Solventes alternativos

Top PDF Solventes alternativos:

Estudo de solventes alternativos para extração de aromáticos

Estudo de solventes alternativos para extração de aromáticos

Os hidrocarbonetos aromáticos são compostos químicos de grande interesse na indústria petroquímica. Estes são comumente originados da nafta reformada, onde encontram-se em misturas multicomponentes com hidrocarbonetos alifáticos. A separação destes componentes é realizada, em sua grande maioria, pelo processo de extração líquido-líquido. Nesse processo, o sulfolano é o solvente mais utilizado. No entanto, este apresenta algumas desvantagens, tais como alto custo. Por esse motivo, inúmeros estudos são realizados pela comunidade acadêmica a fim de propor solventes alternativos que substituam o uso exclusivo do sulfolano por compostos que também apresentem características importantes, como boa seletividade, boa recuperabilidade e baixos custos. Diante do exposto, o presente trabalho tem como principal objetivo determinar dados de equilíbrio líquido-líquido (ELL) para estudar a capacidade dos solventes [dietilenoglicol (DEG), trietilenoglicol (TEG), glicerina e 2-hidroxietilamina formato (2-HEAF)] em extrair aromáticos das misturas com alifáticos. As propriedades físicas também assumem extrema importância no conhecimento do comportamento e das interações que ocorrem nas misturas de líquidos. Deste modo, neste trabalho foram estudados a densidade e a viscosidade de solventes extratores de aromáticos. A metodologia experimental para obtenção dos dados de ELL foi inicialmente validada reproduzindo dados da literatura, e os resultados mostraram uma boa concordância entre estes dados. Após a metodologia ter sido validada foram construídas curvas de solubilidade e tie-lines para os sistemas contendo decano + tolueno + DEG (+ TEG, + glicerina, + 2-HEAF, + sulfolano) a T = (303,15 e 333,15) K. Os dados de composição das tie-lines, obtidos experimentalmente, foram utilizados para calcular o parâmetro de seletividade e o coeficiente de distribuição. De posse desses dados, pode-se concluir que todos os solventes estudados apresentam boa capacidade para extração de tolueno a partir de misturas com decano. No entanto, a glicerina destacou-se como o solvente mais promissor para a extração de aromáticos apresentando os maiores valores para seletividade. Finalmente, os dados experimentais foram correlacionados através dos modelos termodinâmicos de coeficiente de atividade, NRTL e UNIQUAC. Os resultados foram considerados satisfatórios, observando-se que o NRTL foi o modelo que apresentou os menores desvios na composição. Dessa forma, representou melhor os dados de ELL para os sistemas estudados.
Mostrar mais

160 Ler mais

Estudo da reação de Passerini em solventes alternativos

Estudo da reação de Passerini em solventes alternativos

Os materiais de partida são comercialmente disponíveis ou facilmente preparados.5 São perfeitas para serem usadas estrategicamente na química combinatorial por formarem facilmente amplas[r]

161 Ler mais

TESE_Extração sólido-líquido dos grãos de café verde e da torta da prensagem estudo de solventes alternativos

TESE_Extração sólido-líquido dos grãos de café verde e da torta da prensagem estudo de solventes alternativos

onde as variáveis independentes foram a concentração de cosolventes (acetona e acetato de etila; 0 a 40%) no etanol e a temperatura (35 a 55C), e as variáveis respostas, o rendimento e índice de retenção de sólidos solúveis. Observou-se que a temperatura e a adição de acetona tiveram um efeito positivo no rendimento do processo de ambos os materiais, sendo que, para a torta, a adição de acetato também influenciou esta variável resposta. A temperatura também influenciou o índice de retenção do processo de extração de ambos os materiais, no entanto, esta variável resposta não pode ser representada por um modelo empírico. O estudo mostrou que o processo de extração de sólidos solúveis da torta de café é mais viável do que para os grãos. Como método alternativo, foi realizado o processo de extração sólido-líquido dos grãos de café verde assistido por ultrassom (20 kHz, 400 W, ponteira de 3 mm de diâmetro), onde os mesmos parâmetros da otimização realizada para o banho com agitação foram utilizados, exceto a temperatura, no lugar da qual foi utilizado o tempo como variável independente (5 a 60 min). A função desejabilidade foi utilizada para otimizar, simultaneamente, os resultados das variáveis respostas analisadas (rendimento e índice de retenção). As regiões ótimas encontradas foram 16,41 a 31,45% para acetona, 31,45 a 40% para acetato de etila e 54,44 a 60 min para o tempo. Os resultados mostraram que o tempo de extração foi um parâmetro com elevada influência na recuperação de sólidos solúveis e no índice de retenção do processo de extração sólido-líquido de grãos de café verde. Por meio dos resultados obtidos, pode-se demonstrar que o processo de extração sólido-líquido utilizando solventes verdes é viável para a extração de óleo ou sólidos solúveis de grãos de café verde e da torta obtida da prensagem mecânica dos grãos. Assim, a extração sólido-líquido pode ser utilizada como uma segunda etapa de extração para remover os sólidos da torta, uma vez que o processo de prensagem se mostrou com baixa eficiência (< 30%) de rendimento de óleo, bem como da extração de compostos bioativos.
Mostrar mais

202 Ler mais

Extração de Óleo de Gérmen de Trigo com Solventes Alcoólicos

Extração de Óleo de Gérmen de Trigo com Solventes Alcoólicos

O gérmem de trigo é um subproduto da indústria de moagem de trigo. O gérmem constitui cerca de 2-3 % do grão de trigo e pode ser separado do grão de uma forma simples durante o processo de moagem. O gérmem de trigo contém cerca de 11 % de óleo. O solvente mais utilizado para extração de óleos vegetais é o n-hexano, no entanto, recentemente a indústria de óleos tem mostrado crescente interesse no uso de solventes alternativos, devido as questões ambientais e de segurança. O objetivo desse trabalho foi estudar a utilização de etanol e isopropanol na extração de óleo de gérmen de trigo, caracterizando o óleo obtido quanto ao teor de ácidos graxos livres, teor de fósforo, índice de peróxidos, estabilidade oxidativa, cor, teor de tocóis e carotenóides, além do rendimento de extração. Também comparou-se os resultados com os obtidos para o óleo extraído pelo método tradicional, com hexano. O isopropanol e etanol foram eficientes para a extração do óleo de gérmen de trigo. O maior rendimento de extração foi encontrado para o etanol. Os óleos extraídos apresentaram elevado teor de ácido linoléico, seguido de ácido oléico, ácido palmítico e linolênico, composição essa característica do óleo de gérmen de trigo. O óleo obtido a partir da extração com etanol e isopropanol apresentou concentrações inferiores de tocoferóis e carotenoides, devido ao fracionamento do óleo durante o preparo da amostra para a análise. A torta obtida após a extração, para os três solventes estudados, apresentou elevado teor de proteína, podendo ser destinada para alimentação.
Mostrar mais

8 Ler mais

A INFLUÊNCIA DA ÁGUA NAS PROPRIEDADES TERMOFÍSICAS DOS SOLVENTES EUTÉCTICOS

A INFLUÊNCIA DA ÁGUA NAS PROPRIEDADES TERMOFÍSICAS DOS SOLVENTES EUTÉCTICOS

Nos últimos anos e como alternativa aos LIs, os solventes eutécticos (SEs) tem sido amplamente explorados. Por definição, mistura eutéctica é formada quando dois compostos normalmente sólidos dão origem a um outro composto com uma temperatura de fusão inferior às temperaturas de fusão dos dois compostos puros, seus constituintes. As misturas eutécticas são amplamente utilizadas na fabricação de ligas metálicas e também na indústria farmacêutica. No entanto, quando nos referimos a SEs como solventes alternativos referimo-nos a solventes eutécticos sintetizados a partir de um sal e de normalmente de um doador de pontes de hidrogénio. Assim, nesta perspectiva, podemos afirmar que os SEs possuem propriedades semelhantes ás dos LIs como é o caso da baixíssima pressão de vapor á temperatura ambiente, pois são constituídos por compostos iónicos, No entanto, existem outros solventes eutécticos obtidos a partir de compostos não iónicos e de fontes naturais cujas propriedades os incluem também no grupo dos solventes alternativos.
Mostrar mais

111 Ler mais

Reciclagem de material asfáltico fresado utilizando solventes e microemulsões

Reciclagem de material asfáltico fresado utilizando solventes e microemulsões

Oliveira et al, 2004, realizaram estudos sobre remediação de solos contaminados por compostos orgânicos, utilizando líquidos precursores (água, tensoativo e cotensoativo) e microemulsões a base de solventes alternativos injetados no sistema de coluna por lavagem gravitacional para propiciar o arraste por contato e solubilização do contaminante. Os estudos revelaram que as soluções de líquidos precursores tinham baixa eficiência de extração devido à alta hidrofobicidade da amostra. Os resultados na extração de resíduo asfáltico com microemulsões e alguns óleos vegetais como Terpeno e o d-Limoneno inseridos apresentaram resultados satisfatórios.
Mostrar mais

47 Ler mais

Síntese de (E)-4-(estiril) fenóis nitro-substituídos e aplicações como sondas na investigação da polaridade de solventes puros, de misturas binárias de solventes e da micropolaridade de ciclodextrinas

Síntese de (E)-4-(estiril) fenóis nitro-substituídos e aplicações como sondas na investigação da polaridade de solventes puros, de misturas binárias de solventes e da micropolaridade de ciclodextrinas

Constatou-se que os compostos, na sua forma desprotonada, são corantes solvatocrômicos e podem ser utilizados para o estudo da polaridade do meio. No estudo de polaridade de solventes puros foi constatado que os corantes apresentam solvatocromismo reverso. Verificou-se que nas faixas de concentrações das soluções dos corantes estudadas não ocorreu agregação soluto-soluto. Observou-se também que não ocorre fotoisomerização uma vez que não houve deslocamentos significativos na banda solvatocrômica e com o aumento da temperatura houve uma pequena mudança na posição das bandas indicando que os corantes são termossolvatocrômicos. Assim, o solvatocromismo reverso pode ser atribuído à solvatação diferencial, exercida pelo solvente, das formas de ressonância quinonoide e benzenoide do corante, o que é responsável por modificar a contribuição das espécies, sendo assim responsável pelo tipo de solvatocromismo observado.
Mostrar mais

120 Ler mais

Análise do circuito de água de refrigeração de uma unidade de regeneração de solventes

Análise do circuito de água de refrigeração de uma unidade de regeneração de solventes

Uma vez que a viabilidade deste processo reside na recuperação máxima possível do solvente, e sendo a condensação uma operação com grandes perdas de solvente recuperado na forma de vapor através das bombas de vácuo, devido à baixa eficiência da condensação, a EGEO Solventes S.A. implementou como medida defensiva a colocação de dois permutadores de calor em série no topo de cada coluna simples para garantir um total aproveitamento do solvente recuperado. A aplicação de mais 2 permutadores implica, não só, gastos em equipamentos, mas também custos de operação como maior quantidade de utilidade fria a utilizar e custos de manutenção e, por isso, é de interesse para a empresa fazer uma análise a esta parte do processo.
Mostrar mais

98 Ler mais

Estudo da cristalização de parafinas em sistemas solventes/tensoativos/água

Estudo da cristalização de parafinas em sistemas solventes/tensoativos/água

O estudo de difusão da parafina indicou os solventes hexano e nafta-petroquímica como os melhores para aplicação em sistema estático. Os sistemas microemulsionados comportam-se de maneira favorável e compatível com o comportamento dos solventes com relação aos experimentos de difusão isto também devido à interação favorável com a parafina. De acordo com o estudo realizado baseado no cálculo dos coeficientes de difusão das microemulsões, estas se apresentaram melhores quanto à transferência de massa dos solventes puros. Esse comportamento é proveniente da presença do tensoativo em sua composição, o que provoca uma diminuição na tensão interfacial do fluido com a parafina, conseqüentemente, reduz a resistência da camada fluida. Além disso, a presença de micelas diretas, que englobam o solvente em meio aquoso, provoca o encapsulamento da parafina, facilitando a sua difusão no fluido, de acordo com o movimento browniano, aumentando significativamente a superfície de contato onde ocorre a transferência de massa.
Mostrar mais

221 Ler mais

Diagnóstico e otimização do circuito de refrigeração de uma unidade de regeneração de solventes

Diagnóstico e otimização do circuito de refrigeração de uma unidade de regeneração de solventes

Primeiramente gostaria de agradecer à EGEO Solventes S.A. na pessoa da Engª. Lina Raimundo, por toda a disponibilidade ao longo do tempo e pela oportunidade de poder trabalhar num ambiente acolhedor e desafiante. Aos Engenheiros João Quitério e Pedro Vieira, obrigado por toda a ajuda e discussão que me ajudou a desenvolver o meu trabalho: muito aprendi convosco, coisas que jamais esquecerei. À Engenheira Sofia Lavoura, um grande obrigado, a companhia e os momentos registados foram importantes. Ao Técnico Carlos Sebastião, ao Sr. Jorge Ferreira, responsável de produção por toda a disponibilidade e ajuda. A toda a equipa da EGEO Solventes, S.A.: agradeço os conselhos e ensinamentos – esses levá-los-ei para a vida.
Mostrar mais

101 Ler mais

Síndrome metabólica e hepatotoxicidade associados à exposição a solventes

Síndrome metabólica e hepatotoxicidade associados à exposição a solventes

Metabólica ocasiona alterações significativas no metabolismo, sendo a doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) a manifestação hepática mais frequente e o estresse oxidativo um dos principai hits envolvidos na evolução da doença. Produtos químicos como solventes orgânicos, que são conhecidos fatores causais de DHGNA (TASH/Toxicant Associated Steatohepatitis), podem estar envolvidos na etiopatogenia da doença. Objetivos: Avaliar a associação de exposição química a solventes com síndrome metabólica e estresse oxidativo. População e Métodos: Estudo transversal composto por 70 trabalhadores, todos do sexo masculino, sendo 30 expostos a risco químico cupacional e 40 sem evidência de exposição. O primeiro grupo foi selecionado entre trabalhadores expostos de maneira frequente a solventes orgânicos em empresas de grande porte de Porto Alegre/RS e região metropolitana durante a jornada de trabalho. O segundo grupo foi selecionado entre trabalhadores da área administrativa de diferentes empresas, sem exposição a risco químico ocupacional. Foram excluídos da amostra etilistas, drogaditos, tabagistas, usuários de medicações hepatotóxicas, portadores de hepatite B e C ou doença hepática conhecida, portadores de hemocromatose, mulheres, menores de 18 anos, maiores de 65 anos e pacientes com IMC (índice de massa corporal) >30. Foram realizados anamnese, exame físico e exames laboratoriais em todos os pacientes. Diagnóstico de Síndrome Metabólica foi realizado conforme os critérios do NCEP-ATPIII. Lipoperoxidação foi avaliada através de análise das substâncias que reagem com o ácido tiobarbitúrico (TBARS). Foi avaliada a atividade da enzima antioxidante superóxido dismutase (SOD) e a atividade da enzima glutationa S-transferase (GST). Dados quantitativos foram descritos por mediana e amplitude interquartil (percentil 25-75). Dados categóricos apresentados por contagens e percentuais. As comparações de dados quantitativos foram realizadas pelo teste U de Mann-Whitney e das categóricas pelo teste do qui-quadrado da razão de verossimilhança. Elastografia transitória hepática foi realizada para avaliação de fibrose hepática, através de sonda M, utilizando o valor da mediana de aquisições de sucesso.
Mostrar mais

179 Ler mais

Repercussões visuais da exposição ocupacional a uma mistura de solventes orgânicos:...

Repercussões visuais da exposição ocupacional a uma mistura de solventes orgânicos:...

13 Em alguns casos, as normas para o uso de solventes orgânicos (aqueles que contêm hidrogênio e carbono em sua composição) em produtos variam profundamente entre países (ILO, 2003; Greenberg, 1997), além de serem encontradas contradições nas normas de um mesmo país. Um exemplo disso está no teor de benzeno utilizado na gasolina brasileira. A portaria interministerial número 3, de 28 de abril de 1982, referente ao Ministério do Trabalho e ao Ministério da Saúde, estipula que nenhum produto deve conter Benzeno em sua composição numa taxa superior a 1% em volume. Já a Agência Nacional do Petróleo (ANP) publica em 1999 uma portaria onde fixa os teores máximos de benzeno presentes na gasolina comum em 2% (Costa & Costa, 2002). Na medida em que pesquisas vêm ilustrando o efeito nocivo da exposição ambiental e ocupacional a solventes orgânicos sobre os órgãos dos sentidos e o sistema nervoso central, a falta de um limiar seguro e consensual para exposição aos solventes orgânicos mais comuns vem tornando-se um ponto crítico para pesquisas (Gobba, 2003).
Mostrar mais

102 Ler mais

Síntese de (Z)-Tioeninos Utilizando Solventes Recicláveis

Síntese de (Z)-Tioeninos Utilizando Solventes Recicláveis

Portanto, baseados nos princípios da Química Verde, o objetivo deste trabalho é desenvolver uma nova metodologia mais limpa e eficiente para a síntese de tioeninos, utilizando o suporte sólido KF/Al 2 O 3 como catalisador e solventes verdes não tóxicos e recicláveis, como o PEG-400 e a glicerina, conforme descrito no Esquema 1 abaixo. Testar as reações tanto a temperatura ambiente, como com aquecimento convencional e irradiação de micro-ondas (MO), e sistematizar a metodologia desenvolvida através da utilização de outros tióis bem como outros diinos simétricos e não-simétricos. Além disto, realisar o estudo de reciclagem e reutilização deste meio reacional (solvente/KF/Al 2 O 3 ).
Mostrar mais

83 Ler mais

Líquidos iônicos como solventes para incrustações em tubulações industriais

Líquidos iônicos como solventes para incrustações em tubulações industriais

Muito se tem estudado ultimamente sobre a química verde e os líquidos iônicos estão sempre presentes para comparação de resultados. Uma vez que um dos principais problemas da indústria química está relacionado com a utilização de solventes orgânicos (voláteis ou não) em seus processos. Nesse sentido, dependendo do solvente utilizado, sua manufatura, transporte, estoque, manuseio e descarte desses materiais representam aspectos que demandam extrema atenção e capital (KAKABADSE, 1984).

34 Ler mais

Estudo sobre o papel dos solventes na produção de união à dentina

Estudo sobre o papel dos solventes na produção de união à dentina

________________________________________________Fernanda Cristina Pimentel Garcia Figura 2.2- I lustração esquemática das alterações dimensionais sofridas pelas fibrilas de colágeno. A) secagem moderada: as moléculas de água remanescem mantendo as fibrilas expandidas, B) secagem severa: a água é perdida por evaporação, culminando em perda dos espaços interfibrilares, C) aplicação de 35% HEMA EM 65% de água: re-expansão parcial das fibrilas colapsadas, D) colapso parcial das fibrilas, E) evaporação dos solventes, manutenção das fibrilas expandidas ou F) contraídas (Adaptado de NAKAOKI et al . 93 , 2000).
Mostrar mais

201 Ler mais

Inchamento de borrachas vulcanizadas sob a ação de solventes orgânicos

Inchamento de borrachas vulcanizadas sob a ação de solventes orgânicos

Outra característica importante que se pode observar na Figura 53-A é a quase nula variação de massa que ocorreu nesta borracha quando exposta ao etanol anidro em comparação aos demais três solventes (heptano, tolueno e gasolina C). Inclusive, é difícil diferenciar o inchamento do silicone com estes três solventes nos primeiros 15 minutos. De fato, pode-se dizer que existem duas situações distintas com a borracha de silicone, uma situação com grandes variações de massa e outra com pequenas variações onde o etanol se situa. Pela grande diferença de amplitude de inchamento que existe entre essas duas situações, pode-se considerar que o silicone é uma borracha com grandes capacidades preditivas para a detecção da adição de etanol anidro em excesso na mistura com gasolina. Ou seja, quanto menor o inchamento, maior o teor de etanol na gasolina . Esta possibilidade será estudada com mais detalhes no capítulo seguinte.
Mostrar mais

283 Ler mais

Interações intra e intermoleculares do ácido úsnico com solventes e lipídios

Interações intra e intermoleculares do ácido úsnico com solventes e lipídios

Ao incluirmos o método PCM, a água continua tendo a maior interação e agora o DMSO é previsto não exibir uma interação estável com o AU-enol. Além disto, e como esperado, a energia de interação com as moléculas do solvente diminuiram consideravelmente. Este resultado aponta, portanto, para a necessidade de uma descrição melhor do solvente, provavelmente pela inclusão de um número maior de moléculas de solvente, o que tornaria o custo da abordagem, via métodos de estrutura eletrônica, bastante elevado. Assim, na perspectiva de tentarmos descrever melhor e interação entre o AU-enol e os solventes de interesse, as moléculas de solvente ao redor do ácido úsnico foram todos computados através de dinâmica molecular e serão apresentados mais adiante.
Mostrar mais

89 Ler mais

Dispersão Raman de um sistema doador-aceptor em diferentes solventes

Dispersão Raman de um sistema doador-aceptor em diferentes solventes

em comparação com a estrutura neutra, ocorrendo o deslocamento da banda para menores frequências no espectro vibracional. Considerando, também, que alguns solventes podem aumentar ou diminuir a contribuição da estrutura zwitteriônica no estado eletrônico fundamental, o deslocamento para maior número de onda do DMSO ao tetracloreto de carbono da Figura 17 (de cima para baixo) pode se relacionar a isso. É importante ressaltar que a variação da banda observada nos espectros em diferentes solventes da Figura 17, também foi observada em outras linhas de excitação, inclusive em 1064 nm.
Mostrar mais

79 Ler mais

Aerogéis de nanocelulose funcionalizados para absorção seletiva de solventes orgânicos

Aerogéis de nanocelulose funcionalizados para absorção seletiva de solventes orgânicos

Para aerogéis de celulose regenerada de papel de jornal, liofilizados após troca de solvente com etanol e álcol terc-butílico, e silanizados por deposição a vapor de TMCS, foram reportados valores de capacidade de absorção para óleos/solventes orgânicos de 12 a 22 vezes o próprio peso (JIN et al., 2015). A regeneração de celulose levaria a um material melhor distribuído espacialmente. A troca de solvente impediria o colapso da rede nanofibrilar durante a liofilização. A silanização por deposição a vapor foi bem sucedida, pois os autores relataram a presença de silício e cloro no espectro de EDS. Uma hipótese para a reduzida capacidade de absorção, em comparação com este trabalho, seria a matéria-prima, um resíduo de celulose extensivamente processado. Os autores mencionam que pigmentos e outros elementos foram removidos na troca de solvente, então não houve interferência de outras substâncias ou impurezas. Desse modo a escolha da matéria-prima pode impactar nas propriedades de absorção dos aerogéis.
Mostrar mais

120 Ler mais

Análise das propriedades químicas, biológicas e antimicrobianas de solventes end...

Análise das propriedades químicas, biológicas e antimicrobianas de solventes end...

Nossas avaliações foram feitas em dois períodos, aos 5 e 15 min, empregando 50µl de solvente em cada um dos tempos analisados. Aos 5 min, o Citrol e Xilol apresentaram uma diminuição na microdureza estatisticamente significante, similar ao grupo controle positivo (ácido fosfórico 37%) (P<0.05). Esse resultado está de acordo com estudo anterior, onde aos 5 min o Xilol também apresentou uma estatística redução na microdureza dentinária (ROTSTEIN et al., 1999). Esse mesmo autor realizou idêntico teste em esmalte e como resultado também observou que o Xilol apresentou uma redução significante na microdureza aos 5 min. Para justificar esses resultados, ele relatou ainda que provavelmente os solventes de guta-percha testados podem ter afetado os componentes orgânicos do esmalte e dentina, causando um alargamento dos espaços intercristalinos ou peritubulares e o aumento da porosidade e da permeabilidade desses tecidos. Aos 5 min ainda, nós observamos um redução da microdureza produzida pelo Eucaliptol, Citrol e Endosolv E, porém não significante (P>0.05), corroborando com resultados de estudo anterior onde o Citrol e o Eucaliptol também não foram significantes (KHEDMAT et al., 2014). Em nosso trabalho, aos 15 min todos solventes avaliados também reduziram a microdureza dentinária de forma estatisticamente significante (P<0.05). No entanto, essa redução foi estatisticamente menor à encontrada pelo grupo controle positivo (P<0.05).
Mostrar mais

149 Ler mais

Show all 969 documents...