Programa de Bolsa Permanência

Top PDF Programa de Bolsa Permanência:

EDITAL Nº. 09/ GR Edital Inscrição do Programa de Bolsa Permanência da Assistência Estudantil

EDITAL Nº. 09/ GR Edital Inscrição do Programa de Bolsa Permanência da Assistência Estudantil

A Magnífica Reitora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE), por meio da Diretoria de Assistência ao Estudante (DAE), em conformidade com a Regulamentação de Bolsa Permanência no âmbito do IFPE, com a Política de Assistência Estudantil, aprovada pela Resolução Nº 21/2012 do Conselho Superior (CONSUP), com a Organização Acadêmica Institucional, aprovada pela Resolução Nº 81/2010 do Conselho Superior (CONSUP), torna público as normas e prazos de seleção para ingresso no Programa de Bolsa Permanência da Assistência Estudantil 2016.1 dos campi Igarassu, Ipojuca e Olinda do IFPE.
Mostrar mais

9 Ler mais

Programa de Bolsa Permanência – uma avaliação das possibilidades para a conclusão do ensino superior do estudante vulnerável na UFT/Câmpus de Gurupi

Programa de Bolsa Permanência – uma avaliação das possibilidades para a conclusão do ensino superior do estudante vulnerável na UFT/Câmpus de Gurupi

Atualmente, a Política de Assistência Estudantil e Formação Acadêmica da UFT é composta por 23 (vinte e três) programas, voltados para estudantes matriculados nos cursos de graduação presencial, quais sejam: I - Programa de Integração dos Discentes Ingressantes (PIDI); II - Programa Auxílio Alimentação (PAA); III - Programa Moradia Estudantil (PME); IV - Programa Auxílio Transporte (PTr); V - Programa Auxílio Permanência (PAP); VI - Programa Esportes e Lazer (PROEL); VII - Programa Apoio à Participação dos Discentes em Eventos (PAPE); VIII - Programa Acompanhamento Acadêmico (PROAC); IX - Programa Auxílio Saúde (PSaúde); X - Programa Auxílio Creche (PAC); XI - Programa Apoio ao Discente Ingressante (PADI); XII - Programa Inclusão e Acessibilidade (PAEI); XIII - Programa Bolsa Permanência MEC (PBP); XIV - Programa Institucional de Bolsa de Extensão (PIBEX); XV - Programa de acesso democrático à Universidade (PADU); XVI - Programa de Acesso Democrático de Indígenas e Quilombolas (PADIQ); XVII - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC); XVIII - Programa Institucional Voluntário de Iniciação Científica (PIVIC); XIX - Programa de Mobilidade Acadêmica (PMA); XX - Programa Institucional de Monitoria (PIM); XXI - Programa Institucional de Monitoria Indígena (PIMI); XXII - Programa de Educação Tutorial (PET); XXIII - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), dos quais destacamos o Programa Bolsa Permanência MEC (PBP) e o Programa Auxílio Permanência (PAP), objeto do nosso estudo. Segundo a resolução, ―cada programa deverá ser regulamentado por meio de resolução específica e adotar seus respectivos mecanismos de avaliação e acompanhamento, de acordo com a sua natureza‖ (Art. 5º, § único), vale ressaltar que a implementação de todos os programas dispostos na Resolução está condicionada à disponibilidade de recursos orçamentário e financeiro da União e da UFT.
Mostrar mais

153 Ler mais

CRITÉRIOS PARA COMPROVAÇÃO DO ATENDIMENTO DOS REQUISITOS DO PROGRAMA DE BOLSA PERMANÊNCIA. Estudante solteiro

CRITÉRIOS PARA COMPROVAÇÃO DO ATENDIMENTO DOS REQUISITOS DO PROGRAMA DE BOLSA PERMANÊNCIA. Estudante solteiro

___________________________________________ (nome do Curso de Graduação) e matriculado sob o número______________________(número da matrícula), em nível de graduação da _____________________________________(nome da Universidade Federal ou Instituto Federal), tenho ciência das obrigações inerentes à qualidade de bolsista do Programa de Bolsa Permanência, e nesse sentido, COMPROMETO-ME a respeitar todas as condições previstas na Portaria MEC n° XX, de XX de XX de 2013, publicada na página XX da seção 01 do Diário Oficial da União no dia XX de XX de 2013, e das demais normas que venham a substituir ou complementar a legislação vigente e DECLARO que:
Mostrar mais

13 Ler mais

Sistema para classificação de estudantes à serem contemplados no programa bolsa-permanência da UTFPR utilizando framework Grails e iReport: desenvolvimento e proposta de implantação

Sistema para classificação de estudantes à serem contemplados no programa bolsa-permanência da UTFPR utilizando framework Grails e iReport: desenvolvimento e proposta de implantação

Existem hoje no mercado diversas ferramentas que nos auxiliam no processo de desenvolvimento de sistemas de informação, essas ferramentas visam prover soluções pré- estabelecidas, como funcionalidades previamente implementadas. Os Frameworks funcionam como uma caixa de ferramentas, das quais podemos usufruir satisfatoriamente se soubermos como elas trabalham. Há diversos frameworks no mercado atual, e é muito importante sabermos qual escolher para nos ajudar no desenvolvimento de projetos. Para testar a eficiência do framework Grails na resolução de um problema real, o programa Bolsa- Permanência da UTFPR foi escolhido. Este processo é todo manual, leva cerca de um mês para ser finalizado e não possui um número de pessoas que trabalham na seleção compatível com a quantidade de informações à serem processadas. Este trabalho propõe a criação de um sistema Web desenvolvido em Grails, para informatizar o processo do programa Bolsa- Permanência da UTFPR, visando demonstrar a eficiência do framework Grails, bem como melhorar o processo do Bolsa-Permanência. Em conjunto ao uso do Grails, utilizou-se para geração de relatórios o framework ireport.
Mostrar mais

95 Ler mais

EDITAL PROAE/UFGD Nº 17, DE 24 DE JUNHO DE 2014 PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL BOLSA PERMANÊNCIA UFGD

EDITAL PROAE/UFGD Nº 17, DE 24 DE JUNHO DE 2014 PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL BOLSA PERMANÊNCIA UFGD

terá o benefício Bolsa Permanência UFGD suspenso durante o período em que estiver em mobilidade, sendo necessário o desligamento do estudante do projeto seguindo as orientações do item 6.3. Para dar continuidade ao recebimento do benefício, o estudante deverá ter cumprido todos os dispositivos do Programa Apoio à Mobilidade Acadêmica Internacional e apresentar novo Plano de Atividades no momento do retorno ao país.

12 Ler mais

A política de assistência estudantil na educação superior pública: uma avaliação do Programa Bolsa Permanência da UFSC (2008-2013)

A política de assistência estudantil na educação superior pública: uma avaliação do Programa Bolsa Permanência da UFSC (2008-2013)

O presente trabalho insere-se no campo da política de assistência estudantil na educação superior pública brasileira. Tem como objeto de estudo o Programa Bolsa Permanência (PBP) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), vigente no período 2008- 2013. Define-se como objetivo deste trabalho: avaliar na perspectiva dos estudantes, se o PBP atingiu os objetivos aos quais se propôs, ou seja, de garantir a permanência dos estudantes de baixa condição socioeconômica na Universidade e de ser complementação no seu processo de ensino-aprendizagem. Esta avaliação orientou-se por uma perspectiva política além de normativa, buscando situar o PBP no contexto nacional e institucional e identificando os principais determinantes econômicos, sociais, ideológicos e políticos que envolveram seu processo de formulação, implantação e extinção. Utilizou-se como instrumentos a pesquisa documental e a aplicação de um questionário enviado aos alunos bolsistas do Programa, totalizando 194 avaliações respondidas entre os meses de março e abril de 2014. Na visão dos estudantes, o PBP complementou a sua formação por meio do aperfeiçoamento profissional, cultural e inserção na comunidade acadêmica. Em relação ao atendimento das necessidades básicas de permanência, evidenciou-se que isso foi possível com a complementação da bolsa por outros programas socioassistenciais da UFSC, de forma que o Programa alcançou em parte os seus objetivos. Conclui-se, mesmo assim, que embora precisam ser ampliados e aprimorados, programas desta natureza são extremamente importantes para a permanência dos estudantes com baixa condição socioeconômica nas universidades, para que as políticas de expansão do acesso caminhem em direção à universalidade e, efetivamente, contribuam para a formação integral, humanista e emancipatória.
Mostrar mais

153 Ler mais

9. PROGRAMA BOLSA PERMANÊNCIA: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS BENEFICIÁRIOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS, CAMPUS DE ARAGUAÍNA

9. PROGRAMA BOLSA PERMANÊNCIA: PERCEPÇÃO DOS ALUNOS BENEFICIÁRIOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS, CAMPUS DE ARAGUAÍNA

O objetivo desse artigo foi verificar a percepção sobre o Programa Bolsa Permanência junto aos alunos beneficiários do campus de Araguaína da UFT. O método utilizado na pesquisa foi um estudo de caso numa abordagem qualitativa, utilizando a revisão bibliográfica e a aplicação de questionários como técnica de coleta de dados. O questionário aplicado foi construído pela pesquisadora a partir dos elementos que circundam o problema de pesquisa, sendo formado por 11 questões, mesclando perguntas do tipo aberta e fechada. A pesquisa foi realizada com os alunos beneficiários pelo Programa Bolsa Permanência da UFT no campus de Araguaína, onde são incluídos 185 acadêmicos, porém, utilizou-se uma amostra de 111 alunos. A coleta de dados foi desenvolvida no período de janeiro a fevereiro de 2015. Os resultados apontam que a UFT preocupa- se com a assistência estudantil; que a maioria dos bolsistas se inscreve no programa devido à dificuldade financeira; os mesmos também consideram que o valor da bolsa não é suficiente para as despesas de formação universitária e precisam buscar outra forma de renda; o valor da bolsa é utilizado, principalmente, com alimentação e moradia; a maioria dos bolsistas retribui a bolsa através de projetos de extensão universitária ou de pesquisa e realização de atividades técnico- administrativas de acordo com o curso em que estão matriculados. Os resultados apontam, também, que na visão dos alunos a Política de Assistência Estudantil é decisiva para permanência na universidade; concordando que essa política é fundamental para democratizar as possibilidades de acesso e permanência no ensino superior; e que a origem social interfere na trajetória acadêmica e profissional.
Mostrar mais

13 Ler mais

Metodologia de avaliação em profundidade: um olhar sobre a avaliação do Programa Bolsa Permanência na Unisidade Federal do Tocantins

Metodologia de avaliação em profundidade: um olhar sobre a avaliação do Programa Bolsa Permanência na Unisidade Federal do Tocantins

Neste sentido, a última fase da avaliação do Programa Bolsa Permanência foi dividida em quatro etapas: primeiramente, o olhar regional, na retomada do histórico do Estado do Tocantins, seu contexto social, político e econômico, bem como o aspecto local, com a análise da realidade da cidade de Palmas, capital do referido estado. A segunda etapa trata da reconstituição do contexto em que se deu a criação da UFT e o cenário político e social do Tocantins nesse período. Na terceira etapa, foi realizado um Levantamento Socioeconômico dos bolsistas enquadrados no universo da pesquisa. E, por último, foram realizadas entrevistas abertas com um extrato deste grupo com o im de aprofundar-se nos aspectos em que o programa favoreceu ou não a sua permanência na instituição.
Mostrar mais

11 Ler mais

A inserção dos jovens da comunidade Vaca Morta no ensino superior e o programa Bolsa Permanência para quilombolas.

A inserção dos jovens da comunidade Vaca Morta no ensino superior e o programa Bolsa Permanência para quilombolas.

O presente trabalho tem como objetivo analisar os impactos do Programa Bolsa Permanência na formação dos jovens da comunidade remanescente de quilombo Vaca Morta do município de Diamante-PB. Realizamos uma pesquisa qualitativa, com entrevista semi-estruturada com 8 estudantes universitários da comunidade supracitada que recebem o bolsa permanência. Reflexionamos como essa política de ação afirmativa contribui para viabilizar a inclusão de jovens negros (as) na universidade. Para sustentar a análise foi necessário fazer um resgate histórico dos negros e negras, do processo de escravidão e sua abolição, bem como os negros foram tratados pela sociedade e Estado pós-escravidão, elencando questões de racismo e discriminação, da falta de ações e políticas públicas. Além disso, discutimos as lutas dos movimentos negros por seus direitos, e criação das políticas de cotas e do Programa Bolsa Permanência como reflexo dessas lutas, visto que o ponto central abordado no trabalho é o acesso do negro na universidade, e como a política de assistência estudantil e as políticas de cotas contribuíram na inserção e permanência de jovens negros(as) na universidade e garantir mesmo que de forma minimalista o direito dos mesmos de ter uma formação profissional.
Mostrar mais

68 Ler mais

Avaliação do Programa Bolsa Permanência na Unisidade Federal de Tocantins, Campus de Palmas

Avaliação do Programa Bolsa Permanência na Unisidade Federal de Tocantins, Campus de Palmas

Esta dissertação, de caráter qualitativo e quantitativo, trata da avaliação do programa Bolsa Permanência na Universidade Federal do Tocantins, no Campus de Palmas. O programa compõe a política de assistência estudantil da UFT e visa conceder ajuda financeira por meio de bolsas a alunos de baixo poder aquisitivo. A pesquisa tem como discussão central a assistência estudantil como direito à inclusão das camadas populares à educação superior. Foram discutidos também conceitos de pobreza e exclusão social. A pesquisa bibliográfica levantou títulos que discutem ainda a avaliação de políticas públicas no Brasil e o contexto político e econômico em que se deu a expansão do ensino superior nas ultimas décadas. A estratégia metodológica escolhida articulou dados quantitativos e qualitativos em prol de obter uma análise profunda da realidade observada, dentro do seu contexto. Assim, foram levantados dados econômicos, políticos e culturais sobre o estado do Tocantins e a Universidade Federal do Tocantins. Também foram realizadas pesquisa documental e entrevistas com os gestores e técnicos do Programa Bolsa Permanência, com o objetivo de reconstruir a trajetória do programa na instituição. A pesquisa de campo envolveu ainda o levantamento do perfil sócio-econômico dos bolsistas com a aplicação de questionários semi- abertos com questões relacionadas à identificação do bolsista, dados sobre sua vida acadêmica e a contribuição que o programa teve na permanência desse aluno na universidade. Do universo de 84 bolsistas que participaram do programa entre 2007 e 2008, 26 responderam aos questionários. Os dados revelaram que os bolsistas na sua maioria são jovens, solteiros, não moram com a família, são provenientes de escola pública e possuem renda familiar de até três salários mínimos. Para levantar dados sobre as implicações que o programa teve na vida do bolsista referente às condições de permanência e sócio-econômicas, foram realizadas entrevistas abertas com dez bolsistas entre os que responderam os questionários. Os resultados apontaram que o programa Bolsa Permanência tem contribuído em parte para a permanência dos alunos na instituição. Os bolsistas apontaram outras ações de assistência estudantil, como a construção e manutenção de restaurantes universitários, casa do estudante, quadras esportivas e locais de convivência no campus como necessários para o atendimento efetivo aos alunos de baixo poder aquisitivo da UFT.
Mostrar mais

197 Ler mais

Documentação necessária para inscrição no Programa de Bolsa Permanência

Documentação necessária para inscrição no Programa de Bolsa Permanência

b) Extratos bancários dos últimos 03 (três) meses, caso o/a trabalhador/a possua conta bancária;.. c) Comprovações de rendimentos provenientes de aluguéis ou arrenda[r]

7 Ler mais

Documentação necessária para o Programa de Bolsa Permanência

Documentação necessária para o Programa de Bolsa Permanência

d) Comprovações de rendimentos provenientes de aluguéis ou arrendamento de bens móveis e imóveis: contrato ou declaração de locação ou arrendamento devidamente registrado(a)[r]

5 Ler mais

Retensão e evasão no ensino superior brasileiro: uma análise dos efeitos da bolsa permanência do PNAES

Retensão e evasão no ensino superior brasileiro: uma análise dos efeitos da bolsa permanência do PNAES

Para poder ser contemplado com os benefícios o estudante deve ter renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio e não possuir diploma de graduação. Porém, as universidades têm autonomia para estipular critérios e metodologias complementares para a seleção dos beneficiários. (BRASIL, 2007b). Dentre os auxílios mais oferecidos encontram-se as bolsas de auxílio permanência. Cada universidade determina o nome dessa modalidade de auxílio, sendo os mais comuns, bolsa permanência e auxílio permanência. O valor concedido para cada estudante varia entre as instituições, assim como a quantidade de bolsas ofertadas por cada uma. Entre 2008 e 2012, o valor do benefício variou entre R$ 150,00 e R$ 400,00. Além disso, algumas universidades exigem que o aluno trabalhe em algum projeto como contrapartida, enquanto outras não possuem esse critério. Apesar de diversas semelhanças, esse benefício não deve ser confundido com o Programa Bolsa Permanência do MEC, que foi criado em 2013 e é voltado para alunos em vulnerabilidade social, indígenas e quilombolas que estão matriculados em instituições federais em cursos de graduação com carga horária mínima de cinco horas diárias. O seu valor, que desde a sua criação é de R$400,00, é pago diretamente para o beneficiário (BRASIL, 2013b).
Mostrar mais

19 Ler mais

Avaliação da política de apoio ao estudante desenvolvida pela UNIRIO: o Projeto de Bolsa Permanência.

Avaliação da política de apoio ao estudante desenvolvida pela UNIRIO: o Projeto de Bolsa Permanência.

Nenhum país pode aspirar a ser desenvolvido e independente sem um forte sistema de educação superior. Em um mundo em que o conhecimento sobrepuja os recursos materiais como fator de desenvolvimento humano, a importância da educação superior e de suas instituições é cada vez maior. Para que estas possam desempenhar sua missão educacional, institucional e social, o apoio público é decisivo (BRASIL, 2001). “A temática envolvendo inclusão social tem sido foco de discussões de diferentes nuanças no cenário educacional brasileiro” (SANTANA, 2010). Assim, programas de governo foram criados com o objetivo de propiciar condições para a ampliação do acesso e permanência na educação superior, em nível de graduação e combater as desigualdades sociais e regionais, bem como ampliar a democratização das condições de acesso e permanência dos jovens no Ensino Superior público federal por meio de ações de assistência estudantil. Merece destaque (a) o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI) (BRASIL, 2007a) instituído com o objetivo de criar condições para a ampliação do acesso e permanência na educação superior, no nível de graduação, pelo melhor aproveitamento da estrutura física e de recursos humanos existentes nas universidades federais, e (b) o Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES) instituído com a finalidade de ampliar as condições de permanência dos jovens na educação superior pública federal (BRASIL, 2007b, 2010).
Mostrar mais

30 Ler mais

Convergências e dissonâncias dos programas PNAES e Bolsa-permanência e a Lei de Cotas

Convergências e dissonâncias dos programas PNAES e Bolsa-permanência e a Lei de Cotas

Além dessas condicionalidades, o Programa Bolsa-Permanência estabeleceu critério comum a ser preenchido pelos estudantes: matrícula em curso superior, com carga didática superior a cinco horas/diárias. Esse requisito seccionou o direito à política de assistência estudantil, uma vez que raros são os cursos organizados com a citada característica, com exceção daqueles mais tradicionais da área da Saúde - Enfermagem, Medicina - e Engenharias.

10 Ler mais

BOLSA PERMANÊNCIA COMO UMA AÇÃO DE PROMOÇÃO DE DIREITOS HUMANOS

BOLSA PERMANÊNCIA COMO UMA AÇÃO DE PROMOÇÃO DE DIREITOS HUMANOS

O presente artigo tem como objetivo analisar a colaboração do programa bolsa permanência para a conclusão dos cursos de graduação dos alunos do Campus universitário Professor Dr. Sérgio Ja- cintho Leonor, que se encontram em estado de vulnerabilidade econômica, fomentando a través dessa política de assistência estudantil ações de afirmação dos direitos humanos. Essa pesquisa quanto à sua natureza é básica, e concentra-se em estudos teóricos com ênfase no pensamento de autores citados no referencial bibliográfico que discutem sobre educação de maneira geral, desigualdade social e direitos humanos, com abordagem qualitativa. Foram sujeitos da pesquisa, os alunos do Campus de Arraias que são beneficiados pelo programa bolsa permanência. O foco principal de nossa análise neste artigo foi o programa bolsa permanência como política pública de assistência aos alunos economicamente vulneráveis, ou seja, de uma educação superior eman- cipadora e viável para os contingentes feitos desiguais, e a afirmação dos direitos humanos pelo acesso ao conhecimento científico e a formação superior.
Mostrar mais

11 Ler mais

O PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA E A FEMINIZAÇÃO DOS CUIDADOS

O PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA E A FEMINIZAÇÃO DOS CUIDADOS

O presente trabalho buscou analisar o processo de responsabilização das mulheres beneficiárias do Programa Bolsa Família no que tange às condicionalidades impostas pelo mesmo, as tradições de cuidado na família e a difícil tarefa de conciliação do trabalho doméstico com o trabalho remunerado. O estudo teve como campo de pesquisa uma instituição de Niterói/RJ. A metodologia utilizada foi a História Oral, por meio de entrevistadas, nas quais foi possível buscar uma aproximação com as histórias de vida dos entrevistados e sua relação com o PBF, no sentido de verificar as repercussões nas relações de gênero. Os resultados da pesquisa apontaram alguns elementos interessantes que sugeriram a recorrente ausência do homem no âmbito doméstico e no cumprimento das condicionalidades do PBF; a percepção das mulheres centrada nos maternalismos clássicos; o entendimento do uso do benefício voltado para as necessidades das crianças e a inexpressiva alteração na divisão sexual das atividades domésticas.
Mostrar mais

7 Ler mais

Efetividade do Programa Bolsa Família na cura da tuberculose

Efetividade do Programa Bolsa Família na cura da tuberculose

Background: Tuberculosis (TB) is a poverty related disease. The Bolsa Família Program (BFP) is currently the largest conditional cash transfer (CCT) program in the world that targets low income families. By improving the material conditions and access to health services, CCTs have the potential to improve access to TB care and treatment, but no scientific evidence has been established until now. Objective: The study aims to evaluate the effectiveness of the Bolsa Família Program in the tuberculosis cure rate. Methods: An unprecedented record linkage of Brazilian socioeconomic and health datasets has been performed, comparing with a retrospective cohort study design newly diagnosed TB cases exposed and not exposed to conditional cash transfer during TB treatment in the year 2010 (n=9,015). Adjusted relative risk of tuberculosis cure rate between exposed and not exposed to the BFP was estimated through Poisson regression with robust variance. Results: The cure rate among patients exposed to BFP income transfer was 81.7%, 5.4 percentage points higher than among those not exposed during tuberculosis treatment. Multivariate regression analysis found a relative risk of 1.07 (1,04 – 1,11) of BFP income transfer in tuberculosis treatment success when adjusted for age, race, TB type, diabetes mellitus, HIV status, directly observed treatment (DOT), illiteracy, zone of residence, number of rooms, household floor material, and household per capita income. Conclusions: The results of this study showed – with an innovative record linkage design for a developing country - that conditional cash transfer program can contribute to increase TB cure rate. This study, conducted with all TB patients eligible for BFP in Brazil is relevant because treatment success is a major challenge for the country and also social protection for TB patients can be implemented in similar scenarios.
Mostrar mais

57 Ler mais

O impacto do programa bolsa família na educação

O impacto do programa bolsa família na educação

O Bolsa Família objetiva garantir a segurança alimentar por meio da distribuição de renda. É um programa de transferência direta de renda na forma de um pagamento mensal às famílias pobres e extremamente pobres e tem como critério de inclusão a averiguação da renda bruta per capta familiar. O pagamento é realizado por meio de cartão magnético bancário fornecido pela Caixa Econômica Federal, com a respectiva identificação do responsável, mediante o Número de Identificação Social – NIS. O programa está vinculado ao Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS), sendo gerido de forma compartilhada entre governo federal, estados e municípios e executado no âmbito local. Constituem-se benefícios financeiros na forma da lei o benefício básico, variável e variável vinculado ao adolescente. Os valores – que vão de R$ 22,00 a R$ 200,00 - variam de acordo com o nível de pobreza e composição de cada família. O programa foi implementado e vem sendo executado a partir de dois principais eixos: a inclusão por meio do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) e a cobrança de contrapartidas, a qual nos deteremos um pouco mais (BUENO, 2009).
Mostrar mais

53 Ler mais

Programa bolsa família: críticas e perspectivas

Programa bolsa família: críticas e perspectivas

Outro ponto crítico a ser observado é a relação entre o benefício e o trabalho. O Programa gera dependência e desestímulo para o trabalho? Há quem diga que sim, como Dom Aldo Pagotto 1 , que em entrevista concedida à Agência Estado (2006), declarou que “o Programa é assistencialista que vicia, além de não garantir a independência das famílias, o programa tem um caráter individual, que também reforça a tendência de acomodação”. Esta declaração do arcebispo Pagotto está bem próxima daqueles que, no cotidiano, demandam mão-de-obra barata e critica o PBF porque criaria acomodação nas pessoas, afastando-as do trabalho. Para esses, a pobreza está relacionada a problemas individuais e os pobres são pobres por sua própria conta, por serem preguiçosos e acomodados.
Mostrar mais

30 Ler mais

Show all 10000 documents...