Qualidade de vida/psicologia

Top PDF Qualidade de vida/psicologia:

Indicadores Psicológicos e de Qualidade de Vida de Pacientes em Contexto Hospitalar Um contributo para o trabalho de equipa na psicologia da saúde

Indicadores Psicológicos e de Qualidade de Vida de Pacientes em Contexto Hospitalar Um contributo para o trabalho de equipa na psicologia da saúde

A presente investigação intitulada, Indicadores Psicológicos e de Qualidade de Vida de Pacientes no Contexto Hospitalar: Um Contributo Para o Trabalho de Equipa na Psicologia da Saúde tem como principais objetivos, efetuar uma reflexão acerca: da evolução dos conceitos de Saúde e Doença, dos contributos da Psicologia da Saúde, especificando o trabalho do Psicólogo em Contexto Hospitalar e do Processo de reabilitação da pessoa com incapacidade física adquirida. Outra das finalidades da presente investigação é proceder a uma revisão bibliográfica acerca dos conceitos de Qualidade de Vida (QV), Sintomatologia Depressiva e Adesão aos Tratamentos, bem como: 1) analisar os níveis de qualidade de vida de 172 utentes de um Serviço de Medicina Física e Reabilitação; 2) explorar a presença de sintomatologia depressiva na amostra; 3) analisar a adesão destes mesmos utentes à medicação prescrita para a sua doença; 4) avaliar o impacto do grau de sintomatologia depressiva na QV dos sujeitos; 5) Perceber quais os principais motivos que levam o Médico Fisiatra a encaminhar utentes para as consultas de psicologia.
Mostrar mais

240 Ler mais

Qualidade de vida e bem-estar espiritual em universitários de Psicologia.

Qualidade de vida e bem-estar espiritual em universitários de Psicologia.

RESUMO. Essa pesquisa teve o objetivo de avaliar a qualidade de vida e bem-estar espiritual em universitários de Psicologia e investigar se existe correlação entre esses aspectos. O estudo teve delineamento transversal. A amostra foi aleatória de 136 universitários de Psicologia da PUCRS. Os instrumentos utilizados foram: questionário de qualidade de vida WHOQOL-bref e escala de Bem-Estar Espiritual (SWBS). Foi realizada análise estatística descritiva inferencial. Verificou-se que existe correlação positiva entre os domínios físico, psicológico, social e ambiental com o bem-estar existencial nesses universitários. Destacou-se que o domínio psicológico e bem-estar existencial obtiveram a correlação mais alta (r= 0,63 p=0,00). Salienta-se a importância da inserção do tema da espiritualidade como discussão no campo científico.
Mostrar mais

7 Ler mais

Programa de Saúde da Família e qualidade de vida: um olhar da Psicologia.

Programa de Saúde da Família e qualidade de vida: um olhar da Psicologia.

A exemplo do que ocorre no referido município, a presença da psicologia no PSF se mostra como uma proposta que tem muito a contribuir. A abordagem dos grupos, a realização de reuniões com os diversos setores da comunidade e o contato com os pacientes durante os atendimentos psicológicos se desenvolveram através de estratégias participativas e de posturas atentas de investigação que pudessem constatar demandas reais. Além disso, com o suporte da psicologia as intervenções foram sendo adequadas no sentido de trabalharem no fortalecimento de habilidades individuais e coletivas de enfrentamento dos problemas e no desenvolvimento de potencialidades. Nos grupos programáticos, o caráter educativo e de sensibilização esteve centrado no objetivo de aprimorar as capacidades de convivência positiva e saudável do sujeito com sua doença, a partir da conscientização dos sujeitos, do incentivo à autonomia e da necessidade de comprometimento de cada um no processo de promoção da saúde pessoal. Acredita-se que à medida que se alcança a implicação de cada sujeito no seu movimento de mudança de hábitos, promovem-se condições de vida saudáveis mais efetivas e duradouras. As intervenções consideraram também as práticas educativas significativas como meios que possibilitariam a transformação da realidade em favor da melhoria das condições de saúde e da qualidade de vida. O trabalho da psicologia baseou-se em uma postura mediadora e facilitadora na promoção dos meios que permitiriam à população desenvolver seu potencial em benefício de seu bem-estar.
Mostrar mais

9 Ler mais

QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA COM A COMUNICAÇÃO: UMA ÁREA DE SIMBIOSE ENTRE A PSICOLOGIA DA SAÚDE E A TERAPIA DA FALA

QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA COM A COMUNICAÇÃO: UMA ÁREA DE SIMBIOSE ENTRE A PSICOLOGIA DA SAÚDE E A TERAPIA DA FALA

o objectivo do presente trabalho é abordar a possível acção conjunta dos psicólogos (da saúde) e dos terapeutas da fala, designadamente no âmbito da Qualidade de vida re- lacionada com a Comunicação (QdvrC). para o efeito, são explorados diversos conceitos e apresentados alguns dados da investigação. Conclui-se sublinhando a necessidade de desenvolver instrumentos que permitam avaliar (e, consequentemente, promover) a Qd- vrC. espera-se, deste modo, contribuir para a tomada de consciência relativa às (inúmeras) possibilidades de trabalho interdisciplinar envolvendo psicólogos e terapeutas da fala.
Mostrar mais

10 Ler mais

Estresse e coping e sua relação com a qualidade de vida do trabalhador MESTRADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA

Estresse e coping e sua relação com a qualidade de vida do trabalhador MESTRADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA

A hipótese que se confirma é que, na ausência do uso de recursos cognitivos e comportamentais mais adaptativos e estando o indivíduo sujeito ao estresse, a qualidade de vida sofre impacto negativo, que pode se manifestar no corpo ou no psiquismo. E a “doença” resultante deste processo, quer seja somática ou mental, é uma das estratégias de coping utilizada pelo organismo, para garantir a sobrevivência em um ambiente estressante. Ou seja, o adoecimento protege a vida, facilitando a “sobrevivência”. Se bem “enfrentado”, poderá propiciar a consciência, a ciência de si, a fim de levar o “saudável” adoecido de “volta para casa”, com a visão de si e do mundo ampliada, além de melhor preparado para fazer escolhas mais saudáveis e ser mais feliz.
Mostrar mais

89 Ler mais

QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA COM A COMUNICAÇÃO: UMA ÁREA DE SIMBIOSE ENTRE A PSICOLOGIA DA SAÚDE E A TERAPIA DA FALA

QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA COM A COMUNICAÇÃO: UMA ÁREA DE SIMBIOSE ENTRE A PSICOLOGIA DA SAÚDE E A TERAPIA DA FALA

Seja como for, Santos, Filgueiras, Chaoubah, Bastos e Paula (2008, p. 93) desenvolveram aquele que “parece ser o primeiro estudo desenhado para avaliação da eficácia da inter- disciplinaridade, que tem como foco a qualidade de vida” de indivíduos com doença re- nal crônica na fase pré-dialítica. Deste modo, enquanto um grupo era seguido por uma equipa interdisciplinar, que incluía médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos e as- sistentes sociais, o outro recebia acompanhamento médico convencional, sendo unica- mente seguido pela equipa médica. Os resultados obtidos demonstraram uma melhoria em vários parâmetros relativos à qualidade de vida, no grupo que recebeu acompanha- mento interdisciplinar, sendo que, após um ano de acompanhamento, os indivíduos que haviam recebido esse tipo de intervenção tiveram uma melhoria significativa em cinco das oito dimensões do SF-36, por comparação com o outro grupo (atendimento médi- co convencional). O grupo acompanhado pela equipa interdisciplinar também mostrou uma melhoria significativa em parâmetros laboratoriais e clínicos.
Mostrar mais

10 Ler mais

SENSO DE COERÊNCIA E LÓCUS DE CONTROLE E SUA RELAÇÃO COM A QUALIDADE DE VIDA DE TRABALHADORES QUALIFICADOS DOUTORADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA

SENSO DE COERÊNCIA E LÓCUS DE CONTROLE E SUA RELAÇÃO COM A QUALIDADE DE VIDA DE TRABALHADORES QUALIFICADOS DOUTORADO EM PSICOLOGIA CLÍNICA

O presente estudo teve como objetivo analisar as relações entre senso de coerência (SOC), lócus de controle (LOC) e qualidade de vida (QV) de trabalhadores qualificados. Utilizou-se o método de pesquisa exploratória, de natureza quantitativa e qualitativa. Para a pesquisa, selecionou-se amostra por conveniência, composta por 80 indivíduos de ambos os sexos, com e sem cargos de liderança. Além da aplicação de questionários validados, foram realizadas entrevistas em profundidade para a análise de casos individuais. Os dados obtidos por meio dos questionários foram analisados por meio de técnica estatística multivariada e as entrevistas foram analisadas com base no método do caso. Os resultados da análise quantitativa evidenciaram correlações significativas entre os componentes do SOC (compreensão, manejo e significado) e do LOC (internalidade e externalidade), sendo positivas com a internalidade e negativas com a externalidade (acaso e pessoas poderosas). Os componentes do SOC apresentaram correlações positivas com os componentes mentais da QV (vitalidade, aspectos sociais, aspectos emocionais e saúde mental), porém não apresentaram correlações significativas com os componentes físicos da QV (capacidade funcional, aspectos físicos e dor), exceto com estado geral de saúde. Os componentes do LOC não apresentaram correlações significativas com a QV, exceto no caso de aspectos emocionais, que apresentou correlação negativa com o componente acaso. Com relação ao cargo, os resultados indicaram que os líderes apresentaram médias superiores aos não líderes em relação às variáveis SOC, significado e aspectos físicos. Quanto ao sexo, os resultados indicaram que as mulheres apresentaram médias superiores aos homens em relação às variáveis SOC, significado e aspectos físicos. A classificação da amostra
Mostrar mais

149 Ler mais

A importância da qualidade de vida para a psicologia da saúde

A importância da qualidade de vida para a psicologia da saúde

A QDV que foca as boas condições de vida é muitas vezes designada por ecologistas ou sociólogos como “qualidade de vida” ou por “bem-estar”, enquanto os economistas tendem a referir-se-lhe como “nível de vida” ou “status”, e não se refere especificamente a condições materiais. A segunda QDV, apresentada no quadrante superior direito, refere-se ao quanto bem os indivíduos estão equipados para enfrentar a vida diária. Os profissionais de saúde, incluindo psicólogos, designam esta por “QDV”, “bem-estar” ou “saúde”, os biólogos designam por “potencial adaptativo”, os psicólogos por “eficácia” ou “potencial”. A QDV definida pelo quadrante inferior esquerdo refere-se a uma QDV que deve referir-se a uma boa vida que é qualquer coisa mais do que ela própria: a boa vida deve sê-lo para algo e não vale só por si. Pode ser entendida por “sentido da vida”. O último quadrante refere-se à QDV do ponto de vista do próprio e é comummente designada por “bem estar subjectivo”, “felicidade” ou “satisfação com a vida”. Esta taxonomia é susceptível de integrar todos os conceitos que são geralmente utilizados para designar a “boa vida” ou a QDV.
Mostrar mais

14 Ler mais

Qualidade de vida e localização da lesão em pacientes dermatológicos.

Qualidade de vida e localização da lesão em pacientes dermatológicos.

Este trabalho foi apreciado e aprovado pela Comissão Científica da Faculdade de Psicologia da PUCRS (FAPPSI) e pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), ofício n.º 1134/05 CEP, e aprovado sem restrições pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (CEP/ISCMPA), parecer n.º 850/05. A partici- pação dos pacientes foi voluntária e mediante assina- tura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Foram consultados os chefes dos servi- ços a fim de se obter autorização para realização do trabalho e fazer combinações pertinentes (como horários de funcionamento do serviço, forma de esclarecimento sobre o projeto para os residentes e preceptores e definição de sala a ser utilizada para entrevistar o paciente).
Mostrar mais

8 Ler mais

A Invenção do Sujeito

A Invenção do Sujeito

O caminho da modernidade mostrou que o sujeito contemporâneo é herdeiro de uma visão de mundo que produziu um modus vivendi que ainda exerce muita influência sobre a forma de ver e agir do indivíduo no mundo, principalmente naquilo que toca às pesquisas em Psicologia da Saúde e políti- cas de qualidade de vida. Revisitar esses autores da modernidade ajudou a perceber que, pelo fato da elei- ção do sujeito como critério de validação da realidade e com a objetivação da própria pessoa, um novo tipo de relação humana nasceu e, como efeito disso, uma nova imagem de mundo. A eleição do modelo subje- tivo influenciado pela correspondência direta entra estrutura lógica e estrutura ontológica acabou dando visibilidade a uma realidade que afeta profundamente as pesquisas na contemporaneidade, pois o sujeito da ciência, muitas vezes, não considera o pesquisador concreto, nas suas particularidades e singularidades. O sujeito lógico da ciência parece pressupor a existên- cia de um corpo próprio, encarnado, real, posicionado que interage com o mundo e busca, na unidade da pessoa, construir a sua história como projeto aberto que necessita e produz cuidado. Quando as práticas protocolares de pesquisa em Psicologia da Saúde forem suficientemente porosas para permitirem o atravessar do sujeito encarnado, a humanidade estará adentrando o limiar de uma ciência que se estrutura fundamentalmente como afirmação da vida.
Mostrar mais

12 Ler mais

A promoção de qualidade de vida para os trabalhadores: discurso, poder e discipl...

A promoção de qualidade de vida para os trabalhadores: discurso, poder e discipl...

24 oriunda da antropologia e utilizada anteriormente em pesquisas de Psicologia do Trabalho e das Organizações (ver especialmente Sato, 1997), consiste em uma imersão no campo para uma descrição densa (Geertz, 1989), visando “documentar o não documentado”. Isso implica, no nosso caso, observação e anotação do que acontece quando estamos presentes no ambiente de trabalho, descrição das relações entre as pessoas e do ambiente onde se trabalha, descrição dos trabalhos e sua organização. As conversas e entrevistas junto aos trabalhadores são anotadas e, sempre que possível, gravadas e transcritas. Esse tipo de incursão permite um contato de maneira mais “natural e espontânea”, uma vez que não só o pesquisador observa e o pesquisado é observado, mas ambos têm papel ativo na construção do conhecimento. Faz parte também do estudo etnográfico a análise documental dos materiais de divulgação de informações distribuídos no campo de pesquisa.
Mostrar mais

193 Ler mais

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA PARA O PLANEJAMENTO E QUALIDADE DE VIDA URBANA EM TEÓFILO OTONI (MG)

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA PARA O PLANEJAMENTO E QUALIDADE DE VIDA URBANA EM TEÓFILO OTONI (MG)

O índice de qualidade de vida conseguiu representar a fragmentação que existe no território da cidade, demonstrando que a região central (centro e pericentral) possui os melhores índices e é cercada pela periferia com baixos índices. Ao mesmo tempo, as rodovias que passam pela cidade parecem funcionar como eixos de qualdide de vida; isto é, funcionam como divisores de territórios, de um lado da pista índices muito baixo de qualidade de vida e do outro bons índices. Dessa forma, pode-se dizer que foi possível compreender o estado da saude da população de Teófilo Otoni em sua área de abrangência, seu acesso e utilização dos setores de serviços e de saúde, tendo como resultado um diagnóstico que possa subsidiar decisões para a construção de ambientes saudáveis no município. Nesta perspectiva, foi possível mapear as desigualdades socioespaciais, e identificar as condições de qualidade de vida, utilizando a técnica do geoprocessamento e índices sintéticos.
Mostrar mais

13 Ler mais

Avaliação de qualidade de vida dos pacientes submetidos à cirurgia de amputação abdominoperineal do reto com colostomia abdominal ou colostomia perineal

Avaliação de qualidade de vida dos pacientes submetidos à cirurgia de amputação abdominoperineal do reto com colostomia abdominal ou colostomia perineal

Maruyama et al. (2009) foram contundentes quando afirmaram que os valores que a sociedade atribui ao corpo perfeito, ao culto da saúde, da beleza e higiene trazem repercussões, muitas vezes, de sofrimento, em decorrência das limitações que a colostomia causa na vida dessas pessoas, influenciando de maneira direta os relacionamentos familiares e sociais, pelos sentimentos que despertam. Esse temor da rejeição pelo meio social faz com que, frequentemente, a pessoa com colostomia busque diferentes estratégias para controlar, reprimir e ocultar, obsessivamente, o ato evacuatório, impondo auto proibições como, por exemplo, quando sai de casa, priva-se de alimentar-se e muda o estilo de vestuário com o intuito de ocultar o estoma.
Mostrar mais

88 Ler mais

Administração de Imunoglobulinas subcutâneas na Agamaglobulinemia ligada ao X

Administração de Imunoglobulinas subcutâneas na Agamaglobulinemia ligada ao X

6 As imunoglobulinas subcutâneas (IgSC) são facilmente administradas em ambiente domiciliário, após treino adequado, podendo ser, assim, realizadas no horário mais conveniente à dinâmica pessoal e familiar. Durante as infusões as crianças podem realizar actividades tais como ver televisão, estudar ou jantar com a família, o que lhes confere uma maior flexibilidade e independência contribuindo para a melhoria na qualidade de vida 7-9 .

16 Ler mais

Determinantes sociais da saúde e qualidade de vida de cuidadores de crianças com câncer.

Determinantes sociais da saúde e qualidade de vida de cuidadores de crianças com câncer.

Nas associações entre os domínios da qualidade de vida e os determinantes sociais da saúde, pode-se per- ceber que houve associação estatisticamente significan- te entre o domínio das relações sociais e a escolaridade (p=0,01792). Houve significância estatística também entre o domínio psicossocial e o sexo do cuidador (p=0,01901). Assim, percebe-se que o cuidador masculino (o pai) tem melhor qualidade de vida no que se refere ao domínio psicossocial. Em relação aos outros determinantes e do- mínios, não foi observada nenhuma associação estatistica- mente significante.
Mostrar mais

6 Ler mais

Einstein (São Paulo)  vol.15 número1

Einstein (São Paulo) vol.15 número1

Este estudo deve ser visto como um ensaio de via- bilidade devido ao pequeno tamanho amostral. No entanto, seu desenho longitudinal nos permitiu iden- tificar os efeitos da suplementação de zinco durante a quimioterapia. Nós avaliamos sujeitos durante os ci- clos iniciais de quimioterapia. Existe a possibilidade de que os resultados obtidos seriam mais evidentes se o estudo fosse desenvolvido durante o período com- pleto de tratamento. Além disso, não é possível excluir a hipótese de que outros fatores além da suplementa- ção de zinco possam ter influenciado nos resultados. Embora os pacientes em tratamento adjuvante e pa- liativo tenham sido incluídos em nosso estudo, não fo- ram relatadas diferenças significativas na qualidade de vida entre aqueles tratados com terapia adjuvante ou com propósito paliativo. (21,22)
Mostrar mais

5 Ler mais

PERCEPÇÃO SOBRE QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES PORTADORES DE DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA

PERCEPÇÃO SOBRE QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES PORTADORES DE DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA

A mensuração da qualidade de vida por meio do questionário genérico SF-36 permitiu estabelecer o vínculo entre a percepção pessoal e os aspectos alterados da saúde, o que demonstrou comprometimento significativo na maioria dos domínios observados. Houve exceção, no entanto, no que se refere a domínios relacionados aos Aspectos Sociais e à Saúde Mental, os quais não foram considerados como comprometidos pelos participantes. Uma possibilidade para esse resultado é o fato de que esses domínios não se relacionam com aspectos associados diretamente ao cansaço e à dispnéia, importantes para os portadores de DPOC. Dessa forma, não foram percebidos como comprometedores para sua qualidade de vida.
Mostrar mais

87 Ler mais

Avaliação da qualidade de vida em pacientes com estomia intestinal

Avaliação da qualidade de vida em pacientes com estomia intestinal

Introdução: A estomia intestinal é uma condição que pode afetar a vida das pessoas, seu convívio em sociedade, bem como ter consequências diretas para a qualidade de vida. Objetivo: Avaliar a qualidade de vida de pacientes com estomia intestinal atendidos em ambulatório de um hospital. Casuística e Métodos: Estudo transversal analítico e quantitativo. A amostra foi composta por 54 pacientes estomizados, acima de 18 anos e acompanhados há pelo menos um ano no ambulatório de estomia de um hospital de Goiânia/GO. Foram aplicados um questionário sociodemográfico e a versão abreviada do instrumento de avaliação de qualidade de vida da Organização Mundial da Saúde World Health Organization instrument to evaluate quality of life (WHOQOL-BREF). Foi confeccionado um banco de dados utilizando o SPSS 18. Foi realizada uma análise descritiva das variáveis e foram utilizados o teste t de Student e o teste de análise de variância (ANOVA) Scheffé para avaliar a existência ou não de diferença estatisticamente significativa (p≤0,05). Resultados: A pesquisa incluiu 54 pacientes, sendo 30 do sexo feminino e 24 do sexo masculino. Quanto à renda familiar, 61,1% informaram receber até um salário mínimo. A maioria afirmou não ter atividades de lazer (62,9%), não praticar atividade física (85,2%) e não estar empregada (92,6%). A média do escore geral da qualidade de vida foi 3,7±0,5. Os domínios apresentaram escores indicando boa qualidade de vida. Identificou-se que não ter religião, ter filhos e maior renda são preditores relacionados a um melhor escore no domínio meio ambiente. Os que referiram melhor autoavaliação da qualidade de vida também tiveram melhores escores em satisfação com a saúde e domínios físico e psicológico. Conclusão: Os pacientes com estomia intestinal apresentaram boa qualidade de vida, com menores escores em meio ambiente, que se relacionam com as facetas dinheiro e lazer. Melhor autopercepção da qualidade de vida indica melhor satisfação com a saúde em geral.
Mostrar mais

7 Ler mais

A percepção da idéia de justiça em um contexto de mudanças organizacionais.

A percepção da idéia de justiça em um contexto de mudanças organizacionais.

“Ele não acontece (...),se deixa levar a situação que precisa de uma decisão, porque de uma forma ou de outra .....batendo nas paredes do corredor até que a coisa acontece de uma forma e tende pra um lado e a decisão naturalmente foi tomada, porque ninguém toma a decisão de verdade ( refiro-me a alta administração, do diretor para cima )(...)e quando tem algum maluco que toma a decisão de verdade, geralmente é repreendido por não ter submetido aos comitês . E você acha que isso acontece por que? Por que as pessoas não tomam a decisão. Não tem coragem (...), não tomam, porque são repreendidas, e as que podem tomar e não tomam, porque não tem coragem. (...), porque não vai ficar bem com todos. E pra ficar bem com todos, se dilui a responsabilidade nos comitês. Eu não sou contra, de forma alguma , da gestão participativa mais eu acho que há limites para isso. E a empresa termina por não fazer (...), por querer participar demais, compartilhar demais, e ninguém quer botar o seu na seringa, ninguém quer fazer, e as decisões não acontecem, elas vão por tentativa e erro, pela vida, dia a dia sem gerar conflito, não pode ter conflito, tem que ter consenso
Mostrar mais

98 Ler mais

Gerd Sparovek (org.) Rodrigo Fernando Maule Durval Dourado Neto Patrícia Guidão Cruz Ruggiero Alberto Giaroli Oliveira Pereira Barreto

Gerd Sparovek (org.) Rodrigo Fernando Maule Durval Dourado Neto Patrícia Guidão Cruz Ruggiero Alberto Giaroli Oliveira Pereira Barreto

O objetivo geral da pesquisa foi retratar os resultados alcançados nos projetos do Programa de Crédito Fundiário e Combate à Pobreza Rural. A base de dados utilizada nas análises consistiu de uma ampla pesquisa de opinião junto aos seus beneficiários. Com esta estratégia procurou-se complementar as avaliações possí- veis de serem feitas com os registros oficiais, como listagens de ações, execução orçamentária ou dados do Sistema de Informações Gerenciais (SIG), administrado pela Unidade Técnica Nacional (UTN). As informações coletadas na rotina de execução e monitoramento das ações do CF-CPR têm restrições para a avaliação de aspectos qualitativos (por exemplo: qualidade de vida nos projetos, forma de organização das associações) e aqueles relacionados aos objetivos finais do Progra- ma (geração de renda e desenvolvimento produtivo dos projetos). Os benefícios decorrentes do Programa devem estar presentes e materializados nos imóveis re- formados e o impacto sobre a vida das famílias deve preferencialmente ser relatado em primeira pessoa. Registrar esta realidade por meio dos depoimentos dos bene- ficiários do Programa converge neste sentido. Desvios destes relatos com metas ou com registros oficiais servem de alerta, mas devem ser vistos com cautela por im- precisões e tendências que podem ocorrer em qualquer pesquisa de opinião.
Mostrar mais

142 Ler mais

Show all 10000 documents...