Professores de química - Estudo e ensino(Superior) - Bahia - 1820-1853

Top PDF Professores de química - Estudo e ensino(Superior) - Bahia - 1820-1853:

UMA PROPOSTA DE DIVULGAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE ENSINO ESTUDO DE CASO PARA PROFESSORES DE QUÍMICA DO ENSINO MÉDIO

UMA PROPOSTA DE DIVULGAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE ENSINO ESTUDO DE CASO PARA PROFESSORES DE QUÍMICA DO ENSINO MÉDIO

Com relação à aplicação desse caso em suas aulas, o grupo relatou que: “a questão do teor de álcool e gasolina poderia ser aplicado no 1° ano, no estudo sobre as questões de propriedades físicas da matéria, de densidade e de volume; e o solvente no 3° ano, na parte de química orgânica”, estabelecendo assim uma relação entre o problema abordado no caso e o conteúdo químico tratado no ensino médio. O caso se mostrou flexível, podendo ser adotado, na visão dos professores, em mais de uma série do ensino médio. Essa foi a solução de um dos grupos de professores; mas, em geral, todos os grupos encontraram causas e soluções plausíveis, entendendo bem o propósito da atividade. Além disso, todos os docentes perceberam a possibilidade de aplicar os casos em alguma série do ensino médio.
Mostrar mais

26 Ler mais

O aprendizado da Química na concepção de professores e alunos do ensino médio: um estudo de caso.

O aprendizado da Química na concepção de professores e alunos do ensino médio: um estudo de caso.

Tem por objetivo promover uma reflexão a respeito de alguns aspectos relativos ao processo de ensino e aprendizagem da Química desenvolvido em uma escola de ensino médio do Nordeste brasileiro. Para isso, um estudo de campo foi conduzido por meio da aplicação de questionários a professores e alunos dessa escola. Os resultados das análises das respostas às questões revelaram alguns aspectos desse processo que merecem uma profunda reflexão. O gostar dos conteúdos da disciplina, por parte dos alunos, depende sobremaneira do desempenho e da segurança que o professor apresenta quando da exploração do conteúdo nas suas aulas. As metodologias de ensino diferenciadas e não tradicionais conseguem ser melhores instrumentos de estímulo e de motivação ao aprendizado da Química. As formações inicial e continuada não adequadas do profissional professor ainda continuam a ser um dos grandes entraves para a melhoria de nossa educação. Por fim, destacamos a deficiência que os alunos apresentam em conhecimentos explorados em outras disciplinas, por exemplo, Língua Portuguesa.
Mostrar mais

19 Ler mais

O Livro Didático de Química nas Concepções de Professores do Ensino Médio da Região Sul da Bahia

O Livro Didático de Química nas Concepções de Professores do Ensino Médio da Região Sul da Bahia

Na categoria Outros, foram in- clusas respostas que não se ade- quaram nas demais categorias (7). Cinco docentes apresentaram como critérios para a esco- lha do LD a eleição entre os professores da escola. Nenhum dos participantes da pesquisa apon- tou como critério de escolha aspectos gráficos, natureza das experiências, aspectos sociopolíti- cos, encadeamento dos conteúdos, lin- guagem abordada ou obstáculos epis- temológicos. Não foi surpreendente o fato de a coleção Química (Feltre, 2004a; 2004b; 2004c) ter sido a mais adotada pelas escolas, uma vez que se trata de livros que apresentam uma abordagem tradicional e bas- tante conhecida pela maioria dos professores.
Mostrar mais

10 Ler mais

A contextualização e a interdisplinaridade no ensino de Química: uma analise de livros didáticos ACIDO-BASE e das propostas pedagógicas realizadas pelos docentes diante da temática

A contextualização e a interdisplinaridade no ensino de Química: uma analise de livros didáticos ACIDO-BASE e das propostas pedagógicas realizadas pelos docentes diante da temática

Analisando o gráfico da pergunta 4, percebemos que 60% dos professores não tem preocupação em apresentar os conteúdos de maneira contextualizada e interdisciplinar em suas aulas. O professor deve entender que a contextualização é apenas uma das maneiras de se iniciar um tópico em estudo. Segundo Faljoni-Alário, A. e Wartha, E. (2005, p. 43), contextualizar o ensino significa incorporar vivências concretas e diversificadas, e também incorporar o aprendizado em novas vivências... [...] contextualizar é construir significados e significados não são neutros, incorporam valores porque explicitam o cotidiano, constroem compreensão de problemas do entorno social e cultural, ou facilitam viver o processo da descoberta. Nesse sentido, . Faljoni- Alário, A. e Wartha, E. (2005, p. 43) nos alerta que “contextualizar é uma postura frente ao ensino o tempo todo, não é exemplificar. É assumir que todo conhecimento envolve uma relação entre sujeito e objeto”.
Mostrar mais

77 Ler mais

Apropriação do discurso de inovação curricular em química por professores do ensino médio: perspectivas e tensões.

Apropriação do discurso de inovação curricular em química por professores do ensino médio: perspectivas e tensões.

impedem a mudança em educação, destaca a desconfiança dos professores: os professores serão hostis às mudanças na escola se delas não participarem desde o início ou se as decisões forem tomadas por outros que não seus superiores hierárquicos. Mais adiante Huberman, defende a idéia de que os professores resistem, em particular, a todas as mudanças que lhes retirem autoridade sobre os alunos. Finalmente, um outro fator indicado por este autor é a ausência de processos e de formação com vistas a mudanças: os professores não contam com processos institucio- nalizados de divulgação de novas práticas adotadas por seus colegas, e há, igualmente, resis- tência à adoção de idéias de outros professores. A isso, acrescentemos a ausência de suporte, acompanhamento e avaliação sistemática da implantação e desenvolvimento de programas inovadores, como foi o caso do PRÓ-MÉDIO e do PRÓ-CIÊNCIAS, desenvolvidos em Minas Gerais de 1997 a 2001, e que constituem o cenário empírico do presente estudo.
Mostrar mais

19 Ler mais

As actividades laboratoriais e as práticas lectivas e de avaliação adoptadas por professores de física e química : uma análise do efeito da reforma curricular do Ensino Secundário

As actividades laboratoriais e as práticas lectivas e de avaliação adoptadas por professores de física e química : uma análise do efeito da reforma curricular do Ensino Secundário

Relativamente ao tipo de questões do questionário, este incluía: questões fechadas, que apresentavam diversas opções de resposta, a priori , mas, como recomenda Foddy (1996), era dada a possibilidade de os inquiridos emitirem opiniões particulares ou diferentes das previstas através do acréscimo da opção “outras”, com o pedido de especificação, para possibilitar a explicitação de uma resposta mais adequada ao inquirido; questões semi-abertas, na medida em que eram fornecidas possíveis opções de resposta, a priori , e depois pedia-se aos professores respondentes que justificassem as suas escolhas; e, ainda, questões do tipo escalar, ou seja, questões que possuem um conjunto de graus que o sujeito deve usar para se pronunciar sobre uma dada afirmação/opinião/situação. De salientar, ainda, que foram incluídas algumas questões com resposta-chave, que fornecem orientação aos respondentes para passarem a determinada(s) questão(ões) posterior(es), de modo a que questões subsequentes fossem ou não respondidas, dependendo da resposta dada aquelas (Tuckman, 1994). Estão neste caso as questões 5, 6, 7 e 9 do questionário utilizado no estudo. Segundo Foddy (1996), deve sempre introduzir-se em primeiro lugar uma questão que seja genérica sobre um determinado assunto antes de avançar com outras mais específicas. Relativamente às opções de resposta incluídas nas listas previamente fornecidas em várias questões do questionário utilizado, teve-se o cuidado de as colocar de forma aleatória nos quadros e tabelas a fim de evitar, o mais possível, que a ordem das opções afectasse as respostas dos inquiridos, ou seja, de modo a que quando eles próprios as lessem não lhes parecesse existir uma resposta desejável ou a contrariar a tendência para escolher as que se sugerem nos primeiros lugares (Foddy, 1996).
Mostrar mais

122 Ler mais

A rede social Facebook e suas aplicações no ensino de química

A rede social Facebook e suas aplicações no ensino de química

Por fim, talvez a melhor experiência atual de utilização do Facebook para a divulgação da química. O Canal Fala Química é descrita como uma revista e é autopromovido como o maior canal de divulgação da ciência e pesquisa química no Facebook. São considerados pioneiros na difusão da Química pelo Twitter e pelo Facebook, tendo iniciado suas publicações em fevereiro de 2011 o Canal Fala Química é o mais antigo entre as páginas e comunidades analisados neste artigo. O portal é uma continuidade das atividades de divulgação científica empreendidas pelos professores Edson Minatti, da UFSC, que durante vários anos editou a revista digital sobre química QMCWeb. O professor Ricardo José Nunes, da mesma instituição, colabora com a seleção de informações e com as publicações. Nesse canal há dezenas de publicações semanais, que divulgam vídeos, imagens, textos e resenhas de artigos acadêmicos, entre outros formatos, com uma grande ênfase às informações tecnológicas e científicas contemporâneas da química. Nesse sentido, o canal presta um serviço de seleção que se constitui um veículo de informações atualizadas para seus seguidores.
Mostrar mais

10 Ler mais

Experimentos químicos para melhor aplicação do currículo oficial do Estado de São Paulo

Experimentos químicos para melhor aplicação do currículo oficial do Estado de São Paulo

Um ponto negativo está relacionado com a efetiva freqüência dos professores, os quais entravam e saíam da sala a qualquer momento, ocorrendo também atraso para o início das atividades. Um fator que contribuiu consideravelmente para isto é o fato da Secretaria Estadual de Educação não liberar o professor das suas obrigações em sala de aula, não providenciando um substituto, para que possa freqüentar cursos de formação continuada. O professor participa do curso nos horários que lhe sobram, quando os deveres familiares se somam e muitas vezes passam a ser prioritários, sendo possivelmente este o principal motivo da tolerância em relação à assiduidade quanto ao horário.
Mostrar mais

14 Ler mais

A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES PARA O USO DAS TICs NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES PARA O USO DAS TICs NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Outra questão a se pensar é sobre a efetiva utilização dos recursos tecnológicos presentes nas escolas. Pode-se afirmar que o computador e a internet já são uma realidade nas escolas? Pesquisa encomendada pela Fundação Victor Civita ao IBOPE mostra que não há falta de equipamentos como computadores e acesso à Internet na grande maioria das escolas brasileiras. O levantamento, feito em 400 escolas públicas de 13 capitais, mostrou que 98% têm computador, e 83%, acesso à internet. De cada quatro instituições, três possuem laboratório de informática (NOVA ESCOLA, 2010). A pesquisa constatou que o grande desafio encontrado é manter os laboratórios de informática abertos e estimular professores e alunos a usar o espaço. De acordo com o que podemos observar nas respostas dos professores entrevistados e apresentados na tabela a seguir, essa não parece ser a realidade observada em Juiz de Fora. Ainda que as escolas tenham o espaço do laboratório de informática parece que a manutenção dos equipamentos e o acesso à internet se mostram insuficientes. Esse fato é citado por 12 profissionais, o que corresponde a mais da metade do total de respondentes. Não basta ter o espaço, colocar os equipamentos e não prestar, ao longo do tempo, a devida manutenção aos mesmos.
Mostrar mais

98 Ler mais

EDUCAÇÃO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE LIMEIRA – SP: UM ESTUDO COMPARATIVO DO DESEMPENHO DE ALUNOS DE CRECHES E PRÉ- ESCOLAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

EDUCAÇÃO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE LIMEIRA – SP: UM ESTUDO COMPARATIVO DO DESEMPENHO DE ALUNOS DE CRECHES E PRÉ- ESCOLAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Ainda, segundo a autora, a gestão pedagógica abrange atividade de orientação e acompanhamento do planejamento Escolar, citando alguns exemplos de ações como: assistir às aulas para orientar os professores na execução de seus trabalhos; orientar o planejamento Escolar enfatizando estratégias de ensino e formas de avaliação; orientar os docentes na elaboração de atividades Escolares; orientá-los na elaboração de projetos didáticos e promover reuniões pedagógicas e/ou grupos de estudo com a equipe docente. Pensando nas políticas públicas curriculares atuais, cabe ao gestor alinhar estas ações supracitadas a esses documentos e promover discussão e reflexão coletiva com todos os atores envolvidos no processo educacional, a fim de que todos estejam conscientes das orientações preconizadas e possam implementá-las, efetivamente, na prática pedagógica, para aperfeiçoamento dos processos relativos ao ensino e a aprendizagem e consequentemente melhoria dos resultados.
Mostrar mais

190 Ler mais

A FORMAÇÃO CONTINUADA NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE: O PAPEL DO FORMADOR DE PROFESSORES

A FORMAÇÃO CONTINUADA NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE: O PAPEL DO FORMADOR DE PROFESSORES

assumir uma forte componente práxica, centrada na aprendizagem dos alunos e no estudo de casos concretos, tendo como referência o trabalho escolar; passar para «dentro» da profissão, baseando-se na aquisição de uma cultura profissional e concedendo aos professores mais experientes um papel central na formação dos mais jovens; dedicar uma atenção especial às dimensões pessoais da profissão docente, trabalhando essa capacidade de relação e de comunicação que define o tacto pedagógico; valorizar o trabalho em equipe e o exercício coletivo da profissão, reforçando a importância dos projetos educativos de escola; caracterizar-se por um princípio de responsabilidade social, favorecendo a comunicação pública e a participação profissional no espaço público da educação (NÓVOA, 2010, p.1).
Mostrar mais

122 Ler mais

CADO DE ESTRUTURAS DE A ¸ CO, CONCRETO E MISTAS

CADO DE ESTRUTURAS DE A ¸ CO, CONCRETO E MISTAS

Este trabalho apresenta uma formula¸c˜ao num´erica generalizada, baseada na plasticidade concentrada, aplic´avel na an´alise de estruturas de a¸co, de concreto e mistas de a¸co e con- creto. S˜ao abordadas fontes de n˜ao linearidades, como: os efeitos de segunda ordem, a inelasticidade, as liga¸c˜oes semirr´ıgidas e a intera¸c˜ao parcial em vigas mistas. Um elemento finito corrotacional 2D foi utilizado e associado a fun¸c˜oes de interpola¸c˜ao para evitar o enrijecimento esp´ urio da estrutura durante a an´alise. Associado a este elemento, o M´etodo da Compatibilidade de Deforma¸c˜oes (MCD) foi utilizado para inserir o comportamento dos materiais nos n´os do modelo num´erico, viabilizando a an´alise de elementos constitu´ı- dos por concreto. As liga¸c˜oes semirr´ıgidas foram tratadas por meio de pseudo-molas de comprimento nulo, inseridas nas extremidades do elemento, sendo sua rigidez rotacional obtida pela rela¸c˜ao momento-rota¸c˜ao da liga¸c˜ao. J´a a intera¸c˜ao parcial foi simulada com um grau de liberdade adicional no problema local, via MCD. Fez-se o desmembramento da for¸ca axial, sendo parte absorvida pelo perfil e a outra parte pela laje. Verificou-se nos exemplos simulados que a formula¸c˜ao num´erica proposta ´e est´avel com boa concordˆancia com dados num´ericos e experimentais da literatura e sem os problemas comumente rela- cionados aos m´etodos baseados na plasticidade concentrada. Por fim, o tratamento da intera¸c˜ao parcial aliada `a plasticidade na forma concentrada e `as liga¸c˜oes semirr´ıgidas se torna um diferencial do estudo realizado.
Mostrar mais

208 Ler mais

Formação de professores e programas de ensino de Matemática nos institutos normais de educação: uma análise da Escola Primária da Bahia (1836-1960)

Formação de professores e programas de ensino de Matemática nos institutos normais de educação: uma análise da Escola Primária da Bahia (1836-1960)

Um problema recorrente, em 1842, é o papel atribuído ao professor primário e as suas respectivas ações. Paulo José de Mello Azevedo (1842, p. 15-16), o então presidente, analisou em sua “falla” que, mesmo os professores possuindo aptidão necessária aos serviços do ensino, o descaso para com a instrução pública se tornava tão evidente que o cargo era abandonado em função de duas situações principais: a) doença – sendo oficialmente comprovada ou forjada: “observo com bastante desgosto, que sendo robustos, e vigorosos quando pretendem as cadeiras, mais de metade interrompem o ensino, dizendo- se impossibilitados por doentes, o que comprovam por certidões de facultativos de medicina, e cirurgia” (AZEVEDO, 1842, p. 15); e b) uma oportunidade em outro setor, como o convite ou candidatura a cargos públicos: “outros sendo eleitos para certos cargos públicos, que os inibem de reger por si suas cadeiras, as entregam à substitutos mal pagos à sua custa, que não tem a necessária aptidão” (AZEVEDO, 1842, p. 16), dando espaço aos contratos.
Mostrar mais

13 Ler mais

JUARINA ANA DA SILVEIRA SOUZA PERMANÊNCIA E EVASÃO ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO PROFISSIONAL

JUARINA ANA DA SILVEIRA SOUZA PERMANÊNCIA E EVASÃO ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO PROFISSIONAL

oferecidos na Educação Profissional de Nível Técnico, com ênfase no Curso Técnico Subsequente de Redes de Computadores, nas duas primeiras turmas iniciadas no segundo semestre de 2011 e concluídas no primeiro semestre de 2013, ofertado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte – IFRN, Campus São Gonçalo do Amarante – SGA. Busca-se com isso contribuir para a diminuição da evasão escolar tão frequente nos cursos técnicos subsequentes. A pesquisa tem como objetivo geral investigar os fatores que contribuem para a permanência escolar e, como específicos: analisar as percepções dos diferentes atores sobre o fenômeno investigado; estabelecer relação entre os diferentes fatores que vêm contribuindo ou dificultando a permanência escolar; analisar as estratégias que a escola tem feito para favorecer a permanência escolar; e elaborar uma proposta de intervenção pedagógica sobre o fenômeno em estudo. A perspectiva adotada foi o estudo de caso e a discussão foi embasada pelo referencial teórico que discute a questão da permanência e da evasão escolar na Educação Básica e no Ensino Técnico Profissional, focando em uma realidade de uma escola técnica profissional supracitada. Os instrumentos utilizados consistiram em análise documental, aplicação de questionário e entrevistas semiestruturadas, os quais permitiram a coleta de dados e análise qualitativa. Mediatizados pelas interfaces do contexto investigado, os resultados mostraram que os fatores relacionados à permanência ou à evasão escolar estão intrinsecamente relacionados aos aspectos internos à instituição, corroborando com o aporte teórico utilizado. Fatores como: o perfil/desempenho do corpo discente, os recursos e estruturas físicas escolares, os processos e as práticas pedagógicas foram citados como importantes para favorecer a permanência do aluno. Essas percepções foram ratificadas tanto pelos gestores e docentes, como pelos alunos, evidenciando que ambos apresentam visões semelhantes sobre a temática estudada.
Mostrar mais

152 Ler mais

TERMO DE APROVAÇÃO CECÍLIA MARIA PEÇANHA ESTEVES PATRIOTA POLÍTICA DE MONITORAMENTO E GESTÃO POR RESULTADO: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA DE PERNAMBUCO

TERMO DE APROVAÇÃO CECÍLIA MARIA PEÇANHA ESTEVES PATRIOTA POLÍTICA DE MONITORAMENTO E GESTÃO POR RESULTADO: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA DE PERNAMBUCO

Esses dados tornam-se, assim, a base para a formação continuada dos professores. A ideia é garantir um trabalho direcionado, o que os auxilia na melhoria da sua prática e no direcionamento de ações mais eficazes para cada educando. A partir dos resultados das avaliações dos alunos pode-se diagnosticar nos docentes os principais pontos a serem aprimorados nas formações continuadas. Os Parâmetros Curriculares de Pernambuco e o manual Parâmetros na Sala de Aula, elaborados por profissionais da rede, em processo coordenado pela Secretaria de Educação do Estado, permitem uma unidade no desenvolvimento do currículo na rede estadual. Esse material, no entanto, precisa ser melhor divulgado e explorado pelos educadores, uma vez que permite um planejamento criterioso de estratégias e de ações pedagógicas relevantes para o sucesso escolar. Seu estudo deve ser contemplado nos momentos de formação dos professores, o que contribui sobremaneira para a organização curricular, com o objetivo que todo o aluno aprenda o conteúdo esperado para sua série e na idade certa.
Mostrar mais

129 Ler mais

DOUTORADO EM EDUCAÇÃO SÃO PAULO

DOUTORADO EM EDUCAÇÃO SÃO PAULO

Concordando com este argumento, Belloni (2002, p. 120) destaca que a globalização tem favorecido a entrada de empresas multinacionais no ramo educacional. Empresas tradicionalmente voltadas à prestação de outros serviços voltam-se agora para um mercado promissor – o da educação. Os países periféricos, como o Brasil, tornam-se alvo fácil de ser cooptado, pois a dependência econômica dos grandes centros mundiais obriga, muitas vezes, a adoção de políticas advindas dos organismos internacionais para todas as áreas, e a da educação é estratégica. Segundo Belloni, a alternativa para países como o Brasil “situa-se no nível das escolhas políticas da sociedade, ou seja, da capacidade de a escola e os cidadãos acreditarem – e agirem, consequentemente – em uma concepção dos processos de educação e comunicação como meios de emancipação e não apenas de dominação e exclusão” (Ibid., p. 121). No Brasil, a partir do ano de 2005, por meio de uma série de políticas de governo, há uma “explosão” da educação a distância no país, com relevante aposta no uso das TIC. A educação a distância pode ser uma possibilidade de ressignificação da prática educativa, e as TIC constituem o potencial reestruturante desta prática. A opção pelo ensino superior a distância é acima de tudo uma decisão política da instituição. É recomendável investir em políticas para EaD que contemplem as características locais e uma visão sistêmica de gestão.
Mostrar mais

263 Ler mais

A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR E AS POLÍTICAS PÚBLICAS: UM ESTUDO DO PROUNI THE EXPANSION OF HIGHER EDUCATION AND PUBLIC POLICIES: A STUDY OF THE PROUNI PROGRAM

A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR E AS POLÍTICAS PÚBLICAS: UM ESTUDO DO PROUNI THE EXPANSION OF HIGHER EDUCATION AND PUBLIC POLICIES: A STUDY OF THE PROUNI PROGRAM

desta expansão. A escolha por este objeto se justifica pela importância que este nível de educação tem atualmente, sendo considerado por muitos pesquisadores como um ator estratégico na sociedade contemporânea, na qual o conhecimento é a peça-chave para o desenvolvimento científico, tecnológico e econômico; pela sua complexidade, pois envolve um conjunto de instituições e atores que fornece informações para a sua análise enquanto uma verdadeira arena de políticas públicas (Lowi, 1964); e pelo significado que está adquirindo por diversos grupos sociais que investem neste nível de ensino como forma de obtenção de uma melhor posição social, onde se busca almejar um diferencial em relação aos demais atuando, desta forma, na economia posicional (Hirsch, 1979).
Mostrar mais

20 Ler mais

Rio de Janeiro Setembro de 2011

Rio de Janeiro Setembro de 2011

Apesar de não dispor de unidades produtoras de biodiesel na região Sul (a unidade comprada em parceria com empresa privada no Paraná é de operação bem recente), a Petrobras compra matéria-prima de grupos de agricultores como a Cooperbio, em Palmeira das Missões, e a Cooper- fumos, em Santa Cruz do Sul (ambas no RS). São ainda poucas famílias, menos de 100, plantando áreas de menos de 3 hectares em média. A op- ção destas cooperativas é de utilizar as áreas “dobradas” das proprieda- des para implantar sistemas florestais de uso múltiplo com o tungue para biodiesel, eucalipto para lenha e espécies frutíferas. A Cooperbio está instalando uma unidade de esmagamento e pretende, com o tempo, pas- sar a vender o óleo no lugar da matéria-prima. Por enquanto as duas co- operativas vendem soja em grão para a usina da Petrobras em Candeias, na Bahia, uma das demonstrações da irracionalidade do Programa. Nesta safra de 2011 a intenção é vender 1,1 milhão de sacas de soja para a usina Delta, no Mato Grosso, sendo que este volume é o dobro do que vendem atualmente para a Petrobras. Das informações disponíveis não fica cla- ro se as cooperativas vão diversificar e ampliar as suas vendas ou se vão substituir a Petrobras pela Delta.
Mostrar mais

98 Ler mais

A educação secundária na província de São Pedro do Rio Grande do sul : a desoficialização do ensino público

A educação secundária na província de São Pedro do Rio Grande do sul : a desoficialização do ensino público

Este trabalho tem como objetivo demonstrar como no século XIX o modelo de educação adotado no Brasil, ocasionou na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul a desoficialização do ensino secundário. Dentro desse modelo, os Liceus, instituições oficiais, como os colégios, instituições particulares, travaram uma disputa constante no intuito de formar as elites. Enquanto instituições escolares, os regulamentos e programas tanto dos Liceus, como dos Colégios nos permitem constatar que toda educação ministrada tinha por base as humanidades clássicas. Alicerçado no latim, essas instituições preparavam as elites para o ingresso nas academias e futuramente para os cargos dirigentes. Com currículo voltado para os exames preparatórios, e contando com internatos, os colégios acabavam preparando mais, melhor e em menor tempo. Utilizando um corpo teórico de autores como Foucault, Varela, Alvarez-Uría, Chervel, Petitat, constatou-se o rigor disciplinar dessa vida escolar. Ambiente austero e fechado. Todos os gestos e atitudes estavam sujeitos ao controle e vigilância. Esse modelo de educação moldava alunos obedientes, disciplinados e ordeiros. Para isso o corpo dirigente e o corpo docente, assim como as disciplinas-saber cumpriam um papel vital. Ordenando, disciplinando, cerceando, incutindo, formavam competentemente futuros líderes. Não sendo possível aos Liceus cumprirem adequadamente esse papel, coube aos colégios ocupar esse hiato. Formar as classes dirigentes. Desse modo, ao atribuir-se na prática ao ensino secundário - cursos preparatórios de acesso ao ensino superior – decretou-se na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul a falência de um ensino seriado, longo e metódico.
Mostrar mais

373 Ler mais

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA

Por fim, na dissertação intitulada “Reflexão epistemológica e memorialística: uma experiência na formação continuada de professores de Ciências”, de autoria de SILVA A. (2007), buscou-se compreender relações entre reflexão epistemológica e formação docente. Procurou-se, particularmente, investigar que tipos de reflexões os sujeitos-professores constroem a partir da introdução de discussões relativas ao processo de produção, validação e apropriação social do conhecimento cientifico e as relações que estabelecem com suas histórias de atuação e formação pessoal e profissional. Na coleta de dados foram utilizados: gravação e transcrição das aulas, questionário com cinco questões abertas aplicado aos sujeitos da pesquisa, memorial produzido pelos professores participantes e as anotações de campo. Os resultados mostraram que a ação recursiva da memória, estimulada a partir de discussões epistemológicas, potencializou as reflexões docentes em quatro dimensões principais: ético-política; curricular, metodológica e afetiva. Dimensões essas que desencadearam nos professores participantes problematizações em suas práticas pedagógicas. Isso implicou em repensar a natureza e a procedência dos conhecimentos que ensinavam e validavam na escola. Revisão que resultou no despertar de outras formas de pensar sobre o que ensinar, por que e como ensinar Ciências e na valorização de outros saberes na composição do currículo escolar, que não apenas o conhecimento científico.
Mostrar mais

291 Ler mais

Show all 10000 documents...