Stewart - Modelo de

Top PDF Stewart - Modelo de:

A estruturação e a gestão do capital intelectual a partir do modelo de navegador de Stewart: um estudo em uma instituição de ensino superior (IES)

A estruturação e a gestão do capital intelectual a partir do modelo de navegador de Stewart: um estudo em uma instituição de ensino superior (IES)

Hemos tratado de analizar la estructura/gestión del capital intelectual en una institución de educación superior a través del navegador de la Comunidad Stewart modelo. El uso de este modelo se debió a la capital intelectual es intelectual y material que puede ser usado para generar riqueza dentro de las organizaciones, y especialmente en un IES. La investigación cuantitativa se ha ocupado de las percepciones que las personas tienen sobre el capital intelec- tual de la institución. Los datos analizados muestran que el IES tiene una gestión regular de su capital intelectual, efectuando las acciones estratégicas en su gestión, así como la satisfacción del cliente y el valor de marca. Por otro lado tiene preocupaciones sobre la capacidad de la sostenibilidad económica / fi nanciera de proyectos viables y actividades institucionales. El Capital Intelectual de IES está estructurado principalmente por la gestión del conocimiento, ya que es una organización intensiva en conocimiento y éste es el activo principal y más im- portante que la institución tiene. Sobre la base de los conocimientos existentes en el mercado laboral y en su estructura, la institución busca para su gestión a fi n de que éste es el factor principal y una ventaja competitiva para la empresa.
Mostrar mais

28 Ler mais

A estruturação e a gestão do capital intelectual na Universidade de Passo Fundo: uma análise a partir do modelo de navegador de stewart

A estruturação e a gestão do capital intelectual na Universidade de Passo Fundo: uma análise a partir do modelo de navegador de stewart

Esta dissertação abarca o tema da estruturação e da gestão do Capital Intelectual da Universidade de Passo Fundo, propondo uma análise a partir do Modelo de Navegador de Stewart. O principal objetivo é estruturar e mensurar o valor do Capital Intelectual com base no Navegador de Capital Intelectual desenvolvido por Stewart. A partir dessa abordagem inicial, buscou-se identificar a avaliação do público pesquisado sobre as potencialidades e os fatores críticos do Capital Intelectual junto à Instituição objeto dessa pesquisa, propondo estratégias de ação que possam potencializar o uso desse recurso, bem como transformá-lo em uma estratégia competitiva no mercado do Ensino Superior. Para o desenvolvimento da pesquisa, a corrente filosófica sustentadora é a da perspectiva humanista das ciências sociais, por ser a mais adequada ao processo de compreensão e análise dos fenômenos sociais estudados. A abordagem metodológica utilizada, quanto à sua natureza, é a pesquisa quanti-qualitativa aplicada em um estudo de caso singular. Devido a isso, optou-se pela aplicação de questionários a seis grupos internos da Universidade, abordando as percepções que os sujeitos tem da constituição do Capital Intelectual da Instituição, paralelamente a pesquisa documental e pesquisa bibliográfica. Os dados da pesquisa revelam que a Instituição apresenta, em linhas gerais, uma boa gerência do seu Capital Intelectual, efetivando algumas ações de caráter estratégico utilizadas para o seu gerenciamento, como a valorização do capital humano em incentivo ao aperfeiçoamento profissional, à boa qualidade do sistema gerencial de informações, à preocupação que tem em proporcionar uma infra-estrutura física e tecnológica de qualidade e a preocupação quanto ao nível de satisfação do cliente e ao trabalho desenvolvido de forma a valorizar cada vez mais a marca UPF. Por outro lado, a Instituição apresenta preocupação quanto à capacidade de sustentabilidade econômico/financeira que viabiliza os projetos e atividades institucionais. O Capital Intelectual da instituição está estruturado basicamente pela gestão do conhecimento, visto que a mesma é uma Organização Intensiva em Conhecimento e que este é o principal e mais importante ativo que a instituição possui. Com base no conhecimento existente no quadro funcional e na sua estrutura, a instituição busca geri-lo de forma que este seja o principal fator e diferencial competitivo para a mesma.
Mostrar mais

150 Ler mais

Calibração de uma plataforma de Stewart utilizando uma Estação Total robotizada e um sistema de medição indoor-GPS

Calibração de uma plataforma de Stewart utilizando uma Estação Total robotizada e um sistema de medição indoor-GPS

Medição: Na fase de medição é medido um determinado número de posições do robô com um sistema de medição de referência. Esses valores são comparados com as posições do modelo teórico do robô. Geralmente são necessários seis parâmetros para especificar a posição e orientação de um corpo rígido. A fase de medição é a etapa mais difícil e demorada da calibração do robô. O procedimento de medição deve retornar os parâmetros do modelo nominal. Sendo assim o modelo de medição deve ser suficientemente exato para detectar os efeitos desses parâmetros. O procedimento de medição normalmente é feito em ambiente de laboratório. As posições do manipulador são medidas com equipamentos de alta resolução. Identificação: A identificação dos parâmetros envolve normalmente métodos numéricos. Os métodos devem ser confiáveis o suficiente para que uma solução possa ser alcançada, mantendo um nível de confiança razoável nos valores dos parâmetros identificados. Alguns modelos podem ser utilizados para identificação dos parâmetros.
Mostrar mais

82 Ler mais

Ambiente de simulação de manipuladores paralelos : modelagem, simulação e controle de uma plataforma Stewart

Ambiente de simulação de manipuladores paralelos : modelagem, simulação e controle de uma plataforma Stewart

Assim, uma plataforma de Stewart poderá ser simulada através deste programa, onde o modelo da plataforma: links, articulações, motores e sensores são inclusos no pacote de simulação. A cinemática inversa e as trajetórias de referencias são resolvidas durante a simulação, e para o controle de posição no espaço das juntas são utilizados controladores PID. A figura 14 apresenta esta aplicação através da utilização do software 20SIM. Nesta simulação não é analisado o volume de trabalho e singularidades do manipulador, e estratégia de controle é realizada para cada junta individualmente (espaço de juntas), não sendo realizada uma malha de controle no espaço cartesiano.
Mostrar mais

171 Ler mais

Estudo dinâmico e simulação de uma plataforma de Stewart com ênfase na implementação do sistema de controle

Estudo dinâmico e simulação de uma plataforma de Stewart com ênfase na implementação do sistema de controle

Seguindo esses passos, o objetivo básico deste trabalho é desenvolver o modelo dinâmico da plataforma de Stewart para que seja possível projetar um controlador que, empregado ao modelo cinemático e dinâmico do manipulador, permita a correção de sua trajetória. O desenvolvimento do modelo dinâmico é um desafio do ponto de vista matemático uma vez que a arquitetura do mecanismo faz aparecerem singularidades computacionais. Por esse motivo, estudos dinâmicos vêm sendo feitos baseados na formulação Lagrangeana, na de Newton-Euler (Dasgupta & Mruthyunjaya, 1998) e no princípio do trabalho virtual (Lee, Song, Choi, & Ho, 2003).
Mostrar mais

121 Ler mais

Plataforma de Stewart aplicada a um sistema bola chapa

Plataforma de Stewart aplicada a um sistema bola chapa

Além do modelo cinemático, o modelo dinâmico é de fundamental importância no controle de posição em um manipulador de 6 GDL. Este é o segundo aspecto necessário para o desenvolvimento do trabalho. Através do modelo dinâmico, torna-se possível obter os torques e forças necessários nos atuadores do manipulador no momento da execução de uma determinada trajetória. Assim como a analise cinemática, a analise dinâmica também subdivide- se em direta e inversa. A análise dinâmica direta tem o objetivo, de determinar a posição da plataforma móvel tendo como informações de entrada forças e torques aplicados. Já a análise dinâmica inversa terá a função de retornar as forças e torques no sistema com base no comprimento dos atuadores (KHALIL e GUEGAN, 2004). A análise dinâmica é mais complexa em manipuladores paralelos do que em seriais. Isso ocorre devido ao fato de os manipuladores paralelos possuírem cadeias cinemáticas fechadas, ou seja, a dinâmica de cada atuador é dependente a dos demais.
Mostrar mais

62 Ler mais

Modelização de um sistema de simulação de uma aeronave aplicado a uma plataforma electromecânica de Gough-Stewart

Modelização de um sistema de simulação de uma aeronave aplicado a uma plataforma electromecânica de Gough-Stewart

Neste sentido, pretende-se estudar e aplicar um modelo matemático de uma aeronave na cadeia de comando da plataforma electromecânica de Gough-Stewart, com o intuito de transmitir-se ao utilizador uma sensação de condução similar à de uma aeronave real. Para que exista coerência na simulação, torna-se necessário avaliar a trajectória da plataforma, imposta pela saída do modelo da aeronave, através da implementação de um sensor inercial. Além da plataforma electromecânica, a interacção com o utilizador é, também, realizada com a incorporação de ambiente de realidade virtual, proporcionado pela utilização de óculos de realidade virtual e de software de simulação de aeronaves, que permita ao utilizador interagir em tempo real. Este trabalho tem, ainda, por objectivo a interligação de todos estes elementos, de forma a realizar um correcto funcionamento de todo o sistema.
Mostrar mais

105 Ler mais

Comparação entre a avaliação tradicional e o método de Stewart simplificado no diagnóstico de distúrbios ácido-básicos em pacientes com choque

Comparação entre a avaliação tradicional e o método de Stewart simplificado no diagnóstico de distúrbios ácido-básicos em pacientes com choque

Além desses princípios físico-químicos, quase todas as soluções biológicas apresentam duas características: virtualmente todas são aquosas e a maioria é alcalina (KELLUM, 2005). Soluções aquosas tem uma fonte virtualmente inesgotável de H + . Embora a água pura dissocie-se apenas levemente em H + e OH - , eletrólitos e CO2 produzem uma força eletroquímica poderosa que influencia a dissociação da água. Assim, para soluções aquosas, a água é a fonte primária de H + e os determinantes da concentração de H + são os determinantes da dissociação da água (KELLUM, 2005). A partir disso, mesmo para uma solução aquosa complexa como o plasma, há apenas três variáveis que determinam independentemente a concentração de íons hidrogênio (H + ) e, consequentemente, o pH. Estas variáveis são a diferença de íons fortes (diferença entre ânions e cátions totalmente dissociáveis, Strong Ion Difference, SID), a concentração total de ácidos fracos não-voláteis (primariamente albumina e fosfato) (Atot) e a PCO2 (MOVIAT; VAN HAREN; VAN DER HOEVEN, 2003). A essência do modelo de Stewart é o entendimento de que apenas estas três variáveis são importantes. Assim, para entender como o organismo regula o pH devemos nos perguntar como são reguladas estas três variáveis independentes (GUNNERSON; KELLUM, 2003).
Mostrar mais

51 Ler mais

Influência da fluidoterapia nos parâmetros hidroeletrolíticos e ácido-básico em cadelas com piometrite por meio da abordagem de Stewart

Influência da fluidoterapia nos parâmetros hidroeletrolíticos e ácido-básico em cadelas com piometrite por meio da abordagem de Stewart

A abordagem de Stewart, também conhecida como abordagem quantitativa, físico-química ou modelo de íons forte talvez seja o método mais abrangente para avaliação ácido-base. Este se baseia nas leis da eletroneutralidade, da conservação das massas e no equilíbrio de dissociação (STEWART, 1983; SIRKER et al., 2002) e propõe que existem três variáveis independentes, isto é, variável que influencia o sistema, mas não é influenciada pelo sistema, que determinam o pH, ou seja, nem H + nem HCO3 - podem ser alterados se uma dessas três variáveis não for alterada (STEWART, 1983). São elas: o SID, que representa a contribuição de cátions e ânions altamente dissociados; o Atot, que representa a contribuição dos ânions fracos como albumina, fosfatos e íons orgânicos menores; e a PCO2, que representa a contribuição respiratória (STEWART, 1983; SIRKER et al., 2002; BONIATTI et al., 2009).
Mostrar mais

51 Ler mais

Avaliação da acidose metabólica em pacientes graves: método de Stewart-Fencl-Figge versus a abordagem tradicional de henderson-hasselbalch.

Avaliação da acidose metabólica em pacientes graves: método de Stewart-Fencl-Figge versus a abordagem tradicional de henderson-hasselbalch.

CONCLUSIONS: The traditional Henderson-Hassel- balch approach fails in analyzing the underlying me- chanisms of metabolic acidosis and possesses many variables that intervene with its result especially in the critically ill patient. The Stewart-Fencl-Figge method offers a broader analysis of metabolic acidosis, indi- cating its mechanisms and guiding a better therapeuti- cally strategy. As an alternative, the albumin-corrected and lactate-corrected anion gap seems to be as useful as the Stewart approach in identifying the unmeasured anions.

5 Ler mais

Quaternion-based dynamic control of a 6-DOF Stewart platform for periodic disturbance rejection

Quaternion-based dynamic control of a 6-DOF Stewart platform for periodic disturbance rejection

This paper considers the scenario where a Stewart platform is used as a stabilization device on the ocean as, for example, an offshore cargo transfer mechanism. In this case, it is desired that the effector (the top reference frame in Fig. 1) remains as steady as possible, negating the effects of waves perturbing the bottom frame. Obviously, the system is subject to external peri- odic and non-periodic perturbations, whose behavior and mathematical description are partly known. In order to minimize the effect of the unknown perturbations, the 1 Paulo de Faria, Rafael Castro and Aur´ elio Salton are with Faculty of Engineering, Pontif´ıcia Universidade Cat´ olica do Rio Grande do Sul, Brazil paulo.faria@acad.pucrs.br, rafael.castro@pucrs.br, aurelio.salton@pucrs.br
Mostrar mais

6 Ler mais

A INCONSISTÊNCIA DA NEGAÇÃO À NEGOCIAÇÃO PROCESSUAL NA JUSTIÇA DO TRABALHO  Márcio Roberto Torres, Nigel Stewart Neves Patriota Malta

A INCONSISTÊNCIA DA NEGAÇÃO À NEGOCIAÇÃO PROCESSUAL NA JUSTIÇA DO TRABALHO Márcio Roberto Torres, Nigel Stewart Neves Patriota Malta

rigorismo do formalismo e do procedimento legislado (NUNES, 2016, p. Versando o processo sobre direitos que admitam autocomposição, é lícito às partes plenamente capazes estipular[r]

25 Ler mais

O modelo da natureza e a natureza do modelo.

O modelo da natureza e a natureza do modelo.

Do ponto de vista de seu funcionamento, esse modelo gerado pela ciência ecológica e absorvido pelas ciências sociais é formado por modos de operação específicos so- bre os lugares designados como áreas de proteção. O modelo está sempre impregnado do discurso normativo que o fixa, devendo haver uma concordância necessária entre o discurso da norma – o modelo científico, o domí- nio em que é gerado e a legislação que a formaliza – e as experiências descritas pelos indivíduos. Desse modo, a unificação das naturezas singulares por meio do modelo, não prescinde da unificação dos territórios através das leis. É assim que o discurso jurídico-científico faz funcionar as relações entre todos os coletivos humanos e os não-hu- manos estabelecendo aquilo que é próprio de cada um e afirmando que a cada qual correspondem planos separados e opostos possíveis de serem concebidos um sem o outro. 14
Mostrar mais

10 Ler mais

A relação entre o modelo de jogo, modelo de treino e modelo de análise do jogo.

A relação entre o modelo de jogo, modelo de treino e modelo de análise do jogo.

Recuperação de bola através de um comportamento coletivo seguida por um passe está associada, segundo Barreira et al. (2013), com tentativas de finalização na transição ofensiva. Isto revela a grande importância da qualidade do 1º passe na transi- ção defesa-ataque, como forma de aproveitar a desorganização adversária. De facto, Sarmento, Pereira et al. (2014), fundamentando com a opinião dos treinadores inquiri- dos no seu estudo, sugerem que as equipas procuram explorar os momentos de insta- bilidade do jogo, nomeadamente as transições ofensivas como forma de explorar a de- sorganização da estrutura adversária. Por fim, estes mesmos autores (2014) identifica- ram que a ligação entre os momentos de organização no jogo, i.e., a transição entre estes, é vista pelos treinadores como uma tendência evolutiva do jogo, ou seja, os trei- nadores consideram-na como um dos aspetos do futebol com maior desenvolvimento na atualidade. Desta forma, consideramos que os momentos de transição ofensiva e defensiva deverão ser aspetos do modelo de jogo mais trabalhados e organizados atu- almente.
Mostrar mais

92 Ler mais

Modelo de língua natural e transformação em modelo de LGP

Modelo de língua natural e transformação em modelo de LGP

O primeiro bloco, denominado de “Language Expert”, recebe a frase do utili- zador e envia para o segundo bloco a lista das palavras a serem gestualizadas pelo modelo 3D. O segundo bloco é denominado de “Gesture Animation”. Esta caracte- rística de divisão em dois blocos permite que, posteriormente, estes módulos pos- sam ser utilizados de forma independente, integrados num outro projecto de for- ma a executarem as suas funções específicas: tradução de Língua Portuguesa para Língua Gestual Portuguesa e apresentação de Língua Gestual, Portuguesa ou não Portuguesa.
Mostrar mais

85 Ler mais

Modelo logístico de fabrico : estudo de caso no hipermercado Modelo

Modelo logístico de fabrico : estudo de caso no hipermercado Modelo

No modelo em Pull, ao invés de trabalhar com planejamento ou programas diários e semanais de produção, é o cliente quem “puxa” a necessidade de produzir para efetuar a reposição, conforme ilustra a Figura 7. Dessa forma, é criado um fluxo mais simplificado em todo o processo, uma vez que este inicia somente quando é percebido consumo. Se é necessário produzir mais na ponta da cadeia, força-se também a encomenda de matérias-prima e a busca por materiais, por exemplo. Assim, é evitado também o excesso de estoque, pois a empresa só compra quando a necessidade é real, ou seja, somente investe/produz aquilo que será certamente vendido.
Mostrar mais

80 Ler mais

Um modelo passado, modelo de futuro para a educação básica em Portugal

Um modelo passado, modelo de futuro para a educação básica em Portugal

Este  modelo  desenvolveu­se  mais  na  Inglaterra  e  Estados  Unidos  e  menos  em  países  centralizados como a França e Portugal. Na Madeira nos jardins­de­infância há um educador de  manhã  e  outro  de  tarde  e  no  1.º  ciclo  do  ensino  básico  há  o  professor  regular  de  manhã  e  professores  coadjuvantes  de  tarde  em  escolas  com  um  grau  de  autonomia  invejável.  Em  Portugal tem­se tentado mudar e não mudar ao mesmo tempo. 

9 Ler mais

Implementação de um modelo de supervisão clínica em enfermagem – modelo SAFECARE

Implementação de um modelo de supervisão clínica em enfermagem – modelo SAFECARE

23. Cruz MIEC. Fatores que influenciam a satisfação profissional e a inteligência emocional: Contributos para a implementação de um modelo de supervisão clínica. [monografía na Internet]. Porto: Escola Superior de Enfermagem do Porto, 2018 [ac- tualizado 2018, citado 2019 julho 23]. Disponível em: https:// comum.rcaap.pt/handle/10400.26/28136

9 Ler mais

Modelo safecare: Modelo de supervisão clínica em enfermagem contextualizado

Modelo safecare: Modelo de supervisão clínica em enfermagem contextualizado

A nível dos resultados obtidos, globalmente, o Modelo Sa- feCare foi reconhecido pelos enfermeiros como tendo um impacto positivo nos profissionais e nas instituições, mani- festados pelo aumento da satisfação profissional, pelo reco- nhecimento na melhoria da segurança e qualidade dos cui- dados e na melhoria do relacionamento entre os elementos da equipa de saúde, particularmente nos enfermeiros. No contexto da implementação da SCE foi desenvolvido o conceito de Indicador Sensível à Supervisão Clínica em Enfer- magem (IS-SCE). O IS-SCE pode ser definido como o indicador que, por via dos processos associados à SCE tem potencial de promover a segurança e qualidade dos cuidados. Assim, o IS-SCE deve ser operacionalizado de forma a acompanhar, monitorizar e avaliar a implementação da SCE.
Mostrar mais

10 Ler mais

Show all 10000 documents...