Vigilância do Ambiente de Trabalho

Top PDF Vigilância do Ambiente de Trabalho:

Cadeias produtivas e a vigilância em saúde, trabalho e ambiente.

Cadeias produtivas e a vigilância em saúde, trabalho e ambiente.

A globalização da economia alterou o padrão produ- tivo na atualidade e a formação de cadeias de produ- ção é um fenômeno central nessa nova conjuntura. Cadeias produtivas são processos de extração, pro- dução, transporte, distribuição, consumo e descarte de bens e serviços. Para o seu desenvolvimento exis- tem investimentos governamentais econômicos/ financeiros, por vezes em confronto direto com os interesses da proteção da saúde dos trabalhadores e ambiental. Isso porque são gerados diversos danos, riscos e vulnerabilidades sociais, ambientais, sani- tárias e ocupacionais ao longo das cadeias. A vigilân- cia em saúde, trabalho e ambiente tem o desafio de enfrentar esses complexos problemas para garantir melhorias para as condições de vida. O objetivo deste ensaio teórico é discutir estratégias de vigilância em saúde, trabalho e ambiente, partindo da noção de cadeia produtiva enquanto redes interconectadas de produção-consumo. O artigo apresenta as princi- pais abordagens teóricas sobre cadeias de produção, especialmente, Supply Chain, Global Commodity Chain, Análise de Filière e Agribussiness, destacan- do as áreas do conhecimento envolvidas. Discute ainda a fragilidade e incipiência da interseção dos saberes e práticas da vigilância em saúde, trabalho e ambiente com a temática das cadeias produtivas, evidenciando a necessidade de superação da vigilân- cia dos produtos em direção à intervenção em toda a cadeia produtiva, mediante a articulação entre as vigilâncias do SUS. Destaca-se também o papel da
Mostrar mais

12 Ler mais

Nas trilhas das cadeias produtivas: reflexões sobre uma política integradora de vigilância em saúde, trabalho e ambiente.

Nas trilhas das cadeias produtivas: reflexões sobre uma política integradora de vigilância em saúde, trabalho e ambiente.

A identificação e a análise dos seus elos/etapas e de suas características podem revelar pontos-chaves para a criação de estratégias de controle com vistas a gerar processos de mudanças substanciais. Para isso, é necessário estruturar ações sobre todos os elos, produzindo informações através de diversos mapea- mentos, caracterização dos processos, operações e tecnologias e identificando situações relativas à saúde, trabalho e ambiente. As informações geradas subsidiam a elaboração de ações interventivas de fiscalização sanitária, inspeção técnica, negociação coletiva, fóruns ampliados de debate, busca de so- luções e demais ações necessárias para alcançar os objetivos desta modalidade de vigilância. Todo esse processo passa por apreender e determinar as confi- gurações econômicas, espaciais/territoriais e políti- cas das cadeias produtivas.
Mostrar mais

15 Ler mais

Vigilância aos agrotóxicos: quantificação do uso e previsão de impactos na saúde-trabalho-ambiente para os municípios brasileiros.

Vigilância aos agrotóxicos: quantificação do uso e previsão de impactos na saúde-trabalho-ambiente para os municípios brasileiros.

processos de educação em saúde junto às popu- lações expostas, trabalhadores e entidades com- ponentes do controle social visando o fortaleci- mento das ações de vigilância. Da mesma forma, poderão subsidiar ações integradas dos órgãos de fiscalização da agricultura, meio ambiente, trabalho, saúde, entre outros, que são fundamen- tais para o avanço da vigilância dos impactos dos agrotóxicos em níveis locais e buscar a diminui- ção progressiva de seu uso, indo na transição de outro modelo agropecuário que poderá ser o agroecológico, como propõe a Campanha Per- manente Contra os Agrotóxicos e pela Vida 38 e a
Mostrar mais

10 Ler mais

A questão ambiental como objeto de atuação da vigilância sanitária: uma análise da inserção das enfermeiras nesse campo.

A questão ambiental como objeto de atuação da vigilância sanitária: uma análise da inserção das enfermeiras nesse campo.

Mas é fundamental apontar, também, que a mídia, em geral, ao incorporar a questão ecológica, acaba por tomá-la no sentido de “uma nova mercadoria”. O modo de produção capitalista apresentará “preocupações ecológicas” quando for possível a obtenção de lucro, ou quando houver perspectiva de punição, ou pela legislação ou por movimentos sociais organizados (9) . Assim, a mídia, a serviço do capital, incorpora a dimensão ecológica para instrumentalizar a venda de produtos. “...o mundo empresarial (...) atualizou seus modelos de gestão – incorporando e subordinando o desenvolvimento sustentável à lógica de mercado -, ocupando crescente espaço na mídia e em projetos de preservação ecológica, na tentativa de legitimar-se perante clientes e consumidores” (10) . Mas, ao mesmo tempo, a lógica de mercado utiliza tecnologias de trabalho que degradam o ambiente físico e geram ou aprofundam a exclusão social. Veja-se que a prática crescente de terceirização de serviços, realizada por grandes empresas, constitui-se, no cotidiano, na transferência de riscos e de acidentes para os trabalhadores precarizados e para o ambiente.
Mostrar mais

9 Ler mais

Possibilidades e limites do trabalho de vigilância epidemiológica no nível local em direção à vigilância à saúde.

Possibilidades e limites do trabalho de vigilância epidemiológica no nível local em direção à vigilância à saúde.

Uma outra possibilidade expressa-se na redefinição da assistência à saúde, entendendo que a mesma vai além do atendimento da demanda e do imediato, abrindo canais permeáveis ao diálogo e valendo-se de tecnologias necessárias à implementação da Vigilância à Saúde. Ainda nesse horizonte de possibilidades, inscrevem-se a percepção sobre as mudanças ocorridas no mundo do trabalho e os impactos dessas mesmas mudanças na prática de enfermagem, podendo resultar em redefinição do objeto, dos meios e instrumentos e da finalidade do trabalho de enfermagem nas US. Com isso, retomar- se-á que, com muita propriedade, afirma: "a partir de um ambiente de trabalho que favorece o conformismo, o corporativismo, o apoliticismo (...) há de serem
Mostrar mais

7 Ler mais

Business intelligence em vigilância epidemiológica baseada em dados produzidos pelos laboratórios de saúde pública

Business intelligence em vigilância epidemiológica baseada em dados produzidos pelos laboratórios de saúde pública

A globalização econômica e informacional proporcionou às pessoas maior interatividade e locomoção por diversos países, trazendo muitos benefícios mas, também, riscos. Neste sentido, pode-se citar, por exemplo, a circulação de novas doenças e agravos à saúde hu- mana por todo o mundo [1] [2]. Essas interconexões entre os países vêm impactando a área da saúde e transformado a forma com que o mundo tem tratado as políticas e as ações em saúde, criando a valorização dos direitos humanos, da cadeia de valor, desafiando a política, os profissionais de saúde e reforçando as responsabilidades nacional e interna- cional dos países [2] [3]. Embora a saúde pública seja uma preocupação antiga, ela tem ganhado contornos diferentes a partir das experiências epidemiológicas construídas, ele- vando o conhecimento e transformado a prática clínica para todos [4]. Apesar do Brasil possuir muitas bases de dados com informações em saúde e muitas ações de vigilância epidemiológica serem realizadas, verifica-se que há outros mecanismos que podem ser im- plementados para melhorar, ainda mais, a vigilância, como por exemplo, a implementação de controles estatísticos do processo de produção de exames de saúde pública, que é um importante indicador de surtos e ameaças a saúde pública. Por outro lado, a computação, a estatística e o conhecimento de especialistas têm impulsionado a inteligência dos pro- cessos de vigilância, proporcionando componentes e procedimentos mais eficientes para as tomadas de decisões. Este trabalho propõe Indicador de vigilância epidemiológica a partir dos dados laboratoriais que são armazenados no Sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL), seguido de aplicações de modelos de Séries Temporais e Controle Estatístico de Processo (CEP), utilizando a linguagem de programação em R integrada a software de Business Intelligence (BI) para monitorar e detectar mudanças no comporta- mento da doença de Influenza no município de Curitiba-PR. Os resultados deste estudo foi a proposição de uma arquitetura de software, o que permitiu monitorar e controlar a doença de influenza, identificar eventos que indicaram situações fora dos limites de con- troles. Esse processo mostrou aplicável a outras doenças, contribuindo de forma relevante para a vigilância em saúde.
Mostrar mais

156 Ler mais

TÍTULO

TÍTULO

As ações destinadas à promoção e proteção da saúde do trabalhador submetido aos riscos e agravos advindos dos processos e ambientes de trabalho estão incluídas nas competências da Vigilância Sanitária (VISA). Este estudo teve como objetivo investigar as relações entre a formação profissional e o cotidiano de trabalho de funcionários da VISA que executam atividades na área da Saúde do Trabalhador. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, do tipo exploratória, em que os participantes foram equipes de VISA inseridas no organograma da Secretaria Estadual de Saúde, incluindo as da Vigilância Municipal e do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST), da macrorregião de Taubaté. Utilizou como instrumentos um levantamento do perfil dos pesquisados e a técnica do Grupo Focal (GF), sendo os dados submetidos à análise de conteúdo e compreendidos à luz de constructos teóricos sobre formação, abordagens de saúde e trabalho e da Teoria Bioecológica do Desenvolvimento Humano. Os resultados evidenciaram como categorias de análise: a formação para o trabalho da equipe de VISA e CEREST: quanto aos aspectos da educação formal, não formal, informal e continuada, em Saúde do Trabalhador; na categoria Saúde do Trabalhador: a influência das questões políticas, do trabalho em equipe e da inter-relação saúde e trabalho; e em Cotidiano do Trabalho: a importância da VISA, o ambiente de trabalho, os riscos envolvidos, a avaliação sobre o próprio trabalho na VISA e no CEREST e a percepção de sofrimento no trabalho. Constatou-se que a formação dos pesquisados em Saúde do Trabalhador apresenta lacunas, dificultando a realização das práticas nessa área e contrariando os dispositivos de lei do País que indicam sua importância, há cerca de 30 anos. Os contextos de formação para esse trabalho não suprem as necessidades cotidianas dessas equipes e as características pessoais dos participantes não sugerem mobilização para mudanças significativas. Concluiu-se que existe uma falta de articulação entre os conhecimentos disponíveis nos vários sistemas e contextos e, ainda, que a educação formal, informal, não formal e continuada minimizam as dificuldades dessa formação profissional nessas equipes, fragilizando sua compreensão sobre os processos de trabalho em Saúde do Trabalhador. Sugere-se uma efetiva interlocução entre o Estado (VISA Federal, Estadual e Municipal), CERESTs, instituições sociais e de ensino, empresas e equipes de trabalho para a melhoria da formação, além do controle social pela população visando à efetividade dessas ações de trabalho e ao desenvolvimento humano.
Mostrar mais

193 Ler mais

Capital, força de trabalho e relações de gênero — Outubro Revista

Capital, força de trabalho e relações de gênero — Outubro Revista

Outras também haviam observado isso, mas, diferentemente dessas teóricas do trabalho doméstico, a avaliação de Vogel não a leva a argumentar que a base sócio-material da opressão às mulheres pode ser encontrada nas relações de gênero dentro do lar. Ainda que a família seja fundamental para a opressão às mulheres na sociedade capitalista, o pivô desta não é o trabalho doméstico das mulheres para os homens ou para as crianças, por mais opressivo ou alienante que ele seja. Em vez disso, a opressão gira em torno da importância social do trabalho doméstico para o capital – o fato de que a produção e reprodução da força de trabalho é uma condição essencial que reforça a dinâmica do sistema capitalista, possibilitando que o capitalismo se reproduza. E, ainda que ele não tenha que ser realizado no interior do lar, – orfanatos públicos ou privados, por exemplo, assumem a responsabilidade de reproduzir força de trabalho também – o fato de que é um assunto predominantemente privado, doméstico, realizado de acordo com o fato biofísico de que a procriação e a amamentação requerem corpos sexuados-femininos, explica por que existem pressões sobre a família para estar em conformidade com a desigualdade de normas de gênero. Em outras palavras, as mulheres são oprimidas na sociedade capitalista não porque seu trabalho em casa produz valor para o capital, nem por causa de um impulso patriarcal trans-histórico que coloca homens contra mulheres (embora tais atitudes, evidentemente, persistiram ao longo do tempo e do espaço). As raízes sócio-materiais da opressão às mulheres sob o capitalismo têm a ver, na verdade, com a relação estrutural do lar com a reprodução do capital: o capital e o Estado precisam conseguir regular sua capacidade biológica de produzir a
Mostrar mais

37 Ler mais

IEC TC65WG 7TF8 1997 Januar INTERNATIONAL ELECTROTECHNICAL COMMISSION (IEC) TECHNICAL COMMITTEE No. 65: INDUSTRIAL PROCESS MEASUREMENT AND CONTROL SUB-COMMITTEE 65 B: DEVICES IEC 1131 - PROGRAMMABLE CONTROLLERS

IEC TC65WG 7TF8 1997 Januar INTERNATIONAL ELECTROTECHNICAL COMMISSION (IEC) TECHNICAL COMMITTEE No. 65: INDUSTRIAL PROCESS MEASUREMENT AND CONTROL SUB-COMMITTEE 65 B: DEVICES IEC 1131 - PROGRAMMABLE CONTROLLERS

The Function Block Types defined in Fuzzy Control Language FCL shall specify the input and output parameters and the Fuzzy Control specific rules and declarations.. The corresponding Fun[r]

53 Ler mais

Douglas Uemura Nunes Naercio Aquino Menezes Filho Bruno Kawaoka Komatsu

Douglas Uemura Nunes Naercio Aquino Menezes Filho Bruno Kawaoka Komatsu

No presente trabalho utilizaremos a metodologia de Shimer (2007) para a recuperação dessas duas probabilidades a partir de medidas discretas de estoque disponíveis pela PME. Esse modelo de tempo contínuo evita explicitamente o viés de agregação temporal, que ocorria se fizéssemos a inferência das probabilidades através das variações de estoques totais de trabalhadores e desocupados entre dois instantes no tempo. A causa do viés é de que alguns indivíduos podem mudar de estado mais de uma vez, entre os dois instantes em que as medidas foram realizadas. Por exemplo, um trabalhador pode deixar um emprego e encontrar outro em um mesmo mês, e esta transição não seria captada na avaliação da mudança dos estoques entre um período e outro. Esse tipo de problema de medição levaria a um viés anticíclico da probabilidade de desligamento, uma vez que em períodos recessivos a taxa de admissão diminuiria. Em consequência, haveria menos chances de um trabalhador que perde o emprego de encontrar outro emprego no mesmo período e, assim, mais chances de ter o desemprego medido pela pesquisa. Por outro lado, como a probabilidade de desligamento é comparativamente pequena, o viés do lado das admissões seria também relativamente pequeno.
Mostrar mais

60 Ler mais

GUIA DE NORMATIZAÇÃO FUCAPI

GUIA DE NORMATIZAÇÃO FUCAPI

Para melhor acompanhamento e aplicação das orientações contidas neste guia, o aluno deverá no momento em que iniciar a sua pesquisa, apresentar na biblioteca as primeiras folhas (em arquivo digital) com a elaboração de seu trabalho para verificação da normatização e formatação, com o objetivo de minimizar o trabalho na versão final, bem como o atendimento do prazo de entrega na coordenação de curso.

46 Ler mais

Uma ferramenta Web colaborativa para apoiar a engenharia de requisitos em software livre

Uma ferramenta Web colaborativa para apoiar a engenharia de requisitos em software livre

A Elisa, pela primeira orienta¸c˜ao em trabalho cient´ıfico. Ao Fl´avio, vulgo X, pelo apoio, at´e mesmo quando em tratamento m´edico, e pelas saud´aveis polˆemicas. A ambos pelo incentivo a seguir o caminho da pesquisa e pelas recomenda¸c˜oes para o Mestrado. Agra- decimentos tamb´em aos outros professores que apoiaram essa escolha: Dino (Edmundo), Maur´ıcio, Morandini (Marcelo). ` A Organiza¸c˜ao para Acontecimentos Estranhos (OAE), aos UMs Rorso (Robson), Marim (Fl´avio), Igorus (Igor), Schiavoni (Fl´avio), Neves (Alys- son), Sidnelso (Marcel), BGA (Bruno), Cefernan (Carlos Fernando), Kiti (Cristiano†), Bibi (Sabrina), Vladi (Vladimir), Bald˜ao (Alessandro), BH (Ben-Hur), Gelo ( ˆ Angelo), D´eia (An- dr´eia), Moe (Daniel), Beto (Luis Alberto), Camilla, Trooper (Douglas), Kengo, Sapo (Ro- drigo), Zeddy (Marcelo). Com peso! Brutalidade! ` A minha turma de gradua¸c˜ao, cc1998, a sobrevivente das greves da UEM, Motoca (Marcelo), Luz Clarita/Titanic (M´arcio Zanardo), Poliquexosa (Gabriela), Froger (Roger), Renato, Magu (Gustavo), 20 (Augusto), Karina, Kenia, Patricia, Luciana, Burali (Marcelo), Isgarbi (Edson), Marcio Hirata, Hugo, Barr˜ao (Fernando Nabarro), Pamonha (Fernando Panonte), Cleber, Magno, Sakae (Maur´ıcio), Cha- pareli (Fernando Caparelli), Laranja (Cleverson), Moralles (Fernando Moralles), Robert˜ao, Vitor, Maur´ıcio (goleiro), Kiti (Cristiano†), Igor, Sidnelso (Marcel), Shimu (Eduardo), Pa- trick.
Mostrar mais

164 Ler mais

Outline ofa New Approach to the Analysis of Complex Systems and Decision Processes

Outline ofa New Approach to the Analysis of Complex Systems and Decision Processes

(This point of view is discussed in humans is poorly defined. As will be shown in Section V, greater detail in [4] and [5].) For example, if the meaning the conditional statement IF A TH[r]

17 Ler mais

LOGIC S WAS noted in Part I of this paper [150], an FLC A

LOGIC S WAS noted in Part I of this paper [150], an FLC A

connective “also” as the union operator are commutative. Thus the fuzzy control action inferred from the complete set of fuzzy control rules is equivalent to the aggregated [r]

17 Ler mais

GUIA DE NORMATIZAÇÃOMAIO2012 3JC

GUIA DE NORMATIZAÇÃOMAIO2012 3JC

Na citação livre ou indireta, as ideias e informações do documento consultado servem apenas como embasamento para o autor do trabalho e não são citadas literalmente na transcrição do texto. É uma interpretação pessoal do texto consultado, porém essa interpretação não deve distorcer ideia do autor citado.

46 Ler mais

Fábio de Salles Meirelles

Fábio de Salles Meirelles

Todos os indicadores mencionados no capítulo anterior e a metodologia descrita aqui foram definidos de forma a atender características que devem ser valorizadas em estudo de mercado de trabalho, tais como: rapidez na obtenção dos dados, aplicabilidade pela Instituição, facilidade na interpretação e utilização, possibilidade de atualização constante, objetividade, com foco no SENAR; priorize os valores, os costumes, a produção e a produtividade locais, fidedignidade e que possam representar a crescente competitividade do setor agropecuário.

42 Ler mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIHORIZONTES Programa de Pós-graduação em Administração Mestrado Flávio José de Araújo Mateus

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIHORIZONTES Programa de Pós-graduação em Administração Mestrado Flávio José de Araújo Mateus

A fim de sistematizar os estudos relacionados à centralidade do trabalho, pesquisadores montaram a equipe The Meaning of Work – International Research Team (MOW), sediada no Canadá, que, desde os anos de 1970, desenvolve pesquisas sobre o sentido e o significado do trabalho, pesquisando trabalhadores de vários países (FERNANDES; GONÇALVES; OLIVEIRA, 2012). A partir de estudos sobre a centralidade do trabalho realizados pela Equipe MOW entre 1981 e 1983, passa-se a entender o conceito de centralidade do trabalho como uma convicção sobre o valor do trabalho na vida do sujeito. Esses estudos apontaram que não se trata simplesmente de características empregatícias relacionadas ao trabalho, mas do ato de trabalhar em si. Apontaram, ainda, que as pessoas, mesmo que não necessitassem do trabalho para sua sobrevivência material, continuariam trabalhando. O trabalho, além de uma fonte de sustento, é ambiente propício a vínculos relacionais, espaço em que os indivíduos sentem-se integrantes de um grupo local ou social. Enfim, é uma instância capaz de ocupar o sujeito e fazer com que ele tenha objetivos na vida (MORIN, 2001; TOLFO; PICCININI, 2007; FERNANDES; GONÇALVES; OLIVEIRA, 2012).
Mostrar mais

112 Ler mais

CAP.1 - SC para uma nova sociedade e um novo ser humano

CAP.1 - SC para uma nova sociedade e um novo ser humano

Caso alguma imagem contida nessa apresentação seja protegida por direitos autorais e os autores não tenham a respectiva autorização para divulgação, solicitamos que entrem em contato c[r]

22 Ler mais

A solução para um projeto sustentável no desenvolvimento de produtos

A solução para um projeto sustentável no desenvolvimento de produtos

Totalmente integrado ao processo de projeto, o SolidWorks Sustainability reside no Painel de Tarefas do SolidWorks, de forma que a avaliação pode se tornar uma etapa natural e fácil do seu fluxo de trabalho. Os dados de sustentabilidade são automaticamente armazenados no arquivo do modelo como informações de engenharia padrão para o seu projeto, de forma que ele possa ser facilmente compartilhado com outros.

11 Ler mais

Show all 10000 documents...