Serviços de Saúde da Criança

Top PDF Serviços de Saúde da Criança:

Preenchimento da Caderneta de Saúde da Criança nos serviços de saúde em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Preenchimento da Caderneta de Saúde da Criança nos serviços de saúde em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Objetivo: descrever o preenchimento da Caderneta de Saúde da Criança (CSC) nos serviços de saúde. Métodos: estudo descritivo, desenvolvido em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil; realizou-se entrevista com os pais/responsáveis de crianças de 3 a 5 anos de idade e observaram-se 21 itens essenciais ao acompanhamento infantil na CSC, no Dia de Multivacinação de 2014; considerou-se separadamente os campos a serem preenchidos nas maternidades e na Atenção Primária à Saúde (APS) e outros serviços. Resultados: foram incluídas 367 crianças (96,1%); 44,5% das CSC apresentaram ≥60% dos itens preenchidos; dos itens a serem registrados nas maternidades, o peso ao nascer apresentou maior proporção de preenchimento (64,5%); daqueles a serem registrados na APS e outros serviços, os campos das vacinas foram os mais preenchidos (94,0%); houve maior preenchimento na maternidade do que na APS e outros serviços (p<0,001). Conclusão: observou-se baixa proporção de preenchimento, especialmente na APS e outros serviços.
Mostrar mais

10 Ler mais

Acesso ao cuidado à saúde da criança em serviços de atenção primária.

Acesso ao cuidado à saúde da criança em serviços de atenção primária.

Outro aspecto destacado pelas famílias, que também evi- dencia o reducionismo do modelo hegemônico da atenção à saúde, refere-se à classificação de risco. O reconhecimento da classificação de risco como processo que otimiza o cuidado para as crianças que necessitam prioritariamente é percebido pelas famílias. Entretanto, estas consideram que outros sinais além da hipertermia devem ser valorizados para a classifica- ção de risco. Segundo o protocolo de atendimento das re- des de atenção à urgência e emergência, a criança febril é classificada como prioridade dois (laranja), significando que a criança tem um risco potencial de perder a vida ou função de membro, devendo ser atendida no máximo em 10 minutos. Para tanto, esta deverá receber um transporte regulado através do Serviço Móvel de Atendimento ao Usuário (SAMU), com acesso imediato aos serviços de emergência devendo ser ini- ciado onde o usuário se apresentar (19) .
Mostrar mais

9 Ler mais

Integralidade das ações entre profissionais e serviços: prerrogativa ao direito à saúde da criança.

Integralidade das ações entre profissionais e serviços: prerrogativa ao direito à saúde da criança.

No âmbito da Atenção Primária à Saúde (APS) e da ESF, no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS), é importante que os profissionais desenvolvam um cuidado centrado na família, fundamentado no vínculo longitudinalidade e intersetorialidade, e busquem a integralidade da atenção à saúde. Na saúde infantil, a assistência prestada nos serviços de saúde pode ter um impacto limitado se não se considerar que os pais, a família, a comunidade e todos os cuidadores que assistem essa clientela, incluindo os profissionais de diversas áreas, exercem um papel fundamental na proteção da saúde da criança. No entanto, ainda há lacunas assistenciais para efetivar a integralidade das ações de saúde, considerando que o profissional enfermeiro assume um papel importante nas ações voltadas à saúde infantil, tendo em vista a sua atuação direta no cuidado junto às crianças e famílias, bem como as suas atribuições gerenciais nas unidades de saúde, ocupando um espaço significativo como mediador na rede municipal de serviços. Desse modo, o presente estudo teve por objetivo analisar narrativas de enfermeiros sobre a integralidade das ações voltadas às crianças e suas famílias, no contexto da Estratégia de Saúde da Família, apreendendo fortalezas e fragilidades em busca da defesa do direito à saúde.
Mostrar mais

9 Ler mais

As orientações recebidas nas estratégias de saúde da família e outros serviços de saúde no âmbito da saúde da criança

As orientações recebidas nas estratégias de saúde da família e outros serviços de saúde no âmbito da saúde da criança

Trata-se de uma pesquisa descritiva sobre as orientações recebidas pelos responsáveis por crianças com idade entre zero a seis anos nos serviços de saúde durante os atendimentos à criança, sendo tais orientações sobre a saúde da criança, crescimento e desenvolvimento e prevenção de acidentes. O objetivo foi comparar as unidades de saúde da família com outros serviços de saúde em relação às orientações. Utilizou-se o questionário validado sobre os atributos da atenção primária à saúde denominado PCAtool. Foi verificado que os responsáveis em geral são as mães (87,8%), com baixo nível de escolaridade (73,2% com primário completo/ginasial incompleto) e têm como serviço de referência a unidade de saúde da família (77,6%). Apesar do número elevado de entrevistados que têm a unidade de saúde da família como referência, ao se analisar a quantidade de orientações recebidas por serviço de referência, constatou-se que os outros serviços de saúde orientam mais os usuários. O valor não está dentro do esperado, pois a atenção básica, através da unidade de saúde da família, deveria prestar mais serviços de educação em saúde e prevenção de agravos do que os demais serviços.
Mostrar mais

10 Ler mais

Atenção à saúde de criança e adolescente com HIV: comparação entre serviços.

Atenção à saúde de criança e adolescente com HIV: comparação entre serviços.

Objetivo: comparar a qualidade da atenção à saúde das crianças e dos adolescentes com HIV entre os tipos de serviços, na experiência dos familiares/cuidadores. Método: estudo transversal desenvolvido com 71 familiares/cuidadores utilizando-se o Instrumento de Avaliação da Atenção Primária (PCATool-Brasil) versão criança. Para análise utilizou-se o Teste de Mann-Whitney ou T student e Qui- quadrado de Pearson ou Exato de Fisher. Resultados: foram apontados como fonte regular de atenção os serviços de Atenção Primária à Saúde e, majoritariamente, o serviço especializado ao HIV. Não houve diferenças signifi cativas na qualidade de ambos, visto que seus escores atingiram valor próximo ao ideal. Conclusão: evidencia-se a necessidade de aprimorar os seus atributos, o que implica em reformulações de seus aspectos de estrutura e desempenho. Além disso, é imperativo o reconhecimento da Atenção Primária à Saúde como espaço integrante da promoção à saúde das crianças e adolescentes com HIV.
Mostrar mais

10 Ler mais

Importância dos serviços de saúde na articulação com a família e escola da criança-adolescente com doença crónica

Importância dos serviços de saúde na articulação com a família e escola da criança-adolescente com doença crónica

A mesma autora defende que ―os professores requerem informação não só focalizada na doença, prognósticos e tratamentos, mas também na probabilidade delas acontecerem, advertindo sinais e administração de emergência médicas, comportamentos e problemas psicológicos que a criança pode experimentar como resultado do uso de medicamentos, tratamentos e da doença em si‖ (NONOSE, 2009:14). No seu estudo, identificou as necessidades apontadas pelos professores em lidar com estas crianças, como sejam: ―cuidados quanto ao uso de medicamentos contínuos; uma metodologia diferenciada; ter maior facilidade no acesso aos serviços de saúde e apoio de equipa multidisciplinar; diálogo permanente com a família e sala de recurso; ter profissional habilitado; palestras para professores sobre a doença, socialização e bem-estar no ambiente escolar‖ (NONOSE, 2009:89).
Mostrar mais

85 Ler mais

Open Avaliação da efetividade de serviços de atenção primária em saúde da criança em diferentes modelos assistenciais

Open Avaliação da efetividade de serviços de atenção primária em saúde da criança em diferentes modelos assistenciais

Neste estudo, preocupam-nos a avaliação da efetividade dos componentes da estrutura, processos e os resultados dos serviços de saúde em atenção primária relacionados à atenção à saúde da criança na APS de municípios brasileiros. Pelas características das unidades de saúde, optou-se por trabalhar com diferentes contextos das Regiões do Nordeste e Sul do país contemplando dois municípios da amostra do projeto multicêntrico que tinham, em sua rede de serviços, elementos que se classificam como modelos de atenção da Estratégia Saúde da Família (ESF) e Unidades Básicas de Saúde tradicionais (UBS), ou seja, João Pessoa-PB e Cascavel-PR, visualizando um processo de comparação dessas duas realidades. Direcionando o foco do estudo, apresenta-se a discussão acerca de temas e conceitos que apoiam a construção teórica que fundamentará a pesquisa, a saber, avaliação em saúde, políticas de saúde, atenção primária em saúde, atenção à saúde da criança. Entende-se que esses conteúdos estejam inter-relacionados e interdependentes, em uma concepção de obtenção de qualidade de atendimento em serviço de saúde à população infantil. Com esse entendimento, delineou-se avaliar a efetividade da atenção, enquanto identificação do grau de orientação dos serviços de saúde da APS através de seus atributos e a correlação destes atributos aos resultados da atenção à saúde através de indicadores de saúde do estado de saúde infantil
Mostrar mais

282 Ler mais

Crescimento e desenvolvimento na prática dos serviços de saúde. Revisão histórica do conceito de criança.

Crescimento e desenvolvimento na prática dos serviços de saúde. Revisão histórica do conceito de criança.

Assim, discutir "crescimento e desenvolvimen- to" como um problema a ser assumido pelo setor saúde, dentro de uma perspectiva mais ampla do que o acompanhamento antropométrico e [r]

8 Ler mais

Avaliação da qualidade dos serviços públicos de atenção a saúde da criança sob a ótica do usuário.

Avaliação da qualidade dos serviços públicos de atenção a saúde da criança sob a ótica do usuário.

RESUMO: Este trabalho utiliza abordagem qualitativa, e visa identificar critérios de avaliação dos seviços de saúde sob a ótica do usuário, ao tempo em que avalia o desenvolvimentos do Prog rama de Atenção à Saúde da Criança (PAISC) , que normaliza as ações d e atenção à criança na rede básica de seviços de saúde. Os dados foram obtidos através dos responsáveis por crianças matriculadas, em outubro de 1992 , em quatro u n idades do Distrito Sanitário Barra-Rio Vermelho, em Salvador-Bahia. Através do processo si m u ltâneo de coleta e análise , uti lizando a técn ica da anál ise de conteúdo , foi possível classificar a avaliação em ci nco categorias :motivando a ida ao seviço; tendo exectativas; "escolhendo" um seviço de saúe; avaiando o seviço utiizado; e sugerindo melhoras. Os critérios de avaliação identificados estão mais relacionados a: acesso , relação i nterpessoal; resultado e contin u idade da atenção, que possui graus de valor distintos, conforme os motivos que os levaram a buscar o seviço . Os resu ltados da avaliação mostram que o modelo cl ínico de assistência e a forma de organ ização dos seviços não contribuem para alcançar totalmente os objetivos do PAISC, gerando d ificuldade de acesso e resultados insatisfatórios, por causa das dificu ldades de recu rsos materias, coordenação e continuidade do cuidado.
Mostrar mais

11 Ler mais

Intervenção Estatal em Menores Adictos que Delinquiram / State Intervention on Minor Addicts Who Have Delinquished

Intervenção Estatal em Menores Adictos que Delinquiram / State Intervention on Minor Addicts Who Have Delinquished

Salienta-se que, na falta ou insuficiência dos serviços pertinentes, ao Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, e também ao Conselho de Saúde, cabem deliberar pela implantação dos serviços e programas necessários, não sendo demasiado relembrar, segundo a célebre decisão abaixo anotada (RE nº 493.811-SP(2002/0169619-5)), e que se referia, inclusive, sobre a deliberação do Conselho Municipal de Direito da Criança e do Adolescente visando a implantação de serviço oficial de auxílio, orientação e tratamento de alcoólatras e toxicômanos, que ditas deliberações terão o efeito de vincular a atuação do Gestor Público quanto à previsão orçamentária respectiva, ou, se necessário, poderão subsidiar eventual propositura de medidas individuais ou coletivas por parte do Ministério Público.” (http://www.crianca.mppr.mp.br/pagina-452.html , visualizado em 06/12/19) (grifo nosso)
Mostrar mais

12 Ler mais

pt 1980 220X reeusp 51 e03249

pt 1980 220X reeusp 51 e03249

Objetivos: Identiicar a utilização da puericultura, a situação vacinal e os motivos da não vacinação, e caracterizar se as mães/responsáveis apresentavam noções sobre o direito às vacinas especiais de crianças com diabetes mellitus tipo 1. Método: Estudo descritivo, transversal, com análise de dados quantitativos, a partir de entrevistas com mães/responsáveis, particularmente quanto ao acesso à puericultura e à vacinação contra inluenza e pneumocócica 23-valente. Resultados: Participaram da pesquisa 47 mães/responsáveis. Os participantes airmam que utilizam mais os serviços especializados para acompanhamento da saúde da criança, poucos utilizam a puericultura com regularidade na atenção básica à saúde. Há esquemas vacinais incompletos, reforços anuais atrasados, ausência do cartão de vacinação nos atendimentos, desinformação sobre o caráter especial da vacinação, bem como a ênfase na necessidade de apresentar formulário especíico para obter a vacinação. Há descontinuidade das ações de saúde e oportunidades perdidas em vacinação. Conclusão:  Fragilidades das ações de puericultura e de vacinação requerem incremento da atenção primária à saúde e do cuidado em rede, apoiado em conhecimentos e no direito à saúde para expandir a prática avançada em evidências, o acesso e a integralidade.
Mostrar mais

7 Ler mais

A avaliação da atenção à saúde de crianças com menos de um ano de idade na Atenção Primária.

A avaliação da atenção à saúde de crianças com menos de um ano de idade na Atenção Primária.

Dado que esse é um item que representa uma adição ao serviço de saúde à criança, apenas 13 (26%) mães informaram que seus ilhos foram encaminhados a outro serviço de saúde. O escore para esse atributo foi acima de 3,0, indicando forte presença desse atributo e a boa experiência das mães em relação a esse atributo. Seus ilhos foram encaminhados para serviços especializados e a equipe de saúde da USF se manteve próxima à criança, seja por ter conhecimento da consulta com especialista ou dos resultados dos exames. As respondentes consideram que essa atenção revela grande interesse da parte da equipe de saúde com a qualidade da atenção prestada às crianças nos serviços especializados.
Mostrar mais

8 Ler mais

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL PARA MONITORAMENTO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL: PERSPECTIVA DO MODELO DE CONSTRUÇÃO DE CAPACIDADES CENTRADO NA FAMÍLIA

CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL PARA MONITORAMENTO DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL: PERSPECTIVA DO MODELO DE CONSTRUÇÃO DE CAPACIDADES CENTRADO NA FAMÍLIA

práticas típicas e ideais tanto no pré-teste, como no pós-teste, em questões relacionadas aos papeis dos profissionais e equipes. Entende-se que o fato dos participantes não conhecerem o instrumento no primeiro momento, pode estar associado a esse resultado. Além disso, os dados obtidos após a capacitação indicam que os serviços compreenderam melhor a proposta do instrumento e assim, situaram de forma mais precisa as suas práticas. Contudo, os comparativos entre práticas típicas e ideais, no pós-teste, apresentam diferenças nítidas entre o que se faz e se pretende fazer. Nesse contexto, a realidade está atrelada aos modelos utilizados no país para monitoramento e acompanhamento da saúde da criança, que passa pela constituição das equipes, que em sua maioria são multidisciplinares, enquanto que os modelos trazidos dos Estados Unidos e Portugal são transdisciplinares (MARINI, 2017; PALÁCIOS, MAIA, FIAMENGHI JÚNIOR, 2003). E as mudanças nas concepções de cuidado exigem tempo, reorganização estrutural e funcional dos serviços para atuar na perspectiva das práticas centradas na família.
Mostrar mais

172 Ler mais

Mães de crianças com deficiência visual: dificuldades e facilidades enfrentadas no cuidado.

Mães de crianças com deficiência visual: dificuldades e facilidades enfrentadas no cuidado.

Objetivou-se conhecer as dificuldades e facilidades enfrentadas pelas mães de crianças com deficiência visual (DV) no cuidado. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, descritiva, realizada no segundo semestre de 2011, com dez mães de crianças com deficiência visual, de um Centro de Educação para deficientes visuais, no sul do Brasil. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas e análise de conteúdo temática das informações. Foram verificados como dificuldades o desconhecimento acerca da doença e da forma de cuidar da criança, a falta de acesso aos serviços de saúde, a sobrecarga pela dependência da criança, a falta de apoio e o preconceito na própria família. Quanto às facilidades, foram referidos a vontade do desenvolvimento saudável das crianças, a convivência com profissionais qualificados para sua educação e o contato com outras crianças com DV. Faz-se importante a instrumentalização da família para o cuidado à criança com DV como forma de garantir a aquisição de habilidades e competências, possibilitando-a um viver com qualidade. Descritores: Família. Criança. Cegueira. Enfermagem.
Mostrar mais

7 Ler mais

A rede social de cuidados de uma criança com necessidade especial de saúde

A rede social de cuidados de uma criança com necessidade especial de saúde

Pesquisa qualitativa que objetivou descrever a rede social de cuidados de uma criança com necessidade especial de saúde. Os participantes da pesquisa foram os avós de uma criança, sorteados a partir do banco de dados de uma pesquisa. O Método Criativo Sensível foi desenvolvido por meio da Dinâmica de Criatividade e Sensibilidade Mapa Falante posteriormente submetida à Análise de Discurso em sua corrente francesa. Os resultados apontaram que os familiares da criança possuem uma rede social fragmentada e solitária constituída por serviços de saúde de nível secundário e terciário; que a criança dependente de tecnologia é marginalizada no Sistema Único de Saúde, sendo invisíveis na rede primária. Conclui-se que os familiares da criança apoiam-se nos serviços que prestam cuidados a criança, que a rede familial está restrita aos familiares mais próximos. Sugere-se que a enfermagem possibilite a formação de redes e o acesso à assistência em saúde dessas crianças.
Mostrar mais

8 Ler mais

Resolutividade na atenção à criança com necessidades especiais de saúde

Resolutividade na atenção à criança com necessidades especiais de saúde

As famílias descreveram não encontrar barreiras para a atenção procurada, muito embora, houve momentos que se mostraram persuasivas para consegui-la. A longitudinalidade demonstrou que o vínculo foi estabelecido entre as famílias e o serviço de saúde. Enquanto que, a integralidade não foi expressa em sua totalidade, uma vez que, esta requer um olhar para saúde além do biológico, assim como o atributo coordenação, visto que não se percebeu a articulação entre a rede de serviços em distintos níveis de complexidade e de competências na busca de satisfazer o conjunto de cuidados demandados pelas CRIANES. A parcialidade na coordenação proferiu-se também pela fragilidade na formação profissional e na formação continuada dos profissionais atuantes nos diferentes pontos de atenção à saúde.
Mostrar mais

15 Ler mais

Roteiro para a "Acreditação" de serviços de atendimento à criança em unidades sanitárias.

Roteiro para a "Acreditação" de serviços de atendimento à criança em unidades sanitárias.

O método, preconizado pela Disciplina Higiene Materna da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, prevê normalização de pré-requisitos básicos essenciais para a boa imple[r]

10 Ler mais

A agenda global dos movimentos sociais.

A agenda global dos movimentos sociais.

Saúde Global então tornou-se um campo primeiramente de luta pelos direitos sociais à saú- de protestados pelos movimentos globais de acu- mulação de um saber global (know-global). Em um segundo momento tornou-se algo relativo às relações internacionais, denominando-se tem- porariamente, por algumas instituições gover- namentais e ONGs, de Saúde Internacional. Por isso, é compreensível que a literatura produzida até então valorize o campo da Saúde Global como um fruto das ações de ONU, OMS, Banco Mundial e FMI ou de países ricos que ainda são superpotências em seu próprio território, pois a dificuldade está em desprender o global de algo único – desassociar a produção dos movimen- tos sociais em rede de algo regido pela vontade de uma única liderança; um contramovimento ao poder soberano de um único país, submetido a uma única organização padronizada de traba- lho. É da multiplicidade na diferença que foi pen- sada a Saúde Global pelos movimentos políticos globais: contra uma ordem única de comando.
Mostrar mais

11 Ler mais

Avaliação do acesso e da utilização de serviços de saúde pela população quilombola de Vitória da Conquista, Bahia

Avaliação do acesso e da utilização de serviços de saúde pela população quilombola de Vitória da Conquista, Bahia

Encontra-se em fase de planejamento a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 22 , de base domiciliar e em nível nacional, prevista para ser realizada em futuro próximo. A PNS foca principalmente em morbidade, estilos de vida e uso de serviços de saúde, primordialmente em âmbito urbano, tendo sido os instrumentos testados e disponibilizados 22 . Embora as informações referentes ao nível nacional não tenham poder para realizar inferências locais, a elaboração de instrumentos padronizados favorece o seu uso em distintos níveis e a realização de inquéritos em amostras populacionais específicas, permitindo assim uma melhor comparabilidade dos resultados 1 . Diante do exposto, foi realizado um inquérito de saúde em comunidades quilombolas do município de Vitória da Conquista, Bahia (Projeto COMQUISTA) 23 , para avaliar as condições de vida, a situação de saúde, o acesso e o uso de serviços de saúde pela população residente. Para este inquérito optou-se por utilizar os instrumentos disponibilizados pela PNS, adaptando-os para a realidade predominante rural dessas comunidades. O objetivo deste artigo é apresentar a metodologia geral e os resultados descritivos preliminares do Projeto COMQUISTA.
Mostrar mais

150 Ler mais

O PROCESSO SAÚDE-DOENÇA DOSAS TRABALHADORESAS DA SERICICULTURA NO PARANÁ

O PROCESSO SAÚDE-DOENÇA DOSAS TRABALHADORESAS DA SERICICULTURA NO PARANÁ

Da elaboração teórica de Marx aos nossos dias, o capitalismo tem atravessado crises e tem construído novos cenários para a sua manutenção enquanto modo de produção econômico, social, político, cultural. Novos setores produtivos baseados nas novas tecnologias da informação, da comunicação, da robótica, da automação, da microeletrônica, da biotecnologia trouxeram mudanças profundas. Assim, mudanças no mundo do trabalho alteraram e tornaram complexa a sociedade capitalista. Se, por um lado, essas mudanças trouxeram avanços para a humanidade, de outro, a apropriação social desses se faz de forma desigual entre as classes sociais. Segundo Albuquerque (2014), essa apropriação desigual da produção social incide e determina o modo de vida dos grupos humanos e, por consequência, seus perfis de morbimortalidade e padrões de saúde.
Mostrar mais

129 Ler mais

Show all 10000 documents...