Teor de sólidos solúveis totais

Top PDF Teor de sólidos solúveis totais:

Efeito do teor de sólidos solúveis totais e do binômio tempo/temperatura de tratamento térmico sobre as características sensoriais de suco tropical de muruci (Byrsonima verbascifolia) / Effect of total soluble solids content and time/temperature binomium

Efeito do teor de sólidos solúveis totais e do binômio tempo/temperatura de tratamento térmico sobre as características sensoriais de suco tropical de muruci (Byrsonima verbascifolia) / Effect of total soluble solids content and time/temperature binomium of heat treatment in sensory characteristics of muruci tropical juice

Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n.6, p.32937-32949 jun. 2020. ISSN 2525-8761 Para a textura, foi observado que o teor de sólidos solúveis totais exerceu efeito significativo (p<0,05) sobre os escores de aceitação (Tabela 4). Nesse caso, a alteração nos níveis do Brix (do menor para o maior nível) proporciona um aumento no valor dos escores médios de aceitabilidade, sendo essa mudança percebida pelos consumidores. Nesse caso, os consumidores atribuíram maiores notas as formulações que apresentavam o maior valor de Brix, indicando que os mesmos tendem a aceitar melhor a textura de produtos com maior concentração de sólidos presentes.
Mostrar mais

13 Ler mais

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E QUÍMICAS DE FRUTOS DE MAMOEIRO DO GRUPO 'SOLO' COMERCIALIZADOS EM 4 ESTABELECIMENTOS DE BRASÍLIA-DF.

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E QUÍMICAS DE FRUTOS DE MAMOEIRO DO GRUPO 'SOLO' COMERCIALIZADOS EM 4 ESTABELECIMENTOS DE BRASÍLIA-DF.

O teor de sólidos solúveis totais (SST) e a acidez titulável (AT) são parâmetros que também podem indicar o ponto de colheita do fruto, pois existe uma relação entre eles e o estádio de maturação do fruto. Segundo Medina (1989) os padrões havaianos requerem para comercialização uma porcentagem mínima de sólidos solúveis de 11,5% para mamões do grupo ‘Solo’. Já Ruggiero (1980) estabeleceu uma porcentagem mínima de sólidos solúveis de 14%, variando de 16% a 17% durante os meses de verão e de 13% a 14% durante o inverno. De acordo com Hinojosa & Montgomery (1988), a acidez total da polpa de mamão varia entre 0,12% e 0,15% e, devido a essa característica, ele tem sido recomendado como tratamento dietético para pessoas que sofrem de problemas gastrointestinais, como gastrite e úlcera.
Mostrar mais

5 Ler mais

Cristalização de melão pelo processo lento de açucaramento.

Cristalização de melão pelo processo lento de açucaramento.

To m a n d o - s e c o m o b a s e a p e n a s o percentual de aceitação, a variedade Pele de Sapo foi a que se destacou e teve uma ampla preferência, uma vez que 90% dos provadores avaliaram como gostei de moderadamente a muito (Tabela 2). Esse resulatado provavelmente deve-se á sua textura mais firme “in natura” e ao teor de sólidos solúveis totais superiores ao demais.

4 Ler mais

Efeitos do CPPU e do ácido giberélico nas características dos cachos da uva de mesa 'Centennial Seedless'.

Efeitos do CPPU e do ácido giberélico nas características dos cachos da uva de mesa 'Centennial Seedless'.

gura 8). Esses resultados demonstraram que esses regu- ladores de crescimento apresentam efeito no atraso da maturação dos cachos. Leão et al. (1999) verificaram atraso de 8 dias na maturação dos cachos de uvas da cultivar Perlette tratadas com CPPU, ao passo que Re- tamales et al. (1995) observaram que houve atraso de até 21 dias em uvas da cultivar Thompson Seedless. Redução do teor de sólidos solúveis totais de cachos tra- tados com AG 3 também foi constatada por Maraschin et

7 Ler mais

Efeito do microclima na qualidade da uva de mesa 'Romana' (A 1105) cultivada sob cobertura plástica.

Efeito do microclima na qualidade da uva de mesa 'Romana' (A 1105) cultivada sob cobertura plástica.

Pela Tabela 2, observou-se que não houve diferença significativa no teor de sólidos solúveis totais entre os frutos do tratamento com cobertura plástica (média de 14,3ºBrix) e os frutos do tratamento sem cobertura plástica (média de 14,6ºBrix). Estes valores situaram-se acima do teor mínimo exigido para uva fina de mesa, que é de 14ºBrix (BRASIL, 2002). Com relação à degrana, ou seja, bagas que se desprenderam dos engaços, considerada como defeito leve em uva fina de mesa, verificou-se que, no tratamento com cobertura plástica, a média foi de 2,5% de degrana e, sem cobertura plástica, média de 8,1% de degrana. Souza Leão (2002), para as variedades sem sementes ‘Arizul’ e ‘Canner’, também verificou degrana baixa, assim como no tratamento com cobertura plástica do presente experimento. Foi possível, portanto, verificar melhor comportamento, considerando-se a degrana nos frutos colhidos, do tratamento com cobertura plástica em relação ao tratamento sem cobertura plástica. O tratamento com cobertura plástica também apresentou resultados positivos quanto à redução do aparecimento de queimado de sol nos cachos da videira ‘Romana’ (A 1105). Observou- se redução nos valores médios de ocorrência de queimado de sol no tratamento com cobertura plástica (média de 0,2% de queimado de sol) em relação ao tratamento sem cobertura plástica (média de 7,1% de queimado de sol). Estes resultados estão diretamente relacionados com a redução da transmissividade à radiação solar da cobertura plástica, conforme evidenciado na Tabela 1.
Mostrar mais

4 Ler mais

Características físico-químicas, polifenóis e flavonoides amarelos em frutos de espécies de pitaias comerciais e nativas do Cerrado.

Características físico-químicas, polifenóis e flavonoides amarelos em frutos de espécies de pitaias comerciais e nativas do Cerrado.

A comparação das médias entre os trata- mentos mostra que o teor de sólidos solúveis foi maior na porção mediana dos frutos de todas as espécies (H. costaricensis, S. setaceus, H. undatus, S. megalanthus) (Tabela 2). Como o teor de sólidos solúveis apresenta alta correlação positiva com o teor de açúcares, pode-se dizer que, no caso da pitaia, a porção mediana é a parte mais doce. Silva et al. (2002) analisaram seis espécies de frutas de clima temperado quanto ao teor de sólidos solúveis totais, separando os frutos de cada espécie em três porções: basal, mediana e apical. O kiwi apresentou maior teor de sólidos solúveis na porção basal (11,04 %); as espécies nectarina e pera apresentaram teores maiores na porção mediana (12,08 % e 11,75 %, respectivamente); para as espécies ameixa, maçã e pêssego, os maiores teores foram na porção apical (16,11 %, 12,06 % e 11,38 %, respectivamente).
Mostrar mais

6 Ler mais

Compostos bioativos presentes em cultivares de maracujá

Compostos bioativos presentes em cultivares de maracujá

O teor de sólidos solúveis totais, expressos em graus Brix variou entre 11 e 15. Foram observados valores de sólidos solúveis totais médios de 11 º Brix para a espécie Passiflora alata Dryand. Para a espécie Passiflora edulis Sims f. flavicarpa Deg. os valores encontrados foram em média 15º Brix apresentando, portanto maiores teores de sólidos solúveis totais em comparação a Passiflora alata Dryand. Valores elevados de sólidos solúveis totais podem ser explicados, por exemplo, através de altas temperaturas e luminosidade no desenvolvimento dos frutos, o que leva ao aumento no nível de fotossíntese e consequente acúmulo de açúcares nos frutos. Outro fator que pode explicar elevados valores de SST é o estado de maturação do fruto, quanto mais maduro o fruto, maior o teor de sólidos solúveis. Na indústria de processamento de polpa de frutas, há preferência por frutos que apresentem alto rendimento em suco e com maior teor de sólidos solúveis totais, pois há menos gastos com adição de açúcar, tendo em vista que para padrões de exportação europeia há preferência pelos sucos mais doces.
Mostrar mais

37 Ler mais

EFEITOS DO ESTÁDIO DE MATURAÇÃO E DO MANEJO DA TEMPERATURA SOBRE A FISIOLOGIA E QUALIDADE PÓS- COLHEITA DE ARAÇÁ-VERMELHO

EFEITOS DO ESTÁDIO DE MATURAÇÃO E DO MANEJO DA TEMPERATURA SOBRE A FISIOLOGIA E QUALIDADE PÓS- COLHEITA DE ARAÇÁ-VERMELHO

O retardo no resfriamento dos frutos após a colheita resultou em reduções significativas na firmeza de polpa, no teor de sólidos solúveis totais e na acidez titulável, e maior alt[r]

45 Ler mais

Calor específico e densidade da polpa de cajá (Spondias lutea L.) com diferentes concentrações de sólidos solúveis sob baixas temperaturas.

Calor específico e densidade da polpa de cajá (Spondias lutea L.) com diferentes concentrações de sólidos solúveis sob baixas temperaturas.

RESUMO: A polpa de cajá tem sido exportada da região Nordeste para todo o Brasil, e uma das maneiras de conservá-la é processando-a e armazenado-a na forma congelada. Durante o processamento, existem dois fatores que favorecem a qualidade do produto a ser armazenado: a rapidez com que o produto é congelado e a adição de açúcar como forma de dificultar a ação microbiológica. Na linha de processo, algumas propriedades termofísicas, como o calor específico e a densidade, se alteram com as temperaturas negativas e com o teor de sólidos solúveis totais; dessa forma, para o dimensionamento adequado de máquinas e equipamentos, torna-se necessário conhecer essas propriedades, principalmente quando se operam equipamentos criogênicos, onde as temperaturas podem chegar a -196 o C. Neste trabalho, determinaram-se a densidade e o calor específico da polpa do cajá com quatro diferentes níveis de sólidos solúveis totais (natural da polpa; 20; 40 e 60%) e temperaturas entre -196 o C e -18 o C. A densidade foi obtida pela razão entre a massa da polpa e o seu volume. O volume foi determinado pelo método do deslocamento de massa (água) e o calor específico por meio de balanço de calor entre a massa da polpa, a massa do cilindro que contém a polpa e a massa do gelo. Conclui-se que a densidade da polpa de cajá aumenta em função da redução da temperatura e do aumento do teor de sólidos solúveis totais de 9 para 60 °Brix e que o calor específico da polpa diminui com a diminuição de temperatura e aumenta com a concentração de sólidos solúveis totais. PALAVRAS-CHAVE: propriedades termofísicas, criogenia, congelamento.
Mostrar mais

11 Ler mais

Produção e caracterização do hidromel tipo doce / Production and characterization of sweet type hydromel

Produção e caracterização do hidromel tipo doce / Production and characterization of sweet type hydromel

Na segunda região, que avança até o 9° dia, há um rápido consumo de sólidos solúveis. Isso pode ser explicado pelo crescimento exponencial do número de células, também conhecida como fase exponencial, que por sua vez consumirão mais nutrientes. Na terceira região (do 10° ao 15° dia), caracterizada pela fase estacionária, o crescimento da população é limitado pela diminuição de nutrientes disponíveis. Como consequência, a taxa de crescimento diminui até estagnação. De acordo com Dantas e Silva (2017), a constância no teor de sólidos solúveis totais é um indicativo do fim da fermentação. Essa terceira fase é bem explicita no experimento com 30 °Brix.
Mostrar mais

16 Ler mais

Raleio de frutos em lichieira 'Bengal'.

Raleio de frutos em lichieira 'Bengal'.

TABELA 2 – Médias do comprimento longitudinal (CL); comprimento equatorial (CE); massa total do fruto (MT), da casca (MC), da semente (MS) e da polpa (MP); teor de sólidos solúveis totais (ºBrix); pH; acidez titulável da polpa (% ácido málico); percentagem de queda natural (PQN); percentagem de matéria seca da polpa (MSP), da casca (MSC) e da semente (MSS) de frutos de lichieira ‘Bengal’ submetidos a diferentes intensidades de raleio. Universidade Federal de Viçosa. Viçosa-MG – 2008

5 Ler mais

Características biométricas e físico-químicas do fruto, morfologia da semente e da plântula de Averrhoa carambola l. (oxalidaceae).

Características biométricas e físico-químicas do fruto, morfologia da semente e da plântula de Averrhoa carambola l. (oxalidaceae).

Os resultados relativos ao teor de sólidos solúveis totais (SST) mostraram, como esperado, aumento dessa variável à medida que o fruto amadurece. Os valores, para frutos maduros, variaram entre 6,4 e 9,0 ºBrix. Teixeira et al. (2001) observaram variação de 7,9 a 10,3 ºBrix para frutos maduros de seis cultivares de carambola. Araújo e Minami (2001) mencionaram variação na média do teor de SST entre 4,9 e 6,6 ºBrix em 270 frutos dos tipos doce e ácido, coletados de 15 caramboleiras. Para frutos da espécie Averrhoa bilimbi L., os valores observados por Araújo et al. (2009) variaram entre 2,4 e 3,2 ºBrix. Considerando-se todos os estádios de maturação, observa- se que o intervalo de variação do teor de SST das carambolas utilizadas no presente experimento (4,5 a 9,0 ºBrix) é similar àquele descrito na literatura e consideravelmente maior que os valores encontrados para Averrhoa bilimbi. O pH dos frutos variou entre 3,6 (verdes) e 4,3 (maduros), indicando frutos menos ácidos que aqueles estudados por Araújo e Minami (2001), com média de pH, dependendo da caramboleira, variando entre 1,6 e 3,3, e muito menos ácidos que Averrhoa bilimbi que apresentou valor de pH variando entre 1,1 e 1,6 de acordo com o estádio de maturação (Araújo et al., 2009). O elevado teor de água observado (90,6% b.u.) é comparável aos valores obtidos por diversos autores citados por Oliveira et al. (1989b), que variaram no intervalo de 89,9 a 91,7% b.u.
Mostrar mais

10 Ler mais

Estudo da viabilidade da levedura de descarte da indústria cervejeira na obtenção da aguardente de Licor de Laranja

Estudo da viabilidade da levedura de descarte da indústria cervejeira na obtenção da aguardente de Licor de Laranja

O Brasil, país com características climáticas propícias ao cultivo de laranja, é considerado o maior produtor e exportador de suco de laranja do mundo. O "liquor" de laranja é um dos principais subprodutos da indústria cítrica, rico em açúcares, geralmente é destinado para a produção de ração animal. Com um mercado em crescente expansão, a indústria cervejeira descarta em média 160 milhões de litros de fermento viável por ano. Considerando as vantagens que o aproveitamento desse resíduo pode representar para a produção da aguardente de “liquor” de laranja, este trabalho teve por objetivo avaliar a viabilidade do uso do fermento de descarte da indústria cervejeira na obtenção da aguardente de "liquor" de laranja. O "liquor" foi fermentado pelo fermento descartado da indústria cervejeira sendo posteriormente destilado em alambique de cobre. O volume corresponde a três destilações (três fermentações) foi bidestilado em alambique de cobre e envelhecido em ancorotes de castanheira por seis meses. A viabilidade das leveduras foi analisada durante o processo de obtenção da bebida, assim como o teor de sólidos solúveis totais e o consumo de açucares redutores totais. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância (ANOVA) e ao teste de Tukey (p≤0,05). Foi realizada nove bateladas de fermentações contínuas, sem a reposição do fermento. O fermento utilizado na produção da bebida apresentou uma viabilidade inicial de 97,65% apresentando uma queda de 15% das células viáveis ao final da nona batelada de fermentação. A diminuição do teor de sólidos solúveis totais foi bem menor nas últimas bateladas, cerca de 9% se comparadas as três bateladas iniciais, em que observou- se uma redução de aproximadamente 23%. No teste de aceitação não houve diferença significativa (p ≤ 0,05) nos atributos cor e aroma entre as três amostras. Nos atributos sabor e impressão global houve diferença significativa na amostra 2 correspondente às bateladas de fermentação 4, 5 e 6. A levedura de descarte da indústria cervejeira apresentou-se como uma boa opção na obtenção da aguardente de “liquor” de laranja, garantindo pelo menos a fermentação de seis bateladas, sem a necessidade de reposição de leveduras.
Mostrar mais

59 Ler mais

Comunicação científica qualidade de frutos da pereira-japonesa colhidos em duas regiões de Santa Catarina, Brasil.

Comunicação científica qualidade de frutos da pereira-japonesa colhidos em duas regiões de Santa Catarina, Brasil.

RESUMO – O trabalho foi desenvolvido em Caçador (1067 unidades de frio –UF- durante a vernalização) e em São Joaquim (1999 UF), nas safras de 2006/07 e 2007/08, com objetivo de comparar a qualidade de frutos produzidos por diferentes cultivares de pereira-japonesa, nos dois locais, e colhidas em diferentes estágios de maturação. A defi ciência na quantidade e na qualidade do frio durante a vernalização ocasionou a brotação de fl ores sem a presença de folhas até a fase “J” na cv. Kousui, afetando a fase inicial de desenvolvi- mento dos frutinhos. Também propiciou reduzido número de gemas fl orais por planta e baixa quantidade de fl ores por gema. Região com adequada quantidade de horas de frio durante a vernalização exige raleio mais intenso devido ao maior número de frutos por planta. A colheita de frutos antes de atingirem o ponto ideal de maturação fi siológica implica a produção de frutos de menor peso, menor teor de sólidos solúveis totais, maior fi rmeza e menos saborosos. Já os frutos colhidos após o ponto de colheita ideal podem apresentar os distúrbios fi siológicos “pingo-de-mel” e “degenerescência interna por senescência da polpa”. O teor de SST foi defi nido mais pelo genótipo da cultivar, mas para algumas variou entre os anos. As cvs. Housui e Kousui tendem a apresentar maior °Brix que a cv. Nijisseiki. Melhor qualidade comercial foi apresentado por frutos da cv. Housui. O número de sementes por fruto variou entre cultivares e anos. A cv. Housui apresen- tou baixa fecundidade quando analisada pelo número médio de sementes produzidas por fruto (<3,0); a cv. Kousui apresentou baixa fecundidade em São Joaquim, mas fecundidade intermediária (3,1 a 5,0 sementes por fruto) em Caçador; a cv. Suisei apresentou fecundidade intermediária, e a cv. Nijisseiki apresentou alta fecundidade (>5,1 sementes por fruto),
Mostrar mais

8 Ler mais

PRODUÇÃO ORGÂNICA DE ALFACE AMERICANA FERTIRRIGADA COM BIOFERTILIZANTES EM CULTIVO PROTEGIDO

PRODUÇÃO ORGÂNICA DE ALFACE AMERICANA FERTIRRIGADA COM BIOFERTILIZANTES EM CULTIVO PROTEGIDO

Um dos fatores que pode ter contribuído para esses baixos teores, foi a grande disponibilidade de água que as plantas tiveram durante o ciclo, pois em ambiente protegido a umidade relativa do ar tende a ser maior que a campo. Nesse experimento manteve-se o solo sempre próximo à capacidade de campo. Além disso, outros fatores podem ter contribuído como o tipo de cultivar, o clima, a diluição provocada pelo elevado crescimento das plantas em ambiente protegido e as condições nutricionais. Para as condições nutricionais, tem sido destacado por diversos autores correlação negativa entre os teores de açúcares solúveis e o incremento nas doses de nitrogênio aplicado ao solo para diferentes culturas (YANO & HAYAMI, 1978; NILSSON, 1988; HARA, 1989; AMARANTE, 1991 apud SANTOS et al., 2001). Santos et al. (1994) verificaram que tanto o aumento das doses de composto orgânico quanto às de adubo mineral levaram a decréscimos nos teores de açúcares solúveis. Porém, neste trabalho apesar das doses de nitrogênio aplicadas terem sido diferentes entre os biofertilizantes, não se observou grandes diferenças entre os teores de açúcares solúveis. Após o armazenamento, foi possível observar apenas uma tendência de menor teor de sólidos solúveis totais nas plantas fertirrigadas com Bioembrapa, biofertilizante mais rico em nitrogênio.
Mostrar mais

93 Ler mais

Influência do tratamento com etileno sobre o teor de sólidos solúveis e a cor de pimentas.

Influência do tratamento com etileno sobre o teor de sólidos solúveis e a cor de pimentas.

Para as análises do teor de sólidos solúveis totais e da síntese e degradação de pigmentos foram utilizados quatro tratamentos: frutos verdes, frutos amadurecidos na planta e frutos amadurecidos fora da planta, tratados ou não com ethephon, cujo componente ativo ácido 2-cloroetilfosfônico libera etileno quando absorvido pela célula, com o total de quatro repetições. Os frutos verdes e amadurecidos na planta foram colhidos e armazenados a -20 °C. Para o estudo dos efeitos do ethephon, os frutos foram colhidos no estádio verde-maduro, e após a desinfecção com solução de hipoclorito de sódio a 0,5%, foram separados em dois grupos: os tratados com ethephon e os frutos-controle não-tratados com ethephon. Para o tratamento, os frutos foram mergulhados em solução de ethephon 1000 mg L -1 , por 30 minutos. Frutos tratados e não tratados foram armazenados em câmara a 22 °C e umidade relativa de 80% ± 5 até atingirem o completo amadurecimento. O teor de sólidos solúveis totais da polpa de quatro frutos foi avaliado em refratômetro da marca Abbe (ATAGO 3T, Japão), após descongelamento dos frutos e maceração em almofariz, no momento da análise. Os valores correspondentes ao total de sólidos solúveis (°Brix) foram corrigidos para 20 °C, conforme método desenvolvido no I NSTITUTO A DOLFO L UTZ (1985).
Mostrar mais

6 Ler mais

Efeito da concentração de nutrientes no crescimento, produtividade e qualidade de morangos em hidroponia.

Efeito da concentração de nutrientes no crescimento, produtividade e qualidade de morangos em hidroponia.

obteve quantidade de frutas suficiente para compor as amostras) foi coletada pela manhã do dia 26/11/10 e encami- nhada ao Laboratório de Pós-Colheita da UFPel. Analisaram-se o teor de sólidos solúveis totais, com um refratômetro manual, e a acidez titulável, utilizando- -se 10 mL de suco diluídos em 90 mL de água destilada, cuja diluição foi titulada com solução de hidróxido de sódio 0,1N até pH 8,1. Também, analisou-se o teor de antocianinas (Lees & Francis, 1972); de compostos fenólicos totais (Folin- -Ciocalteu; Wettasinghe & Shahidi, 1999); de ácido L-ascórbico (Vinci et al., 1995); e a capacidade antioxidante (Re et al., 1999).
Mostrar mais

8 Ler mais

Efeito de reguladores de crescimento, aplicados em diferentes épocas, e da incisão anelar dos ramos principais sobre a produção da laranjeira de umbigo 'Monte Parnaso'.

Efeito de reguladores de crescimento, aplicados em diferentes épocas, e da incisão anelar dos ramos principais sobre a produção da laranjeira de umbigo 'Monte Parnaso'.

final da queda das pétalas, bem como a incisão anelar, 10 dias após a floração, ou 15ppm de 2,4-D em novembro aumentaram o peso de frutos produzidos por laranjeiras de umbigo ‘Monte Parnaso’. No entanto, a aplicação de fitorreguladores e/ou incisão anelar dos ramos principais não afetou o peso médio, o teor de sólidos solúveis totais, a acidez total titulável e a percentagem de suco dos frutos das laranjeiras.

5 Ler mais

Características qualitativas de genótipos de cebola.

Características qualitativas de genótipos de cebola.

Objetivou-se, com o trabalho, avaliar alguns atributos de qualidade de diferentes genótipos de cebola (Allium cepa L.), cultivados em Mossoró-RN. O experimento foi realizado na horta experimental no Departamento de Ciências Vegetais da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, em delineamento de blocos casualizados completos e quatro repetições. Os tratamentos foram constituídos pelos genótipos de cebola CNPH 6415, CNPH 6047, CNPH 6244, CNPH 6400 Chata, CNPH 6400 Redonda, CPACT 1, CPACT 2, CPACT 3, Granex 429, Belém IPA 9, BRS Cascata, Crioula Alto Vale, Bola Precoce, Primavera, Régia, Valeouro IPA-11, Brisa e Alfa São Francisco. As características avaliadas foram teor de sólidos solúveis totais, acidez total titulável, teor de vitamina C e teor de ácido pirúvico (pungência). Foram observadas diferenças significativas entre os genótipos para todas as características avaliadas. Os genótipos apresentaram uma variação significativa para todas as características avaliadas, confirmando dessa forma que o fator genético é determinante na caracterização de cada material. O teor de sólidos solúveis totais variou de 6,67 a 11,63 (º Brix), vitamina C de 22,7 a 46,81 (mg ácido ascórbico/100 ml de suco) e a acidez total titulável de 0,19 a 0,45 (% de ácido pirúvico). Os genótipos apresentaram pungência intermediária com variação de 5,0 a 12,73 (µmol/g), sendo os menos pungentes Granex 429, CNPH 6047, Régia, Primavera e Belém IPA 9.
Mostrar mais

5 Ler mais

Uva "Niágara Rosada" cultivada no sistema orgânico e armazenada em diferentes temperaturas.

Uva "Niágara Rosada" cultivada no sistema orgânico e armazenada em diferentes temperaturas.

Apesar de apresentar elevado índice de degrana ao 35 dia de armazenamento a 1ºC , as uvas ainda possuíam qualidade para o consumo, observando-se a manutenção do teor de sólidos solúveis totais, acidez to- tal titulável e pH ao final deste período, como pode ser constatado no item 3.2. VALENTINI & MIQUELETTO [26] ao avaliar a conservação de uva "Niágara" ( ) sob armazenamento refrigerado a 1ºC observaram que es- ta temperatura proporcionou a conservação das uvas por 28 dias, com reduzida porcentagem de degrana e per- da de peso.

7 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados