Top PDF Caracterização de sintomas de carências nutricionais em mudas de pupunheira cultivadas em solução nutritiva.

Caracterização de sintomas de carências nutricionais em mudas de pupunheira cultivadas em solução nutritiva.

Caracterização de sintomas de carências nutricionais em mudas de pupunheira cultivadas em solução nutritiva.

Os sintomas de deficiência de enxofre nas mudas de pupunheira manifestaram-se primeiro com clorose nas folhas mais novas, seguido de enrolamento das margens de todas as folhas (Fig.[r]

12 Ler mais

Sintomas de deficiências nutricionais e matéria seca em plantas de nim, cultivadas em solução nutritiva.

Sintomas de deficiências nutricionais e matéria seca em plantas de nim, cultivadas em solução nutritiva.

Os primeiros sintomas de defi ciência de Mg foram verificados aos 45 dias, após o início dos tratamentos, em que observou-se clorose internerval em direção à borda, nas folhas mais velhas (Figura 5b). Essa sintomatologia, com o decorrer do tempo, foi observada nas folhas intermediárias, sendo que as mais velhas tornaram-se amareladas. A clorose das folhas está associada à menor produção de clorofi la. Sintomas semelhantes foram detectados por Gonçalves et al. (2006) em mudas de pupunheira, no tratamento com omissão de Mg.

6 Ler mais

Deficiências nutricionais de macronutrientes e sódio em mudas de pupunheira.

Deficiências nutricionais de macronutrientes e sódio em mudas de pupunheira.

RESUMO - O cultivo da pupunheira (Bactris gasipaes Kunth) tem aumentado em função da crescente demanda por seus produtos, entretanto são reduzidos os estudos, bem como o conhecimento sobre as exigências de nutrientes da espécie. O objetivo foi avaliar os sintomas de deiciência nutricional, a produção de matéria seca, o teor e o acúmulo de nutrientes em mudas de pupunheira, em razão da omissão de macronutrientes e Na. O experimento foi realizado em casa de vegetação utilizando mudas em vasos distribuídos em delineamento de blocos casualizados. Os tratamentos foram: solução nutritiva completa; omissão de N, P, K, Ca, Mg, S e Na. As omissões promoveram alterações morfológicas na parte aérea e nas raízes caracterizadas por sintomas visuais facilmente interpretáveis. Os elementos N, P e K foram os mais limitantes, já S e Na os menos limitantes à produção de matéria seca das folhas, caule, raízes, parte aérea e total da planta. A relação da matéria seca da parte aérea/raiz foi K>Mg>Ca =P e P=completo=S=Na>N, e o crescimento relativo foi decrescente no sentido Completo>Na>S>Ca>Mg>K>P>N. Os teores e acúmulos de nutrientes seguiram a ordem predominante N>K>Ca>P>Mg>S>Na. As omissões causaram sintomas típicos aos observados em outras espécies. A matéria seca e o crescimento relativo foram mais limitados pelo N, P e K, sendo que o K, Mg, Ca e P restringiram mais as raízes, enquanto os outros nutrientes limitaram mais a parte aérea. A ausência de Na reduziu o crescimento relativo em 10,6%, o que demonstra a importância do elemento para a pupunheira. Os nutrientes em maiores quantidades na espécie foram o N, K e Ca.
Mostrar mais

12 Ler mais

Óssea Antes - Depois Riscos x Benefícios

Óssea Antes - Depois Riscos x Benefícios

características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente. • Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informati[r]

90 Ler mais

Sintomas visuais de deficiências nutricionais em pinhão-manso.

Sintomas visuais de deficiências nutricionais em pinhão-manso.

Os sintomas de deiciência de Mg se caracterizaram  por drástica redução no crescimento da planta (Tabela 1), acompanhada pelo aparecimento de manchas cloróticas entre as nervuras, que tiveram início aos 50 dias após a aplicação do tratamento e evoluíram rapidamente para necrose. Além disso, as folhas apresentaram encarquilhamento e enrolamento das folhas velhas, que voltaram-se para cima (Figura 1). Sintomas semelhantes foram observados em outras espécies (Salvador et al., 1994; Camargos et al., 2002; Sarcinelli et al., 2004; Barroso et al., 2005; Lavres Júnior et al., 2005; Gonçalves et al., 2006). Inicialmente, a nervura principal das folhas mais  velhas  icaram  levemente  amarelas.  Com  o  agravamento  da  deiciência,  a  clorose  se  expandiu  entre as nervuras das folhas. Antes da abscisão, as folhas passaram da coloração amarela à arroxeada, com posterior necrose nas bordas da folhas.
Mostrar mais

6 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd - CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

Após dar a solução dos contratos com as instituições da Rede Mineira de Formadores, é necessário retomar o Programa Oferta Livre de Cursos, utilizando, em larga escala, os recursos da educação a distância. Dadas as dimensões do estado e a grande escala do público a ser atendido, certamente a educação a distância é uma alternativa que não pode ser negligenciada. Acreditamos que deva se pensar na possibilidade da diversificação do modelo de cursos ofertados. Na proposta original da Escola de Formação, os cursos a distância teriam uma carga horária relativame nte pequena, 30 horas, sendo a “porta de entrada” da Magistra. O educador, uma vez cadastrado no site, poderá realizar vários cursos, construindo seu próprio percurso formativo. No entanto, visto a diversidade do público a ser atendido e a multiplicidade da demanda em formação continuada, além dos cursos curtos de 30 horas, poderiam ser ofertados cursos de maior fôlego como alternativa de formação para os educadores.
Mostrar mais

144 Ler mais

PARA UMA POLÍTICA DE AVALIAÇÃO EM LARGA ESCALA NA REDE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA DE MATO GROSSO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

PARA UMA POLÍTICA DE AVALIAÇÃO EM LARGA ESCALA NA REDE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA DE MATO GROSSO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Os professores precisarão acompanhar passo a passo cada etapa, bem como incentivar e conscientizar seus alunos da importância desse processo para o avanço em sua vida acad[r]

88 Ler mais

PROJETO PROFESSOR DA FAMÍLIA: O ESTUDO DE SUA IMPLEMENTAÇÃO EM UMA ESCOLA DE SERRANOPOLIS DE MINAS (MG)

PROJETO PROFESSOR DA FAMÍLIA: O ESTUDO DE SUA IMPLEMENTAÇÃO EM UMA ESCOLA DE SERRANOPOLIS DE MINAS (MG)

A inclusão da Escola Estadual Ananias Alves na lista das escolas contempladas com a implementação do Profamilia despertou o interesse em pesquisar as ações desenv[r]

125 Ler mais

Nutrição de mudas de açaizeiro sob relações cálcio:potássio:sódio em solução nutritiva.

Nutrição de mudas de açaizeiro sob relações cálcio:potássio:sódio em solução nutritiva.

Verificou-se que na solução em que o potássio não foi fornecido, as plantas apresentaram o menor acúmulo desse nutriente, enquanto maiores valores ocorreram nas plantas cultivadas nas soluções contendo cálcio:potássio:sódio nas relações 4:2:1, 3:3:1, 1:5:1 e 4:2:0, sem diferença significativa dentro desse grupo de tratamentos. O menor acúmulo é explicado pela ausên- cia do potássio naquela solução, cuja relação cál- cio:potássio:sódio foi 6:0:1, haja vista que nos tratamen- tos com baixa relação diante da concentração de cálcio (5:1 e 4:1) também resultaram menores acúmulos totais. Os resultados obtidos neste trabalho são semelhantes aos registrados em mudas de pupunheira submetidas a diferentes relações cálcio, potássio e sódio, nos quais menores valores de potássio absorvido foram registra- dos nas plantas cultivadas na solução cujas relações en- tre cálcio:potássio:sódio foram 6:0:1, 5:1:1 e 4:1:2, res-
Mostrar mais

7 Ler mais

Organização de Serviços de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho em Serviços de de Saúde – Normas de Orientação Clínica

Organização de Serviços de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho em Serviços de de Saúde – Normas de Orientação Clínica

O circuito geral decorre do DL 503/99 de 20 de Novembro e da Lei 100 de 97 e engloba a participação, registo e notificação dos AT/S. Todas as ocorrências devem ser participadas num prazo de 2 dias úteis. O circuito de participação será diferente no caso de existir ou não serviço de urgência. Caso este exista, o profissional deverá dirigir-se ao serviço de Urgência e efectuar a sua admissão referindo o motivo – AT/S. Seguidamente dirige-se ao Serviço de recursos Humanos para proceder à notificação, no período de dois dias úteis. O profissional deverá dirigir-se sempre ao SSO para caracterização e análise do AT/S e acompanhamento.
Mostrar mais

39 Ler mais

Crianças e Jovens em Risco – Projecto de Intervenção nos Serviços de Saúde – Normas de Orientação Clínica

Crianças e Jovens em Risco – Projecto de Intervenção nos Serviços de Saúde – Normas de Orientação Clínica

Aliás, enquanto referência técnica dos CS nas situações clínicas que exigem cuidados específicos mais diferenciados, os Hospitais funcionam como um “segundo filtro” na detecção de alguns casos e como instância de apoio no acompanhamento e/ou referenciação de outros; por outro lado, através, nomeadamente, dos serviços de urgência, os hospitais tomam contacto, em primeira instância, com situações de maus tratos. São frequentes os pedidos de ajuda expressos, assim como são numerosos os atendimentos em que, quer pelos sinais de alerta identificados, quer pela exuberância ou características peculiares de sintomas e sinais apresentados, os profissionais de saúde detectam a presença do fenómeno.
Mostrar mais

20 Ler mais

PRODUÇÃO E COMPOSIÇÃO BROMATOLÓGICA DE MILHO E SORGO CULTIVADOS HIDROPONICAMENTE SEM SUBSTRATO

PRODUÇÃO E COMPOSIÇÃO BROMATOLÓGICA DE MILHO E SORGO CULTIVADOS HIDROPONICAMENTE SEM SUBSTRATO

Resumo: A produção de forragem hidropônica é uma prática zootécnica de grande importância devido à alta produtividade e excelente qualidade nutricional. O experimento foi realizado na Universidade Federal Rural de Pernambuco e teve como objetivo avaliar a produção e a composição bromatológica da forragem hidropônica de milho e sorgo em função de cinco tipos de solução nutritiva: Hoagland e Arnon, Ueda, Neves, FAO e De Paula. Também foram avaliadas a fitomassa fresca e seca da parte aérea, das raízes e total (parte aérea + raízes), teores de resíduo mineral (RM), carboidratos totais não estruturais (CTNE), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e fibra em detergente ácido (FDA). O milho apresentou maior produção de fitomassa fresca e seca do que o sorgo. A composição bromatológica do milho e sorgo sofreu influência do tipo de solução nutritiva. O milho apresentou maior teor de RM e PB na parte aérea do que o sorgo, independente da solução nutritiva utilizada. O sorgo apresentou maior teor de CTNE do que o milho na parte aérea e raízes, independente da solução nutritiva. O teor de FDN e FDA, tanto na parte aérea como nas raízes, não diferiu entre as forragens de milho e sorgo, independente da solução nutritiva utilizada.
Mostrar mais

16 Ler mais

MARCELO PINTO COELHO MOURA A AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA ESTADUAL DE ITABIRA- MG

MARCELO PINTO COELHO MOURA A AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA ESTADUAL DE ITABIRA- MG

Para Oliveira (2013), a experiência das universidades a partir da criação do Programa de Avaliação Institucional das Universidades Brasileiras – PAIUB e mais recentemente [r]

156 Ler mais

Adição de níquel na solução nutritiva para o cultivo de mudas de umbuzeiro.

Adição de níquel na solução nutritiva para o cultivo de mudas de umbuzeiro.

Após 20 dias da germinação, as mudas atingiram altura média de 9,5 cm e foram selecionadas quanto à altura e ao vigor, sendo transplantadas para bandejas coletivas de 30 L contendo solução nutritiva Hoagland (Hoagland & Arnon, 1950), com 25, 50 e 100% da força iônica, onde permaneceram 15 dias em cada concentração. Transcorrido o período de aclimatação e nova seleção quanto à altura e ao vigor, as mudas foram transplantadas para vasos com capacidade para 3,5 L, contendo uma planta cada.

6 Ler mais

PROJETO EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL: ANÁLISE DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DO PROGRAMA EM DUAS ESCOLAS DO NORTE DE MINAS GERAIS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

PROJETO EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL: ANÁLISE DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DO PROGRAMA EM DUAS ESCOLAS DO NORTE DE MINAS GERAIS – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Os objetivos do Programa Mais Educação desenham um modelo de educação integral articulada com políticas locais e em parceria com a família, comunidade, com a soc[r]

152 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CAEd- CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA

O projeto consiste, assim, em incumbir um professor da turma do compromisso de responsabilizar-se pelos alunos, sendo um mediador entre eles, os demais professores, os pais e o núcleo gestor, com o intuito de minimizar conflitos e imprevistos comuns à dinâmica escolar. Para tanto, esse docente deve disponibilizar cinco horas semanais para o desenvolvimento do projeto. Uma hora é destinada a lecionar a disciplina de Formação para a Cidadania, prevista nas atividades complementares da Matriz Curricular e as quatro horas restantes são destinadas ao atendimento de pais e alunos assim como a elaboração e o preenchimento do dossiê da turma. Tal dossiê é composto pelos instrumentais: relação dos alunos e registro fotográfico da turma; ficha biográfica; caracterização da turma; ata de eleição do líder e vice-líder da turma e do representante de pais; ata de reuniões dos conselhos de turma; dados coletados dos professores de cada disciplina; frequência escolar; calendário escolar e legislação vigente.
Mostrar mais

110 Ler mais

GESTÃO ESCOLAR EFICAZ: O DIFERENCIAL DE UMA ESCOLA EM CONTEXTO DE VULNERABILIDADE SOCIAL

GESTÃO ESCOLAR EFICAZ: O DIFERENCIAL DE UMA ESCOLA EM CONTEXTO DE VULNERABILIDADE SOCIAL

Esta organização da gestão empreendida na EMBN faz parte da organização cultural que a equipe gestora utiliza no gerenciamento cotidiano da escola em estudo. É importante re[r]

96 Ler mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA AVALIAÇÃO EM PERSPECTIVA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: UMA AVALIAÇÃO EM PERSPECTIVA – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

críticas e sugestões possam ser analisadas pelo “grupão”. No entendimento da pesquisadora, é necessária uma maior discussão para correção e alinhamento das sugestões dos profe[r]

92 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ARQUITETURA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL (PROPUR)

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ARQUITETURA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL (PROPUR)

A ideia de fronteira (BARTH, 1998) surge numa perspectiva mais integradora. Para fazer parte da grande família quilombola, como se identifica a comunidade, não é condição possuir relaçõ[r]

144 Ler mais

Hegemonia em tempos de cólera: a difícil construção de uma ordem mundial — Outubro Revista

Hegemonia em tempos de cólera: a difícil construção de uma ordem mundial — Outubro Revista

Os objetivos da política externa são, assim, cruamente explicitados dando continuidade a um discur- so apresentado pela primeira vez de maneira mais incisiva por George Bush: “Nosso obje[r]

20 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados