Top PDF A organização da cultura na "Cidade da Bahia”

A organização da cultura na "Cidade da Bahia”

A organização da cultura na "Cidade da Bahia”

econômicas em Salvador, permanecendo a mesma fiel à sua antiga função de porto e cidade comercial. Por não terem sido processadas grandes mudanças na sua estrutura produtiva, verificou-se a manutenção do antigo sistema ocupacional, sem alteração das posições e esquemas pretéritos. O único avanço consistiu exclusivamente no fato do escravo tornar-se livre, e conseqüentemente desligado das vinculações imanentes à sociedade escravista” (Bacelar, 1989, p.72). E não poderia ter sido muito diferente. Em Salvador quase já não havia escravos em 1888 e no Recôncavo eles também já não eram tantos. Há mais de trinta anos havia sido proibido o tráfico e a decadente economia do açúcar alimentava com seus escravos os cafezais. A professora Kátia Mattoso, comparando dados populacionais, evidencia a redução progressiva da população escrava, na Bahia, ao longo do século XIX. Por exemplo, entre 1808 e 1872, o total de escravos no conjunto da população baiana reduz-se em quase um terço, caindo de 35,3% para 12,2% (Mattoso, 1988). E a partir da década de 1870, a redução da população escrava acentuou-se ainda mais. Começava a haver assalariamento no trabalho urbano. No trabalho doméstico, os agregados de todo o tipo davam conta do serviço com perfeição. Os ares abolicionistas de então já não recomendavam, como de bom tom, ser proprietário de escravos. Quando chega o 13 maio, entre os 120 mil habitantes de Salvador, apenas 3 mil eram escravos (Risério, 2000).
Show more

348 Read more

Os usos da cultura no projeto de desenvolvimento da cidade de Salvador/Bahia: estudo de caso do período 2013-2017

Os usos da cultura no projeto de desenvolvimento da cidade de Salvador/Bahia: estudo de caso do período 2013-2017

[...] Salvador acaba impulsionando a Bahia nesse sentido a gente reúne tantos aspectos da influência da cultura do ponto de vista da atração das pessoas, nem vou dizer atração turística propriamente dita, porque ele servem entre tantas coisas para promover, e não significa que ela seja ainda suficiente para atrair. Por exemplo, quando a gente pega a obra de Jorge Amado, e cria um memorial de Jorge Amado, estabelecendo aquilo ali como um novo equipamento cultural, assim como atrativo turístico, aqui no Rio Vermelho, essa é uma sinalização clara de que essa obra que está traduzida, publicada em 75 países, traduzido em vários idiomas, ela consegue atingir o imaginário das pessoas, levando elementos do nosso cotidiano, da nossa história, da nossa cultura, isso é muito importante para a gente associar a Salvador como uma promoção de destino turístico, para você ter uma idéi,a em um ano e meio da Casa do Memorial de Jorge Amado e Zélia Gattai aberta, aquele equipamento passou a ser o terceiro atrativo em visitação da cidade de Salvador, perdendo apenas para dois equipamentos que são consolidados, que é a Igreja de São Francisco e a Igreja do Bomfim. [...] essa é uma demonstração muito objetiva, concreta do como a cultura, sobretudo um patrimônio cultural de Salvador, influencia na perspectiva de atração turística, outro aspecto claro. (Tinoco, Cláudio. Entrevista concedida para Javier Alfaya, em 24/05/2018)
Show more

144 Read more

A influência da reforma gerencial sobre a cultura de uma organização pública: a Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia em análise

A influência da reforma gerencial sobre a cultura de uma organização pública: a Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia em análise

O objetivo desta pesquisa foi investigar os efeitos da Reforma Gerencial sobre a cultura organizacional em uma organização pública brasileira. Para a realização do estudo, o processo de modernização da Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia foi analisado, que procurou transformar a sua cultura organizacional para torná-la mais eficiente, eficaz e voltada para resultados. Assim, esta pesquisa investigou como a organização articulou os diversos discursos que eram impregnados pela ideologia gerencial na tentativa de viabilizar uma mudança na cultura dos seus servidores. Utilizou-se como proposta teórico- metodológica a abordagem de Meyerson e Martin ( 1987), Martin e Frost ( 2001), Frost et al ( 1991) e Fischer, França e Santana ( 1993). Esses autores procuram analisar a cultura organizacional a partir de três perspectivas: integração, diferenciação e fragmentação. A perspectiva da integração pressupõe a existência de uma cultura organizacional homogênea, integrada e que os membros da organização compartilham igualmente os significados culturais. A perspectiva da diferenciação compreende a cultura compartilhada apenas dentro de grupos. Por fim, na perspectiva da fragmentação, a ambigüidade é a característica marcante da cultura organizacional. Por outro lado, investigou também em que medida os processos implantados pela alta administração foram capazes de efetuar transformações culturais conforme previam as diretrizes da reforma gerencial. Para isso, as perspectivas de Carrieri e Rodrigues ( 2001) e Rodrigues ( 2006) foram utilizadas. Enquanto os primeiros autores apresentam o papel da contracultura na preservação dos valores culturais, Rodrigues ( 2006) descreve o efeito do ambiente institucional para apoiar ou não processos internos de mudança cultural. O trabalho utilizou a Análise do Discurso ( AD) como estratégia de análise dos dados, utilizando as dimensões das figuras, temas e estratégias de manipulação propostos por Fiorin ( 2008
Show more

382 Read more

Comparativo entre ingressos e egressos de produção cultural da Facom com ingressos e egressos de gestão cultural do IHAC: a formação em organização da cultura na Bahia

Comparativo entre ingressos e egressos de produção cultural da Facom com ingressos e egressos de gestão cultural do IHAC: a formação em organização da cultura na Bahia

A predominância das leis de incentivo à cultura no Brasil, em detrimento de uma intervenção mais atuante dos poderes públicos como atores ativos das políticas culturais nacionais e estaduais, inibiu ainda mais a preocupação com a formação de pessoal em cultura. A Lei Rouanet em 1995 reconheceu legalmente a existência do trabalho de intermediação de projetos culturais, inclusive com o ganho financeiro. Oficializou, de certo modo, a produção cultural no Brasil como uma função de organização da cultura através da elaboração de projetos, captação de recursos, administração de eventos etc. Mas enquanto plataforma política não buscou dar uma base para este possível campo em constituição. Logo em seguida temos a criação de dois cursos de graduação em produção cultural no Brasil (um no Rio de Janeiro e outro na Bahia), relacionados com uma demanda clara, no entanto pontuais nas suas atuações. O curso da Universidade Federal da Bahia apresenta a descrição que segue abaixo:
Show more

94 Read more

Cultura, saúde e mídia: um estudo sobre mulheres idosas em uma academia na cidade de Salvador, Bahia

Cultura, saúde e mídia: um estudo sobre mulheres idosas em uma academia na cidade de Salvador, Bahia

A imagem corporal é própria de cada indivíduo, pode ser investida e moldada pela sociedade atual e portanto pela cultura contemporânea. Tem-se ainda, de um lado o corpo natural, biológico, que é resultado do processo evolutivo, mediante o qual nos desenvolvemos no útero de um corpo de uma mulher, nascemos, nos desenvolvemos, amadurecemos, en- velhecemos e morremos. E de outro, o corpo simbólico que resulta das construções sociais e simbólicas, cuja imagem é a de saúde, beleza, vigor e juventude. A imagem corporal é o modo pelo qual o corpo apresenta-se para nós, ou seja, a representação mental que possuímos do nosso corpo. É considerada uma construção multifatorial que envolve percepção, afeto e componentes cognitivos (Matos, 2015).
Show more

10 Read more

PROTAGONISMO JUVENIL NA PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA E PROMOÇÃO DA CULTURA DA PAZ EM UMA CIDADE DO INTERIOR DA BAHIA

PROTAGONISMO JUVENIL NA PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA E PROMOÇÃO DA CULTURA DA PAZ EM UMA CIDADE DO INTERIOR DA BAHIA

Portanto, ações intersetoriais, atividades educativas, notificação de agravos de violência, assistência social e jurídica, assim como, o envolvimento dos grupos que sofrem e produzem a violência na busca de alternativas para minimizá-las devem ser implementadas, visando à responsabilidade social e priorizando as fases mais vulneráveis às violências, riscos a saúde condicionantes e determinantes. Este artigo busca relatar a experiência de um projeto de extensão, desenvolvido nas escolas da rede pública de Feira de Santana, com o objetivo estimular a produção de tecnologias educativas para a prevenção da violência e promoção da cultura da paz nas escolas, assim como, disseminar ações de enfrentamento da violência entre estudantes, educadores e outros profissionais envolvidos com a escola e a comunidade com vistas à formação de agentes multiplicadores da paz social.
Show more

19 Read more

Comprometimento, valores e crenças em escolas na Bahia: um estudo de caso da cultura da organização escolar

Comprometimento, valores e crenças em escolas na Bahia: um estudo de caso da cultura da organização escolar

“As organizações vistas como máquinas – organização burocrática: a vida organizacional dessas instituições, em todos os seus segmentos, é freqüentemente rotinizada com a precisão exigida de um relógio”. O termo burocratização foi usado aqui na sua concepção weberiana, ou seja, a escola se burocratiza na medida em que assume formas organizacionais próximas ao tipo de dominação legal ao qual corresponde o aparelho administrativo burocrático. A burocratização das instituições educativas tem-se feito sentir através de diversas manifestações que se tornaram tão arraigadas que hoje podem parecer integrantes e essenciais à organização da vida acadêmica: leis, decretos, pareceres, normas, currículos mínimos, regimentos. Um dos problemas mais básicos da administração moderna é que a forma mecânica de pensar está tão arraigada nas nossas concepções diárias de organização, que geralmente, é muito difícil organizá-la de outra forma.
Show more

102 Read more

Manifestações da cultura e do sagrado em Barreiras e Angical – Bahia

Manifestações da cultura e do sagrado em Barreiras e Angical – Bahia

O signifi cado cultural das manifestações nos municípios de Barreiras e Angical é ex- pressivo da realidade material e imaterial. Envolve organização, tradição, fé e comunhão. Os devotos, brincantes e fi éis depositam suas crenças na vida a partir de uma estreita ligação espiritual com os santos, orações e cantigas. Nas manifestações culturais do Divino Espirito Santo, Reis, Quadrilhas e o Congado é latente a participação dos mais velhos como partíci- pes de uma história que envolve resistência com adaptações e difi culdades, porém, pautada na solidariedade e no respeito aos santos e santas.
Show more

12 Read more

Bahia: tempo, cidade e arquitetura - em torno das transformações da nova Bahia

Bahia: tempo, cidade e arquitetura - em torno das transformações da nova Bahia

“A crônica é a expressão do tempo irreversível do poder, e também o instrumento que mantém a progressão voluntarista deste tempo a partir do seu traçado anterior, já que esta orientação do tempo deve afundar-se com a força de cada poder particular, recaindo no esquecimento indiferente do mero tempo cíclico conhecido pelas massas camponesas que, na derrubada dos impérios e cronologias, jamais cambiam. Os possuidores da história têm colocado no tempo um sentido : uma direção que também é um significado; mas esta história se desdobra e sucumbe aparte, deixa imutável a sociedade profunda, porque é precisamente o que permanece separado da realidade comum. Neste sentido, a história dos impérios orientais remete-se para nós à história das religiões : estas cronologias em ruínas não hão deixado mais que a história aparentemente autônoma das ilusões que as envolviam. Os amos que detêm a propriedade privada da história, sob a proteção do mito, a detêm, por sua vez, em primeiro lugar, de um modo ilusório : em China e em Egito monopolizaram durante muito tempo a imortalidade da alma; igual que suas primeiras dinastias reconhecidas são a organização imaginária do passado; mas esta possessão ilusória dos amos é também toda a possessão possível, neste momento, de uma historia comum e de sua própria história. O alargamento do seu poder histórico efetivo vai acompanhado por uma vulgarização da possessão mítica ilusória. Todo isto deriva do simples fato de que, na mesma medida que os amos encarregaram-se de garantir miticamente a permanência do tempo cíclico, como nos ritos sazonais dos imperadores chineses, puderam liberar-se relativamente dele.” (Debord, 1974), p. 132-133. 48
Show more

343 Read more

Democracia e Fomento à Cultura: uma análise do Fundo de Cultura da Bahia

Democracia e Fomento à Cultura: uma análise do Fundo de Cultura da Bahia

O Recôncavo está relativamente próximo às cidades de Salvador e Feira de Santana e sempre foi reconhecido por ter uma vida cultural bastante ativa. É o segundo território com mais bens tombados ou registrados em nível federal e estadual, ficando atrás apenas da RMS. A cultura do recôncavo, assim como a cultura de Salvador, por muito tempo foi encarada como a cultura de toda a Bahia. Não podemos esquecer ainda que esse território possui um escritório do IPHAN e em 2006 foi inaugurada a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Já no território do Portal do Sertão, terceiro em quantidade de projetos, está localizada a segunda maior cidade do Estado, Feira de Santana. Há também importantes instituições como a Universidade Estadual de Feira de Santana, a TV Subaé, o Centro Universitário de Cultura e Arte (CUCA) e o Centro Cultural Amélio Amorim. É importante lembrar também que é o terceiro território em número de bens tombados ou registrados pelo IPAC. E por fim, o território do Litoral Sul, que juntamente com o Portal do Sertão divide a terceira colocação em quantidade de projetos apoiados. Nesse território estão duas das seis cidades mais populosas da Bahia: Ilhéus e Itabuna. Essa região já teve grande importância para a economia da Bahia no auge da produção de cacau e tem como representante o escritor Jorge Amado. O território também possui a Universidade Estadual de Santa Cruz, o Centro de Cultura Adonias Filho e o Teatro Municipal de Ilhéus.
Show more

188 Read more

INTERFACES E DIÁLOGOS ENTRE A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO E A CULTURA LGBT

INTERFACES E DIÁLOGOS ENTRE A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO E A CULTURA LGBT

Entre as freqüentadoras, domina uma estética com toques alternativos. Para afugentar o público masculino, o ingresso para homem costuma ser o triplo do valor da entrada paga pelas meninas com nome na lista. O site da festa (www.chacombolachas.com.br) traz seus criativos flyers. O público da festa Tête-à-Tête é formado, no geral, por lésbicas assumidas da cidade e brinca com o repertório de expressões do universo feminino homossexual. Seus flyers dizem que a balada é orgulhosamente apresentada pela "Santa Igreja Lesbiteriana". O nome da festa tem a ver com a gíria sobre sexo lésbico ("teta com teta"), com a expressão francesa ("cara a cara") e com o título de um livro sobre Sartre e Simone de Beauvoir. A Tête-à-Tête começou em setembro de 2006 e atrai principalmente mulheres com visual andrógino. No circuito das jovens roqueiras, as DJs Miss Scania e Pussylovers despontam como atrações da noite lésbica na festa Dykes on X, que tem como uma das organizadoras Mari Aranha, vocalista da banda Miss Junkie. As Drag queen, por exemplo, são homens que se veste com roupas femininas de forma satírica e extravagante para o exercício da profissão em shows e outros eventos. Uma drag queen não deixa de ser um tipo de transformista, pois o uso das roupas está ligado as questões artística, a diferença é que a produção necessariamente focaliza o humor, o exagero.
Show more

17 Read more

As relações de trabalho dos fisioterapeutas na cidade de Salvador, Bahia.

As relações de trabalho dos fisioterapeutas na cidade de Salvador, Bahia.

As transformações socioeconômicas decorrentes da reorganização do sistema vigente e da conformação do Estado neoliberal têm conduzido à precarização do mundo do trabalho. O processo de reestruturação produtiva, oriundo do setor industrial, tem acarretado um forte impacto no campo da saúde e, consequente- mente, na fisioterapia. Este artigo analisa as relações de trabalho dos fisioterapeutas que atuam em clínicas particulares na cidade de Salvador, correlacionando- -as com o processo de reestruturação do mundo do trabalho. Trata-se de um estudo exploratório, de natureza qualitativa, com base no referencial teórico da sociologia do trabalho. Foram realizadas entre- vistas semiestruturadas com oito fisioterapeutas. A abordagem utilizada foi a análise de conteúdo por categorias temáticas, previamente identificadas pelos autores, a saber: centralidade do trabalho, conjuntura socioeconômica, precarização do traba- lho, formação acadêmica e organização sindical. A análise compreensiva revelou a centralidade que o trabalho ocupa na vida dos fisioterapeutas. Na análise da conjuntura socioeconômica, foram identificados os processos que influenciam a atuação profissional e como eles moldam o perfil do trabalhador. Quanto à precarização do trabalho, foram caracterizados os vínculos empregatícios, as condições de trabalho, a estabilidade e a remuneração. A formação acadêmi- ca foi vinculada à reprodução da lógica do capital, acompanhada pela expansão, sem planejamento e regulação, do Ensino Superior privado. Já a organiza- ção sindical mostrou-se distante do fisioterapeuta. A análise das correlações entre forças socioeconômicas que influenciam a prática profissional indicou que as relações de trabalho dos fisioterapeutas entrevistados mostraram-se precárias e instáveis.
Show more

15 Read more

Cultura de segurança do paciente em organização hospitalar

Cultura de segurança do paciente em organização hospitalar

Este estudo transversal do tipo survey, de abordagem quantitativa descreve a cultura de segurança do paciente de uma organização hospitalar pública localizada na cidade de Feira de Santana-Bahia, A amostra pesquisada foi composta por profissionais de enfermagem. Usou- se como instrumento de coleta de dados o questionário “Pesquisa sobre Segurança do Paciente em Hospitais”. As análises foram conduzidas com os softwares Microsoft Excel 2010 e Statistical Package for the Social Sciences 20.0. A organização estudada não apresentou áreas de força e 04, prioritariamente, com potencial de melhoria, fato que inibe a notificação de erros, a oportunidade de aprimoramento da equipe e a promoção de assistência segura à saúde. Conclui-se que a organização possui uma cultura de segurança fragilizada, de caráter punitivo. Acena-se o uso de questionários para verificar a cultura de segurança do paciente nas organizações e avaliar os resultados obtidos após a implantação de ações de melhoria e partilha de responsabilidades entre os envolvidos no cuidado.
Show more

112 Read more

Transporte rodoviário de passageiros e a organização espacial no estado da Bahia

Transporte rodoviário de passageiros e a organização espacial no estado da Bahia

A área sob influência de Paulo Afonso esta situada ao norte da Bahia, na margem direita do Rio São Francisco, que faz a divisa com os Estados de Pernambuco, Alagoas e Sergipe. Esta área apresenta as seguintes características: um total de quatro cidades, com somente um centro de serviços, Paulo Afonso. Desta cidade chegam e partem, aproximadamente, 800 viagens mensais de ônibus intermunicipais, e cerca de 18 por cento, das viagens, seguem para cidades de população inferior. O baixo percentual de viagens para cidades menores demonstra um fraco indicio de centralidade, contudo, por estar localizada na divisa de quatro estados brasileiros, e possuir em seu entorno seis usinas hidrelétricas, Paulo Afonso aparece como uma cidade estratégica no cenário baiano. Suas interligações com os centros dos outros estados não pode ser mensurada por conta da falta de informações. Quanto aos centros baianos, a área subordinada a Paulo Afonso, situa- se em uma faixa limítrofe das regiões de Salvador (como centro regional), Feira de Santana e Juazeiro, e suas interligações não nos deram base para uma definição, precisa, sobre qual área de influência poderíamos inclui-la. Neste contexto, preferimos, como no caso de Bom Jesus da Lapa, individualizar esta área e deixa-la subordinada, somente, a Salvador no papel de metrópole regional baiana.
Show more

228 Read more

Formação em organização da cultura no Brasil: experiências e reflexões

Formação em organização da cultura no Brasil: experiências e reflexões

A predominância das leis de incentivo à cultura no Brasil, em de- trimento de uma intervenção mais atuante dos poderes públicos como atores ativos das políticas culturais nacionais e estaduais, inibiu ainda mais a preocupação com a formação de pessoal em cultura. A Lei Roua- net, em 1995, reconheceu legalmente a existência do trabalho de inter- mediação de projetos culturais, inclusive com o ganho financeiro. Ofi- cializou, de certo modo, a produção cultural no Brasil como uma função de organização da cultura através da elaboração de projetos, captação de recursos, administração de eventos etc. Mas, enquanto plataforma política, não buscou dar uma base para esse possível campo em cons- tituição. Logo em seguida, temos a criação de dois cursos de graduação em produção cultural no Brasil (um no Rio de Janeiro e outro na Bahia), relacionados com uma demanda clara, no entanto pontuais nas suas atuações. O curso da UFBA apresenta a descrição que segue abaixo:
Show more

271 Read more

Salvador da Bahia. Retratos de uma cidade Atl ntica

Salvador da Bahia. Retratos de uma cidade Atl ntica

6 Cf. o trecho em que o almirante castelhano Diego Flores de Valdés descreve Salvador: “esta en el médio de la gobernación del Brasil y es metropolis donde esta el gobernador y dealli se puede salir a socorrer a parahyba donde se dice van a poblar corsários” - Archivo General de Simancas, Guerra Antigua, Legajo 119, d. 41, fl. 2 (agradecemos a José Carlos Vilardaga, que generosamente cedeu este interessante documento). Cf. também Fernão Cardim, “Información de la província del Brasil para nuestro Padre” [1585]. In: Frédéric Mauro (Ed.), Le Brésil au XVIIe siècle: documents inédits relatifs à l’atlantique portugais. Coimbra, Editora da Universidade de Coimbra, 1961 (separata de Brasília, XI), p. 138 e D. Manuel de Menezes, “Recuperação da Cidade do Salva- dor” [1625], RIGHB, t. XXII, 1859, p. 625. Ainda no final do século XVII Bernardo Vieira Ravasco repetidamente utiliza o termo: BIBLIOTECA DA AJUDA [BA], cód. 51-VIII-34, fls. 31-38v (Papel sobre a moeda, 14 de Abril de 1687) e BIBLIOTECA PÚBLICA DE ÉVORA [BPE], códice CV/1-17, fls. 285-300 (Discurso político sobre a neu- tralidade da Coroa de Portugal nas guerras presentes das Coroas da Europa, 18 de Julho de 1692). Seu irmão faz o mesmo em carta de 1692: Antônio Vieira, Cartas, v. 3, Organização e notas de João Lúcio de Azevedo. São Paulo: Globo, 2009, p. 439. Cf. também Pedro Puntoni, “‘Como coração no meio do corpo’: Salvador, capital do Estado do Brasil”. In: Id., O Estado do Brasil: poder e política na Bahia colonial, 1548-1700. São Paulo: Alameda, 2014 e, principalmente, Guida Marques, “‘Por ser cabeça do Estado do Brasil’: as representações da cidade da Bahia no século XVII”, publicado neste volume.
Show more

346 Read more

Organização e produção da cultura

Organização e produção da cultura

Com a criação da Coleção Sala de Aula pela Editora da Universidade Federal da Bahia (EDUFBA), foi possível concretizar a idéia de produzir um livro didático para a graduação do curso Produção em Comunica- ção e Cultura, instituído pela Faculdade de Comunicação, em 1996, um dos dois existentes no Brasil, na área. O nascimento dessa habilita- ção, inovadora, consolida o singular investimento acadêmico da UFBA no campo cultural e, mais uma vez, coloca nossa instituição em um lugar de vanguarda no cenário universitário e cultural brasileiro. A idéia deste livro – que inaugura a Coleção Sala de Aula – nasce do estímulo e do interesse da Editora em criar uma linha editorial didática que possa contemplar a produção acadêmica vinculada ao ensino de graduação e, simultaneamente, da constatação da escassa bibliogra- fia existente no campo da Produção Cultural, da necessidade de siste- matizar a reflexão nesta área e da interessante experiência desenvol- vida na Faculdade de Comunicação, através de disciplinas vinculadas ao curso, tais como: Políticas Culturais, Marketing Cultural, Oficina de Produção Cultural, Oficina de Assessoria de Comunicação, Oficina de Planejamento e Elaboração de Projetos Culturais, Oficina de Análise de Públicos e Mercados Culturais e Oficina de Gestão Cultural. Cabe salientar que, além do exercício diário das salas de aula, este livro resulta também do ambiente de reflexão vivenciado no Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura – CULT, outro componente vital para a consubstanciação deste projeto editorial.
Show more

188 Read more

A Organização do espaço em assentamentos de Reforma Agrária na Bahia: intenções e ações

A Organização do espaço em assentamentos de Reforma Agrária na Bahia: intenções e ações

Embora a ação do MST e de outros movimentos sociais não tenha conseguido alterar a estrutura fundiária do município, sua ação imprime uma nova dinâmica ao local. Uma das mudanças está relacionada ao número de pessoas que vivem em espaços antes pouco habitados, dando novo redimensionamento ao uso do solo no município. A produção, apesar de não ser comercializada em grande escala, foi diversificada, introduzindo outros tipos de cultura, onde antes havia pecuária extensiva, com a criação de gado bovino. Não obstante, a partir da concentração de PAs no município o MST consegue modificar as relações de poder no município. Em 2012 foi eleito para prefeito de Boa Vista do Tupim, pelo PT, um candidato ligado ao MST, que é definido pelo movimento como um colaborador. De modo que lideranças do movimento foram convidadas a assumir cargos políticos no município. Exemplos disso são: o secretário de agricultura (ex-coordenador da Brigada Zacarias; o secretario era assentado no PA Baixão, em Itaetê, e abriu mão do lote); a secretaria de educação (assentada no PA Polinésia); o secretario de obras (acampado no Acampamento do Peixe, vinculado ao MST). Foram eleitos, ainda, dois assentados como vereadores do município, um do PA Nossa Senhora Auxiliadora (PT) e uma vereadora do PA Canabrava (PSDB). Além desses, há outros assentados ocupando cargo de confiança dentro do quadro de pessoal da prefeitura. Modifica assim a correlação de forças o que pode contribuir para o fortalecimento de uma cultura que valorize o trabalhador rural.
Show more

242 Read more

Jorge Amado e a Cidade da Bahia

Jorge Amado e a Cidade da Bahia

Jorge Amado, empregando tais características e diversidades, aponta seus senti- mentos de amante de sua terra amada, indo buscar e revitalizar traços da cultura afro- baiana, tão oportunos num instante de fixação de marcas típicas da localidade, quan- do se quer atrair visitantes, capazes de transformar, como comenta a população da terra, “o burgo de 365 igrejas, em de 365 hotéis”. E afirma o romancista, numa constatação amorosa: “Chega a parecer outra cidade, mas ainda assim aqueles que a conhecem como eu a conheço sabem que ela continua bela e única, sem igual na
Show more

11 Read more

Cultura como organização: resgate etnográfico

Cultura como organização: resgate etnográfico

6 localmente, inclusivamente pelo estatuto alcançado nas redes organizacionais do crime. Este foi o caso de um «jovem AfroReggae» por nós entrevistado. Dongo é carioca e tem 28 anos. Tem duas filhas, várias mulheres (uma principal e outras secundárias desde muito jovem) e várias pretendentes. É uma vedeta na favela de Vigário Geral, a favela da Zona Norte do Rio de Janeiro que viu nascer a ONG e que ficou na memória do país devido a uma chacina policial em que dezenas de habitantes foram assassinados a sangue frio, em 1993. Dongo atingiu uma boa posição na ONG e é um dos principais monitores dos grupos de percussão que se tornaram a imagem de marca do Grupo. Vive desde sempre nesta mesma favela. Os pais trabalham na venda ambulante. São «camelôs» de improviso na cidade, e oscilam, com o mercado, entre períodos de trabalho e períodos de desocupação. Mas este não foi o futuro que Dongo quis para si. Quase sem escolaridade, fez uma carreira promissora nos domínios do tráfico de drogas local, um «mercado» emergente e muito poderoso desde os anos 80 em grande parte dos territórios da pobreza no Rio. Chegou a gerente de uma das «bocas de fumo», local que concentra a venda dos estupefacientes nas favelas. Todavia, o perigo de vida assaltou-lhe a porta diversas vezes a ponto de o fazer desejar abandonar «o lado certo da vida errada» – o lema que cria a fidelidade ao Comando Vermelho, uma das mais importantes facções do crime do Rio. Mas tal situação envolve sofisticadas negociações. Foi na ONG local, no AfroReggae, que viu crescer enquanto ele próprio crescia, que procurou uma saída. Conheceu alguns mediadores e ofereceu-se para ser integrado. Não poderia auferir um salário demasiado baixo, afinal de contas ele era um gerente... Foram-lhe dadas responsabilidades na ONG e ele é hoje um dos principais promotores de projectos, em particular os que são promovidos nas prisões de menores do Rio de Janeiro em parceria com instituições de reinserção social para jovens.
Show more

16 Read more

Show all 10000 documents...