além de Taylor et al. (1966), que, em condições controladas, demonstraram que a RP superior a 2 MPa é restritiva, Meroto Junior & Mundstock (1999) também veri" caram que a RP de 2 MPa ocasionou redução da massa de matéria seca de raízes, da parte aérea e do comprimento radicular do trigo, enquanto que, para 3,5 MPa, as restrições foram mais severas. Beutler & Centurion (2004) observaram, em Latossolo, que o diâmetro médio e a massa de matéria seca de raízes da soja aumentaram até um valor de RP de 2,07 e 1,99 MPa, respectivamente, e que a redução da produtividade de grãos de soja ocorreu a 0,85 MPa. No entanto, De Maria et al. (1999) relataram que uma RP de 2,09 MPa avaliada em campo poderia determinar redução do crescimento radicular da soja em Latossolo.
Mostrar mais

10 Ler mais

PRODUTIVIDADE DE CULTURAS DE GRÃOS OBTIDA PELA APLICAÇÃO ISOLADA E COMBINADA DE CONDICIONADORES DE SOLO

PRODUTIVIDADE DE CULTURAS DE GRÃOS OBTIDA PELA APLICAÇÃO ISOLADA E COMBINADA DE CONDICIONADORES DE SOLO

A fertilização baseada na exportação de nutrientes é definida de acordo com a expectativa de produtividade, sendo que muitas vezes tem-se um balanço positivo e em algumas vezes um balanço negativo e nestes casos em que se tem saldo ou déficit isto tem que ser compensado na próxima cultura. Em muitas vezes, o produtor realiza uma adubação de exportação para 3.000 kg ha -1 e se a condição de clima for favorável é possível que produza 4.000 kg ha -1 , neste caso em um futuro bem próximo será necessário fazer a adubação de correção desta diferença de adubação para a exportação de modo a não gerar um balanço negativo no solo. Porém, muitas vezes, o produtor considera este resultado como balanço positivo para o caixa, sem levar em consideração a adubação de correção que terá que promover em um futuro. Em um trabalho recente de Fixen et al. (2010) nos Estados Unidos foi observado uma queda nos teores de nutrientes do solo com base nas amostras enviadas aos laboratórios devido as cultivares transgênicas e híbridos modernos possuírem maior potencial produtivo.
Mostrar mais

72 Ler mais

Variabilidade espacial e temporal da produtividade de culturas sob sistema plantio direto.

Variabilidade espacial e temporal da produtividade de culturas sob sistema plantio direto.

Resumo – O objetivo deste trabalho foi avaliar a variabilidade espacial e temporal da produtividade de soja, milho e trigo, em uma lavoura comercial de 57 ha, não irrigada, manejada há mais de dez anos sob sistema plantio direto, em um Latossolo Vermelho distrófico típico, em Palmeira das Missões, RS. A coleta de dados de produtividade de seis cultivos, entre 2000 e 2005, foi realizada por colhedora equipada com monitor de produtividade. Análises estatísticas e geoestatísticas foram realizadas a fim de avaliar a variabilidade espacial e a presença de dependência espacial ao longo dos anos. A produtividade da soja, do milho e do trigo alcançada apresenta variabilidade com continuidade espacial, correlacionando-se entre si, ao longo dos anos. Em anos de deficit hídrico, verifica-se aumento da variabilidade espacial da produtividade. A cultura do milho é mais eficiente do que a da soja em detectar a variabilidade espacial da produtividade existente na lavoura.
Mostrar mais

10 Ler mais

Modelo agroclimático de regressão linear múltipla para previsão de produtividade de culturas de sequeiro

Modelo agroclimático de regressão linear múltipla para previsão de produtividade de culturas de sequeiro

Para o teste do modelo e determinaçAo de seus parâmetros, foram utilizados dados de produção da cultura de soja obtidos também para as regiôes de Campinas, Ribeirão Preto e Pindamonha[r]

8 Ler mais

Decomposição da biomassa de capoeira triturada e produtividade de culturas anuais em plantio direto

Decomposição da biomassa de capoeira triturada e produtividade de culturas anuais em plantio direto

The objective of this study was to evaluate the dynamics of the process of decomposition of ground secondary forest waste, previously improved with legu- mes Inga velutina and Stryphn[r]

9 Ler mais

Atributos de solo e produtividade de culturas em sistemas de manejo conduzidos por dezesseis anos.

Atributos de solo e produtividade de culturas em sistemas de manejo conduzidos por dezesseis anos.

Os resultados aqui verificados estão de acordo com os obtidos por Almeida et al. (2008), Silva e Silveira (2002) e Souza e Alves (2003). Trabalhando com um Latossolo Vermelho da região dos Cerrados, Silva e Silveira (2002) observaram que sistemas de preparo, que envolviam menor revolvimento do solo, proporcionaram maior incremento nos teores de P e K de camadas superficiais do solo. A semeadura direta de sistemas de culturas conduzidas em rotação, comparada ao sistema convencional de preparo, proporcionou incrementos na matéria orgânica e no pH dos primeiros dez centímetros de um Latossolo Vermelho (ALMEIDA et al., 2008). Os sistemas plantio direto e cultivo mínimo com culturas anuais levaram a acúmulos significativos de matéria orgânica, P, K, Mg e Ca, maiores índices de pH, CTC efetiva e soma de bases e menores teores de Al, em relação ao preparo convencional, induzindo melhores condições de qualidade ao solo, pois, além da melhoria nas condições químicas, a matéria orgânica manteve-se em níveis similares aos do sistema natural, o cerrado (SOUZA; ALVES, 2003).
Mostrar mais

63 Ler mais

PRODUTIVIDADE DE CULTURAS E ATRIBUTOS FÍSICOS DE UM LATOSSOLO AFETADOS PELO SISTEMA DE MANEJO

PRODUTIVIDADE DE CULTURAS E ATRIBUTOS FÍSICOS DE UM LATOSSOLO AFETADOS PELO SISTEMA DE MANEJO

Em relação à soja, houve maior rendimento na semeadura direta (Tabela 5). Isso pode ser traduzido como uma evolução do sistema de semeadura direta em melhorar a estrutura do solo, gerando melhor aproveitamento tanto de água como de nutrientes, como já mencionado anteriormente. Entretanto, Silveira & Stone (2003) não obtiveram efeito significativo sobre a produtividade da soja nos diferentes sistemas de preparo do solo, em seis anos de pesquisa. Balbino & Oliveira (1992), por sua vez, verificaram que a semeadura direta e o preparo com arado proporcionaram produtividades de soja maiores ou semelhantes às obtidas com o preparo com grade.
Mostrar mais

12 Ler mais

Determinação de zonas de manejo e estimativa da produtividade de culturas de grãos...

Determinação de zonas de manejo e estimativa da produtividade de culturas de grãos...

Yang et al. (2000) utilizaram imagens digitais multiespectrais de vídeo para detectar as variabilidades espacial e temporal do desenvolvimento da cultura de sorgo (Sorghum vulgare) e na estimativa da produtividade da mesma. Foi utilizada uma área de 20,5 ha e foram obtidas imagens em cinco ocasiões durante o ciclo da cultura. A produtividade foi determinada por meio de monitor de colheita. As imagens revelaram claramente a variabilidade da cultura. O índice de vegetação da diferença normalizada (NDVI), obtido por meio das imagens, correlacionou-se com o mapa de produtividade com um fator de correlação de 0,79. Os resultados indicaram que as imagens aéreas digitais podem ser utilizadas com sucesso na detecção da variabilidade do desenvolvimento e produtividade de grãos de sorgo.
Mostrar mais

118 Ler mais

PRODUTIVIDADE E COMPOSIÇÃO DOS GRÃOS DE SOJA EM ROTAÇÃO COM CULTURAS DE COBERTURA APÓS O APORTE DE NITROGÊNIO

PRODUTIVIDADE E COMPOSIÇÃO DOS GRÃOS DE SOJA EM ROTAÇÃO COM CULTURAS DE COBERTURA APÓS O APORTE DE NITROGÊNIO

Na Tabela 2, verifica-se que houve um aumento do teor de proteína comparado ao triticale sem adubação de cobertura, o que implica em um provável aumento da resposta da planta de soja no acúmulo de N, nos grãos. Somente o fato de se utilizar nitrato de amônio nestas plantas foi suficiente para revelar diferenças no teor de proteínas nos grãos. No estudo realizado por Santos e Tomm., 2003, abordaram diferenças entre sistemas de manejo refletindo a adição de cobertura no acúmulo de matéria orgânica e consequentemente na sua produtividade, além do N do solo neste trabalho verificou-se também diretamente a contribuição N mineral das plantas de cobertura.
Mostrar mais

8 Ler mais

Regulagens de aspersores e seus efeitos sobre a uniformidade de aplicação de água e produtividade das culturas

Regulagens de aspersores e seus efeitos sobre a uniformidade de aplicação de água e produtividade das culturas

60 e 90 segundos) e quatro níveis de tensão da mola do defletor-martelo (O , 1 , 4 e 8). Com os resultados obtidos de Coeficientes de Uniformidade de Christiansen e queda de produção das culturas para os espaçamentos entre aspersores de 6 x 12, 12 x 12, 12 x 15, 12 x 18, 18 x 18, 18 x 24 e 24 x 24 m , efetuou-se uma análise multifatorial de variân­ cia pelo método do intervalo de confiança à 95% de probabi­ lidade. Observou-se que os maiores tempos de rotação do aspersor apresentaram melhores coeficientes de uniformidade nos espaçamentos limites recomendados pelo fabricante, e que o nível 4 de tensão é o limite máximo de deflexão da mola acoplada ao defletor-martelo, sem que ocorra interferência prejudicial à distribuição espacial da água.
Mostrar mais

169 Ler mais

Relações entre indicadores de qualidade do solo e a produtividade das culturas em áreas com agricultura de precisão

Relações entre indicadores de qualidade do solo e a produtividade das culturas em áreas com agricultura de precisão

A determinação da variabilidade de rendimento de grãos torna-se uma ferramenta importante para a tomada de decisões no manejo e para possibilitar o conhecimento dos fatores que limitam este rendimento. Com as ferramentas da agricultura de precisão como os mapas de produtividade e a amostragem do solo utilizando o GPS manual são possíveis identificar a variabilidade espacial em condições de lavoura. Este estudo foi realizado com o objetivo de identificar e relacionar os atributos do solo com o rendimento das culturas. A pesquisa foi realizada em duas áreas comerciais sob o sistema de Plantio Direto, situado no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. O solo é Latossolo e o clima Cfa úmido segundo a classificação de Koppen. Neste trabalho, inicialmente considerou-se duas áreas, uma com histórico de produtividade de seis safras e outra, com quatro envolvendo as culturas de soja, trigo e o milho. Esses mapas foram combinados para a definição de zonas de manejo. Três zonas foram definidas: baixo, médio e alto rendimento. A área com maior histórico de produtividade foi escolhida para o estudo mais detalhado. Atributos químicos do solo foram avaliados em 57 pontos georeferrenciados com malha de 1,0 ha. Concomitantemente, em cada zona de manejo, cinco pontos foram utilizados para caracterizar a fertilidade de solo (P, K, Ca, Mg, saturação de bases, pH, MOS) e os indicadores físicos (infiltração de água, agregação do solo, densidade de partículas, compactação do solo). Na zona de alto rendimento (30% da área) foi possível alcançar rendimentos semelhantes aos obtidos em condições experimentais. A evolução da fertilidade do solo foi determinada pela amostragem temporal do solo. Com relação à área nativa e à floresta natural (tratamentos da referência) a área de lavoura mostrou níveis elevados de P e de K na camada de 0 a 0,05 m. Também foi possível constatar o movimento descendente de Ca +2 e Mg +2 , embora a calagem tenha sido aplicada na superfície. Com base nas quantidades de fertilizantes adicionadas e nas quantidades exportadas via colheita foi possível estimar a evolução dos teores de nutrientes no solo. Na camada de 0 a 0,10 m havia necessidade de aplicar 14 kg de P 2 O 5 ha -1 para aumentar 1 mg
Mostrar mais

175 Ler mais

Fenometria, produtividade e necessidades hídricas das culturas da alface e do coentro em clima tropical.

Fenometria, produtividade e necessidades hídricas das culturas da alface e do coentro em clima tropical.

Entende-se a importância de estudos na região de culturas como a alface e o coentro, os quais estão entre as 18 principais hortaliças propagadas por sementes no Brasil (ABCSEM, 2014). Especificamente em Itabaiana-SE, que através de articulações de políticas públicas no meio rural-urbano, com o intuito de impulsionar a fixação de atividades econômicas no local, consolidou a atividade agrícola no município, tornando-o ponto de referência de produção de olerícolas e centro distribuidor de hortifrutigranjeiros (Carvalho e Costa, 2010). Nesse município, as hortaliças folhosas apresentaram a maior alta de produção, sendo que de alface foram colhidas 11.280 toneladas, 480 a mais que em 2013, comercializados em Sergipe e na capital baiana, Salvador. O mesmo ocorre com o coentro, que em 2014 teve produção de 3.960 toneladas e rendeu R$ 11,9 milhões aos irrigantes, segundo a Secretaria de Estado da Comunicação Social de Sergipe (2014).
Mostrar mais

95 Ler mais

Sucessão de culturas e preparo do solo no desenvolvimento e produtividade do feijoeiro cultivado no período de inverno

Sucessão de culturas e preparo do solo no desenvolvimento e produtividade do feijoeiro cultivado no período de inverno

componentes produtivos (número de vagens e de grãos por planta, número de grãos por vagem e massa de 100 grãos) e produtividade de grãos. Além disso, foram realizadas avaliações físicas do solo (macroporosidade, microporosidade, porosidade total, densidade do solo e resistência à penetração) e também análise econômica para cada um dos tratamentos utilizados. Não houve interação significativa entre as culturas de verão utilizadas e os preparos do solo adotados. As culturas de verão que apresentam maior porcentagem de recobrimento do solo e produção de matéria seca são a Crotalaria juncea, milho + mucuna-preta, milho + capim braquiária e milho. O plantio direto proporciona maiores valores de resistência à penetração na camada de 0 – 0,10 m e, densidade do solo, nas camadas de 0 – 0,10 m e 0,10 – 0,20 m. Os preparos do solo adotados e as culturas de verão utilizadas não influenciam significativamente os componentes de produtividade do feijoeiro bem como suas produtividades.
Mostrar mais

99 Ler mais

Desenvolvimento de estratégias para aumentar a produtividade e controlar as propriedades de biopolímeros (PHAs) produzidas por culturas mistas

Desenvolvimento de estratégias para aumentar a produtividade e controlar as propriedades de biopolímeros (PHAs) produzidas por culturas mistas

17 produção (necessidade de maior controlo de operação e de equipamento auxiliar para esterilização). As estratégias aplicadas para atingir esses objectivos incluem o uso de certos tipos de organismos (eg. C. necator e A. latus) alimentados com diferentes substratos puros sob limitação de nutrientes. A produção de PHA por E. coli sinteticamente modificada atingiu com um teor de PHA na gama de 80-90% de peso seco da célula (Lee e Choi, 1998; Lee et al., 1999; Madison e Huissman, 1999; Grothe et al., 1999). Apesar da elevada produtividade volumétrica obtida (até 5 g PHB/L.h) os custos de produção ainda são demasiado altos para se tornar uma opção economicamente viável para a produção de polímeros.
Mostrar mais

83 Ler mais

Produtividade total dos fatores na agricultura goiana: uma análise para as culturas de cana-de-açúcar, milho e soja

Produtividade total dos fatores na agricultura goiana: uma análise para as culturas de cana-de-açúcar, milho e soja

As variáveis do modelo são representadas pelos insumos e produtos que melhor definem o processo produtivo das culturas abordadas nesta pesquisa. O processo de seleção das variáveis pode ser feito de duas maneiras. Em uma delas, considera-se a opinião dos agentes interessados na realização do estudo ou de especialista técnicos que avaliam quanto a variável detém de informação, a confiabilidade dos dados disponíveis e sua relevância no contexto em análise. A outra forma de seleção se justifica pela utilização da análise de correlação, ou seja, é empregada uma técnica estatística para viabilizar a escolha das variáveis. Para fins deste estudo, foi eleita a primeira opção como forma de selecionar o conjunto de variáveis a serem utilizadas no modelo, sendo apontada, ainda, pela pesquisa da bibliografia pertinente ao tema do estudo.
Mostrar mais

24 Ler mais

Análise de produtividade e rentabilidade das culturas de pimentão, repolho, rúcula, alface e rabanete em cultivo consorciado

Análise de produtividade e rentabilidade das culturas de pimentão, repolho, rúcula, alface e rabanete em cultivo consorciado

RESUMO - O trabalho foi conduzido na UNESP, Jaboticabal-SP, no período de setembro de 2003 a janeiro de 2004, com objetivo de avaliar a produtividade de pimentão, repolho, rúcula, alface e rabanete em cultivo consorciado. O experimento constou de 15 tratamentos, correspondentes a 10 cultivos consorciados e cinco monocultivos. Utilizou-se o delineamento experimental blocos casualizados, com seis repetições. Foram utilizados os híbridos Magali R e Kenzan, respectivamente, para pimentão e repolho; e as cultivares Vera, Cultivada e Crimson Gigante, respectivamente, para alface, rúcula e rabanete. As produtividades de pimentão e repolho em cultivo consorciado não diferiram significativamente das obtidas em monocultivo. Maior massa fresca de parte aérea de plantas de alface (438,86 g/planta) foi observada quando a alface foi consorciada com pimentão, diferindo estatisticamente dos demais cultivos que obtiveram em média 323,05 g/planta de alface. Aumento na produtividade de raízes comerciais de rabanete foi observada quando o rabanete foi consorciado com pimentão, porém, foi significativamente superior apenas ao cultivo consorciado de pimentão+repolho+rabanete. A massa fresca da parte aérea da rúcula mostrou diferença apenas entre os consórcios de pimentão+rúcula+alface e pimentão+repolho+rúcula. Exceto o consórcio pimentão+repolho que obteve índice de uso eficiente da terra (UET) de 1,93; todos os outros consórcios apresentaram UET superior a 2, com maior UET (2,64) obtido no consórcio pimentão+alface. A superioridade dos consórcios sobre os monocultivo de 93 a 164%, na produção de alimento por área, demonstra a viabilidade dos policultivos e maior eficiência do uso da terra.
Mostrar mais

70 Ler mais

Ciclagem de nutrientes e produtividade de grãos em sucessões de culturas sob sistema plantio direto

Ciclagem de nutrientes e produtividade de grãos em sucessões de culturas sob sistema plantio direto

Nesse sentido, é necessário repensar a seqüência de culturas dentro dos diversos sistemas de produção. O uso de plantas de cobertura do solo, tanto de inverno como de verão e/ou na entressafra, não deveria competir com as culturas econômicas, mas modificar as condições em que as culturas de grãos são cultivadas, e reduzir os custos e/ou aumentar a rentabilidade (Fiorin, 2007). Isso deve ser considerado no planejamento da rotação de culturas e é decisivo para o sucesso de um sistema de produção. Dessa maneira, tão logo é colhida uma cultura comercial ou manejada uma planta de cobertura do solo, deve ser semeada uma outra espécie na seqüência, permitindo uma rápida cobertura e proteção do solo, bem como da máxima expressão do potencial das espécies e de seus benefícios para as culturas produtoras de grãos (Fiorin, 1999). Segundo Ruedell (1998), o segredo está em se estabelecer uma sucessão de culturas, denominado sucessão planta-colhe-planta, que “explore” continuamente o solo, nunca o deixando descoberto.
Mostrar mais

123 Ler mais

Atributos de latossolos e produtividade da cana-de-açúcar em decorrência da diversificação de culturas no período de reforma do canavial

Atributos de latossolos e produtividade da cana-de-açúcar em decorrência da diversificação de culturas no período de reforma do canavial

Wohlenberg et al. (2004) constataram que a sequência de culturas com a sucessão de gramíneas e leguminosas favoreceu a maior agregação do solo. Estes autores estudaram, durante oito anos, a influência de sistemas de culturas de cobertura e o teor de matéria orgânica sobre a agregação de um Argissolo Vermelho-Amarelo distrófico arênico textura superficial franco-arenosa em seu estado natural e sob rotação e sucessão de culturas de gramíneas, leguminosas, crucíferas e compostas. Os autores concluíram que existe uma ação direta das culturas na formação e estabilização dos agregados. Os sistemas de cultivo que aportam materiais orgânicos e cobrem o solo durante todo o ano favorecem a estabilidade e a distribuição do tamanho de agregados. Independentemente da época de amostragem, os menores valores de diâmetro médio e de índice de estabilidade de agregados sempre ocorreram no solo descoberto e os maiores no campo natural, mesmo com o campo natural apresentando níveis de fertilidade inferiores aos dos sistemas com adição de fertilizantes químicos. Além disso, a maior percentagem de agregados na classe de 8,00 a 4,76 mm ocorreu nos sistemas que mantiveram o solo coberto e com maior teor de matéria orgânica. Por outro lado, nos sistemas com solo descoberto e preparado, houve aumento de agregados na classe entre 1,00 e 0,21 mm, devido à destruição dos agregados maiores provocada pelas práticas agrícolas.
Mostrar mais

50 Ler mais

Show all 5659 documents...