Top PDF Álgebra Linear: Lista de exercícios 10

Álgebra Linear: Lista de exercícios 10

Álgebra Linear: Lista de exercícios 10

Exercício 1: Mostre que cada um dos operadores seguinte é linear em R 2.. Descreva geometricamente o efeito da transfor- mação linear[r]

10 Read more

Álgebra Linear: Lista de exercícios 8

Álgebra Linear: Lista de exercícios 8

Em cada um desses casos, encontre uma base para o subespaço e determine sua dimensão... Resolução do Exercício 7:[r]

10 Read more

Álgebra Linear: Lista de exercícios 9

Álgebra Linear: Lista de exercícios 9

Resoluções:.. Resolução do Ex.[r]

7 Read more

Álgebra Linear: Lista de exercícios 7

Álgebra Linear: Lista de exercícios 7

Exercício 9: Para cada um dos itens seguintes, mostre que os vetores dados são linearmente indepen- dentes em C[−1, 1]: Para cada um dos itens seguintes, mostre que os vetores dados são [r]

14 Read more

Álgebra Linear: Lista de exercícios 4

Álgebra Linear: Lista de exercícios 4

Exercício 1: quais das matrizes seguintes são elementares ? Classique cada matriz por tipo. Para cada matriz elementar, verique que sua inversa é elementar do mesmo tipo.. Exercício 3:[r]

13 Read more

Álgebra Linear: Lista de exercícios 6

Álgebra Linear: Lista de exercícios 6

b) A soma de duas matrizes triangulares superiores sendo uma matriz triangular superior, e um múl- tiplo escalar de uma matriz triangular superior sendo uma matriz triangular superior, o[r]

15 Read more

Álgebra Linear: Lista de exercícios 11

Álgebra Linear: Lista de exercícios 11

Exercício 1: Para cada transformação linear seguinte, encontre a representação matricial padrão de L.[r]

10 Read more

Álgebra Linear: Lista de exercícios 13

Álgebra Linear: Lista de exercícios 13

Exercício 1: Para cada uma das seguintes matrizes, encontre os autovalores e os autoespaços correspondentes, pois determine se é diagonalizavel.. Isso é uma[r]

13 Read more

2 a Lista de Exercícios MAT 134 Introdução à Álgebra Linear Profa. Iryna Kashuba

2 a Lista de Exercícios MAT 134 Introdução à Álgebra Linear Profa. Iryna Kashuba

1. Mostre que com as regras usuais para somar func˜ oes e multiplicar fun¸c˜ oes por n´ umeros reais. Em cada caso, considere o sistema de equa¸c˜ oes homogˆ eneo que tem a matriz dada c[r]

5 Read more

Álgebra Linear: Lista de exercicios 2

Álgebra Linear: Lista de exercicios 2

Caso o sistema tem mais de uma variavel livre, pode ser mais complicado passar de uma escritura à outra (pois pode ter duas variaveis livres α e β, ou mais).[r]

6 Read more

Lista de exercícios 10 Aplicações Lineares

Lista de exercícios 10 Aplicações Lineares

Exercício 1: Mostre que cada um dos operadores seguinte é linear em R 2.. Descreva geometricamente o efeito da transfor- mação linear[r]

10 Read more

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Curitiba Lista de exercícios Departamento Acadêmico de Matemática Álgebra Linear

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Curitiba Lista de exercícios Departamento Acadêmico de Matemática Álgebra Linear

Se multiplicarmos por 2 cada elemento de uma matriz quadrada de ordem 3, o seu determinante fica multiplicado por:.. Logo, temos que multiplicar o determinante por 81.[r]

24 Read more

Álgebra Linear: Lista de exercícios 3

Álgebra Linear: Lista de exercícios 3

Este resultado não vale se não sopormos que A seja simétrica.[r]

10 Read more

LISTA DE EXERCÍCIOS Coeficiente de Correlação e Regressão Linear Simples Lista β

LISTA DE EXERCÍCIOS Coeficiente de Correlação e Regressão Linear Simples Lista β

1. Uma pesquisa foi realizada com o objetivo de verificar se existe associação entre a falta de sono e a capacidade de as pessoas resolverem problemas simples. Foram testadas 10 pessoas, mantendo-se sem dormir por um determinado número de horas. Após cada um destes períodos, cada pessoa teve de resolver um teste com adições simples, anotando-se então os erros cometidos. Os dados resultantes são os seguintes:

6 Read more

Apontamentos de Álgebra Linear

Apontamentos de Álgebra Linear

Na sec¸c˜ ao anterior, vimos como podemos usar combina¸c˜ oes lineares para gerar espa¸cos vecto- riais a partir de conjuntos com poucos elementos e discutimos a redundˆ ancia que pode existir numa tal representa¸c˜ ao. Nesta sec¸c˜ ao, vamos discutir o conceito de base: um conjunto gerador dum espa¸co vectorial t˜ ao pequeno quanto poss´ıvel. Veremos que esta minimalidade corres- ponde n˜ ao s´ o a exigir que o conjunto seja linearmente independente, como a garantir que cada elemento pode ser escrito duma ´ unica forma como combina¸c˜ ao linear de elementos da base. ´ E esta propriedade que nos vai permitir trabalhar com muitos espa¸cos vectoriais como trabalhamos com R n , abstraindo da sua estrutura concreta.
Show more

255 Read more

Álgebra Linear

Álgebra Linear

Com o SCILAB pode-se computar várias operações no âmbito da Álgebra Linear: operações com matrizes, cálculo de valores e vectores próprios de uma matriz (ou endomorfismo), etc. O seu uso, não dispensa o cálculo mental, isto é, o seu papel é facilitar alguns cálculos, muito laboriosos, e confirmar certas operações realizadas.

142 Read more

Demonstrações em álgebra via álgebra linear

Demonstrações em álgebra via álgebra linear

Observa¸ c˜ ao 1.3.1. Se todas as condi¸ c˜ oes acima s˜ ao satisfeitas com exce¸ c˜ ao da 10 a , ent˜ ao K ´ e chamado de anel comutativo com unidade. A partir de agora, quando nos referirmos a um anel, consideraremos que o anel ´ e sempre um anel comutativo com unidade.

40 Read more

Lista de Exercícios (Prof. Rivaildo 9º Anos) (Álgebra ETAPA II)

Lista de Exercícios (Prof. Rivaildo 9º Anos) (Álgebra ETAPA II)

sala de jogos (veja figura abaixo de uma mesa de sinuca), que ao fazerem uma pesquisa de mercado, custava R$ 360,00. O valor que cada um deverá contribuir, será dividido em partes igua[r]

6 Read more

Álgebra Linear II

Álgebra Linear II

O fato de um operador linear cujo polinˆomio caracter´ıstico ´e completamente fator´avel deixar de ser diagonaliz´avel n˜ao pode ser atribu´ıdo `a falta de autovalores, j´a que todas as ra´ızes do polinˆomio caracter´ıstico est˜ao presentes. O problema est´a na falta de autovetores suficientes para produzir uma base para o espa¸co. Se existe um n´ umero suficiente de autovetores, ent˜ao o operador ´e diagonaliz´avel por defini¸c˜ao e a sua forma de Jordan coincide com a sua forma diagonal. Caso contr´ario, para cada autovetor que faltar a forma de Jordan ter´a um 1 acima da diagonal, acima do autovalor correspondente.
Show more

119 Read more

Álgebra Linear I

Álgebra Linear I

1.17 Defini¸c˜ ao. O n´ umero de elementos de uma base qualquer de um espa¸co vetorial de dimens˜ao finita V ´e chamada a dimens˜ ao do espa¸co e denotada dim V . Se V = {0}, ent˜ao definimos dim V = 0. 1.18 Teorema. Todo espa¸co vetorial n˜ao-nulo gerado por um subconjunto finito possui uma base finita. Prova. Suponha que S seja um subconjunto finito que gera o subespa¸co vetorial n˜ao-nulo V . Se S for linearmente independente, ent˜ao S ´e a base procurada e n˜ao precisamos fazer nada. Caso contr´ario, se S ´e linearmente dependente, podemos retirar um elemento de S e o conjunto resultante ainda gerar´a V (retire um elemento que seja combina¸c˜ao linear dos demais). Se o conjunto restante for linearmente independente, ent˜ao ele ser´a uma base finita para V . Caso contr´ario, repetimos o procedimento, at´e obter um conjunto linearmente independente. ¥
Show more

92 Read more

Show all 10000 documents...