Top PDF Conservação de sementes de cedrorana (Cedrelinga catenaeformis Ducke) - LEGUMINOSAE.

Conservação de sementes de cedrorana (Cedrelinga catenaeformis Ducke) - LEGUMINOSAE.

Conservação de sementes de cedrorana (Cedrelinga catenaeformis Ducke) - LEGUMINOSAE.

Os dados da porcentagem de germinação das sementes mantidas em diferentes condi- ções de armazenamento durante o período de 90 dias, são mostrados na Tabela 1.. Germinação (¾) das sement[r]

7 Ler mais

Aspectos morfológicos de frutos, sementes, germinação e plântulas de duas espécies florestais da Amazônia: I. Dinizia excelsa Ducke (Angelim-Pedra). II Cedrelinga catenaeformis Ducke (Cedrorana) - Leguminosae: Mimosoideae.

Aspectos morfológicos de frutos, sementes, germinação e plântulas de duas espécies florestais da Amazônia: I. Dinizia excelsa Ducke (Angelim-Pedra). II Cedrelinga catenaeformis Ducke (Cedrorana) - Leguminosae: Mimosoideae.

RESUMO - As duas espécies selecionadas para o presente trabalho são nativas da floresta de terra firme da Amazônia, apresentam interesse econômico e grande carência de informações referentes aos aspectos morfológicos da germinação. Este estudo aborda as características morfológicas de frutos, sementes e plântulas de Cedrelinga catenaeformis Ducke e Dinizia excelsa Ducke, além do tipo de germinação, evidenciando a morfologia dos vários estádios de desenvolvimento da planta, iniciando-se com a protrusão da raiz até a formação de plântula normal, com a emissão dos primeiros protófilos. Os estudos para ambas as espécies foram conduzidos no laboratório de semente do INPA/CPST. Os testes de germinação foram realizados na temperatura de 25ºC, em bandejas plásticas de 30x20x5cm, com 50 sementes para cada espécie, utilizando-se como substrato vermiculita. Os frutos de C. catenaeformis e D. excelsa são legumes samaróides e longos. As sementes são suborbiculares, com bordo irregular em C. catenaeformis e oblongas e achatadas em D. excelsa .Ambas as espécies apresentaram germinação do tipo epígea e fanerocotiledonar. As plântulas de C. catenaeformis caracterizam-se pelos eófilos bifoliolados, opostos, enquanto D. excelsa apresenta eófilos pinados
Mostrar mais

9 Ler mais

Resultados preliminares de estudos sobre a conservação e composição bioquímica de sementes de copaíba (Copaifera multijuga Hayne) - LEGUMINOSAE.

Resultados preliminares de estudos sobre a conservação e composição bioquímica de sementes de copaíba (Copaifera multijuga Hayne) - LEGUMINOSAE.

As sementes de copaíba recém-colhidas e não tratadas apresentaram um alto poder germinativo, apresentando em média 6 8 , 7 ¾ , sendo que 30 dias após houve decréscimo na pe£ centagem [r]

6 Ler mais

Tipificação polínica em Leguminosae de uma área prioritária para conservação da Caatinga: Caesalpinioideae e Papilionoideae.

Tipificação polínica em Leguminosae de uma área prioritária para conservação da Caatinga: Caesalpinioideae e Papilionoideae.

O maior estudo feito numa área de caatinga tendo especifi camente a fl ora polínica como foco foi o de Silva (comunicação pessoal). Este autor descreveu a morfo- logia polínica de 144 espécies da área, das quais 30 são leguminosas. Mais recentemente, Du Bocage et al. (2008) apresentaram uma descrição de 12 espécies do gêne- ro Acacia também do Semi-Árido; e Santos & Romão (2008) estudaram as políades de espécies de Calliandra (Mimosoideae – Leguminosae) de uma área da Chapada Diamantina, ainda no âmbito do Semiárido.

14 Ler mais

INFLUÊNCIA DO TEOR DE FERRO NOS PARÂMETROS DE RESISTÊNCIA DE UM REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO

INFLUÊNCIA DO TEOR DE FERRO NOS PARÂMETROS DE RESISTÊNCIA DE UM REJEITO DE MINÉRIO DE FERRO

No Capitulo 2 é apresentada uma revisão sobre as barragens de rejeitos enfatizando as características dos sistemas de disposição, as características dos rejeitos de minério de ferro, o[r]

173 Ler mais

Conservação e teste de tetrazólio em sementes de jabuticabeira.

Conservação e teste de tetrazólio em sementes de jabuticabeira.

Para análise da viabilidade das sementes, em cada período, foram retirados quatro lotes de 100 sementes por tratamento, submetendo-as ao teste de tetrazólio, seguindo-se as recomendações de Brasil (2009), para eucalipto, uma vez que essa espécie também se trata de uma Mirtácea, identiicando-se as sementes viáveis e não viáveis. Para o teste de visibilidade, foi utilizada solução de cloreto de 2, 3, 5 trifenil tetrazólio cloreto, na concentração de 1%, sendo realizados cortes longitudinal e diagonal, evitando-se atingir o eixo embrionário. As sementes foram colocadas em câmara úmida, durante 24 horas, a 20°C, entre papel germitest umedecido, em seguida as mesmas foram segmentadas no sentido longitudinal ao embrião, e colocadas
Mostrar mais

7 Ler mais

Interferência do oxigênio na conservação das sementes de arroz

Interferência do oxigênio na conservação das sementes de arroz

A redução da qualidade das sementes de arroz, independentemente do lote e do cultivar, ocorreu conforme a sequência da deterioração proposta por Delouche e Baskin (1973), que afirmaram que as primeiras alterações que ocorrem são as bioquímicas, seguidas do aumento da velocidade de germinação e em uma etapa posterior são observadas aberrações morfológicas até culminar com a morte das sementes. Assim, houve coerência quanto aos incrementos do parâmetro t50 como o mais evidente para os períodos propostos e os gases utilizados, uma vez que essa é a etapa inicial da deterioração (Figura 3.5). Também foram observadas diferenças no número de plântulas normais (indicativo de aberrações morfológicas), mas numa intensidade menor do que t50 ou área abaixo da curva após 100 horas de hidratação (AUC). Por fim, foi detectado decréscimo da protrusão da raiz primária como um último estágio de deterioração, semelhante ao proposto por Delouche e Baskin, 1973, caracterizando a morte das sementes em função da variação da utilização da pressão dos gases e do período de armazenamento (Figura 3.4). O progresso da deterioração das sementes foi evidenciado quando as sementes foram armazenadas com 13,3% de água.
Mostrar mais

79 Ler mais

O PROGRAMA DE BIBLIOTECAS DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE: CAMINHOS PARA UMA POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE LEITORES

O PROGRAMA DE BIBLIOTECAS DA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE BELO HORIZONTE: CAMINHOS PARA UMA POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE LEITORES

Constata - se, portanto, que, tanto o PNBE, quanto o PNLL colocam o desenvolvimento da competência leitora e a formação de leitores em destaque, seja por meio do acesso a[r]

208 Ler mais

FABIANO VIEIRA TITO FLUXO INFORMACIONAL DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

FABIANO VIEIRA TITO FLUXO INFORMACIONAL DO SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

Este questionário tem o objetivo de conhecer sua opinião sobre o processo de codificação no preenchimento do RP1. Nossa intenção é conhecer a sua visão sobre as dificuldades e os m[r]

157 Ler mais

GERÊNCIA DE PÓS-COMPRA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA: uma proposta de reestruturação

GERÊNCIA DE PÓS-COMPRA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA: uma proposta de reestruturação

Dessa forma, diante das questões apontadas no segundo capítulo, com os entraves enfrentados pela Gerência de Pós-compra da UFJF, como a falta de aplicação de mul[r]

120 Ler mais

O PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR: PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO PROJETO AVANÇAR

O PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO ESCOLAR: PRÁTICAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO PROJETO AVANÇAR

Sendo assim, ao (re)pensar a prática do professor em uma sala de aceleração, dispõe-se sobre ações que envolvem o contexto gerencial e pedagógico do programa, bem como a[r]

117 Ler mais

TERMO DE APROVAÇÃO CECÍLIA MARIA PEÇANHA ESTEVES PATRIOTA POLÍTICA DE MONITORAMENTO E GESTÃO POR RESULTADO: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA DE PERNAMBUCO

TERMO DE APROVAÇÃO CECÍLIA MARIA PEÇANHA ESTEVES PATRIOTA POLÍTICA DE MONITORAMENTO E GESTÃO POR RESULTADO: ESTUDO DE CASO DE UMA ESCOLA DE PERNAMBUCO

Um sistema que cria um ônus para a escola, seja em termos de gratificação não recebidas ou de medidas administrativas, sempre será visto como injusto em um ambiente [r]

129 Ler mais

Plano de Gestão de Resíduos Hospitalares em Centros de Saúde – Normas de Orientação Clínica

Plano de Gestão de Resíduos Hospitalares em Centros de Saúde – Normas de Orientação Clínica

Nesse sentido, deve constar a defi nição das responsabilidades, dos deveres e dos códigos de boa prática, para os diferentes grupos profi ssionais que, trabalhando diariamente no CS/ES[r]

116 Ler mais

Abordagem de casos de dengue – Normas de Orientação Clínica

Abordagem de casos de dengue – Normas de Orientação Clínica

c) Deve haver um particular cuidado, de acordo com o anexo IV, na avaliação de todos os potenciais dadores de órgãos, tecidos, células e sangue, em especial os dadores qu[r]

21 Ler mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS CAMPUS MARECHAL DEODORO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS CAMPUS MARECHAL DEODORO

Versão definitiva da monografia - a versão final da monografia deverá ser entregue ao coordenador do curso com a assinatura de todos os membros da banca examinadora em uma [r]

5 Ler mais

Conservação das sementes de lichia (Litchi chinensis).

Conservação das sementes de lichia (Litchi chinensis).

A lichieira pode ser propagada sexuada ou assexuadamente (Menzel, 1985). A propagação sexuada é utilizada em melhoramento genético e na produção de porta-enxertos. No entanto, é dificultada pela longevidade das sementes que, quando arbitrariamente armazenadas, perdem a viabilidade em 24 h após a extração do fruto; contudo, quando conservadas úmidas e envoltas em esfagno, podem manter a viabilidade durante oito semanas, embora possam germinar nessa condição de preservação (Martins et al., 2001). Meletti & Coelho (2000) também citam que a lenta difusão da lichia ao ocidente se deve à baixa viabilidade de suas sementes, limitada a poucos dias.
Mostrar mais

2 Ler mais

GRAMÍNEAS E LEGUMINOSAS PARA O CONTROLE DO NEMATOIDE PRATYLENCHUS COFFEAE

GRAMÍNEAS E LEGUMINOSAS PARA O CONTROLE DO NEMATOIDE PRATYLENCHUS COFFEAE

degradadas, onde ocorrem também espécies pioneiras como as “embaúbas” (Cecropia pachystachya Trécul e Cecropia sp.). As plantas pioneiras geralmente produzem sementes pequenas, com alta longevidade, e com dispersão por meio de pequenos animais tais como pássaros e morcegos. Essas estratégias de dispersão contribuem para sua imediata germinação. Quando as sementes não encontram condições favoráveis para germinação, podem entrar em estado de dormência e permanecerem viáveis por longo período no banco de sementes do solo. Esse fenômeno, possivelmente, pode estar ocorrendo em algumas localidades dos campos ocupados pelas capoeiras, onde pode ser observado lugares em regeneração lenta, salientando-se que muitos dos quais estão ainda sofrendo constante pressão antrópica. Nesse ambiente, são encontrados também faixas estreitas de “matas ciliares”, com ocorrência esparsas de espécies como “pitomba da mata” (Guarea silvatica C. DC), entre outros. Constatou-se ainda vegetação de “igarapés”, que apresentam flora periodicamente alagada pela enchente dos cursos dágua. A vegetação amazônica é adaptada ao solo encharcado para sobreviver. Esse processo foi verificado nas bordas do rio Curuá-Una, a montante, e nas margens do reservatório, em locais conhecidos como “prainha de rios” (Figuras 1 e 2), que são formados por depósitos de sedimentos arenosos. Nesse ambiente, onde foi anotada a presença de árvores exuberantes, esgalhadas e debruçadas sobre águas como “timbaúva” (Enterolobium contortisiliquum Vell. Morong.) (Figura 2), “cereja vermelha” (Mouriri apiranga Spruce ex Triana) e inúmeros indivíduos de “ingás” como ”ingá da folha grande” (Inga macrophylla Humb. & Bonpl. ex Willd.) e “ingá de macaco” (Inga laurina (Sw.) Willd) (Figuras 3 e 4).
Mostrar mais

23 Ler mais

A IMPLANTAÇÃO DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO POR COMPETÊNCIAS NA SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS NO ANO DE 2014 – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A IMPLANTAÇÃO DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO POR COMPETÊNCIAS NA SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS NO ANO DE 2014 – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O capítulo I apresenta a política implantada pelo Choque de Gestão em Minas Gerais para a gestão do desempenho na Administração Pública estadual, descreve os tipos de pro[r]

194 Ler mais

EDILVANA MARA DA SILVA LOPES A GESTÃO DE PROCESSOS DO ENSINO DE GRADUAÇÃO: Estudo sobre as demandas de visitas técnicas e trabalhos de Campo na Universidade Federal de Juiz de Fora

EDILVANA MARA DA SILVA LOPES A GESTÃO DE PROCESSOS DO ENSINO DE GRADUAÇÃO: Estudo sobre as demandas de visitas técnicas e trabalhos de Campo na Universidade Federal de Juiz de Fora

A presente dissertação é desenvolvida no âmbito do Mestrado Profissional em Gestão e Avaliação da Educação (PPGP) do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da [r]

142 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados