Secagem por spray drying

Top PDF Secagem por spray drying:

Obtenção de extratos secos de carotenoides a partir da biomassa da microalga Haematococcus pluvialis por secagem em torre de aspersão (spray-drying)

Obtenção de extratos secos de carotenoides a partir da biomassa da microalga Haematococcus pluvialis por secagem em torre de aspersão (spray-drying)

Vários fatores afetam a secagem por spray-drying, incluindo as características do material a ser seco e os parâmetros do processo. Dentre eles, a concentração de sólidos presentes no líquido de alimentação exerce grande impacto sobre a eficiência da operação de secagem [33]. O teor de sólidos que permita a obtenção de um produto com características desejáveis deve ser otimizado, visto que este pode impactar no custo do processo. Em geral, a operação dever ser realizada com o máximo teor de sólidos possível, possibilitando uma utilização adequada do calor. Baixas concentrações de sólidos necessitam que grande quantidade de solvente seja eliminada e, portanto, requerem uma maior quantidade de calor para a secagem [31]. Em relação ao processo, um dos parâmetros mais importantes é a temperatura do ar de entrada, sendo determinante na qualidade do produto obtido. O aumento na temperatura do material de entrada facilita o processo de secagem, pois normalmente reduz a tensão superficial e a viscosidade, facilitando a formação de gotículas [14]. Assim, neste trabalho foi avaliado o efeito da concentração de dióxido de silício coloidal (2%, 4% e 6%) e temperatura de entrada (150°C e 175°C), sobre as características físico-químicas dos extratos secos. Os resultados obtidos na determinação do rendimento da operação e teor de umidade estão apresentados na Tabela 3.
Mostrar mais

16 Ler mais

Secagem por aspersão (spray drying) de extratos vegetais: bases e aplicações.

Secagem por aspersão (spray drying) de extratos vegetais: bases e aplicações.

O tema abordado nessa revisão permite veriicar que a técnica de secagem por aspersão apresenta diversas vantagens como, maior estabilidade físico-química do produto obtido e facilidade de sua derivação em outras formas farmacêuticas. Para melhor aproveitamento desses benefícios e obtenção de extratos com características tecnológicas adequadas é necessária a avaliação criteriosa do processo de secagem, determinando parâmetros otimizados de operação especíicos para cada formulação, devido ao fato da grande inluência exercida pelos mesmos sobre o produto inal. Entre os diversos adjuvantes empregados nesse processo, o dióxido de silício coloidal é o mais utilizado e pesquisado na secagem de extratos vegetais. Os extratos secos obtidos por spray drying encontram emprego como produtos inais ou intermediários, sobretudo em formas farmacêuticas sólidas, visto que no Brasil há uma predominância dessas no registro de medicamentos itoterápicos. No estudo realizado foi observado que Achyrocline satureioides (Lam.) DC, Albizia inopinata (Harms) G.P. Lewis, Ilex paraguariensis A. St-Hil., Lippia Alba Mill. N.E.Br., Maytenus ilicifolia Martius ex Reissek, Passilora edulis Sims., Phyllanthus niruri L., Schinus terebinthifolius Raddi e Symphytum oficinale L. foram as espécies mais relatadas na literatura pesquisada.
Mostrar mais

10 Ler mais

Encapsulação de compostos bioativos de Syzygium aromaticum em carreadores lipídicos...

Encapsulação de compostos bioativos de Syzygium aromaticum em carreadores lipídicos...

Compostos de origem vegetal podem apresentar inúmeros efeitos benéficos à saúde, havendo, entretanto, uma necessidade de desenvolver formulações que permitam viabilizar seu uso farmacêutico, alimentício, nutracêutico ou cosmecêutico. Syzygium aromaticum, conhecido popularmente como cravo da Índia, é uma espécie vegetal aromática com marcada atividade antioxidante, analgésica e antimicrobiana. A baixa solubilidade e estabilidade química, assim como a volatilidade dos principais compostos associados às atividades biológicas da planta justificam o desenvolvimento de formulações que melhorem suas propriedades físico- químicas e características de liberação. Formulações lipídicas têm sido cada vez mais usadas para o aumento da solubilidade de compostos no trato gastrointestinal e para o aumento da biodisponibilidade. O principal objetivo deste projeto foi investigar a produção de formulações lipídicas sólidas contendo compostos bioativos de S. aromaticum e avaliar o efeito da composição da formulação e das variáveis operacionais nas propriedades físico- químicas das partículas, estabilidade e permeação intestinal in vitro. O processo de extração dos compostos a partir da matéria-prima vegetal também foi estudado. A formulação lipídica foi otimizada com respeito ao tipo e a proporção dos lipídeos, do emulsificante e dos carreadores de secagem. Os processos de emulsificação e secagem também foram criteriosamente estudados. Os resultados mostraram que a composição da formulação teve efeitos significativos nas propriedades físico-químicas do produto e no desempenho da secagem. A formulação lipídica otimizada mostrou ser mais estável que a formulação não lipídica em condições de armazenamento de alta umidade. Com relação à permeação intestinal in vitro, utilizando eugenol como marcador, não foram observadas diferenças significativas entre estas duas formulações. Este projeto permitiu obter informações relevantes sobre a secagem por spray drying de formulações lipídicas contendo extratos vegetais. Esta rota tecnológica representa uma estratégia interessante na obtenção de formulações lipídicas estáveis que promovam o aumento da biodisponibilidade oral de compostos bioativos.
Mostrar mais

29 Ler mais

Preparo, caracterização e perfil de liberação in vitro de microesferas de sílica processadas por spray drying

Preparo, caracterização e perfil de liberação in vitro de microesferas de sílica processadas por spray drying

Neste trabalho obteve-se microesferas de cianocobalamina por spray drying em matriz de sílica preparada por método sol-gel a fim de avaliar seu potencial como sistema de liberação controlada. O fármaco foi adicionado à fase sol posteriormente atomizada em um mini-secador Spray Dryer Büchi 190. Foram investigadas diferentes condições de síntese: pH, proporção água/tetraetilortossilicato, concentração de fármaco e influência do polietilenoglicol (híbrido sílica/polietilenoglicol). As microesferas foram caracterizadas por infravermelho (FT-IR), análise térmica (TGA, DSC), picnometria de hélio, distribuição granulométrica laser, microanálise (EDS) e microscopia eletrônica de varredura (MEV), difração de raios X, adsorção de nitrogênio (BET), cromatografia líquida de alta eficiência e perfil de liberação in vitro. A técnica de secagem por spray drying mostrou-se promissora para produção de micropartículas esféricas com estreita distribuição granulométrica. As microesferas de sílica apresentaram superfície lisa e, quando preparadas a partir de fase sol diluída (Rw=42), observou-se estruturas ocas e aglomeradas. O perfil de liberação das amostras em saco de diálise apresentou efeito burst no sexto dia, seguido de um segundo período de liberação lenta. Quando o ensaio de liberação in vitro foi conduzido por dispersão direta das microesferas no meio líquido, a liberação mais importante da cianocobalamina ocorreu em 24h. Deste modo, verificou-se que o saco de diálise impõe uma modificação ao perfil de liberação do fármaco. A liberação de cianocobalamina das microesferas não foi afetada pelas diferentes proporções água/alcóxido utilizadas nas formulações. A liberação lenta da cianocobalamina foi associada à baixa porosidade e ao efeito inibidor do mecanismo de erosão das microesferas, resultante da provável saturação de sílica no meio de liberação.
Mostrar mais

150 Ler mais

BRAZILIAN ARCHIVES OF BIOLOGY AND TECHNOLOGY

BRAZILIAN ARCHIVES OF BIOLOGY AND TECHNOLOGY

Técnicas de encapsulamento, como “spray-drying” e formação de complexos por inclusão com ciclodextrinas, vêm sendo avaliadas para viabilizar a adição de carotenóides em sistemas hidrofílicos e aumentar a sua estabilidade durante o processamento e estocagem. Portanto, o objetivo do presente trabalho foi obter licopeno encapsulado na forma de pó, utilizando processos de “spray-drying” ou de inclusão molecular com β-ciclodextrina (CD) seguido de liofilização. A eficiência do encapsulamento utilizando “spray- drying” variou de 94 a 96% e o rendimento médio foi de 51%, com as microcápsulas apresentando indentações superficiais, porém sem falhas ou aberturas na superfície. A formação de complexo licopeno-β-CD ocorreu apenas quando utilizada razão molar de 1:4, e estruturas irregulares de diferentes tamanhos que eventualmente formaram agregados, similares às da β-CD, foram observadas após liofilização. O licopeno não complexado neste processo ficou em torno de 50%. A pureza do licopeno (% área do all-trans- licopeno) aumentou de 96,4 para 98,1% após o encapsulamento, enquanto que a pureza do licopeno diminuiu de 97,7 para 91,3% após complexação e liofilização. Os dois processos de secagem resultaram em pós rosa claro, secos e com bom fluxo.
Mostrar mais

8 Ler mais

Caracterização morfológica das microcápsulas de inulina de diferentes graus de polimerização médio produzidas por spray drying

Caracterização morfológica das microcápsulas de inulina de diferentes graus de polimerização médio produzidas por spray drying

Considerando o conjunto das diferentes amostras de inulina, pode concluir-se que a amostra Frutalose OFP, constituída exclusivamente por FOS, origina microcápsulas redondas e achatadas, de parede contínua e uniforme, com dimensão média marcadamente superior à das outras amostras, independentemente da temperatura de atomização. Já as restantes amostras (possuindo constituintes da inulina com GP≥10) formam microcápsulas essencialmente esféricas de parede lisa e contínua com presença de enrugamentos e depressões, principalmente quando a temperatura de atomização é mais baixa (120ºC). Também Toneli et al. (2008a) e Barreiros (2009) verificaram que a temperatura de secagem influencia a superfície das microcápsulas formadas, sendo esta mais lisa e homogénea, quanto maior a temperatura de atomização.
Mostrar mais

62 Ler mais

POTENCIAL PROTETIVO DA POLIDEXTROSE COMO AGENTE ENCAPSULANTE DE Bifidobacterium BB-12 ATRAVÉS DO PROCESSO DE MICROENCAPSULAÇÃO POR SPRAY DRYING

POTENCIAL PROTETIVO DA POLIDEXTROSE COMO AGENTE ENCAPSULANTE DE Bifidobacterium BB-12 ATRAVÉS DO PROCESSO DE MICROENCAPSULAÇÃO POR SPRAY DRYING

Cada uma dessas soluções de alimentação foi inoculada com a suspensão de bifidobactéria (6 mL da suspensão em cada 100 mL da solução de alimentação) e avaliadas quanto ao teor de sólidos totais (g 100 mL -1 ), densidade (g cm - ³) e viscosidade (mPa s). As soluções inoculadas foram submetidas à microencapsulação pelo método spray drying, realizado em equipamento spray dryer modelo B-290 (Buchi, Flawil, Suíça), utilizando ar de secagem com temperatura de entrada de 150 ± 2 ºC e de saída de 55 ± 3 ºC. Durante esta operação de secagem as três soluções de alimentação contendo a suspensão de Bifidobacterium BB-12 (controle, A1, A2) foram mantidas em temperatura ambiente com agitação usando agitador magnético modelo DI 03 (Dist, Santa Catarina, Brasil) até a entrada na câmara principal do spray dryer, realizada com auxílio de bomba peristáltica com fluxo de alimentação de 6 mL min -1 , taxa de alimentação do fluxo de ar quente igual 35 m 3 h -1 e pressão do compressor de ar igual a 0,7 mPa. Cada uma das três amostras em pó foi coletada na base do ciclone do equipamento de secagem e misturada com auxílio de uma espátula, sendo denominadas de MC, M1 e M2, para as provenientes da solução de alimentação inoculadas com a suspensão de bifidobactéria controle, A1 e A2, respectivamente.
Mostrar mais

14 Ler mais

Funcionalidade de própolis livre e microencapsulada em salame tipo italiano

Funcionalidade de própolis livre e microencapsulada em salame tipo italiano

Antioxidantes sintéticos são atualmente adicionados em salames, porém, devido à maior preocupação dos consumidores com a saúde e a toxicidade destes compostos, os antioxidantes naturais vêm sendo muito estudados. A própolis é um composto que apresenta várias propriedades biológicas, dentre elas a antioxidante. No entanto, devido ao seu sabor forte e dificuldade de solubilização, é pouco empregada em alimentos, sendo que técnicas de microencapsulação têm solucionado este tipo de problema. Assim sendo, o objetivo deste trabalho foi avaliar a funcionalidade da própolis livre e microencapsulada como antioxidante natural em salame tipo Italiano, verificando também os efeitos desta incorporação sobre as características de qualidade deste produto. Para isso, um ensaio (ensaio 1) com própolis microencapsulada por spray drying com dois agentes encapsulantes distintos, amido OSA (amido com anidrido octenil succínico) e goma arábica, foram aplicadas em diferentes concentrações em salames e comparadas com uma amostra padrão, isenta de própolis e antioxidante sintético. As amostras de salame adicionadas de 0,15% de própolis microencapsulada, tanto com amido OSA como goma arábica, mostraram-se eficientes no controle da oxidação lipídica durante o processo de secagem e maturação dos salames, diferindo consideravelmente do controle. Neste caso, o teor de acidez, cor instrumental e pH não foram afetados negativamente. Após os ensaios da estabilidade e propriedades das microcápsulas, em conjunto com os resultados do ensaio 1, um segundo ensaio foi realizado (ensaio 2), onde os salames foram divididos nos grupos spray drying e coacervação. A funcionalidade da própolis livre, microencapsulada por spray drying com dois agentes encapsulantes diferentes e por coacervação complexa, foi avaliada comparando
Mostrar mais

127 Ler mais

Increasing energy efficiency in microencapsulation of soybean oil by spray drying / Aumento da eficiência energética na microencapsulação de óleo de soja por spray drying

Increasing energy efficiency in microencapsulation of soybean oil by spray drying / Aumento da eficiência energética na microencapsulação de óleo de soja por spray drying

O objetivo deste estudo foi avaliar a influência da temperatura do ar de entrada da secagem por aspersão nas propriedades das micropartículas e a perda de calor na câmara de secagem no sentido de selecionar as condições que promovem a preservação de compostos funcionais e melhoram a eficiência energética. A eficiência energética do processo foi avaliada variando a temperatura do ar de entrada (T) de 110 a 150 ° C e o fluxo de ar (AF) de 20 a 40kg / h, sendo a eficiência energética, a variável resposta. As microesferas apresentaram uma superfície contínua e sem rachaduras, o que dificulta a difusão do ar e reduz a probabilidade de oxidação de triglicerídeos no núcleo. As curvas de perda de calor foram plotadas considerando os princípios de conservação de massa e energia aplicados às correntes de entrada e saída. Além disso, os parâmetros termodinâmicos foram continuamente monitorizados durante o secador por aspersão. Assim, as condições operacionais selecionadas (T = 130 ° C, AF = 20 kg.h1) permitiram alcançar alta eficiência de encapsulação (95%) e economia de energia em comparação aos processos convencionais usando temperaturas do ar de entrada acima de 180 ° C, uma melhoria significativa compostos termo-sensíveis.
Mostrar mais

14 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA DA REDE NORSDESTE DE BIOTECNOLOGIA (RENORBIO) MARILIA DE FREITAS CABRAL ARAGÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA DA REDE NORSDESTE DE BIOTECNOLOGIA (RENORBIO) MARILIA DE FREITAS CABRAL ARAGÃO

Os valores obtidos para a eficiência de encapsulação foi de 39 e 59,6%, para a proporção 5:1 e 10:1, respectivamente. A proporção de 10:1 foi considerada a melhor devido a sua maior eficiência, assim, esta foi selecionada para o estudo. Alvim et al. (2016) determinaram uma eficiência de encapsulamento de 100%, pelo método de spray drying com uma temperatura de entrada de 150 °C e o fluxo de alimentação de 8 mL/minuto, quando utilizaram goma arábica como material de parede e o ácido ascórbico como substância ativa. Já Mahdavi et al. (2016) relataram uma variação de 86 a 96% de eficiência quando utilizaram a combinação de maltodextrina com gelatina e goma arábica como material de parede e um extrato aquoso de antocianinas para obtenção de micropartículas pelo método spray drying onde a temperatura de entrada foi de 150 °C e o fluxo de alimentação foi de 800 mL/hora. De acordo com Jafariet et al. (2008), as propriedades dos materiais de parede e do núcleo, bem como, as características da emulsão e os parâmetros de secagem (especialmente as condições de secagem por atomização, tais como temperaturas de entrada e saída, taxa de fluxo de alimentação, fluxo de ar e umidade, tamanho de partícula em pó, etc. ) são os fatores que podem afetar a eficiência do encapsulamento. Enquanto Pinto et al. (2016) mencionaram que o tamanho das partículas e a eficiência de encapsulamento mostrou-se dependente da quantidade do polímero, ou seja, o aumento da quantidade de polímero aumentou a eficiência de encapsulamento e o tamanho das partículas.
Mostrar mais

88 Ler mais

Powdered yoghurt produced by spray drying and freeze drying: a review Iogurte em pó por atomização e liofilização: uma revisão

Powdered yoghurt produced by spray drying and freeze drying: a review Iogurte em pó por atomização e liofilização: uma revisão

O iogurte é um dos derivados lácteos mais consumidos no mundo. No entanto, o produto desidratado ainda é pouco comum. Alimento nutritivo, o iogurte em pó pode ser utilizado como ingrediente ou suplemento de sucos, biscoitos, sorvetes, doces e bebidas lácteas. O processo de secagem por spray driyng e a liofilização são os métodos mais utilizados para desidratação de lácteos. A definição do processo e suas condições está diretamente ligada aos custos de produção e à valorização do produto final. Devido ao estresse osmótico e térmico, muitas vezes durante a desidratação, faz-se necessária a incorporação de substâncias, como carreadores, termoprotetores, crioprotetores e estabilizantes, para melhorar o rendimento do processo, a preservação de nutrientes e até mesmo uma posterior reidratação do produto. Diante disto, esta revisão tem, como objetivo, apresentar as tecnologias disponíveis para a obtenção de iogurte em pó, descrevendo processos auxiliares de secagem, taxas e condições de sobrevivência das bactérias lácticas, além da reidratação.
Mostrar mais

9 Ler mais

Micropartículas de poli (ácido láctico)/ poloxâmero obtidas por spray drying para liberação modificada de metotrexatro

Micropartículas de poli (ácido láctico)/ poloxâmero obtidas por spray drying para liberação modificada de metotrexatro

O aspirador, também conhecido como exaustor, influencia na quantidade de ar de secagem no equipamento. Geralmente o ar atmosférico passa por um sistema de filtros, sendo em seguida, aquecido (CAL; SOLLOHUB, 2010). À medida que a velocidade de aspiração é regulada, a quantidade de ar seco pode aumentar ou diminuir, apresentando efeito significativo no rendimento do processo (BÜCHI, 2002; SILVA-JÚNIOR, 2005). O fluxo de ar de atomização é definido como a quantidade de ar pressurizado necessário para atomizar de forma eficiente a dispersão. Quanto maior o fluxo de ar, menor será o tamanho de partículas. Além disso, a umidade do ar residual deve ser considerada na obtenção do produto final, pois pode favorecer o processo de aglomeração de partículas (BETE ® , 2005; SILVA- JÚNIOR, 2005).
Mostrar mais

109 Ler mais

Determinação das especifícações do processo 'spray drying' na obtenção de micropartículas...

Determinação das especifícações do processo 'spray drying' na obtenção de micropartículas...

A escolha por uma temperatura intermediária deve-se ao fato de que uma baixa temperatura de entrada não conseguiria evaporar o solvente, não sendo possível, portanto, a secagem. Entretanto, altas temperaturas podem degradar o produto em processo. Uma pequena vazão da bomba peristáltica propicia uma alimentação lenta da composição a ser atomizada, o que favorece a secagem; enquanto que, grandes vazões levam a um produto com umidade elevada, o qual adere-se nas paredes da câmara de secagem e ciclone. Uma alta pressão de ar comprimido acarretam a redução no diâmetro das gotas atomizadas, elevando a área de transferência de calor e de massa disponível e, conseqüentemente, da taxa de secagem. Dessa forma, quanto maior a pressão de ar comprimido, melhor a eficiência da secagem. Com pequenas vazões do ar de secagem, ocorre uma secagem parcial da suspensão alimentada, fazendo com que haja derramamento de suspensão pelas paredes da câmara de secagem até o tubo coletor de excesso. Vazões elevadas do ar de secagem fornece uma maior quantidade de calor sensível ao sistema, levando a um produto com menor teor de umidade. Outro efeito produzido pelo aumento da vazão de ar é a conseqüente redução do tempo médio de residência de produto no interior da câmara de secagem.
Mostrar mais

96 Ler mais

Potencial do soro de leite líquido como agente encapsulante de Bifidobacterium Bb-12 por spray drying: comparação com goma arábica.

Potencial do soro de leite líquido como agente encapsulante de Bifidobacterium Bb-12 por spray drying: comparação com goma arábica.

o armazenamento prolongado de pós contendo probióticos. ZAYED & ROOS (2004) observaram que o conteúdo ótimo de água para armazenamento de L. salivarius subsp. salivarius variou de 2,8 a 5,6%, enquanto que valores maiores de água residual imediatamente após a secagem levam a perdas mais elevadas de células probióticas durante o armazenamento na forma de pó. O conteúdo de água residual obtido neste estudo para as microcápsulas de Bifidobacterium Bb-12 com goma arábica e com soro de leite é adequado para armazenamento a longo prazo. A fim de avaliar o efeito da temperatura de armazenamento na viabilidade de Bifidobacterium Bb- 12 microencapsulada com goma arábica, os pós obtidos no spray dryer foram mantidos a 4°C e a -18°C. As microcápsulas mantidas a -18°C apresentaram contagens satisfatórias (>6log UFC g -1 ) durante 40
Mostrar mais

7 Ler mais

Microencapsulation of virgin coconut oil by spray drying / Microencapsulação de óleo de coco virgem por spray spray

Microencapsulation of virgin coconut oil by spray drying / Microencapsulação de óleo de coco virgem por spray spray

A microencapsulação e nanoencapsulação por spray drying é uma tecnologia inovadora que tem sido empregue na elaboração de novos produtos. O óleo de coco virgem, contém uma grande quantidade de ácidoláurico e ácidos graxos de cadeia curta, que são usados como antioxidantes, antibacterianos, antivírus e no aumento da imunidade humana. Esse trabalho foi feito com o objetivo de caracterizar a nanoencapsulação e microencapsulação de óleo de coco virgem por meio de secagem por atomização via spray drying. Foram avaliadas as variáveisconcentração de sólidos totais, concentração de óleo em relação aos sólidos e temperatura de secagem, por meio de um delineamento experimental 23. Foram utilizados: 20 a 30% de sólidos totais usando isolado proteico de soja com maltodextrina, em uma proporção 1:2, concentração de óleo de coco virgem de 25 a 50% com relação aos sólidos totais, temperatura de secagem de 160 e 180 °C e como emulsificante éster de sacarose a 0,5%. Foram caracterizadas as emulsões e microcápsulas pelas propriedades: Estabilidade da emulsão, microscopia, higroscopicidade, umidade, atividade de água, densidade aparente, óleo retido na emulsão e na microcápsula, óleo superficial, eficiência de encapsulação, retenção de óleo e morfologia. Os critérios para a seleção do melhor processo de microencapsulação foram a retenção de óleo e o baixo teor de óleo em relação aos sólidos. Asanálises morfológicas mostraram melhores volumes esféricos com menores fissuras ou rachaduras aparentes, lisas e de menor tamanhos (2,5 a 20 μm de diâmetro) tiveram microcápsulas com menores concentrações de sólidos totais na menor temperatura.
Mostrar mais

20 Ler mais

Influência do processo de secagem e condição de armazenamento de extratos secos de Bauhinia forficata e Passiflora alata sobre seu perfil de dissolução.

Influência do processo de secagem e condição de armazenamento de extratos secos de Bauhinia forficata e Passiflora alata sobre seu perfil de dissolução.

ABSTRACT: Inluence of the drying process and storage condition on the dissolution behavior of dried extracts of Bauhinia forficata and Passiflora alata. I n B r a z i l , most of the herbal medicinal products are considered as medicine. Therefore, it is necessary the establishment of tests to guarantee the maintenance of quality requirements during their processing and storage. The dissolution test is used to estimate the bioavailability of drugs and is routinely used in the development and the quality control of allopathic medicines. The determination of the dissolution proile of herbal products can also be an important criterion for assessing the batch-to-batch quality as well as for studies of product development and stability. This work aimed to investigate the dissolution proiles of dried extracts of two medicinal plants widely used in Brazil, the Bauhinia foricata and Passilora alata, by assessing the effect of the drying methods and storage condition on the release of the total lavonoid contents. Spouted bed and spray drying were the processes used for the production of the dried extracts. The products were subjected to accelerated storage conditions (temperature of 40 ± 2ºC and relative humidity of 75 ± 5%, for 90 days). The dissolution proiles of the dried extracts, before and after storage, were determined. The concentration of total lavonoids was quantiied by spectrophotometry. Adequate dissolution proiles of lavonoids from B. foricata and P. alata were obtained for all the dried extracts produced. The dried extracts of Passilora alata showed the complete dissolution of lavonoids in the dissolution media investigated, respectively 92% and 98% of lavonoids present in the dried extracts in spouted bed and spray drying after 60 minutes of the dissolution testing.
Mostrar mais

9 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS

Figura 4.32 Análise Termogravimétrica dos compósitos obtidos por secagem via Spray Drying das dispersões Pani/NaAlH4 (70/30) com e sem TiO2.. Figura 4.33 Análise Termogravimétrica[r]

150 Ler mais

PERFORMANCE OF MUF RESINS FOR PARTICLEBOARDS BEFORE AND AFTER SPRAY-DRYING

PERFORMANCE OF MUF RESINS FOR PARTICLEBOARDS BEFORE AND AFTER SPRAY-DRYING

is not possible to change markedly the percentage as this will cause a very marked decrease in performance, hence failure to satisfy the relevant standard specifications. However the shelf-life of modern MUF resins prepared and delivered in liquid form is rather limited, varying between one week and a few months according to how advanced or accelerated is the resin. This constitutes a supply problem for small companies using either moderate amounts of MUF resin or using it only occasionally and at irregular times: the leftover resin cannot be conserved for long without hardening, thus going to waste. A solution to this problem would be to spray- dry the resin, thus to eliminate the water and to stock it in inert powder form, ready to be redissolved in water an reactivated only when needed.
Mostrar mais

7 Ler mais

A user-friendly model for spray drying to aid pharmaceutical product development.

A user-friendly model for spray drying to aid pharmaceutical product development.

Although the relative humidity was found particularly useful for production of amorphous materials by spray drying, the relative humidity was also used as a variable to improve the output of the model. Without information on relative humidity, it remains unknown how much liquid can actually be evaporated. Therefore, the assumption was made that all the liquid fed into the spray dryer was evaporated. This also meant that when the liquid feed flow in the model was set higher than what could in practice be evaporated due to relative humidity limitations at the outlet, the model would simply use this information and return an outlet temperature based on unrealistic circumstances. In other words, the model would predict a combination of liquid feed flow and outlet temperature that would in practice result in a wet product. However, since the relative humidity calculation was added to the model, the assumption that all liquid is evaporated was no longer necessary. Instead, the relative humidity could be coupled to the amount of liquid evaporated to cap the relative humidity at 100%. If the calculated relative humidity would be higher than 100%, the model would simply reduce the amount of evaporated liquid until a relative humidity of 100% is reached. Therefore, the model will no longer predict a relative humidity above 100%, and does not overestimate the amount of liquid evaporated in case too much liquid is sprayed into the modeled spray dryer. Although such conditions are very unlikely to be sought after in a spray drying process, the addition of such calculations does help in reducing the amount of misinformation that could otherwise be obtained by using the model. In addition to the liquid feed flow, knowing the relative humidity also allows one to calculate the adiabatic saturation temperature, which is close to the wet bulb temperature and could be used as an indication of the product temperature during evaporation of the liquid prior to crust formation. However, no experiments have been performed to validate these additions. Besides the relative humidity, extending the model was also found to be quite useful for less common spray dryer configurations. For example, spray drying is usually performed on a single liquid solution. However, there are many interesting applications in which two separate solutions are introduced into the spray dryer to form a mixture with the use of a 3 or 4-fluid nozzle [31,32]. Therefore, a second liquid stream was added to the model, which enabled the prediction of the outlet conditions depending on the ratio of the two liquid feed flows.
Mostrar mais

11 Ler mais

Comparison between freeze and spray drying to obtain powder Rubrivivax gelatinosus biomass

Comparison between freeze and spray drying to obtain powder Rubrivivax gelatinosus biomass

Although adhesiveness was not measured in this study, it may have been responsible for the lower product recovery for spray drying. Some foods and pharmaceuticals tend to adhere to the spray dryer chamber causing considerable losses during the drying process (BHANDARI; HOWES, 1999). On the other hand, this was not a problem for freeze drying. With regard to productivity, freeze drying required 48 hours for the water removal, but spray drying, under the experimental conditions used in this study, was accomplished within 2 hours; which explains the higher values of productivity found for this technique.
Mostrar mais

5 Ler mais

Show all 1519 documents...