Top PDF Desenvolvimento e caracterização de espuma epoxidíca a base d’água

Desenvolvimento e caracterização de espuma epoxidíca a base d’água

Desenvolvimento e caracterização de espuma epoxidíca a base d’água

O avanço tecnológico da engenharia causou um importante impacto na vida moderna com o surgimento e desenvolvimento dos materiais poliméricos. Atualmente estes materiais possuem uma vasta aplicação que vai desde a indústria alimentícia até a fabricação de compósitos empregados na indústria aeroespacial. Espumas poliméricas, por sua vez, são mais conhecidas como isolantes e flutuadores ou como recheios em almofadas e embalagens. Sua aplicabilidade é pouco explorada e estudos, como este trabalho, continuam sendo realizados para se conhecer melhor suas propriedades e expandir suas aplicações, como por exemplo na indústria aeronáutica, de fabricação cerâmica e automobilística. O uso de moldes porosos poliméricos é uma realidade no mundo da fabricação de peças cerâmicas, por meio do método de colagem sob-pressão. Este método não é muito difundido nacionalmente, no processo de fabricação de louças de mesa, devido ao alto custo dos moldes. A obtenção de peças por um processo mais rápido, cujo molde seja executado na própria empresa, é o estimulo para a confecção de um molde poroso com uma espuma epoxídica à base d’agua. Três métodos de confecção da espuma foram testados e após a obtenção dos corpos de prova foram feitas avaliações de densidade aparente, módulo de elasticidade, amortecimento e microscopia. Estes ensaios foram feitos com métodos não destrutivos e após um ensaio de resistência a compressão foi realizado. Uma análise de custo relativo pelo módulo de elasticidade também foi feita para as composições com corpos de prova. Todos estes ensaios foram realizados visando a caracterização para aplicação direta deste polímero de engenharia na indústria.
Mostrar mais

86 Ler mais

Caracterização e desenvolvimento do comportamento acústico de um sistema de divisórias ligeiras à base de espuma de poliuretano

Caracterização e desenvolvimento do comportamento acústico de um sistema de divisórias ligeiras à base de espuma de poliuretano

Para além das experiências que se realizaram nesta área há também que referir as importantes contribuições que o desenvolvimento da física e da matemática trouxeram nos séculos XVIII e XIX. Foi nos inícios do século XVIII que o matemático inglês Brook Taylor desenvolveu um modelo de cálculo que descrevia a vibração em cordas. No entanto, devido à falta de bases matemáticas, este modelo era limitado e não se adaptava a outros sistemas. Mais tarde os estudos de Isaac Newton - que interpretou o som como “pulsos de pressão” transmitidos pelos fluidos circundantes [16] - e Gottfried Leibniz, embora não ligados directamente à acústica, resultaram na teoria de cálculo que permitiu ao francês Jean Le Rond d’Alembert, na década de 1740 a derivação da equação geral da onda. Com este avanço, vários matemáticos e cientistas surgiram com adaptações desta equação a diversos sistemas. A titulo de exemplo teremos o trabalho de Bernoulli, Euler e Lagrange, que aplicaram as novas equações da onda ao ar e a cordas, e de Poisson que estudou a propagação de ondas em membranas traccionadas, estudo mais tarde completado pelo alemão Alfred Clebsch.
Mostrar mais

131 Ler mais

Desenvolvimento e caracterização de filmes à base de proteínas do soro do leite : potencial funcionalização com quitosanos

Desenvolvimento e caracterização de filmes à base de proteínas do soro do leite : potencial funcionalização com quitosanos

Embora o quitosano tenha importantes actividades biológicas, a sua utilização na indústria alimentar e aplicações biomédicas são limitadas pela sua baixa solubilidade em água. Contrariamente ao quitosano, os oligoquitosanos normalmente são solúveis em água (devido à sua baixa massa molecular e à presença de resíduos de D-glucosamina com o grupo amina livre), pelo que são facilmente absorvidos pelo intestino e, posteriormente, entram na corrente sanguínea; por consequência, os efeitos biológicos destes derivados do quitosano no organismo humano fazem-se sentir de forma mais intensa (Kim e Rajapakse, 2005). Relativamente aos benefícios para a saúde humana, podem-se referir a capacidade de redução dos níveis de colesterol no sangue, redução da pressão arterial, protecção contra infecções e propriedades antitumorais e imunoestimuladoras (Kim e Rajapakse, 2005; Cabrera e Cutsem, 2005). É de salientar que a actividade biológica destes oligómeros depende essencialmente da estrutura e massa molecular dos mesmos (Jeon et al., 2000).
Mostrar mais

92 Ler mais

Desenvolvimento e caracterização físico - química, microbiológica, sensorial de produtos à base de manga

Desenvolvimento e caracterização físico - química, microbiológica, sensorial de produtos à base de manga

Em um estudo no Desenvolvimento de sorvete de chocolate utilizando-se fibra de casca de laranja como substituto de gordura foram elaboradas três formulações diferentes, sendo uma controle (C) com adição de gordura (5%) e duas com diferentes concentrações de fibra da casca da laranja (F1 e F2, com 0,74% e 1,10% de fibra, respectivamente). A aceitação sensorial dos sorvetes foi realizada por 50 provadores não treinados. Utilizou-se escala hedônica de nove pontos, com os pontos extremos 1 – “Desgostei Muitíssimo” e 9 – “Gostei Muitíssimo”. Foram avaliados os atributos cor, odor, sabor, sabor residual, textura e aceitação global. Verificou-se que, entre as características analisadas de cor, odor e textura, não houve diferenças significativas entre as três amostras de sorvetes, sendo que todas as amostras receberam notas acima de 7 - equivalentes a gostei moderadamente- para esses atributos. Entretanto, a amostra controle obteve as maiores médias para os atributos de sabor, sabor residual e aceitação global, diferindo significativamente dos demais sorvetes testados. Na aceitação global, apesar de ter havido diferenças significativas entre as amostras F1 e Ce entre F2 e C, as médias obtidas para os sorvetes com substituição de gordura por fibra de laranja ficaram próximas da nota 7-equivalente a gostei moderadamente- demonstrando um percentual de aceitação de 78% (COMAS e BOFF et al., 2013).
Mostrar mais

81 Ler mais

Desenvolvimento e caracterização de kombucha a base de diferentes chás e adoçados com açúcar demerara

Desenvolvimento e caracterização de kombucha a base de diferentes chás e adoçados com açúcar demerara

RESUMO- O aumento na procura por alimentos ditos “saudáveis” e “funcionais” tem ocasionado o aparecimento de novos tipos de produtos, surgindo assim novas oportunidades de negócios que se baseiam na venda de bebidas funcionais. A kombucha é uma bebida fermentada refrescante e agridoce preparada a partir da utilização de uma colônia de microrganismos (SCOBY) como inóculo e chá como substrato. Objetivou-se desenvolver e caracterizar os chás fermentados (kombucha) preparados à base de diferentes chás (preto, verde e hibisco) e adoçados com açúcar demerara. Inicialmente houve a preparação dos chás mediante infusão e em seguida procedeu-se a ativação do inoculo ao longo do três semanas. Fez-se a caracterização físico-química (pH, acidez e sólidos solúveis) dos chás bases e realizou-se o estudo do acompanhamento cinético da fermentação na produção da kombucha. Por fim, determinou-se o teor de açúcares totais, açúcares redutores, compostos fenólicos, flavonoides e antocianinas do chá fermentado e maturado. Verificou-se que para a elaboração de kombuchas com qualidade sensorial aceitável faz-se necessário 4 dias de fermentação, seguido por 3 dias de maturação. As kombuchas apresentaram altas concentrações de compostos fenólicos, em especial a kombucha de chá preto. As bebidas resultantes apresentaram características químicas compatíveis com a matéria-prima e ingredientes utilizados, sendo considerado um produto com atributos adequados para consumo, visto que contêm grande quantidade de ácidos e compostos antioxidantes benéficos à saúde, podendo suprir algumas necessidades nutricionais.
Mostrar mais

8 Ler mais

CATÁLOGO. Fabricação e comercialização de caixas d água e reservatórios metálicos. CAIXAS D ÁGUA E RESERVATÓRIOS METÁLICOS

CATÁLOGO. Fabricação e comercialização de caixas d água e reservatórios metálicos. CAIXAS D ÁGUA E RESERVATÓRIOS METÁLICOS

Construído no formato tubular, com capacidades de 3.000 a 200.000 litros, possui excelente relação custo-benefício. Com design tradicional, amplamente utilizado nos mais diversos segmentos de reservatório de Água Potável, podendo ser fabricado com ou sem divisão interna de células, propiciando atendimento técnico a quaisquer projetos hidráulicos.

8 Ler mais

A MÁSCARA QUE SE DESFEZ EM GOTA D´ÁGUA

A MÁSCARA QUE SE DESFEZ EM GOTA D´ÁGUA

Os produtos são valorizados mais pelo que eles apresentam ser e não pelo que são. A televisão passa a ditar modelos de comportamentos e influir na caracterização de mundo dos indivíduos. O computador passa a fazer parte do dia-a-dia das pessoas o que leva Proença Filho (op. cit p.37.) a dizer que “na verdade a configuração de um novo estágio do desenvolvimento tecnológico vem marcando a sociedade moderna”.

8 Ler mais

DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DE FILMES À BASE DE AMIDO DE FEIJÃO MACÁÇAR (Vigna Unguiculata)

DESENVOLVIMENTO E CARACTERIZAÇÃO DE FILMES À BASE DE AMIDO DE FEIJÃO MACÁÇAR (Vigna Unguiculata)

As gramaturas dos filmes foram significativamente afetadas com o aumento do teor de glicerol e da quantidade de solução filmogênica. No entanto, com a substituição parcial do glicerol por HAc, em 33,3 %, não houve alteração dessa propriedade (P ≤ 0,05), conforme Tabela 3. A gramatura contribui diretamente para uma melhor resistência mecânica e de barreira dos filmes, uma vez que uma maior gramatura oferece uma melhor resistência mecânica e, na maioria das vezes, uma melhora na barreira a gases e ao vapor de água do material (Dantas & Lima, 2007). O conhecimento dessa propriedade é bastante importante, pois com a sua informação é possível se determinar a área total de material existente em uma bobina.
Mostrar mais

15 Ler mais

Desenvolvimento de embalagem biodegradável tipo espuma a partir de fécula de man...

Desenvolvimento de embalagem biodegradável tipo espuma a partir de fécula de man...

• Os resultados indicaram que a quantidade de fécula influencia diretamente a viscosidade da massa. A formulação que apresentou uma menor perda de produção, ou seja, aquela que produziu menor quantidade de espumas incompletas foi a formulação com viscosidade intermediária. O ideal é que a massa de fécula seja fluida o suficiente para expandir a massa e tenha viscosidade suficiente para reter (prender) em sua estrutura o vapor de água gerado, formando alvéolos (bolhas) de tamanhos e distribuição uniformes, obtendo assim características de espuma. As maiores perdas de produção foram das formulações com os dois extremos de viscosidade (baixa e alta). As espumas fabricadas com quantidades elevadas de água na formulação expandem mais facilmente durante o processo, porém não possuem componentes sólidos em quantidade suficiente para formar a estrutura interna, formando espumas incompletas. Já as massas com menores quantidades de água há uma menor expansão da massa, havendo necessidade de mais material para sua fabricação.
Mostrar mais

107 Ler mais

Produção e caracterização de espuma cerâmica obtida a partir de lodo de anodização de alumínio

Produção e caracterização de espuma cerâmica obtida a partir de lodo de anodização de alumínio

componentes de alumínio. O tratamento confere alta resistência à corrosão e à abrasão e possibilita efeitos estéticos tais como a coloração com a manutenção dos padrões do projeto original [3]. Este processo consome muita água e gera grandes quantidades de lodo (~100.000 tonelada métrica/ano) nos países da União Européia [4]. No Brasil estima-se que para cada tonelada de material anodizado, uma tonelada de lodo é gerada. O lodo é constituído, majoritariamente, de hidróxido de alumínio coloidal, sódio ou cálcio (gerados a partir das soluções de neutralização) e sulfatos de alumínio (usados como agentes floculantes) e água (~85%). O lodo é freqüentemente classificado como um material não tóxico [5], mas a sua disposição, considerando as quantidades produzidas, implica elevada redução de volume (ex. filtro prensagem) e custos de transporte (US$ 22-30/tonelada métrica) [4].
Mostrar mais

64 Ler mais

Sensor de amônia à base de polímero eletrônico impresso em papel : desenvolvimento e caracterização.

Sensor de amônia à base de polímero eletrônico impresso em papel : desenvolvimento e caracterização.

A Figura 3.10 é uma ilustração esquemática do processo de preparação do sensor de gás amônia a base de PAni impresso em papel flexível. A fabricação dos dispositivos eletrônicos utilizados para a realização das medidas elétricas, inicia-se por meio do papel virgem sem ou com tratamento térmico, conforme ilustrado na Figura 3.10 (a). O substrato utilizado no trabalho foi o papel alcalino extra branco da empresa Kajocopy. Logo, foi inserido o papel virgem no equipamento de recobrimento wire bar e programado com velocidade de 4 cm/s e espaçamento entre a barra de rolagem e o papel virgem cerca 1 mm para melhor espalhamento da PAni ao longo do substrato. Em seguida, foi inserido a PAni líquida (base esmeraldina) com a utilização de uma pipeta e imediatamente foi acionado o equipamento wire bar, Figura 3.10 (b). Após esse processo, foi colocado a PAni impressa no papel em uma posição vertical durante 24 horas a temperatura ambiente para secar, para diminuir o enrugamento na superfície do papel e para possíveis deposições de PAni. Após a secagem ocorreu a fabricação dos eletrodos por meio do uso de tela para Silk e de tinta prata CI-1036 da empresa Engineered Materials Systems, INC, conforme a Figura 3.10 (c). Dessa forma, foi possível obter 20 pares de eletrodos com dimensões de 10 mm de comprimento (d) e 600 µm de espaçamento entre eletrodos (L). Por meio desta técnica, foi possível a fabricação de muitos sensores e a um custo reduzido.
Mostrar mais

120 Ler mais

Desenvolvimento e caracterização de filmes à base de Poli(3-hidroxibutirato) aditivado com ZnOnano.

Desenvolvimento e caracterização de filmes à base de Poli(3-hidroxibutirato) aditivado com ZnOnano.

O desenvolvimento de novos materiais para obtenção de embalagens ativas visa atender à nova exigência do mercado para embalagens de alimentos, considerado um conceito inovador com uma tecnologia emergente, em que um aditivo é incorporado ao material de embalagem com a finalidade de interagir com o alimento, atuando na liberação ou absorção de substâncias, podendo fornecer e/ou melhorar a funcionalidade, pois passa a conferir diferentes propriedades além da função de proteção, atuando na extensão da vida comercial do produto embalado (GÓMEZ-ESTACA et al., 2014; LÓPEZ DE DICASTILLO et al., 2011). Neste contexto, diferentes aditivos que podem atuar como agentes antioxidantes e/ou antimicrobianos conferem ao alimento embalado maior proteção contra fatores internos e externos, reduzindo a adição de conservantes no processamento desses alimentos. Dentre esses aditivos, nanopartículas de ZnO podem apresentar potencial aplicação para obtenção de embalagens ativas devido à sua ação antimicrobiana. Estudos mostram que a adição de ZnO em meios de cultura proporciona significativa inibição do crescimento de L. monocytogenes, S. enteritidis e E. coli (ESPITIA et al., 2012; JIN et al., 2009) e um bom efeito bacteriostático para o S. agalactiae e S. aureus, que são dois agentes etiológicos de várias doenças infecciosas em seres humanos (HUANG et al., 2008).
Mostrar mais

10 Ler mais

D iversiDaDe, biogeografia, caracterização

D iversiDaDe, biogeografia, caracterização

Matriz de dados construída para análise de Similaridade. Trabalhos Analisados: A = Parque Estadual Rio da Onça – Matinhos, PR (Presente Estudo), B = Reserva Florestal do Morro Grande, SP (Pardini & Umetsu, 2006), C = Fragmentos de Restinga – Rio Grande, RS (Quintela et al., 2012), D = Campos litorâneos – Rio Grande, RS (Quintela et al., 2013), E = RPPN Rio das Pedras – Manguaratiba, RJ (Pessôa et al., 2009), F = Picinguaba – Ubatuba, SP (Pinheiro & Geise, 2008), G = Parque Estadual do Desengano, RJ (Modesto et al., 2008), H = Parque Estadual Serra do Tabuleiro, SC (Cherem et al., 2011), I = Parque Saint-Hilaire/Lange – Matinhos, PR (Mochi-Jr., 2014), J = Floresta Nacional de Piraí do Sul, PR (Grazzini et al., 2015c), K = Mina Limeira – Ribeirão Grande, SP (Leiner & Silva, 2012), L = Parque Estadual Carlos Botelho – Serra de Parana- piacaba, SP (Brocardo et al., 2012), M = Fazenda Esmeralda – Cambuci, RJ (Albuquerque et al., 2013), N = Parque Nacional Serra da Bocaína, RJ (Delciellos et al., 2012), O = Serra da Concórdia, RJ (Modesto et al., 2008), P = Serra dos Orgãos, RJ (Olifiers et al., 2007). 1 = presença do táxon, 0 = ausência.
Mostrar mais

28 Ler mais

Caracterização da arquitetura interna das bacias do Vale do Cariri (NE do Brasil) com base em modelagem gravimétrica 3-D.

Caracterização da arquitetura interna das bacias do Vale do Cariri (NE do Brasil) com base em modelagem gravimétrica 3-D.

David L. Castro é Geólogo (UFRN, 1986), Mestre em Geofísica (UFPA, 1990) e Doutor em Geofísica (Univ. Kiel - Alemanha, 1995). Entre 1996 e o início de 1998, ele esteve associado ao Departamento de Física e ao Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Geodinâmica e Geofísica da UFRN, com bolsa de Recém-Doutor do CNPq. Neste período, orientou uma dissertação de mestrado. Entre 1998 e 1999, participou do Projeto Nordeste - Reconhecimento Geofísico e Hidrogeológico da região costeira entre Fortaleza e Paracuru, Norte do Ceará, junto ao Laboratório de Geofísica de Prospecção e Sensoriamento Remo- to (LGPSR) da UFC, com bolsa de Desenvolvimento Científico Regional do CNPq. Atualmente, está associado ao Curso de Pós- graduação em Geologia da UFC como professor visitante (CA- PES), onde ministra disciplinas regulares do curso e orienta uma dissertação de mestrado. Seus principais interesses são tectonofísica e geofísica regional e aplicada, a partir da utilização de métodos potenciais e eletromagnéticos. Ele publicou um artigo em revista internacional, apresentou 20 trabalhos em congressos nacionais e internacionais e é membro da Sociedade Brasileira de Geofísica.
Mostrar mais

16 Ler mais

Desenvolvimento e caracterização de uma tinta em pó base poliéster contendo montmorilonita funcionalizada com silano

Desenvolvimento e caracterização de uma tinta em pó base poliéster contendo montmorilonita funcionalizada com silano

Dentre os métodos empregados para a proteção à corrosão de materiais metálicos os revestimentos orgânicos vêm sendo muito utilizados devido a sua facilidade de aplicação e custos razoáveis. A propriedade de barreira dos revestimentos orgânicos pode ser melhorada com a incorporação de cargas adequadas, tais como nanocargas que, mesmo em baixas concentrações, apresentam propriedades de barreira superiores às cargas convencionais. A montmorilonita (MMT) é a fase inorgânica mais utilizada na obtenção de nanocompósitos poliméricos. Para melhorar a compatibilidade e dispersão da argila na resina polimérica, muitos pesquisadores têm realizado o processo de funcionalização da argila utilizando silano. O presente trabalho tem como objetivo desenvolver e caracterizar uma tinta em pó base poliéster contendo diferentes teores da argila montmorilonita sódica (MMT-Na + ) modificada com o silano 3-aminopropiltrietoxisilano (γ-APS). A argila modificada com silano (S-MMT) ou a MMT-Na + foi incorporada numa formulação padrão de tinta em pó base poliéster nas proporções de 2, 4 e 8% (m/m). A incorporação da argila na tinta ocorreu no estado fundido (extrusão). As argilas, a tinta em pó e o revestimento após a cura foram analisados empregando diferentes técnicas de caracterização, tais como difração de raios X (DRX), espectroscopia de infravermelho por transformada de Fourier (FTIR), análise termogravimétrica (TGA), calorimetria exploratória diferencial (DSC), microscopia eletrônica de varredura (MEV), microscopia óptica (MO). As tintas em pó foram aplicadas sobre painéis de aço carbono por pulverização eletrostática. O efeito da incorporação de diferentes teores da argila modificada e não modificada nas propriedades físicas e de proteção à corrosão das tintas foram avaliadas empregando ensaios de medida de brilho
Mostrar mais

123 Ler mais

Desenvolvimento e caracterização de compósitos poliméricos à base de poli(ácido lático) e fibras naturais.

Desenvolvimento e caracterização de compósitos poliméricos à base de poli(ácido lático) e fibras naturais.

do uso de diversas fibras naturais para a síntese de biocompósitos. Os autores demonstraram, entre outros pontos, a importância do tratamento superficial no que tange a modificar as propriedades dos biocompósitos, justamente pela modificação do teor de lignina nas fibras através do uso de soluções alcalinas de hidróxido de sódio junto a hipoclorito de sódio. Com base nos estudos, concluíram que o tratamento químico superficial depende de vários fatores, tais como a concentração dos reagentes, temperatura, etc., e que o referido tratamento pode afetar de forma decisiva as propriedades térmicas, mecânicas e de adesão entre a matriz polimérica e as fibras. Analogamente, as diferenças entre os resultados encontrados neste trabalho podem estar relacionadas a diferentes teores de lignina nas fibras, aliado ao fato de a fibra de coco ser relativamente mais higroscópica do que a fibra de madeira, resultando em uma adesão mais fraca entre a fibra vegetal e a matriz.
Mostrar mais

8 Ler mais

Desenvolvimento e caracterização de filme nanocompósito de base celulósica e sua avaliação como embalagem ativa antimicrobiana

Desenvolvimento e caracterização de filme nanocompósito de base celulósica e sua avaliação como embalagem ativa antimicrobiana

Estes resultados estão relacionados à composição das argilas e sua interação com o solvente e o polímero. Por se tratar de uma argila natural, a Nanofil é composta por cátions Na + , apresentando um comportamento hidrofílico, e dessa forma, oferece menor interação com o solvente e o polímero. As argilas Cloisite 10A e 30B são modificadas pela substituição dos cátions Na + por sais quaternários de amônio, tornando-as mais organofílicas. O procedimento de organofilização da argila é uma das etapas chave para que ocorra uma dispersão e esfoliação bem sucedida das partículas da argila na matriz polimérica. A natureza organofílica reduz a energia superficial e torna a argila, mais compatível com polímeros orgânicos e o aumento no espaçamento basal facilita a intercalação das cadeias poliméricas entre as camadas da argila (PAIVA et al., 2008). Para que a melhoria das propriedades dos nanocompósitos seja evidente, uma estrutura esfoliada é preferida à estrutura intercalada (TUNÇ & DUMAN, 2010). Romero et al., 2009 produziram nanocompósitos de acetato de celulose e montmorrilonita sódica (MMT-Na + ) pelo método casting utilizando diferentes solventes: acetona, ácido acético, uma mistura de acetona e água, e uma mistura de ácido acético e água. Ao avaliarem a influência do tipo de solvente na estrutura e propriedades dos nanocompósitos, observaram que o intumescimento da argila pela solução polimérica foi mais efetivo na presença de água, especialmente quando a mistura com ácido acético foi utilizada. Este efeito é atribuído a interações polares específicas, ligações de hidrogênio e à formação de um complexo entre as cadeias do acetato de celulose e as moléculas do solvente. Dessa forma, é possível concluir que a dispersão e delaminação da argila são alcançadas quando solvente e argila apresentam interações favoráveis.
Mostrar mais

97 Ler mais

Implementação/Desenvolvimento de uma aplicação web de base de dados para caracterização e conhecimento do território municipal

Implementação/Desenvolvimento de uma aplicação web de base de dados para caracterização e conhecimento do território municipal

Posto isto, temos organizada a nossa base de dados, apesar de não ter sido concretizada a parte final que seria a construção da aplicação web em si, em que o munícipe teria a possibilidade de num simples clique em qualquer parcela urbanistica conseguir obter todo o historial dessa mesma parcela. No entanto, espero que agora tendo a estrutura de toda a base de dados, o Gabinete de Informática juntamente com o Gabinete de Estudos e Planeamento Estratégico consigam, a longo prazo, concretizar a aplicação Web tão almejada e dêem assim continuidade a este projecto, que pretendo que seja uma ajuda para outras autarquias organizarem as suas bases de dados de uma forma mais rápida e eficaz.
Mostrar mais

74 Ler mais

Embalagem de espuma à base de amido desenvolvida a partir de subproduto da industrialização da batata (Solanum tuberosum L.)

Embalagem de espuma à base de amido desenvolvida a partir de subproduto da industrialização da batata (Solanum tuberosum L.)

Produção) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2020. O uso de embalagens à base de petróleo e seu descarte no meio ambiente apresenta vários problemas ambientais, direcionando pesquisas para o desenvolvimento de biopolímeros como substitutos dos polímeros convencionais. Portanto, este projeto teve por objetivo desenvolver um material para embalagem biodegradável a partir de subprodutos da industrialização da batata (Solanum tuberosum L.). Para tanto, dez formulações utilizando o subproduto da industrialização da batata, a goma xantana, a pectina de alta metoxilação e a fibra natural de aveia foram testadas para desenvolver uma espuma biodegradável pelo processo de termo expansão. Análises físico- químicas foram realizadas para caracterizar o subproduto da batata. As três formulações compostas por goma xantana e fibra de aveia (C10, C15 e C20) com os melhores resultados foram analisadas quanto à morfologia, às propriedades mecânicas e à biodegradabilidade do produto final. Tanto o índice de absorção quanto a solubilidade em água foram maiores na amostra com 20% de plastificante e 20% de fibra. A atividade da água não foi afetada pelas variações nos aditivos. As amostras com maior concentração de aditivos apresentaram maior resistência à tração mecânica, mas houve um limite para esses níveis de resistência à espuma. O efeito visual mais acentuado foi a cor amarela. O principal mecanismo de degradação da espuma proposto foi a hidrólise, com tempo entre 7 e 20 dias para a decomposição completa. A combinação de um subproduto da industrialização da batata com goma xantana e fibra natural de aveia possibilitou a produção de um substituto promissor para polímeros sintéticos, fornecendo uma solução ecológica para o uso de subprodutos agroindustriais, com redução do volume de resíduos de embalagens à base de petróleo. O material pode ser usado em pequenos produtos descartáveis ou embalagens alternativas para alimentos secos, ou aplicado à agricultura em bandejas de sementes, embalagens para o transporte de mudas de plantas ou recipientes de composto.
Mostrar mais

100 Ler mais

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E ANÁLISE DA DEMANDA NA PRODUÇÃO FAMILIAR DE FARINHA DE MANDIOCA: O CASO DA FARINHA D´ÁGUA

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E ANÁLISE DA DEMANDA NA PRODUÇÃO FAMILIAR DE FARINHA DE MANDIOCA: O CASO DA FARINHA D´ÁGUA

Esse processo de modernização da agricultura brasileira, iniciado em meados da década de 50, ocorreu com intensa diferenciação e até mesmo a exclusão de alguns grupos de produtores e algumas regiões economicamente ativas. Foi responsável por reconfigurar economicamente, socialmente e tecnologicamente a agricultura brasileira – intensa valorização da propriedade fundiária acentuando a concentração fundiária e a fragilização da pequena produção frente às pressões da especulação; cerca de trinta milhões de brasileiros deixaram o campo para a cidade neste período. (DELGADO, 1984; ERTHAL, 2006) Os chamados “Pacotes Tecnológicos”, disponíveis no mercado internacional, definiriam o novo ambiente tecnológico da agricultura brasileira dentro de uma lógica linear de desenvolvimento, na qual se prescrevia a neutralidade da tecnologia. Por meio da transferência de tecnologia de países desenvolvidos, em especial os EUA, adotou-se tais pacotes – máquinas e implementos, fertilizantes e defensivos químicos, etc. Contudo, o que ocorreu foi uma redução da ideia de desenvolvimento a modernização tecnológica e o resultado desse processo foi o empobrecimento sociocultural das famílias agriculturas e do solo. (VALE, 2011)
Mostrar mais

13 Ler mais

Show all 10000 documents...

temas relacionados