Sementes de Capim-búfel

Top PDF Sementes de Capim-búfel:

Estudo, dimensionamento e construção de colheitadeira para sementes de capim-búfel.

Estudo, dimensionamento e construção de colheitadeira para sementes de capim-búfel.

Dissertacao apresentada ao Curso de Pos-Graduacao em Engenharia Mecanica da Universidade Federal da Paraiba, em cumprimento as exigencias para obten^So do Grau de Mestre em Engenharia [r]

145 Ler mais

Capim búfel (Cenchrus ciliaris L.): uma opção para ovinos e caprinos.

Capim búfel (Cenchrus ciliaris L.): uma opção para ovinos e caprinos.

O capim búfel é uma gramínea forrageira perene com hábito de crescimento variável; propaga-se em geral por sementes ou, em casos especiais, por mudas enraizadas,e que, uma vez estabelecido, tem raízes profundas, chegando a alcançar até um metro e meio de profundidade, além de outras raízes superficiais finas. Apresenta colmos geniculados e, dependendo da cultivar, pode alcançar até 150 cm de altura. Os colmos são finos, com as bases inchadas, onde acumulam mais carboidratos que outras espécies (Humphreys,1980), o que torna o capim búfel resisten- te à seca e ao fogo, e uma capacidade de rebrota precoce após o início das chuvas. As folhas podem alcançar até 30 cm de comprimento, glabras ou ligeiramente pubescentes na base junto à lígula; são de cor verde clara, podendo variar de verde azuladaa a verde escura. As inflorescências têm em média dez centímetros de comprimento, têm a forma cilíndrica densa, são macias, de cor que varia de marrom, roxa a palha. As sementes estão fechadas em finas e macias cerdas, e cada grupo de cerdas pode conter mais de uma semente. Usualmente há uma grande proporção de sementes únicas (Ayerza,1995). As sementes do capim búfel possuem dormência fisiológi- ca, o que as impede de germinarem após a colheita, pois existe um inibidor químico nas sementes localiza- do nas glumas, gemas e páleas. Assim, a semeadura só deve ser efetuada, no mínimo, quatro meses após a colheita, (Ayerza 1995). A produção de sementes varia muito de cultivar para cultivar; tem sido registra- do produções variando de 15 a 50kg/hectare/colheita. A taxa de semeadura varia com a percentagem de germinação e de pureza, e também com o método de plantio; em geral recomenda-se de 10 a 15 kg/ha. Uma outra opção para o plantio do capim búfel é uso de mudas enraizadas. A forma de reprodução do C .ciliaris é apomítica facultativa, o que é explicado pela ocorrência natural de cruzamentos entre C. setigerus e C. ciliaris. O número básico de cromossomos é x=9, sendo que a maioria dos ecotipos são tetraploídes com 2n=4x=36. (Fisher et.al., 1954).
Mostrar mais

7 Ler mais

Capim búfel (Cenchrus ciliaris L.) desempenho da variedade 'Pusa Giant' no semi-árido de Pernambuco.

Capim búfel (Cenchrus ciliaris L.) desempenho da variedade 'Pusa Giant' no semi-árido de Pernambuco.

Paralelamente, o melhoramento genético das espécies vegetais constitui um dos fatores principais para incrementar os índices de produção. No Brasil, variedades melhoradas de soja, milho, trigo e feijão, entre outras, têm contribuído muito para elevar os rendimentos dessas culturas. No caso das espécies forrageiras, também está comprovado que a obtenção de pastagens melhoradas é um dos fatores necessários para aumentar a produtividade dos rebanhos mundiais. Nesse sentido, o trabalho tem sido difícil, visto que o mecanismo pelo qual muitas espécies forrageiras, inclusive o capim búfel (Cenchrus ciliaris), se reproduzem é denominado apomítico ou desenvolvimento assexual de sementes. De acordo com Bashaw (1975), a apomixia é uma forma importante de reprodução em pastos perenes, já encontrada em mais de 125 espécies. Prevalece especialmente em gêneros tropicais, já causou sérios problemas no melhoramento de algumas espécies forrageiras de maior valor.
Mostrar mais

24 Ler mais

Capim capivara: tratamentos pré-germinativos, superação da dormência de sementes e sensibilidade a herbicidas

Capim capivara: tratamentos pré-germinativos, superação da dormência de sementes e sensibilidade a herbicidas

O capim-capivara é uma gramínea nativa de áreas tropicais das Américas Central e do Sul, que vegeta lugares úmidos e pantanosos, suportando inundações por períodos intermitentes. Suas formas de propagação, por fragmentos de rizomas, enraizamento de nós caulinares basais e a elevada produção de sementes, facilitam o aumento da população e a dispersão dessa planta daninha por novas áreas. No Brasil, além de pastagem natural, nas regiões da Amazônia e Pantanal, tem sido relatada como invasora da cultura do arroz irrigado no Rio Grande do Sul. Em vista disso, este trabalho teve por objetivos, avaliar a eficiência de tratamentos pré- germinativos na superação da dormência de suas sementes (Capítulo I), determinar a viabilidade de suas sementes, através da adaptação da metodologia do teste de tetrazólio (Capítulo II) e por fim, determinar o controle e redução de biomassa, causado por diferentes doses de herbicidas seletivos e de controle total, em plantas jovens e perenizadas (Capitulo III). A exposição das sementes ao nitrato de potássio a 0,2%, a embebição em água por 48 horas e a remoção das glumas promoveram a superação da dormência e aceleraram o processo de germinação. As sementes analisadas apresentaram elevada viabilidade (89%), e o período de seis horas de hidratação das sementes sem glumas, com posterior corte longitudinal dos embriões e imersão em solução de tetrazólio a 0,5% por quatro horas, na temperatura de 23 ± 1°C, mostrou-se adequado para a espécie. Quanto ao controle químico, plantas jovens, mostraram maior sensibilidade a menores doses dos herbicidas cialofope- butílico e glufosinato de amônio, entretanto, nas doses testadas, somente o glifosato e a mistura formulada de imazapique e imazapir causaram a morte das plantas. Em plantas perenizadas, o controle e a redução da biomassa, causados por ambos os herbicidas foram insatisfatórios.
Mostrar mais

72 Ler mais

Adubação nitrogenada, potássica e fosfatada na produção e germinação de sementes de capim quicuio-da-Amazônia.

Adubação nitrogenada, potássica e fosfatada na produção e germinação de sementes de capim quicuio-da-Amazônia.

signiicativa sobre o aumento na densidade de inlorescências, o número de ramiicações por inlorescências e a produção de sementes puras viáveis em Brachiaria spp. Cani (1980) avaliando a inluência do nitrogênio e de cortes sobre a qualidade e a produção de sementes do capim-braquiária (B. decumbens ), veriicou que o nitrogênio teve marcante inluência sobre o aumento de produção e sobre a qualidade das sementes. Os trabalhos de Ramos (1977) com B. decumbens em um Latossolo na Colômbia, mostraram resposta signiicativa dessa espécie na produção de sementes com a aplicação de 100 kg de N/ha. Hoyos et al. (1997), avaliando o efeito da adubação sobre o rendimento de sementes puras de B. dictyoneura cv. Llanero, concluíram que o N é o nutriente que mais limita os rendimentos em sementes puras, sugerindo que níveis mínimos de 70 kg de N /ha são suicientes para bons rendimentos de sementes. Por outro lado, em milho, o aumento da adubação nitrogenada não alterou a qualidade das sementes (Imolesi et al., 2001) nem elevou a produtividade (Cavallet et al., 2000).
Mostrar mais

7 Ler mais

QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE CAPIM-NAVALHÃO DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v15i2.3264

QUEBRA DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE CAPIM-NAVALHÃO DOI: http://dx.doi.org/10.5892/ruvrd.v15i2.3264

As plantas daninhas, de forma geral, causam transtornos e prejuízos para diversos agricultores.O capim-navalhão (Paspalum virgatum) tem se destacado como uma agressiva planta daninha de pastagens em diversas regiões, especialmente em áreas de solo mais úmido. A sua baixa palatabilidade, grande produção de semente, tolerância a diferentes condições de estresse ambiental, e principalmente sua semelhança morfológica, fisiológica e bioquímica com as gramíneas forrageiras dificultam seu controle. O conhecimento da capacidade germinativa das sementes de plantas daninhas pode gerar subsídios para a adoção de práticas de manejo, visando reduzir sua população em ambiente agrícola ou de criações.O presente trabalho objetivou estudar os aspectos germinativos das sementes de capim-navalhão, visando avaliar a superação de dormência de suas sementes nos seguintes tratamentos: escarificação química utilizando ácido sulfúrico (H 2 SO 4 ), por
Mostrar mais

13 Ler mais

Deterioração controlada de sementes de tres hibridos interespecificos de capim elefante x milheto

Deterioração controlada de sementes de tres hibridos interespecificos de capim elefante x milheto

O híbrido interespecífico Pennisetum purpureum (capim-elefante) x P. glaucum (milheto) foi desenvolvido com o intuito de aliar a rusticidade e a elevada produção de forragem do capim- elefante com o alto potencial de produção de sementes puras do milheto. Entretanto, revelou baixa uniformidade fenotípica (± 50,0%) e produção de sementes puras (5-10,0%). Através de seleção recorrente, obtiveram-se duas populações (Corte e Pastoreio) com elevada uniformidade fenotípica (≥ 80,0%) e boa produção de sementes puras (± 30,0%). Para facilitar o uso e o estabelecimento dessas sementes, tornou-se necessário pesquisar o seu comportamento em relação às condições de armazenamento e à deterioração controlada. Foram utilizados para cada híbrido, cinco graus de umidades e três temperaturas (40, 50 e 65°C). Para cada combinação de umidade e temperatura, as sementes foram embaladas em papel de alumínio multifoliado e semeadas periodicamente, permanecendo nas estufas até se obter curvas completas de deterioração. O teste de envelhecimento acelerado detectou diferenças de vigor entre os períodos de tempo para cada híbrido e, entre os híbridos, para 72 horas de envelhecimento. A seleção recorrente não alterou a armazenabilidade das sementes dos híbridos, mas alterou o tamanho das sementes. A seleção recorrente aumentou a qualidade inicial (K i ) e o tamanho das sementes na população de Pastoreio (plantas mais baixas e mais
Mostrar mais

47 Ler mais

Banco de sementes e sistemas de renovação no pasto de capim-braquiária com integração de culturas agrícolas

Banco de sementes e sistemas de renovação no pasto de capim-braquiária com integração de culturas agrícolas

A introdução da Brachiaria sp. a partir da década de 1960, favoreceu e proporcionou o desenvolvimento da pecuária no Brasil. Segundo Macedo (2004), após avaliar a comercialização de sementes de forrageiras no País, dentre as espécies desse gênero, a Brachiaria decumbens (capim-braquiária) – originária da África – ocupa 55% das pastagens cultivadas. Essa espécie destaca-se por desenvolver em solos ácidos e de baixa fertilidade, apresentar boa produção de massa, relativa tolerância ao fogo, geada, pastejo e pisoteio, além de grande produção de sementes viáveis, em dois ou três florescimentos por ano.
Mostrar mais

65 Ler mais

Crescimento, desenvolvimento e produção de sementes da planta daninha capim-branco (Chloris polydactyla).

Crescimento, desenvolvimento e produção de sementes da planta daninha capim-branco (Chloris polydactyla).

A planta daninha capim-branco (Chloris polydactyla), pertencente à família Poaceae, nativa do continente americano, de ampla distribuição geográfica, é encontrada desde o sul dos Estados Unidos até a Argentina. Possui ciclo fotossintético do tipo C-4 e pode se pro- pagar por sementes e/ou a partir de rizomas (Kissmann, 1997). No Brasil, o capim-branco é bastante comum nas regiões Norte e Centro- Oeste, onde pode ser visto quase o ano todo em floração. Como planta daninha, é considerada medianamente freqüente, encontrada princi- palmente em beira de estradas, pastagens e em pomares. Contudo, tem sido constatado o aumento da ocorrência dessa espécie nos últimos anos em lavouras perenes, chegando até as áreas do Paraná (Lorenzi, 2000).
Mostrar mais

7 Ler mais

Variabilidade genética na busca de eficiência à produção de sementes e biomassa de capim Sudão.

Variabilidade genética na busca de eficiência à produção de sementes e biomassa de capim Sudão.

componente diretamente ligado à produção de biomassa em gramíneas forrageiras (Tabela 2). Hartwig et al. (2006) mostraram que o caráter número de panículas por planta revela a maior contribuição para o rendimento de grãos e a seleção indireta no caráter pode ser realizada já na geração F 2 . Também a seleção indireta através da massa da panícula principal em alguns cruzamentos, pode levar à seleção para aumento de produtividade porém pode direcionar a obtenção de plantas de estatura elevada. Segundo os mesmos autores, o incremento da massa da panícula principal provém sobretudo do aumento do número de grãos por panícula e com pequeno efeito da massa média de grãos. As razões peso de panícula/ diâmetro da panícula e peso de panícula/comprimento da panícula revelaram em sorgo, alta correlação positiva em incrementar a produtividade de sementes (Pinto et al., 2011). Os autores sugerem, em seus estudos, a realização de seleção truncada, a qual pode vir a proporcionar ganhos ainda maiores na produtividade de sementes de sorgo, espécie de grande similaridade ao capim Sudão.
Mostrar mais

6 Ler mais

Qualidade Física e Fisiológica de Sementes Comercializadas de Capim-Colonião em Campo Grande - MS

Qualidade Física e Fisiológica de Sementes Comercializadas de Capim-Colonião em Campo Grande - MS

O Centro-Oeste brasileiro representa a região brasileira com maior área e produção de sementes de Megathyrsus maximus, uma gramínea muito utilizada para a formação de pastagens em regiões tropicais do Brasil e outros países da América. Objetivou-se no presente estudo diagnosticar a qualidade física e fisiológica de sementes de três cultivares da espécie M. maximus (Mombaça, BRS Tamani e BRS Zuri) comercializadas por diferentes empresas de Campo Grande (MS). Os experimentos foram conduzidos utilizando-se sementes da safra 2017-2018 em um delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3 x 6, avaliando-se três cultivares e seis procedências. As variáveis analisadas foram: pureza física, peso de mil sementes, primeira contagem do teste de germinação, germinação, valor cultural e teste de tetrazólio. Os resultados encontrados demonstram que, com exceção de um lote da cultivar Mombaça, os demais lotes das três cultivares da espécie Megathyrsus maximus (Mombaça, BRS Tamani e BRS Zuri), de todas as procedências avaliadas, apresentaram qualidade física e fisiológica compatível com a comercialização em função da legislação vigente. No entanto, é possível encontrar lotes com qualidade distinta no mercado de Campo Grande. Assim, a escolha adequada da procedência (empresa) vai garantir a expressão máxima do potencial genético, subsidiada por processos adequados de produção e pós-colheita.
Mostrar mais

5 Ler mais

Análise de sementes de capim braquiária (Brachiaria brizantha cv . marandú ) em diferentes épocas de florescimento

Análise de sementes de capim braquiária (Brachiaria brizantha cv . marandú ) em diferentes épocas de florescimento

O presente trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar as diferentes épocas de produção de sementes de capim braquiá- ria (Brachiaria brizantha cv. Marandú). As sementes foram coletadas em parcelas de 1m 2 no município de Guiratinga, MT, em campo de produção de sementes em diferentes épo- cas de maturação (colheitas), a primeira no dia 28/04/08, a segunda no dia 02/06/08 e a terceira no dia 01/07/08. As análises foram realizadas no Laboratório de Análise de Sementes da APROSMAT – Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso, em Rondonópolis, MT, onde fo- ram determinados a pureza física, germinação, primeira contagem da germinação, comprimento de folha e raiz, além do comprimento total de plântulas. Os resultados obtidos mostraram que a terceira colheita analisada destacou-se das outras em todos os testes. A análise estatística dos dados per- mitiu concluir que, para o teste de germinação e primeira contagem de germinação, a terceira colheita mostrou-se supe- rior em relação aos outros tratamentos. Quanto às variáveis comprimento de folha e raiz e comprimento de plântulas, os resultados mostraram nenhuma diferença estatística entre os tratamentos analisados. Conclui-se que para efeito de germi- nação, a terceira colheita mostra-se superior em relação aos demais tratamentos, contribuindo para o aumento do valor cultura da Brachiaria brizantha cv. Marandú.
Mostrar mais

11 Ler mais

Qualidade física, viabilidade e dormência de sementes recém-colhidas de capim-gordura (Melinis minutiflora P. Beauv.).

Qualidade física, viabilidade e dormência de sementes recém-colhidas de capim-gordura (Melinis minutiflora P. Beauv.).

RESUMO - O capim-gordura tem sido uma importante invasora em áreas de proteção ambiental na região Central do Brasil, devido, entre outros aspectos, à sua elevada capacidade de reprodução e dispersão. No presente trabalho teve-se como objetivo avaliar a percentagem de espiguetas cheias, a viabilidade e a dormência de sementes recém-colhidas de capim-gordura, provenientes de diferentes locais de coleta. Foram utilizadas sementes das cultivares Roxo e Cabelo-de-Negro, importantes gramíneas invasoras de áreas de proteção ambiental nos cerrados brasileiros, coletadas em três unidades de conservação do Distrito Federal, Brasil: Parque Nacional de Brasília, Reserva Ecológica do IBGE e Estação Ecológica de Águas Emendadas. Avaliou-se a percentagem de sementes cheias (contendo cariopse) mediante separação, contagem e pesagem das frações espiguetas cheias e vazias e; a viabilidade e a dormência dessas sementes, pelo teste de germinação utilizando-se apenas sementes cheias. Foi observada grande variação na ocorrência de sementes cheias em função do local de coleta, especialmente na cultivar Roxo (17,5% a 36,1%). O local de coleta também afetou a dormência das sementes de ambas as cultivares (20% a 80%) e a viabilidade das sementes apenas da cultivar Roxo (80% a 96%). O teste de germinação em temperaturas alternadas de 20-30 °C, em solução de nitrato de potássio a 0,5% com luz foi eiciente para avaliar a viabilidade das sementes enquanto o teste a 25 °C, em água e no escuro foi eiciente para estimar a dormência das sementes. Esses resultados sugerem que certas características das sementes dessa espécie, como elevada viabilidade e dormência, podem contribuir para sua grande dispersão.
Mostrar mais

6 Ler mais

Poder germinativo de sementes de capim-annoni-2 (Eragrostis plana Ness) recuperadas em fezes de bovinos.

Poder germinativo de sementes de capim-annoni-2 (Eragrostis plana Ness) recuperadas em fezes de bovinos.

Em razão da amplitude de dias de excreção, que varia de 4 a 7 dias, procurou-se determinar por quantos dias, além do quinto, ainda seriam excretadas sementes de capim-annoni-2 nas fezes de bovinos. Para isso, os valores de sementes recuperadas foram testados em várias funções matemáticas. Uma função exponencial simples negativa foi a que melhor descreveu os dados de resgate de sementes de capim- annoni-2 (Figura 1). A partir desta função, estimou-se a quantidade de sementes excretadas até o dia de excreção zero, ou seja, o oitavo dia (Figura 2; Tabela 2). Os dados obtidos nesta simulação para o primeiro, segundo e terceiro dias foram muito próximos dos observados e indicaram que 99,0% das sementes foram excretadas (Tabela 2), valor apenas 1,8% superior ao observado. A quantidade excretada até o sétimo dia, calculada pelo modelo exponencial, resultou em 174 sementes a menos que o valor observado até o
Mostrar mais

6 Ler mais

Sucessão de culturas no controle da vegetação e banco de sementes do solo de capim-annoni-2 (Eragrostis plana Nees)

Sucessão de culturas no controle da vegetação e banco de sementes do solo de capim-annoni-2 (Eragrostis plana Nees)

Acredita-se que em torno de 2 milhões de ha de terras no RS já tenham o capim-annoni-2 como espécie contaminante e/ou dominante (MEDEIROS et al., 2004), invasora esta que começa a se expandir para os países do Mercosul (MACIEL, 2003). Sem o controle da expansão do capim-annoni-2, os campos naturais continuarão se deteriorando, as dificuldades para um gerenciamento sustentável das propriedades se agravarão e, em conseqüência, a rentabilidade da produção pecuária no RS será ainda mais comprometida (MEDEIROS et al., 2004). Necessita-se controlar a sua expansão, bem como realizar o seu controle nas áreas invadidas. As sementes difundidas no ambiente são um dos maiores entraves para o controle da invasora (COELHO, 1983). As técnicas de controle devem esgotar o banco de sementes do solo, evitar a reposição de mais sementes e eliminar novas plantas que surgem. Entre as técnicas que preenchem estes requisitos podem ser citadas: sucessão de culturas, herbicidas e controle mecânico. As opções de controle dependerão da severidade da invasão. Em áreas muito invadidas, onde a agricultura é possível, utilizam-se sistemas de sucessão de culturas, visando um controle viável, tanto técnica como economicamente (REIS e COELHO, 2000).
Mostrar mais

7 Ler mais

Potencial alelopático do capim-annoni-2 (Eragrostis plana Nees) na germinação de sementes de gramíneas perenes estivais

Potencial alelopático do capim-annoni-2 (Eragrostis plana Nees) na germinação de sementes de gramíneas perenes estivais

RESUMO - Das estratégias adotadas pelas plantas invasoras para dominância em comunidades vegetais a liberação de aleloquímicos se sobressai. Estes compostos encontram-se em qualquer parte vegetal, principalmente em exsudatos de raízes, folhas e seus degradados sendo liberados no ambiente através de emanações voláteis ou solúveis, translocados em água. O capim-annoni-2, Eragrostis plana Nees, é uma Poaceae exótica, invasora de pastagens e com potencial alelopático. Para testar este efeito coletaram-se caules e folhas da parte mediana da planta de capim-annoni-2, TXHIRUDPFRUWDGRVHPSHGDoRVGHFPHGLVSRVWRVHPWUrVQtYHLVGHFREHUWXUDH em caixas gerbox, usando papel germitest como substrato sobre o material picado de capim-annoni-2. Foram colocadas para germinar 100 sementes das espécies: 3DVSDOXPQRWDWXP Flüggé, P. regnellii Mez, 0HJDWK\UVXVPD[LPXV B. K. Simon e S. W. L. Jacobs, Setaria sphacelata (Schumach) Staff e C. E. Hubb ex Chipp e /DFWXFDVDWLYD L. como testemunha. O delineamento foi em blocos casualizados com quatro repetições. Observou-se o efeito alelopático na germinação das sementes após o início da decomposição do tecido vegetal do capim-annoni-2. Sementes com rápida germinação, como as de 0 PD[LPXV e P. regnellii bem como a L. sativa, escaparam do efeito alelopático. As espécies mais prejudicadas nos seus processos germinativos foram o 3 QRWDWXP e S.sphacelata. O dano à germinação foi proporcional ao gradiente crescente do nível de cobertura do capim-annoni-2 com exceção do P. regnelliiTXHDSUHVHQWRXQRQtYHOGHGHFREHUWXUDGRFDSLPDQQRQLDXPHQWR QDJHUPLQDomRSRUpPFRPTXHGDVLJQL¿FDWLYDGDPHVPDQRQtYHOGHGHFREHUWXUD2HIHLWR alelopático do capim-annoni-2 se dá durante a decomposição dos seus tecidos vegetais. Sementes com germinação precoce escapam destes efeitos. A germinação tardia de 3QRWDWXP e S. sphacelata as expôs ao efeito alelopático do capim-annoni-2. A germinação de P. regnellii é estimulada no nível GHFREHUWXUDFRPFDSLPDQQRQLGHFRQWXGRQDFREHUWXUDPi[LPDKiTXHGDVLJQL¿FDWLYDQD germinação de suas sementes.
Mostrar mais

8 Ler mais

Efeito da cobertura do solo sobre a mortalidade de sementes de capim-marmelada em duas profundidades no solo.

Efeito da cobertura do solo sobre a mortalidade de sementes de capim-marmelada em duas profundidades no solo.

Esta característica pode implicar no manejo de plantas daninhas. Em situações em que é necessário reduzir o banco de sementes de determinada espécie, como no manejo de invasoras resistentes aos herbicidas, provavelmente altos níveis de cobertura vegetal manterão as sementes viáveis no solo por mais tempo, sendo necessário maior período de monitoramento destas áreas, comparando-se a locais com pouca ou nenhuma cobertura vegetal sobre o solo. Estudando o efeito do ambiente e de diversos métodos para reduzir a incidência de plantas daninhas na culturas, Buhler (1998) cita que o efeito ambiental influenciou de maneira mais acentuada o banco de sementes do que os tratamentos que estavam sendo testados.
Mostrar mais

6 Ler mais

Efeito alelopático de melissa, capim-cidreira, lavanda e alecrim na germinação e vigor de sementes de alface

Efeito alelopático de melissa, capim-cidreira, lavanda e alecrim na germinação e vigor de sementes de alface

Objetivou-se, neste estudo, avaliar a inluência na germinação e vigor de sementes de alface (Lactuca sativa L.) de macerados e infusões de Melissa oficinalis L. (melissa), Rosmarinus oficinalis L. (alecrim), Lavandula angustifolia Mill. (lavanda) e Cymbopogon citratus (DC.) Stapf. (capim-cidreira). O delineamento estatístico utilizado foi inteiramente casualizado, com nove tratamentos e quatro repetições, cada unidade experimental constituída por 25 sementes. Sendo os tratamentos: alecrim infusão, alecrim macerado, lavanda infusão, lavanda macerado, melissa infusão, melissa macerado, capim-cidreira infusão, capim-cidreira macerado e testemunha. As variáveis avaliadas foram: índice de velocidade de germinação (IVG), porcentagens de plantas anormais (PA), porcentagens de plantas germinadas (PG), massa fresca (MF), massa seca (MS), comprimento da parte aérea (CPA) e comprimento da radícula (CR). O capim-cidreira apresentou efeito alelopático negativo na germinação e no vigor de sementes de L. sativa L. Já em melissa infusão veriicou-se ação estimulante.
Mostrar mais

6 Ler mais

Produção e germinação de sementes de "capim dourado", Syngonanthus nitens (Bong.) Ruhland (Eriocaulaceae): implicações para o manejo.

Produção e germinação de sementes de "capim dourado", Syngonanthus nitens (Bong.) Ruhland (Eriocaulaceae): implicações para o manejo.

Para avaliar a capacidade de germinação por data de coleta, as sementes foram mantidas separadas por lotes e colocadas em placas de Petri com papel de filtro umedecido em água destilada. Foram utilizadas quatro repetições de 50 sementes por lote (total de sete lotes). As sementes foram dispostas em câmara de germinação com temperatura alternada de 22-30 ºC (N/D), em fotoperíodo de 12 horas com luz branca durante o dia. Este regime térmico se encontra na faixa de temperatura na qual a maior parte das sementes nativas estudadas germina, quando não apresentam algum tipo de dormência (Borghetti 2005). Os experimentos foram acompanhados por 60 dias, quando todas as sementes haviam germinado ou apresentavam sinais claros de aprodecimento e morte do embrião. Também foram realizados experimentos de germinação no escuro (observações sob luz verde). Com o intuito de reproduzir em laboratório condições para germinação encontradas no ambiente natural, investigou-se a germinação das sementes em condições de acidez (pH 4 e 5 - mantidos com tampão fosfato 0,01 mol L -1 )
Mostrar mais

6 Ler mais

Nitrogênio e época de colheita nos componentes da produtividade de forragem e sementes de capim-mombaça.

Nitrogênio e época de colheita nos componentes da produtividade de forragem e sementes de capim-mombaça.

Este trabalho confirma os efeitos positivos de adubações de N relatados em P. maximum sobre a densidade de perfilhos com panículas (Condé & Garcia, 1988; Joaquin et al., 2001). Os baixos números de sementes por panícula, na segunda colheita de sementes, devem ser atribuídos à alta precipitação pluvial (35 mm) e aos ventos fortes registrados no dia 29 de maio, que causaram queda considerável de sementes das panículas.

9 Ler mais

Show all 8154 documents...