Transporte rodoviário de carga - empresas

Top PDF Transporte rodoviário de carga - empresas:

A REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA E O TRABALHO DOS MOTORISTAS DE CAMINHÃO: UM ESTUDO DE CASO EM DUAS EMPRESAS DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA

A REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA E O TRABALHO DOS MOTORISTAS DE CAMINHÃO: UM ESTUDO DE CASO EM DUAS EMPRESAS DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA

O presente estudo tem por objetivo identificar os efeitos da reestruturação produtiva no trabalho dos motoristas de caminhão, no período compreendido entre os anos 1980 e 1990, no Brasil. Por meio do estudo de caso, duas empresas de transporte rodoviário de carga (TRC), com tradição nesse segmento, foram selecionadas com base no tempo de atuação no mercado, regiões atendidas e localização da matriz. Seguindo critérios previamente definidos, principalmente no que diz respeito ao tempo de trabalho, motoristas (assalariados e agregados) e gerentes de diferentes áreas foram entrevistados sobre a sua trajetória de trabalho no interior de cada empresa. Além do estudo de caso, a pesquisa bibliográfica sobre a história do TRC no Brasil contribuiu para entender em que momento o modal rodoviário tornou-se predominante no país e por quê. Os resultados mostram que, historicamente, o transporte rodoviário de carga sempre esteve atrelado ao setor industrial e que as mudanças na gestão da produção desse setor impactam diretamente na gestão dos transportes. Assim, desde os anos 1990, as transportadoras têm conseguido agilizar todo o processo de movimentação de cargas, bem como reduzir custos e prazos, garantindo a qualidade dos serviços prestados por meio dos conceitos e práticas do Suplly Chain Management (SCM) e da logística. São práticas novas em meio a um velho modelo trabalhista, que resultou em: terceirização da mão-de-obra como forma de driblar a legislação trabalhista e reduzir custos; contratos de trabalho que visam a remuneração com base na produtividade (quem dirige mais recebe mais) e jornada de trabalho prolongada. A ausência de uma legislação adequada que regulamente as atividades do TRC e que limite o tempo de direção e o diferencie do tempo de trabalho, igualmente contribui para que a organização do trabalho torne-se mais um fator de risco nessa profissão, especialmente entre os motoristas que atuam em linhas de encomendas rápidas.
Mostrar mais

152 Ler mais

Avaliação econômico-financeira de empresas de transporte rodoviário de carga: uma metodologia de análise de eficiência

Avaliação econômico-financeira de empresas de transporte rodoviário de carga: uma metodologia de análise de eficiência

Re~umo: Trata de uma metodologia de avaliação de eficiência de empresas de transporte rodoviãrio de cargas, incluindo estudos de casos com empresas de diferentes portes.. Palavras-Chaves[r]

171 Ler mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS: PROPOSTA METODOLÓGICA PARA AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE SERVIÇOS PRESTADOS PELAS EMPRESAS

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E AMBIENTAL TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS: PROPOSTA METODOLÓGICA PARA AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE SERVIÇOS PRESTADOS PELAS EMPRESAS

Assim, é indispensável que, no elenco de requisitos desejáveis a serem avaliados para classificação dos serviços prestados pelas ETRPPs, tomem-se, minimamente, em conta aqueles relacionados aos aspectos: (a) de gestão (Programa de Gestão de Riscos implantado; programa de capacitação específico para motoristas e ajudantes implantado; Programa de Qualidade dos Serviços implantado; política de seleção e avaliação de empresas subcontratadas implantada; entre outros); (b) de segurança e saúde laboral ( Programa de Segurança e Saúde Ocupacional certificado; taxa de frequência de acidentes típicos com afastamento ; t axa de gravidade de acidentes típicos; entre outros); (c) operacionais (idade média da frota; uso de sistemas de roteirizarão de entregas e coletas; uso de sistemas de rastreamento e monitoramento veicular; entre outros); e (d) financeiros (Seguro de Responsabilidade Civil Facultativa - Desvio de Carga; valor de multas pagas por infrações de transporte e trânsito; valor de indenizações pagas por acidente de trabalho; entre outros).
Mostrar mais

220 Ler mais

Análise do impacto das condições de rodovias pavimentadas na renovação da frota de transporte rodoviário de carga

Análise do impacto das condições de rodovias pavimentadas na renovação da frota de transporte rodoviário de carga

A presente pesquisa tem como objetivo analisar o impacto das condições do pavimento de rodovias brasileiras na rentabilidade dos veículos de uma empresa do transporte rodoviário de carga. O tema “Custo do frete e renovação da frota de veículos” apresenta considerável importância econômica e social no cenário nacional, pelos reflexos decorrentes do desgaste da malha rodoviária nos custos operacional, manutenção e capital das empresas. Teoricamente, esta pesquisa será fundamentada na Engenharia Econômica, especificamente, na Análise de Substituição de Equipamentos verificando se a qualidade do pavimento das rodovias impactam a vida econômica dos veículos de carga. Este estudo se ocupa, também, em avaliar o ponto de equilíbrio, a partir do cálculo comparativo entre o custeio das rotas em relação aos preços de frete praticados pela empresa.
Mostrar mais

129 Ler mais

Proposta de metodologia para classificação de empresas de transporte rodoviário de combustíveis líquidos

Proposta de metodologia para classificação de empresas de transporte rodoviário de combustíveis líquidos

No entanto, não somente a pujança econômica ca- racteriza a atividade de transporte rodoviário de com- bustíveis líquidos, mas, sobretudo, as vulnerabilidades a que ficam submetidos o homem, a população expos- ta (principalmente a lindeira às vias) e o meio ambien- te, além, é claro, de prejuízos decorrentes de perda de carga, patrimônio privado (entre eles, veículos), danos à infra-estrutura viária pública e dificuldades na ges- tão da operação do tráfego das vias.

9 Ler mais

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

Carga e descarga / hora parada – A lei fixa prazo de cinco horas para a carga e descarga do veículo colocado à disposição de quem contrata o transporte. Findo esse prazo, será devida remuneração da hora parada, fixada na própria lei, no valor de R$ 1,00 (um real) por tonelada / hora ou fração. A legislação em vigor já possibilitava a cobrança do veículo parado, uma vez estabelecidos os parâmetros no contrato, ou em conformidade com os usos em cada modalidade de transporte. Agora, no que tange ao TRC, tem-se norma cogente quanto ao prazo de 5 horas para carga e descarga e o valor de indenização devida. Óbvio que as partes têm liberdade para estabelecerem em contrato prazo inferior e indenização de valor superior, considerando-se o valor agregado da carga transportada, eis que a norma legal atende em especial o transporte de produtos de baixo valor agregado.
Mostrar mais

125 Ler mais

Modelo multicritério de avaliação do desempenho operacional de empresas de transporte rodoviário de cargas

Modelo multicritério de avaliação do desempenho operacional de empresas de transporte rodoviário de cargas

No Brasil a carga é transportada excessivamente pelo modo rodoviário, representando mais 60% de toda a sua movimentação (ARAÚJO, 2011). O país não dispõe de infraestrutura adequada para o transporte hidroviário e ferroviário, o que resulta em uma matriz desbalanceada. Além disso, vários outros problemas estruturais, econômicos e burocráticos, relacionados ao Setor de Transportes, dificultam o crescimento econômico desejado. As empresas prestadoras de serviço de transporte de cargas no Brasil enfrentam diversos problemas (altos impostos e taxas, sistemas trabalhista, previdenciário e fiscal complexos e pesados, infraestrutura deficiente, corrupção e impunidade em diversos setores da sociedade, déficit público, taxa de juros elevada, dentre outros), que dificultam o bom desempenho das suas atividades, tornando os serviços mais caros e menos eficientes, dificultando investimentos e o crescimento interno. Este cenário contribui para o chamado “Custo Brasil”, tornando o país menos competitivo diante do mercado global.
Mostrar mais

131 Ler mais

Algoritmos de otimização para decisões de localização de facilidades e distribuição em sistemas multiníveis de transporte rodoviário de carga

Algoritmos de otimização para decisões de localização de facilidades e distribuição em sistemas multiníveis de transporte rodoviário de carga

20 O transporte de carga vem ganhando destaque nas pesquisas recentes em transporte devido ao intenso fluxo de caminhões e outros veículos pesados dentro das cidades para a distribuição de produtos. Esta tendência se origina a partir de requerimentos e necessidades dos participantes de tais modelos (ex. atacadistas e clientes) e da natureza do processo decisório em questão (ex. capacidade do tráfego urbano). Este fato, aliado aos recentes avanços metodológicos e computacionais, motiva a adoção de novas tecnologias a serem empregadas na gestão de sistemas de transporte. Esses recursos, aliados à experiência e à prática de profissionais do setor podem contribuir para encontrar melhores alternativas do ponto de vista econômico, de modo a preservar a saúde e a competitividade das empresas (VALENTE et al., 2008)
Mostrar mais

55 Ler mais

O papel do transporte rodoviário de carga em Uberlândia, epicentro logístico do setor atacadista-distribuidor

O papel do transporte rodoviário de carga em Uberlândia, epicentro logístico do setor atacadista-distribuidor

Dentre as cinco empresas atacadistas-distri- buidoras citadas anteriormente, a Martins é a maior do país, com faturamento de R$ 3,4 bilhões em 2011. Na década de 1960, quando o empresário Alair Martins do Nascimento trocou o comércio varejista pelo atacado, alegava que “num país do tamanho do Brasil, nenhuma indústria seria capaz de levar seus produtos para todos os pontos de vendas que se iam abrindo no interior” (CLEPS, 2000, p.28). A empresa conta com frota própria de 1.100 veículos e mais 190 terceirizados para movimentação de 17 mil itens comercializados (alimentos, bebidas, bazar, limpeza, higiene, beleza, material de construção, agroveterinário, eletroeletrô- nicos e informática) com cerca de 376 mil clientes ativos em todos os municípios brasileiros.
Mostrar mais

14 Ler mais

Considerações sobre as mudanças no registro dos transportadores rodoviários remunerados de carga no Brasil

Considerações sobre as mudanças no registro dos transportadores rodoviários remunerados de carga no Brasil

A exigência da obrigatoriedade do RNTRC tem facilita- do a execução de pesquisas, estudos e análises que ajudam a entender melhor a atividade de transporte rodoviário de cargas no Brasil e a sugerir medidas que visem seu aperfei- çoamento. Uma dessas análises, por exemplo, realizada pe- lo Ceftru (2006), mostrou que aproximadamente 80% das empresas com mais de 80 veículos apresentam como ativi- dade principal o transporte rodoviário de cargas. Em outras palavras, aproximadamente 20% das empresas com mais de 80 veículos estariam em desacordo com a Resolução e, por- tanto, não poderiam cadastrar-se no RNTRC. É importante ressaltar que as empresas com mais de 80 veículos repre- sentam apenas 0,56% do total de transportadores cadastra- das no RNTRC, mas possuem 23,27% do total de veículos cadastrados. Como já citado anteriormente, vale ressaltar que toda a disposição da Lei nº. 11.442 (Brasil, 2007) trata única e exclusivamente do TRC por conta de terceiros e mediante remuneração, não contemplando, entre outras, as operações de transporte dos produtos das empresas quando realizado por meios próprios.
Mostrar mais

6 Ler mais

Cocriação de valor no transporte rodoviário de carga fracionada: um estudo de caso.

Cocriação de valor no transporte rodoviário de carga fracionada: um estudo de caso.

A análise da demanda de valor entre os grupos dos embarcadores e dos operadores foi feita com base na síntese apresentada na Tabela 5 e revelou que os direcionadores de valor se restringem a aspectos tangíveis como preços, prazos, pontualidade, informações e isenção de danos à carga. Os achados indicam a possibilidade de que a grande oferta de provedores de serviços de transporte induz à competição por preços e não por valor agregado. Mesmo assim, os transportadores têm a necessidade de alterar preços em meio à relação, de forma a viabilizar ganhos financeiros mais aceitáveis. A variabilidade dos preços induz os embarcadores e operadores a periodicamente prospectar novos provedores de serviços que atendam às suas demandas de valor a um custo inferior. A associação entre as demandas de valor dos embarcadores/operadores e a grande oferta de provedores de serviço de transporte parecem ser elementos que restringem a cocriação de valor no transporte de cargas. Em decorrência dos elementos listados foi possível apurar-se que os entrevistados de todos os grupos de empresas não vislumbravam eventuais projetos passíveis de serem orquestrados conjuntamente (cocriação). A Tabela 6 apresenta os resultados da análise entre os grupos de casos pesquisados.
Mostrar mais

11 Ler mais

A ECONOMIA COMPARTILHADA NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

A ECONOMIA COMPARTILHADA NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

RESUMO: Dada a relevância da economia compartilhada em setores do mercado, especialmente no de transportes, percebe-se que as características do compartilhamento podem trazer possibilidades de simplificar o processo logístico, tornando-o mais eficaz e menos dispendioso para as empresas. O objetivo desse artigo visa identificar os aplicativos e suas principais propriedades de acesso que promovem a oferta de disponibilidades no transporte rodoviário de cargas. A metodologia foi uma pesquisa bibliográfica exploratória com a abordagem qualitativa, com caracterização netnografia. Foram analisados 25 aplicativos através de dados das plataformas via internet entre setembro a outubro de 2019. Os resultados, bem como as considerações finais revelam que este fenômeno é vantajoso, pois gera a situação ideal aos veículos, que seria conseguir uma carga de ida e de volta cujo fator influencia diretamente na produtividade, assim como na subutilização dos veículos, caracterizando menos perdas operacionais, consumo de combustível e ganho econômico em outros modelos de negócios.
Mostrar mais

22 Ler mais

Rentabilidade econômica de unidades operacionais de uma rede logística: novo método de cálculo

Rentabilidade econômica de unidades operacionais de uma rede logística: novo método de cálculo

Para coletar, armazenar e distribuir mercadorias, uma empresa de transporte pode utilizar instalações pró- prias, contratar serviços de terceiros, fazer parcerias operacionais com outras empresas de transporte ou combinar todas estas alternativas. Para avaliar as al- ternativas quanto à adequação aos objetivos de asse- gurar rentabilidade econômica para a empresa e quali- dade dos serviços prestados aos clientes, devem ser consideradas no mínimo quatro variáveis: nível da qualidade dos serviços que se pretende prestar, locali- zação das UO’s, rotas de transporte e volumes de car- ga movimentados numa UO e entre UO’s. Estas vari- áveis são interdependentes, razão por que a avaliação das alternativas é um problema complexo.
Mostrar mais

7 Ler mais

ESTILOS DE LIDERANÇA DE FUNDADORES DE EMPRESAS FAMILIARES DO SETOR DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL E A CONTINUIDADE DO NEGÓCIO

ESTILOS DE LIDERANÇA DE FUNDADORES DE EMPRESAS FAMILIARES DO SETOR DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL E A CONTINUIDADE DO NEGÓCIO

Uma das empresas selecionadas para esta pesquisa foi a Transportadora Continental, comandada por Tânia Drummond. Durante a entrevista, Tânia explicou que os pais a convidaram para trabalhar na empresa porque um dos sócios era muito rude com os clientes. Sobre seu estilo de gestão, a entrevistada enfatiza que algumas de suas práticas foram adotadas intuitivamente e ressalta a importância da “lógica e do bom senso”. No seu ponto de vista, seu estilo de liderar teve um papel fundamental no desenvolvimento da empresa, pois “buscou trazer para a empresa pessoas que ‘abrissem’ a visão dos diretores”. Em relação à empresa familiar ressalta que há dificuldades entre não misturar aspectos pessoais e administrativos. Predomina em seu relato a demonstração da habilidade em gerenciar uma equipe; em determinado momento, o entrevistado menciona as dificuldades que a empresa sofreu durante o Plano Collor e que seus funcionários concordaram em trabalhar por salários menores por um período, até que os problemas fossem resolvidos.
Mostrar mais

124 Ler mais

ASPECTOS ORGANIZACIONAIS E ESTRUTURAIS DO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO NO BRASIL

ASPECTOS ORGANIZACIONAIS E ESTRUTURAIS DO DO TRANSPORTE RODOVIÁRIO NO BRASIL

O início do governo do presidente Juscelino Kubitschek foi caracterizado por uma fase de expansão, que pode ser explicada devido a fatores previamente estabelecidos. Internamente temos a consolidação de superestruturas de base energética, siderurgia, transporte e circulação (era Vargas) e externamente a Segunda Guerra Mundial que reorganizou os mercados internacionais e colocou o Brasil em condição favorável para, em primeiro momento praticar substituição de importações e em um segundo momento receber capital externo em forma de Investimento Externo Direto - IED. Para Antonio Barros de Castro (1977):
Mostrar mais

15 Ler mais

Afetação de cargas no transporte rodoviário de mercadorias

Afetação de cargas no transporte rodoviário de mercadorias

Neste trabalho é realizada uma análise comparativa da aplicação de diferentes métodos heurísticos ao planeamento de rotas. É considerado um cenário em que existe um conjunto de pedidos que deverão ser servidos por uma frota de veículos. Os pedidos são colocados progressivamente ao longo do tempo, provocando a necessidade de se aplicarem alterações a rotas de forma a permitir que esses pedidos possam ficar afetados a alguma das viaturas. Para cada pedido é conhecida uma quantidade, um local de carga, e um local de descarga, e a cada local estão associados intervalos temporais que impõe limites para os instantes em que se pode iniciar a respetiva carga ou descarga. Os cenários considerados foram obtidos através de um gerador de instâncias, concebido para o efeito, e que permite a definição de diferentes parametrizações para as instâncias a gerar.
Mostrar mais

119 Ler mais

Avaliação do potencial de melhoria dos processos de empresas de transporte rodoviário urbano: estudo de caso em três empresas de Porto Alegre – RS

Avaliação do potencial de melhoria dos processos de empresas de transporte rodoviário urbano: estudo de caso em três empresas de Porto Alegre – RS

Na seqüência, discutem-se os resultados auferidos com a aplicação do instrumento de diagnóstico. A Figura 2 demonstra, por meio de gráficos tipo Radar, uma síntese dos valores numéricos atribuí- dos pelas empresas para cada base de análise, ob- tidos a partir da média das notas de cada questão. Procura-se visualizar, desta forma, o potencial de melhorias em relação ao que as empresas conside- ram relevante para a melhoria dos seus processos e ao que elas efetivamente fazem. Salienta-se que os valores numéricos desta síntese devem ser ana- lisados conjuntamente com a descrição dos dados e fatos apresentados pelos entrevistados.
Mostrar mais

12 Ler mais

Competição e regulamentação no transporte de passageiros: Um estúdio no transporte rodoviário intermunicipal

Competição e regulamentação no transporte de passageiros: Um estúdio no transporte rodoviário intermunicipal

Com um grande mercado interno que induzia a imensos fluxos comercial que dificilmente seriam atendidos por vias marítimas e férreas, com rodovias pavimentadas a essa resposta para muitos destes fluxos foi dada pelo ônibus interurbano (BRASILEIRO & HENRY, 1999). O sistema rodoviário vai se consolidando e mais ainda graça ao Primeiro Plano Rodoviário Nacional datado em 1944 e a Lei Joppert que reorganizou o DNER que funcionava desde 1937 como um órgão normativo, com esta lei se cria o setor de trafego encarregado da área do transporte de passageiros e carga e o Fundo Rodoviário Nacional - FRN divididos entre o DNER e Estados e Municípios. (BRASILEIRO et al 2001). Estas políticas confirmaram que a integração nacional passa pelas rodovias, num país com dimensões continentais com o Brasil, em que pioneiros se arriscavam no setor de transporte interurbano de passageiros com a clara decadência do transporte ferroviário que não teria alcance nacional, que este poderia dar ao país.
Mostrar mais

183 Ler mais

Análise das implicações logísticas, contábeis e financeiras da escolha do serviço de transporte

Análise das implicações logísticas, contábeis e financeiras da escolha do serviço de transporte

No Brasil, o TRC é uma atividade realizada por empresas, cooperativas e transportadores autônomos. A idade média da frota dos transportadores autônomos situa-se em torno de 17 anos (ANTT, 2014). Essa desatualização tecnológica provoca, entre outros graves inconvenientes, insegurança nas operações, custo elevado de manutenção, poluição e consumo excessivos. Além disso, tais circunstâncias, aliadas às longas jornadas dos motoristas e à prática de sobrecarregar os caminhões para tentar compensar os baixos valores dos fretes, têm como consequência um dos maiores índices de acidentes de trânsito do mundo (VIANNA, 2003).
Mostrar mais

119 Ler mais

Análise estratégica de uma empresa do transporte rodoviário de cargas brasileiro: um estudo sob a perspectiva da estratégia como prática

Análise estratégica de uma empresa do transporte rodoviário de cargas brasileiro: um estudo sob a perspectiva da estratégia como prática

A presente dissertação propõe a análise estratégica de uma empresa do transporte rodoviário de cargas brasileiro – o Expresso Jundiaí, sob a perspectiva da estratégia como prática, uma abordagem que vem ganhando espaço no campo dos estudos sobre estratégia. O principal objetivo é analisar a relações estratégicas da empresa estudada, a partir da interação entre as microatividades desempenhadas pelos gestores desta organização, as estratégias efetivas e suas estruturas organizacionais. Para isto, foi realizada uma pesquisa qualitativa, delineada sob a forma de estudo de caso. Em relação aos dados analisados, estes foram coletados através de três diferentes técnicas à saber: análise documental, observação não participante e entrevista semiestruturada. A análise dos dados coletados compreendeu primeiramente, os processos de redução, exibição e conclusão. Em seguida, foi proposto um modelo teórico para análise da empresa estudada, baseado em afirmações dos principais autores da base teórica selecionada. Em conclusão, as análises realizadas, a partir do modelo teórico proposto, permitiram identificar e analisar as microatividades estratégicas desempenhadas pelos gestores, que se valem de estruturas organizacionais, para a interação com as estratégias efetivas da organização estudada, bem como, foi possível a identificação das relações existentes entre estes fatores de análise. Com base nisto, a principal contribuição do presente trabalho, foi a aplicação empírica de uma nova abordagem dos estudos em estratégia.
Mostrar mais

173 Ler mais

Show all 10000 documents...