Programas de apoio psicológico

Top PDF Programas de apoio psicológico:

A recuperação emocional e o apoio psicológico às vítimas

A recuperação emocional e o apoio psicológico às vítimas

a facilitação (promover a compreensão e normalização), depois encoraja a adaptação (de forma adequada e eficaz) e por fim faz a recuperação ou referenciação (restabelecimento, ou reencaminhar para acompanhamento psi- cológico posterior). Recentemente, Everly e Lating (2017) sistematizaram os diferentes modelos e suas formas de atuação na sua obra “The Johns Hopkins guide to psychological first aid”, nomeadamente o seu modelo de cinco fases RAPID-PFA, testado e validado teórica e empiricamente. Mais recentemente ainda, Bartone e colaboradores (2018) identificaram as melhores práticas de apoio de pares para sobreviventes enlutados através de entrevistas a pessoas envolvidas no apoio de pares em contexto militar, das forças de segurança e de entidades que intervêm na comunidade em situações de emergência. Dos temas referidos concluíram que os programas de peer support devem: ser facilmente acessíveis a quem deles necessita; confidenciais; proporcionar um ambiente seguro; treinar, selecionar e recorrer a pessoas com experiências semelhantes às dos sobreviventes; estabelecer parcerias com profissionais de saúde mental (ex: psicólogos, psiquiatras); e monitorizar e cuidar das pessoas /pares (peers) que fornecem este suporte para estas não terem o risco de reviver as suas experiências traumáticas. Assiste-se, então, a um recente e crescente interesse pelo tema do apoio emocional a sobreviventes, bem como a uma preocupação em avaliar ou usar programas já avaliados como úteis, resultado das constantes ocorrências de desastres naturais, acidentes multívitimas, atentados, etc.
Mostrar mais

21 Ler mais

O Enfermeiro e a Doença Oncológica: intervenção e importância do apoio psicológico emocional

O Enfermeiro e a Doença Oncológica: intervenção e importância do apoio psicológico emocional

De acordo com um código de ética, a prestação de cuidados a doentes oncológicos exige da presença do enfermeiro, zelo e cuidados especiais através de um olhar direccionado e atento para a doença. Na relação estabelecida entre paciente e profissional de saúde é primordial o saber ouvir, saber esclarecer e acompanhar decisões, favorecendo deste modo um tratamento de qualidade, conforme nos referem Trindade, Azambuja, Andrade e Garrafa (2007). Também Floriani e Scharamm (2007) frisam a importância da comunicação, da interacção e do tempo para o paciente e sua família, além da implementação de programas de educação continuada e formação nesta área, para capacitar e actualizar os profissionais para lidar com esse tipo de situação, sendo assim fundamental que os cuidados no fim da vida sejam pensados e estruturados dentro de um modelo que priorize tanto o ponto de vista moral, como operacional, o não abandono e a protecção aos pacientes possuidores de doenças avançadas e terminais. Os autores reforçam também que não é possível desenvolver bons cuidados paliativos sem que o paciente tenha conhecimento da sua verdadeira condição.
Mostrar mais

101 Ler mais

Estudo e caracterização dos utentes de um gabinete de apoio psicológico no ensino superior (2007 a 2017)

Estudo e caracterização dos utentes de um gabinete de apoio psicológico no ensino superior (2007 a 2017)

Uma diversidade de motivos vistos pelos alunos como obstáculos para a procura de auxílio, que podem partir tão só do desconhecimento relativamente à disponibilidade dos serviços de apoio, mas que podem remeter para outras questões como a ausência de perceção da necessidade de tratamento e/ou negação da gravidade do problema, ou ainda questões consideradas problemáticas como a privacidade, o estigma e o medo de discriminação, fazem com que um número significativo de estudantes não chegue a beneficiar do necessário acompanhamento (Cook, 2007; Eisenberg, Golberstein & Gollust, 2007). Assim, as instituições do Ensino Superior têm também a responsabilidade no apoio aos alunos em vertentes extracurriculares que possam contribuir para melhorar os seus índices de bem-estar físico, social e psicológico, e dessa forma apoiarem com mais efetividade o sucesso dos seus estudantes (Fernandes & Guillem, 2007). Para além da disponibilização de apoio psicológico e pedagógico, o fomento da investigação sobre a relação entre comportamentos e estado de saúde, e desempenho académico, seria importante para o desenvolvimento de programas integrados de promoção de saúde mental e desempenho académico (Amaral & Silva, 2008).
Mostrar mais

67 Ler mais

Programa de apoio psicológico no idoso®(PAPI): um estudo de estimulação cognitiva em idosos institucionalizados

Programa de apoio psicológico no idoso®(PAPI): um estudo de estimulação cognitiva em idosos institucionalizados

Fonseca e seus seguidores (2012) aplicaram dois programas de intervenção cognitiva em idosos saudáveis dos 60 aos 80 anos de idade. Foi aplicado a um grupo de 10 pessoas, com avaliação Neuropsicológica antes e pós a intervenção e era constituído por 12 sessões com a duração de uma hora e meia. Um dos programas propunha atividades de linguagem oral e escrita e o outro propunha atividades de treino cognitivo com técnicas específicas para a memória de trabalho. Desta forma podiam avaliar componentes cognitivos distintos mas relacionados: memória e linguagem. Apesar de não concluírem os seus resultados, esperam que este estudo ajude a melhorar e promover a qualidade de vida em idosos saudáveis.
Mostrar mais

62 Ler mais

Polícia e sociedade: eficácia dos programas de acompanhamento psicológico destinados a policiais militares expostos a eventos traumáticos

Polícia e sociedade: eficácia dos programas de acompanhamento psicológico destinados a policiais militares expostos a eventos traumáticos

Atualmente o CAPS conta com um efetivo de 54 psicólogos e 10 assistentes sociais, os quais além de prestarem inúmeros serviços no próprio Centro, fazem a coordenação técnica dos NAPS em todo o Estado. O centro é comandado pelo Tenente-Coronel PM Paulo Augusto Leite Motooka, o qual ao, referir-se sobre sua organização militar, afirma que “ O CAPS é o espaço no qual o Policial Militar encontra ferramentas para se conhecer melhor como pessoa e policia”. “São papéis”. Você é PM o tempo todo. Mas em que momento é uma pessoa? Aqui ele olha para si como pessoa e isso ajuda a não confundir os papéis. Nosso programa é preventivo. E esse psicólogo que o atende é o cuidador do PM. Dentro do CAPS existe uma Seção de Apoio Psicológico – SAP, a qual é tem como responsabilidade a coordenação de programas destinados à manutenção da saúde mental do Policial Militar como o PPAD (Programa de Prevenção ao Uso de Álcool e Outras Drogas), PPMS (Programa de Prevenção em Manifestações Suicidas), PQRF (Programa de Qualidade nas Relações Familiares), PROSEN (Programa de Sensibilização para o Encerramento da Carreira Policial Militar) e PAPRF (Programa de Aconselhamento para Policiais Militares Recém-Formados, dirigido para Soldados de Segunda Classe e Aspirantes a Oficial).
Mostrar mais

78 Ler mais

Saindo do vermelho: uma análise sobre os Programas de Apoio Socioeconômico das Forças Armadas

Saindo do vermelho: uma análise sobre os Programas de Apoio Socioeconômico das Forças Armadas

Visto a infinitude de situações que podem surgir decorrentes da pobreza, a Marinha do Brasil delimitou seu campo de atuação no Programa de Apoio Socioeconômico e propôs um conjunto interligado de ações a serem desenvolvidas com os usuários que buscam este tipo de proteção social: acolher o usuário identificando suas demandas (implícitas e explicitas), analisar a origem de suas dificuldades financeiras, propor um plano de intervenção para seu enfrentamento capacitando-o para realizar um planejamento financeiro e por fim apoiar o usuário em suas necessidades, por meio de benefícios sociais.
Mostrar mais

122 Ler mais

Programas de apoio a internacionalização de pequenas e médias empresas de Santa Catarina

Programas de apoio a internacionalização de pequenas e médias empresas de Santa Catarina

O objetivo deste Trabalho de Conclusão de Curso é verificar se os programas de apoio oferecidos pelas entidades FIESC, APEX Brasil e SEBRAE/SC atendem as demandas de internacionalização de PMEs do Estado de Santa Catarina. Para alcançar este propósito foram traçados objetivos específicos que contribuem para responder a eles e, sobre os quais, se apresentaram as características das PMEs, o conceito de internacionalização de empresas e as razões que levam as empresas a se internacionalizarem, as teorias da internacionalização que demonstram o processo e as etapas, as formas de entradas para atuar no comércio exterior, o planejamento da internacionalização para estruturar a empresa para atuar como exportadora, e a estrutura de apoio de comércio exterior, onde a PME deve buscar as informações para o comércio internacional.
Mostrar mais

63 Ler mais

Retrospectivas apreciativas de mulheres sobreviventes de violência na intimidade : o processo de apoio psicológico e as competências pessoais

Retrospectivas apreciativas de mulheres sobreviventes de violência na intimidade : o processo de apoio psicológico e as competências pessoais

Relativamente ao que as participantes descobriram em si ao longo do processo de apoio e que as surpreendeu pela positiva, salientaram-se a capacidade e rapidez para ultrapassar a depressão (“o que mais me surpreendeu é que foi rápido […] Consegui ultrapassar a depressão […] Rapidamente, foi o que mais me surpreendeu em mim”); a força (“Descobri, redescobri a minha pessoa que estava completamente enterrada, estava a desaparecer, eu era como se não existisse, e a Dr.ª fez com que eu me lembrasse daquilo que eu fui e sou, posso não estar mas sou […] Sou forte, sou uma mulher forte”); a auto-confiança (“Basicamente é a confiança em mim, porque eu era e ainda sou, não posso dizer que não sou insegura”); a capacidade de expressão sentimental (“houve, houve, porque eu não era tão expressiva nos meus sentimentos e isso actualmente é”); a motivação (“Tinha muita força de vontade, já tinha muita força de vontade”); coragem (“Perder os medos que eu tinha por exemplo, fazer coisas que eu não fazia porque tinha medo, não fazia porque não ia aqui, porque não podia ir, tinha medo de tudo e agora já não sinto isso”); por fim, a redescoberta das capacidades (“Sim, sim. Cheguei a ponto de pensar que não tinha as capacidades que tenho […] Também descobri. Não, eu acho que é assim, eu acho que em tempos eu tive essas capacidades, eu perdi essas capacidades […] Elas já existiam… Elas estavam mais escondidas”).
Mostrar mais

68 Ler mais

Perceções de responsabilidade social, contrato psicológico e de apoio organizacional : um estudo correlacional com uma amostra de uma IPSS

Perceções de responsabilidade social, contrato psicológico e de apoio organizacional : um estudo correlacional com uma amostra de uma IPSS

Partindo do pressuposto que a perceção de Responsabilidade Social influencia positivamente o envolvimento e a identificação com a organização em que os indivíduos se encontram inseridos, não será menos verdade afirmar que a organização influencia a perceção de Contrato Psicológico e de Apoio Organizacional, uma vez que é a partir da perceção da realidade que os indivíduos moldam as suas expetativas, atitudes e comportamentos. Poucos estudos empíricos incidiram sobre a relação entre a perceção das práticas de Responsabilidade Social e as perceções de Contrato Psicológico e Apoio Organizacional. A presente investigação tem, precisamente, como objetivo estudar a relação entre estas variáveis com uma amostra de 72 colaboradores de uma IPSS, tendo- se utilizado como instrumentos de medida o Questionário sobre perceção de
Mostrar mais

41 Ler mais

Distress psicológico, riscos psicossociais e qualidade de vida em técnicos de apoio á vítima de violência doméstica

Distress psicológico, riscos psicossociais e qualidade de vida em técnicos de apoio á vítima de violência doméstica

Alguns dos riscos psicossociais que poderão ocorrer são a nível fisiológico, podendo existir reações cardiovasculares, algum incómodo a nível músculo-esquelético ou digestivo, insónias e fatiga, relacionada com o stress e ansiedade podem ocorrer dificuldades respiratórias e dores de cabeça e dores musculares. A nível psicológico, podemos nos deparar com depressão, nervosismo, ansiedade e irritabilidade, oscilações emocionais, perdas de memória, esgotamento, e eventualmente angústia, insónias e extremo cansaço. Ao nível comportamental, pode-se verificar isolamento, ou agressividade, necessidade de consumo de substâncias psicoativas, faltas ao trabalho, erros e falhas na execução de tarefas. Em último caso, e quando a situação for tão exacerbada que sai do controlo, poderá ocorrer tentativas, ou então ocorrer mesmo suicídio (UGT, Fernandes & Pereira, 2016).
Mostrar mais

42 Ler mais

GPUHELP: um ambiente de apoio à execução de programas paralelos em arquiteturas de GPU

GPUHELP: um ambiente de apoio à execução de programas paralelos em arquiteturas de GPU

LISTAVROU; MARGARITIS, 2011). Estes explicam que não fizeram uso de tal ferramenta, por não a terem a sua disposição. Já na nona pergunta, os alunos são questionados se utilizariam ambientes de apoio nas disciplinas de programação paralela e de GPUs. Para esta pergunta, as respostas foram satisfatórias e favoráveis para o desenvolvimento deste trabalho. Todos os alu- nos utilizariam um ambiente de apoio ao ensino de programação paralela e, principalmente, de programação paralela em GPUs. Segundo eles, as situações de uso seriam principalmente ao longo da disciplina, como ferramenta de apoio, onde o professor poderia demonstrar em tempo real alguns códigos, executando e demonstrando erros e acertos em cada situação, ao invés de exemplos estáticos em apresentações de slides, que causam dúvidas sobre o funcionamento e compreensão do código. Outra resposta obtida em cenários de utilização, foi como ferramenta para desenvolverem seus códigos em casa ou em outros lugares, por terem um ambiente que pode ser levado a qualquer lugar, e por permitir ser instalado em seus notebooks. Por fim, os alunos utilizariam o ambiente mesmo após o término da disciplina, o que foi um fator sur- preendente na entrevista. Segundo eles, utilizariam o ambiente até o momento que tivessem necessidade ou tivessem a sua disposição sua própria máquina com placa gráfica compatível com as arquiteturas de programação paralela em GPUs.
Mostrar mais

112 Ler mais

Caderno de Apoio ao Estudo: Programas de intervenção para um Envelhecimento Ativo e Saudável

Caderno de Apoio ao Estudo: Programas de intervenção para um Envelhecimento Ativo e Saudável

a habitação e os serviços de apoio que permitem aos idosos um envelhecimento confortável e em segurança na comunidade a que pertencem são aspetos universalmente valorizados. Em termos gerais, é importante para os idosos viverem em casas construídas com materiais adequados e com: estruturas sólidas; superfícies planas; elevador, caso se trate de um edifício com vários andares; casa de banho e cozinha adequadas; espaço suficiente para permitir a movimentação; suficiente espaço de armazenamento; passagens e portas suficientemente largas para permitir a circulação de uma cadeira de rodas; e equipada de modo a oferecer proteção contra as condições climatéricas.
Mostrar mais

27 Ler mais

SISTEMA DE CONHECIMENTO PARA APOIO E GESTÃO DE RECURSOS DE PROGRAMAS DE GOVERNO EM MUNICÍPIOS

SISTEMA DE CONHECIMENTO PARA APOIO E GESTÃO DE RECURSOS DE PROGRAMAS DE GOVERNO EM MUNICÍPIOS

Os investimentos previstos em programas do Governo Federal são fontes importantes de recursos para o município realizar novas obras e melhorias, porém para que o benefício ao cidadão se materialize são necessárias várias etapas desde a formulação e envio da proposta, passando pela seleção, análise, homologação, autorização, execução, medição, até o pagamento e a prestação de contas. Há dificuldades durante todo o processo, como o desconhecimento do programa, a falta de capacitação e a alternância de gestores e técnicos durante a execução. Esta dissertação busca, através da abordagem da Teoria Geral de Sistemas, propor uma plataforma de governo eletrônico que apoie o município na obtenção e aplicação dos recursos provenientes de um programa do Governo Federal. A discussão apresenta uma visão sistêmica da plataforma, buscando o entendimento das relações que permeiam o ambiente e suas contribuições para a construção da democracia. Após a análise sistêmica, um protótipo da plataforma foi construído e verificado para demonstrar a aplicação. Os resultados obtidos indicaram que a proposta pode permitir a manutenção e disseminação do conhecimento necessário para o município.
Mostrar mais

127 Ler mais

Appon: Projeto de interface gráfica para uma plataforma digital de apoio psicológico a pacientes oncológicos

Appon: Projeto de interface gráfica para uma plataforma digital de apoio psicológico a pacientes oncológicos

O aplicativo Tummi tem foco em pacientes oncológicos, onde o usuário pode acompanhar todo o seu processo no tratamento. Na primeira tela possui um botão para realizar o registro diário de sintomas físicos e psicológicos, informar seu peso e se realizou algum procedimento médico. O usuário pode também complementar fazendo registros de medicações, compromissos como consultas e exames, e marcar lembretes. O aplicativo não possui ferramentas de apoio emocional, apenas auxilia no registro e no acompanhamento de efeitos colaterais psicológicos, ainda que não abrangendo de forma muito extensa. Conforme ocorre o uso e os registros, são gerados relatórios com os dados fornecidos.
Mostrar mais

113 Ler mais

A importância do sentido psicológico de comunidade e do apoio social percebido na comunidade ecuménica de Taizé

A importância do sentido psicológico de comunidade e do apoio social percebido na comunidade ecuménica de Taizé

Atualmente, o interesse relativamente à influência que a espiritualidade e a religião assumem no indivíduo e respetiva comunidade tem aumentado substancialmente. Kloos e Moore (2000) fizeram uma revisão de estudos demonstrativos do valor potencial do trabalho de psicólogos comunitários em ambientes religiosos, organizando-os por áreas relacionadas com a Prevenção; Promoção do Bem-estar; Empowerment; Suporte Social; Promoção de Mudança e Justiça Social; Sentido Psicológico de Comunidade, e na investigação de fenóme- nos religiosos e/ou espirituais em diferentes níveis de análise e trabalho, em contextos reli- giosos já existentes. Contudo, a maioria dos estudos realizados com vista a entender a influência que a religião, espiritualidade e contextos religiosos exercem nos indivíduos, con- sideram apenas a visão mais tradicional, isto é, a perspetiva mais “interna”/intrapsíquica deste tipo de construtos, sendo por isso crucial a sua interligação com a Psicologia Comunitária e os seus métodos de investigação para assim considerarmos também os fatores “externos” ao indivíduo (Kress & Elias, 2000). Stuber (2000) realizou um estudo de metodologia qualitati- va, onde através das histórias de vida e das narrativas de comunidade, permitiu defender que o sentido psicológico de comunidade é elevado numa comunidade religiosa católica.
Mostrar mais

93 Ler mais

Desenvolvimento de um instrumento de apoio ao desenho e avaliação de programas de promoção de alimentação saudável

Desenvolvimento de um instrumento de apoio ao desenho e avaliação de programas de promoção de alimentação saudável

A lista de verificação “Reporting of group-based behaviour-change (GB-BCIs)” (Borek et al., 2015) é um instrumento que foi essencialmente desenvolvido para identificar boas práticas e para avaliar bons elementos na realização do desenvolvimento, implementação e avaliação dos programas (OMS, 2011). A GB-BCIs deve ser aplicada às intervenções em grupo com base na mudança do comportamento, com o intuito de melhorar a qualidade da informação e verificar a abrangência dos relatórios de intervenção e, assim, facilitar a replicação exata das intervenções (Borek et al., 2015). Esta lista de verificação pode apresentar algumas considerações demasiado específicas. Por isso, pela sua especificidade poderá revelar algumas limitações. A GB-BCIs oferece um conjunto mínimo de elementos essenciais para a replicação de qualquer intervenção em grupo. Funciona somente para verificação de reporte (relatórios) de intervenções e não de desenvolvimento das mesmas. Apesar de todas as descrições que esta ferramenta apresenta, deve ser também utilizada juntamente com outras diretrizes relevantes de reporte, como por exemplo a TIDier. Outra lacuna que este instrumenta apresenta é que a GB-BCIs ainda não reuniu um consenso por parte dos especialistas (por exemplo pelo método de Delphi) (Borek et al., 2015), o que compromete a validade deste instrumento.
Mostrar mais

45 Ler mais

Impactos da implementação de programas de apoio à prescrição de antimicrobianos: uma revisão sistemática de literatura

Impactos da implementação de programas de apoio à prescrição de antimicrobianos: uma revisão sistemática de literatura

Efetivamente, este problema não é apenas encarado sob ponto de vista clínico, sendo também de elevado interesse para os decisores económicos, dado o registo internacional d[r]

51 Ler mais

O financiamento da inovação tecnológica por meio de programas governamentais de apoio às empresas brasileiras

O financiamento da inovação tecnológica por meio de programas governamentais de apoio às empresas brasileiras

De acordo com Pereira (2005), a instituição dos fundos setoriais, desde 1998, deu início à implantação de novo instrumento de política científica e tecnológica no país. A partir da instituição desses fundos, diversos programas governamentais foram sendo criados para alavancar o desenvolvimento do país, por meio do apoio a projetos de inovação e tecnologia. Podem ser apoiados projetos que estimulem toda a cadeia de conhecimento, desde a ciência básica até as áreas mais diretamente vinculadas. Os recursos são disponibilizados por órgãos dos governos Federal e Estaduais, gerenciados por agências de fomento. Essas agências tratam de todo o processo de disponibilização de recursos, desde a abertura de inscrições até o repasse e acompanhamento da sua utilização.
Mostrar mais

34 Ler mais

Impacto psicológico do diagnóstico do câncer de mama: um estudo a partir dos relatos de pacientes em um grupo de apoio.

Impacto psicológico do diagnóstico do câncer de mama: um estudo a partir dos relatos de pacientes em um grupo de apoio.

Outra ressalva que se aplica à generalização dos resultados oriundos de pesquisas sobre o impacto psicológico do diagnóstico do câncer de mama desenvolvidas em outros países se refere ao fato de algumas delas defenderem a existência de um conjunto de respostas emocionais que se organizam em fases, o que enseja um reducionismo da complexidade inerente ao assunto e se revela pouco proveitoso na prática clínica. De qualquer forma, revisões sistemáticas desenvolvidas por Owen, Klapow, Hicken e Tucker (2001) e Edwards, Hailey e Maxwell (2008) comprovam que a assistência psicológica, em diferentes culturas, pode auxiliar mulheres acometidas por câncer de mama a adotar estratégias de enfrentamento adaptativas face ao diagnóstico, o que viabiliza uma melhor adesão ao tratamento. Ademais, é igualmente capaz de potencializar a tolerância aos efeitos colaterais da cirurgia, da radioterapia e da quimioterapia, minimizando o incômodo desencadeado por eventuais dores, edemas, náuseas e infecções e diminuindo tanto a frequência quanto a intensidade de intercorrências.
Mostrar mais

8 Ler mais

Apoio social, estilos parentais e desajustamento psicológico dos filhos em contexto de vulnerabilidade económica e social

Apoio social, estilos parentais e desajustamento psicológico dos filhos em contexto de vulnerabilidade económica e social

26 Jones, 2001). Por outro lado, verificou-se um efeito principal negativo do apoio instrumental reportado pelas mães CVES, para o desajustamento percecionado nos filhos. A literatura mostra que quando as famílias apresentam um elevado nível socioeconómico têm maior acesso ao apoio instrumental do que famílias com baixo nível socioeconómico (e.g., Turney & Harknett, 2010). Ainda, vários estudos indicam que as preocupações relativas à situação financeira da família levam a um maior sofrimento psicológico e consequentemente a problemas na parentalidade e na relação conjugal, potenciando problemas comportamentais e emocionais nos filhos (Falconier & Epstein, 2010). Contudo, o apoio social identifica-se como um fator de proteção para famílias de baixo nível socioeconómico, principalmente para mães solteiras, já que estas estão mais dependentes das suas redes sociais, como a família, os vizinhos e os amigos, a nível financeiro e nas tarefas de criação e educação dos filhos (Forehand & Kotchick, 1996). Esta poderá ser uma possível justificação visto que mais de metade da amostra CVES tem uma configuração monoparental. McConnell e colaboradores (2011) referem ainda que a saúde e o bem-estar tanto dos pais como dos filhos estão intrinsecamente ligados ao apoio social percebido reportado pelos pais, sendo que quanto maior for o apoio social menor serão as dificuldades das crianças.
Mostrar mais

54 Ler mais

Show all 9315 documents...