Top PDF Avaliação das superfícies de implantes dentários com tratamento a laser

Avaliação das superfícies de implantes dentários com tratamento a laser

Avaliação das superfícies de implantes dentários com tratamento a laser

economicamente viável para fabricação de implantes dentários. Os implantes utilizados no experimento apresentavam tratamento de superfície extremamente irregular, com profundidade média de 100µm, estreitas fendas intercomunicantes, depressões rasas e profundos poços arredondados, de forma e tamanho variáveis, mostrando uma ampla margem para intertravamento com o osso hospedeiro. Os autores, além de fabricarem implantes com essa técnica, sinterizaram discos de titânio com as mesmas características dos implantes, para avaliar a biocompatibilidade dessa superfície com osteoblastos originados da calvária de ratos. Após um período de cultura de nove dias, as células estavam espalhadas e aderidas às superfícies dos discos de titânio, abrangendo todas as fendas e espaços vazios da superfície tratada. Os autores concluíram ainda que, após o tratamento ácido da superfície sinterizada a Laser, havia o aumento de microrrugosidade, e consequentemente, da adesão celular à superfície.
Mostrar mais

65 Ler mais

Avaliação de implantes dentários da liga experimental Ti-30Ta após tratamento de superfície biomimético e imobilização com bisfosfonato

Avaliação de implantes dentários da liga experimental Ti-30Ta após tratamento de superfície biomimético e imobilização com bisfosfonato

Estudos do ângulo de contato ( θ) foram realizados no Laboratório de Imagens de Materiais- Laboratório de Análise de Superfície (LAIMAt-LAS), da Faculdade de Engenharia de Guaratinguetá (FEG/UNESP) utilizando um goniômetro (marca KRUSS- modelo DSA100). Onde se fez o emprego de uma seringa para liberar volumes iguais (2,0 μl) do líquido (água deionizada) na superfície das amostras. O equipamento possui uma câmera, que captura a imagem da gota sendo depositada sobre a amostra. O perfil dessa gota é determinado por um programa de computador que calcula o ângulo de contato das superfícies. Quando esse ângulo é menor que 90º, diz-se que o material possui uma característica hidrofílica; quando é maior que 90º, esse possui uma característica hidrofóbica. Essa propriedade é denominada molhabilidade do material, e está ligada com a energia de superfície do material.
Mostrar mais

70 Ler mais

QUANTIFICAÇÃO DO PROCESSO DE OSTEOGÊNESE EM IMPLANTES DENTÁRIOS

QUANTIFICAÇÃO DO PROCESSO DE OSTEOGÊNESE EM IMPLANTES DENTÁRIOS

A implantodontia surgiu como uma alternativa para substituir um elemento dental perdido. Os primeiros implantes odontológicos baseavam-se no empirismo e fracassaram devido à falta de estudos clínicos e científicos controlados. Na década de 60, Brånemark e colaboradores, fundamentados em pesquisas clínicas, desenvolveram um novo sistema de implantes baseado em uma ancoragem direta no tecido ósseo, sem a interposição de tecido mole, denominada osseointegração. O processo de osseointegração envolve aspectos biomecânicos e ainda não foi completamente esclarecido. Em vários estudos tem-se verificado que o tratamento da superfície do implante, por exemplo, superfícies tratadas com jateamento e condicionadas com ataque ácido, vem sendo um dos principais fatores que influenciam na osteogênese e, consequentemente, na osseointegração. Tais superfícies apresentariam condições apropriadas para uma aposição óssea de forma mais rápida possibilitando uma aplicação de carga em um menor período de tempo. Assim, a proposta deste trabalho foi avaliar o fenômeno da osteogênese em implantes dentários, considerando diferentes superfícies obtidas por diferentes condições de jateamento e ataque ácido. A avaliação foi feita utilizando ensaios “in vitro” de cultura de células osteoblásticas, sendo definido um índice para medir a intensidade da osteogênese baseado nas medidas da proliferação e viabilidade celular, fosfatase alcalina e nódulos de mineralização. Os ensaios foram conduzidos, de tal forma que, a sensibilidade das variáveis medidas fosse analisada e através de métodos de similitude em engenharia definiu-se uma equação de predição para o fenômeno. A vantagem deste procedimento é a possibilidade de previsão do nível da osteogênese, sem utilizar ensaios “in vitro” e “in vivo” que em geral são demorados e de alto custo, permitindo avaliar um produto, quanto às condições da superfície, antes de ser lançado no mercado, servindo como uma “ferramenta” do controle de qualidade.
Mostrar mais

195 Ler mais

Torque de remoção, caracterização de superfície e histomorfometria de implantes dentários com diferentes superfícies : estudo em cães

Torque de remoção, caracterização de superfície e histomorfometria de implantes dentários com diferentes superfícies : estudo em cães

através de jateamento com partículas de biocerâmica absorvível por vários processamentos industriais resultam na melhora do processo de osseointegração quando comparadas a implantes com tratamento de duplo ataque ácido, tanto em modelos animais 25 quanto em humanos 63 . Apesar do aumento significante de trabalhos científicos, não há uma definição do processo ideal de incorporação, no que tange a forma e a quantidade de Ca e P para as superfícies de implantes osseointegrados 54 , o presente trabalho não foi capaz de definir tal método, pois de acordo com os resultados apresentados os tratamentos adicionais a superfície dos implantes mostraram-se ineficazes para a melhora do desempenho dos implantes frente as ferramentas de análise utilizadas. Apesar do %BIC ser uma das ferramentas de análise mais utilizadas para mensurar o desempenho das novas superficies, esta parece não refletir diferenças das propriedades ósseas, alguns autores relatam diferente níveis de fixacão biomecânica para mesmos valores de %BIC 24, 25 . A fração arial de osso preenchida (BAFO), já utilizada por alguns autores 48, 64 vem acrescentar uma nova forma de avaliação na área dos implantes osseointegrados porém, no presente estudo também não apontou diferenças entre os grupos.
Mostrar mais

43 Ler mais

COMPLICAÇÕES DECORRENTES DA REABILITAÇÃO COM IMPLANTES DENTÁRIOS

COMPLICAÇÕES DECORRENTES DA REABILITAÇÃO COM IMPLANTES DENTÁRIOS

A terapia fotodinâmica é uma técnica que usa uma substância fotossensibilizante que se fica às bactérias do biofilme e quando irradiada com laser, átomos citotóxicos de oxigénio são produzidos, destruindo as células bacte- rianas. O uso da terapia fotodinâmica e dos laser tem gerado grande interesse devido ao seu potencial de des- contaminação da superfı́cie implantar no tratamento da doença peri-implantar. De acordo com uma revisão re- centre de estudos in vitro, cujo objetivo era analisar os efeitos do laser nas superfı́cies de titânio, foi demonstrado que é possı́vel realizar fotossensibilização letal bacteriana, sem causar danos na superfı́cie implantar. A terapia foto- dinâmica parece ser mais eficiente na eliminação das bactérias da superfı́cie do implante do que apenas a ra- diação de laser. (SOARES, 2014)
Mostrar mais

6 Ler mais

Avaliação do comportamento das células osteoblásticas na presença de diferentes superfícies de implantes

Avaliação do comportamento das células osteoblásticas na presença de diferentes superfícies de implantes

Durante algum tempo foram utilizados implantes com rugosidades extremas. Por um lado, os maquinados, com rugosidades muito baixas e, por outro, os revestidos por spray de plasma de titânio ou hidroxiapatite, com rugosidades muito elevadas (34, 38, 77, 108). Recorde-se, a título de curiosidade, que os primeiros implantes utilizados por Brånemark eram maquinados. Ambos comprovadamente osteointegravam (20, 52, 56, 97, 108) e a evolução dos maquinados para os implantes TPS ou revestidos a hidroxipatite, permitiu que, clinicamente, fosse possível utilizar implantes com menores dimensões do que as que eram inicialmente recomendadas, com tempos de cicatrização menores (234). Com o tempo, e com base em diversos estudos, in vitro e in vivo (95, 235, 239, 240), a comunidade científica foi percebendo que as rugosidades associadas aos melhores resultados biológicos e clínicos eram as que apresentavam valores intermédios e que o melhor método para as conseguir era através do tratamento das superfícies com recurso ao jacteamento, com partículas de granulometria média/alta, de modo a criar irregularidades grosseiras, seguido da imersão em ácidos, com protocolos específicos de temperatura, pressão e duração, cujo objectivo seria o de atenuar essas irregularidades, tornando-as mais pequenas, ao mesmo tempo que se eliminavam os contaminantes das superfícies (34). Presentemente, esta tem sido a linha orientadora da generalidade dos fabricantes, diferindo entre eles o protocolo e os produtos envolvidos, apresentando actualmente, a generalidade dos implantes, este tipo de superfícies (41, 71). Naturalmente que, fruto da pressão comercial, cada fabricante vai introduzindo uma ou outra modificação no protocolo e na composição química da superfície, de modo a procurar garantir a liderança comercial (241). Hoje em dia, dá-se particular atenção à incorporação de flúor nas superfícies implantares pois verificou-se ser favorecedora do processo de osteointegração (11, 95, 96, 131, 167).
Mostrar mais

316 Ler mais

Estudo de implantes de Ticp com superfícies modificadas por feixe de laser com e sem deposição química de apatitas: análises topográfica, biomecânica e histométrica em coelhos

Estudo de implantes de Ticp com superfícies modificadas por feixe de laser com e sem deposição química de apatitas: análises topográfica, biomecânica e histométrica em coelhos

O propósito deste estudo foi avaliar as superfícies de implantes de titânio comercialmente puro (Ticp) modificadas por feixe de laser (SL) sem e com deposição de hidroxiapatita (HA) pelo método biomimético, sem (SHAST) e com tratamento térmico (SHACT), comparando-as com implantes de superfície modificada por tratamento ácido (SA) e de superfície usinada (SU), empregando-se análise topográfica e biomecânica. Quarenta e cinco coelhos receberam 75 implantes, sendo 1 implante em cada tíbia. Após 30, 60 e 90 dias, os implantes foram removidos por torque reverso e as superfícies foram analisadas topograficamente. Aos 30 dias foi observada diferença significante (p<0,05) entre todas as superfícies e a SU, entre SHAST/SHACT e SA e entre SHAST e SL. Aos 60 dias, o torque reverso de SL, SHAST, SHACT e SA diferiu significativamente da SU e aos 90 dias a diferença foi observada entre SHAST e SU. A análise topográfica revelou diferença estatística (p<0,05) entre a rugosidade da SL, SHAST e SHACT quando comparadas com SA e SU. Conclui-se que os implantes SL, SHAST e SHACT favoreceram a interação entre tecido ósseo e implante nos períodos de 30 e 60 dias. Além disso, SHAST apresentou maior atividade biológica, reduzindo o tempo de osseointegração.
Mostrar mais

150 Ler mais

Avaliação radiográfica dos efeitos da carga oclusal excessiva sobre implantes dentários...

Avaliação radiográfica dos efeitos da carga oclusal excessiva sobre implantes dentários...

Histologicamente, superfícies SLActive, quando comparadas a SLA convencionais, mostraram maior atividade celular precoce, maior diferenciação de osteoblastos, maior produção de osteocalcina e fatores de crescimento locais, tais como a PGE2 and TGF-b1 (Zhao et al., 2005), bem como maior expressão gênica de osteocalcina, fosfatase alcalina, colágeno tipo I, osteoprotegerina, gliceroaldeido- 3-fosfato desidrogenase, TGF-1b e VEGF (Qu et al., 2007; Rausch-fan et al., 2009). Além disso, a resposta dos osteoblastos parece ser muito maior do que a somatória dos efeitos proporcionados pela energia de superfície e da topografia, se analisados de forma independente, provavelmente por um efeito sinérgico entre ambos (Zhao et al., 2005). Estudos pré-clínicos mostraram maior aposição óssea nos estágios iniciais de cicatrização (até 60% maior formação óssea) (Buser et al., 2004; Schwarz et al., 2007a; Bornstein et al., 2008), maior atividade celular e proliferação de estruturas vasculares (Schwarz et al., 2007a), formação precoce e maior de osso maduro (Buser et al., 2004; Bornstein et al. 2008), maior inserção de tecido conjuntivo subepitelial formado por fibras colágenas organizadas e numerosos vasos sanguíneos (Scwarz et al., 2007b), e maiores valores de torque de remoção nas primeiras oito semanas (Fergunson et al., 2006) para as superfícies SLActive, na comparação com a versão convencional.
Mostrar mais

83 Ler mais

Planejamento radiográfico e tomográfico para instalação de implantes dentários

Planejamento radiográfico e tomográfico para instalação de implantes dentários

Corriqueiramente as radiografias panorâmicas são usadas na avaliação pré-implantar e na síntese de protoco- los de tratamento. A tomada panorâ- mica pode ser empregada para avaliar a altura do osso alveolar residual no sítio que receberá o implante, deter- minar a localização do assoalho nasal e do piso maxilar, auxiliar no diagnóstico de lesões nos maxilares e na visualiza- ção do intervalo entre as raízes dentá- rias. O exame panorâmico é um méto- do eficaz, simples de se fazer e barato. Fornece informações verticais de ex- tremo valor ao planejamento na insta- lação de implantes. A desvantagem desta técnica está no fato de não for-
Mostrar mais

6 Ler mais

UMA METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DO PARAFUSO PILAR EM IMPLANTES DENTÁRIOS USANDO FOTOELASTICIDADE AUTOMATIZADA

UMA METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DO PARAFUSO PILAR EM IMPLANTES DENTÁRIOS USANDO FOTOELASTICIDADE AUTOMATIZADA

Neste capítulo são apresentados os aspectos teóricos para a determinação das ordens de franja, bem como os procedimentos de utilização do programa computacional desenvolvido para a determinação automatizada dos parâmetros fotoelásticos. O programa computacional, denominado de “FRINGES”, foi implementado em ambiente Matlab ® , e utiliza recursos para tratamento das imagens e interface amigável. A versão utilizada para o desenvolvimento do programa computacional foi a MatLab ® 7.0. Neste capítulo é apresentada uma nova metodologia, complementando a indicada por Yoneyama & Takashi (1998). Neste caso, foi introduzido um procedimento que permite corrigir imperfeições experimentais e ajustar as intensidades de luz de forma a obter-se a convergência das raízes da equação da direção das tensões principais. Essa nova metodologia consiste em se realizar uma etapa de calibração das direções das tensões principais, pelo uso de pontos em um modelo (Disco fotoelástico sob compressão diametral) onde as direções das tensões principais são conhecidas. Além do disco fotoelástico, foi utilizada uma barra de material fotoelástico para a calibração das ordens de franja, feito conforme descrito por Yoneyama & Takashi (1998), cujo método utiliza luz polarizada elíptica e ajustes definidos no polariscópio.
Mostrar mais

102 Ler mais

Implantologia Estética na Região Anterior

Implantologia Estética na Região Anterior

Os princípios estéticos nos tratamentos restauradores com implantes e o papel dos procedimentos cirúrgicos para melhorá-los têm vindo a ganhar um interesse crescente ao longo dos últimos 10 anos (Buser et al., 2004). Os profissionais não se podem apenas basear na robustez da osteointegração do implante para o considerarem um caso de sucesso clínico. Para que possam ir de encontro às exigências do paciente, estes têm que fazer um correto planeamento do caso, com base no conhecimento que possuem da variedade de técnicas e orientações que existem para a colocação de um implante no setor anterior (Ioannou, 2015). Os principais objetivos a alcançar quando se realiza uma reabilitação com implantes dentários em zonas estéticas são: a funcionalidade do implante e a satisfação do paciente em relação ao resultado final do tratamento (Zucchelli et al., 2013). No setor anterior, quando o resultado alcançado não satisfaz os critérios de sucesso definidos pelo clínico e pelo paciente, as consequências são muito mais visíveis e complicadas do que aquelas que surgem no setor posterior e, muitas vezes, a única opção é mesmo a remoção e colocação de um novo implante (Buser et al., 2004). Para que tal não ocorra, é de extrema importância que se faça uma correta avaliação do risco do paciente e das condições do espaço edêntulo previamente à realização da cirurgia (Lang et al., 2015).
Mostrar mais

37 Ler mais

Morforlogia, Molhabilidade e Osseointegração de Superfícies de Implantes Dentários: Uma Revisão Sistemática

Morforlogia, Molhabilidade e Osseointegração de Superfícies de Implantes Dentários: Uma Revisão Sistemática

Herrero-Climent, et al., 2013, utilizaram cilindros de titânio puro grau 3 (cpTi, ASTMB348), no formato de implante com 3,8 mm de diâmetro, 12 mm de comprimento, 1 mm de passo de rosca e 1,5 mm de comprimento do colar. Esses implantes receberam 4 diferentes tipos de tratamento, sendo divididos em 4 grupos com 20 implantes cada: grupo usinado; Grupo sob condicionamento em ácido M fluorídrico 0,35% por 15s em temperatura ambiente; Grupo tratado por jateamento, com partícula de alumina (600 µm), com 0,25 MPa de pressão, até encontrar a saturação da rugosidade; e Grupo tratado por jateamento seguido por condicionamento ácido. Após o tratamento da superfície, todos os implantes foram lavados em banho de ultra-som, com detergente e água destilada por 10 min, secagem com gás de nitrogênio, e esterilização em óxido de etileno a 37° C e 760 milibar por 5 h. Os resultados indicaram que a rugosidade e a topografia são os aspectos mais relevantes na superfície dos implantes, com relação a resposta biológica. A superfície com maiores valores de rugosidade gerou uma maior aderência das células osteogénicas, porém não exisitiu diferenças estatisticamente significantes entre as superfícies jateadas e modificadas pelo processo SLA tendo em consideração os testes de cultura celular após testes de implantação in vivo.
Mostrar mais

39 Ler mais

REPOSITORIO INSTITUCIONAL DA UFOP: Biocompatibilidade de superfícies de implantes dentários tratadas com ácido fosfórico.

REPOSITORIO INSTITUCIONAL DA UFOP: Biocompatibilidade de superfícies de implantes dentários tratadas com ácido fosfórico.

As modificações nas superfícies de implantes dentários podem, quando intraósseo, acelerar a adesão, migração e proliferação celular, e desta maneira acelerar o processo de osseointegração e quando estas são feitas na superfície supra óssea favorecem a fixação das próteses implanto suportadas. Os tratamentos superficiais são realizados com o objetivo de aumentar as ligações químicas e mecânicas entre o implante e osso e quando supra óssea aumentar o embricamento mecânico com o cimentante. Uma superfície com aumento de sua rugosidade é a almejada para que ocorra a deposição de matriz e crescimento do tecido ósseo, outro desejo é aumentando as rugosidades na superfície supraóssea, facilitando a fixação das próteses sobre implantes. O objetivo deste trabalho foi caracterizar superfícies de implantes dentários tratadas com ácido fosfórico á 37%, bem como avaliar seus efeitos sobre células sanguíneas e correlacionar com os níveis de citocinas. Foram avaliadas superfícies de implantes divididas em grupos com 50 amostras sendo distribuídos em: amostras de porcelana, sem tratamento; amostras de metal sem tratamento; amostras de porcelana com tratamento com ácido fosfórico á 37% por 30 segundos; amostras de metal com tratamento ácido fosfórico á 37% por 30 segundos; amostras de porcelana com tratamento com ácido fosfórico á 37% por 60 segundos; amostras de metal com tratamento com ácido fosfórico á 37% por 60 segundos . As amostras foram caracterizadas por Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) e por reometria. Os ensaios biológicos foram realizados com células mononucleares sanguíneas de doadores humanos. As amostras foram incubadas por 24 horas na presença ou ausência de enxague das superfícies. A viabilidade celular foi determinada por métodos colorimétricos e a quantificação de citocinas no sobrenadante
Mostrar mais

122 Ler mais

TRATAMENTO DE SUPERFÍCIE DE IMPLANTES DENTÁRIOS

TRATAMENTO DE SUPERFÍCIE DE IMPLANTES DENTÁRIOS

(2003) onde analisaram a resposta do tecido ósseo frente a 3 diferentes superfícies de implante, um total de 24 implantes de superfície usinada, 24 implantes de superfície tratad[r]

27 Ler mais

Microestruturação de superfícies poliméricas a laser: fabricação de superfícies ...

Microestruturação de superfícies poliméricas a laser: fabricação de superfícies ...

In this work, we investigate the use of laser microstructuring techniques to obtain superhydrophobic surfaces in polymeric materials. Initially, we employed the large- scale mass transport mechanism, obtained when azoaromatic polymers are exposed to an interference pattern, to structure the film surface. With this method, we produce an egg-crate-like surface morphology, with periods from 1.0 to 3.5 μm that present distinct wetting properties. This method allowed obtaining samples with different hydrophobic characteristics; a contact angle with water of 117° was observed for the structure with period of 2 μm, which corresponds to an increase of 9° with respect to the unstructured surface. Aiming at surfaces with higher hydrophobicities, we developed an ultrashort pulse micromachining technique to produce grooves, by ablation, on the polymer surface. In this case, square-shape pillar morphologies, with distinct periods, were fabricated. With this microstructuring method, and using 100 ps at 532 nm pulses, we observed contact angles with water above 150°, ie superhydrophobicity was achieved. When femtosecond pulses were used, although grooves with high lateral resolution are obtained, they are too shallow to produce a significant increase in hydrophobicity. Overall, our results indicate the use of laser microstructuring for the fabrication of surfaces with controllable hydrophobicity, which can be exploited for technological applications.
Mostrar mais

113 Ler mais

MOLDAGEM EM PRÓTESE SOBRE IMPLANTE: REVISÃO DE LITERATURA

MOLDAGEM EM PRÓTESE SOBRE IMPLANTE: REVISÃO DE LITERATURA

Com o surgimento da implantodontia e próteses implanto suportada tivemos uma ampliação das opções de tratamento reabilitador na odontologia, e para proporcionar um resultado ideal de cada caso, vem aumentando a necessidade de uma transferência real tanto do tecido mole como a própria posição tridimensional dos implantes. O presente trabalho objetiva revisar a literatura a respeito dos materiais e técnicas de moldagem em prótese sobre implante. O estudo e o conhecimento sobre os materiais e técnicas de moldagem em prótese sobre implante é fundamental para o sucesso do tratamento clínico. O cirurgião dentista deve estar preparado para realizar uma moldagem precisa copiando tanto tecido mole quanto o componente protético.
Mostrar mais

6 Ler mais

Efeitos do ranelato de estrôncio sobre o tempo de osseointegração de implantes dentários de titânio instalados em tíbia e em fêmur de coelhos”

Efeitos do ranelato de estrôncio sobre o tempo de osseointegração de implantes dentários de titânio instalados em tíbia e em fêmur de coelhos”

A integração dos implantes dentários no osso tem sido amplamente relatada nas últimas décadas desde os trabalhos originais de Branemark e co-autores. O uso de implantes dentários de titânio no tratamento de pacientes edêntulos ou parcialmente edêntulos tem se tornado uma alternativa para restauração funcional e estética, entretanto esses resultados dependem da quantidade e da qualidade do osso maxilar ou mandibular. Osteoporose é uma doença que influencia a qualidade do tecido ósseo, tornando-o susceptível à fratura. Relação importante tem sido descrita entre massa óssea oral e esquelética em mulheres pós-menopausa. A osteoporose tem sido considerada um fator de risco para a osseointegração de implantes dentários, embora o assunto ainda seja bastante controverso. O ranelato de estrôncio é uma nova terapia para o tratamento e prevenção da osteoporose, que dissocia a formação óssea da reabsorção óssea permitindo continuada produção de osso enquanto diminui a sua reabsorção. O objetivo do presente trabalho foi determinar, em coelhos, o efeito da terapia sistêmica com ranelato de estrôncio sobre o tempo de osseointegração de implantes dentários baseado nos valores do torque para a sua remoção. Sessenta e quatro implantes dentários de titânio idênticos foram, então, instalados, seguindo protocolo cirúrgico padronizado, na distal do fêmur e proximal da tíbia, bilateralmente, de 16 coelhos brancos da raça Nova Zelândia (64 implantes no total). Uma semana antes da instalação dos implantes, foi iniciada a administração de doses de ranelato de estrôncio (625mg/kg/dia) a 8 coelhos prorrogada até o sacrifício desses animais. Os outros 8 coelhos pertenciam ao grupo controle, sem medicação. Um coelho de cada grupo foi sacrificado com 15, 30, 45, 60, 75, 90, 105 e 120 dias e os valores do torque para a remoção dos implantes foi determinado por um torquímetro digital. A análise dos dados desses torques mostrou que não houve nenhuma diferença estatística entre o grupo experimental e o grupo controle. Com base nos achados do presente trabalho, concluiu- se que o tempo de 15 até 120 dias de uso de ranelato de estrôncio não interferiu no tempo de osseointegração.
Mostrar mais

68 Ler mais

Avaliação in vitro das microdeformações em implantes curtos, com conexão protética cone morse e diferentes desenhos de roscas, convencionais e platôs

Avaliação in vitro das microdeformações em implantes curtos, com conexão protética cone morse e diferentes desenhos de roscas, convencionais e platôs

Avaliando as microdeformações ao redor de dois implantes unidos com uma haste de resina acrílica nos transferentes, Cerqueira et al. em 2012 utilizaram 2 implantes equidistantes entre si 25 mm inseridos em um bloco de poliuretano. Com os transferentes em posição sobre os implantes, foram confeccionadas hastes em resina acrílica de duas marcas comerciais (GC Pattern Resin e Duralay II). As hastes foram confeccionadas a partir de uma matriz de teflon onde a resina acrílica foi inserida por meio da técnica de Nealon. As hastes foram confeccionadas em três métodos. O método 1 a haste foi confeccionada em uma única etapa na inserção da resina acrílica. No método 2 a haste foi seccionada e unida novamente após 17 minutos da polimerização e o método 3 foi semelhante ao método 2, mas a união dos segmentos da haste foi realizada após 24 horas da polimerização. Os extensômetros foram colados no lado direito e esquerdo dos implantes e a obtenção dos dados foi realizada após 5 horas da polimerização da haste confeccionada pelo método 1 e após 5 horas da polimerização da união das hastes no método 2 e 3. O resultado demonstrou que o tipo de resina acrílica utilizada e o método utilizado possuem diferença estatística significante. O método 1 com a resina acrílica Duralay II apresentou uma maiores microdeformações em relação aos outros métodos que a resina acrílica GC Pattern Resin. Os autores concluem que os métodos que possuem a secção da haste geram uma menor tensão na polimerização enquanto a confecção de uma haste em uma única etapa na inserção de resina acrílica gera maior tensão provocando maior microdeformação ao redor dos implantes.
Mostrar mais

90 Ler mais

MANIPULAÇÃO TECIDUAL PRÉVIO A INSTALAÇÃO DE IMPLANTES DENTÁRIOS

MANIPULAÇÃO TECIDUAL PRÉVIO A INSTALAÇÃO DE IMPLANTES DENTÁRIOS

Para Kois (2001) de maneira geral os dentes possuem três formas: quadrada, ovóide e triangular. Na área coronal essa forma influencia no volume e forma do tecido gengival, já na re[r]

57 Ler mais

Desenvolvimento de implantes dentários por técnicas de metalurgia do pó

Desenvolvimento de implantes dentários por técnicas de metalurgia do pó

O interesse crescente no desenvolvimento de biomateriais com superfície porosa para aplicações dentárias decorre do suporte propici o ao crescimento do tecido ósseo, aumentando a adesão entre o tecido e material, favorecendo a osteointegração. O tit ânio pode ser considerado um ótimo material para implantes dentários, pela sua excelente biocompatibilidade, elevada resistência à corrosão e combinação de alta resistência com baixa densidade. Contudo, a alta reatividade do metal no estado líquido acaba dificultando a fabricação de implantes por fundição, sendo a metalurgia do pó composta por técnicas que permitem a obtenção de peças em temperaturas menores de processamento (estado sólido) e com módulo elástico próximo ao do tecido ósseo. O objetivo deste trabalho foi avaliar amostras porosas obtidas pela Metalurgia do Pó (MP) convencional. Inicialmente o pó de titânio comercialmente puro (Ti-cp) obtido pelo processo de hidretação-dehidretação (HDH), foi compactado em matriz uniaxial e sinterizado a vácuo em duas temperaturas,1100 e 1150°C/1h. As amostras sinterizadas foram caracterizadas quanto à densidade, porosidade, microestrutura ( microscopia óptica - MO e microscopia eletrônica de varredura - MEV), fases cristalinas (difração de raios - X - DRX), propriedades mecânicas (microdureza e ensaio de flexão em três pontos), comportamento eletroquímico (potencial de circuito aberto, espectroscopia de impedância eletroquímica e polarização anódica) e o ensaio de imersão foram empregados nas amostras obtidas por (MP) e no titânio fundido. Os resultados indicaram morfologia angular, distribuição granulométrica com média de 45 µm, além de densidade aparente e escoabilidade baixas. Foram obtidas amostras com porosidade de aproximadamente 33% e poros interligados dentro de uma faixa de tamanho de 110 – 140 µm. As análises por MEV e DRX das amostras sinterizadas indicaram a presença de fase α e poros. As amostras sinterizadas a 1150°C revelaram melhor comportamento mecânico em relação as amsotras sinterizadas a 1100°C. As análises eletroquímicas indicaram a elevada resistência a corrosão do titânio fundido, seguida pela amostra sinterizada 1100°C e finalmente das sinterizadas a 1150°C, quando imersas em solução da saliva artificial. O EDS foi executado para verificar a deposição de elementos na superfície. Testes de citotoxicidade demonstraram que o pó e as amostras sinterizadas não apresenta ram qualquer efeito tóxico em culturas celulares. As amostras sinterizadas à 1100°C possu iam grau de porosidade e tamanho de poros que favorec eram o crescimento do tecido ósseo, além do módulo de elasticidade próximo ao tecido ósseo e foram mais resistentes a corrosão na solução simuladora.
Mostrar mais

117 Ler mais

Show all 10000 documents...