Top PDF CRESCIMENTO DE MUDAS DE Jacaranda puberula Cham. EM VIVEIRO SUBMETIDAS A DIFERENTES NÍVEIS DE LUMINOSIDADE

CRESCIMENTO DE MUDAS DE Jacaranda puberula Cham. EM VIVEIRO SUBMETIDAS A DIFERENTES NÍVEIS DE LUMINOSIDADE

CRESCIMENTO DE MUDAS DE Jacaranda puberula Cham. EM VIVEIRO SUBMETIDAS A DIFERENTES NÍVEIS DE LUMINOSIDADE

Constatou-se que, após 120 dias, o tratamento com menor sobrevivência (0% de sombreamento), apresentava 21 mudas (52,5%), conforme Tabela 1. Por causa de tal fato, as médias de altura e diâmetro foram obtidas usando-se 21 dados por tratamento, de forma a padronizar o número de amostras. Segundo Banzatto e Kronka (1995), para um delineamento inteiramente casualizado o número de repetições pode ser diferente, embora o ideal é que seja utilizado o mesmo número de repetições para a análise estatística e teste de comparação de médias. No entanto, essa alta mortalidade pode ter ocorrido em razão de fatores não- inerentes ao tratamento. O fato das mudas terem sido repicadas e colocadas diretamente a pleno sol pode ter ocasionado a grande mortalidade, que não ocorreu com os tratamentos sombreados, portanto a discussão será baseada nos tratamentos que receberam 30, 50 e 70% de sombreamento, visando a eliminar a provável influência do estresse da muda após a repicagem e submissão direta a luz plena. Outro fator é a questão de exigência da espécie por solo úmido (Reitz, 1974) que pode ter influenciado a mortalidade. Daniel et al. (1994) também encontraram a menor porcentagem de sobrevivência para Goupia glabra em 0% de sombreamento em comparação com 30, 50 e 80 %. Apesar disso, as médias foram mantidas com 21 mudas. TABELA 1: Porcentagem de sobrevivência de Jacaranda puberula nos diferentes períodos de avaliação. TABLE 1: Percentage of survival of Jacaranda puberula in the different evaluation periods.
Mostrar mais

7 Ler mais

Desenvolvimento de mudas de catingueira em diferentes substratos e níveis de luminosidade.

Desenvolvimento de mudas de catingueira em diferentes substratos e níveis de luminosidade.

Seguindo a mesma tendência das outras variáveis analisadas, as plantas crescidas em T e T+A lançaram mais folhas. 30 e 50% de luminosidade também ofereceram as melhores condições de cultivo (Tabela 1). Apesar dessa característica não ser uma das mais indicadas para representar o crescimento das plantas quando submetidas a diferentes níveis de luz (já que as plantas durante seu ciclo de vida perdem e lançam folhas continuamente), Tabela 1 – Valores médios de diâmetro de colo (mm), altura

6 Ler mais

Taxas de crescimento de mudas de catingueira submetidas a diferentes substratos e sombreamentos.

Taxas de crescimento de mudas de catingueira submetidas a diferentes substratos e sombreamentos.

RESUMO – A catingueira (Caesalpinia pyramidalis Tul.) é uma espécie nativa da caatinga dotada de grande resistência à seca e de grande potencial econômico. No entanto, não existem informações sobre o desenvolvimento dessa espécie em diferentes substrates e luminosidade, fatores ambientais que mais influenciam a produção de seedlings florestais. Dessa forma, este trabalho teve por objetivo avaliar o efeito de diferentes níveis de shading e tipos de substrates nas taxas de crescimento de mudas de catingueira. O experimento foi conduzido na Universidade do Estado da Bahia e na Embrapa Semiárido, Petrolina, PE. As sementes foram semeadas em recipientes preenchidos com diferentes substratos: solo, areia, solo+areia, solo+areia+esterco caprino e substrato comercial, sendo os recipientes mantidos em quatro diferentes sombreamentos, a céu aberto (sem sombreamento) e em telados tipo sombrite de 30%, 50% e 75% de sombreamento. Aos 30, 60 e 100 dias após a estabilização da emergência das plântulas, as mudas foram avaliadas quanto à taxa de crescimento absoluto, taxa de crescimento relativo, taxa assimilatória líquida, razão de área foliar,área foliar específica, peso específico da folha e razão de peso foliar. Não houve interação significativa entre os dois fatores estudados em nenhuma das taxas de crescimento calculadas. Nas condições deste trabalho, foi possível concluir que as taxas de crescimento das mudas de catingueira, em geral, não foram influenciadas pela luminosidade às quais elas foram submetidas e que solo coletado em região de caatinga, combinado ou não, com areia e esterco, possibilitou maior crescimento das mudas.
Mostrar mais

12 Ler mais

Intensidade da seca da mangueira em mudas submetidas a diferentes níveis de salinidade

Intensidade da seca da mangueira em mudas submetidas a diferentes níveis de salinidade

Os teores de N reduziram-se com o aumento da concentração de NaCl, na ausência ou presença do patógeno. Acredita-se que os teores de N são afetados pelo patógeno do mesmo modo que para K. Houve correlação negativa da concentração de N e Cl nas plantas submetidas ao estresse salino (Perez et al, 1993). O incremento na absorção e acúmulo de Cl por causa da adição de NaCl pode ter acompanhado o decréscimo do teor de N nestes ensaios. O estresse salino também atua reduzindo a atividade da nitrato redutase, que ocasiona o decréscimo no teor de N, sendo um dos fatores responsáveis pela redução do crescimento e da produção de biomassa observados neste trabalho. Os nutrientes exercem funções específicas no metabolismo vegetal, afetando o crescimento e desenvolvivmento. Com aumento do N, há incremento no desenvolvimento da planta, em vista da maior produção de massa seca, o que caracteriza crescimento vegetativo. Nos dois ensaios, observou-se redução no teor de N, com consequente redução no desenvolvimento da planta.
Mostrar mais

77 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA PRISCILA SOARES LIMA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA PRISCILA SOARES LIMA

Na experiência em análise, os professores não tiveram formação para tal mudança e foram experimentando e construindo, a seu modo, uma escola de tempo integral, [r]

198 Ler mais

“Feixe de Intervenções” de Prevenção de Infeção Urinária Associada a Cateter Vesical – Normas de Orientação Clínica

“Feixe de Intervenções” de Prevenção de Infeção Urinária Associada a Cateter Vesical – Normas de Orientação Clínica

Existe evidência de que é efetuada realização da higiene diária do meato uretral, pela pessoa (sempre que possível) ou pelos profissionais de saúde com ação de educação para a saúde [r]

12 Ler mais

Variabilidade genética de procedências e progênies de erva-mate nativa (<em>Ilex paraguariensis</em> St. Hil.) no sudoeste do estado de Mato Grosso do Sul

Variabilidade genética de procedências e progênies de erva-mate nativa (<em>Ilex paraguariensis</em> St. Hil.) no sudoeste do estado de Mato Grosso do Sul

O testes de procedência e progênie, para avaliação do cresci- mento inicial das mudas, foi instalado no viveiro de mudas da Fazenda Rancho Esperança localizada no município de Aral Moreira, sob o deli- neamento de blocos ao acaso com 3 procedências, 25 tratamentos (progênies) de cada uma das procedências, 5 repetições e 4 plantas por parcela em linhas simples. Aos 5 meses de idade, as progênies foram avaliadas quanto aos caracteres: a) altura total das plantas, expressas em centímetros; b) diâmetro do coleto expresso em milímetros; e c) número de lançamentos foliares.
Mostrar mais

15 Ler mais

A IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA EDUCACIONAL DE ATENÇÃO AO JOVEM - PEAS JUVENTUDE: O ESTUDO DE CASO DE DUAS ESCOLAS ESTADUAIS EM PATOS DE MINAS - MG

A IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA EDUCACIONAL DE ATENÇÃO AO JOVEM - PEAS JUVENTUDE: O ESTUDO DE CASO DE DUAS ESCOLAS ESTADUAIS EM PATOS DE MINAS - MG

o PEAS me ajudou muito a resgatar a minha auto estima, porque nas discussões fui percebendo o valor que cada um de nós temos, como seres individuais e únicos. Antes, quando eu não acreditava no meu potencial, eu tremia muito quando tinha que falar em público na reunião de pais ou professores, mas perdi a timidez e me sinto encorajada para propor trabalhos diferentes em grupos, nas atividades extraclasse, tornando as minhas reuniões mais dinâmicas e atrativas para os professores. O PEAS sempre enfatizou o protagonismo juvenil e o empoderamento das pessoas que trabalham nele, é assim que me sinto hoje, empoderada [...] (risos da coordenadora) (Entrevista realizada com a Coordenadora Pedagógica da Escola Estadual Perspectiva de Vida em 07/05/2013).
Mostrar mais

213 Ler mais

LUIZ FELIPE FERRARI CERQUEIRA DE FARIAS AGRONEGÓCIO E LUTA DE CLASSES: DIFERENTES FORMAS DE SUBORDINAÇÃO DO

LUIZ FELIPE FERRARI CERQUEIRA DE FARIAS AGRONEGÓCIO E LUTA DE CLASSES: DIFERENTES FORMAS DE SUBORDINAÇÃO DO

63 Moraes Silva destaca que tais novas mediações privadas da exploração-dominação acionam tanto mecanismos coercitivos como ideológicos com vistas a converter os empregados rurais em “trabalhadores de empresa”, criando determinados modos de viver, pensar e trabalhar. Esforçam-se por criar um trabalhador impregnado de um conjunto de valores, capazes de fazer com que sua conduta e seu ritmo de trabalho sigam as determinações da empresa a partir de um comando interno, como que surgido de si próprio. A autora destaca um rol de disposições morais utilizadas como critérios, seja na contratação dos trabalhadores, seja em sua posterior formatação: a necessidade de fazer as coisas bem feitas, com capricho e persistência; a motivação para assumir responsabilidades; o gosto pela ação, pelo exercício físico e pelo trabalho; afabilidade e lealdade; capacidade de sacrificar um pequeno benefício imediato em prol de uma maior recompensa futura, etc. (Moraes Silva, 1999, p. 204). Além de cursos periódicos de treinamento e socialização dos trabalhadores no ambiente da empresa, há mecanismos cotidianos de estímulo a tal perfil. Em diferentes culturas como na cana, no café e na laranja, vigora o salário por peças, comumente chamado de salário por produção. Trata-se de uma forma de remuneração que torna o trabalhador co-interessado na máxima intensificação do dispêndio de sua força de trabalho, pois isso lhe garante um maior pagamento ao final da quinzena, além de exigir menor necessidade de controle explícito e direto sobre o processo de trabalho, dada a maior internalização dos pré-requisitos deste pelo trabalhador. A esta forma de remuneração alia-se ainda enquanto meio de interiorização da dominação e da disciplina a perspectiva de gratificações periódicas, atribuídas àqueles que tiveram melhor produtividade e encarnaram da melhor forma os valores considerados indispensáveis à empresa.
Mostrar mais

329 Ler mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

FACULDADE DE TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

Reis (2006) afirma que a mineração pode ser considerada uma das atividades mais impactantes ao solo, embora, em geral, não afete grandes extensões territoriais. A remoção ou perda por erosão do horizonte superficial do solo, juntamente com a matéria orgânica, causa sérios problemas físicos, químicos e biológicos ao substrato remanescente. Nestes casos, a restauração dos níveis anteriores de matéria orgânica é muito difícil e demorada, uma vez que, a produção de serapilheira depende da capacidade produtiva do solo e precisa sofrer vários processos de transformação, para atuar beneficamente sobre o solo ou substrato, e ser capaz de sustentar a cobertura vegetal. Nestas condições, estabelece-se um ciclo vicioso em que a falta de matéria orgânica e de nutrientes, limita a produção de biomassa e, conseqüentemente, a produção de serapilheira, que é a principal matéria prima formadora da matéria orgânica do solo.
Mostrar mais

104 Ler mais

A HORA DE TRABALHO PEDAGÓGICO COLETIVO A PARTIR DA IMPLEMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR No 613/2011: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DE LIMEIRA – SP – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A HORA DE TRABALHO PEDAGÓGICO COLETIVO A PARTIR DA IMPLEMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR No 613/2011: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DE LIMEIRA – SP – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

O presente trabalho objetiva investigar como uma escola da Rede Pública Municipal de Ensino de Limeira – SP apropriou-se e utilizou o tempo da Hora de Trabalho[r]

177 Ler mais

DOCUMENTO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS PARA A ATUAÇÃO DE PSICÓLOGAS (OS) EM POLÍTICAS PÚBLICAS DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS

DOCUMENTO DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS PARA A ATUAÇÃO DE PSICÓLOGAS (OS) EM POLÍTICAS PÚBLICAS DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS

Cabe mencionar ainda que todo o trabalho deve ser encaminhado sob a égide da potencialização dos laços sociais, devendo instituir respostas para as diferentes situações e necessidades dos usuários, acolhendo e cuidando desde a urgência até o acompanhamento psicossocial e, além disso, intervindo nas cenas de uso, criando vínculo e garantindo acesso, sem preconceitos e compulsoriedade. Nesse contexto, a estratégia de Re- dução de Danos se apresenta como uma proposta ética de cuidado dire- cionadora das intervenções junto aos usuários de álcool e outras drogas. No que tange ao desafiador cuidado com as crianças e adoles- centes usuárias/os de álcool e outras drogas, pode-se utilizar os mesmos equipamentos pensados para atender usuários de álcool e drogas adultos no caso da atenção na rua, desde que de forma inte- grada com a comunidade e equipamentos específicos para crianças e adolescentes, como o Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAP- Si). O envolvimento do sistema de educação, intersetorialmente, pre- cisa ser ativado como importante aliado da rede, primeiramente atra- vés da problematização da temática e também por meio de práticas de inclusão daquelas crianças e adolescentes marginalizados do sis- tema de ensino. As casas abertas para moradia ou centros de convi- vência também devem ser constituídas, tanto como espaço de acolhi- mento quanto de elaboração de possibilidades de cuidado e inclusão social na reconstituição de vínculos sociais, familiares e escolares.
Mostrar mais

92 Ler mais

A GESTÃO DO CONHECIMENTO EM INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO: O CASO DE UM SETOR DA UFJF – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

A GESTÃO DO CONHECIMENTO EM INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO: O CASO DE UM SETOR DA UFJF – Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública

Além desta verificação, via SIAPE, o servidor assina Termo de Responsabilidade e Compromisso (anexo do formulário de requerimento) constando que não é custeado pel[r]

188 Ler mais

ALGORITMOS DE OTIMIZAÇÃO MULTIOBJETIVO PARA O PROBLEMA DE SEQUENCIAMENTO DE ATIVIDADES EM PROJETOS DE CONSTRUÇÃO METÁLICA

ALGORITMOS DE OTIMIZAÇÃO MULTIOBJETIVO PARA O PROBLEMA DE SEQUENCIAMENTO DE ATIVIDADES EM PROJETOS DE CONSTRUÇÃO METÁLICA

Primeiramente procede-se com o teste (7)-(8), verificando qual das hipóteses deve ser rejeitada através do cálculo do p-value para o teste. Com a ajuda do Minitab®, encontrou-se p-value = 0,004. Logo, pode-se afirmar, a um nível de 5% de significância (α = 0,05), que a hipótese (7) deve ser rejeitada, isto é, como α ≥ p-value, há evidências estatísticas suficientes para concluir que os valores médios referentes à medida de distância máxima são diferentes entre os algoritmos. Existe, portanto, uma forte evidência para concluir que os algoritmos têm um efeito na distância máxima. Como a ANOVA não nos diz quais algoritmos resultam em diferentes médias dessa métrica, novamente essa questão é respondida pelo método MDS. Com a ajuda do Minitab®, pode-se construir todos os intervalos conforme a Figura 39, a seguir.
Mostrar mais

117 Ler mais

CRESCIMENTO INICIAL DE MUDAS DE Bauhinia variegata SOB DIFERENTES TELAS COLORIDAS E CONDIÇÕES DE LUMINOSIDADE

CRESCIMENTO INICIAL DE MUDAS DE Bauhinia variegata SOB DIFERENTES TELAS COLORIDAS E CONDIÇÕES DE LUMINOSIDADE

RESUMO – Bauhinia variegata e B. variegata var. candida, popularmente conhecidas como pata-de-vaca, são árvores de porte baixo muito usadas na arborização urbana e no paisagismo. Plantas adultas crescem sob sol pleno; no Brasil, no entanto, mudas são geralmente cultivadas em viveiros comerciais sob meia- sombra. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência de diferentes telas coloridas e condições de luminosidade no crescimento inicial de mudas de B. variegata e B. variegata var. candida. A influência de seis condições de luminosidade (tela vermelha com 50% de sombreamento, tela azul com 50% de sombreamento, tela preta com 70% de sombreamento, tela preta com 50% de sombreamento, tela preta com 30% de sombreamento e a sol pleno) no crescimento inicial das mudas foi avaliada ao longo de 160 dias, e relações de crescimento foram calculadas. As mudas foram mais eficientes no uso dos fotoassimilados quando cultivadas a sol pleno. Essa condição é a mais apropriada para a produção de mudas de B. variegata e B. variegata var. candida, contrariando o que vem sendo feito na prática.
Mostrar mais

14 Ler mais

MAIS LONGE DO PÓDIO

MAIS LONGE DO PÓDIO

As provas são encurtadas quando o calor está muito intenso.” A atleta revela algumas me- didas utilizadas pelos atletas desse esporte para fugir do calor.. “Se o calor é muito inten-[r]

17 Ler mais

EDILVANA MARA DA SILVA LOPES A GESTÃO DE PROCESSOS DO ENSINO DE GRADUAÇÃO: Estudo sobre as demandas de visitas técnicas e trabalhos de Campo na Universidade Federal de Juiz de Fora

EDILVANA MARA DA SILVA LOPES A GESTÃO DE PROCESSOS DO ENSINO DE GRADUAÇÃO: Estudo sobre as demandas de visitas técnicas e trabalhos de Campo na Universidade Federal de Juiz de Fora

Dentro da perspectiva pedagógica foi investigada a relevância do tema desta dissertação para os cursos e se as discussões e ações praticadas são compatíveis com a importância atribuída. Foi investigado também o nível de informações e conhecimentos que os coordenadores detêm sobre o tema e o grau de motivação em praticar viagens formativas como recurso pedagógico. Constatamos nesse eixo que há consenso sobre a importância da prática educacional realizada fora de sala de aula, entretanto foram apresentadas situações muito diferentes entre si que requerem, em igual proporção, a atenção da gestão da graduação. Pelos relatos observamos que alguns coordenadores de cursos demonstram maior envolvimento com a prática pedagógica, são proativos, discutem e se mostram melhor informados, ainda que de forma fragmentada. Buscam recursos, muitas vezes próprios, para a realização das atividades e se sentem motivados em levar seus alunos a campo, ainda que enfrentem dificuldades. Por outro lado, foram apresentados relatos de desmotivação e de desconhecimento com relação à prática formativa realizada fora de sala de aula, ainda que no âmbito desses cursos haja professores que pratiquem a metodologia.
Mostrar mais

142 Ler mais

FACULDADE NOVOS HORIZONTES Programa de Pós-graduação em Administração Mestrado

FACULDADE NOVOS HORIZONTES Programa de Pós-graduação em Administração Mestrado

Verifica-se que alguns dos entrevistados demonstram seu incômodo e insatisfação por terem que enfrentar uma jornada mais intensa, a fim de cumprirem as tarefas que lhes foram designadas, gerando interferência em seu estado físico e emocional. Esses relatos vão ao encontro do argumento de diferentes autores. Segundo Dejours (2001), o ritmo de trabalho, bem como a organização do trabalho, produzem mudanças nos estilos dos vínculos sociais e na atividade psicológica dos sujeitos. Para Hoffman (2003), os motoristas profissionais, ao longo do tempo, enfrentam um ritmo acelerado de trabalho, gerando-lhes impactos físicos e mentais, emocionais e afetivos, prejudicando sua saúde, interferindo em sua qualidade de vida. De acordo com Santos Filho et al. (2011), a atividade dos motoristas profissionais registra dificuldades consideráveis, sobretudo, a cobrança das empresas para que os profissionais atendam aos prazos demarcados para a entrega de produtos, o que lhes imprime um intenso ritmo de trabalho. Há que se considerar, nesse sentido, que o aumento da produção, influenciado pela fase de expansão do capitalismo industrial, promoveu mudanças na realidade das relações de trabalho, como a questão salarial e o aumento e a intensidade da jornada (BARROS; ANDRADE; GUIMARÃES, 2008).
Mostrar mais

131 Ler mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA HEROCILDA DE OLIVEIRA ALVES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA CENTRO DE POLÍTICAS PÚBLICAS E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM GESTÃO E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO PÚBLICA HEROCILDA DE OLIVEIRA ALVES

Através dos resultados das avaliações bimestrais dos estudantes Inserção do protocolo de ações no Projeto Político Pedagógico da escola Analisar se houve melhoria nos resu[r]

139 Ler mais

PROPEC-Programa de Pós Graduação em Engenharia Cívil :: ANÁLISE NUMÉRICA AVANÇADA DE ESTRUTURAS DE AÇO E DE CONCRETO ARMADO EM SITUAÇÃO DE INCÊNDIO

PROPEC-Programa de Pós Graduação em Engenharia Cívil :: ANÁLISE NUMÉRICA AVANÇADA DE ESTRUTURAS DE AÇO E DE CONCRETO ARMADO EM SITUAÇÃO DE INCÊNDIO

No Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal de Ouro Preto (PROPEC/UFOP), a consideração de altas temperaturas na análise de estruturas iniciou-se[r]

218 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados