Top PDF Comportamento de sementes de Copaifera multijuga durante o armazenamento.

Comportamento de sementes de Copaifera multijuga durante o armazenamento.

Comportamento de sementes de Copaifera multijuga durante o armazenamento.

Aceito para publicação em 17/05/2000 zyxwvutsrqponmlkjihgfedcbaZYXWVUTSRQPONMLKJIHGFEDCBA. Comportamento de sementes dezyxwvutsrqponmlkjihgfedcbaZYXWVUTSRQPONMLKJIHGFEDCBA Copaifera m [r]

7 Ler mais

Classificação de sementes florestais quanto ao comportamento no armazenamento.

Classificação de sementes florestais quanto ao comportamento no armazenamento.

No presente trabalho, foi observado comportamento recalcitrante para duas espécies de Myrtaceae (Calyptranthes lucida e Eugenia handroana); outras espécies pertencentes à mesma família também apresentam sementes recalcitrantes, como Eugenia brasiliensis (Andrade, 1995) e Eugenia dysenterica (Andrade et al., 1997), Myrciaria dubia (Gentil e Ferreira, 2000; Ferreira e Gentil, 2003). Assim, existe uma tendência de que as espécies desta família apresentem comportamento recalcitrante. Esta informação é importante para os trabalhos de conservação de espécies florestais, pois a partir do conhecimento da família a que uma determinada espécie pertence será possível inferir sobre o comportamento das sementes durante o armazenamento e adotar procedimentos corretos na colheita, transporte e beneficiamento. Todavia, cuidados devem ser tomados para não se generalizar, pois espécies do gênero Eucalyptus pertencem à família Myrtaceae e suas sementes possuem comportamento ortodoxo.
Mostrar mais

11 Ler mais

Comportamento de sementes de milho híbrido durante o armazenamento sob condições variáveis de temperatura e umidade relativa do ar.

Comportamento de sementes de milho híbrido durante o armazenamento sob condições variáveis de temperatura e umidade relativa do ar.

RESUMO: Com o objetivo de avaliar o comportamento de sementes de milho híbrido durante o armazenamento sob condições diversas de temperatura e umidade relativa do ar foram utilizadas se[r]

5 Ler mais

Avaliação do comportamento de sementes de algodoeiro (Gossypium hirsutum L.) durante o armazenamento.

Avaliação do comportamento de sementes de algodoeiro (Gossypium hirsutum L.) durante o armazenamento.

Revelaram, ainda a sensibilidade das sementes de algodoeiro ΰs condiçυes de armazenamento, pois a deterioração ocorreu mesmo quando as sementes foram conservadas com teores de umidade [r]

12 Ler mais

Desempenho de sementes de soja tratadas com fungicidas e peliculizadas durante o armazenamento.

Desempenho de sementes de soja tratadas com fungicidas e peliculizadas durante o armazenamento.

Os resultados de emergência das sementes após serem submetidas ao teste de frio (Figura 2), notou-se uma acentuada redução da qualidade destas, a partir do sexto mês de armazenamento, sendo que os diferentes tratamentos tiveram um comportamento semelhante entre si. A porcentagem de emergência no teste de frio, para as sementes submetidas a peliculização com o polímero AGL 202 e sem tratamento fungicida, foi maior em relação aos demais tratamentos, entretanto, nota-se que essa diferença foi detectada apenas aos nove meses de armazenamento, quando as sementes já se encontravam em estágio avançado de deterioração, e o polímero, neste caso, pode ter promovido uma barreira, impedindo a lixiviação de solutos das sementes, pela sua capacidade de impermeabilização, que é variável entre os polímeros. Da mesma maneira, Alves et al. (2003), trabalhando com sementes de feijoeiro, constataram que os polímeros utilizados apresentaram efeito diferenciado sobre a qualidade das sementes. Também, Trentini (2004), trabalhando com sementes de soja submetidas à peliculização, verificou que aplicação de polímeros pode causar um efeito diferenciado sobre as sementes, em função da qualidade fisiológica destas, bem como do tipo de película utilizada.
Mostrar mais

10 Ler mais

Comportamento germinativo de sementes de limoeiro-do-mato Randia ferox (Cham. & Schlecht.) DC. (Rubiaceae) armazenadas em câmara seca

Comportamento germinativo de sementes de limoeiro-do-mato Randia ferox (Cham. & Schlecht.) DC. (Rubiaceae) armazenadas em câmara seca

Além disso, a tolerância das sementes à dessecação deve ser conhecida para que a semente seja conservada com teor de água adequado para manter a viabilidade durante o período de armazenamento (BEWLEY e BLACK, 1994). Andrade (2002), abordando espécies ornamentais ocorrentes no Rio Grande do Sul, caracterizou sete espécies da família Rubiaceae quanto à tolerância à dessecação de sementes, classificando R. armata (referindo-se à R. ferox) como intermediária. Garwood e Lighton (1990) classificaram sementes de Randia armata como recalcitrantes, neste caso, referindo-se à espécie ocorrente na América Central e no norte da América do Sul. As sementes classificadas como intermediárias, de acordo com Hong e Ellis (1996), toleram a desidratação até 7,0% a 10% de umidade, porém, não podem
Mostrar mais

7 Ler mais

Classificação fisiológica de sementes de cinco espécies arbóreas de mata ciliar quanto a tolerância à dessecação e ao armazenamento.

Classificação fisiológica de sementes de cinco espécies arbóreas de mata ciliar quanto a tolerância à dessecação e ao armazenamento.

apresentaram comportamento ortodoxo no presente estudo. As demais espécies (Aulomyrcia venulosa, Ixora warmingii e Allophylus edulis), classificadas como clímax tolerante à sombra, seguiram o padrão proposto por Whitmore (1990), apresentando comportamento recalcitrante, o qual também foi encontrado por Davide et al. (2003), que fez a classificação de quatro espécies clímax pertencentes à família Lauraceae. Estratégias de conservação in situ devem ser levadas em consideração para a preservação gênica das espécies com comportamento recalcitrante, pois atualmente, o armazenamento por longo prazo deste tipo de semente é inviável. Todavia, embora a conservação in situ seja até o momento a forma mais adequada para a preservação gênica, a mesma possui algumas desvantagens, por necessitar de grandes áreas, que devem ser efetivamente protegidas de qualquer distúrbio, o que demanda uma grande alocação de recursos financeiros. Além do mais, estas áreas estão sujeitas a catástrofes naturais, o que pode comprometer principalmente espécies endêmicas. Assim, somente esforços conjuntos de conservação in situ e ex situ podem garantir a preservação destas espécies com bastante segurança (Ouédraogo, 1997). Apesar de a dificuldade de armazenamento das sementes de espécies com comportamento recalcitrante, tais como I. warmingii, A. edulis e A. venulosa, estudos indicam que para outras espécies, a criopreservação de eixos embrionários pode ser uma alternativa viável para a conservação a longo prazo (Fu et al., 1990; Pammenter et al., 1991; Fu et al., 1993; Vertucci e Farrant, 1995). Todavia, para que esta técnica seja utilizada são necessários estudos para a determinação do método de secagem e do conteúdo de água adequados para armazenamento, de forma que a criopreservação não prejudique a viabilidade dos mesmos (Liang e Sun, 2000).
Mostrar mais

8 Ler mais

Alterações fisiológicas e bioquímicas durante o armazenamento de sementes de Tabebuia serratifolia.

Alterações fisiológicas e bioquímicas durante o armazenamento de sementes de Tabebuia serratifolia.

Os dados de IVG ajustaram-se ao modelo quadrático para ambas as condições de armazenamento (Figura 3). No armazenamento em câmara fria, houve queda acentuada até os três meses, seguido de uma estabilidade até os 12 meses de armazenamento. Para sementes armazenadas em ambiente também foi observado decréscimo do índice de velocidade de germinação desde o início do armazenamento. Esses resultados comprovam que a perda de vigor das sementes precede à perda da viabilidade. Segundo Marcos Filho (2005), o termo vigor surgiu para identifi car manifestações do comportamento das sementes em campo ou durante o armazenamento; comportamento que, muitas vezes, não é identifi cado pelo teste de germinação.
Mostrar mais

7 Ler mais

Avaliação in vitro da atividade antibacteriana de um cimento odontológico à base de óleo-resina de Copaifera multijuga Hayne.

Avaliação in vitro da atividade antibacteriana de um cimento odontológico à base de óleo-resina de Copaifera multijuga Hayne.

ABSTRACT: “In vitro assessment of antibacterial activity of a dental cement constituted of a Copaifera multijuga Hayne oil-resin”. One of the materials utilized for suitability of the oral means in the public service is the cement produced from zinc oxide and eugenol. However, eugenol is a cytotoxic substance that can trigger some adverse effects. For this reason, it is desired to replace eugenol for another substance that presents low toxicity, keeping or even improving the cement properties. The copaiba oil-resin is a natural product, utilized by the Amazonian population and recognized for its medicinal properties. Based on the properties of this oil-resin, on the proven antimicrobial activity of calcium hydroxide and on the anti-septic action of zinc oxide, it was proposed to formulate a dental cement obtained through the association of ZnO, Ca(OH) 2 and Copaifera multijuga Hayne oil-resin and assess its antibacterial activity through the test of dilution in aqueous medium against the standard of Streptococcus mutans (ATCC 25175) and S. sanguinis (ATCC 15300). In this assay, the following experimental groups were utilized: the cement containing ZnO, Ca(OH) 2 and copaiba oil-resin (G1) and each one of the constituents individually, ZnO (G2), Ca(OH) 2 (G3) and copaiba oil-resin (G4). All the analyzed groups showed antibacterial activity, G4 showed the best results and G1 showed itself to be a promising cement for application in dentristy.
Mostrar mais

6 Ler mais

Viabilidade de Fusarium graminearum em sementes de trigo durante o armazenamento.

Viabilidade de Fusarium graminearum em sementes de trigo durante o armazenamento.

Para avaliar a viabilidade do fungo, utilizou-se meio de cultura ¼ BSA (50g de batata, 5g de sacarose e 15g de ágar para 1.000 ml de água) acrescido de antibiótico (sulfato de estreptomicina 0,2g em 50 ml de água esterilizada) após autoclavagem e quando a temperatura encontrava-se a, aproximadamente, 50°C. Depois da assepsia das sementes em hipoclorito de sódio (1%) por três minutos, seguida de lavagem com água esterilizada, 400 sementes (quatro repetições de 100 sementes) foram distribuídas em caixas plásticas tipo gerbox (25 sementes por caixa), medindo 11,5 x 11,4 x 3,4 cm de altura, contendo o meio de cultura. O material foi mantido em câmara de crescimento, num arranjo de tratamentos completamente ao acaso, sob temperatura de 25°C ± 2°C e fotoperíodo de 12 horas proporcionado por lâmpadas fluorescente, luz do dia, de 40 W, distantes das caixas em 40 cm. Após sete dias de incubação, identificou-se e quantificou-se a presença da colônia do fungo sob estereoscópica binocular (marca Zeiss, Stemi 2000-C, aumento de 40 x), com base em suas características morfológicas de acordo com a literatura (1). Os resultados foram expressa como incidência da infecção do fungo (%). Foi procedida a análise de regressão entre a incidência e o tempo de armazenagem.
Mostrar mais

2 Ler mais

Germinação de sementes de pau-ferro submetidas a diferentes condições de armazenamento, escarificação química, temperatura e luz.

Germinação de sementes de pau-ferro submetidas a diferentes condições de armazenamento, escarificação química, temperatura e luz.

RESUMO – Caesalpinia leiostachya (Benth.) Ducke (pau-ferro) é uma planta arbórea nativa do Brasil, cujas sementes possuem dormência causada pela impermeabilidade do tegumento à água. Neste trabalho foram conduzidos dois experimentos, nos quais foram utilizados diferentes períodos de escarificação em ácido sulfúrico concentrado para superar a dormência das sementes. No primeiro experimento, sementes coletadas em agosto de 1997 foram armazenadas por oito meses em ambiente não controlado no interior do próprio fruto, e em câmara seca após serem extraídas dos frutos; a seguir, elas foram imersas em ácido sulfúrico por 0, 10, 20, 40, 60 e 80min e colocadas para germinar nas temperaturas constante de 25ºC e alternada de 20°-30°C, sob fotoperíodo de 8h. No segundo experimento, sementes extraídas de frutos recém-coletados em agosto de 1998 foram imersas em ácido sulfúrico por 0, 10, 20, 30, 40 e 60min, seguido do teste de germinação conduzido nas mesmas temperaturas do experimento anterior, na ausência e presença de luz. Foram avaliados a porcentagem final e o índice de velocidade de germinação das sementes. Os resultados mostraram que (a) a manutenção das sementes no interior dos frutos é uma alternativa viável para o armazenamento durante o período adotado; (b) as sementes recém-coletadas são indiferentes à luz, nas duas temperaturas testadas; (c) as sementes recém-coletadas e as armazenadas germinam em maior velocidade a 25ºC; (d) em sementes armazenadas, a imersão em ácido sulfúrico por 10min é suficiente para superar a dormência; (e) em sementes recém-coletadas, a imersão em ácido sulfúrico por 20 a 30min favorece a porcentagem e a velocidade de germinação.
Mostrar mais

9 Ler mais

Qualidade de sementes de tabaco durante o processo de pelotização e armazenamento.

Qualidade de sementes de tabaco durante o processo de pelotização e armazenamento.

Um dos entraves encontrados no cultivo do tabaco está relacionado ao tamanho, forma e peso das sementes, o que dificulta a semeadura, porque cada grama de sementes contém cerca de 16 mil unidades (BRASIL, 2009). Por esse motivo, as sementes comerciais são pelotizadas para aumentar o tamanho e facilitar a semeadura, sendo que a pelotização consiste no revestimento das sementes com um material seco, inerte, de granulometria fina e um material cimentante (adesivo). Esse tratamento confere à semente uma forma arredondada, aumentando o seu tamanho,
Mostrar mais

5 Ler mais

Tratamento inseticida e qualidade de sementes de milho durante o armazenamento.

Tratamento inseticida e qualidade de sementes de milho durante o armazenamento.

KEEPDRY, proporcionaram 99,7% e 99%, respectivamente de mortalidade (TABELA 6). No entanto, não foram detectados descendentes da população dos insetos que não estavam mortos na ocasião da avaliação. Este fato, sugere que os produtos, mesmo não tendo eficiência de 100% de mortalidade, impediram que os insetos tivessem a capacidade de provocar danos ou mesmo postura nas sementes. Desta forma, as perspectivas de uso da terra diatomácea no tratamento das sementes de milho são promissoras, tendo em vista que não foram constatados prejuízos provocados pelos produtos aplicados nas sementes.
Mostrar mais

10 Ler mais

Avaliação da evolução de danos por "umidade" durante o armazenamento em sementes...

Avaliação da evolução de danos por "umidade" durante o armazenamento em sementes...

O cálculo dos valores médios de óleo, de proteína e de lignina iniciais para todos os cultivares estudados foi realizado utilizando os valores de lotes para comporem as médias (Tabela 46). Verifica-se que em relação ao teor de óleo inicial, o cultivar Pintado foi o que apresentou teor mais elevado (22.53%), seguido do M-soy 6101, TMG113-RR, Conquista e TMG115-RR. Para os teores iniciais de proteína, foi observado, como sendo mais elevado, o cultivar TMG113- RR, seguido do Pintado, Conquista, TMG115-RR e M-soy 6101. Com relação a lignina (Tabela 46), os cultivares Conquista e TMG113-RR apresentaram maiores teores, seguido do Pintado, M- Soy 6101 e TMG115-RR. A determinação de lignina foi realizada apenas na fase inicial de instalação do experimento, pois segundo Campbell e Sederoff (1996), a lignina presente no tegumento de sementes de soja é estável durante o armazenamento; isso pode ser explicado pela insolubilidade e complexidade do polímero de lignina. Da mesma forma, Krzyzanowski et al. (2008), determinaram que em sementes armazenadas durante 12 meses em condição de câmara fria (50% de UR do ar e 10 o C), o teor de lignina presente em tegumentos de soja se manteve estável.
Mostrar mais

106 Ler mais

Incidência de microorganismos em sementes de café robusta durante o armazenamento.

Incidência de microorganismos em sementes de café robusta durante o armazenamento.

Foi realizado um trabalho com o objetivo de isolar e identificar os microrganismos presentes em sementes de café robusta (Coffea canephora Pierre ex Froehner) no decorrer do armazenamento. Para tanto, sementes de café do cultivar Conillon, acondicionadas em diferentes embalagens (saco de polietileno transparente, saco de papel kraft e saco de algo- dão) e com graus de umidade iniciais distintos (25 e 35%) foram submetidas a cinco períodos de armazenamento (0, 3, 6, 9 e 12 meses), em condições controladas. Após cada um desses períodos, as sementes foram avaliadas, em laboratório, quanto à sanidade (método do papel- filtro), germinação e grau de umidade. Foram isolados e identificados cinco gêneros dife- rentes de fungos infestando as sementes de café robusta, a saber: Fusarium semitectum, Colletotrichum spp., Alternaria spp., Aspergillus spp. e Penicillium spp. Observou-se pre- dominância de Fusarium semitectum e de Alternaria spp., no início do armazenamento das sementes, com incidência variando de 63-73% e 7-11% respectivamente. No decorrer do armazenamento, houve grande elevação na incidência dos fungos de armazenamento dos gêneros Aspergillus spp. e Penicillium spp. nas sementes acondicionadas em diferentes em- balagens. A incidência dos microrganismos mostrou grande variação, em função do tipo de embalagem utilizado durante o armazenamento. O aumento na incidência dos microrganis- mos esteve associado com a redução na germinação das sementes de café. O fungo Fusarium
Mostrar mais

11 Ler mais

IRLENE COELHO ELOI DA SILVA O PAPEL DA COORDENADORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE COARIAM NA IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS PARA O ENSINO MÉDIO

IRLENE COELHO ELOI DA SILVA O PAPEL DA COORDENADORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE COARIAM NA IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS PARA O ENSINO MÉDIO

Além disso, serão abordados os estudos sobre os dois programas que surgiram no cenário educacional como políticas públicas educacionais curriculares, com propostas [r]

174 Ler mais

O PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR: PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO PROJETO AVANÇAR

O PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR: PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO PROJETO AVANÇAR

Sendo assim, ao (re)pensar a prática do professor em uma sala de aceleração, dispõe-se sobre ações que envolvem o contexto gerencial e pedagógico do programa, bem como a[r]

117 Ler mais

Avaliação histomorfométrica do efeito de um biomodificador de dentina à base de óleo de copaiba (Copaifera multijuga Hayne) na camada híbrida / Histomorphometric evaluation of the effect of a copaiba oil-based (Copaifera multijuga Hayne) dentin biomodifie

Avaliação histomorfométrica do efeito de um biomodificador de dentina à base de óleo de copaiba (Copaifera multijuga Hayne) na camada híbrida / Histomorphometric evaluation of the effect of a copaiba oil-based (Copaifera multijuga Hayne) dentin biomodifier on the hybrid layer

Objetivo: Realizar avaliação histomorfométrica do efeito de um biomodificador de dentina (CM) à base de óleo de copaíba (Copaifera multijuga Hayne) na espessura do colágeno da matriz e na homogeneidade da camada híbrida.Materiais e métodos: Um total de 80 espécimes foram preparados a partir de trinta molares que foram divididos em cinco grupos: três deles com concentrações de conservante baixa (L), média (M) e alta (H) para o material testado (CM) e os outros dois com os grupos controle: negativo (água destilada - DW) e positivo (clorexidina 2% - CHX). Cada grupo foi subdividido de acordo com o substrato - dentina sadia (SD) ou dentina afetada por cárie (CAD). Após três meses de imersão nas soluções, a homogeneidade da camada híbrida foi analisada qualitativamente, enquanto a espessura dos casos com camada de colágeno exposta e hibridizada foi analisada quantitativamente por histomorfometria. Resultados: Em relação à avaliação histomorfométrica, dois CM testados (M e H) para SD apresentaram colágeno hibridizado mais espesso semelhante ao observado nos grupos controle positivo (SD e CAD), sem diferenças significativas entre eles (p> 0,05). A análise qualitativa mostrou que a melhor condição de hibridização, em termos de homogeneidade, foi identificada na concentração M da emulsão CM para SD. Conclusão: Nossos achados mostraram que a emulsão CM em concentração média apresentou a melhor homogeneidade para camada híbrida em SD entre todos os grupos.
Mostrar mais

14 Ler mais

Condicionamento osmótico e qualidade de sementes de milho doce durante o armazenamento

Condicionamento osmótico e qualidade de sementes de milho doce durante o armazenamento

Embora confirmada redução da porcentagem de germinação ao longo do armazenamento, em condições de laboratório, ela não foi tão expressiva possivelmente devido à adequação das condições de armazenamento para conservação das sementes de milho doce. Assim, os tratamentos de condicionamento osmótico não interferiram significativamente na germinação, pois esta ficou acima do limite mínimo de 60 % estabelecido para comercialização de sementes certificadas de milho super doce (sh2) (BRASIL, 2005). De acordo com Georghiou et al., (1987) e Sanfield et al., (1990) as condições inadequadas de armazenamento podem acelerar a deterioração das sementes condicionadas.
Mostrar mais

54 Ler mais

GESTÃO E FISCALIZAÇÃO DE CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA: O CASO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA EM UM ESTUDO DE CASO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

GESTÃO E FISCALIZAÇÃO DE CONTRATOS DE TERCEIRIZAÇÃO DE MÃO DE OBRA: O CASO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA EM UM ESTUDO DE CASO – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Não obstante a reconhecida necessidade desses serviços, tem-se observado graves falhas na gestão dos contratos de fornecimento de mão de obra terceirizada, bem com[r]

83 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados