Técnicas argumentativas

Top PDF Técnicas argumentativas:

AS TÉCNICAS ARGUMENTATIVAS E A CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS EM REDAÇÕES DO ENEM

AS TÉCNICAS ARGUMENTATIVAS E A CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS EM REDAÇÕES DO ENEM

Resumo: Neste estudo, investigamos os efeitos de sentido das técnicas argumentativas utilizadas pelos candidatos em redações do Enem 2013. Para isso, analisamos 18 redações que receberam pontuação máxima, disponibilizadas em sites públicos. A análise e a discussão dos resultados foram realizadas à luz dos pressupostos teóricos de Perelman e Olbrechts-Tyteca (2005). Os resultados apontam para a confirmação de nossa hipótese inicial de que os candidatos fazem uso, em seus textos, das técnicas argumentativas para dar sustentação às teses defendidas e tentar influenciar o auditório, utilizando, predominantemente, os argumentos baseados na estrutura do real e as ligações que fundamentam a estrutura do real. Concluímos, portanto, que o uso das técnicas se configura como essencial na construção de sentidos dos textos, uma vez que, embora não tenha domínio da teoria que fundamenta as técnicas, o candidato as utiliza com o propósito de convencer o auditório a aceitar as teses propostas.
Mostrar mais

15 Ler mais

As técnicas argumentativas nos discursos de parlamentares do PSDB sobre o Mensalão em sessões plenárias da Câmara dos Deputados

As técnicas argumentativas nos discursos de parlamentares do PSDB sobre o Mensalão em sessões plenárias da Câmara dos Deputados

O quadro1 representa as diversas técnicas argumentativas de que se valem os parlamentares do PSDB para provarem a sua tese de que “o Mensalão existiu, o julgamento no SFT é legítimo e que deu direito ao contraditório aos acusados pelo MPF ” ( GARANTIZADO JÚNIOR, p. 273, 2015) . Nesse contexto, as estratégias mencionadas estão expressas nos discursos políticos em sessões plenárias dos Locutores com o objetivo de provar a tese inicial abordada. Para isso, recorre-se a argumentos quase-lógicos, que podem revelar um engajamento do sujeito na linguagem através da persuasão. Esses tipos de argumentos “são aqueles preferíveis cuja conclusão não advém imperiosamente das premissas colocadas” (FIORIN, 2015, p. 115) e, desse modo, a conclusão é “provável, possível, plausível, mas não logicamente necessária” (FIORIN, 2015, p. 115).
Mostrar mais

15 Ler mais

Os discursos sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff: as técnicas argumentativas em editoriais de jornais

Os discursos sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff: as técnicas argumentativas em editoriais de jornais

Dessa maneira, este trabalho tem como escopo abordar o uso das técnicas argumentativas no gênero editorial, utilizando como material de estudo os seguintes editoriais: Queda de Dilma ou é golpe de estado ou é farsa, do jornal Le Monde, e o desfecho do impeachment, do jornal O Estado de S. Paulo. A escolha desses editoriais deve-se ao fato de focalizarem a mesma temática, contextualizada em um momento importante da história política do Brasil, porém com perspectivas divergentes, sendo um emitido pela imprensa brasileira e o outro, pela imprensa estrangeira. Para fundamentar o presente trabalho, recorreremos a Abreu (2001), que aborda as técnicas argumentativas como importante recurso para convencer e persuadir o auditório, e a Perelman e Olbrechts-Tyteca (1996) quanto aos fundamentos da argumentação no discurso.
Mostrar mais

21 Ler mais

Um estudo sobre a linguagem publicitária e suas técnicas argumentativas

Um estudo sobre a linguagem publicitária e suas técnicas argumentativas

O objetivo deste trabalho foi o de buscar compreender melhor o funcionamento linguístico em anúncios publicitários. O corpus se compõe de cinco anúncios impressos, publicados em revistas atuais, dos anos de 2011 a 2012; nos quais foram analisadas as técnicas argumentativas e recursos linguísticos neles contidos, em especial aqueles que contribuíram para criar um clima coloquial, de aproximação da marca com o cliente em potencial. Para a presente pesquisa, foi feito um levantamento bibliográfico dentro da área da Linguística de Argumentação.

26 Ler mais

Linguagem e argumentação na produção escrita de vestibulandos

Linguagem e argumentação na produção escrita de vestibulandos

Nesta dissertação, analisamos os processos argumentativos do texto escrito de vestibulandos, tendo, como corpus, redações do Concurso Vestibular da UFRN (Universidade Federal do Rio Grande do Norte). Realizamos a análise em vinte redações, coletadas na Comissão Permanente de Vestibular (COMPERVE) no ano de 2005 e selecionadas de forma aleatória, tomando como suporte Perelman & Olbrechts- Tyteca (1999; 2002), Reboul (2004), Bakhtin (1992), Faraco (2003), Platão e Fiorim (2003) e Geraldi (1997), entre outros teóricos. Objetivamos investigar como o vestibulando usa as técnicas argumentativas em razão da construção da argumentação na prova do vestibular. Na análise do corpus, consideramos as técnicas argumentativas empregadas, sua correlação com a tese, os efeitos de sentido desejados pelos vestibulandos e o gênero do discurso solicitado, e isso nos revelou que na construção discursiva do texto argumentativo os vestibulandos recorreram com mais freqüência as seguintes técnicas argumentativas: o argumento pragmático, o argumento da definição, o argumento de comparação, o argumento da divisão, o argumento pelo exemplo, o argumento pelo modelo e o argumento de autoridade como meios de prova da tese defendida, mas ainda de forma não convencional, razão pela qual nos leva a crer que a escola, enquanto esfera da atividade humana, responsável pela educação e inserção do aprendiz no mundo letrado, tem um papel muito importante no que tange a criar condições para que o ensino de lingua portuguesa privilegie uma formação sistemática e explícita do conhecimento do funcionamento da língua e, de igual modo, das estratégias de construção do texto argumentativo para que o aprendiz possa desenvolver a competência comunicativa e se sentir mais seguro no ato da produção textual.
Mostrar mais

132 Ler mais

Os (des)caminhos da agroenergia na Bahia: A participação da MRG de Irecê no circuito espacial produtivo do agrodiesel.

Os (des)caminhos da agroenergia na Bahia: A participação da MRG de Irecê no circuito espacial produtivo do agrodiesel.

RESUMO: O propósito deste artigo é analisar por qual motivo o cultivo de mamona está retornando para a Microrregião Geográica (MRG) de Irecê, ou seja, compreender o motivo da localização da ricinocultura (cultivo de mamona) nesta área. Primeiramente, é analisado o marco regulatório que estimula o cultivo da mamona no Brasil. A seguir, o objetivo é identiicar as técnicas argumentativas empregadas pelas instituições supranacionais sobre o aquecimento global, pois os estudos publicados por essas instituições são algumas das referências cientíicas para fundamentar a criação de marcos regulatórios como o PNPB. Por im, busca-se evidenciar as consequências dos discursos e ações interescalares, formadores do circuito espacial produtivo, que estão repercutindo na intensiicação da ricinocultura nas propriedades rurais da área estudada.
Mostrar mais

13 Ler mais

Humor: uma abordagem retórica e argumentativa

Humor: uma abordagem retórica e argumentativa

Após revisitar as funções da retórica e as técnicas argumentativas, buscamos refletir, neste texto, sobre como o humor, ainda que pouco explorado pelos estu- diosos da retórica aristo[r]

17 Ler mais

Argumentação e processo referencial anafórico no anúncio publicitário de cosmético

Argumentação e processo referencial anafórico no anúncio publicitário de cosmético

Esta pesquisa tem como objetivo discutir como as técnicas argumentativas e as funções discursivas do processo referencial anafórico atuam na condução argumentativa do gênero anúncio publicitário de cosmético. Para isso, nos valemos do método qualitativo e analisamos 30 textos de anúncios publicitários de cosméticos, coletados dos sites das marcas Natura (www.natura.net/), Avon (http://www.avon.com.br), Água de cheiro (http://www.aguadecheiro.com.br) e Boticário (http://internet.boticario.com.br). Nesta pesquisa, assumimos como arcabouço teórico os pressupostos defendidos pela Nova Retórica (PERELMAN; TYTECA, 2005) e pela Referenciação (MONDADA, L.; DUBOIS, 2003; KOCH, 2004; CIULLA E SILVA, 2008 e CAVALCANTE, 2006, 2011) para a análise dos fenômenos mencionados que compõem nossa amostra. Nosso estudo revela que os argumentos pela identificação, definição, analiticidade, divisão, probabilidades, pragmático, autoridade, ilustração, exemplo, a metáfora e o argumento pela dissociação das noções, técnicas da Nova Retórica, ocupam posição de destaque na tessitura do gênero anúncio publicitário de cosmético. No que concerne à análise das funções discursivas do processo referencial anafórico, nosso trabalho mostra que o grupo das seis funções: organização de partes do texto, metadiscursividade, marcação de heterogeneidade discursiva, ativação da memória, introdução de informações novas e efeitos estético-estilísticos se mostram bastante produtivas, demonstrando, nesse caso, o quanto os anúncios de cosméticos representam um terreno fértil para o estudo dos processos referenciais e suas funções discursivas. Assim, os recursos textual-discursivos são usados pelos anunciantes para representar o universo feminino, tencionando convencer as consumidoras das vantagens dos cosméticos anunciados e estimulá-las a comprar os cosméticos para atender aos padrões femininos estabelecidos pela sociedade pós-moderna. (248 palavras)
Mostrar mais

191 Ler mais

As estratégias argumentativas em Petição Inicial que envolve ação de indenização por danos morais

As estratégias argumentativas em Petição Inicial que envolve ação de indenização por danos morais

Na segunda parte dessa investigação, fez-se a descrição do gênero Petição Inicial a partir dos pressupostos da Teoria Semiolinguística que se pautam em explanações de Charaudeau (2004). Na terceira parte, iniciando a análise do corpus, primeiramente desenvolveu-se a descrição da organização argumentativa das petições selecionadas. Essa descrição permitiu, posteriormente, verificar quais técnicas argumentativas são mais recorrentes nas petições e como a utilização de tais estratégias está atrelada, ao mesmo tempo, à natureza da troca linguageira, ao contrato de comunicação que é bastante marcante nessa troca e à possibilidade de escolhas do sujeito argumentante. Assim, nessa etapa, foram feitos apontamentos sobre a presença da dimensão do logos nas petições a fim de se observar quais argumentos dessa dimensão predominam no discurso peticional. De mesmo modo, investigou-se a presença da dimensão do pathos nas petições, com o objetivo de identificar como os advogados procederam discursivamente para buscar a adesão da juíza através da emoção. Finalizando essa etapa de análise, foi possível desenvolver a interpretação dos dados e identificar os imaginários sociodiscursivos presentes nesses discursos.
Mostrar mais

144 Ler mais

ARGUMENTAÇÃO EM DISCUSSÕES SOCIOCIENTÍFICAS

ARGUMENTAÇÃO EM DISCUSSÕES SOCIOCIENTÍFICAS

Este trabalho teve como objetivo compreender o desenvolvimento da argumentação em discussões sociocientíficas em aulas de Química. Foram investigadas aulas de três professores em escolas públicas do ensino médio do Distrito Federal para identificar a ocorrência de situações argumentativas, ações favoráveis ao desenvolvimento da argumentação realizadas pelos professores e a presença do conhecimento científico na composição dos argumentos desenvolvidos. O acompanhamento das aulas envolveu filmagens; anotações de campo; entrevista em grupos focais com os alunos e individual com cada um dos professores; e a aplicação de um questionário para os professores. Os resultados mostraram que os professores estabeleceram um contexto propício à argumentação ao promoverem as discussões sociocientíficas, oportunizarem a verbalização, e utilizarem estratégias visando à participação dos alunos como interlocutores na discussão e à interação. Por outro lado, verificou-se que as situações argumentativas identificadas foram pouco significativas e que os professores apresentaram dificuldades em desenvolver ações verbais específicas voltadas para o estabelecimento da argumentação e para a mobilização de conhecimentos científicos na construção dos argumentos.
Mostrar mais

23 Ler mais

ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS PARA A DESCONSTRUÇÃO DO ESTEREÓTIPO DO “LOBO MAU” NA OBRA A VERDADEIRA HISTÓRIA DOS TRÊS PORQUINHOS, DE JON SCIESZKA

ESTRATÉGIAS ARGUMENTATIVAS PARA A DESCONSTRUÇÃO DO ESTEREÓTIPO DO “LOBO MAU” NA OBRA A VERDADEIRA HISTÓRIA DOS TRÊS PORQUINHOS, DE JON SCIESZKA

É por meio de textos que estabelecemos interações com o outro, e nossas produ- ções textuais são constituídas de argumentos que embasam posicionamentos e pontos de vista. Koch e Elias (2016) defendem que argumentar é inerente a todo gênero, e com o texto literário não ocorre de forma diferente. Sendo ele dotado de objetivos, também é organizado através de estratégias argumentativas que conduzem o leitor a trilhar um cami- nho, e há, nessas estratégias, um jogo de negociações entre produtor e leitor.

15 Ler mais

Letramento argumentativo: metodologias e gêneros textuais voltados para a formação crítica

Letramento argumentativo: metodologias e gêneros textuais voltados para a formação crítica

Resumo: O presente artigo disserta acerca do ensino da Língua Portuguesa e a formação crítica através de práticas argumentativas. Com o objetivo de informar-se acerca dos mais adequados métodos educativos e gêneros textuais para aplicação de atividades de letra- mento argumentativo nesse contexto, realizou-se esta pesquisa. Visto que é essencial estar preparado, como professor, para planejar aulas significativas que induzam à participação ativa dos alunos, buscaram-se em diversos teóricos conhecimentos de áreas distintas, a fim de refletir sobre a educação crítica. Aprofundou-se, primeiramente, a busca do referen- cial teórico, utilizando-se de obras de Paulo Freire, Débora Eleodoro, Marcuschi e Faraco além de informações presentes em artigos, dissertações e teses, bem como os apontamen- tos presentes no documento da Base Nacional Comum Curricular relacionados à argumen- tação e oralidade. Em seguida, os aspectos mais relevantes da prática vivenciada durante a cadeira de Laboratório de Ensino de Língua Portuguesa foram relatados e a partir desses foi possível formular conclusões a respeito da temática. Constata-se, após todo o processo de análise, que é imprescindível ter uma preparação metodológica para exercer a docência, uma vez que momentos de discussão oral são, ainda hoje, insuficientemente trabalhados em sala de aula. Professores de todos os componentes curriculares devem estar munidos de textos e estratégias metodológicas capazes de incentivar a participação dos discentes. No entanto, essa preparação só se dá através de uma boa formação.
Mostrar mais

10 Ler mais

Condutas argumentativas na fala infantil: um olhar sobre a constituição da subjetividade

Condutas argumentativas na fala infantil: um olhar sobre a constituição da subjetividade

Esta dissertação tratará das condutas argumentativas na fala da criança e sua contribuição para a constituição da subjetividade linguageira infantil. Para tanto, partiremos de uma perspectiva discursiva (Bakhtin, 1995, 1997) e analisaremos os dados de uma criança (A. 20-33 meses), em situações naturalísticas de interação com os pais. O objetivo é desvendar os mecanismos linguístico-discursivos utilizados pela criança ao fornecer argumentos e marcas de subjetividade em seus discursos. Analisar os recursos linguísticos utilizados pela criança ao argumentar pode nos revelar a importância da argumentação e sua relação com o desenvolvimento linguístico, cognitivo e intelectual da criança. Sendo assim, para nossa fundamentação teórica, partimos das reflexões elaboradas pelo Círculo de Bakhtin, especialmente sobre o aspecto dialógico da linguagem, e para as questões relacionadas à Aquisição da Linguagem e à importância da interação social no desenvolvimento linguageiro, traremos ao diálogo autores como Vygotsky (2008; 1998), François (1976; 1989; 1994) e Bruner (2007; 2004). Já no que se refere às condutas argumentativas na fala infantil e o funcionamento dessa conduta na e com a criança, basear-nos-emos nas reflexões proposta por Selma Leitão (2000, 2001, 2007a, 2007b, 2008). Buscamos, a partir desse referencial teórico, verificar a relação entre a argumentação e a constituição da subjetividade na fala da criança ao argumentar, procurando desvendar as contribuições dessa conduta para seu desenvolvimento linguístico-discursivo durante o processo de aquisição de sua língua materna. A análise dos dados nos revela que a criança desde muito pequena argumenta com seus interactantes, na tentativa de obter um determinado objeto ou objetivo.
Mostrar mais

249 Ler mais

Dimensões argumentativas do discurso fílmico: projeções retóricas na tela do cinema

Dimensões argumentativas do discurso fílmico: projeções retóricas na tela do cinema

Uma imagem do indivíduo-ator surgiria, assim, como prolongamento imediato da imagem da personagem do filme e vice-versa, reforçadas pela mídia e pela indústria cultural. Contudo, como destaca Amossy (1991, p.144), essa imagem da “(…) star ne se rapporte cependant ni à la personne réelle, ni au personnage du film; bien plutôt à un être hybride qui tient des deux ” 79 . Essa imagem constitui uma espécie de espectro ético que margeia o ethos fílmico, cujos efeitos sobre o ato de linguagem dependerão sempre da interação obra/público, variando de caso a caso. O espectador pode, por exemplo, adotar uma postura “x” em relação à(s) tese(s) identificada(s) por ele na narrativa, influenciado por traços éticos do ator que ele confere consciente ou inconscientemente à personagem. Tais possibilidades retóricas manifestadas no discurso fílmico auxiliam, finalmente, no reconhecimento das dimensões argumentativas e de como elas se instauram na prova do ethos (ethos prévio ou conhecimento anterior sobre as personagens, os atores e o diretor + ethos discursivo ou imagens de si construídas ao longo da narrativa). A metodologia da análise argumentativa permite recuperar dados situacionais e discursivos que propiciam o levantamento de hipóteses pertinentes à enunciação estudada.
Mostrar mais

249 Ler mais

Avaliação de Habilidades Cognitivas em Um Contexto Sociocientífico com Foco nas Habilidades Argumentativas

Avaliação de Habilidades Cognitivas em Um Contexto Sociocientífico com Foco nas Habilidades Argumentativas

das habilidades cognitivas entre as três turmas de ensino mé- dio como, por exemplo, o aumento no nível de escolaridade. Assim como observado por Kuhn (1991), o nível de escola- ridade dos alunos pode influenciar nas habilidades de ordem superior como, por exemplo, na competência argumentativa. Em seus estudos, para as mesmas situações-problema, a autora observou que sujeitos com graduação argumentaram melhor do que aqueles com educação básica. Todavia, como enfatizamos anteriormente, as habilidades argumentativas são influenciadas pelo tipo de ensino – implícito (no qual a argumentação é favorecida pelo contexto, como pelo uso de atividades investigativas no ensino de ciências) ou explícito (no qual se discute as funções e os elementos do argumento) (Jiménez-Aleixandre, 2008). Possivelmente, o sistema de ensino adotado no colégio em que a pesquisa foi desenvol- vida e as práticas adotadas pelos professores parecem ter influenciado no desenvolvimento das habilidades de nível superior, pois na turma de 3 o ano, constatamos as habilidades
Mostrar mais

8 Ler mais

Contribuição de práticas argumentativas para a democratização de debates científicos em aulas de Física

Contribuição de práticas argumentativas para a democratização de debates científicos em aulas de Física

A formação inicial docente é um momento fundamental na constituição de um licenciando enquanto futuro professor, visto que é provavelmente nessa etapa em que são feitas as primeiras reflexões sobre as várias dimensões pedagógicas, didáticas, políticas e sociais envolvidas nos processos de ensinar e aprender. Discutir assuntos sociocientíficos de importância atual e apresentar o conhecimento científico como um conjunto dinâmico, provisório e socialmente construído de possíveis explicações são encaminhamentos necessários ao Ensino de Ciências dos anos presentes e futuros, aproximando-o de uma abordagem mais externalista das Ciências. A argumentação, como forma de socialização dialógica do conhecimento científico, já foi apontada por diversos autores como um poderoso recurso metodológico para aulas de Ciências. No entanto, o desenvolvimento de competências argumentativas ainda passa longe dos atuais cursos de Licenciatura. O estudo aqui descrito foi realizado com sete estudantes do último ano de um curso de Licenciatura em Física que cursavam a disciplina de Didática das Ciências (DdC) de uma universidade pública do estado de São Paulo e teve como objetivo principal compreender de que forma dinâmicas argumentativas sobre assuntos sociocientíficos podem contribuir para a construção de saberes docentes de argumentação entre os licenciandos. O debate, organizado na forma de uma audiência pública simulada, teve como tema principal as possibilidades para o plano nuclear brasileiro nos próximos anos. Os estudantes foram agrupados em duplas que deveriam representar quatro setores de interesse no assunto, sendo que cada estudante escolheu um nome e um cargo fictício. Essa dinâmica de role-play educacional parece ter facilitado as interações discursivas e incentivado os estudantes a pesquisarem antes de vir para o debate. A atividade foi gravada em vídeo para posterior transcrição e análise dos episódios segundo referenciais específicos da Sociolinguística e da Argumentação no Ensino de Ciências.
Mostrar mais

147 Ler mais

Ciência e jornalismo: a construção do sentido do discurso jornalístico-científico no texto verbal e não-verbal de reportagens da Revista Época

Ciência e jornalismo: a construção do sentido do discurso jornalístico-científico no texto verbal e não-verbal de reportagens da Revista Época

Por isso, nos inquieta descobrir os efeitos de sentido provocados a partir das escolhas argumentativas dos repórteres da seção, pois, como nos lembra Greimas (1975, p. 15), “o sentido [r]

168 Ler mais

Consenco/dissenso: entre o enunciado e a enunciação

Consenco/dissenso: entre o enunciado e a enunciação

Oferecer garantias ao se ntido é, a ntes de tudo , permi- tir que ele circule, através de estruturas lógico-argumentativas socialme nte va lida- das, mas também é evitar que [r]

17 Ler mais

Linguagem do poder, poder da linguagem: Estratégias argumentativas em discursos de Vargas e Lula

Linguagem do poder, poder da linguagem: Estratégias argumentativas em discursos de Vargas e Lula

RESUMO: Getúlio Vargas foi um dos maiores conhecedores da propaganda po- lítica na história brasileira. Como ninguém, soube articular ideias e fazer com que as massas populares aderissem ao seu projeto e apoiassem o seu governo. Por isso, Vargas é classificado como “populista”, adjetivo constantemente usado na tentativa de definir algumas figuras políticas contemporâneas. Tendo essas questões em mente, este trabalho buscará entender, com aparato metodológico da Linguística Textual, quais estratégias argumentativas usadas por Vargas contribuíram para que ele se tornasse a figura amada que foi. Além disso, tentará traçar possíveis semelhanças entre seus discursos e uma entrevista dada pelo ex-presidente Lula, uma dessas figuras contemporâneas chamadas cotidianamente de populistas.
Mostrar mais

14 Ler mais

Show all 5739 documents...