Resíduos sólidos e orgânicos

Top PDF Resíduos sólidos e orgânicos:

Resíduos sólidos e orgânicos como subprodutos do serviço de bordo em aeronaves comerciais brasileiras

Resíduos sólidos e orgânicos como subprodutos do serviço de bordo em aeronaves comerciais brasileiras

Dentro de uma linearidade histórica, o aumento da predileção por produtos industrializados ganhou notoriedade e conferiu à sociedade novos hábitos de consumo. Essa mudança comportamental justifica-se pela praticidade na aquisição, estoque e consumo dos produtos industrializados. Paralelamente e de forma análoga a esse fenômeno, o mercado como um todo apresentou adequações conceituais no modelo de negócio originalmente proposto, buscando diretrizes sustentáveis para garantir a viabilidade comercial. Inserida desse contexto, a Aviação Comercial Brasileira que outrora ostentava o primor na qualidade de seus serviços, sofreu profundas e significativas alterações operacionais como resultado da criação ou adoção de políticas de baixo custo, ainda que tacitamente, esse processo culminasse em um aumento exponencial da quantidade de resíduos produzidos a bordo de suas aeronaves. Esse trabalho teve como objetivo precípuo a descrição da dinâmica do serviço de bordo em aeronaves comerciais brasileiras quanto aos processos de coleta e descarte de resíduos produzidos a bordo. A pesquisa descritiva conferiu ao estudo a possibilidade de maximizar as características do objeto de estudo através da elaboração de um questionário e um roteiro de entrevista estruturados, enquanto que o procedimento bibliográfico teve valor referencial na contraposição dos fatos. A abordagem quantitativa considerou as variáveis analisadas para um estudo conclusivo, apoiado em valores estatísticos que traduzem o nível de comprometimento social das empresas aéreas brasileiras, enquanto que geradoras precípuas de resíduos sólidos e orgânicos. A consolidação dos dados coletados foi representada através de ilustrações, quadros, tabelas e gráficos, permitindo ao autor uma análise sistemática sobre a problemática abordada. Concluiu-se, portanto, que os procedimentos operacionais adotados pelas Companhias Aéreas Brasileiras, quanto ao gerenciamento dos resíduos sólidos e orgânicos produzidos a bordo de suas aeronaves ainda carecem de adaptações pontuais para fomentar o processo de coleta seletiva e concomitantemente despertar a conscientização sobre a relevância do tema aos usuários desse modal.
Mostrar mais

99 Ler mais

Influência da Concentração de sólidos totais e temperatura na bioestabilização anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos

Influência da Concentração de sólidos totais e temperatura na bioestabilização anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos

Cerca de 260 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) são coletados diariamente no Brasil e devido à falta de gerenciamento adequado, o descarte desses resíduos geralmente causa impactos ambientais. Nas destinações finais, os resíduos sólidos orgânicos (RSO), presentes nos RSU, sofrem biodegradação, produzindo lixiviado e gases de efeito estufa. Os resíduos sólidos orgânicos vegetais (RSOV), parcela dos RSO, merecem destaque quanto ao tratamento, pois os mesmos são gerados em grandes quantidades nas centrais de abastecimento, portanto podem constituir grande risco ao ambiente. Uma alternativa que se destaca no âmbito do tratamento de RSO é a digestão anaeróbia, isto devido produzir CH 4
Mostrar mais

100 Ler mais

O estudo da geração de resíduos sólidos orgânicos: Na feira da Prata da cidade de Campina Grande

O estudo da geração de resíduos sólidos orgânicos: Na feira da Prata da cidade de Campina Grande

Resumo: A urbanização e industrialização das sociedades modernas têm originado uma produção e acúmulo de resíduos sólidos. Um dos tipos de resíduos sólidos mais produzidos diariamente por diversos setores da sociedade são os resíduos orgânicos, resíduos estes de origem animal ou vegetal, oriundos da vida doméstica ou urbana, da atividade agrícola ou industrial, de saneamento básico, entre outros. Em geral, os hortifrútis das feiras livres caracterizam-se pela produção efetiva de resíduos sólidos orgânicos que são produzidos desde a recepção e organização dos alimentos nas barracas e/ou descartados no chão pelos feirantes até a disposição final inadequada, que acarreta diversos problemas ambientais como também de saúde. O presente estudo tem por objetivo quantificar o volume dos resíduos sólidos orgânicos gerados na comercialização de produtos de hortifruticultura, na Feira da Prata em Campina Grande - PB. O trabalho foi desenvolvido por meio de uma abordagem quantitativa junto aos comerciantes que geram resíduos orgânicos na feira da Prata em Campina Grande, como também com a ajuda do administrador e responsável direto pela feira, através do levantamento do volume de resíduos gerados no período de um mês, até sua forma de armazenagem, coleta e destinação final dos resíduos. Concluído a etapa de pesagem dos resíduos gerados pelos 536 comerciantes de hortifrútis, no período de um mês, o resultado foi que 50 mil quilos, são gerados mensalmente na feira da Prata. Observou-se que existe a necessidade urgente de medidas de implementação de gerenciamento dos resíduos sólidos orgânicos produzidos pelos feirantes, bem como maior organização quanto à adoção de métodos de comercialização que busquem produzir o mínimo possível de resíduos, e que visem o melhoramento no tratamento e na disposição final dos mesmos.
Mostrar mais

6 Ler mais

Viabilidade econômica da implantação de um biodigestor para geração de energia a partir de resíduos sólidos orgânicos

Viabilidade econômica da implantação de um biodigestor para geração de energia a partir de resíduos sólidos orgânicos

Com o crescente desenvolvimento dos países, a geração de resíduos sólidos e demanda por energia aumentaram consideravelmente. Na perspectiva de esgotamento dos combustíveis fósseis, viu-se a necessidade de maior utilização de fontes de energias renováveis alternativas. A biomassa teve grande destaque nos últimos anos, principalmente por reaproveitar a matéria orgânica disponível. O processo biológico é realizado através de biodigestores, que tem como principais subprodutos o biogás, para geração de energia e o biofertilizante, para adubagem. O principal objetivo desse estudo é analisar a viabilidade econômica da implantação de um biodigestor em uma indústria de cerâmica, localizada em uma cidade do oeste do Paraná para geração de energia a partir resíduos sólidos orgânicos. Para isso foi projetado um fluxo de caixa oriundo dos orçamentos dos custos operacionais e das receitas geradas e foram utilizadas ferramentas da Engenharia Econômica, tais como VPL,TIR e Payback. O projeto não se mostrou viável economicamente para o período de cinco anos, com uma TIR de 10,52% e um VPL de -R$ 33.083,23, para uma taxa mínima de atratividade de 15%. O tempo de retorno do investimento é de seis anos, acima do projetado pelo proprietário.
Mostrar mais

65 Ler mais

Bioestabilização anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos em reatores de batelada.

Bioestabilização anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos em reatores de batelada.

Resumo: O processo de bioestabilização anaeróbio pode ser empregado para o tratamento de uma grande variedade de substratos, dentre os quais pode-se destacar os resíduos sólidos orgânicos. Neste trabalho, o processo de bioestabilização anaeróbio foi utilizado, quando do tratamento de resíduos sólidos orgânicos putrescíveis de origem urbana e rural. Os resíduos de origem urbana eram constituídos, basicamente, de restos de fruta, verduras e folhagens, enquanto o rúmen bovino era o resíduo rural utilizado. As proporções de rúmen empregadas foram de 5, 10 e 15% (percentagem em peso).O trabalho foi realizado em um sistema experimental, constituído basicamente por quatro reatores anaeróbios de batelada, com capacidade unitária de 20 L. A eficiência do processo foi determinada tomando-se, como parâmetros avaliativos, os sólidos totais voláteis (STV), a demanda química de oxigênio (DQO) e o nitrogênio total Kjedhal (NTK). Salienta-se que este processo de tratamento bioestabiliza os resíduos orgânicos putrescíveis, tornando-os biodisponíveis de aplicação nos solos, além de produzir metano, que pode ser utilizado como fonte alternativa de energia para fins domésticos e industriais. A análise dos dados deste trabalho demonstra que o desempenho do processo de bioestabilização foi função do percentual de rúmen utilizado.
Mostrar mais

5 Ler mais

Ensaio de potencial bioquimico de metano na digestão de resíduos sólidos orgânicos.

Ensaio de potencial bioquimico de metano na digestão de resíduos sólidos orgânicos.

A utilização da produção de gás metano através da digestão anaeróbia, desponta como uma tecnologia estratégica de conversão de biomassa residual em bioenergia (biogás). O presente trabalho tem como objetivo avaliar a digestão anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos (alimentares) com o inóculo de lodo de tanque séptico e a prospecção da produção acumulada de biogás visando a produção de metano. Através do ensaio de potencial bioquímico de metano (BMP), comparou-se as relações inóculo/ substrato (I/S) 1:1; 1:2; 1:3; 1:4 durante 60 dias de monitoramento. A composição do biogás foi quantificada por cromatografia e os resultados de volume de biogás gerado nos reatores foram calculados através das leituras das pressões e temperaturas de cada reator, bem como das pressões e temperaturas atmosféricas. Observa-se que dentre as relações testadas, a que obteve melhores resultados foi a relação 1:1 com valores de produção específica de 420,33NmLCH4/gSV em comparação com as outras e a que teve um menor resultado foi a relação 1:4, que obteve valores de 99,01NmL/gSV .
Mostrar mais

6 Ler mais

Compostagem doméstica: alternativa de aproveitamento de resíduos sólidos orgânicos

Compostagem doméstica: alternativa de aproveitamento de resíduos sólidos orgânicos

Diante da crescente geração de resíduos residenciais urbanos, a compostagem doméstica surge como uma alternativa para o tratamento da fração orgânica desse material na fonte. Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi estudar a viabilidade da compostagem doméstica de resíduos sólidos orgânicos domiciliares coletados seletivamente em residências localizadas no município de Uberlândia-MG. Para o processo de compostagem, empregou-se uma composteira, com capacidade para 200 L, mantida em área coberta na Universidade Federal de Uberlândia, em Uberlândia, MG. O período de compostagem foi de novembro de 2007 a março de 2008, num total de 120 dias. O composto orgânico formado apresentou teores de carbono orgânico, nitrogênio total e umidade, relação C/N e pH dentro dos limites estabelecidos pela legislação, para composto orgânico comercializável. Concluiu-se que a compostagem doméstica se mostrou viável para a ciclagem de resíduos sólidos orgânicos domiciliares, tendo originado um composto com boas características físicas e químicas, com potencial para uso agrícola, como condicionador de solos e/ou como substrato para plantas.
Mostrar mais

8 Ler mais

Desenvolvimento de um biodigestor residencial para processamento de resíduos sólidos orgânicos

Desenvolvimento de um biodigestor residencial para processamento de resíduos sólidos orgânicos

A digestão anaeróbia é um processo que pode ser utilizado para o tratamento de resíduos orgânicos, com a vantagem de poder transformar estes substratos em produtos aproveitáveis, como biogás e biofertilizante. O biogás é composto principalmente por metano e gás carbônico e possui grande aplicabilidade, seja para queima ou para geração de energia elétrica. Neste contexto, a digestão anaeróbia se mostra como uma alternativa promissora para o tratamento dos resíduos sólidos orgânicos, visto que a fração orgânica dos resíduos sólidos corresponde a mais de 50% do total dos resíduos domésticos gerados no Brasil. Tendo em vista esse panorama, o objetivo deste trabalho é propor um biodigestor para o processamento de resíduos sólidos orgânicos de sobras de alimentos, capaz de atender as necessidades de um condomínio com aproximadamente 100 moradores, localizado no município de Florianópolis, Santa Catarina. Para alcançar este objetivo, realizou-se uma revisão bibliográfica dos parâmetros intervenientes do processo e dos detalhes construtivos que afetam a eficiência dos biodigestores, assim como se fez um levantamento dos modelos de biodigestores residenciais existentes. A proposta deste biodigestor leva em consideração as informações levantadas nesta revisão, visando melhorar o equipamento de modo que ele seja eficiente, economicamente acessível e esteticamente atraente. Após a concepção do biodigestor, escolha dos materiais aplicados, tubulações utilizadas, e dimensionamento do biodigestor, foram levantados os quantitativos e os custos e elaborada uma planta 3D para melhor visualização do produto final. Faz-se, uma discussão acerca dos ganhos econômicos, sociais e ambientais da implantação deste empreendimento com o intuito de elucidar o alcance dos benefícios que este tipo de equipamento pode oferecer para o gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos. De acordo com as estimativas realizadas para um condomínio com 100 moradores, correspondendo à produção diária de 96,12 kg de resíduos sólidos orgânicos, é possível gerar aproximadamente 9,61m³ de biogás por dia. Este potencial de produção de biogás corresponde ao equivalente energético de 4,32 m³ de GLP, sendo suficiente para manter 24 boca de fogão acesas por 3 horas por dia, ou ainda, manter 17 lâmparinas à biogás acesas 8 horas por dia.
Mostrar mais

105 Ler mais

Avaliação da degradação de resíduos sólidos orgânicos por meio da compostagem com presença de embalagem compostável

Avaliação da degradação de resíduos sólidos orgânicos por meio da compostagem com presença de embalagem compostável

O presente trabalho tem como objetivo avaliar a degradação dos resíduos sólidos orgânicos pelo processo de compostagem, com a presença de embalagens compostáveis. Para isso, adotou-se como alicerce a elaboração de duas leiras de compostagem, uma com e a outra sem embalagem compostável, em escala piloto. Nestas, acompanhou-se por meio de monitoramentos periódicos, o comportamento durante o processo de compostagem. Outro fator avaliado neste período foi a degradação das embalagens compostáveis, confirmando se há ou não a desintegração do material, bem como em quanto tempo. Quando finalizadas as leiras, submeteu-se os produtos finais à ensaios laboratoriais físico-químicos, para melhor quantificar as possíveis alterações causadas pelas embalagens compostáveis. Com os resultados, comparou-se as amostras, com e sem embalagens compostáveis, sabendo-se então, se estas alteram de forma significativa nas propriedades do fertilizante orgânico composto. Além de fazer a comparação entre si, checou-se os parâmetros obtidos com a normativa brasileira vigente, para saber se estão dentro dos limites aceitáveis das garantias estabelecidas. Assim, com todos esses resultados analisados, pôde-se concluir se as embalagens compostáveis interferem no processo de compostagem e no seu produto final.
Mostrar mais

89 Ler mais

Análise de modelos e técnicas de compostagem para o gerenciamento dos resíduos sólidos domiciliares orgânicos

Análise de modelos e técnicas de compostagem para o gerenciamento dos resíduos sólidos domiciliares orgânicos

Como premissa da escolha da compostagem como método de tratamento dos RDO, conclui-se com a revisão bibliográfica que a compostagem da fração orgânica dos resíduos sólidos urbanos é uma das formas adequadas à nova Política Nacional dos Resíduos Sólidos - Lei 12.305/2010 a ser considerada; pois, além do composto quando gerado estimular a coleta seletiva na medida em que se fecha o círculo da produção, também estimula a coleta e o tratamento adequado dos resíduos produzidos localmente (PEIXE et al, 2014). Por isso, é importante selecionar o melhor método de compostagem que se adeque as condições ambientais, econômicas e sociais locais, anterior a qualquer tomada de decisão. E com isso, deve se realizar, primeiramente, uma identificação dos modelos de gestão a serem seguidos, além das experiências e técnicas aplicadas e já conhecidas no país, que podem se aproximar das características locais do estudo de caso. Dos modelos identificados serão caracterizados os modelos de gestão centralizada e os modelos de gestão descentralizada, dividindo em dois grupos. Já que os modelos de gestão determinados possuem características diferentes de operação, escala e custos. E, também, o modelo centralizado, em sua maioria, possui um sistema de reciclagem acoplado ao sistema de compostagem o que pode estabelecer um composto de baixa qualidade, além de esse modelo estabelecer uma centralização da coleta e destinação final. Já os modelos descentralizados, com características de menor escala e menor custo, tendem a possuir um trabalho de educação ambiental bem vinculado ao sucesso dos projetos de compostagem com separação na fonte, além de o fato de ser descentralizado pelo município contribuir no sucesso de programas de conscientização local e aproximação da comunidade à problemática e à solução local para os Resíduos Sólidos Domiciliares Orgânicos (RDO).
Mostrar mais

95 Ler mais

A Evidenciação Contábil Ambiental em Empresas de Tratamento de Resíduos Sólidos Orgânicos

A Evidenciação Contábil Ambiental em Empresas de Tratamento de Resíduos Sólidos Orgânicos

Com base no referencial teórico, a evidenciação dos ativos destinados à prestação de serviços de tratamento de resíduos sólidos orgânicos e sua transformação em produtos ambientalmente corretos representam investimentos de aquisição de bens – total ou parcialmente relacionados com o tratamento dos resíduos sólidos. Enquadram-se nessa categoria todos os bens e direitos destinados à atividade de gerenciamento ambiental com potencial de geração de benefícios futuros. Os itens que se encaixam nessa descrição encontrados no levantamento de dados devem ser evidenciados em um subgrupo do ativo, em uma conta específica de imobilizado/ antipoluição ou de estoques ambientais: o primeiro refere-se à compra de ativos imobilizados para preservação ambiental por meio de tratamento dos resíduos sólidos; e o segundo, o composto de bactérias utilizado para a degradação de resíduos.
Mostrar mais

19 Ler mais

Estudo termogravimétrico do processo de sorção de metais pesados por resíduos sólidos orgânicos.

Estudo termogravimétrico do processo de sorção de metais pesados por resíduos sólidos orgânicos.

A poluição de uma bacia hidrográfi ca pode causar alterações das propriedades físicas, químicas e biológicas da massa de água, comprometendo o seu uso para o consumo humano e para outros tipos de atividades, dependendo do grau de poluição ou contaminação. Os métodos de tratamentos con- vencionais de efl uentes contendo metais pesados produzem quantidades signifi cativas de subprodutos com características recalcitrantes, além de serem técnicas onerosas e de reproduti- bilidade baixa. A busca por soluções mais baratas e defi nitivas levou ao desenvolvimento de tecnologias limpas, dentre estas tecnologias destaca-se o processo de sorção que baseia-se na utilização de substâncias absorventes desses elementos químicos. Este trabalho teve como objetivo avaliar o processo de sorção de metais pesados pelos resíduos sólidos orgânicos utili- zando-se das técnicas de termogravimetria. Os resultados obtidos demonstraram que os perfi s das curvas da termogravimetria dos resíduos sólidos orgânicos apresentam modifi cações signifi cati- vas nas características físicas e químicas, quando submetidas ao processo de sorção dos metais pesados.
Mostrar mais

7 Ler mais

Análise da gestão dos resíduos sólidos urbanos no município de Igarapé (MG) : subsídios para a gestão de resíduos sólidos orgânicos.

Análise da gestão dos resíduos sólidos urbanos no município de Igarapé (MG) : subsídios para a gestão de resíduos sólidos orgânicos.

A gestão dos resíduos sólidos urbanos (RSU) representa, hoje, um dos maiores desafios para os municípios brasileiros. Em massa, cerca de 50% dos RSU gerados no País são de resíduos sólidos orgânicos (RSO), advindos, sobretudo dos domicílios e dos serviços de limpeza urbana; entretanto, menos de 1% é conduzido para sistemas de compostagem. A Lei nº 12.305/2010 exibe diretrizes, objetivos e responsabilidades para toda a sociedade, apontando obrigações aos detentores dos serviços de limpeza urbana e de RSU com destaque para a compostagem e articulação com os agentes econômicos e sociais para formas de utilização do composto produzido. No Brasil, a gestão dos RSU considera, em geral, o modelo ―centralizado‖, valendo-se do ―velho paradigma‖ de coletar e aterrar resíduos, desprezando o potencial de valorização dos RSO. Em Igarapé, o panorama não é diferente de grande parte dos municípios do País, sendo os RSO um de seus maiores desafios. Neste sentido, o estudo teve por objetivo analisar a gestão dos RSU em Igarapé, com ênfase nos RSO, exibindo subsídios para sua gestão. Para alcançar tais desígnios, foram realizadas três linhas de desenvolvimento, executadas simultaneamente: 1) análise gravimétrica dos RSU, que contou ainda com a análise de peso específico e geração per capita estimada. Os estudos corroboram como instrumentos que auxiliam na gestão dos RSU, permitindo conhecer as composições, características dos RSU e direcionamentos das melhores estratégias e alternativas para sua gestão. A metodologia adotada foi baseada na ABNT NBR 10.007:2004 seguindo roteiro da Cartilha de Orientações da FEAM-MG (2019); 2) análise do panorama da gestão dos RSU; e 3) a exposição dos subsídios para a gestão dos RSO. Os resultados da pesquisa indicam que os maiores percentuais em massa dos RSU em Igarapé são os RSO, com 53,51%; os recicláveis secos, a saber: papel, papelão, plásticos, etc. 28,60%; e os rejeitos 17,89%. Os resultados gravimétricos apresentam-se similares ao panorama nacional e estudos anteriores realizados no próprio município. Os dados mostram ainda que o comparativo entre as médias das frações nas rotas propostas indicam que, apesar de percentuais distintos, os RSO tiveram ascendência em todas as seções. O peso específico entre as rotas amostrais apresentam valores similares aos demonstrados na literatura: Em ordem das Rotas: (1) 203,5 kg/m³; (2) 228,5 kg/m³; (3) 218,5 kg/m³; (4) 222,0 kg/m³ e (5) 215,5 kg/m³. Os resultados da geração dos RSU
Mostrar mais

321 Ler mais

Análise da implantação do projeto "valorização dos resíduos sólidos orgânicos no município de Florianópolis através do beneficiamento dos resíduos de podas

Análise da implantação do projeto "valorização dos resíduos sólidos orgânicos no município de Florianópolis através do beneficiamento dos resíduos de podas

A falta de modelos eficientes para a gestão dos resíduos de podas da arborização urbana, tem resultado em diversos problemas ambientais, sociais e econômicos resultantes da disposição inadequada desses materiais. O gerenciamento inadequado destes resíduos tem resultado em altos custos para os municípios, o comprometimento de grandes áreas para disposição, o aumento do risco de incêndio em aterros e terrenos baldios, a degradação da paisagem e poluição do ar e da água. Estes resíduos poderiam ser aproveitados em pequenos objetos de madeira, composto orgânico, lenha, carvão vegetal, entre outros. No município de Florianópolis, estes resíduos representam uma parcela significativa de material que é destinado ao Centro de Transferência Resíduos Sólidos - CTReS e ao Aterro de Inertes do Canto do Lamim, os quais são aterrados ou depositados no solo, ocupando um espaço que poderia ser utilizado por outro material, que por sua vez, diminuem a vida útil dos aterros, além de gerar impactos negativos. Diante desta problemática a Companhia Melhoramentos da Capital - COMCAP, elaborou no ano de 2010, o projeto "Valorização dos Resíduos Sólidos Orgânicos através do Beneficiamento dos Resíduos de Poda no Município de Florianópolis", o qual encontra-se em início de implantação. Este projeto tem como objetivo a reciclagem dos resíduos de podas de origem pública e particular, através de seu beneficiamento e posterior processo de compostagem. Avaliou-se a implantação deste programa, bem como da logística operacional adotada pela COMCAP. Pode-se concluir que este programa é capaz de solucionar a problemática ambiental associada aos resíduos de podas, diminuir os custos com sua disposição final em aterros sanitários e promover sustentabilidade no gerenciamento integrado dos resíduos sólidos urbanos.
Mostrar mais

125 Ler mais

Estudo da influência de diferentes inóculos no tratamento
anaeróbio de resíduos sólidos orgânicos

Estudo da influência de diferentes inóculos no tratamento anaeróbio de resíduos sólidos orgânicos

A digestão anaeróbia tem sido apontada como alternativa favorável para a redução do volume de resíduos orgânicos e recuperação de energia. Nos últimos anos, muitos esforços tem sido elaborados na introdução destes processos de tratamento, contudo, outro grande obstáculo na difusão desta tecnologia está relacionada a menor taxa de biodegradaçãoem comparação com resíduos líquidos,devido a composição química e estrutura dos materiais lignocelulósicos que compõem os resíduos sólidos(FDEZ.-GÜELFO et al., 2011).
Mostrar mais

70 Ler mais

Estudo da hidrólise no processo de codigestão anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos

Estudo da hidrólise no processo de codigestão anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos

qualiquantitativos, causando grandes impactos ambientais em função da disposição inadequada destes resíduos no meio ambiente, alterando assim a qualidade dos solos, corpos aquáticos e do ar. Em média, cerca de 50% dos resíduos sólidos urbanos corresponde a fração orgânica putrescível, que é passível de fermentação e os 50% restantes corresponde aos materiais recicláveis e resíduos inertes. A digestão anaeróbia é uma alternativa que se destaca para o tratamento dos resíduos sólidos orgânicos, devido à produção de metano como produto final, sendo considerada uma fonte de energia renovável. Neste estudo foi analisado o processo hidrolítico na codigestão anaeróbia de resíduos sólidos vegetais (RSV) e lodo anaeróbio de esgoto sanitário (LAES), em condições de temperatura ambiente e com concentração de sólidos totais de 4%, em reator anaeróbio de batelada, monitorado em três etapas experimentais. O sistema experimental foi projetado e instalado na Estação Experimental de Tratamentos Biológicos de Esgoto Sanitário da Universidade Estadual da Paraíba, em Campina Grande, PB. O substrato utilizado na alimentação do reator foi preparado a partir da mistura de RSV juntamente com LAES, oriundo de reator UASB. Os produtos resultantes do processo de bioestabilização anaeróbia que se encontravam na forma semi-sólida foram monitorados semanalmente, no período total de 198 dias. Para as três etapas experimentais, os resultados analisados indicaram que ocorreu: reduções nos valores de pH; solubilização de DQO Total e NTK; e aumento da produção de DQO Filtrada , AVG e N-NH4 + . Portanto, as condições de temperatura ambiente e a baixa concentração de sólidos totais favoreceram o processo hidrolítico do substrato.
Mostrar mais

60 Ler mais

Compostagem como alternativa de disposição final dos resíduos sólidos orgânicos gerados na Embrapa Soja

Compostagem como alternativa de disposição final dos resíduos sólidos orgânicos gerados na Embrapa Soja

Com a ampliação da produção agrícola há uma relação de crescimento na geração de resíduos sólidos, sendo necessária uma destinação final adequada. Com o objetivo de avaliar o processo de compostagem de resíduos orgânicos gerados na Embrapa Soja, foram comparadas em dois sistemas: controlado (aeração e irrigação) e natural a eficácia na estabilização da matéria orgânica. Foram testados os seguintes tratamentos: T11 - Resíduos da coleta seletiva + grãos de soja com palha de soja (controlado); T12 - Resíduos da coleta seletiva+ grãos de soja com palha de soja (natural); T21 - Resíduos da coleta seletiva + grãos de soja com palha de trigo (controlado); T22 - Resíduos da coleta seletiva + grãos de soja com palha de trigo (natural); T31 - Resíduos da coleta seletiva + grãos de soja com poda de árvore (controlado); T32 - Resíduos da coleta seletiva + grãos de soja com poda de árvore (natural); T41 - Resíduos da coleta seletiva + grãos de soja + mistura de palhas de trigo com soja e poda de árvore (controlado); T32 - Resíduos da coleta seletiva + grãos de soja + mistura de palhas de trigo com soja e poda de árvore (natural). O processo de compostagem foi conduzido em leiras por 120 dias, realizados revolvimentos e regas quinzenalmente nos tratamentos controlados. As leiras foram monitoradas quanto ao teor de umidade, pH, condutividade elétrica, carbono total, nitrogênio total, relação C/N, redução de peso e volume. Analisou-se a qualidade final dos compostos gerados de acordo com a IN N o 25/2009 do MAPA. A umidade apresentou-se ideal nos tratamentos controlados e abaixo nos naturais. Os valores de pH estiveram sempre próximo do neutro a acalino em todos os tratamentos, com valores finais variando entre 7,7 a 8,5. Houve diminuição da condutividade elétrica em todos os tratamentos para valores toleráveis à adubação. Os tratamentos controlados apresentaram maiores valores de nitrogênio ao final compostagem. A relação C/N, diminuiu em todos os tratamentos alcançando valores de 7,5/1 a 8,9/1, indicando compostos maturados. Houve redução de massa e volume nos tratamentos, com destaque aos tratamentos T31 e T32 nos quais as reduções de massa seca foram semelhantes estatisticamente. Ao final da compostagem os compostos atenderam aos limites da IN N o 25/2009 do MAPA a pH, N, C, relação C/N, Mn e Ca. Os demais nutrientes estiveram abaixo dos limites estabelecidos pela normativa.
Mostrar mais

98 Ler mais

Influência da concentração de sólidos totais e da temperatura no processo de co-digestão anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos

Influência da concentração de sólidos totais e da temperatura no processo de co-digestão anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos

Segundo a Lei 12. 305, de 2012, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, em seu Art. 3°, Inciso XVI os resíduos sólidos são definidos como “material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade, cuja destinação final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder, nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d'água, ou exijam para isso soluções técnica ou economicamente inviáveis em face da melhor tecnologia disponível”. É importante ressaltar que as propriedades dos resíduos sólidos estão relacionadas com as características de cada componente presente em sua composição, como o teor de umidade, matéria orgânica e poder calorífico (BOER et al., 2010). Os resíduos sólidos orgânicos compreendem a parcela dos resíduos, inseridos dentro dos resíduos sólidos, que são passíveis de degradação por ação microbiana com elevada demanda química de oxigênio (DQO) e gases de efeito estufa. O processo de reciclagem vem ganhando espaço, mas não atua de forma abrangente, propiciando assim que tais resíduos sejam destinados de forma inadequada aos lixões e aterros sanitários (MENEZES, 2012).
Mostrar mais

71 Ler mais

Participação popular na gestão integrada dos resíduos sólidos orgânicos: experiências na Paraíba

Participação popular na gestão integrada dos resíduos sólidos orgânicos: experiências na Paraíba

Segundo o professor de Engenharia Ambiental da Universidade do Estado de São P aulo (Unesp), Sandro Mancini: “O Brasil está caminhando para adotar o modelo americano de tratamento de lixo”. Nos Estados Unidos o conceito é construir grandes aterros sanitários afastados das cidades. Por se produzir muito lixo, embora haja reciclagem, ela não é suficiente. Isto, por si só, não resolve os problemas, porque grandes aéreas serão ocupadas com os aterros e contaminação ambiental ainda é passível, principalmente se não houver associado com o aterro o aproveitamento do gás metano produzido. O lixiviado é outro problema, que mesmo sendo encaminhado para as lagoas de estabilização, não existe ainda um tratamento adequado, para quantidades tão grandes de nutrientes, que aí são jogados e desperdiçados. Logo, a solução tem de partir da diminuição do envio de resíduos sólidos para os aterros e principalmente da diminuição de orgânicos, que são os resíduos mais danosos.
Mostrar mais

128 Ler mais

Tratamento anaeróbio de resíduos sólidos orgânicos com alta e baixa concentração de sólidos.

Tratamento anaeróbio de resíduos sólidos orgânicos com alta e baixa concentração de sólidos.

De acordo com Lay et al. (1998), a digestão anaeróbia de resíduos sólidos orgânicos, especialmente da fração orgâni- ca putrescível dos resíduos sólidos urbanos, é de grande importância no manejo de resíduos sólidos. Diversos tipos de reatores têm sido desenvolvidos para o tratamento da fra- ção orgânica dos resíduos sólidos urbanos, incluindo reato- res em batelada e reatores contínuos. O processo de trata- mento anaeróbio desponta como alternativa promissora para os resíduos sólidos orgânicos, em virtude das altas taxas de produção de biogás; contudo, os processos anaeróbios em- pregados no tratamento de resíduos sólidos ainda não cons- tituem uma prática muito difundida, devido à falta de confi- gurações de sistemas de tratamento e, sobretudo, ao tempo necessário para bioestabilizar os resíduos sólidos, que é bas- tante longo, quando comparado com processos aeróbios. Para diminuir o tempo de bioestabilização dos resíduos sólidos orgânicos, a utilização de inóculos tem mostrado resultados satisfatórios. Os inóculos geralmente utilizados são lodos de estações de tratamento de esgotos ou alguns materiais de origem animal, como esterco bovino e outros. O tratamento anaeróbio de resíduos sólidos orgânicos com alta concentra- ção de sólidos é realizado em reatores anaeróbios em bate- lada, com substrato contendo em média 20% (percentagem em peso) de sólidos totais; no geral, poderão ser aplicados para bioestabilizar diversos tipos de resíduos, prioritariamen- te de maneira conjugada objetivando-se, em alguns casos, o aumento da densidade bacteriana e, em outros, o ajustamento da relação C/N. O tratamento anaeróbio de resíduos sólidos orgânicos com baixa concentração de sólidos é realizado em reatores anaeróbios contínuos, preferencialmente com câma- ras seqüenciais, e o substrato com concentração de sólidos totais variando de 4 a 8%.
Mostrar mais

7 Ler mais

Show all 8128 documents...