segurança de alimentos.

Top PDF segurança de alimentos.:

Qualidade e diversidade microbiana da água obtida pelo sistema de purificação instalado no prédio dos Laboratórios de Qualidade e Segurança de Alimentos

Qualidade e diversidade microbiana da água obtida pelo sistema de purificação instalado no prédio dos Laboratórios de Qualidade e Segurança de Alimentos

A água purificada exerce um papel fundamental na rotina laboratorial e em diversas aplicações, exigindo elevado grau de pureza. Deste modo, foi realizada uma avaliação da qualidade da água distribuída pelo sistema de purificação de água instalado nos Laboratórios de Qualidade e Segurança de Alimentos do Departamento de Tecnologia de Alimentos da UFV. A primeira parte do trabalho aborda a qualidade físico-química e microbiológica da água potável que alimenta o sistema de purificação e também a qualidade da água obtida e distribuída nos pontos de uso. A instalação e as condições de operação e desempenho do sistema de purificação de água foram avaliados. A avaliação da água potável que abastece o sistema de purificação permitiu constatar uma boa qualidade, tanto para as especificações físico-químicas (alcalinidade 20,3 mg·L -1 CaCO 3 ,
Mostrar mais

96 Ler mais

Perceção do risco de Listeria monocytogenes em alimentos prontos a consumir (RTE)

Perceção do risco de Listeria monocytogenes em alimentos prontos a consumir (RTE)

2 Apesar de toda a legislação existente, nos últimos anos, as repetidas ocorrências de crises alimentares e o seu mediatismo têm afetado negativamente a confiança dos consumidores em relação aos produtos alimentares e à indústria alimentar no geral (Tiozzo et al, 2017). Por outro lado, a modernização dos métodos de produção, tem levado também a um decréscimo de confiança por parte do consumidor em relação à indústria alimentar, muitas vezes por desconhecimento dos mesmos (Miles et al, 1999; Sirieix et al, 2007; Cunha, 2010). Estes factos, condicionam o comportamento de compra, pois os fatores emocionais dos consumidores (motivações, personalidade e perceções) interferem no comportamento de compra dos mesmos. Assim, é de extrema importância o conhecimento da perceção que o consumidor tem sobre a segurança de alimentos específicos, permitindo assim que as empresas do setor e as entidades governamentais possam atuar de acordo.
Mostrar mais

94 Ler mais

Segurança dos alimentos no setor hoteleiro: caracterização das empresas e avaliação...

Segurança dos alimentos no setor hoteleiro: caracterização das empresas e avaliação...

adoção dessas ferramentas em serviços de alimentação. A primeira necessidade a ser suprida deve ser em relação à formação e capacitação dos profissionais atuantes na área, pois, atualmente, a baixa capacitação técnica e as práticas inadequadas de higiene são as razões que geram os maiores riscos à saúde dos consumidores. Por isso, na formulação de programas públicos voltados a segurança de alimentos é de suma importância que sejam consideradas as características dos serviços existentes, o porte fiscal e o público consumidor. Além disso, é preciso conscientizar empresários e gerentes que a adoção dessas ferramentas auxilia, fortalece e credencia a empresa junto ao mercado, aumentando sua competitividade. Ademais, proporcionam a formação de seus colaboradores, estabelecendo um processo de melhoria contínua dos seus serviços. Para desenvolver treinamentos aos manipuladores de alimentos devem ser consideradas suas características de formação, crenças racionais e irracionais e suas percepções de risco referente à produção de alimentos seguros. Isso permitirá desenvolver programas de treinamentos contínuos, bem elaborados e com número de horas suficiente para formar um conhecimento estruturado e sólido, visando desenvolver atitudes e práticas que tornem viáveis a implantação destas ferramentas para garantia da produção de alimentos inócuos à saúde dos consumidores. (BAS; ERSUN; KIVANC, 2006; BRASIL, 2002, 2004; FAO, 2003, 2004; FDA, 2006a,2006b; LUNING et al., 2013a; SENAI, 2014; WU, 2012).
Mostrar mais

174 Ler mais

Roberto Marques 21223003 MEAL Relatório 2014

Roberto Marques 21223003 MEAL Relatório 2014

O Livro Branco para a segurança dos alimentos apresenta uma abordagem nova, global e integrada da forma como se deve garantir elevados padrões de segurança dos alimentos na UE, nomeadamente a necessidade de: criação de uma Autoridade Alimentar Europeia (AAE); atribuir a principal responsabilidade pela segurança dos alimentos à indústria, aos produtores e aos fornecedores; dar uma importância fundamental à rastreabilidade e rotulagem dos géneros alimentícios; basear a segurança dos alimentos em pareceres científicos e no recurso ao princípio da precaução, bem como considerar a higiene como elemento fundamental na segurança dos alimentos; criar um sistema de vigilância semelhante ao Sistema Alerta Rápido; realçar a importância do controlo do sector da alimentação animal, bem como a saúde e bem- estar do animal; realçar o facto dos diferentes níveis de implementação das Directivas Comunitárias nos vários estados membros não permitir um mesmo nível de protecção para o consumidor; em conjunto com a AAE, promover a informação e participação do consumidor na política de segurança alimentar; estabelecer prioridades e definir um plano de acção com a devida calendarização e o objectivo de cada medida em matéria de segurança dos alimentos (Mariano & Cardo, 2007).
Mostrar mais

51 Ler mais

Restaurantes self-service: segurança e qualidade sanitária dos alimentos servidos.

Restaurantes self-service: segurança e qualidade sanitária dos alimentos servidos.

Fizeram parte desse estudo, 16 restauran- tes self-service que representam o total desta tipo- logia, na região central do município de Taubaté (SP). Em cada restaurante foram coletadas quatro amostras, sendo dois alimentos quentes e dois alimentos frios. Para os alimentos quentes deu- -se preferência àqueles à base de carne e para os frios àqueles que continham maionese, e na ausência destes, àqueles que exigiram mais mani- pulação pós-cocção.

8 Ler mais

Segurança alimentar e uso de alimentos regionais: validação de um álbum seriado.

Segurança alimentar e uso de alimentos regionais: validação de um álbum seriado.

El objeivo de este estudio fue validar el con- tenido y la apariencia de un rotafolio para la promoción de la seguridad alimentaria mediante la uilización de alimentos regio- nales. Invesigación metodológica, con doce evaluadores, realizada entre abril y junio de 2010, analizando iguras y ichas-guión del álbum seriado respecto a la validad de apa- riencia (claridad/comprensión) y de conte- nido (relevancia). En lo referente a la valida- ción de apariencia de las iguras, la claridad y comprensibilidad varió entre 83,3% a 100%; y en relación a las ichas-guión, 91,6% de los evaluadores las caliicaron como compren- sibles. El Índice de Contenido Global de las iguras fue 0,95 y el de las ichas-guión de 0,98. De tal manera, el álbum seriado puede considerarse una nueva herramienta edu- caiva, que está validada para ser uilizada por el profesional de enfermería durante la consulta de puericultura para la promoción de salud infanil.
Mostrar mais

8 Ler mais

Percepção do consumidor frente aos riscos associados aos alimentos, sua segurança e rastreabilidade.

Percepção do consumidor frente aos riscos associados aos alimentos, sua segurança e rastreabilidade.

Nas últimas décadas, tem-se observado um crescente interesse dos consumidores pelas questões relacionadas à segurança dos alimentos. Os governos têm sido pressionados a adotar medidas que assegurem a inocuidade dos alimentos e, consequentemente, legislações rigorosas quanto à contaminação dos alimentos por agentes físicos, químicos e microbiológicos estão sendo implantadas. Dentro desse panorama, conhecer a percepção do consumidor brasileiro sobre o tema é extremamente relevante. No presente estudo, avaliaram-se, em duas grandes cidades brasileiras (Campinas-SP e Rio de Janeiro-RJ), os critérios utilizados por consumidores para a compra de produtos alimentícios e suas visões sobre os riscos potenciais de contaminação dos alimentos. Avaliou-se também a percepção dos consumidores sobre a rastreabilidade e seu papel na melhoria da segurança dos alimentos, utilizando-se a metodologia focus group. Três sessões de discussão foram conduzidas (duas em Campinas e uma no Rio de Janeiro), tendo sido observadas diferenças entre os consumidores das distintas praças. Os consumidores de Campinas mostraram-se mais preocupados e interessados no assunto do que os do Rio de Janeiro, pois relataram buscar mais informações nos rótulos de alimentos. Menções relacionadas a riscos, como intoxicação alimentar, botulismo e agrotóxicos foram comuns para os entrevistados das duas cidades e, entre os principais produtos considerados com risco à saúde, ficaram as carnes e os frutos do mar, sendo estes últimos com maior ênfase no Rio de Janeiro. Dentre os produtos reconhecidos como seguros, destacaram-se as frutas (produzidas sem agrotóxicos), os legumes e os produtos secos/desidratados. Em todos os grupos, observou-se grande preocupação com a contaminação por agrotóxicos e metais pesados. Em termos microbiológicos, ambas as praças destacaram os riscos com bactérias, especialmente a Salmonella. O tema rastreabilidade se mostrou relevante nos três grupos, pois esta deve contribuir para o recolhimento mais eficiente de produtos, caso seja necessário. No entanto, sob a ótica do consumidor, a rastreabilidade leva ao aumento dos preços, embora aumente a confiança em relação à segurança dos alimentos. Muitas das preocupações dos consumidores refletem as informações publicadas em revistas e jornais, como o caso da crença de que hormônios são utilizados na cadeia da carne de frango. Indústria e varejistas devem incrementar a comunicação de informações científicas sobre a segurança dos alimentos, contribuindo, assim, na educação do consumidor.
Mostrar mais

8 Ler mais

O capital humano e a segurança dos alimentos: um olhar humanista na prática da alimentação...

O capital humano e a segurança dos alimentos: um olhar humanista na prática da alimentação...

O presente estudo teve por objetivos: 1) caracterizar o Perfil Socioeconômico dos colaboradores; 2) caracterizar o Clima Organizacional; 3) caracterizar Comprometimento Organizacional; e 4) caracterizar e mapear o comportamento organizacional e verificar suas influencias no cumprimento da Boas Práticas de Higiene e Manipulação dos Alimentos. Refere-se a um estudo de caso com enfoque participativo utilizando-se de entrevistas, por se tratar de uma pesquisa essencialmente qualitativa. Concluiram-se que: 1) a valorização profissional, as relações interpessoais, os benefícios e políticas de incentivos oferecidos pela organização, bem como as condições físicas do ambiente promovem em seus colaboradores o desejo de permanência, comprometimento, engajamento, entusiasmo, envolvimento e bem-estar; 2) a compatibilidade dos objetivos individuais e organizacionais, associada à comunicação efetiva entre os diferentes níveis hierárquicos estimulam a motivação e o comprometimento resultando em produtividade, engajamento, bem-estar e envolvimento com as Boas Práticas de Higiene e Manipulação de Alimentos; 3) as falhas de procedimentos técnicos associam-se à falta de competências de alguns colaboradores, à comunicação não efetiva e à presença do sentimento de desvalorização profissional e pessoal; 4) competência, satisfação, idade, escolaridade, tempo de trabalho, e remuneração foram indicadores comuns para caracterização do comprometimento instrumental, normativo, afetivo e afiliativo.
Mostrar mais

111 Ler mais

Auditoria de segurança e saúde do trabalho em uma indústria de alimentos do Estado do Paraná

Auditoria de segurança e saúde do trabalho em uma indústria de alimentos do Estado do Paraná

No que refere a equipamentos de proteção individual, Lacerda et al. (2005), semelhantemente a esta pesquisa, observou índices sensivelmente elevados de ruídos no processo produtivo de uma industria de alimentos, onde os colaboradores utilizavam protetores auriculares, porém sem a comprovação de sua eficácia. Em relação à Empresa X, ainda inexistem EPIs para o risco químico, contados na NR-6 (BRASIL, 2001), em que se ressalta que para este caso a utilização de avental, luvas, proteção ocular, bem como máscara para a proteção respiratória seriam ideais.
Mostrar mais

27 Ler mais

Fatores associados à segurança alimentar nos domicílios brasileiros em 2009.

Fatores associados à segurança alimentar nos domicílios brasileiros em 2009.

Este estudo pretende identificar os fatores associados à segurança alimentar nos domicílios brasileiros, por meio de um modelo de escolha binária (logit). Considera-se como medida desse fenômeno a ingestão calórica domiciliar, com base nos dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF/IBGE) de 2008-2009. Embora apenas 12,4% dos domicílios ainda não apresentem um nível de segurança alimentar adequado, os resultados deste trabalho mostram que fatores como situação de pobreza e carência de itens básicos de infraestrutura e tamanho do domicílio contribuem para a incidência de segurança alimentar nesses domicílios. Além disso, residir em áreas rurais apresenta-se mais favorável à segurança alimentar. Ressalta-se a não existência de diferenças entre o consumo calórico domiciliar das regiões Nordeste e Sudeste, embora residir na região Sul ainda seja favorável para os domicílios estarem seguros quanto ao aspecto alimentar. Ademais, reforça-se a importância da educação, que contribui para o consumo alimentar.
Mostrar mais

22 Ler mais

Efetividade do processo de capacitação dos enfermeiros para utilização do álbum seriado : alimentos regionais promovendo a segurança alimentar

Efetividade do processo de capacitação dos enfermeiros para utilização do álbum seriado : alimentos regionais promovendo a segurança alimentar

o manual “Alimentos regionais Brasileiros”.Na avaliação do conhecimento teórico, das treze categorias criadas, em nove delas, todas as enfermeiras acertaram tanto as questões pré-teste como as do pós-teste. Já na atividade de simulação durante as três primeiras demonstrações, segundo as observadoras, não houve o cumprimento dos itens propostos. Contudo, nas demais, todos os itens foram contemplados satisfatoriamente. Em relação à avaliação da capacitação, as participantes consideraram que adquiriram novos conhecimentos, que a metodologia empregada favoreceu o aprendizado e ressaltaram ainda o interesse em utilizar o álbum seriado. Quanto à avaliação geral da capacitação, quatro enfermeiras consideraram-na como ótima; e três, como excelente. Conclui-se que o presente estudo possibilitou a elaboração de um processo de capacitação com uso de instrumentos válidos, os quais viabilizaram o desenvolvimento de uma proposta estruturada, proporcionando, assim, uma prática dialógica e reflexiva, a partir do álbum seriado.
Mostrar mais

141 Ler mais

Rev. Saúde Pública  vol.34 número1

Rev. Saúde Pública vol.34 número1

A adoção dessa Política pelo setor configura um mar- co importante na medida em que a alimentação e a nutri- ção constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde. No contexto da alimentação e nutri- ção o Brasil convive com situações extremas: de um lado, a desnutrição e a carência de alguns micronutrientes essenciais ainda são prevalentes e, de outro, as altas e crescentes taxas de obesidade. Essa Política Nacional insere-se no contexto da segurança alimentar e nutricional e tem como propósito a garantia da qualidade dos alimentos colocados para consumo no país, a promoção de práticas alimentares saudáveis e a prevenção e o controle dos distúrbios nutricionais, bem como o estímulo às ações intersetoriais que propi- ciem o acesso universal aos alimentos.
Mostrar mais

6 Ler mais

Integração da IOT e arduino para avaliação da qualidade do leite: uma revisão sistemática/  IOT and arduino integration for milk quality assessment: a systematic review

Integração da IOT e arduino para avaliação da qualidade do leite: uma revisão sistemática/ IOT and arduino integration for milk quality assessment: a systematic review

Devido à grande preocupação com a qualidade de alimentos, não só o leite, autores como Rajkumar et al. (2017) e Crisnapati et al. (2017) apontam que a elaboração de equipamentos de baixo custo e fácil manutenção podem facilitar o controle de processo e a detecção de falhas. Então, “Quais são as medidas mitigatórias apontadas pelos autores estudados com relação à qualidade do leite? ”, Ghasemi-Varnamkhasti et al. (2017) salienta que uma das maneiras de detectar a adulteração do leite é a fabricação e o desenvolvimento de ferramentas e técnicas de de medição confiáveis, como Nariz e Língua Eletrônico, medição por admissão elétrica, biossensores, medição de condutância e frequência, espectroscopia, processamento de imagem e avaliação ultra-som.
Mostrar mais

18 Ler mais

Segurança Alimentar e Nutricional entre os Guaranis Mbyá da Aldeia Boa Esperança, Aracruz, Espírito Santo, Brasil

Segurança Alimentar e Nutricional entre os Guaranis Mbyá da Aldeia Boa Esperança, Aracruz, Espírito Santo, Brasil

O estudo descreve a situação de segurança alimentar vivenciada por indivíduos da tribo guarani, moradores da aldeia Boa Esper- ança, no município de Aracruz, Espírito Santo, Brasil. Foi utilizada a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA) adaptada, com 15 questões que refletem a insegurança alimentar e nutricional em diferentes níveis de intensidade. Foram investigados todos os 25 domicílios da aldeia, dos quais foram obtidas informações sociodemográficas. A prevalência de domicílios com algum grau de insegurança alimentar foi de 9% para insegurança leve, 41% moderada e 41% grave. Grande parte dos indivíduos convivia com o medo de ficar sem alimentos, havendo entrevistados que afirmaram ter passado por situações de fome no mês anterior à entrevista, apontando que o mesmo ocorreu com as crianças da família. Situações mais graves de insegurança alimen- tar e nutricional foram observadas em domicílios onde havia menor renda mensal per capita, maior densidade domiciliar, maior número de filhos por grupo familiar. A utilização da EBIA adaptada mostrou-se uma forma possível de avaliar a situação alimentar das famílias, perpassando desde a preocupação com a falta de alimento no futuro próximo até a redução quantitativa na alimen- tação. Entretanto, a sua utilização com outros grupos deve ser concebida à luz das especificidades de cada povo, e a aplicação da escala tem de ser precedida de etapa de adaptação.
Mostrar mais

8 Ler mais

ASPECTOS SOCIAIS, ECONÔMICOS E CULTURAIS DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS ASSISTIDOS PELO PROJETO FLORESTAÇÃO NO ESTADO DO CEARÁ

ASPECTOS SOCIAIS, ECONÔMICOS E CULTURAIS DE SISTEMAS AGROFLORESTAIS ASSISTIDOS PELO PROJETO FLORESTAÇÃO NO ESTADO DO CEARÁ

Dessa maneira, os Quintais Produtivos são mais uma forma de promover a sustentabilidade da agricultura familiar como estratégia para: lidar com os riscos econômicos e sociais advindos de fatores internos e externos, devido instabilidade climática do Semiárido; incrementar a produtividade global da propriedade; garantir segurança alimentar e nutricional das famílias; obtenção de renda; resgatar as culturas tradicionais locais; incentivar experiências de autogestão pelos grupos envolvidos e promover a inclusão de gênero e juventude com participação efetiva nestes grupos já que este jovem é alvo de maiores tendências ao êxodo rural. (CETRA, 2014)
Mostrar mais

37 Ler mais

FACULDADE NOVOS HORIZONTES Programa de Pós-graduação em Administração Mestrado

FACULDADE NOVOS HORIZONTES Programa de Pós-graduação em Administração Mestrado

Esta dissertação teve por objetivo estudar as vivências de prazer e sofrimento no trabalho, segundo a percepção de motoristas profissionais, empregados de uma indústria de alimentos situada em Minas Gerais. Com vistas a atingir os objetivos propostos, realizou-se uma pesquisa do tipo descritivo, com abordagem de cunho qualitativo e método consistente no estudo de caso. A coleta de dados foi realizada mediante entrevistas semiestruturadas, a partir de um questionário de pesquisa elaborado com base no Inventário de Trabalho e Riscos de Adoecimento - ITRA, desenvolvido por Mendes e Ferreira (2007), com estrutura adaptada de Souza (2015), para fins da pesquisa qualitativa. Foram realizadas dez entrevistas, sendo que os entrevistados foram selecionados por critério de disponibilidade. Realizadas as entrevistas, essas foram integralmente transcritas para que, uma vez analisadas, prestassem-se aos objetivos do trabalho. Os dados coletados receberam o tratamento consistente na análise de conteúdo, com fundamento nos estudos de Bardin (2009). Por meio da análise dos resultados, observou-se que os aspectos da organização do trabalho favorecem os trabalhadores, tendo eles mencionado que seu volume e ritmo de trabalho não são elevados, apesar de não ser possível a divisão de tarefas na atividade de direção do veículo, situação que é própria da função para a qual foram contratados. A empresa impõe aos motoristas profissionais a obediência a regras e normas, porém essas são no sentido do atendimento à legislação, o que representa um benefício para os trabalhadores. No que se refere à categoria das condições de trabalho, as situações vivenciadas pelos trabalhadores não se demonstraram favoráveis, sob o principal aspecto da falta de segurança nas viagens. As relações socioprofissionais dos trabalhadores são satisfatórias, tendo os sujeitos da pesquisa relatado possuírem bom relacionamento com os colegas de profissão e também com os demais colegas de trabalho, bem como relacionamento estável com o superior imediato, dentro da hierarquia própria de uma relação de emprego. O exercício do trabalho demonstrou-se penoso aos indivíduos, em termos físicos, cognitivos e afetivos. Fatores relacionados a essa categoria foram referidos pelos entrevistados de maneira esparsa, porém veemente. Os motoristas profissionais afirmaram vivenciar o prazer no trabalho, mas também o sofrimento, de modo que as sensações de sofrimento se demonstraram mais significativas que as de prazer, muito embora os trabalhadores adotem alguns mecanismos no sentido de superar a dor. Verificou-se que os sujeitos da pesquisa não vivenciam danos físicos propriamente ditos, conduzindo seus relatos a desgastes físicos ou a riscos dessa natureza.
Mostrar mais

131 Ler mais

O fundo de garantia de alimentos devidos a menores: o caráter autónomo do quantum face à obrigação do devedor originário

O fundo de garantia de alimentos devidos a menores: o caráter autónomo do quantum face à obrigação do devedor originário

Quanto à questão suscitada da violação do princípio da igualdade, urge elaborar alguns considerandos. Na nossa ótica, a autonomia do Fundo de Garantia não viola o princípio da igualdade, já que a ativação do Fundo não diferencia, injustificada e arbitrariamente, as situações dos sujeitos menores que aferem o benefício e as que não aferem. Ora, o seu âmbito de aplicação não inclui os casos em que há esforço económico por parte do progenitor, em que os deveres parentais estão a ser cumpridos, sem qualquer intervenção suplente do Estado. Neste caso, a solidariedade familiar atua suficientemente, na esfera jurídica da criança, ao invés da situação do sujeito beneficiário da prestação social. É patente a diferença entre ambas as situações. É de verificar que não existe igualdade substancial entre o regime de alimentos, que é cumprido, e a falta dele 325 . Portanto, de modo algum se pode tratar de forma igual o que é, expressamente,
Mostrar mais

124 Ler mais

Avaliação do Programa Bolsa Família (PBF) na segurança alimentar e nutricional das famílias beneficiadas, Vitória da Conquista, BA

Avaliação do Programa Bolsa Família (PBF) na segurança alimentar e nutricional das famílias beneficiadas, Vitória da Conquista, BA

Pesquisa realizada pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) associou o programa de distribuição de renda do Governo Federal à melhora na qualidade e quanƟ dade de alimentos consumidos pelos benefi ciários. Segundo o estudo, que se baseou nos dados da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), realizada pelo IBGE em 2008 e 2009, o PBF permiƟ u às famílias benefi ciadas aproximadamente mais 100 kcal diárias por pessoa (SANTOS; PASQUIM; SANTOS, 2011). Também foi observado um aumento maior na variedade de alimentos entre famílias em situação de IA grave (68,7%) e moderada (77,6%) do que entre aquelas em Segurança Alimentar (59,6%); concluindo que, mesmo com a percepção de aumento na quanƟ - dade e na variedade dos alimentos, a parƟ r do recebimento do beneİ cio do PBF, a situação de IA é alta, uma vez que, apesar do aumento declarado no consumo de alimentos, uma parcela signifi caƟ va dos(as) benefi ciários(as) (21%, representando 2,3 milhões de famílias), encontram-se em situação de IA grave (fome entre adultos e/ou crianças da família); outros 34% (ou 3,8 mi- lhões de famílias) estão em situação de IA moderada (restrição na quanƟ dade de alimentos na família). Apresentam IA leve, em que não há falta de alimentos, mas preocupação em relação ao consumo no futuro, 28% (ou 3,1 milhões de famílias), e 17% (ou 1,9 milhão de famílias) estão em situação de segurança alimentar e nutricional.
Mostrar mais

12 Ler mais

Novos desenvolvimentos e aplicações em embalagens de alimentos

Novos desenvolvimentos e aplicações em embalagens de alimentos

As embalagens exercem papel importante na conservação de alimentos. No entanto, as embalagens tradicionais necessitam de melhorias para estender a vida de prateleira dos produtos alimentícios e atender à demanda dos consu- midores por produtos seguros, saudáveis, mais próximos ao natural e com menos conservantes. Atualmente, novas tecnologias têm surgido visando melhorar e, ou monitorar a qualidade dos produtos. As embalagens ativas vem sendo utilizadas para aumentar a vida de prateleira, melhorar as características sensoriais, evitar as deteriorações química e microbiológica e garantir a segurança dos alimentos, inibindo o crescimento de microrganismos patogênicos. As embalagens inteligentes também são tecnologias inovadoras que monitoram a qualidade e segurança dos alimentos. O objetivo desta revisão é definir e descrever diferentes tipos e aplicações de embalagens ativas e inteligentes na indústria alimentícia. Dentre os desenvolvimentos em embalagens ativas, merecem destaque os filmes, revestimentos e sachês antimicrobianos e antioxidantes e os filmes aromáticos. Já as embalagens inteligentes são divididas em dois grupos principais, carreadoras de dados, onde estão inseridos o código de barras e as etiquetas por identificação de frequência de rádio (RFID), e indicadoras, que incluem os sensores de tempo-temperatura, gases, toxinas e microrga- nismos. Conclui-se que as embalagens ativas e inteligentes apresentam potencial de aplicação no mercado de alimen- tos, visando garantir e, ou monitorar a qualidade e segurança desses produtos.
Mostrar mais

9 Ler mais

Análise microbiológica de queijo curado ralado comercializado no mercado do porto no município de Cuiabá-MT  / Microbiological analysis of grated cured cheese commercialized in the port market in the municipality of Cuiabá-MT

Análise microbiológica de queijo curado ralado comercializado no mercado do porto no município de Cuiabá-MT / Microbiological analysis of grated cured cheese commercialized in the port market in the municipality of Cuiabá-MT

Diante disso, a fiscalização constante desses locais é imprescindível para garantir a segurança e qualidade dos produtos que estão sendo comercializados, minimizando os riscos de contaminação. Uma das formas de avaliar a segurança alimentar em feiras livres, é por meio da realização de análises microbiológicas de amostras dos alimentos comercializados. Esse tipo de análise é de grande importância uma vez que, a partir dela, é possível obter um “diagnóstico” sobre as condições higiênicas e sanitárias nas quais esses produtos estão sendo mantidos durante a sua comercialização, bem como a procedência das matérias-primas utilizadas para a sua fabricação, de modo a evitar que cheguem até a mesa do consumidor alimentos contaminados que possam causar riscos à saúde (ALMEIDA E PENA, 2011).
Mostrar mais

13 Ler mais

Show all 10000 documents...