Tribunal de Contas - Paraíba

Top PDF Tribunal de Contas - Paraíba:

O Tribunal de Contas do estado da Paraíba e a avaliação da gestão educacional: indicadores de desempenho, análise e perspectivas

O Tribunal de Contas do estado da Paraíba e a avaliação da gestão educacional: indicadores de desempenho, análise e perspectivas

Este trabalho apresenta uma visão gerencial de como se desenvolve o processo de avaliação da educação infantil e ensino fundamental nos municípios paraibanos sob a ótica do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba. O objetivo principal foi verificar se o Tribunal está fiscalizando aspectos de resultados previstos na legislação educacional. No desenvolvimento do estudo, observou-se que o Tribunal apenas gerencia dois critérios/indicadores, quais sejam: percentual da receita de impostos mais transferências investido na manutenção e desenvolvimento do ensino e; percentual de recursos do FUNDEB investido na remuneração do magistério. Constatou-se que esses dois indicadores são insuficientes para fornecer uma visão adequada dos resultados do sistema educacional. Por isso, foi proposta a utilização de seis novos indicadores para complementar a avaliação de desempenho procedida pelo Tribunal. Esses novos indicadores fornecem uma visão dos resultados das políticas públicas. Verificou-se, também, que o Tribunal já dispõe de uma ferramenta tecnológica para análise desses indicadores. Trata-se do sistema de Indicadores de Desempenho dos Gastos Públicos em Educação Básica na Paraíba (IDGPB). Com a adoção desses novos indicadores, a análise efetuada pelo Tribunal ultrapassa o aspecto financeiro e passa a abranger outras dimensões, como infraestrutura escolar, docentes, rendimento, qualidade escolar, matrícula e acesso à educação. Esta ampliação das dimensões de análise é imprescindível para adequação do sistema de controle exercido pelo Tribunal de Contas ao novo modelo de gestão, cujo foco passa de burocrático e formal para resultados e gerencial. Além disso, a ampliação da análise fornece à sociedade um diagnóstico mais real da situação do ensino infantil e fundamental nos municípios paraibanos e auxilia os gestores no processo decisório.
Mostrar mais

144 Ler mais

Open Aplicação de técnicas de Data Mining para auxiliar no processo de fiscalização no âmbito do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba

Open Aplicação de técnicas de Data Mining para auxiliar no processo de fiscalização no âmbito do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba

A pesquisa de natureza aplicada faz referência ao processo investigativo e desenvolvimento de novos conhecimentos ou a compreensão dos já existentes, necessários para determinar os meios pelos quais se pode desenvolver e aprimorar produtos, processos ou sistemas, com vistas à satisfação de uma necessidade específica e reconhecida. Visto que este estudo objetivou gerar conhecimentos para a aplicação prática relacionada à utilização de ferramentas de BI, especificamente usando técnicas de data mining para a detecção de indícios de fraudes e irregularidades em processos licitatórios no âmbito de competência do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, sendo classificada desta forma.
Mostrar mais

103 Ler mais

Tribunal de Contas do Estado da Paraíba como parceiro da administração pública: princípio da eficiência nas atividades típicas e atípicas.

Tribunal de Contas do Estado da Paraíba como parceiro da administração pública: princípio da eficiência nas atividades típicas e atípicas.

A reforma do Estado iniciada nos anos 90 direciona os estados e a administração pública a transformar a gestão administrativa de patrimonialista e burocrática para uma administração gerencial com prioridade no servidor e nos cidadãos. Este novo conceito de gestão baseia-se nos princípios estabelecidos na Constituição: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Observa-se neste trabalho, como a eficiência foi implantada no TCE/PB, abordar-se-á dois aspectos distintos primeiramente, uma análise administrativa, dando-se ênfase a abordagem subjetiva, onde serão estudados dados obtidos a partir de uma pesquisa de satisfação realizada com os funcionários e de outro lado o investimento na área de recursos humanos, atinentes a capacitação e especialização de funcionários. Numa outra tônica este trabalho se dedicará a função essencial do TCE-PB que é a análise de contas, serão analisados dados referentes ao número de processos julgados e instaurados e outros aspectos importantes a este relatório.
Mostrar mais

70 Ler mais

16933

16933

arrola as competências do TCU e nos artigos 48 e 49 arrola as competências do Congresso Nacional. Não confundir função e competência. Função é uma atividade finalística, competên- cia é uma atividade de meio. Quais são as competências do TCU? Competência judicante, competência opinativa, compe- tência consultiva, competência informativa, competência san- cionadora e competência corretiva. A serviço de que, tantas competências? Da função controle externo. Então o TCU é aquinhoado de competências para o desempenho desembara- çado, altivo, a tempo e a hora, prestante, eficiente da sua fun- ção. A função é atividade típica de um órgão. Eu tenho esse ouvido direito, e ele embota em sua função auditiva, não ser- ve mais pra ouvir. Ele ainda é ouvido? Ou é apenas uma ore- lha? Por que? Porque quem faz o órgão é a função. Se o Tri- bunal de Contas da Paraíba já não cumpre sua função, já não faz um controle externo eficiente, eficaz, independente, auste- ro, no plano jurídico, ele continua Tribunal de Contas. E no plano de fato, ele continua Tribunal de Contas? É preciso não embotar jamais a função. Porque a função põe o órgão em movimento. É a razão de ser do órgão. 89
Mostrar mais

52 Ler mais

QRP Tribunal de Contas  13 16

QRP Tribunal de Contas 13 16

Determ.FR12900 II INSTRUTOR DE ATIVID.[r]

14 Ler mais

Controle externo : Tribunal de Contas no Brasil

Controle externo : Tribunal de Contas no Brasil

O Tribunal Pleno, diante das razões expostas pelo Relator, DECIDE: 1. levar ao conhecimento do Excelentíssimo Senhor Presidente da República, para adoção das providências que Sua Excelência entender cabíveis à espécie, que o Tribunal de Contas da União encontra-se impossibilitado de exercer a ação jurisdicional sobre a empresa ITAIPU BINACIONAL, em cumprimento ao disposto no art. 71, inciso V, da Constituição Federal, ante a ausência de previsão nesse sentido nos atos que a regem, considerando a submissão da mencionada Empresa ao regime de direito internacional, fazendo-se imperiosa, nessas circunstâncias, a modificação das normas estatutárias e regimentais da ITAIPU, em comum acordo com o Governo do Paraguai, com vistas a incluir esse procedimento de fiscalização, o qual também está previsto na Constituição daquele País; 2. dar ciência ao Exmo. Sr. Presidente do Congresso Nacional, para as providências cabíveis à espécie, que a competência atribuída ao Tribunal, nos termos do art. 71, inciso V, da Constituição Federal, relativamente à fiscalização das contas nacionais da empresa ITAIPU BINACIONAL, encontra-se prejudicada, uma vez que a administração dessa Entidade é conduzida de forma paritária entre Brasil e Paraguai, encaminhando-se- lhe, para maior compreensão da matéria, cópia desta Decisão, bem como do Relatório e Voto respectivos; 3. autorizar a realização de auditoria na ELETROBRÁS - Centrais Elétricas Brasileiras S/A, com o objetivo de verificar e avaliar os controles exercidos sobre a administração da ITAIPU BINACIONAL; 4. deixar assente que os estudos alusivos à forma de fiscalização a ser desenvolvida na empresa ITAIPU, ante o disposto no art. 38 da Instrução Normativa TCU nº 06/94, devem aguardar a modificação dos atos normativos daquela Entidade, conforme o item 8.1., supra, como também os resultados das reuniões a serem oportunamente realizadas com a Controladoria Geral do Paraguai, tendo em vista o aspecto igualitário que norteia a administração da mencionada Entidade e as conseqüentes especificidades inerentes à matéria; 5. deixar consignado ainda que as considerações e propostas constantes da Ata da Reunião dos servidores deste Tribunal e da Controladoria Geral do Paraguai não se constituem em manifestação oficial desta Corte de Contas sobre o assunto; 6. remeter cópia da presente Decisão, bem assim do Relatório e Voto que a fundamentam, ao Titular da Controladoria Geral do Paraguai, responsável pela fiscalização da ITAIPU, e ao Exmo. Sr. Ministro das Relações Exteriores para ciência e adoção das medidas pertinentes, notadamente em razão do contido no item precedente. 101
Mostrar mais

152 Ler mais

7093

7093

O STF, em todas as ocasiões em que foi conclamado a pronunciar-se sobre a matéria reconheceu de maneira uníssona esta qualidade nos julgamentos dos Tribunais de Contas. No julgamento do RE nº 55.821/PR (1ª Turma. Rel. Min. Victor Nunes Leal. Julg. 18.9.1967. DJ, 24 nov. 1967), o Ministro Relator deixou assentado: “Sem considerar minha opinião pessoal sobre o assunto, mas tendo em vista esses precedentes do nosso Tribunal, devo dizer algumas palavras sobre as irregularidades formais que o Tribunal de Justiça apontou na deliberação do Tribunal de Contas, por ele anulada. A meu ver, essas irregularidades formais são insignificantes, não têm a gravidade que, de acordo com os precedentes mencionados, justificaria a intromissão do Judiciário nessa tarefa especial para cujo desempenho o constituinte instituiu um órgão altamente qualificado como é o Tribunal de Contas, protegendo seus Juízes com as garantias próprias dos magistrados”.
Mostrar mais

47 Ler mais

QRP Tribunal de Contas  10 2016

QRP Tribunal de Contas 10 2016

ANA CLAUDIA CLEMENTE COELHO FONTES 2068 Contrat.T.Determ.. Determ.FR12900 II INSTRUTOR DE ATIVID.[r]

15 Ler mais

QRP Tribunal de Contas  11 2016

QRP Tribunal de Contas 11 2016

2023 Pessoal de Cargo Comissionado DIRETOR DE DEPARTAM.[r]

15 Ler mais

QRP Tribunal de Contas  09 2016

QRP Tribunal de Contas 09 2016

MARCILEIA XAVIER 2023 Pessoal de Cargo Comissionado DIRETOR DE DEPARTAM.. MUNICÍPIO: CACHOEIRA DA PRATA[r]

15 Ler mais

QRP Tribunal de Contas  08 2016

QRP Tribunal de Contas 08 2016

MARCILEIA XAVIER 2023 Pessoal de Cargo Comissionado DIRETOR DE DEPARTAM.. Determ.FR12900 II INSTRUTOR DE ATIVID.[r]

15 Ler mais

QRP Tribunal de Contas  07 2016

QRP Tribunal de Contas 07 2016

GRACIA MARIA FREITAS TEIXEIRA MELO 2029 Pessoal de Cargo Comissionado DIRETOR DE DEPARTAM.. MUNICÍPIO: CACHOEIRA DA PRATA[r]

15 Ler mais

QRP Tribunal de Contas  06 2017

QRP Tribunal de Contas 06 2017

EDVANDRO CARLOS ANUNCIATI UMEZU 2014 Pessoal de Cargo Comissionado DIRETOR DE DEPARTAM.. MUNICÍPIO: CACHOEIRA DA PRATA[r]

15 Ler mais

QRP Tribunal de Contas  05 2017

QRP Tribunal de Contas 05 2017

Total Outros Descontos, Incluindo os de Ordem Pessoal (7). Contribuição Previdênciária[r]

16 Ler mais

Controle externo do gasto público sob a ótica da economicidade

Controle externo do gasto público sob a ótica da economicidade

A concentraçao.anual da documentaçao do controle interno do Executivo, relat6rios, prestaçao de contas, balanços ••., é encaminhada ao Tribunal de Contas do seu respectivo nivel (federal[r]

110 Ler mais

Análise da aplicação da lei de  fiscal no âmbito do Tribunal de Contas da União: os atrasos de repasses dos recursos da União à Caixa Econômica Federal no exercício de 2014

Análise da aplicação da lei de fiscal no âmbito do Tribunal de Contas da União: os atrasos de repasses dos recursos da União à Caixa Econômica Federal no exercício de 2014

O Acórdão nº 3130, Plenário, TC 007.349/2014-9 107 , constatou o crescimento das receitas do FAT em ritmo menor do que o das obrigações, gerando desequilíbrio nas contas do fundo. Uma das causas do baixo crescimento da arrecadação do PIS/Pasep (principal fonte de financiamento do FAT) foram as desonerações realizadas pelo Governo Federal, as quais, segundo o relatório presente no acórdão mencionado, vinham crescendo de forma acentuada nos últimos anos. Com o intuito de estimular a produção de certos setores da economia, aumentar o emprego e reduzir custos de produção, o governo optou pela renúncia de receitas por meio de desonerações, não apenas no PIS/Pasep, mas de vários outros tributos, como Cofins e IPI, levando à queda na arrecadação de recursos para o Fundo de Amparo ao Trabalhador. Veja-se o quadro da evolução das receitas do FAT entre os períodos de 2009 a 2013 extraído do julgado em análise:
Mostrar mais

94 Ler mais

O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO ÂMBITO DO TCU

O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE NO ÂMBITO DO TCU

A despeito disso, existe no ordenamento súmula ainda muito utilizada pelo TCU, a qual contraria as determinações constitucionais. Trata-se da súmula nº 347 do STF, a qual autoriza o Tribunal de Contas da União a apreciar a constitucionalidade das leis e dos atos do Poder Público. Contudo, é certo que o rol de competências do Tribunal de Contas da União, apresentado no artigo 71 da Constituição de 1988, deve ser a principal referência, não possuindo o objetivo de acrescentar poderes de legitimador de declaração de constitucionalidade ao TCU. Em recente decisão de 2018, no MS 35.490 MC/DF 10 , o Ministro Alexandre de Moraes reforçou o entendimento já existente de que o Tribunal de Contas não possui competência para apreciar a constitucionalidade de leis e dos atos do Poder Público. O ministro foi contundente em afirmar que a competência do Tribunal de Contas está delimitada pelo artigo 71 da Constituição de 1988, e que, portanto, não deve esse órgão aplicar controle de
Mostrar mais

20 Ler mais

LUÍZA MAÍTE DE OLIVEIRA MARTINS MAXIMINO A EFICIÊNCIA DOS GASTOS PÚBLICOS EM SAÚDE E EDUCAÇÃO PARA OS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ – UMA ANÁLISE EMPÍRICA DOS PERÍODOS DE 2007 A 2009 E 2012 A 2015

LUÍZA MAÍTE DE OLIVEIRA MARTINS MAXIMINO A EFICIÊNCIA DOS GASTOS PÚBLICOS EM SAÚDE E EDUCAÇÃO PARA OS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ – UMA ANÁLISE EMPÍRICA DOS PERÍODOS DE 2007 A 2009 E 2012 A 2015

A alocação eficiente de recursos públicos, especialmente nas áreas da saúde e da educação, é um dos maiores desafios dos gestores. Referida dificuldade é observada de forma mais contundente no âmbito municipal, visto que tais entes detém um alto grau de dependência dos repasses oriundos das transferências constitucionais, o que prejudica sua autonomia financeira. O escopo deste trabalho é analisar o nível de eficiência dos gastos públicos aplicados no âmbito da saúde e da educação pelos municípios do Estado do Ceará. Utilizou-se como base de dados as prestações de contas das receitas e despesas enviadas pelos municípios cearenses ao extinto Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Ceará (TCM/CE), bem como o Índice de Desenvolvimento Social de Oferta (IDS-O) e de Resultado (IDS-R), referentes às áreas de saúde e de educação, disponibilizados pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE). Todos os dados são relativos aos interstícios de 2007 a 2009 e 2012 a 2015. A análise se deu através de um modelo econométrico de fronteira estocástica com função de produção Cobb-Douglas, o qual teve como insumo a razão entre a despesa na área examinada e a despesa total e como produto o IDS-O ou IDS-R, conforme o caso. Foram obtidos os escores de eficiência técnica, métrica utilizada para comparar as municipalidades nas áreas examinadas. Dentre os resultados obtidos, verificou-se que, em ambas as áreas, não houve grande variação de eficiência técnica das despesas, ao longo dos anos, quando se analisou o conjunto dos municípios. Todavia, ao se examinar os resultados individuais de cada ente, constatou-se que a maioria das municipalidades apresentaram variações consideráveis nos resultados de eficiência técnica durante anos estudados. Noutro giro, quando se dividiu os anos examinados em dois períodos, quais sejam 2007 a 2009 e 2012 a 2015, e se observou os dez municípios mais eficientes e os dez menos eficientes por ano de cada interstício, houve uma constância de certos entes em tais posições. Os municípios de Cruz, Groaíras, Sobral, Tururu e São Gonçalo do Amarante foram destaques positivos no âmbito da educação. Acarape, Alto Santo e Pacatuba ocuparam as últimas posições em citada área. Já no âmbito da saúde, os melhores resultados foram de São Gonçalo do Amarante, Porteiras e Brejo Santo. As piores colocações ficaram com Umirim, Crato e Caucaia.
Mostrar mais

284 Ler mais

O TRIBUNAL EM “O PROCESSO” DE FRANZ KAFKA

O TRIBUNAL EM “O PROCESSO” DE FRANZ KAFKA

Ressalta-se também o Fato 13, revelando a discussão doutrinária acerca dos sistemas inquisitório e acusatório no processo penal, e inquisitorial e ad- versarial no processo civil, cuja diferença, além de outras, está na presença ou ausência, respectivamente, de poderes instrutórios em mãos do órgão julgador. O cotejamento entre o tribunal que acusa, processa, julga e executa K., nar- rado na obra O processo, e o tribunal de contas, nada tem em particular com qualquer representante desse órgão em quaisquer de suas esferas - municipal,

14 Ler mais

Show all 8918 documents...