Sinal digital

Top PDF Sinal digital:

Gap filler adaptativo para sistema ISDB-Tb

Gap filler adaptativo para sistema ISDB-Tb

Com a globalização, atualmente, não existe um setor ou serviço que não dependa ou esteja integrado a outro, pois o acesso à informação se tornou e se torna cada vez mais facilitado. Dessa forma, com o advento da TV digital, há expectativas de um crescimento ainda maior. Esse crescimento se deve à sua mobilidade e convergência tecnológica, permitindo atuar em diferentes plataformas, e por fornecer o seu conteúdo gratuitamente, ocasiona uma difusão do sinal digital. Ela também contribui para que haja a democratização das informações, com programas e conteúdos diversos, incentivo à cidadania, devido à produção de conteúdo regional ou local, e podendo exercer um papel importante também na educação, atuando como um conteúdo estendido.
Mostrar mais

92 Ler mais

Avaliação digital do efeito do ruído sobre a fala: relação sinal/ruído

Avaliação digital do efeito do ruído sobre a fala: relação sinal/ruído

Segundo Shaw (2010), as técnicas digitais de áudio têm permitido gravações de alta fidelidade para serem feitas em dispositivos portáteis e o processamento de sinal digital tem permitido que o arquivo resultante de áudio seja manipulado e analisado com graus crescentes de sofisticação. O autor criou uma técnica chamada de “garantia de som”, uma ferramenta que aproveita estes recursos em benefício dos alunos deficientes auditivos: ela permite que os profissionais entrem em campo para avaliar a eficácia de dispositivos auxiliares da comunicação. É uma técnica que pode quantificar a relação sinal / ruído do ambiente. Assim, é possível avaliar se a fala está ou não sendo recebida pelo estudante com intensidade suficiente, em relação ao ruído de fundo, para promover o benefício eficaz do dispositivo eletrônico aplicado à surdez.
Mostrar mais

90 Ler mais

CONVERSOR AD E DA

CONVERSOR AD E DA

Agora, se representarmos a amplitude de cada amostra do sinal na Fig. 3b por um número com dígitos finitos, então a amplitude do sinal não será mais contínua, ao contrário, ela será considerada quantizada, discretizada ou digitalizada. Então o sinal digital resultante será simplesmente uma sequência de números que representa as amplitudes das sucessivas amostras do sinal.

20 Ler mais

Desenvolvimento de um Condicionador de Sinal para Eletroantenografia

Desenvolvimento de um Condicionador de Sinal para Eletroantenografia

14 Outra técnica implementada no contexto da combinação GC-EAG consiste em discriminar o verdadeiro sinal do ruído associado, usando algoritmos que filtrem o sinal ao reconhecer a forma característica e comprimento de onda do sinal EAG. Tradicionalmente o pico do sinal EAG a tempos de retenção (tempo em que o composto foi identificado pelo GC) seria identificado pela consistência da repetição do pico de EAG no mesmo tempo de retenção, depois de múltiplas repetições sucessivas do mesmo teste. Também o ruído seria discriminado devido à improbabilidade estatística de um pico gerado por este ocorrer simultaneamente no mesmo sítio e ultrapassar um nível limite. Esta forma de discriminar o ruído implica inserir uma incerteza, devido ao sinal de EAG ser discriminado visualmente pelo operador, além de nesta maneira se negligenciar a forma do sinal, visto ser apenas tida em conta a sua amplitude. Uma vez que o sinal analógico do EAG é geralmente convertido em sinal digital, e guardado em computador, é possível aplicar filtros, de modo a discriminar o sinal do ruído, em qualquer altura após a gravação do EAG. Em alguns sistemas mais avançados de EAG existe software com algoritmos de suavização, filtros passa-baixode média móvel, que são também, como o filtro passa-baixo, adequados para discriminar o sinal com baixas e médias frequências do ruído de frequência elevada. A forma dos sinais EAG gerados pelo olfato são distintos significativamente, comparado com a forma do sinal proveniente de ruído, para permitir a sua discriminação baseada em características mais precisas da forma de onda. Por isso é possível efetuar um refinamento adicional de tais filtragens “post-hoc” de ruído (Slone e Sullivan , 2007). O estudo feito por Slone e Sullivan (2007) baseou-se em três algoritmos, respetivamente denominados "PeakHeight", apenas
Mostrar mais

74 Ler mais

Desenvolvimento e avaliação de tubos Venturi para medição de vazão

Desenvolvimento e avaliação de tubos Venturi para medição de vazão

método volumétrico, e sinal digital em 200 pontos para cada Venturi. A avaliação foi realizada comparando os dados de vazão obtidos pelos medidores construidos, em relação aos valores proporcionados por um sistema de medição de vazão (considerado como padrão), composto por um sensor do tipo rotor e uma unidade controladora. Este sensor é aplicável em tubulações de 15 a 900 mm, com uma faixa de trabalho para velocidades de 0,10 até 6,00 m s -1 . Para a calibração e avaliação dos Venturis desenvolveram-se programas na linguagem “Tbasic”. O custo total dos materiais utilizados na construção dos medidores de vazão foi de R$ 220,32 para o Venturi 1 (DN 50) e R$ 242,36 para o Venturi 2 (DN 75). Os resultados obtidos mostraram que a construção artesanal de tubos Venturi para medição de vazão é viável técnica e economicamente. Após calibração os medidores apresentaram uma boa precisão e exatidão (r 2 = 0,9979 e r 2 = 0,9982 para os Venturis 1 e 2,
Mostrar mais

77 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

necessário um estudo da qualidade do sinal da TV digital nesta cidade, com medições da intensidade do sinal digital em vários pontos do município e uma análise do projeto técnico com o valor medido em campo. Nesse sentido, esta dissertação tem como objetivo coletar dados de campo elétrico e potência elétrica do sinal de televisão digital terrestre em regiões urbanas de Uberlândia- MG, e, assim, realizar comparações dos valores medidos com os teóricos dos modelos de propagação ITU-R P.1546, Okumura-Hata e Log-Distância das emissoras de TV operante o sinal digital na cidade.
Mostrar mais

145 Ler mais

Estudo experimental do escoamento sobre placas planas munidas de protuberâncias quadradas e onduladas

Estudo experimental do escoamento sobre placas planas munidas de protuberâncias quadradas e onduladas

Para a obtenção da frequência de Strouhal, que caracteriza o fenômeno de emissão alternada de vórtices, aplicou-se a transformada rápida de Fourier (FFT) ao sinal digital adquirido, ob[r]

103 Ler mais

Televisão digital e o espectro eletromagnético: apontamentos sobre a gestão do recurso durante o processo de digitalização do sinal televisivo

Televisão digital e o espectro eletromagnético: apontamentos sobre a gestão do recurso durante o processo de digitalização do sinal televisivo

A presente dissertação resulta de uma pesquisa descritiva e documental, de cunho exploratório, sobre a televisão digital e sua oportunidade de democratização da comunicação, neste caso, analisando especificamente o espectro televisivo. A substituição do sinal televisivo analógico pelo sinal digital acarreta mudanças significativas no setor de telecomunicações, em especial, por impor nova regulamentação e propor redefinição quanto ao uso do espectro eletromagnético nacional, que pertence ao Estado brasileiro, responsável pela concessão ou autorização de seu uso. A partir da adaptação do espectro à realidade digital, o Estado brasileiro teve a chance de modificar o sistema televisivo nacional, incluindo operadores e novos serviços, ou ainda excluindo os mesmos. Diante desse cenário, esta pesquisa se propõe a identificar como se deu a construção da gestão do espectro eletromagnético durante o processo de digitalização dos sinais de TV e as mudanças ocorridas nos conjuntos legislativos relativas ao espectro e à digitalização dos sinais, que afetam Estado, grupos de mídia e a sociedade civil. Entre as conclusões, fica claro que o Estado preferiu realizar a manutenção do Sistema Televisivo Nacional, sem a abertura de novos espaços e novos canais privados ou mistos. O Estado optou ainda por cercear espaço para uso próprio e fundamentar as bases para um aumento qualitativo e quantitativo de operadores da televisão aberta, rumo a preceitos incluídos na luta pelo Direito à Comunicação e da Democratização da Comunicação.
Mostrar mais

132 Ler mais

Remoção da interferência de 60 hz no sinal de ECG usando filtro notch digital  / Removal of 60 Hz interference on the ECG signal using digital notch filter

Remoção da interferência de 60 hz no sinal de ECG usando filtro notch digital / Removal of 60 Hz interference on the ECG signal using digital notch filter

A IEM pode em determinadas circunstâncias promover alterações no complexo QRS ou, ainda, estabelecer um aumento ou diminuição na duração dos intervalos PQ e ST. Isso, inevitavelmente, pode falsear o conteúdo de informação do sinal de ECG, inferindo na confiabilidade e na precisão do diagnóstico clínico do paciente.

12 Ler mais

Princípios de gravação magnética e registro de som em fios

Princípios de gravação magnética e registro de som em fios

descoberta por Carlson e Carpenter nos EUA em 1921, e novamente por Nagai, Sasaki e Endo no Japão em 1938. Entretanto, a utilização prática na gravação magnética foi introduzida somente a partir de 1940 com a redesco- berta de Braunmuehl e Weber na Alemanha. O esquema básico é gerar um sinal CA, em geral, com uma frequên- cia 5 vezes maior que a frequência máxima a ser gravada (por exemplo, 100 kHz para a faixa de áudio de 20 kHz). O sinal de áudio é então simplesmente adicionado a um sinal de polarização CA [9].

8 Ler mais

Radiol Bras  vol.50 número3

Radiol Bras vol.50 número3

Figura 1. US (A) e RM nas sequências T2 sagital (B), T1 gradiente-eco fora de fase (C) e em fase (D) demonstrando lesão expansiva cística de conteúdo hete- rogêneo, apresentando numerosas formações ovaladas no seu interior, hiperecoi- cas na US, de sinal intermediário em T1 e T2, sem evidência de perda do sinal na sequência T1 gradiente-eco fora de fase.

2 Ler mais

Algumas considerações sobre a consciência na perspectiva fenomenológica de Merleau-Ponty.

Algumas considerações sobre a consciência na perspectiva fenomenológica de Merleau-Ponty.

quando faço sinal para um amigo se aproximar, minha intenção não é um pensamento que eu preparava em mim mesmo, e não percebo o sinal em meu corpo. Faço sinal através do mundo, faço sinal ali onde se encontra meu amigo, a distância que me separa dele, seu consentimento ou sua recusa se lêem imediatamente em meu gesto. Não há uma percepção seguida de um movimento, a percepção e o movimento formam um sistema que se modifica como um todo. (Merleau-Ponty, 1994, p. 159-160)

7 Ler mais

AssistLIBRAS: Uma Ferramenta de Autoria para a Construção de Sinais da LIBRAS

AssistLIBRAS: Uma Ferramenta de Autoria para a Construção de Sinais da LIBRAS

Nesse mesmo contexto, a criação de tecnologias es- pecíficas se torna difícil, pois se trata de uma língua complexa, com gramática e semântica diferenciadas, como por exemplo, os parâmetros da língua abordados por Capovilla e Raphael [5] (configuração de mão, ponto de articulação, expressão facial/corporal, direção e movimento) que constituem o sinal, unidade básica da língua, são bastante abstratos e difíceis de serem incorporados a um ambiente computacional, além do alto custo (tempo e recurso) em utilizar tais ambientes não direcionados para este fim.
Mostrar mais

17 Ler mais

Sistema de transmissão rádio UWB para amplificação digital de áudio com modulação sigma-delta Pedro Miguel Xavier Faleiro

Sistema de transmissão rádio UWB para amplificação digital de áudio com modulação sigma-delta Pedro Miguel Xavier Faleiro

Um multivibrador monoestável, também conhecido por „one shot‟, é utilizado para produzir um pulso cada vez que for despoletado por um sinal à sua entrada. O monoestável é accionado pelo sinal proveniente do colector do transístor Q2 através do condensador C2 responsável pelo desacoplamento do monoestável. Como se pode observar na Figura 5.31, ao ocorrer uma variação de tensão no colector do transístor Q2, a base do transístor Q3 transita para perto dos zero volt o que provoca com que o transístor Q3 fique ao corte. Face isto o colector do Q3 irá aumentar a tensão de forma gradual. Essa transição irá depender do condensador C3 e colocará o transístor Q4 a conduzir. Enquanto este se encontrar a conduzir, o transístor Q3 irá se manter ao corte. Uma vez que o transístor Q4 comece a entrar ao corte, o transístor Q3 transitará para a condução originando uma tensão no colector perto de zero.
Mostrar mais

121 Ler mais

Prevalência de alterações das células ciliadas externas em estudantes de uma escola do Distrito Federal.

Prevalência de alterações das células ciliadas externas em estudantes de uma escola do Distrito Federal.

Quanto à análise estatística, as variáveis estudadas foram: amplitude do sinal, relação sinal/ruído, gênero e lado da orelha. Os dados dos resultados foram reportados apresentando-se: mé- dia, valor mínimo e máximo, desvio padrão e valor absoluto (n). As possíveis diferenças entre as médias de idade dos participantes de cada gênero foram investigadas com o teste t de Student. Para a análise da prevalência dos resultados dos exames de EOAT e de EOAPD no critério “Passa/Falha”, segundo o gênero, em ambas as orelhas, foi utilizado o teste chi-quadrado (teste exato de Fisher).
Mostrar mais

7 Ler mais

A cor no processo criativo ; o espaço da cor no desenho de arquitetura

A cor no processo criativo ; o espaço da cor no desenho de arquitetura

de sinal, como as células bipolares ou interneurónios que inibem ou ampliam o sinal, tais como as células horizontais ou amácrinas; isto significa que onde há diferença de sinal as célu[r]

393 Ler mais

Ruy Madsen Barbosa Neto

Ruy Madsen Barbosa Neto

Se, para a Homeopatia, a doença é uma perturbação da energia vital que se manifesta pelos sinais e sintomas, então o médico homeopata deve coletar essas manifestações para escolher, de[r]

71 Ler mais

Chico Buarque, sinal aberto!

Chico Buarque, sinal aberto!

Mesmo entendendo que a palavra poética de Chico Buarque, feita canção, espraiada por ouvidos e memória da cultura popular brasileira, não se exaure em análises que considerem apenas um[r]

105 Ler mais

Teoria do Sinal em João de São Tomás

Teoria do Sinal em João de São Tomás

Cumpre explicar que João de São Tomás tem, de facto, razão. É impossível compreender o Tratado dos Signos sem primeiro in- vestigar o que é dito no Curso Filosófico acerca do ente de raz[r]

137 Ler mais

Sinal de Cecin (Sinal "X"): um aprimoramento no diagnóstico de compressão radicular por hérnias discais lombares.

Sinal de Cecin (Sinal "X"): um aprimoramento no diagnóstico de compressão radicular por hérnias discais lombares.

sinal ¨X”, por não se saber ainda quais seriam os resultados de uma pesquisa clínica a longo prazo. O propósito desse estudo é avaliar concordância, discordância, sensibilidade, especiicidade, valor preditivo positivo e valor preditivo negativo, entre o sinal “X” e o de Lasègue no diagnóstico da hérnia discal lombar sintomática, recrutando pacientes típicos oriundos da clínica privada. Em editorial da Revista Brasileira de Reumatologia, o Dr. Fernando Neubarth sugeriu que o sinal “X” fosse denominado de Sinal de Cecin. 9
Mostrar mais

7 Ler mais

Show all 5418 documents...