Top PDF Novas citações de Chytridiomycota e Oomycota para o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI), SP, Brasil.

Novas citações de Chytridiomycota e Oomycota para o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI), SP, Brasil.

Novas citações de Chytridiomycota e Oomycota para o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI), SP, Brasil.

RESUMO – (Novas citações de Chytridiomycota e Oomycota para o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI), SP, Brasil). Levantamento de fungos zoospóricos realizado em lagos artificiais do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI), situado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, Brasil, resultou no isolamento de 41 táxons, sendo 36 identificados em nível específico. Vinte e três táxons pertencem ao Reino Fungi, filo Chytridiomycota, ordens Chytridiales, Monoblepharidales e Spizellomicetales e, 18 ao Reino Straminipila, filo Oomycota, ordens Saprolegniales e Peronosporales. Dentre os fungos isolados, 14 são mencionados pela primeira vez para o PEFI: Aphanomyces helicoides von Minden, Catenochytridium kevorkianii Sparrow, Catenochytridium sp., Chytriomyces appendiculatus Karling, C. aureus Karling, C. hyalinus Karling, C. spinosus Fay, Diplophlyctis asteroidea Dogma, D. complicata (Willoughby) Dogma, Karlingia dubia Karling, Nowakowskiella hemisphaerospora Shanor, Saprolegnia australis Elliott, Septochytrium variabile Berdan e Truittella sp., os quais são descritos, comentados e ilustrados. O gênero Truitella é mencionado pela primeira vez para o Brasil.
Mostrar mais

12 Ler mais

Diversidade de organismos zoospóricos heterotróficos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: novas citações.

Diversidade de organismos zoospóricos heterotróficos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: novas citações.

RESUMO - (Diversidade de organismos zoospóricos heterotróficos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: novas citações). Visando o levantamento dos organismos zoospóricos heterotróficos pertencentes aos filos Blastocladiomycota, Chytridiomycota e Oomycota do Córrego Pirarungaua, situado no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI), São Paulo, SP, Brasil, foram coletadas amostras de água e folhedo misto, no período de junho/2011 a abril/2012. No laboratório, as amostras foram transferidas para placas-de-petri esterilizadas e tratadas pelo método de iscagem múltipla com substratos celulósicos, queratinosos e quitinosos. Foram identificados 42 táxons, sendo 27 deles ao nível específico. Sete espécies são novas citações para o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga: Cladochytrium setigerum Karling, Diplophlyctis intestina (Schenk) J. Schröt, Myzocytiopsis humana (Karling) M.W. Dick, Nowakowskiella elongata Karling, Nowakowskiella multispora Karling, Plectospira myriandra Drechsler e Pythium graminicola Subramanian, as quais são descritas, comentadas e ilustradas. Myzocytiopsis humana é mencionada pela primeira vez no Brasil.
Mostrar mais

14 Ler mais

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: Fungos, 10: Ganodermataceae.

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: Fungos, 10: Ganodermataceae.

RESUMO - (Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil. Fungos, 10: Ganodermataceae). Foi realizado levantamento das espécies de Ganodermataceae que ocorrem no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI), Município de São Paulo, Estado de São Paulo, Brasil. Foram identificadas doze espécies: Amauroderma aurantiacum (Torrend) Gibertoni & Bernicchia, A. calcigenum (Berk.) Torrend, A. oblongisporum J.S. Furtado, A. pseudoboletus (Speg.) J.S. Furtado, A. rude (Berk.) Torrend, A. schomburgkii (Mont. & Berk.) Torrend, A. sprucei (Pat.) Torrend, Ganoderma australe (Fr.) Pat., G. multiplicatum (Mont.) Pat., G. orbiforme (Fr.) Ryvarden, G. perzonatum Murrill, G. zonatum Murrill. Ganoderma perzonatum e G. zonatum constituem novas citações para o Estado de São Paulo. São apresentados comentários para cada táxon estudado, bem como descrições e figuras de estruturas microscópicas das espécies que constituem novos registros. Chave de identificação das espécies ocorrentes no Parque também é apresentada.
Mostrar mais

9 Ler mais

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil. Algas, 41: Chlorophyceae (Oocystaceae).

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil. Algas, 41: Chlorophyceae (Oocystaceae).

RESUMO - (Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil. Algas, 41: Chlorophyceae (Oocystaceae)). Trata do levantamento taxonômico das Oocystaceae (Chlorophyceae, Chlorococcales) dos ambientes lacustres do PEFI, Parque Estadual das Fontes do Ipiranga. O material examinado proveio de coletas de material perifítico e planctônico em diferentes sistemas aquáticos do PEFI, além da revisão de todo material citado para o Parque e depositado no Herbário Científico do Estado “Maria Eneyda P. Kauffmann Fidalgo” (SP). Foram identificadas 15 espécies distribuídas em sete gêneros (Franceia, Granulocystis, Lagerheimia, Nephrochlamys, Nephrocytium, Oocystis e Rhombocystis). As citações de Lagerheimia longiseta (Lemmermann) Printz, L. citriformis (Snow) Collins e Oocystis marssonii Lemmermann são pioneiras para o PEFI. O Lago das Garças foi o ambiente que apresentou a maior riqueza específica (nove táxons), provavelmente devido ao maior esforço de coleta realizado neste sistema.
Mostrar mais

12 Ler mais

O gênero Crepidotus no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil e descrição de duas novas espécies.

O gênero Crepidotus no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil e descrição de duas novas espécies.

Pegler (1997) comenta que esta espécie ocorre em grande número, porém o material existente no Herbário SP consta de um único exemplar, em condições ruins e muito fragmentado. Também não há quaisquer anotações macroscópicas junto à exsicata, não sendo possível recuperar informações sobre a coloração do píleo e lamelas, presença ou ausência de estipe e de micélio na ligação do basidioma com o substrato. Os basidiósporos são abundantes nos fragmentos de lamela que compõem a exsicata e estão de acordo com os descritos para a variedade, porém as hifas oleíferas observadas não são mencionadas nas descrições disponíveis na literatura, podendo ser uma característica à qual não foi dada atenção anteriormente. Devido à precariedade da exsicata também não foi possível observar a presença e morfologia dos queilocistídios. Singer (1973) fornece descrição completa da variedade que, até o momento, não foi novamente coletada no PEFI.
Mostrar mais

11 Ler mais

Hyphomycetes sobre folhas em decomposição de Caesalpinia echinata Lam.: ocorrências novas para o Brasil.

Hyphomycetes sobre folhas em decomposição de Caesalpinia echinata Lam.: ocorrências novas para o Brasil.

ABSTRACT – (Hyphomycetes on Caesalpinia echinata Lam. leaf litter: new records to Brazil). During a survey of decomposing Hyphomycetes associated with leaf litter of Caesalpinia echinata Lam., cultivated at the Instituto de Botânica, Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, municipality of São Paulo, SP, four new records from Brazil were isolated: Chaetendophragmia fasciata Castañeda, Henicospora minor P.M. Kirk & B. Sutton, Pseudodictyosporium wauense Matsushima and Sporidesmium filiferum Pirozynski. This paper shows taxonomical description, geographical distribution and comments to all of them.
Mostrar mais

5 Ler mais

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil. Pteridophyta: 22. Thelypteridaceae e lista atualizada dos táxons.

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil. Pteridophyta: 22. Thelypteridaceae e lista atualizada dos táxons.

De acordo com a Lista de Espécies da Flora do Brasil (Salino & Almeida 2015), a família é representada no Brasil por 86 espécies. Os trabalhos florísticos para o Estado de São Paulo registram uma espécie para Macrothelypteris e 55 espécies para o gênero Thelypteris (Salino & Semir 2002, 2004a, b). Além disso, há trabalhos recentes envolvendo o grupo para outras regiões, tais como: Ponce (1995) que tratou as espécies do subgênero Amauropelta do Sul do Brasil, Ponce (2007) que apresentou uma Sinopse para a família no Brasil Central e Paraguai e Ponce et al. (2010, 2013) que estudaram o gênero Thelypteris para o Estado do Mato Grosso. Existem trabalhos de cunho regional, como os de Arantes et al. (2007a, b, 2008), que estudaram a família para a Estação Ecológica do Panga, Uberlândia, Minas Gerais. Além dos trabalhos florísticos, novas espécies e combinações foram publicadas recentemente para o Brasil (Ponce 1998, Salino & Melo 2000, Salino 2002, Salino & Dittrich 2008, Matos et al. 2010).
Mostrar mais

18 Ler mais

Diversidade de Blastocladiomycota e Chytridiomycota do Parque Estadual da Ilha do Cardoso, Cananéia, SP, Brasil.

Diversidade de Blastocladiomycota e Chytridiomycota do Parque Estadual da Ilha do Cardoso, Cananéia, SP, Brasil.

ABSTRACT - (Diversity of Blastocladiomycota and Chytridiomycota from Parque Estadual da Ilha do Cardoso, Cananéia, São Paulo State, Brazil). The richness and diversity of Blastocladiomycota and Chytridiomycota were analyzed from 120 samples collected in the Parque Estadual da Ilha do Cardoso (PEIC). From these samples we obtained 256 isolates, 112 from water and 144 from soil, with the identification of thirty-four taxa, all of them are first records for the PEIC. Chytriomyces lucidus Karling is first cited for Brazil and Entophlycis lobata Willoughby & Townley and Phlyctochytrium mucronatum Canter for São Paulo State. The Shannon’s diversity (H’), Simpson’s dominance (D), evenness (E), and Sørensen’s similarity (61,2%) indices showed a diverse mycota with only a few dominant taxa, most of them common to both water and soil samples. Approximately 24% of the identified taxa were purified in culture media and characterized on the basis of morphological and molecular data (18S, ITS, and 28S regions of the rDNA), with the sequences deposited in GenBank.
Mostrar mais

29 Ler mais

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP: Pteridophyta: 21. Tectariaceae.

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP: Pteridophyta: 21. Tectariaceae.

RESUMO - (Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP. Pteridophyta: 21. Tectariaceae). Neste trabalho são apresentados os dados referentes ao levantamento florístico da família Tectariaceae no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI) que está representada na área por três gêneros (Ctenitis, Lastreopsis e Megalastrum) e sete espécies: três de Ctenitis (C. aspidioides (C. Presl) Copel., C. distans (Brack) Ching e C. falciculata (Raddi) Ching), uma de Lastreopsis (L. amplissima (C. Presl) Tindale) e três de Megalastrum (M. albidum R.C. Moran et al., M. connexum (Kaulf.) A.R. Sm. & R.C. Moran e M. crenulans (Fée) A.R. Sm. & R.C. Moran). São apresentadas chaves para identificação dos gêneros e espécies, bem como descrições, distribuição geográfica, comentários e ilustrações para alguns dos táxons estudados.
Mostrar mais

10 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS FUNDAÇÃO PARQUE ZOOLÓGICO DE SÃO PAULO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONSERVAÇÃO DA FAUNA SILVESTRE (PPGCFau)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS FUNDAÇÃO PARQUE ZOOLÓGICO DE SÃO PAULO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONSERVAÇÃO DA FAUNA SILVESTRE (PPGCFau)

Dados sobre a biologia reprodutiva das aves são essenciais para se testar hipóteses referentes à evolução de diferentes aspectos da história de vida destes animais. No entanto, informações básicas sobre o comportamento reprodutivo da maioria das espécies de aves Sul Americanas são inexistentes. Além disso, principalmente para as aves com ampla distribuição geográfica, a história de vida pode variar de acordo com as diferentes condições ambientais. Desta maneira, o estudo do comportamento reprodutivo em diferentes populações de uma mesma espécie, além de permitir a identificação dos padrões de variação, possibilita inferir sobre os mecanismos ecológicos e evolutivos responsáveis pela diversificação e facilita o desenvolvimento de estratégias de conservação. O socó-dorminhoco, Nycticorax nycticorax (Ardeidae) é uma espécie cosmopolita muito comum no Brasil, que se reproduz em grandes colônias. Embora dados sobre a biologia reprodutiva desta espécie sejam disponíveis para a Europa e América do Norte, no Brasil é pouco estudada. Diante disso, o objetivo desta presente proposta, foi descrever o ciclo reprodutivo de N. nycticorax em dois ninhais no Parque Estadual Fontes do Ipiranga, São Paulo, sudeste do Brasil. O período reprodutivo se estendeu de Julho de 2013 a Janeiro de 2014, sendo que a coleta de dado foi de Setembro a Janeiro, com pico de ninhos ativos em Setembro. Os ninhos foram construídos numa média de 3,55 ± 2,58 metros de altura (0,44 – 7 m, n = 16 ninhos) e 2,36 ± 1,62 metros de distância do tronco principal (0,0 – 4,48 m, n = 20 ninhos). Um total de 38 ninhos foram encontrados, mas apenas 29 foram monitorados. O tamanho de ninhada foi de 2,41 ± 0,68 (1 – 3) n = 29 e o período de incubação foi de 23, 26 ± 1,26 dias. Os filhotes começaram a sair do ninho com uma média de 17.4 ± 3.6 dias de vida, o que chamamos de permanência 1, e deixaram o ninho definitivamente com 25.71 ± 7.16 dias, o que chamamos de permanência 2. De 70 ovos, 57,14% eclodiram e 25 filhotes sobreviveram e saíram do ninho. A taxa de sobrevivência de ninho foi de 31%, pelo método de Mayfield. Esses dados foram comparados com outras populações Tropicais e do hemisfério norte, notamos uma forte tendência em gradientes latitudinais, de maiores ninhadas em altas latitudes, porém o sucesso reprodutivo não parece estar associado a latitude, pode estar mais associado com as condições de habitat e de disponibilidade de recursos. Período de incubação parece corroborar com a premissa de ser maior nas regiões tropicais, porém poucos dados de incubação e permanência estão disponíveis para comparações.
Mostrar mais

46 Ler mais

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP: fungos, 9: Meripilaceae.

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP: fungos, 9: Meripilaceae.

A espécie apresenta distribuição pantropical; no Brasil foi citada para os Estados de Alagoas (Gibertoni et al. 2004), Amapá (Sotão et al. 1991, 2003), Paraíba (Gibertoni et al. 2004), Paraná (Rajchenberg & Meijer 1990, Meijer 2006), Pernambuco (Tavares 1939, como Polyporus zonalis Berk., Maia et al. 2002, Gibertoni et al. 2004), Rio Grande do Sul (Rick 1960, como P. zonalis, Silveira & Guerrero 1989), Santa Catarina (Loguercio-Leite & Wright 1991, Gonçalves & Loguercio-Leite 2001) e São Paulo, onde é comum em áreas de Mata Atlântica (Gugliotta & Bononi 1999). Sua ocorrência no Pefi já foi relatada por Jesus (1993). Para a sinonímia consultar Gilbertson & Ryvarden (1987).
Mostrar mais

12 Ler mais

Morfologia de esporos de pteridófitas do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (São Paulo, Brasil)Famílias: 6-Dicksoniaceae, 12-Lophosoriaceae, 14-Ophioglossaceae.

Morfologia de esporos de pteridófitas do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (São Paulo, Brasil)Famílias: 6-Dicksoniaceae, 12-Lophosoriaceae, 14-Ophioglossaceae.

Melhem, T.S., Giulietti, M., Forero, E., Barroso, G.M., Silvestre, M.S.F., Jung, S.L., Makino, H., Fiuza-de- Melo, M.M.R., Chiea, S.C., Wanderley, M.G.L., Kirizawa, M. & Muniz, C. 1981. Planejamento para a elaboração da “Flora Fanerogâmica da Reserva do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (São Paulo, Brasil)”. Hoehnea 9: 63-74.

5 Ler mais

Marasmius (Basidiomycota - Marasmiaceae) do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: seção Sicci.

Marasmius (Basidiomycota - Marasmiaceae) do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: seção Sicci.

O gênero Marasmius Fr. é um dos principais componentes da micota tropical e são encontrados em abundância em florestas de clima úmido como a Mata Atlântica (Puccinelli & Capelari 2006, 2007, 2009). Marasmius é caracterizado pelos basidiomas pequenos a médios, normalmente membranáceos, estipe filiforme, quase sempre de coloração escura, com micélio basal presente ou com o estipe inserido diretamente no substrato e, ao microscópio, pela superfície pilear himeniforme formada por elementos típicos para o gênero, dos tipos Globulares, Siccus e Rotalis e pelos basidiósporos lacrimóides e hialinos. Neste trabalho são consideradas as espécies da seção Sicci em continuidade ao trabalho anteriormente publicado (Puccinelli & Capelari 2009) sobre as espécies do gênero Marasmius presentes no Parque Estadual das Fontes do Ipiranga (PEFI).
Mostrar mais

19 Ler mais

Chytridiomycota e Oomycota da Represa do Guarapiranga, São Paulo, SP.

Chytridiomycota e Oomycota da Represa do Guarapiranga, São Paulo, SP.

Segundo Alexopoulos et al. (1996), os filos Chytridiomycota e Oomycota, são pertencentes a diferentes reinos: Fungi e Stramenopila, sendo caracterizados como fungos zoospóricos por apre- sentarem flagelos em suas estruturas de reprodu- ção assexuada e/ou sexuada. O tipo, número e inserção dos flagelos nos esporos são caracterís- ticas que delimitam esses fungos nos respectivos filos, sendo que os representantes de Chytridiomycota apresentam um único flagelo tipo chicote posteriormente inserido no esporo, existindo também representantes poliflagelados, enquanto Oomycota, tem representantes biflagelados, de tipos diferentes, penado e chico- te, inseridos apical ou lateralmente.
Mostrar mais

24 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS FUNDAÇÃO PARQUE ZOOLÓGICO DE SÃO PAULO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONSERVAÇÃO DA FAUNA LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS CAIO HENRIQUE DE ARAÚJO BISSA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS FUNDAÇÃO PARQUE ZOOLÓGICO DE SÃO PAULO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONSERVAÇÃO DA FAUNA LABORATÓRIO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS CAIO HENRIQUE DE ARAÚJO BISSA

Na pesquisa de Valentin e Santana (2010) com três professoras que desenvolviam um projeto de EA com a temática da energia, as concepções de EA, bem como as práticas, também estavam ligadas principalmente a comportamentos a serem seguidos e à resolução dos problemas de modo pragmático. Marpica (2008), na qual nos baseamos para a categorização das tendências, realizou a análise de livros didáticos de ciências, português, geografia, história e matemática quanto ao modo de abordagem das questões ambientais. Neste caso, a tendência que mais estava presente era a silenciosa, na qual as oportunidades para se trabalhar as questões ambientais não eram aproveitadas. Iared (2010) procurou saber as concepções de EA de professoras de São Carlos-SP. Nos discursos das entrevistadas surgiram elementos das três tendências consideradas por essa autora (romântica, pragmática e complexa), demonstrando que a concepção de EA pode variar até para uma mesma pessoa, onde diferentes elementos, provenientes de diferentes tendências, formam a ideia do que é a EA para a pessoa. Para Iared et al. (2011), uma possível justificativa para esse quadro é que a coexistência de tendências em uma mesma prática educativa é reflexo da transição de paradigmas de nossa sociedade, como observado em seu trabalho que reúne análises com professoras de São Carlos-SP, livros didáticos e ações de EA em UCs. Silva e Campina (2011) também analisaram as concepções de EA, mas desta vez o foco estava em filmes produzidos para a TV Escola, capas de revistas e uma intervenção de EA, enquadrando-as entre EA crítica, pragmática ou conservadora. No caso dos filmes e das capas de revistas analisadas, a concepção pragmática estava mais presente, contudo a intervenção apresentou as três concepções utilizadas pelas autoras em diferentes momentos.
Mostrar mais

193 Ler mais

Marasmius do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: seções Globulares, Hygrometrici, Marasmius e Neosessiles.

Marasmius do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: seções Globulares, Hygrometrici, Marasmius e Neosessiles.

Marasmius griseoroseus é caracterizado por possuir basidiomas pequenos não ultrapassando 5 mm de diâmetro, com píleo conchado de coloração branco- sujo a creme e lamelas adnexas e intervenosas. Os basidiósporos desta espécie são muito característicos, pois são curvos na extremidade inferior e o grande número de basidíolos também pode ser notado. Esta espécie já foi descrita no gênero Pleurotus devido ao hábito pleurotóide, mas foi transferida para Marasmius pela presença dos equinídios do tipo Rotalis na superfície superior (Dennis 1953). A distribuição geográfi ca abrange Bolívia (Singer 1965), Colômbia (Singer 1976), Guiana Francesa e Trinidad (Pegler 1983). Esta é a primeira citação para o Brasil.
Mostrar mais

10 Ler mais

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: Pteridophyta: 7. Dryopteridaceae e 11. Lomariopsidaceae.

Criptógamos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil: Pteridophyta: 7. Dryopteridaceae e 11. Lomariopsidaceae.

Plantas hemiepífitas. Caule longo-escandente, com escamas lanceoladas a linear-lanceoladas, amareladas, avermelhadas a castanhas, basifixas, margens inteiras a erodidas. Frondes dimorfas, as férteis com tecido laminar fortemente reduzido; pecíolo com escamas na base semelhantes às do caule; lâmina oblonga a lanceolada, 1-4-pinada, cartácea, tecido laminar glabro, ápice pinatífido a pinatissecto, margens inteiras ou ciliadas; raque densamente pilosa, com tricomas aciculares, unicelulares; pinas pecioluladas, pinas anadrômicas ou catadrômicas, pina apical raramente semelhante às laterais; nervuras livres ou anastomosadas. Soros acrosticóides, com esporângios revestindo totalmente os segmentos; paráfises presentes; indúsio ausente; esporos equinados. Polybotrya apresenta 35 espécies, distribuídas da região Neotropical, sendo que o centro de diversidade do gênero é nos Andes, onde ocorrem 23 espécies, das quais 12 são endêmicas (Moran 1987). No Brasil ocorrem 13 espécies, sendo seis endêmicas (Moran 1987, Prado & Sylvestre 2010).
Mostrar mais

10 Ler mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E PERCEPÇÃO: O CASO DO PARQUE ESTADUAL DAS FONTES DO IPIRANGA, SÃO PAULO, BRASIL

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E PERCEPÇÃO: O CASO DO PARQUE ESTADUAL DAS FONTES DO IPIRANGA, SÃO PAULO, BRASIL

O presente trabalho foi realizado no entorno Parque Estadual das Fontes do Ipiranga e tem como objetivo diagnosticar as percepções ambientais e expectativas dos moradores com relação ao Parque e, a partir dos resultados desse diagnóstico, implantar um projeto de educação ambiental baseado na interlocução de diversos atores sociais buscando a melhoria da qualidade socioambiental da região. Utilizando a metodologia da pesquisa-ação formou-se um conselho com participantes da comunidade e representantes do Poder Público Estadual e Municipal. Os resultados da percepção ambiental identificaram problemas que foram tratados como temas geradores no processo educativo, caracterizado como um processo que ampliou o conhecimento da comunidade sobre a área, capacitou-a para o exercício da cidadania e executou algumas intervenções que promoveram a melhoria da qualidade de vida na região
Mostrar mais

19 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CAMPUS SÃO CARLOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONSERVAÇÃO DA FAUNA HELEN REGINA DA SILVA ROSSI

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CAMPUS SÃO CARLOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONSERVAÇÃO DA FAUNA HELEN REGINA DA SILVA ROSSI

Diante da situação de perda de habitat e desconfiguração da paisagem natural, os morcegos representam uma boa fonte de informações para estudos de diversidade, interação e respostas para as alterações do ambiente, tanto pela sua abundância, como pelo número de espécies coexistindo em uma mesma área. Assim, o objetivo desse estudo foi comparar a comunidade de morcegos em duas áreas, com diferente heterogeneidade ambiental, dentro do Parque Estadual Fontes do Ipiranga – PEFI, que está localizado na cidade de São Paulo – SP. Entre outubro de 2015 a setembro de 2016, seis redes de neblina foram dispostas mensalmente durante quatro noites consecutivas, sendo duas noites fixadas na área da Fundação Parque Zoológico de São Paulo (FPZSP) e as outras duas na área do Instituto de Botânica de São Paulo (Botânico) com duração de quatro horas de amostragem. Os indivíduos capturados foram marcados com coleiras plásticas numeradas. Com um esforço amostral total de 34.560 m²/h foram capturados 531 morcegos (desconsiderando 61 recapturas) de 10 espécies pertencentes a três famílias, sendo que Phyllostomidae foi a mais representativa. No Instituto de Botânica ocorreram 347 capturas (desconsiderando 42 recapturas) de nove espécies (Chao1=9; Chao2=9; Jackknife2=10,9; Bootstrap=9,4 e H’=1,3). Na área da FPZSP capturou-se 184 indivíduos (desconsiderando 19 recapturas) de dez espécies (Chao1=10,3; Chao2=10,3; Jackknife2=11,9; Bootstrap =11 e H’=1,5). Em ambas as áreas, as espécies mais abundantes, dominantes e constantes foram Artibeus lituratus, Sturnira. lilium e Artibeus fimbriatus. As áreas apresentaram-se muito similares em relação à composição de espécies (Sorensen= 0,95, Jaccard = 0,9 e Morisita= 0,99). A taxa de recaptura foi de 12,6% (61) para as duas áreas, no Botânico foi de 14% (42) e na FPZSP foi de 10,3% (19). De modo geral, o estudo demonstrou que as áreas são muito similares em relação à composição de espécies, porém o Botânico apresentou maior abundância, provavelmente por oferecer mais recursos. A abundância e dominância de poucas espécies indica um forte desequilíbrio ambiental. As altas taxas de recapturas devem estar relacionadas ao isolamento do PEFI, o qual funciona como uma ilha florestal em meio a uma matriz densamente urbanizada.
Mostrar mais

115 Ler mais

Estrutura e dinâmica da comunidade de algas planctônicas e perifíticas (com ênfase nas diatomáceas) em reservatórios oligotrófico e hipertrófico (Parques Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo)

Estrutura e dinâmica da comunidade de algas planctônicas e perifíticas (com ênfase nas diatomáceas) em reservatórios oligotrófico e hipertrófico (Parques Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo)

planctônicas e perifíticas (com ênfase nas diatomáceas) em reservatórios oligotrófico e hipertrófico (Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo) / Fernanda Ferrari. Ambientes aqu[r]

359 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados