Top PDF Absenteísmo docente: manifestação do fenômeno na Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte (2009 - 2010)

Absenteísmo docente: manifestação do fenômeno na Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte (2009 - 2010)

Absenteísmo docente: manifestação do fenômeno na Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte (2009 - 2010)

Compreender e analisar o absenteísmo docente nas escolas municipais de Belo Horizonte. Esse é o objetivo desta dissertação, que se insere na linha de pesquisa “Educação escolar: Instituições, Sujeitos e Currículos”. As perguntas sociológicas que orientam este estudo investigam como o fenômeno do absenteísmo está se manifestando na condição docente da RMEBH e o que faz com ele se revele de tal forma. Considerando que absenteísmo é a ausência do empregado ao trabalho, caracterizado pela a repetição e a duração (número de dias) das faltas (CHIAVENATO, 2000, BASSI, 2010), esta pesquisa aborda o absenteísmo atribuído às ausências justificadas pelas licenças médicas. São excluídas das análises as licenças de gestação, luto, casamento, entre outras. Para este trabalho, uma pesquisa de caráter exploratório e descritivo buscou quantificar e qualificar o absenteísmo docente, reunindo a quantidade de licenças médicas mensais concedidas aos professores de cada escola municipal durante o ano de 2009 e das escolas da Regional Centro-Sul em 2010. O levantamento realizado possibilitou dimensionar a magnitude do índice de absenteísmo por doença nas escolas municipais, com base nas recomendações do Subcomitê de Absenteísmo da Associação Internacional de Medicina do Trabalho (COUTO, 1987). As análises demonstram que a concessão de licenças para períodos curtos é mais comum do que a concessão de licenças para períodos longos e os dados apontam que a ocorrência do fenômeno está relacionada ao que ocorre nas escolas ao longo dos meses. A análise comparativa entre os anos de 2009 e 2010, na regional destacada, reflete que as estratégias da SMED na tentativa de enfrentar o absenteísmo – pagamento de prêmio para reunião pedagógica, fora do turno de trabalho e pagamento de abono de permanência, em algumas escolas, vinculados à freqüência dos professores – delimitaram e ao mesmo tempo, potencializaram as licenças médicas. O estudo abre caminhos para novas investigações que visem compreender as condições concretas da docência que resultam o absenteísmo, bem como suas implicações nas práticas pedagógicas, por meio da observação in loco nas escolas. A observação, nesse sentido, é fundamental para a compreensão do contexto real em que se realiza a educação, pois se trata de uma trama em permanente construção que articula histórias locais – pessoais e coletivas – e leva os docentes a realizarem escolhas (ROCKWELL e EZPELETA, 2007) que evidenciam que o trabalho real não se constitui na mera realização do trabalho que é prescrito.
Mostrar mais

162 Ler mais

A família e o fenômeno do absenteísmo discente no ensino fundamental em uma escola municipal de Belo Horizonte

A família e o fenômeno do absenteísmo discente no ensino fundamental em uma escola municipal de Belo Horizonte

Esta dissertação se insere no campo de estudos da Sociologia da Educação, mais especificamente na área da relação da família das camadas populares com a escolarização de seus filhos. A proposta deste trabalho é investigar a infrequência escolar: de que maneira a família influencia o absenteísmo escolar de seus filhos. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com sete estudantes e cinco familiares do 6º e do 9º ano do ensino fundamental de uma escola municipal de Belo Horizonte, a pesquisa de campo ocorreu no mês de maio de 2012. A escolha dos estudantes se deu pelo fato de todos terem sido retidos por infrequência em 2011 e por estarem matriculados nessa mesma instituição escolar no ano seguinte ao da reprovação. As perguntas das entrevistas abordaram, entre outros temas, o envolvimento familiar na escolarização dos estudantes, o valor da escola para a família, a reação familiar e escolar ao absenteísmo dos estudantes e os motivos que levam os estudantes a faltar às aulas. Os resultados revelaram que a família pode ser um dos fatores determinantes da infrequência escolar de seus filhos, principalmente pelas formas de autoridade típicas das camadas populares, por suas disposições temporais, pelo valor que atribui à escola e pelo envolvimento que tem na escolarização dos filhos. É importante ressaltar que essa conclusão não culpabiliza as famílias pelo absenteísmo escolar dos adolescentes, mas revela dificuldades dessas famílias em investir na escolarização de seus filhos.
Mostrar mais

111 Ler mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NO 3º CICLO DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BELO HORIZONTE – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NO 3º CICLO DO ENSINO FUNDAMENTAL NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO BELO HORIZONTE – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A proposta desta dissertação de mestrado foi abordar o caso: como a gestão da educação municipal pode proporcionar, por meio da formação continuada, um trabalho docente que favoreça a produção de resultados educacionais de qualidade (acesso, permanência e aprendizagem) no 3º ciclo do ensino fundamental? Esta pesquisa de mestrado demonstrou que a recente história de democratização do acesso à educação e os indicadores educacionais do 3º ciclo são elementos relevantes para que a compreensão da demanda pela resolução desse problema. Somando a esse contexto, o caso de gestão educacional foi descrito, tendo como destaque as dimensões da relação com a diversidade dos estudantes adolescentes e da formação docente, inicial e continuada. Sua descrição possibilitou a compreensão da realidade educacional vivida atualmente no 3º ciclo na Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte (RME/BH), caracterizada por uma complexidade de fatores que interferem no cumprimento da função social da escola. A formação inicial do professor do 3º ciclo, que acontece nos cursos de licenciatura em nível superior, não tem proporcionado aos docentes exercer sua função a contento da demanda atual, pois nas faculdades e universidades privilegia- se o conhecimento específico da disciplina que o professor irá lecionar em detrimento a demais questões relacionadas ao trabalho docente. Para os professores iniciantes na RME/BH, a Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte (SMED/BH) não promove, atualmente, ação de formação continuada que promova seu processo de adaptação ao trabalho.
Mostrar mais

132 Ler mais

UTILIZAÇÃO E APROPRIAÇÃO DO AVALIA-BH PELOS DIRETORES, COORDENADORES PEDAGÓGICOS E PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE

UTILIZAÇÃO E APROPRIAÇÃO DO AVALIA-BH PELOS DIRETORES, COORDENADORES PEDAGÓGICOS E PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE

Sobre o impacto das avaliações externas na prática docente Carvalho e Macedo (2011, p. 563) dizem que é preciso superar a etapa da informação e fazer com que os profissionais da educação se sintam mais inseridos no processo de avaliação e estarem abertos ao potencial que os indicadores oficiais podem ajudar as escolas em seu processo pedagógico. Mas ao que parece indicado pelas entrevistas, até mesmo o processo primário de informar os professores sobre os resultados demonstra-se falho pelo que se pôde perceber na ESCOLA1, ESCOLA2, ESCOLA3 e na ESCOLA4 em que muitos professores deixam claro que desconhecem os objetivos da avaliação, os aspectos metodológicos envolvidos na construção de tais instrumentos e até mesmo desconhecem os resultados enviados às escolas em forma de boletins pedagógicos. Como cada escola recebe 1 kit desse material ele nem sempre acaba chegando às mãos de todos os professores, perdendo-se assim o conhecimento mais básico sobre o Avalia- BH, presente em tais materiais.
Mostrar mais

111 Ler mais

Informatização da rede Municipal de Ensino de Belo Horizonte: uma análise do seu impacto sobre o trabalho docente

Informatização da rede Municipal de Ensino de Belo Horizonte: uma análise do seu impacto sobre o trabalho docente

Segundo Sancho (2006, p.18) “a influência das TIC na configuração do mundo é inegável, mesmo que esta, quase sempre, não seja de fato positiva para todos os indivíduos ou grupos”. Assim, mesmo não sendo neutras desenvolvidas e utilizadas em um mundo cheio de valores e interesses que não favorecem toda a população e ainda, que um grande número de pessoas siga sem acesso às suas aplicações, estas tecnologias estão presentes hoje e permanecerão por muito tempo, sendo, portanto, imprescindível considerá-las no terreno da educação. Entretanto, é necessário fazer essa discussão não se deixando levar pela euforia provocada pelas possibilidades de avanço nos processos pedagógicos, pois a segundo Sancho (2006 p.22) “a história da educação mostra que a administração e os professores costumam introduzir, meios e técnicas, adaptando-os à sua própria forma de entender o ensino, em vez de questionarem suas crenças, muitas vezes implícitas e pouco refletidas”. A autora ainda postula que um dos principais obstáculos para o desenvolvimento do potencial das TIC nas escolas são a organização e a cultura tradicionalista da escola. Para autora, uma maneira de evitar o fracasso da incorporação das TIC na escola é planejar e discutir coletivamente a melhor forma para fazer a sua integração nos processos ensino-aprendizagem.
Mostrar mais

199 Ler mais

Trabalho coletivo entre docentes em escolas da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte: Concepções, permanências e rupturas

Trabalho coletivo entre docentes em escolas da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte: Concepções, permanências e rupturas

A dimensão coletiva do trabalho docente vem sendo objeto de pesquisas recentes e é considerada uma temática emergente. As noções de trabalho em conjunto, de colaboração entre docentes e de trabalho coletivo, tiveram um relevo nas mudanças ocorridas na gestão, na organização escolar e no trabalho docente, decorrentes das reformas educacionais dos anos 1990 e 2000 e que pregavam mecanismos mais coletivos e participativos, amparados no princípio de gestão democrática da educação. Esta pesquisa investiga como as escolas municipais de Belo Horizonte e seus docentes têm se organizado para a realização do trabalho coletivo, principalmente a partir das mudanças recentes na RME-BH em relação à reorganização dos tempos e espaços para a execução desse tipo de trabalho. São analisadas as concepções dos docentes a respeito do trabalho coletivo, os momentos destinados a esse trabalho, as atividades propostas e desenvolvidas pelos docentes nesses momentos, a forma como estes as realizam, a intencionalidade destes momentos para as escolas e para os docentes, além das possibilidades e as dificuldades postas ao desenvolvimento do trabalho coletivo entre os docentes.
Mostrar mais

13 Ler mais

EVASÃO E PERMANÊNCIA NA EJA: POR UM TRABALHO DE QUALIDADE NA GESTÃO DE UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE

EVASÃO E PERMANÊNCIA NA EJA: POR UM TRABALHO DE QUALIDADE NA GESTÃO DE UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE

Todos os professores que assumiram as turmas de EJA anteriormente trabalhavam no ensino regular diurno ou noturno. A maioria dos profissionais tinha como referência a suplência semestral (antiga 1ª a 4ª séries) e o ensino regular noturno, que atendia aos jovens e adultos. Era necessário pensar em uma proposta específica, voltada para esse novo público que chegava à escola atraído pela Educação de Jovens e Adultos, com organização, linguagem, currículo e formas de avaliações próprias. Técnicos da Secretaria Municipal da Educação (SMED) e a acompanhante pedagógica da escola assessoravam o corpo docente para a construção de um projeto de EJA. Sua implantação também foi possível pelo esforço da equipe de gestão da escola, que enxergou, naquela época, uma oportunidade de aproximar a comunidade ao espaço escolar.
Mostrar mais

117 Ler mais

EFICÁCIA ESCOLAR E LIDERANÇA PEDAGÓGICA DOS DIRETORES ESCOLARES DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE NO CONTEXTO DA GESTÃO DEMOCRÁTICA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

EFICÁCIA ESCOLAR E LIDERANÇA PEDAGÓGICA DOS DIRETORES ESCOLARES DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE NO CONTEXTO DA GESTÃO DEMOCRÁTICA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Reynolds e Teddlie (2000) sistematizaram também dados sobre os estudos desenvolvidos no Reino Unido, realizados nas décadas de setenta e oitenta. É Importante destacar que nesses estudos os fatores associados à eficácia escolar foram recorrentes aos estudos americanos. Um estudo citado pelos autores foi o realizado por Mortimore et al (1988) em 50 escolas primárias de Londres, numa amostragem aleatória e por um período de quatro anos. Nas escolas consideradas eficazes, foram identificadas as seguintes características comuns: o diretor conhecia as demandas da escola e atuava enquanto um líder ativo da equipe escolar; o vice-diretor também era envolvido nos processos da escola; o envolvimento corpo docente e a sua consistência pedagógica; aulas estruturadas, focadas em um assunto por vez; ensino intelectualmente desafiador; ambiente de trabalho focado na aprendizagem dos estudantes e uma intensa comunicação destes com os professores. Por fim, o registro sistemático de dados, importantes para o professor no planejamento e avaliação do seu trabalho, mas também para o monitoramento do desempenho dos estudantes por parte do diretor (BROOKE; SOARES, 2008, p. 307 - 308).
Mostrar mais

97 Ler mais

O movimento da produção acadêmica sobre a Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte.

O movimento da produção acadêmica sobre a Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte.

Pesquisadores e estudantes que analisaram os trabalhos por focos temáticos: Alfabetização: Ceris S. Ribas da Silva (FaE-UFMG) e Ingrett da Silva Campos (estudante bolsista). Avaliação: Ângela Imaculada Loureiro de Freitas Dalben (FaE-UFMG), Márcia Ambrósio Rodrigues Rezende (Doutoranda em Educação, professora da RME-BH) e Suzana dos Santos Gomes (Doutoranda em Educação, professora da PUC Minas). Cultura e Educação Infantil: Maria Mafra Goulart (FaE-UFMG), Maria Bernadete Diniz Costa (Mestre em Educação, RME-BH). Diversidade e inclusão: Margareth Diniz (RME-BH), Ramon Orlando Filho (FaE-UEMG). Educação de Jovens e Adultos: Ana Lúcia de Faria Azevedo (RME-BH). Educação e tecnologias: Juliane Correia (FaE- UFMG). Formação docente: Júlio Emílio Diniz Pereira (FaE-UFMG), Claudia Caldeira Soares (RME-BH). Juventude e escola: Juarez Dayrell (FaE-UFMG), Simone Grace de Paula (FUMEC). Política e Administração educacional: Mariza Duarte (FaE-UFMG), Adriana Salgado, Ana Carolina Alves, Beatriz Gravelli, Érica Sarubi, Geniana Faria, Jacqueline Moreno Silva, Maria Juliana Silva Jussara, Maria José B. Pinto, Mércia Noronha Pinto, Nilson Silva Júnior, Renata Kelly de Arruda, Thiago Antonio Jorge, Virgínia Matias (Grupo de Estudos GESTRADO). Prática pedagógica: Anna Maria Salgueiro Caldeira (PUCMinas), Eustáquia Salvadora de Sousa (PUCMinas), Maria Eugenia Alves dos Santos (RME-BH), Samira Zaidan (FaE-UFMG), Santuza Amorim da Silva (UEMG). Relação família-escola: Maria Alice Nogueira (FaE-UFMG) e Ramon Corrêa de Abreu (RME-BH). Trabalho docente: Adriana Duarte (FaE-UFMG), Érica Sarubi (GESTRADO/FaE/UFMG, Jacqueline Laranjo (NETE/FaE/UFMG), Jussara Paschoalino (NETE/FaE/UFMG) e Sâmara Araújo (GESTRADO/FaE/UFMG). Maria Helena Augusto (GESTRADO/FaE/UFMG), e Savana Melo (GESTRADO/ FaE/UFMG). Jacqueline Silva (GESTRADO/FaE/UFMG).
Mostrar mais

29 Ler mais

O INGRESSO DO PROFESSOR NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE: OS DESAFIOS DOS ANOS INICIAIS

O INGRESSO DO PROFESSOR NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE: OS DESAFIOS DOS ANOS INICIAIS

Assim, o primeiro capítulo destacou a política educacional em curso na cidade de Belo Horizonte, a legislação que trata da investidura do servidor público, as características das escolas e o perfil de oito professoras, selecionadas para compor os sujeitos da pesquisa que ora se apresenta. Por sua vez, no segundo foram apresentados dados de pesquisas recentes sobre as políticas públicas voltadas para a inserção profissional de professores no início da carreira. A primeira pesquisa, coordenada por Martin Carnoy (2009), refere-se a um estudo comparativo entre os sistemas educacionais de Brasil, Chile e Cuba. A segunda, relatada por Marli André (2012), aborda as políticas de apoio e formação docente no estágio probatório no Brasil e em outros países. Além disso, foi realizada a análise das entrevistas com as professoras, abordando os conceitos teóricos que impulsionaram este trabalho. Foram articuladas quatro categorias (saberes docente, representação e identidade de professor e condições do trabalho docente) com as experiências das professoras em estágio probatório. Tanto em um, quanto em outro capítulo verificou-se que as professoras que ingressam na RME/BH encontram-se desencantadas e exauridas com a profissão que escolheram, o que gera problemas no interior da escola, comprometendo a oferta de uma escola pública de qualidade.
Mostrar mais

172 Ler mais

INFREQUÊNCIA DISCENTE: UM ESTUDO DE CASO NA REDE ESTADUAL DO CEARÁ

INFREQUÊNCIA DISCENTE: UM ESTUDO DE CASO NA REDE ESTADUAL DO CEARÁ

O Programa Mais Educação é uma ferramenta importante para que o processo de ensino/aprendizagem aconteça, e acreditando ser o acompanhamento pedagógico, a educação ambiental, o esporte e lazer, Os direitos humanos em educação, a cultura e artes, a cultura digital, a promoção da saúde, a comunicação e uso de mídias, a investigação no campo das ciências da natureza e educação econômica elementos fundamentais desse processo, a escola aderiu a este programa, que vem contribuindo largamente na construção de cidadãos críticos e conscientes da sua realidade social, política e econômica, percebendo a educação de tempo integral como um caminho para que a educação no Brasil possa atingir um patamar mais elevado de qualidade. (SECRETARIA DA EEFM. DONA CLOTILDE S. COELHO, 2013). Nessa perspectiva, acredita-se que os jovens participantes do programa sejam motivados a permanecerem presentes na escola. Sendo assim, não restam dúvidas de que a implantação deste Programa vem contribuindo significativamente tanto para aproximar os alunos de um universo maior de perspectivas de aprendizagem, como também serve como um mecanismo de aproximação entre comunidade e escola, permitindo assim uma interação maior entre esses segmentos. Atualmente, estão em funcionamento oficinas de letramento, música, teatro e esporte, com 100 alunos participantes no contra turno de sua série.
Mostrar mais

128 Ler mais

A COMUNICAÇÃO NO PROGRAMA FAMÍLIA ESCOLA DE BELO HORIZONTE – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A COMUNICAÇÃO NO PROGRAMA FAMÍLIA ESCOLA DE BELO HORIZONTE – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A investigação junto aos gestores do Programa incluiu a gerente geral, a gerente regional e um técnico também da regional. Como são pessoas com as quais me relaciono no dia a dia do trabalho, o acesso a esses entrevistados foi muito tranquilo, com várias conversas informais sobre o Programa e minha pesquisa. Entretanto, marcar a entrevista com elas não foi tão fácil, devido a incompatibilidade de agendas, demandas imprevistas de trabalho tanto por parte desses gestores como também por consequência da função que ocupo como gerente de Imprensa, o que me exige estar disponível para acompanhar a Secretária de Educação sempre que solicitada, bem como todos os eventos e mediações de entrevistas de servidores da Rede Municipal de Educação. Outro fator que prejudicou foi a greve dos professores municipais, iniciada em 6 de maio e interrompida no dia 11 de junho, o que me exigiu dedicação quase que exclusiva para atendimento das demandas de imprensa e acompanhamento da greve. Apesar de todas as dificuldades, a entrevista semiestruturada ainda me pareceu o método mais viável para este público, no intuito de conseguir informações mais minuciosas sobre o Programa Família-Escola, o comprometimento desses gestores com o Programa, suas percepções e perspectivas.
Mostrar mais

122 Ler mais

ALBA VALÉRIA BAENSI DA SILVA O PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DOS CONSELHOS ESCOLARES NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE MAGÉRJ: CAMINHOS PARA A

ALBA VALÉRIA BAENSI DA SILVA O PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DOS CONSELHOS ESCOLARES NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE MAGÉRJ: CAMINHOS PARA A

Sou graduada em Pedagogia, na modalidade Licenciatura Plena em Administração Escolar, Orientação Educacional, Coordenação Pedagógica, Supervisão Escolar e Magistério pela Universidade Federal Fluminense (UFF), concluída no ano de 2000. Também concluí duas especializações lato sensu nesta mesma universidade, onde participei ativamente do movimento estudantil e das ações que transcendiam os muros da academia: semanas científicas; universidade na praça; mostra de trabalhos acadêmicos, universidade na escola, entre outros. Iniciei muito jovem minha carreira docente aos treze anos nas séries iniciais, ainda como professora leiga, e exerci o magistério até 2011. Em todos os níveis e modalidades que atuei, nas redes pública e privada (desde a educação infantil até o ensino superior em Pedagogia, perpassando pelo curso Normal), nunca perdi de vista que o trabalho de formação realizado deveria significa “ser parte, fazer parte e tomar parte” do espaço da escola, fazendo com que ela cumpra efetivamente seu papel social.
Mostrar mais

115 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAED- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAED- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Estudante do Programa de Pós Graduação em Gestão e Avaliação em Educação Pública, da Universidade Federal de Juiz de Fora, a fim de que possamos desenvolver a pesquisa empírica (coleta de dados) nesta instituição, junto aos sujeitos ora contatados, e que consentiram em participar desta investigação, parte essencial para realização da referida Proposta de Intervenção, no lócus dessa instituição de ensino. Essa investigação intenciona, num primeiro momento, levantamento de dados junto aos sujeitos por meio de questionário. Destacamos, ainda, que os dados coletados são sigilosos e será preservada a identidade dos participantes, bem como o nome da instituição de ensino – lócus de investigação. Esclarecemos, outrossim, como professores do referido curso da Universidade Federal de Juiz de Fora, que o referido aluno-pesquisador está devidamente matriculado nesta universidade/curso e que as contribuições que sua instituição de Educação poderá ofertar serão de grande valor para a pesquisa/proposta de intervenção em questão.
Mostrar mais

113 Ler mais

A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES PARA O USO DAS TICs NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A FORMAÇÃO DOS PROFESSORES PARA O USO DAS TICs NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE JUIZ DE FORA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Outro ponto destacado pelos cursistas sobre como aumentar a participação dos professores na formação municipal seria a implementação de cursos de formação na modalidade à distância, o que poderia facilitar a superação de questões consideradas como entraves para a participação nos cursos, como o deslocamento até o local dos encontros e a falta de disponibilidade para se adaptar a horários previamente definidos. Na verdade, essa questão é uma tendência da formação inicial e continuada em serviço (vide iniciativas federais nesse sentido através da expansão da UAB no país), mas merece algumas considerações: pensar que o ensino à distância resolveria todos os problemas de organização de tempo e espaço pode ser uma cilada para muitos cursistas. Essa modalidade exige do aluno uma disciplina e organização pessoais, autonomia, além de equipamentos e ferramentas adequados para acesso aos materiais e ambientes de debates online (fóruns), características nem sempre observadas na história da educação à distância. Sobre isso, BRUNO (2012) aponta a necessidade da criação de rotinas para o acesso aos ambientes de aprendizagem e aos materiais (semanal, quinzenal...), assim como para entrega de atividades e participação em fóruns.
Mostrar mais

98 Ler mais

A ADESÃO DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE BELO HORIZONTE AO PROJETO DE CORREÇÃO DE FLUXO – ENTRELAÇANDO

A ADESÃO DAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE BELO HORIZONTE AO PROJETO DE CORREÇÃO DE FLUXO – ENTRELAÇANDO

Nos capítulos anteriores foi apresentada a descrição do caso referente ao problema de pouca adesão das escolas públicas municipais ao Projeto de Correção de Fluxo – Entrelaçando, bem como a análise e interpretação desse problema por meio da coleta de dados durante a pesquisa de campo. Retomando a síntese dos principais problemas verificados no percurso de investigação e explicitados no Capítulo 2, ressalto que eles são, conforme tratado anteriormente, a parte que emerge. Destaco a falta de conhecimento dos profissionais sobre o projeto, a resistência do corpo docente por não se sentir em condições de lidar com problemas tão complexos, o despreparo da escola como instituição para o enfrentamento das dificuldades de ensino mediante as diversidades e o desafio enfrentado pelos diretores em encontrar o professor com perfil adequado para a atuação nas turmas. As questões que aparecem são sintomas que denunciam os problemas do projeto e de nada adiantaria tratar o sintoma e não recorrer às causas. Assim, questões na base, mais sutis, relativas aos sujeitos, com todas as complexidades inter e extraescolares que envolvem o fracasso escolar, e às condições de trabalho oferecidas aos profissionais precisam ser revistas.
Mostrar mais

165 Ler mais

A educação física no ensino fundamental: o lugar ocupado na hierarquia dos saberes escolares

A educação física no ensino fundamental: o lugar ocupado na hierarquia dos saberes escolares

This research focuses on the teaching process of Physical Education in the secondary level (from 5th to 8th grade) in the Brazilian context as well as on the place occupied by this discipline in terms of the hierarchical framework of school subjects of the school curriculum. The general objective was to investigate how the day-to-day routine of the school produces and reproduces the devaluation of this discipline and to study the logical reasons underlying this process. The research was based on the principles of the Sociology of the Curriculum, a current approach in the field of the Sociology of Education, whose main goal is to study teaching contents and their ways of conveyance to the students. Furthermore, it made an extensive use of Michael Young’s investigation concerning the hierarchy of school knowledge. Having this theoretical framework as basis, the pedagogical practice of three municipal public schools in Belo Horizonte was investigated by use of a qualitative methodology based on a direct observation of the teaching practice of the teachers in all the activities in which they were engaged with their students. In addition to that, interviews with the observed teachers and with school coordinators were carried out. The collected data was analyzed in relation to the theoretical framework of the Sociology of the Curriculum and in terms of the latest theories about Physical Education in the Brazilian school system with the objective of raising questions, of demonstrating and explaining the devalued position occupied by Physical Education in relation to the set of disciplines that make up the school curriculum. We could see that within the reasoning that underlies the present school, Physical Education is a discipline devalued by not only the school but also by the discipline itself in the set of tre disciplines of tre school.
Mostrar mais

176 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO Wiama de Jesus Freitas Lopes

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO Wiama de Jesus Freitas Lopes

para o campo, quando destacados para atuação no campo e na multissérie, por vezes, atravessam desolações ou desfalecências de suas estruturas – inclusive pessoais – em função do isolamento da comunidade em que se encontram trabalhando e que raramente contam tais comunidades com sinal de telefonia móvel. Estas desolações pessoais, não necessariamente de exclusividade de professores citadinos 80 , também são oriundas do enfrentamento diário da pressão advinda da infraestrutura de trabalho, das interveniências relativamente constantes da comunidade nas estratégias e abordagens de ensino do docente (até porque são em alto número as comunidades evangélicas de congregação pentecostais e presbiterianas conservadoras em que estão localizadas as escolas ribeirinhas), pelas distâncias de suas famílias e entes queridos que ficam residindo na sede administrativa do município, pelos índices gerais de rendimentos acadêmicos reais que alcançados com a multissérie, pela total ausência de privacidade, quando não residem nas unidades escolares e, portanto, são abrigados em uma casa de um comunitário (geralmente o líder da localidade) com uma média de 8 pessoas na residência em que são alojados 81 ; pela alta incidência de malária nas comunidades ribeirinhas, pela alimentação contínua preponderantemente constituída de pescado e farinha, feijão e carne de caças silvestres; pelo contato escasso com seus familiares e, em grande parte, pela dinâmica de vida ribeirinha nas comunidades. Comunidades estas distantes da sede do município em até 26 horas de viagem fluvial em embarcações de médio porte. Isto sem contar com o fato de que o salário dos educadores do campo em Breves (PA), na ocasião da pesquisa de campo deste trabalho, era de R$1.244,00 por 40 h semanais 82 .
Mostrar mais

257 Ler mais

Tensões, contradições e avanços: a educação de jovens e adultos em uma escola municipal de Belo Horizonte.

Tensões, contradições e avanços: a educação de jovens e adultos em uma escola municipal de Belo Horizonte.

Os projetos desenvolvidos, no conceito da escola, constituem-se em uma oportunidade ímpar para a ampliação da concepção de tempo/espaço na Educação de Jovens e Adultos e devem ser entendidos como forma de trabalhos teórico-práticos voltados para o campo de atuação do aluno, no âmbito do trabalho, do lazer, do esporte, da família, da religiosidade, da cultura, da participação em movimentos sociais, sindicais, etc. Esses pro- jetos são desenvolvidos em espaços tanto dentro quanto fora da escola, utilizando recursos como os do cinema para discussão de temas em que os alunos, algumas vezes, se identificam com as histórias e fatos apresenta- dos nesses espaços.
Mostrar mais

16 Ler mais

A IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE: ÊXITOS E DESAFIOS

A IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE: ÊXITOS E DESAFIOS

Na publicação do Ministério da Educação (BRASIL, 2009), Educação Integral – Texto Referência para o Debate Nacional, ao contextualizar a história da educação nacional com a trajetória da educação integral, observamos que, na década de 1960, uma experiência mais ousada envolveu a concepção de educação integral, atrelada a um projeto de desenvolvimento da cidade. O então Presidente da República, Juscelino Kubitschek, solicita a Darcy Ribeiro, Anísio Teixeira e Cyro dos Anjos um ―Plano Humano‖ para a cidade de Brasília, ocasião na qual eles desenvolveram um modelo educacional que se pretendia ser um modelo a ser implantado em todo o Brasil. Sob a influência do pensamento de John Dewey, o modelo educacional proposto tinha como objetivo integrar todo o contexto da sociedade, redefinindo a função da escola, que não seria apenas voltada à instrução, mas, acima de tudo, um espaço que deveria oferecer aos estudantes oportunidades completas de vida.
Mostrar mais

149 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados