Top PDF CONSERVAÇÃO Ex Situ DE RECURSOS GENÉTICOS DE PLANTAS NA REGIÃO TROPICAL ÚMIDA.

CONSERVAÇÃO Ex Situ DE RECURSOS GENÉTICOS DE PLANTAS NA REGIÃO TROPICAL ÚMIDA.

CONSERVAÇÃO Ex Situ DE RECURSOS GENÉTICOS DE PLANTAS NA REGIÃO TROPICAL ÚMIDA.

tats naturais, objetivando garantir proteção ao conjunto de genes das espécies e, quando necessário, preservar seu ecossistema inteiro. Nesse caso, para que a conservação seja eficie[r]

19 Ler mais

Conservação ex situ e on farm de recursos genéticos: desafios para promover sinergias e complementaridades.

Conservação ex situ e on farm de recursos genéticos: desafios para promover sinergias e complementaridades.

A questão dos limites da conservação ex situ em relação à conservação dos recursos genéticos vegetais sob cultivo, aliada aos problemas técnicos e administrativos encontrados em grande parte dos Bancos de Germoplasma que compõem a rede de conservação ex situ do Grupo Consultivo em Pesquisa Agrícola Internacional (CGIAR), e a evidente aceleração do processo de erosão genética culminaram na Declaração de Leipzig, em 1997. Naquele momento, a FAO reconheceu que a erosão genética não é um processo restrito aos campos de cultivo e ecossistemas: ela ameaça também os bancos de genes. Para além das discussões técnicas e científicas sobre os limites do modelo de conservação ex situ, estabelecidos sem qualquer conexão com a conservação on farm, a questão do direito soberano dos países sobre os seus recursos e o direito de agricultores sobre as plantas por eles cultivadas começaram a ganhar força também na arena política. Assim, um dos resultados da Convenção sobre a Diversidade Biológica (CDB) realizada em 1992, no Rio de Janeiro (RJ), foi a mudança de status dos recursos genéticos enquanto “patrimônio comum da humanidade” para patrimônio dos Estados Nacionais (Santilli, 2009, p. 234). A principal consequência prática dessa mudança foi a necessidade de consentimento prévio, pelos países detentores dos recursos, para toda e qualquer atividade realizada com material genético nativo, da coleta à bioprospecção, por outros países ou por empresas privadas (Santilli, 2009).
Mostrar mais

14 Ler mais

Caracterização de diásporos e conservação ex situ de populações de Butia capitata [Mart. (Becc.) Arecaceae]

Caracterização de diásporos e conservação ex situ de populações de Butia capitata [Mart. (Becc.) Arecaceae]

As populações naturais de Butia capitata vêm sofrendo em suas áreas de ocorrência com o extrativismo predatório, desmatamento e pisoteio provocado pela criação extensiva de gado (Azambuja, 2009; Ribeiro et al., 2011). A conservação ex situ, ou seja, em condições diferentes às do seu habitat natural, vem ganhando destaque para a conservação de recursos genéticos de espécies ameaçadas de extinção e/ou com alguma importância econômica. Essa conservação desdobra-se em métodos convencionais, como preservação de plantas em campo, de sementes em câmaras de conservação, e em tecnologias alternativas, como a conservação in vitro (Scherwinski-Pereira e Costa, 2010). A seleção de um ou vários métodos depende das necessidades, possibilidades e da espécie em foco (Santos e Bettencourt, 2002). Contudo, de maneira geral, o armazenamento de sementes é um dos métodos mais utilizados (Scherwinski-Pereira e Costa, 2010), por serem a unidade de propagação natural para a maioria das espécies de plantas e, também, por algumas suportarem um determinado grau de secagem e baixas temperaturas durante o armazenamento (Costa, 2009).
Mostrar mais

59 Ler mais

O PAPEL DOS CONSUMIDORES NA CONSERVAÇÃO E NO MANEJO DE CURSOS GENÉTICOS FLORESTAIS IN SITU

O PAPEL DOS CONSUMIDORES NA CONSERVAÇÃO E NO MANEJO DE CURSOS GENÉTICOS FLORESTAIS IN SITU

Gilbert também ressalta a grande importância, nestes sistemas de floresta tropical, das for migas que existem em todos os níveis tráficos (inclusive e especialmente como mutualistas, predadores e decompositores), e exercem uma infinidade de funções necessárias à estruturação, integração e estabilidade dos sistemas, até representando boa parte da biomassa animal deles (FITTKAU & KLINGE, 1973). GILBERT (1980) também aborda a complicada questão de conservação da diversidade genética e interações em sistemas tão delicados, cujos subsistemas podem ser integralmente regulados por elementos tão pequenos que nunca seriam registrados em qualquer levantamento do sistema (como algumas partes do "mosaico de formigas" ou outros decompositores, microorganismos patogênicos ou recicladores, ou Trichogramma, vespas minúsculas que parasitam ovos de insetos fitófagos; veja GILBERT, 1977). A integridade do sistema pode depender de certas espécies-chave desconhecidas que funcionam apenas em ocasiões de excepcional "stress", sendo imperceptíveis em outras épocas. Ele dá ênfase à manutenção de heterogeneidade nos sistemas através de contínua perturbação, permitindo aberturas de novos nichos e presença de muitas espécies de sucessão secundária. Estas são importantes não apenas na manutenção de diversidade global, mas também como recursos alternativos ou até chaves para ligações móveis consideradas típicas de floresta primitiva, tais como as abelhas de orquídeas (Euglossinae, Figura 1-A) cujos machos polinizam especificamente diversas orquídeas da floresta primária, mas cujas fêmeas preferem Solanum e outras plantas de sucessão secundária. Gilbert chega a recomendar que uma parte importante do manejo de sistemas florestais tropicais seja o encorajamento de agricultura itinerante em "zonas tampão" ao redor das unidades de conservação, garantindo a presença dos sistemas sucessionários ao lado dos primários.
Mostrar mais

15 Ler mais

Coleta e conservação ex situ de cactáceas nativas do estado do Ceará

Coleta e conservação ex situ de cactáceas nativas do estado do Ceará

_________________________________________________________________________________________________ R ESUMO – Apesar de o Brasil possuir alta diversidade de cactos, o conhecimento da família na região Nordeste ainda tem lacunas de coleta e dos locais de ocorrência das espécies. Esse é o caso do Estado do Ceará, uma das regiões menos conhecidas para Cactaceae no Brasil. A Embrapa Agroindústria Tropical realizou três coletas no Estado entre os anos de 2004 e 2011, possibilitando o estabelecimento de uma coleção de germoplasma. De 25 taxons nativos do Ceará, as expedições realizadas pela Embrapa possibilitaram a coleta de 20 dessas espécies, sendo uma endêmica: Pilosocereus chrysostele subsp. cearensis. A primeira coleta foi realizada com para resgatar as plantas na área da implantação do açude Castanhão. A segunda ocorreu no município de Monsenhor Tabosa. Com essas duas coletas foram introduzidas, na coleção de cactáceas da Embrapa Agroindústria Tropical, oito espécies da família. Uma terceira coleta foi realizada como parte de ação do Plano de Ação Nacional para a Conservação de Espécies de Cactáceas Ameaçadas, ligado ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Esta expedição, a mais longa realizada até então, ocorreu entre 18 e 27 de janeiro de 2011. A partir desta coleta o número de táxons da família Cactaceae da Coleção da Embrapa, passou de oito para vinte, evento de suma importância para o maior conhecimento taxonômico e da ocorrência das espécies nativas do Ceará, bem como para a conservação das mesmas. Nesta última expedição duas espécies inusitadas, Discocactus zehntneri subsp. zehntneri e Melocactus oreas subsp. oreas foram registradas e coletadas, tendo sido o primeiro registro dessas espécies no Estado do Ceará.
Mostrar mais

10 Ler mais

Análise espacial de populações naturais de Dipteryx alata Vogel.: Subsídio para coleta de sementes

Análise espacial de populações naturais de Dipteryx alata Vogel.: Subsídio para coleta de sementes

A distribuição espacial de uma espécie ou de populações é importante para conhecer os processos sucessionais e ecológicos que são fundamentais para a compreensão de um sistema florestal e, a partir disto, adotar medidas de manejo para preservação ou conservação da floresta (RODE et al., 2010). O padrão pontual na análise espacial ressalta a importância da variável a ser analisada no seu local de ocorrência. A primeira pergunta a ser respondida é se o padrão exibido é completamente aleatório, agrupado ou regular (CRESSIE, 1993). A segunda pergunta é qual a importância ecológica desse padrão. Por exemplo, ao se considerar a localização de espécies florestais em uma ocorrência natural, qual a significância biológica do padrão espacial dessas espécies.
Mostrar mais

25 Ler mais

Variação genética para caracteres silviculturais em progênies de polinização aberta de Astronium graveolens Jacq. (Anacardiaceae).

Variação genética para caracteres silviculturais em progênies de polinização aberta de Astronium graveolens Jacq. (Anacardiaceae).

h igual a 0,15 para a variável altura, valor este relativamente superior ao encontrado neste trabalho para altura (0.08). Essas observações são meramente comparativas, pois cada espécie possui um mecanismo diferente de adaptação para os locais onde está sendo testado ou cultivado e este parâmetro é também influenciado pela idade de avaliação. A obtenção de valores baixos para herdabilidade significa que há fraco controle genético do caráter em estudo, logo baixa probabilidade de obter-se ganhos genéticos com a seleção entre progênies para a população estudada de A. graveolens. Interpretando a herdabilidade em nível de média de progênies, em termos de conservação genética ex situ, o baixo valor estimado na população em estudo indica baixo potencial para responder à seleção natural, visto existir poucas possibilidades de se alterar a média da população pela seleção natural das progênies, principalmente para os caracteres altura e forma do fuste. Tabela 2 - Estimativas do coeficiente de variação genético (CVg), herdabilidade média entre progênies ( ) e a acurácia (Ac) para os caracteres silviculturais: DAP (cm), altura (m) e forma do fus- te (Forma) para progênies de Astronium graveolens, aos 19 anos de idade, em Luiz Antônio-SP.
Mostrar mais

8 Ler mais

Estratégias para a embriogênese somática e conservação ex situ de germoplasma de macaúba [Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart.]

Estratégias para a embriogênese somática e conservação ex situ de germoplasma de macaúba [Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart.]

A criopreservação de embriões zigóticos apresenta como uma das vantagens, o fato do embrião se desenvolver diretamente em plântula, um fator importante quando se pretende conservar recursos genéticos vegetais. Neste trabalho, um eficiente e simplificado protocolo para a criopreservação de embriões zigóticos de macaúba, uma espécie de palmeira com potencial para a produção de biodiesel, foi desenvolvido. Embriões foram extraídos de sementes e reidratados por 15 horas em meio contendo 3% de sacarose. Em seguida, os embriões zigóticos foram submetidos a tratamentos de dessecação em câmara de fluxo laminar por períodos de 0, 2, 4, 6 e 8 horas. Em cada período, parte dos embriões foi inoculada em meio de germinação e parte foi colocada em criotubos estéreis e imersos diretamente em nitrogênio líquido por até 360 dias. No descongelamento, os criotubos foram mergulhados em banho-maria a 40 °C por 90 segundos (descongelamento rápido). Ao avaliar a influência da dessecação na germinabilidade, observou-se que há diminuição da germinabilidade com o aumento do tempo de dessecação, com médias de 97 e 75% para 0 h e 8 horas de dessecação, respectivamente. Para os embriões zigóticos criopreservados, a maior percentagem de germinação (81%) foi obtida após 6 horas de dessecação, quando os embriões apresentavam 11% de umidade. Embriões criopreservados com 11% de teor de umidade por até 360 dias apresentaram 75% sobrevivência.
Mostrar mais

157 Ler mais

ARNALDO FERNANDES CORRÊA ESTUDO DE CASO: O PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DA DIRETORIA DE PESSOAL NA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

ARNALDO FERNANDES CORRÊA ESTUDO DE CASO: O PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DA DIRETORIA DE PESSOAL NA REGIONAL DE ENSINO DE UBÁMG

Cientes disso, e, considerando as competências estabelecidas nos parágrafos: I ao XXV, do referido documento, bem como da Nota Técnica de junho de 2011 e do Ofício Circular DPOC/SPS nº 472/2011, a equipe de colaboradores passou a atuar em todas as áreas em que permeiam a Gestão de Pessoal da SRE/Ubá, conforme relatos fornecidos por funcionários da área de pessoal do órgão, e que pode ser também melhor visualizados através da figura 4, a saber: A Diretoria de Pessoal é gerenciada por um gestor com subordinação técnica à Subsecretaria de Gestão de Recursos Humanos do Órgão Central, além de uma subordinação administrativa, ao Superintendente Regional de Ensino. Suas atribuições estão relacionadas ao planejamento, coordenação, acompanhamento, avaliação e execução de todas as ações de administração de pessoal no âmbito regional, as quais envolvem as duas divisões: Gestão de Pessoal e Direitos e Vantagens, além do Setor de Pagamento, NTE e Arquivo, todos diretamente vinculados à DIPE.
Mostrar mais

167 Ler mais

Filogeografia, diferenciação geográfica e caracterização citogenética de populações naturais de Psychotria ipecacuanha das florestas Atlântica e Amazônica

Filogeografia, diferenciação geográfica e caracterização citogenética de populações naturais de Psychotria ipecacuanha das florestas Atlântica e Amazônica

A manutenção da variação genética é um dos maiores objetivos para a conservação de espécies ameaçadas de extinção (Avise e Hamrick, 1996). A principal meta da conservação é assegurar a sobrevivência contínua de populações e manter seu potencial evolutivo. O conhecimento dos níveis reais da variação genética entre e dentre populações de espécies raras e ameaçadas fornecem informações essenciais para a formulação de apropriadas estratégias de conservação (Falk e Holsinger, 1991; Milligan et al., 1994). A intensa perda de habitat e a fragmentação, atualmente atribuída à pressão antrópica, tem ocasionado uma diminuição nas populações de Psychotria ipecacuanha determinando sua inclusão na lista de espécies ameaçadas de extinção. Apesar da atual fragmentação e da redução das populações de Psychotria ipecacuanha, este estudo ainda detectou uma relevante diversidade genética em suas populações, fato este que pode ser atribuído à longevidade dos indivíduos e ao alto índice de reprodução vegetativa apresentado por Psychotria ipecacuanha. Estes fatores podem estar perpetuando o polimorfismo antigo já existente nos indivíduos desta espécie.
Mostrar mais

136 Ler mais

Variabilidade genética do umbuzeiro no Semi-Árido brasileiro, por meio de marcadores AFLP.

Variabilidade genética do umbuzeiro no Semi-Árido brasileiro, por meio de marcadores AFLP.

Resumo – O objetivo deste trabalho foi avaliar a distribuição da variabilidade genética do umbuzeiro (Spondias tuberosa), no Semi-Árido brasileiro, por meio de marcadores AFLP, para subsidiar estratégias de prospecção e conservação da espécie. Foram analisados 68 indivíduos de umbuzeiro de 15 ecorregiões, pelo dendrograma UPGMA e pela dispersão em escala multidimensional (MDS), com o coefi ciente de Jaccard de 141 bandas polimórfi cas de AFLP. A análise da variância molecular foi realizada pela decomposição total entre e dentro das regiões ecogeográfi cas. O dendrograma apresentou valor cofenético de 0,96, e o gráfi co MDS apresentou 0,25 para a falta de ajustamento. A variabilidade genética do umbuzeiro foi estimada em 0,3138, o que indica grande variação entre os grupos de indivíduos. Agrupamentos específi cos foram observados em seis regiões ecogeográfi cas, enquanto nas demais regiões observaram-se pares entre alguns indivíduos, sem formação de agrupamentos específi cos por local de amostragem, o que indica que a variabilidade genética do umbuzeiro não está uniformemente distribuída no Semi-Árido. Sugerem-se estratégias para o estabelecimento de maior número de áreas para conservação in situ ou amostragens de menor número de indivíduos, em várias unidades de paisagens, para conservação ex situ da variabilidade genética do umbuzeiro.
Mostrar mais

7 Ler mais

Diversidade genética entre populações caprinas com base em marcadores morfométricos

Diversidade genética entre populações caprinas com base em marcadores morfométricos

A raça Moxotó é o tipo local mais prontamente identificável. Foi predominantemente encontrada no Vale do Moxotó, no Estado do Pernambuco, pelo menos desde o início do século XIX, por Farias (1937). Foi reconhecida como raça pelo Ministério da Agricultura em 1977 (Brasil, 1977). São animais uniformes em cor, tamanho e tipo, caracterizados pela pelagem clara sobre o dorso e negra no ventre e em parte dos membros, e também por duas linhas negras que descem pela face e uma, sobre o dorso. Apresentam orelhas eretas e tamanho médio (similar ao de Canindé). Os chifres também são de tamanho mediano. Segundo Machado (2001) e Machado & Machado (2000a), foram identificados dez rebanhos da raça Moxotó distribuídos nos Estados do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, e São Paulo. Seu estado de conservação é vulnerável.
Mostrar mais

120 Ler mais

Manual de Contagem de Hidratos de Carbono na Diabetes Mellitus para profissionais de saúde – Normas de Orientação Clínica

Manual de Contagem de Hidratos de Carbono na Diabetes Mellitus para profissionais de saúde – Normas de Orientação Clínica

Em Portugal são usadas diferentes metodologias de contagem, conforme os centros de tratamento devido à adoção de diferentes pressupostos. Verificou-se alguma disparidade na metodologia [r]

44 Ler mais

Comunicação eficaz na transição de cuidados de saúde – Normas de Orientação Clínica

Comunicação eficaz na transição de cuidados de saúde – Normas de Orientação Clínica

A. Segurança do doente: redução de risco de dano desnecessário à pessoa que recebe os cuidados de saúde, para um mínimo aceitável. O mínimo aceitável é de uma forma geral direcionado para o conhecimento atual, recursos disponíveis, contexto da prestação de cuidados em oposição ao risco de não tratamento ou de outro.

8 Ler mais

PRÁTICAS DE GESTÃO ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO NA ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM MAURÍCIO DE AZEVEDO DE JANAÚBAMG

PRÁTICAS DE GESTÃO ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO NA ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM MAURÍCIO DE AZEVEDO DE JANAÚBAMG

administrar os recursos financeiros de uma escola não é tarefa fácil. É preciso avaliar muito bem onde aplicá-los de forma que tenham reflexos na qualidade do ensino e na aprendizagem dos alunos. Para isso, o planejamento de gastos deve estar em linha com o projeto político pedagógico (PPP). As metas e os objetivos definidos nesse documento indicarão como investir para garantir o funcionamento da instituição em condições satisfatórias. O conceito pode parecer óbvio, mas nem sempre é levado a sério. Mesmo com autonomia para gerir os recursos, muitas vezes a equipe gestora se depara com o dilema de onde aplicá-los. Para tanto, deve lembrar que as decisões têm de ser tomadas em conjunto com a comunidade escolar (FRAIDENRAICH, 2010, s/p).
Mostrar mais

153 Ler mais

A natureza social da ex-União Soviética. Atualidade de uma polêmica — Outubro Revista

A natureza social da ex-União Soviética. Atualidade de uma polêmica — Outubro Revista

A queda dos regimes stalinistas no Leste europeu e na ex-União Sovi- ética e o evidente processo de restauração do capitalismo nesses países, pro- vocou, para bem e para mal, um verdadeiro terremoto na esquerda mundial. Entre aqueles setores que viam nesses países formações econômico- sociais representativas do que chamavam “socialismo real”, abriu-se uma grande crise. Ao mesmo tempo, ganhou ímpeto a revisão de um instrumen- tal supostamente marxista, revisão esta que terminou na maioria das vezes com a conclusão da vitória inexorável do capitalismo. Tal foi o caso dos partidos comunistas, de outras organizações de caráter stalinista e dos inte- lectuais que giravam em sua órbita de influência.
Mostrar mais

19 Ler mais

Amostragem sistemática versus amostragem aleatória em floresta tropical úmida de terra firme na região de Manaus.

Amostragem sistemática versus amostragem aleatória em floresta tropical úmida de terra firme na região de Manaus.

Mantjo Ecológico (Bacia 3). enxo padhão estimado {,oi obtido athavés da amostnagem sistemática, mesmo considejuxndo que. na amostAagem alcatónla fan.am feitos 5 òofvteÁoò di&cn.[r]

8 Ler mais

OS DESAFIOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE ARQUIVOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA: O CASO DA CAP/PROGEPE – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

OS DESAFIOS NA IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE ARQUIVOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA: O CASO DA CAP/PROGEPE – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Na prática, ocorre que um documento recebe um código de acordo com aqueles propostos pelo CONARQ, segundo seu assunto, proveniência (em qual repartição ou estrutura organizacional foi produzido) e demais particularidades. A esse código em particular corresponde uma tabela de temporalidade que fixa os períodos pelos quais o documento será guardado em cada idade do seu ciclo - corrente, intermediário e permanente. Por exemplo, tomemos o caso da GREM, setor responsável por gerir a folha de pagamento dos servidores da UFJF, além de outros direitos e percepções financeiras como pensões e auxílios. Os processos de folha de pagamento produzidos por essa gerência correspondem ao código de classificação 024.1, de acordo com o manual de classificação e temporalidade. Essa subentrada pertence à área seção 024, "Direitos, obrigações e vantagens", que por sua vez pertence à série 020, que corresponde à documentação relacionada a "Pessoal", ou recursos humanos. Voltando ao processo de folha de pagamento, atribui-se a ele, sob o código 024.1, o prazo de guarda de cinco anos na fase corrente, 95 na fase intermediária e, ao ser recolhido para a fase permanente, deverá ser eliminado.
Mostrar mais

166 Ler mais

Floristic diversity of the soil weed seed bank in a rice-growing area of Brazil: in situ and ex situ evaluation

Floristic diversity of the soil weed seed bank in a rice-growing area of Brazil: in situ and ex situ evaluation

Differences observed between the amount of seeds ger- minated in situ (in the field) and ex situ (in the greenhouse) might be explained by various factors including seed and seedling losses in the field due to the activities of microor- ganisms, insects, rodents, lizards, birds and other animals. According Ghersa & Martinez-Ghersa (2000), weed seed losses due to predators range from 5% to 15%. However, in a post-dispersal weed seed study carried out in rice fields in the Philippines, Chauhan et al. (2010) observed that Solenopsis geminata (fire ants), which were the main preda- tors of weed seeds, were responsible for the removal of 98%, 88% and 75% of D. ciliaris, E. indica and E. colona seeds, re- spectively, from the soil surface over a period of only 14 days. Another possible explanation for the differences observed in the present study is that occasional periods of soil water stress and losses (due to intraspecific and interspecific competition) resulted in germination failure, as observed by Herault & Hiernaux (2004) in a weed seed and population dynamics study carried out in Africa. Similar observations were reported by Isaac & Guimarães (2008), in a study of the weed seed bank and emergent flora in crop fields in the state of Mato Grosso, in western Brazil. In the greenhouse, our seeds were protected from predators and system- atically irrigated, which did not happen in the field. Maia et al. (2004), studying weed seed banks in natural fields, also observed that soil moisture content was one the most important abiotic factors affecting the patterns of vegetation. Other authors have also cited soil water content as a deter- minant of weed seed bank germination (Munhoz & Felfili 2006; Vivian et al. 2008). In our ex situ study, the seeds were further protected by the removal of weed seedlings from the trays after the assessments, which eliminated competition, and by the fact that we controlled abiotic factors such as air relative humidity, light and temperature.
Mostrar mais

7 Ler mais

Assessing the biodiversity impacts of policies related to REDD+

Assessing the biodiversity impacts of policies related to REDD+

Piotto D., Montagnini F., Thomas W., Asthon M. and Oliver C. (2009) Forest recovery after swidden cultivation across a 40-year chronosequence in the Atlantic forest of southern Bahia, Brazil. Plant Ecology 205: 261-272. Putz F.E., Sist P., Fredericksen T. and Dykstra D. (2008) Reduced-impact logging: Challenges and opportunities. Forest Ecology and Management 256: 1427–1433. Rodrigues A.S.L., Ewers R.M., Parry L., Souza Jr. C., Verissimo A., Balmford A. and Souza C (2009) Boom- and-bust development patterns across the Amazon deforestation frontier. Science 324:1435-1437. Ruesch A.S. and Gibbs H. (2008). New global biomass carbon map for the year 2000 based on IPCC Tier-1 methodology. Oak Ridge National Laboratory’s Carbon Dioxide Information Analysis Center: Oak Ridge, USA. Available online from the Carbon Dioxide Information Analysis Center. Available from http://cdiac. ornl. gov Saatchi S.S., Harris N.L., Brown S., Lefsky M., Mitchard E.T.A., Salas W., Zutta Brian R., Buermann W., Lewis. S.L., Hagen S., Petrova S., White L., Silman M. and Morel, A. (2011). Benchmark map of forest carbon stocks in tropical regions across three continents. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of
Mostrar mais

40 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados