Sistemas eletrônicos

Top PDF Sistemas eletrônicos:

Sistemas eletrônicos de gerenciamento de documentos arquivísticos: um questionário para escolha, aplicação e avaliação

Sistemas eletrônicos de gerenciamento de documentos arquivísticos: um questionário para escolha, aplicação e avaliação

A menção desses autores e seus respectivos trabalhos, em âmbito nacional e em língua portuguesa, sobre a automação em arquivos fez com que fossem percebidos três grandes momentos da literatura sobre o tema no Brasil. O primeiro momento representa o estágio embrionário das discussões sobre a inserção das novas tecnologias em arquivos. Momento de imaturidade teórica e falta de aprofundamento nas questões relacionadas à arquivologia, quer fosse pela novidade que representava a utilização de computadores em arquivos no país e o desconhecimento da “máquina”, quer fosse pela ausência de discursos provenientes da arquivologia, uma vez que grande parte da produção teórica provinha de bibliotecários e engenheiros, como se observou. O segundo momento, talvez influenciado pelas reflexões de Dollar apresentadas na conferência italiana de 1990, as preocupações deixam a temática computacional e partem para o questionamento dos impactos dessas tecnologias nos princípios arquivísticos arraigados. O princípio de proveniência, a ordem original, as características dos documentos arquivísticos são revisitados tendo em vista a nova perspectiva eletrônica. A teoria arquivística é focada considerando a utilização de computadores na criação de sistemas eletrônicos de gerenciamento de documentos arquivísticos e na produção de documentos que só existem em ambiente digital. O terceiro momento é caracterizado pela forte atuação e interlocução nacional com modelos, formatos e iniciativas internacionais. Preocupações mais globais, sobretudo com as questões de fidedignidade, autenticidade e preservação dos documentos eletrônicos, tornam as discussões mais produtivas e a busca pelo estabelecimento de requisitos padronizará e norteará os trabalhos, a produção, aplicação e avaliação de sistemas eletrônicos de gerenciamento de documentos arquivísticos. A literatura, nesse momento, deixa de ter uma preocupação com os problemas e desafios arquivísticos meramente locais, e sintoniza-se com entidades, empresas e estudos externos.
Mostrar mais

248 Ler mais

Simulações computacionais de sistemas eletrônicos em geometrias confinadas

Simulações computacionais de sistemas eletrônicos em geometrias confinadas

A partir da década de 60, sistemas eletrônicos bidimensionais têm sido extensamente estu- dados tanto teórica quanto experimentalmente. O entendimento de tais sistemas levou a uma revolução na microeletrônica e contribuiu para a descoberta de fenômenos quânticos notáveis, como os efeitos Hall inteiro e fracionário. Exemplos típicos de sistemas eletrônicos bidimensi- onais são elétrons na superfície de hélio líquido e elétrons na camada de inversão de semicon- dutores em estruturas MOS (metal-óxido-semicondutor). Experimentalmente, o intervalo de densidade eletrônica (ρ) acessível para o sistema de elétrons sobre filme de hélio é da ordem de 10 5 a 10 9 cm −2 , chegando até 10 10 cm −2 para o caso de filmes finos de hélio, enquanto que para
Mostrar mais

78 Ler mais

Análise de confiabilidade de sistemas eletrônicos complexos baseada em ensaios acelerados...

Análise de confiabilidade de sistemas eletrônicos complexos baseada em ensaios acelerados...

A princípio entendia-se que projetar um equipamento confiável significava selecionar corretamente componentes e empregá-los conforme recomendações do fabricante. Entretanto, com o aumento da sofisticação e da severidade das conseqüências das falhas de sistemas eletrônicos, passou-se a empregar técnicas mais sofisticadas de predição de confiabilidade de um sistema ainda em suas fases iniciais de projeto, as quais são complementadas com a execução de experimentos que visam simular a operação do sistema, além da identificação de falhas não previstas no projeto. A partir dos resultados destes experimentos avalia-se a confiabilidade do mesmo verificando se as exigências de projeto foram atingidas e, caso contrário, realizam-se modificações no projeto, a fim de obter-se um aumento de confiabilidade.
Mostrar mais

154 Ler mais

Sistemas eletrônicos em duas dimensões : desordem e resposta dinâmica

Sistemas eletrônicos em duas dimensões : desordem e resposta dinâmica

O estudo de sistemas de baixa dimensionalidade é um dos assuntos centrais da Física da Matéria Condensada moderna e tem crescido rapidamente. Sistemas eletrônicos em duas dimensões (2D) tornaram-se cruciais tanto para a tecnologia quanto para o desenvolvimento de pesquisa fun- damental. Só para citar os mais proeminentes exemplos, têm-se o gás de elétrons 2D formado na camada de inver- são (ver Figura (2)) entre estruturas semicondutoras (MOS- FET) e elétrons sobre a superfície de substratos criogêni- cos [7, 83]. O primeiro é de extrema importância para a compreensão de fenômenos como efeito Hall quântico fra- cionário [119] e transições metal-isolante 2D (MIT) [1]. O segundo exemplo é um forte candidato no desenvolvimento de bits quânticos fortemente correlacionados para a cons- trução do computador quântico (ver Figura (3)). Platzman e Dykman [93] propuseram que elétrons individuais local- izados na superfície do hélio líquido poderiam ser usados
Mostrar mais

123 Ler mais

3 SISTEMAS ELETRÔNICOS INTERATIVOS NA REABILITAÇÃO

3 SISTEMAS ELETRÔNICOS INTERATIVOS NA REABILITAÇÃO

Melhorar as interfaces dos sistemas de Reabilitação Virtual é outro desafio. As interfaces não foram criadas como equipamento médico, e, portanto, não podem ser esterilizadas para uso repetido por diferentes pacientes. Além disso, muitas interfaces não são adaptadas para atender indivíduos com diferentes estaturas, pesos e deformidades físicas. Um exemplo é a falta de equipamento que comporte a estatura de uma criança. Dessa forma, a avaliação destas crianças utilizando um dado sistema pode torna-se difícil devido à introdução de variáveis que podem causar algum desconforto, por exemplo. Mesmo os adultos podem enfrentar dificuldades na utilização de alguns equipamentos. Por exemplo, pacientes submetidos a cirurgia de mão, ou que sofreram um AVC, podem apresentar dificuldade em utilizar luvas de sensoriamento projetado para uma escala normal. Outro fator é o peso de alguns equipamentos que podem gerar constrangimentos no paciente devido a usabilidade não compatível com seu estereótipo físico. Estes problemas podem reduzir a naturalidade da interação, o que é muito importante para os pacientes com distúrbios cognitivos.
Mostrar mais

43 Ler mais

Desenvolvimento de uma ferramenta computacional de apoio ao ensino de sistemas eletrônicos digitais

Desenvolvimento de uma ferramenta computacional de apoio ao ensino de sistemas eletrônicos digitais

“o desenvolvimento de sistemas de software envolve uma série de atividades de produção em que as oportunidades de injeção de falhas humanas são enormes. Erros podem começar a acontecer logo no começo do processo, onde os objetivos... podem estar errônea ou imperfeitamente especificados, além de erros que venham a ocorrer em fases de projeto e desenvolvimento posteriores... Por causa da incapacidade que os seres humanos têm de executar e comunicar com perfeição, o desenvolvimento de software é acompanhado por uma atividade de garantia de qualidade.” (DEUTSCH, 1979 apud PRESSMAN, 1995)
Mostrar mais

76 Ler mais

TESE DE DOUTORADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E DE AUTOMAÇÃO PARÂMETROS DISCRIMINADORES DE ESTACIONARIEDADE FISIOLÓGICA EM SINAIS DE ELETROMIOGRAFIA DE SUPERFÍCIE APLICADOS NO ESTUDO DA FADIGA

TESE DE DOUTORADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E DE AUTOMAÇÃO PARÂMETROS DISCRIMINADORES DE ESTACIONARIEDADE FISIOLÓGICA EM SINAIS DE ELETROMIOGRAFIA DE SUPERFÍCIE APLICADOS NO ESTUDO DA FADIGA

Analisando conjuntamente os resultados dos índices de inclinação normalizada da reta de regressão e a razão entre as áreas estimados com os novos parâmetros, verifica-se que [r]

178 Ler mais

FELIPE MOREIRA RAMOS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E DE AUTOMAÇÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

FELIPE MOREIRA RAMOS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E DE AUTOMAÇÃO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

6.17 Metabolic energy cost, mechanical work rate and energy cost efficiency of FES rowing with (a) controller based on attractor dynamics, (b) controller based on attractor dynamics with[r]

146 Ler mais

TESE DE DOUTORADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E DE AUTOMAÇÃO PROPOSTA DE MODELO NÃO-PARAMÉTRICO PARA QUANTIFICAÇÃO DE REGIMES DE FLUIDIZAÇÃO

TESE DE DOUTORADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E DE AUTOMAÇÃO PROPOSTA DE MODELO NÃO-PARAMÉTRICO PARA QUANTIFICAÇÃO DE REGIMES DE FLUIDIZAÇÃO

O trabalho é dividido em duas etapas, uma envolvendo simulação numérica e outra, envolvendo a construção e ensaios experimentais de escala laboratorial. Na primeira etapa, implementa-se uma modelagem numérica TFM para auxiliar o projeto de bancada experimental e verificação de alguns parâmetros do caos nos diferentes regimes de fluidização, em três regiões da coluna, a partir das séries temporais de pressão estática. Na segunda etapa, constrói-se uma coluna LFC, com as mesmas dimensões do modelo numérico, para estudar a evolução de parâmetros do caos nos diferentes regimes de fluidização, em três regiões da coluna e com três tipos de partículas, a partir das séries temporais de pressão estática. A análise de caos, a partir de séries temporais inclui a reconstrução de atratores, determinação da dimensão de correlação, da entropia de Kolmogorov e do expoente de Hurst. As análises no domínio do tempo deste trabalho são apresentadas em termos de média e desvio padrão. A partir do aparato experimental realiza-se uma investigação do comportamento dinâmico, através da análise não-linear local de séries temporais de pressão estática de três pontos axialmente distribuído no domínio, e propõe-se um índice baseado nas invariantes caos, capaz de quantificar o regime corrente de uma coluna de fluidização transparente. A metodologia aplicada considera o problema espaço-temporal de sistemas fluidizados, avaliando a evolução da entropia de Kolmogorov (imprevisibilidade ou grau de desordem do sinal avaliado) nas regiões de base, meio e topo de uma coluna de fluidização para os regimes expandido, borbulhante, turbulento e rápido. O expoente de Hurst pode melhorar a precisão no julgamento entre os regimes expandido e borbulhante. Através de uma planta de leito fluidizado circulante fria, instrumentada na base, no meio e no topo são ensaiados três tipos de partículas - vidro de 355 μm, areia 1,0 mm e areia 1,2 mm – operando nos quatro regimes. Baseado na razão entre entropias de Kolmogorov de diferentes regiões da coluna, este trabalho avalia a evolução das similaridades caóticas dessas regiões para quantificar cada regime de fluidização.
Mostrar mais

207 Ler mais

ORIENTADORA: JANAINA GONÇALVES GUIMARÃES DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E DE AUTOMAÇÃO PUBLICAÇÃO: PPGENE.DM – 4522011

ORIENTADORA: JANAINA GONÇALVES GUIMARÃES DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E DE AUTOMAÇÃO PUBLICAÇÃO: PPGENE.DM – 4522011

Esse ponto é muito importante devido à necessidade de bons condutores para a realização de nanodispositivos eletrônicos. Se forem novamente analisados os gráficos de curva IV percebe-se que a junção Au-PMMA apresenta correntes muito superiores para uma mesma tensão aplicada quando comparada com os outros filmes aqui apresentados. Em aplicações da nanoeletrônica espera-se que as correntes sejam pequenas não pela alta resistência (que invariavelmente acaba por gerar mais perdas), mas pelo controle fino de tensão que permite que apenas grupos pequenos de elétrons atravessem o dispositivo. A melhora da condutividade dos filmes ultrafinos dos processos aqui desenhados deve ser um dos pontos levados com muita seriedade em trabalhos futuros, pois pode depender dele o sucesso da aplicação. O resultado otimista da amostra 3 de PEDOT:PSS leva a crer que uma otimização do processo pode levar a filmes com mais potencial de uso.
Mostrar mais

88 Ler mais

TESE DE DOUTORADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E AUTOMAÇÃO REALCE DE VÍDEO PARA SEQÜÊNCIAS DE QUALIDADE E RESOLUÇÃO VARIÁVEIS

TESE DE DOUTORADO EM ENGENHARIA DE SISTEMAS ELETRÔNICOS E AUTOMAÇÃO REALCE DE VÍDEO PARA SEQÜÊNCIAS DE QUALIDADE E RESOLUÇÃO VARIÁVEIS

Como mencionado anteriormente, o H.264 também utiliza uma codificação híbrida, onde existe uma etapa de predição seguida da codificação da informação residual por transformada. Contudo, em contraste com padrões anteriores, como o MPEG-2 ou H.263, que utilizam a transformada bidimensional de cossenos discreta (DCT-2D) de tamanho 8×8, o H.264 faz uso de um conjunto de transformadas inteiras de blocos de tamanhos diferentes. De modo geral, a transformada inteira de 4×4 é aplicada no resíduo da predição tanto para as componentes de luminância quanto para as de crominância. Além disso, a transformada Hadamard é aplicada para todos os coeficientes DC resultante de um macrobloco (16×16) que é codificado utilizando codificação intra. Apesar da importante aplicação em sistemas de baixa complexidade computacional, o uso de uma transformada de tamanho reduzido no H.264 tem ainda a vantagem de reduzir artefatos de ringing oriundos do fenômeno de Gibbs [50, 51]. Todavia, para vídeo de alta fidelidade, a preservação da suavidade e da textura é geralmente beneficiada com representações com funções de bases maiores. Um bom custo benefício para esta situação ocorre com o uso da transformada de tamanho 8 × 8. Uma transformada inteira parecida com a DCT bidimensional de tamanho 8 × 8 foi incorporada ao FRExt (vide a Seção 2.1.7.7), possibilitando implementações eficientes em sistemas com aritmética inteira. De fato, qualquer transformada inteira do H.264, assim como suas respectivas transformadas inversas, podem ser implementadas de maneira simples e eficiente, já que apenas as operações de deslocamento e adição em um processamento com (8 + b) bits são necessários para comprimir e descomprimir um vídeo com b bits de profundidade.
Mostrar mais

140 Ler mais

Metodologia para identificação do componente fundamental da tensão da rede baseada no algoritmo recursivo da TDF.

Metodologia para identificação do componente fundamental da tensão da rede baseada no algoritmo recursivo da TDF.

Considerando a crescente utilização de técnicas de processa- mento digital de sinais em aplicações de sistemas eletrônicos e ou de potência, este artigo discute o uso da Transformada Discreta de Fourier Recursiva (TDFR) para identificação do ângulo de fase, da freqüência e da amplitude das tensões fun- damentais da rede, independente de distorções na forma de onda ou de transitórios na amplitude. Será discutido que, se a freqüência fundamental das tensões medidas coincide com a freqüência a qual a TDF foi projetada, um simples algoritmo TDFR é completamente capaz de fornecer as informações requeridas de fase, freqüência e amplitude. Dois algoritmos adicionais são propostos para garantir seu desempenho cor- reto quando a freqüência difere do seu valor nominal: um deles para a correção do erro de fase do sinal de saída e outro para identificação da amplitude do componente fundamental. Além disto, destaca-se que através dos algoritmos propostos, independentemente do sinal de entrada, a identificação do componente fundamental pode ser realizada em, no máximo, 2 ciclos da rede. Uma análise dos resultados evidenciados pela TDFR foi desenvolvida através de simulações computa- cionais. Também serão apresentados resultados experimen- tais referentes ao sincronismo de um gerador síncrono com a rede elétrica, através dos sinais fornecidos pela TDFR. PALAVRAS-CHAVE : Transformada Discreta de Fourier, identificação de freqüência, identificação da onda fundamen- tal, detecção de fase, TDF recursiva, sincronismo.
Mostrar mais

16 Ler mais

Análise dos processos administrativos eletrônicos da prefeitura de Santos e de São Paulo

Análise dos processos administrativos eletrônicos da prefeitura de Santos e de São Paulo

Desta forma, a relevância e atualidade do tema e crescente demanda dos entes públicos para passar a utilizar os processos administrativos eletrônicos, podem ser comprovadas pela notícia referente à Modernização da Gestão Pública publicada no site do Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) em Maio de 2015: . informava-se que mais de 100 órgãos públicos manifestaram interesse em utilizar o SEI. Neste trabalho busca-se elencar algumas diferenças identificadas entre os sistemas adotados pelas Prefeituras de São Paulo e de Santos.
Mostrar mais

57 Ler mais

A produção de subjetividade nos jogos eletrônicos

A produção de subjetividade nos jogos eletrônicos

A presente pesquisa explora a questão da produção de sentido nos jogos eletrônicos tomando como base as condições subjetivas envolvidas na relação/interação entre jogador e jogo, dentro da literatura científico e acadêmica do meio. Parte da discussão atual acerca do fundamento teórico dos videogames em geral, os quais são postulados como uma categoria especial de objetos transdisciplinares em uma cultura em constante transformação. Apresenta os jogos eletrônicos (games) dentro de uma categoria especial de objetos sensíveis e reagentes que participam da constituição de uma subjetividade no contexto do universo digital, a qual, necessariamente passa pela relação entre a inteligência humana e não-humana. Aborda esta relação a partir de um olhar múltiplo, inter e transdisciplinar, considerando as abordagens sócio-culturais, tecnológicas, semióticas, as quais se plasmam no contexto da discussão do estatuto entre o sujeito, o objeto e o mundo considerados na esfera do mundo e da vida digital. Retoma elementos da discussão da filosofia pós-estruturalista, articulando a compreensão maquínica do conceito de subjetividade com os aspectos temáticos da crítica da representação, propondo pensar os videogames em uma estrutura conjugada com as faculdades cognitivas e sensíveis do sujeito humano, isto a partir de sua constituição enquanto sistemas de signos de potencial a-significante. A partir da natureza especial do objeto de estudo, a pesquisa desenvolve a proposta inicial de uma estratégia qualitativa e teórica, situando-a em uma abordagem exploratória no exame de dados secundários, na observação direta via análise formal de obras e da produção e documentação de um protótipo digital de um game que explore os modos de relação entre o sujeito do jogo, seus avatares e as condições de jogabilidade do mesmo, situadas a partir da concepção de um game acadêmico e exploratório. Ela culmina com a experimentação e produção de um modelo que se encaminha na direção de uma noção mais clara dos dispositivos de linguagem atuantes na construção de sentido nos videogames, propiciando uma contribuição para o incremento da capacidade de análise e produção de jogos eletrônicos.
Mostrar mais

86 Ler mais

Aspectos jurídicos dos contratos eletrônicos

Aspectos jurídicos dos contratos eletrônicos

No âmbito das relações eletrônicas, a identificação da capacidade do sujeito contratante implica dificuldades, dado o anonimato presente na internet e uma vez que inexiste contato físico entre as partes. De fato, há inúmeros websites que, ao praticarem atividades comerciais por meio eletrônicos, estão expostos à contratação com incapazes. Para que uma venda seja efetuada, basta que o internauta escolha o produto a ser adquirido a apresente o número de cartão de crédito, para fins de pagamento. Tratando-se de bens físicos, o produto será encaminhado pelo correio ao endereço fornecido pelo comprador. Tratando-se de bens digitais, no ato da compra é possível transferir o conteúdo do produto adquirido ao computador do comprador. Não há, portanto, qualquer contato pessoal entre as partes ou mecanismo seguro para identificação da capacidade da parte adquirente.
Mostrar mais

133 Ler mais

O uso de documentos eletrônicos na contabilidade.

O uso de documentos eletrônicos na contabilidade.

Observa-se que é permitido o uso de mídia eletrônica para o registro de negócios e atividades econômicas, escrituração de livros contábeis e elaboração de documentos de natureza contábil e fiscal. No entanto, a Receita Federal e o DNRC fazem as seguintes exigências: 1) os arquivos e sistemas têm de ser conservados pelo contribuinte pelo prazo de 5 anos; e, 2) é obrigatória a escrituração ou emissão dos Livros Diários e do Razão, por escrita tradicional ou através de microfichas (microfilmes).

12 Ler mais

Segmentação dos consumidores de jogos eletrônicos

Segmentação dos consumidores de jogos eletrônicos

Este estudo objetiva apresentar possíveis segmentos de consumidores de jogos eletrônicos através da exploração de suas preferências com o uso de pesquisa survey, cujo questionário estruturado foi elaborado a partir da Taxonomia dos Jogos Eletrônicos de Lima (2016). Para a análise dos dados coletados, foram utilizadas estatísticas descritivas univariadas e multivariada, com o emprego de correlação de Pearson para sugerir possíveis relações entre as variáveis. A amostragem foi não aleatória por conveniência c om 239 respondentes válidos, sendo 31% de jogadores Casuais, 49% jogadores Médios e 20% jogadores Hardcore. Os jogadores Casuais, e os jogadores Hardcore formaram segmentos diferentes, com os jogadores Médios oscilando entre eles. As plataformas do tipo Consoles de Mesa, PC Games e Handhelds formaram um grande segmento, e as plataformas Mobile, Cloud Games e TV Digital formaram outro.
Mostrar mais

22 Ler mais

MODELOS DE NEGÓCIOS DE LIVROS ELETRÔNICOS PARA BIBLIOTECAS

MODELOS DE NEGÓCIOS DE LIVROS ELETRÔNICOS PARA BIBLIOTECAS

Por esse ser um assunto recente e os aspectos terminológicos ainda não estarem consolidados, cada autor adota uma tipologia ou classificação diferente ao tratar sobre os modelos de negócios de venda de livros eletrônicos. Por isso, este artigo segue uma divisão própria, que é uma combinação das adotadas por outros autores, para poder tratar do assunto com maior abrangência. Inicialmente são descritos os meios atuais através dos quais as bibliotecas podem comprar os livros eletrônicos, a saber: as editoras, os agregadores e os distribuidores. Depois, são analisados os principais modelos de seleção, dos quais os mais comuns são por título ou por pacote. Os modelos de negócios disponíveis atualmente para a biblioteca incluem o acesso perpétuo, a assinatura, o empréstimo de curto prazo e a aquisição orientada pelo usuário.
Mostrar mais

13 Ler mais

Show all 10000 documents...